Google+

30 de maio de 2009

CONTROLADOR DE VELOCIDADE — NA DESCIDA


Dia desses eu conversava com meu amigo e jornalista Fernando Calmon sobre ser ou não possível usar o controlador de velocidade para mantê-la constante numa descida de serra. No nosso entendimento, o controle é sobre o acelerador apenas, jamais agindo sobre o freio.

Como fui esta semana ao Guarujá para a apresentação da linha VW 2010 e estava com um Honda Civic EXS, resolvi analisar melhor essa questão na descida da serra da Rodovia dos Imigrantes e seu ridículo limite de 80 km/h.

Controlador ligado e ajustado para 80 km/h, câmbio em D, quinta marcha, conversor de torque bloqueado (automaticamente), a velocidade ia aumentando devido à declividade, mesmo baixa, apenas 6% (para cada 100 metros horizontais o carro desce 6 metros). Isso por a quinta ser uma marcha bem longa.
Coloquei então o câmbio em S, que bloqueia a quinta, ficando em uso a quarta com o conversor de torque bloqueado também. Agora a velocidade caía em vez de subir devido ao freio-motor. Para manter 80 km/h, só acelerando em quarta, o que mostra o quão ridículo é o limite de velocidade adotado: acelerar na descida! Ou então ficar em D (quinta) usando o freio para segurar o carro nesse limite imbecil.

Liguei o controlador ajustado para 80 km/h e, pronto: a velocidade era mantida, o sistema se encarregando de acelerar o motor para mim.

Fica então a dica: use-se o controlador nessa condição de tráfego para evitar ter de ficar com um olho na estrada e outro no velocímetro se o objetivo é evitar contribuir contra a vontade para os cofres do Estado.

Se o limite fosse o de projeto da descida da Imigrantes, 110 km/h (na subida, quando a mão era invertida na "Operação descida", já era 100 km/h e nunca houve problema), o próprio arrasto aerodinâmico se encarregaria de segurar o carro a essa velocidade, além da contribuição do freio-motor.

Mas só que aí o faturamento do Estado diminuiria. Não pode...

BS

17 comentários:

  1. o S bloqueia a quinta marcha?
    achei que o S, subia o giro do motor até proximo o corte de giro em cada marcha....

    ResponderExcluir
  2. Lucas,
    Em S vai da primeira à quarta. A quinta fica fora.

    ResponderExcluir
  3. Ok Bob, mas e a diferença de consumo entre usar a 5ª com giro baixo queimando freio x usar a 4ª tendo que acelerar para vencer a resistência do drivetrain?

    ResponderExcluir
  4. Bob,

    mas então isso varia de carro para carro não?
    no Mondeo pelo menos o S, é o modo Sport, e ele sobe de giro todas as marchas até proximo do corte...

    ResponderExcluir
  5. Esse é o famoso cruise control, erroneamente traduzido como "piloto automático" por vários fabricantes de automóveis nacionais e sites especializados. Não tem absolutamente nada de piloto automático nesse comando: ele não realiza manobras, não faz curvas, muito menos estaciona sozinho.
    Bob explica com clareza o que é o cruise control: controlador de velocidade, simples assim :)

    ResponderExcluir
  6. André Andrews31/05/09 02:33

    Pelo menos pra mim não vejo utilidade em controlador em auto-estrada. Por exemplo, avistado a placa com indicação de fiscalização eletrônica, basta manter 10 km/h acima do limite até no máximo 2 km do aviso (ou menos caso já tenha visto a câmera, este intevalo é previsto em resolução) e depois rodar na velocidade desejada apartir daí. Não é um bom exemplo induzir alguém a exceder o limite, mas há auto-estradas (principalmnte em SP) que poderiam não ter limite, ou ser de pelo menos 140 km/h.

    ResponderExcluir
  7. Villa,
    Claro que será gasto algum combustível usando o controlador de velocidade para descer a serra caso não se opte por usar o freio para ficar no limite, situação em que não há consumo de combustível algum. Só que não é prática saudável ficar mantendo velocidade pelo freio. Por aí se vê o absurdo que é obrigar os carros a rodarem a 80 km/h naquele trecho.

    ResponderExcluir
  8. Bob,

    Na minha Ram se estiver com o cruise ligado na ultima marcha, D + overdrive e se a velocidade aumentar muito devido a declive, o proprio processador reduz a D ou 2, dependendo do caso. Eu pessoalmente só usei um pouco o cruise control no inicio para ver do que se tratava, não me agrada usar este recurso. Mesmo em viagens longas.

    ResponderExcluir
  9. Sem falar que ao tocar no freio, o CC vai desativar.

    Essa estrada realmente é ridícula. Ano passado eu passei por ela umas 4x de carro alugado e é realmente ridículo.

    Da primeira vez eu fiz Santos-SP, subi bem rápido em velocidades quase sempre impublicáveis e por sorte não fui pego por nenhum caça níqueis. Na descida me disseram que só haviam radares nos túneis, então eu desci num ritmo tranquilo sem forçar mas também sem murrinhar e o resultado era esse aí que vc comentou, 100-120 dependendo do trecho. Aí nos túneis tinha que segurar no freio pra não tomar multa.

    Isso numa estrada absurdamente larga, com ótimo asfalto e visibilidade excelente quando as condições climáticas estão favoráveis.

    Não seria mais fácil limitar a velocidade somente quando houver neblina? Realmente é uma grande estupidez.

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente tem muitos casos parecidos.

    É um contrasenso principalmente nos dias de hoje em que se busca respeito ao meio-ambiente: na última marcha se gasta freio, na penúltima se gasta combustível acelerando.

    O que acho que poderia fazer é ficar sem acelerar em última marcha até uns 5% acima do limite (dentro da tolerância), reduzir a marcha para o freio-motor voltar a velocidade ao normal e depois colocar de novo em última marcha, e ficar repetindo o processo.

    ResponderExcluir
  11. Vou aguardar o " impressões " desse EXS...

    Sobre a velocidade máxima permitida na referida via, obviamente RIDÍCULA, certamente foi retirada do potencial de uma Kombi em péssimas condições descendo a via com carga máxima, ou seja, muito mais que uma decisão técnica, foi uma decisão político-financeira,como quase tudo aqui na Terra Brasilis

    ResponderExcluir
  12. Caros amigos, vou contar um "causo" que vivenciei sobre limite de velocidade e espero alertar quem usa a mesma rodovia. eu me pergunto por que adotaram 100km/h, ao invés de 110, no trecho duplicado catarinense da BR 101. No PR é 110 (onde se torna BR-376). em média 2 vezes por mês faço o trajeto Floripa-Curitiba-Floripa. no trecho entre o km 20 até o 80 passando por Joinville, é necessário ter muito cuidado com radares da PRF, em ambos sentidos. várias vezes, com movimento intenso, para trafegar no limite de velocidade (até 110 no painel), ou vc se espreme na direita entre caminhões e ônibus, anda entre 80 e 90 respirando fumaça preta (ainda terei um carro com ar) ou vc toca à esquerda no comboio que, aparentemente também desavisado da presença de radares, vai a 120 indicados no painel. e aí o radar da PRF vai faturando. chegaram 2 multas em minha casa, infração grave (ou seja, entre 20 e 50% acima - valores de painel, acima de 130 para o limite de 100) uma com 105 aferidos e outra com 113. pensei, mas como infração grave com esses valores baixos? Analisando o auto de infração com atenção, matei a charada: a PRF emite o auto de infração considerando o limite de 80, mas na verdade é 100. até na foto do flagrante, que é impressa no auto de infração, onde sempre constam informações do equipamento, data da ultima aferição e o limite de velocidade do local, lá estava Limite de Velocidade Carros Motos Utilitários 100km/h. Entrei com defesa prévia na 8ª SPRF de SC para as 2 multas faz quase 4 meses e até agora não veio a resposta. Conversando com amigos, vários desatentos acabaram pagando a multa sem observar essa inconsistência de limite de velocidade. Fica aqui o alerta.
    Abraços
    Polara.

    ResponderExcluir
  13. Absurdo esse limite de 80 km/h na descida da Imigrantes. Com o planejamento que foi feito para a construção da estrada, não há justificativa para uma velocidade tão baixa. Se até em estradas de mão dupla no interior do Estado de SP, com asfalto não tão bom como o da Imigrantes e com umas "pirambeiras" no percurso, o limite é de 100 km/h, tem-se uma idéia da sanha em arrecadar...

    Quando desço para o litoral com meu Caravan, é preciso manter o freio levemente acionado o caminho todo, uma chateação e gasto desnecessário do freio.

    ResponderExcluir
  14. Bob,
    bem fez Gordon Murray, que ao desenvolver o McLaren F1, colocou como requisito básico o não-uso de assistências entre os sistemas do carro e o motorista, eliminando do projeto até mesmo uma simples direção hidráulica.
    Controladores de velocidade automáticos deveriam ser proibidos por lei federal. São totalmente ridículos, um convite à preguiça e aos acidentes, coisa de Interstate americana, as estradas mais soníferas do planeta.

    ResponderExcluir
  15. Oi Bob,

    Tem como explicar o acidente em que morreram duas mulheres e o casal de irmãos sobreviventes passou quase 40 horas esperando ajuda. Um caminhoneiro disse que o carro estava devagar e ele o ultrapassou minutos antes da curva faltal. Sei que estrada em MG é um perigo, mas acredito que aconteceu alguma coisa a mais...

    ResponderExcluir
  16. O McLaren do Murray não tem direção assistida? Certeza isso?

    ResponderExcluir
  17. Jonas Torres02/06/09 01:13

    Temos que usar a lei (no caso resoluções) a nosso favor, como faz o André. E dar uma banana aos limites hipócritas sem contribuir com a arrecadação.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...