Google+

20 de fevereiro de 2009

ABS sim, airbag não.

Com a aprovação da obrigatoriedade de airbags em automóveis, faltando apenas a sanção do presidente da República, para posterior regulamentação técnica pelo Contran, chego novamente à mesma conclusão de sempre: este é um país imbecil.

Pode parecer uma palavra forte, mas não encontro outra melhor. Tornar obrigatório um dispositivo de segurança passiva apenas, na linha de um pensamento mais ou menos assim: pode bater que o airbag te salva!

Onde está o investimento de governos e empresas na educação, no aprender a dirigir? Segurança ativa de verdade.

Tornar obrigatório o ABS é muito mais lógico, e isso deve ocorrer só em 2014. Se podemos utilizar a tecnologia e aumentar o custo dos carros, que seja primeiro em dispositivos para evitar acidentes, não para proteger quem já bateu. Evitar é a chave da maior segurança.

Vou falar um negócio bem sério aqui: governos não sabem nada de carro, nem de ruas e nem de estradas. Há sei lá quantos milhares de quilômetros de vias no Brasil com sinalização errada. Eu conheço alguns trechos da Rodovia Rio-Santos que tem a sinalização horizontal totalmente equivocada, até mesmo invertida, permitindo ultrapassagem para quem vem no sentido contrário com menor visibilidade.

Há trechos com visão plena e sem edificações por perto, só mato, e que têm faixa contínua, proibindo a ultrapassagem. Quem presta atenção nisso deve ter visto outros muitos lugares com esse problema, e esse é só um exemplo.

Mas na mesma estrada tem camerinha fotográfica, multando quem anda um pouquinho acima da baixíssima velocidade permitida, mesmo que com plena condição de segurança. Caça-níquel na cara-dura, sem vergonha mesmo.

Mas tudo isso é típico do brasileiro, esse povo alegre, alto-astral, bonito e ...PASSIVO!!!! De uma passividade imbecil, aquela coisa de ver um governo federal confiscar o dinheiro de todo mundo no banco e deixar só 50 mangos para cada um, e esse povinho continuar assistindo novela, futebol e carnaval, em vez de sair para as ruas e parar tudo. Nesse ponto, precisamos aprender bastante com nossos vizinhos portenhos.

Espero que o Contran realmente utilize cérebros técnicos para regulamentar o airbag que será obrigatório. Faço votos que esse corpo técnico se lembre que os impactos laterais são mais fatais que os frontais. O ocupante está mais próximo do ponto de impacto, não mais do que a espessura da porta e mais um espaço mínimo, e os cintos de segurança pouco ajudam na retenção do tronco e nada da cabeça nesses casos.

Além disso, terríveis experiência feitas com macacos vivos mostraram que apenas uma boa chacoalhada de lado já é suficiente para matar, pois o amortecimento do impacto dentro do cérebro é muito menor nas laterais da cabeça do que na frente, na testa. Então, se for para ser obrigatório o air bag, que sejam os laterais, preferencialmente os de cortina, para proteger a cabeça.

O Juvenal Jorge-protection-pack, definido por ordem de prioridade técnica, ficaria assim: cintos de segurança com pré-tensionadores, mais sistema anti-bloqueio de freios (ABS), mais airbags laterais de cortina. Por último os airbags frontais.

Se extrapolarmos esse raciocínio, tudo isso deveria vir depois de ótimos pneus, freios que não "cansam" (que não dão fading), amortecedores e demais componentes de suspensão de primeira classe, além de um sistema de direção sensível e rápido, sem ser excessivamente leve.

Isso tudo somado seria eficiente para evitar acidentes e salvar vidas.

13 comentários:

  1. Vc tem toda a razão. É mesmo uma República das Bananas. Agora, só falta ter algum político dono de uma fábrica de air-bags, que neste país devem ser bexigas de aniversário coloridas ! Parece até que ninguém tem o que fazer e inventam moda! A engenharia de transito não existe, o CET de SP, criado pelo Setúbal como um orgão técnico, virou um saco de gatos da política, está sucateado e parece que atrapalham mais do que resolverem o transito caótico de SP. Semáforos não sincronizados, etc, e por aí vai.
    É mesmo revoltante ! Abr

    ResponderExcluir
  2. Tinha pensado nisso outro dia. ABS é muito mais importante que air-bag. Mas o povo se rende aos encantos da segurança passiva.

    Porque o acidente evitado não alimenta estatísticas. Este é o "problema".

    ResponderExcluir
  3. Discordo do termo país de bananas. Não ajuda muito.
    Nos EUA, freios à disco chegaram mais de dez anos depois da Europa. Disco traseiro em carro de US$18mil? mesmo pesando 1600kg, com motor V6, era opcional até há 2 anos.
    País do hamburger? air-bag lá é obrigatório também, mas as segurança passiva dos carros era uma verdadeira .erda, até há pouco também.
    Esta discussão corre o risco de ir para a direção do que vem primeiro e aí haveria boa dose de subjetividade fundamentada e infundada.
    Também discordo da lei do air-bag, antes que me malhem, mas por um motivo simples. Qual o rating de segurança passiva adotaremos aqui?
    Na Europa, novamente, o air-bag lá é quase padrão, para enquadrar-se nas normas EURO NCAP. Tivéssemos copiado essa norma aqui, como copiamos as de emissões de gases, seria muiiiiiiito melhor!

    ResponderExcluir
  4. Antônio Martins21/02/09 02:11

    Acho que primeiramente deveriamos ter um sistema de ensino/habilitação de primeiro mundo, e só depois obrigatoriedade de bolsas infláveis e freios ABS. Caso contrário seria a mesma coisa que darmos armas às crianças mas na contrapartida de vestí-las com coletes a prova de bala... Também não gosto de paternalismo, quem deseja carros com esses itens que tenha, não obrigar a pagar quem não deseja. Sei que quando se fala assim logo vem aqueles argumentos "então por vc estariamos usando pneus com câmara; freios sem assistência etc", nada disso, os carros de 20 anos pra cá já são muito seguros até pra quem abusa... desde que tenha tido boa formação. E sem essa de "acidentes acontecem por acaso", o condutor ainda é a principal peça para se evitar o acidente.

    ResponderExcluir
  5. Sabem quantas vidas foram salvas nos Estados Unidos, em 20 anos, com o airbag? Apenas 14.000. Lá morrem 35 mil por ano em acidentes rodoviários (como aqui, apesar da frota 10 vezes maior), inclusive atropelamentos. Ou seja, o airbag teria contribuído com 14.000 / 700.000 = 0,02 ou 2%. É muito barulho por pouco. As pessoas acham o airbag uma grande maravilha e o que ajudou a formar esse conceito foi a atriz Claudia Schiffer num comercial de tevê do Citroën Xsara. Numa montagem muito bem-feita, a bela alemã tinha o rosto acariciado pela bolsa inflada. Podendo escolher, faço questão de não ter airbag. Há inúmeros casos de se inflar fora de hora, como ocorreu anos atrás com o casal de jornalistas Eliakim Araújo e Leila Cordeiro numa minivan Ford, ao passar abruptamente numa lombada em Alphaville. O caso repercutiu na época.
    Mesma coisa o ABS, desnecessário numa região onde não cai neve e nem se forma gelo na pista. O problema é que não se pode retirar o fusível para desativá-lo, pois quando o carro tem ABS não vem com válvula limitadora de pressão do freio traseiro. Sem contar que sobre piso irregular o sistema atua indevidamente e a distância de parada aumenta. Esse alerta consta de todos os manuais de proprietário de carros com ABS. Para corroborar, a Porsche anunciou que um novo modelo de 911 (GT3 RSR, se não me engano) não tem ABS. Não quero o sistema em carro meu.

    ResponderExcluir
  6. Marlos Dantas21/02/09 10:25

    JJ,
    Eu achava que fosse exagero isso de pensarem que podem "bater a vontade" com um carro equipado com airbag. Até que conversando com um vendedor duma loja de carros usados, seu principal argumento para me convencer a comprar um carro dotado com as tais bolsas (na verdade eu estava só olhando o carro) era que assim eu não precisaria me preocupar com acidentes, ou seja, poderia bater a vontade que o airbag me salvaria. E pior, o mesmo idiota também pregava que a pessoa nem precisava usar cintos de segurança, pois o airbag era "um travesseiro que se abriria na cara ocupante, amortecendo o impacto".
    É muito mais simples para a turma do governo (e para muito cidadão também) que o tal “travesseiro”, como diria o vendedor, se torne obrigatório do que investirem em educação e conscientização dos motoristas. Mas, além disso, itens de segurança passiva como airbags também servem como chamariz para o consumidor e, para muitos, é um sinal de status: “Meu carro tem N airbags!”. Por exemplo, os repetidores laterais de direção também são muito importantes (e baratos), mas a maioria dos consumidores nem se lembra deles. Quem sabe teriam mais importância se fossem representados por uma sigla legal como RLD?
    Como o Bob já citou, nosso próprio “chão” anula a importância do ABS, se tornando apenas uma sigla para conferir status. Em todos os testes de carros com ABS transmitidos nos programas televisivos o piso é impecável (e ainda tem aquele em que o carro freia sobre o plástico ensaboado...). Por que eles não são mais fidedignos fazendo o teste num local com piso mais parecido com os da nossa realidade?

    ResponderExcluir
  7. O comentário nem é tanto a questão em voga, mas sobre o radar na Rio-Santos.

    Pela lei, o radar tem que estar em local completamente visível e, amplamente, divulgado através de placas.

    Fui flagrado, com as devidas correções, a 82 km/h em um trecho onde a máxima é 80 km/h (para quem não conhece, essa é a máxima da Rio-Santos na maior parte).

    Pois bem, sabem aonde estava o Radar? Estava "muquiado" sob o mato, no sentido contrário da rolagem, tanto que me pegou de frente e de baixo para cima.

    Recorri, alegando irregularidade na posição do radar e, simplesmente, indeferiram o recurso.

    Ainda não dei vista ao processo para saber a justificativa do indeferimento, assim que souber, posto aqui.

    ResponderExcluir
  8. Marlos,
    esse vendedor que você teve que aturar é daquelas pessoas que deveriam fazer um curso de engenharia como tortura, para ver se aprendem alguma coisa de carro. Ou no mínimo ser obrigado a ler esse blog e passar por chamadas orais diárias.
    Sérgio,
    me solidarizo a você, também fui brindando com uma multa na Rio-Santos, estrada safada. Além de tudo, ainda tem lombadas.

    Agradeço os demais comentários, e apenas concluo que não temos apenas pisos ruins, e nesses, o ABS faz diferença sim em emergência.

    ResponderExcluir
  9. Também defendo a necessidade de investimentos em educação e sistemas ativos de segurança, como suspensão e freios mais eficientes. Até hoje, conheço pouquíssimas pessoas que teriam tido vantagem em carros equipados com air bags, por ocasião de acidentes. Porém, em muitos outros casos, um sistema de freio eficiente teria sido a diferença entre bater ou não.

    Mas o maior problema é boa parte das pessoas não se interessarem em aprimorar o ato de dirigir ao longo do tempo. Para esses, nem mesmo ABS ajuda grande coisa, por não saberem usar tal equipamento da forma correta.

    Concordo com o Bob, em carro meu não pretendo instalar ABS ou air bags, até quando for possível.

    ResponderExcluir
  10. O Bob Sharp é um jornalista muito experiente, e no geral gosto muito dos seus textos. No entanto, ele é acometido por alguns surtos momentâneos e inexplicáveis de insensatez. Caro Bob, pare de achar que todos os motoristas têm prévia experiência como pilotos desportivos e por isso sabem usar os freios - sem ABS - em situações de emergência em qualquer tipo de piso. Eu dirijo razoavelmente bem mas tenho a humildade de admitir que provavelmente perderia o controle do carro numa frenagem de emergência na chuva. Por esta razão digo que já fui salvo pelo ABS do meu carro algumas vezes.

    ResponderExcluir
  11. Existe alguma estatística sobre a quantidade de pessoas que não se utilizam do cinto de segurança? Pq no caso do air-bag ser obrigatório. essas pessoas serão vítimas em potencial do equipamento. Outra coisa, vai haver a possibilidade de desligar o air-bag do passageiro? Pq se não houver, bebês (no caso de pick-ups cab. simples), pessoas de baixa estatura, idosos, grávidas terão um "problema" a ser enfrentado.

    ResponderExcluir
  12. Olá, gostaria apenas de dizer que a lei se for aceita vai equipar os carros com airbag duplo (motorista e passageiro em choque frontal) e também inclui o ABS (sistema anti blocagen) mas na minha opiniao o airbag é mais importante pois nao se pode evitar um acidente sempre!

    ResponderExcluir
  13. Concordo!

    ABS é um item muito mais importante que o airbag.

    O airbag pode ou não ser bom. Para quem usa óculos é um perigo. Uma simples batida que ative o airbag pode lesionar de forma grave os olhos da pessoa.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...