13 de abril de 2009

PLACAS PARA BRUNIMENTO




Hoje recebi aqui em casa uma ferramenta muito legal que pedi a um amigo ferramenteiro para fabricar. No outro post meu, "Reminiscências", citei balanceamento de motor e a maneira que eu usei para tentar disponibilizar e popularizar aqui. Foi legal, consegui, hoje mais algumas pessoas fazem balanceamento dinâmico de eixos de motores diversos. Essa ferramenta que recebi hoje, a placa de brunimento, é outro pequeno detalhe que é corriqueiro em outros países; nos EUA, toda retífica tem essas placas para todos os motores comerciais e aqui nada, não se comenta sobre.

O que é? É uma placa de aço carbono, com 1 polegada de espessura, que deve ser aparafusada no topo do bloco, usando parafusos idênticos aos dos cabeçotes porém mais curtos, que devem ser torqueados na mesma sequência e com o mesmo torque, nas mesmas etapas de um cabeçote normal, que visa reproduzir no bloco, durante a fase de brunimento, a deformação causada no bloco pelo aperto dos parafusos de fixação do cabeçote. É importante citar que deve ser colocada entre a ferramenta e o bloco uma junta de cabeçote. Vale frisar que essa deformação é pequena, da ordem de poucos centésimos de milimetro, mas é importante o suficiente para causar perdas de compressão especialmente no período de amaciamento.
Esse detalhe é importante o suficiente para fazer que este procedimento seja padrão em retificação de motores nos EUA. Inicialmente mandei fazer 2 peças, uma para Dodge V-8 bloco pequeno, e outra para motores Ford bloco pequeno, famílias Windsor e Cleveland, que são os mais populares por aqui. Breve pedirei para motores Chevrolet V-8, pequeno e grande e mais Mopar bloco grande.

Preciosismo meu? Não acho. É uma tecnologia simples, barata e fácil de se usar. Que pode e deve ser usada em qualquer motor em que se pretenda ter algo mais em desempenho.

11 comentários:

  1. Cara, li sobre isso num livro americano uma vez e fiquei viajando porque nunca tinha ouvido falar disso por aqui. Essa é a tal de torque plate certo?


    Luís F.

    ResponderExcluir
  2. Alexandre, ótima iniciativa, muito boa de fato. Entendi perfeitamente, e as fotos dizem tudo.
    Que tremenda idéia simples !!!
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. AG, existem máquinas hidráulicas de precisão que os cilindros só podem ser retificados desse jeito.
    É o caso de alguns tornos e fresadoras CNC.

    Uma pergunta.
    O motor, quando trabalha a quente, possui uma distribuição de calor diferenciada, mais quente junto ao cabeçoe e mais frio junto ao virabrequim.
    Vc saberia me dizer se além dessas placas o pessoal não enche os dutos de refrigeração com óleo ou água quente de forma que o bloco ofereça a deformação mais próxima possível da condição de trabalho?

    ResponderExcluir
  4. A Placa de Torque é usada pelas retificadoras que prestam serviços aos melhores mecânicos/preparadores.

    É bom ver que as competições de arrancada( um sucesso hoje no Brasil) tornaram corriqueiros procedimenmtos que antes eram mais raros e/ou desconhecidos.

    ResponderExcluir
  5. Muito bacana sua iniciativa de usar as placas de torque. Não é preciosismo de forma alguma, mas sim um refinamento técnico que busca aprimorar ainda mais um bom motor, seja preparado ou não.

    ResponderExcluir
  6. Luis,

    Isso mesmo,honing platas, torque plates etc...

    JJ,

    Valeu.

    André,

    Que eu saiba não. Mas lá nos eua os blocos são presos por barras expansíveis e o procedimento de retifica é feito com as capas dos mancais fixos torneadas tb.

    Alexei,

    Ok, concordo, mas aqui no Brasil especificamente em Brasilia e no Rio de janeiro não conheço nenhuma retifica que tenha ou use honing plate. Me alegraria muito saber que estão sendo usadas em profusão mesmo que apenas em sampa.

    Road Runner,

    Estou apenas fazendo a minha parte, manjas?

    ResponderExcluir
  7. Parabens ao Alexandre Gracia pela excelente e oportuna materia sobre a plcaca " torque plate " ! Sou eng. mecanico especializado em automotiva lá nos EUA , e lá desde os primórdios da industria automotiva se utiliza-se este importante instrumento ! Por aqui .... infelizmente, como eu mesmo digo aos meus amigos entusiastas por automóveis, quando aqui ainda mais se andava de carroças, carroções de boi e charretes, lá já eram super populares os automóveis e as inumeras modalidades de competição automotivas !!! Acorda Brasil ! Desperte-se para a modernidade !

    ResponderExcluir
  8. iansgreek,

    Obrigado pelo incentivo, estou tentando apenas fazer a parte que me cabe. Vamos ver se outros mais veem feito e se animam a começar também!

    ResponderExcluir
  9. É AG, eu conheço bem essas placas, a princípio a de FORD, você estreiou em nosso FORD 331.... Abração meu amigo, tudo de bom e parabéns por compartilhar tantas dicas... MauricioV8

    ResponderExcluir
  10. Apenas por curiosidade, a MWM recomenda que para medir o cilindro dos motores Sprint TCE, que sejam torqueados os mancais e o cabeçote, o que obrigará o mecânico a introduzir o súbito pela cavidade inferior do motor, e recomenda o uso das torque plates.

    Outro exemplo é o motor M4R do Renault Fluence e do Nissan Sentra, que é usinado na fábrica utilizando esta ferramenta.

    Pedro Mollica Antonucci

    Ainda por curiosidade, onde trabalho utilizamos alguns cavaletes para prender os motores, e uma vez resolvi medir um Maxion HS 2.5 no cavalete (que sustentava o motor apenas por uma extremidade, utilizando as furações da caixa de marchas. No quarto cilindro não houveram variações significativas, porém no primeiro cheguei a encontrar diferenças de 0,02 mm.

    ResponderExcluir
  11. Pedro,

    Nos motores mercedes vc tb tem que apertar mancais para fazer o embuchamento do comando.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...