26 de maio de 2009

GASOGÊNIO

Gasolina, álcool, flex, GNV, híbridos, elétricos... A discussão sobre as diversas fontes de energia nos automóveis é um assunto bastante aquecido, porém está vivo não é de hoje.

Há 65 anos, o mundo achava-se dividido e em choque sob uma guerra de alcance global. Petróleo era a fonte de energia que impulsionava as então modernas máquinas de combate na terra, no mar e no ar. Logo, as reservas deste precioso mineral eram alvo estratégico para ambos os lados, restando muito pouco para o resto do mundo.

Nesta época, o Brasil se achava sob uma situação difícil. Afastado das principais fontes, o país contava com poucos petroleiros que se arriscavam a atravessar a barreira dos furtivos submarinos alemães.


Era tempo de combustível escasso e racionado para a população, que apesar de tudo, precisava manter tudo funcionando. Tudo era improvisado. As lamparinas de óleo usavam óleos vegetais, como o de mamona, velas eram feitas com cera de abelha no lugar da parafina artificial, e assim por diante.

Os carros e caminhões logo se adaptaram a esta realidade com uma solução vinda da Europa do período entre guerras, o gasogênio.

A primeira onda veio sob a forma de kits importados, mas logo fabricantes nacionais passaram a copiar e a oferecer seus produtos por aqui.


Em automóveis, esses kits eram instalados geralmente na traseira, mas poderiam ser instalados em reboques. Em caminhões, eram instalados entre a cabine e a carroceria.



Em princípio, os sistemas de gasogênio foram projetados (isso quando não eram arremedos de improvisação) para usar carvão vegetal ou lenha seca picada. No entanto, logo a população passou a usar quase todo material orgânico seco disponível, de capim a dejetos animais. Valia tudo para manter os veículos andando, e o melhor, sem gastar um tostão numa época de vacas magras para todos.

O princípio de funcionamento do gasogênio é bastante simples.

Ao contrário do que muitos de nós pensamos, nenhum material orgânico sólido ou líquido pega fogo. Neles ocorre um processo chamado “pirólise”.

A pirólise é o processo de degradação de materiais orgânicos sólidos sob a ação de forte calor, onde parte do material se transforma em gases orgânicos elementares e combustíveis como o metano. São estes gases que queimam junto aos sólidos e líquidos, liberando calor para que mais material orgânico sofra degradação, num processo cíclico.

Muitos materiais orgânicos ao sofrerem pirólise fornecem tal quantidade de gases inflamáveis que a quantidade de energia calorífica liberada é muito superior à necessária para a manutenção da pirólise, energia esta que pode ser aproveitada.
O aproveitamento dessa energia pode ser feito de duas formas. Ou se aproveita o calor oferecido pela queima total do material, como na fornalha de uma locomotiva a vapor, ou queima-se o material orgânico na presença de pouco oxigênio, de forma que apenas parte do material orgânico sofra pirólise, e o excedente dos gases inflamáveis possa ser usado como combustível para alguma máquina de combustão interna. Este segundo princípio é o usado pelo gasogênio.

Haviam diferentes sistemas de gasogênio, mas nestes, dois componentes são fundamentais: o tanque de material orgânico e o misturador.

O tanque de material orgânico é hermético em quase toda sua extensão, menos em uma abertura de ventilação em sua base, e uma saída de gases que segue em direção ao misturador, passando por um sistema de depuradores, radiadores de calor e filtros.

Nesta base, o material orgânico é posto a queimar com o pouco ar entrante, mas o suficiente para degradar muito mais material do que foi consumido pelo fogo.

O misturador opera com um venturi semelhante ao dos carburadores, gerando um vácuo proporcional à passagem de ar atmosférico para o motor.

Conforme o motorista acelera o motor, o maior fluxo de ar pelo misturador gera um vácuo maior, que suga mais ar para dentro do tanque. Com mais ar entrando, a chama sobre o material estocado dentro do tanque aumenta, aumentando o calor e conseqüentemente mais gases inflamáveis são gerados pela pirólise mais potente. Geralmente havia um registro de controle dentro dos carros para acertar esse crescimento da pirólise com as necessidades do motor e manter a proporção ar-combustível adequada.

O metano e demais gases inflamáveis consistiam apenas parte da carga combustível que seguia do tanque para o motor, havendo também CO2, nitrogênio atmosférico, um pouco de oxigênio e mais uma série de gases não inflamáveis, vindo daí outro nome conhecido deste sistema: “gás pobre”.

Como o poder calorífico do metano em relação à gasolina era mais baixo, um bom kit de gasogênio fazia o motor perder algo em torno de 35% de potência usando carvão vegetal de boa qualidade. E uma carga completa de carvão oferecia autonomia entre 100 a 200 km, dependendo do kit e do veículo.
No entanto, como os kits passaram a ser feitos aqui pela cópia e pela adaptação e sem um mínimo de engenharia, fora o uso de qualquer tipo de combustível que estivesse à mão, era comum o motor perder bem mais da metade da potência, além de sofrerem danos por excesso de cinzas não filtradas e explosões (algumas bastante sérias) por retorno de chama pelos dutos vindos do tambor, cheio de metano e algum oxigênio.

O sistema também não era conveninente. Um bom kit demorava de 5 a 10 minutos para atingir condições de operação, mas os kits improvisados demoravam bem mais. Era comum os carros ficarem estacionados com motor funcionando caso o motorista esperasse demorar pouco no ponto de parada, só pela dificuldade de partida.

Esta época foi marcada por carros que eram abastecidos com praticamente qualquer material disponível, mas também de carros lentos que toda hora paravam precisando de mais um reabastecimento.
Era comum o motorista possuir um machado e um facão para cortar alguma lenha para um reabastecimento pelo meio do caminho.

Com o fim da guerra, um espírito renovado de esperança correu o mundo, e houve abundância de petróleo barato, jogando o gasogênio apenas como curiosidade histórica, havendo poucos exemplares disponíveis hoje em funcionamento.

37 comentários:

  1. Ia ser engraçado se as usinas de álcool instalassem esses kits nos caminhões e tratores que transportam a cana colhida...

    ResponderExcluir
  2. 1k2, o gasogênio teve muita utilização no meio agrícola, e uma das razões era a fartura e diversidade de material combustível disponível e pela dificuldade de transporte de combustível vindo do petróleo.
    Foi assim no periodo entre guerras na Europa. e foi assim aqui durante e em alguns anos após a guerra.

    Curiosidade à parte.
    Um dos materiais mais visados para uso como combustível na época era o sabugo de milho. Embora a autonomia fosse baixa com uma carga de sabugos, era o material que dava a resposta mais rápida e potente para os comandos do acelerador.

    ResponderExcluir
  3. André Dantas,
    parabens pelo post, eu não conhecia essa história e fiquei impressionado, me lembrou o filme "de volta para o futuro" onde o combustivel do DeLorean éra lixo,
    como toda a tecnologia que temos hoje, não poderiamos pensar tambem nesta fonte de combustivel?

    ResponderExcluir
  4. e os carros movidos a ar comprimido que ja são utilizados na India? porque ainda não investiram nessa tecnologia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ubirajara:

      O problema do ar comprimido e' que alguem tem que comprimir o ar, e esse alguem e' sempre um compressor que consome MUITO mais energia pra comprimir o ar do que o are comprimido vai fornecer pra mover o vehiculo.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Caro Ubirajara,

    Como disse a ministra, relaxe e goze...
    Vamos lá: A Tata assinou um acordo de desenvolvimento de automóveis com a MDI, que desenvolve a tecnologia. O Dantas poderia explicar melhor do que eu como funciona o motor do carro a "ar". O sonho do Rui Negre, o inventor, é que as estações de abastecimento sejam movidas por geradores eólicos ou energia solar. Vou explicar o pouco que sei e tomara que o Dantas saiba mais do que eu (ele explica tão bem...): Um cilindro armazena ar em alta pressão. Esse ar move um pistão que comprime mais ar atmosférico junto com o ar comprimido, e transforma essa compressão em energia cinética dando movimento ao carro. Resumindo: é como se fosse uma locomotiva, mas sem a caldeira de vapor. E também o pistão tem uma biela articulada, o que ajudaria a aproveitar melhor a energia (André, salve-me professor!). E com uma grande vantagem aqui nos trópicos: o ar condicionado é de série e totalmente grátis e sem destruir a camada de ozônio. Como? Simples: lembra que escrevi nas linhas acima que o ar é comprimido? Pois é, para retornar ao tamanho "natural", todo o gás precisa de calor para se igualar à temperatura ambiente (gente, fugi da aula de física, se eu disse alguma besteira me corrijam, please!). Quando o ar comprimido sai do escape, ele diminui a temperatura ao redor. Por isso que o ar condicionado é grátis. O Gui Negre está estudando uma versão híbrida na qual o motor a explosão iria extender a autonomia que está na casa dos 200 km. Ubirajara, ao contrário do seu amigo, ele existe, veja essa notícia no site do G1: http://g1.globo.com/Noticias/Carros/0,,MUL1166819-9658,00-CARRO+MOVIDO+A+AR+COMPRIMIDO+SERA+USADO+EM+AEROPORTOS.html
    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  7. me irritam alguns incrédulos que se acham detentores do conhecimento, a 10 anos atras quem diria q um maluco faria um kernel sozinho nas horas vagas que devido a sua postura atacaria a microsoft(a mais rica empresa do mundo)...

    carros movidos a lixo, ou a ar comprimido existem, pena que ainda existem pessoas com a massa encefálica pequena demais, e que se acham mais inteligentes que Einsten

    ResponderExcluir
  8. obrigado 1K2 pelo seu esclarecimento,

    abraços

    ResponderExcluir
  9. o problema do carro a ar comprimido é que precisa-se de eletricidade pra se comprimir o ar, e de onde vem essa eletricidade? ah.. a matriz energética. tem usina termelétrica?
    sem querer desmerecer a boa idéia, minha opinião é que o tal do carro a ar só muda o local da poluição, assim como os elétricos...

    ResponderExcluir
  10. Ubirajara Luz de Oliveira26/05/09 15:14

    Só gostariam que entendessem que eu não estou aqui para defender ou atacar ninguém, e sim para DEFENDER QUE BUSQUEMOS APROFUNDAR NOS ASSUNTOS, para que não decretemos a morte do pensamento, do raciocínio crítico e analítico.
    NÃO PODERMOS PARAR O PENSAMENTO, A CRIATIVIDADE. Isto seria a mesma coisa que decretar o fim da história, porque a história é feita pelos homens, suas concepções, descobertas, novas análises, etc.
    Outra coisa importante é sempre duvidar.
    Sabem por que digo isto? Simples, é a dúvida que nos impulsiona a pesquisar sobre os assuntos, para ver se realmente temos motivo para duvidarmos daquilo que estamos achando "estranho" ou não.

    Espero que tenham entendido que não tenho richas pessoais ou defesas a ninguém daqui, apenas proponho PENSARMOS MELHOR E SEMPRE BUSCAR INFORMAÇÕES CIENTÍFICAS DE CUNHO PROFUNDO E, MAIS AINDA, AINDA SIM, SEMPRE USARMOS NOSSA CRIATIVIDADE E PENSAMENTO.


    Abraço a todos...

    Ubirajara Luz de Oliveira

    ResponderExcluir
  11. a solução então seria um motor perpétuo,
    saibam que já está em testes no Japão um motor magnético, rodando num protótipo de motocicleta;
    as leis da física, termodinâmica ou quaisquer outras leis, nem sempre estão 100% prontas ou comprovadas, sempre aparece alguma observação que altera a lei, o próprio Einstein dizia que as leis atuais não servem para explicar fenômenos muito rápidos, demorados, demasiadamente pequenos ou grandes. Além disso, existem engenheiros e pesquisadores: os engenheiros apenas aplicam as leis que os pesquisadores descobrem. Entendo por pesquisador o indivíduo que pode ou não ter diploma, ou até um phd, e por engenheiro o indivíduo condicionado a pensar da forma que leu nos livros da escola, ele só chega até onde chegou o seu professor, as vezes nem isto.

    Sobre o fato de gastar energia para se produzir energia, é que nenhuma produção de energia gera 100% de aproveitamento, que diremos da bomba de hidrogênio? Imaginem a bomba russa, TSAR, que é mais potente que as 2 americanas da 2ª Guerra junto com todas as armas e bombas utilizadas. Se a equação "Produção de Energia < Energia Resultante" fosse tão verdade assim, usariam direto a fonte de energia na guerra...(Usei como referência a bomba nuclear apenas para ilustrar que a energia produzida pela bomba é milhões de vezes maior que a energia dispendida para a sua produção, sendo assim, é possível existir tecnologia que inverta a equação citada)...

    "O mundo é uma festa, mas o gelo está acabando"

    ResponderExcluir
  12. He were go again: Como eu disse no post acima, o abastecimento seria feito por postos de ar comprimido alimentados por geradores eólicos ou painéis solares. Esqueci de dizer, mas o projeto prevê um filtro de partículas, o que tornaria o ar mais limpo de poeiras e materiais suspensos, tipo particulado de diesel. Quem anda em túnel ficaria agradecido se passasse uns 10 desses por minuto...
    ...Apesar do desempenho não ser uma Brastemp (quem tem uma Romi Isetta ou algo do gênero vai matar a saudade...), o barulhinho pelo menos vai agradar a turma que adora queimar gasolina...

    ResponderExcluir
  13. Gasolina Rulz26/05/09 15:41

    querem coisa melhor que o agradevel odor da gasolina? a poluição, a fumaça, o barulho, pessoas que se deixam levar pela emoção buzinando, acelerando, atropelando uns aous outros... ahhhhhhhhhhhh viva o capitalismo!

    ResponderExcluir
  14. se tem alguma coisa funcionando nesse mundo, Anderson, agradeça aos engenheiros.
    engenheiro é pesquisador sim. tem que se virar pra fazer o máximo custando o mínimo. tem que pegar a teoria maluca dos laboratórios e adaptar pra que funcione na vida real.
    como são pouco valorizados os engenheiros atualmente!

    ResponderExcluir
  15. Ronaldo Fenomeno26/05/09 17:11

    Ronaldo!

    e brilha muito nu Corinthians!

    ResponderExcluir
  16. Estou vendo que o assunto pendeu pro lado do polêmico carro movido a ar.

    Eu já havia prometdo escrever sobre o assunto, mas estava guardando essa matéria pra depois. É que já andei disparando tanto minha metralhadora giratória nos últimos tempos, que uns assuntos mais "lights" cairiam bem.

    Mas se quiserem, pesquiso esse assunto pra próxima matéria.
    Vai ser mais um artigo pesado no estilo daquele que escrevi sobre o hidrogênio.

    Só adiantando um pouco o assunto.
    Motor de ciclo Otto tem, na melhor das hipóteses, rendimento de 35%. Tudo culpa das leis da termodinâmica.

    Motor a ar usa ar comprimido como fonte de energia.
    Para comprimir o ar, um compressor precisa comprimir esse ar, portanto, realiza um trabalho sobre esse ar.
    Para aproveitar a energia, o ar comprimido realiza um trabalho ao se expandir dentro do motor a ar.
    Realizar trabalhos sobre ou a partir de massas de fluidos implica em ter de lidar com as leis da termodinâmica. E lá se vai o rendimento...

    É bom lembrar que compressor de ar tem em vários lugares, e há uma infinidade de ferramentas pneumáticas.
    Se fosse uma alternativa energética viável, haveria outras aplicações além das ferramentas manuais há muito tempo.

    E essas mesmas ferramentas pneumáticas vem perdendo espaço para as concorrentes elétricas.
    Já usei muito microretíficas manuais pneumáticas, mas minha Dremel as subustituiu sem eu sentir falta. E uma tomada elétrica é mais econômica e fácil de achar que um compressor de ar.

    ResponderExcluir
  17. Polara, obrigado pelo apoio.

    Há algum tempo escrevi um artigo que entisuasmou muito o Bob, mas que nunca foi aproveitado, onde digo que engenheiro é uma profissão "maldita".

    Essa matéria está na minha lista pra ser escrita.

    Outra coisa.
    Geralmente existem cientistas que trabalham com as ciências puras (física, química, matemática, etc.).
    Estes são os cientistas que escrevem as leis sob as quais o Universo funciona.

    Há cientistas empenhados em aproveitar as leis naturais em algo útil. São aqueles que transformam a ciência em tecnologia.
    Entre esses cientistas há aqueles especializados nas ciências puras, assim como os especializados nas ciências aplicadas (que são os engenheiros).

    E há aqueles que sempre reconhecemos como engenheiros, que são aqueles empenhados em usar a tecnologia para produzir e manter funcionando todas as coisas que usamos.

    Entretanto, dizem os físicos que em toda a história da ciência, apenas um engenheiro foi capaz de descobrir algo importante para a ciência pura. Este engenheiro foi Carnot.

    ResponderExcluir
  18. Eu acredito que sem dúvida encontraremos uma solução para esse problema. Penso mais no eletromagnetismo mesmo, apesar de, creio eu, as pesquisas estarem bem no começo (pra não falar que não começaram ainda), comparando com os híbridos, por exemplo.

    ResponderExcluir
  19. Caro André,

    Me desculpe pelo desvio de assunto, mas isso realmente merece um post também. Conheço essa história do carro a ar desde 2001, quando havia uma promessa de se construir uma fábrica aqui no Brasil. Apesar do uso do gasogênio ter sido mostrado em vários canais de TV, parece que não desperta interesse por ser um assunto muito antigo, talvez distante da realidade da molecada que não imagina alguém sem celular hoje em dia.

    ResponderExcluir
  20. 1k2, não precisa se desculpar. Assuntos nascem naturalmente. Faz parte da brincadeira.

    Só não vou entrar pesado no assunto do motor a ar porque é assunto que precisa ser pesquisado e merece um artigo completo.

    Sei, por exemplo, que um dos "milagres" desse motor é que ele usa a própria pressão do ar pra recomprimir o ar antes dele ser expandido. Promessa maravilhosa quando dita, mas uma asneira sem tamanho do ponto de vista termodinâmico.

    Vou pesquisar o assunto como deve, e será meu próximo artigo.

    E vc, assim como os demais, fiquem à vontade para sugerirem assuntos técnicos. Atenderei dentro do possível com o maior prazer.

    ResponderExcluir
  21. O (pouco) que sei sobre o motor a ar é o que eu vi no site da MDI no longínquo ano de 2001. E tem essa da biela articulada que não vi resultado prático. E outra, que merece outro post: O Juvenal Jorge (saabmaniaco que só ele) postou um post sobre razão de compressão variável, mas por meio do cabeçote que inclinava 4 graus e ia desde 6 até acho que 18, isto é, de gasolina ruim a gás natural. Agora, se o conjunto pistões, biela, virabrequim que subisse e decesse? Não daria uma luz nesse santo graal não explorado para motores flex?

    []'s

    ResponderExcluir
  22. 1k2, esse negócio de biela articulada eu já vi. É um artificio para criar uma permanência maior do pistão no PMS enquanto o motor roda.
    Lembro que é assim, segundo eles, porque isso ajuda a aumentar o rendimento. Uma explicação sem pé nem cabeça.
    Por isso que estou dizendo que ele merece um estudo e uma matéria completa.

    Sistema de compressão variável é um santo graal da engenharia de motores.

    Esse modelo que vc descreve já foi tentado há mais de 70 anos.
    Na verdade, a bancada do virabrequim era fixa e o bloco com cabeçote é que era elevado ou abaixado.
    Um sistema de engrenagens bem curioso mantinha o sincronismo do commando na parte móvel com o virabrequim na bancada fixa.

    Esse sistema não funcionou porque ele torna móvel a parte do motor que deveria ser a mais rígida, porque é onde se lida com as tensões geradas pela transmissão da potência do motor.
    O bloco móvel oscila nas folgas conforme diferentes cilindros atingem seus tempos motores.

    Esse e muitos outros sistemas são muito bonitos de ver no papel, mas sempre tem problemas graves não aparentes.

    Acredite, praticamente todos esses sistemas já foram tentados e abandonados há décadas porque não se consegue construí-los de forma prática e econômica, e até hoje não acharam solução.

    ResponderExcluir
  23. Polara e Andre Dantas,

    parabéns por defender os engenheiros. Porque ler que "existem engenheiros e pesquisadores: os engenheiros apenas aplicam as leis que os pesquisadores descobrem. Entendo por pesquisador o indivíduo que pode ou não ter diploma, ou até um phd, e por engenheiro o indivíduo condicionado a pensar da forma que leu nos livros da escola, ele só chega até onde chegou o seu professor, as vezes nem isto" é "ótimo"!
    Me vem a clara idéia de que o autor desta "pérola" só chegou a comer o capim que o "professor" dele ensinou. Ou nem mesmo isso...

    ResponderExcluir
  24. capim eu não comi mesmo, isso eu deixei para o anônimo do comentãrio acima comer, hahahahahhahah!

    ResponderExcluir
  25. Este artigo contém demasiadas citações! Remova as mais babacas...
    Doutor Roberto sobre Engenharia

    Engenharia, é Engenharia até da Musse de Morango!
    Padeiro sobre a Engenharia, em específico, a de pães.

    Que coisa, perdi meu aparelho de barbear.
    Mulher da engenharia elétrica sobre sua vaidade.

    você quer ser bonita ou Engenheira?.
    Deus, logo antes da mulher nascer.

    Acho que aquilo era um "7" e não um "1".
    Engenheiro sobre sobre Torre de Pisa.

    Olá, Oompa Loompas da Ciência!
    Dr. Sheldon Cooper cumprimentando engenheiros.

    Engenharia Florestal? O que isso faz? Constrói árvores?
    Você sobre Engenharia Florestal

    Reforma-se abadás!
    Engenheiro Têxtil

    Sou engenheiro têxtil e não constureiro!?
    Aluno de Engenharia Têxtil sobre citação acima

    Gafanhoto, derivar é que nem fritar pastel: de tanto fazer uma hora você aprende!
    Sr. Miyagi sobre a lição de Cálculo.

    "Ado, aado, engenheiro é viado."
    Típica frase de bicha arquiteto sobre engenheiros.

    "Na Engenharia a vida tende a zero, o estudo não tem limite, portanto já integramos pra Deus porque dele tudo deriva"
    Típica frase de aluna retardada,burra,e feia de Engenharia sobre Engenharia

    FUDEU GERAL!!
    Todos os alunos de engenharia sobre as provas de Cálculo 1.

    Velocidade 5 na dança do Crééééuuu!
    MC Créu sobre notas dos alunos em Calculo

    A diferença entre cagar e dar o cu é meramente vetorial.
    Newton sobre o ato de Cagar

    A turma de Engenharia mais parece um navio de guerra, só tem homem e canhão.
    Aluno de Engenharia sobre a Turma de Engenharia

    Uma pequena observação: nunca considere Engenheiro de Produção como um verdadeiro Engenheiro, pois Engenharia de Produção nem se assemelha a verdadeira Engenharia, eles podem ser considerados como Administradores Avançados.
    CONFEA sobre Engenharia de Produção

    E eu com isso... no meu diploma diz Engenheiro! Vai querer contradizer o MEC?
    Aluno de Engenharia de Produção após ser admitido como Administrador

    Nossa! Eu sou uma raridade! Além de engenheira sou bonita!
    Aluna de engenharia sob o efeito de narcóticos

    Posers!
    Físico sobre engenharia.

    É Engenheiro Eletricista, porra! Se fosse elétrico eu dava curto ao sair na chuva!
    Engenheiro Eletricista sobre Ignorante que diz "Engenheiro Elétrico"

    Bzzzzzzzzzt!!!
    O Engenheiro Eletricista acima em dia de chuva

    Esses porras apredem operações básicas, e se acham matemáticos!
    Físico sobre as aulas de cálculo babacas da Engenharia.

    Tem engenharia pra tudo, então vou ser um engenheiro de merda!
    Engenheiro SANITÁRIO sobre sua escolha.

    Olha que bando de gente feia!
    Qualquer um sobre pessoal da engenharia.

    Pai, você na faculdade aprendeu a usar rédea??
    Filho questionando o pai engenheiro.

    Origem
    Engenharia é uma doença antiga, tendo indícios na Antiguidade, mas que tomou a forma atual apenas durante o Renascimento.
    A doença manifesta-se durante a infância quando a criança busca desmontar seus brinquedos, não por pirraça, tampouco porque estão estragados, mas apenas para "ver como funciona". Muitos acabam engolindo as pecinhas, mas sempre há os sobreviventes (A Mãe Natureza não é tão legal assim).
    Durante o período pré-escolar a criança ou jovem apresenta um leve interesse pela área de exatas, se o paciente não for tratado nessa fase pode não ser mais possível salvá-lo.
    Durante a puberdade tornam-se mais evidentes o sintomas dessa doença: vontade de entender os conceitos de física, matemática, química dentre outros. Grande interesse pela tecnologia e equipamentos eletrônicos.

    ResponderExcluir
  26. O Curso
    Durante o curso os alunos são submetidos a diversas torturas medievais, tais como provas de tabuada do 37; fritar pastéis derivar e integrar funções; estudar coordenadas esféricas, espaços vetorias euclidianos, equações diferencias de segunda ordem e ordem n, vetores gradientes, Exercícios-Programas impossíveis de C++ e Fortran, Transformadas de Laplace, Séries de Fourier, MacLauren e de outros matemáticos falecidos; entre diversas outras.
    Além disso, são privados do contato com mulheres durante, no mínimo 5 anos, causando sérios danos cerebrais e psicológicos. Na ausência de verdadeiras representantes do sexo feminino alguns acabam apelando para aquela colega gordinha de bigode, um caminho sem volta.

    Resumindo
    Mestres da sapiência. Engenheiros tem um ar superior dentre as outras raças. Foram eles que projetaram os prédios (que desabaram), pontes (que estão caindo), estradas (que estão esburacadas), aviões (que caem), navios (que afundam), plataformas de petróleo (que explodem), enfim, devemos tudo a eles. Embora geralmente se achem donos da verdade, mesmo sobre assuntos que nada sabem, a verdade é que todo engenheiro tem um bloco de concreto na cabeça, não lhes sendo possível fazer mais do que cálculos que foram ostensivamente treinados para resolver e que podem ser resolvidos em meio segundo por qualquer computador. Não diga isso a eles pois vai levá-los a encher o teu saco tentando te convencer de que engenharia é muito mais do que fazer cálculos, o que vai levar para a questão inicial: a de que engenheiros não sabem fazer nada direito além disso, já que obviamente é a única coisa que (não) sabem fazer na vida; Ou vai fazer com que ele se convença de que é capaz de bater o recorde de calcular mais rápido do que um computador, deixando-o mais imbecil do que já é.

    ResponderExcluir
  27. tudo brincdeirinha pessol, sem exaltações!
    hehehhhee!

    ResponderExcluir
  28. Anderson,

    Finalmente vou concordar com um argumento seu. Os engenheiros não são capazes de tudo e nem entendem sobre todos os assuntos.
    No caso da sua cabeça, por exemplo, só mesmo um bom psiquiatra. Ou um "pesquisador" que inventasse um remédio capaz de curar a idiotice. E isso com muita sorte.
    Aliás, você que defendeu tão veementemente o tópico do Bob Sharp, deveria mostrar a ele (que é engenheiro, se não me engano) a sua "definição" sobre a profissão...
    Respeito é uma coisa que passa muito longe do seu repertório existencial.

    ResponderExcluir
  29. Sem Vergonha, Sem-ver-go-nha
    Sílvio Santos sobre Anônimo

    Tenho medo dele
    Regina Duarte sobre Anônimo

    Seja quem for, traiu o Movimento Punk, véio
    Dado Dolabella sobre Anônimo

    Que tem eu?
    Você sobre Anônimo

    Ah não dá mais não, o seu tempo acabou!
    Sílvio Santos sobre Anônimo

    Osama Bin Laden?
    Chuck Norris sobre Anônimo

    Um anonimo não e ninguém e não vai a lugar nenhum
    Capitão Obvio sobre Anonimo

    Icso non ecziste!
    Padre Quevedo sobre Anônimo

    Esta comunidade permite postagens anônimas
    Orkut sobre Anônimo

    Você quis dizer: Você
    Google sobre Anônimo

    Recordista de "jogos" e maior "doador" do mundo, o Anônimo é o nome de um dos maiores contribuidores incompreendidos da história
    Tudo leva os especialistas em psicanálise a crer que ele teve uma infanca sofrida e era vítima de abusos do pai Motumbo, e isso o levou a virar esta pessoa que (não) conhecemos tão bem hoje em dia.
    Anônimo também é qualquer pessoa não identificada, que nem você, entusiasta não-cadastrado!
    Seu sobrenome infelizmente continua encoberto, mas, graças a trabalhos de investigação, descobriu-se que Anônimo é ajudado por seu irmão, o hacker Pseudônimo (este não é seu nome verdadeiro).

    ResponderExcluir
  30. caramba!
    pessoal, apenas o 1ª comentário lá de cima foi meu!
    ou temos mais de um Anderson no Blog, ou alguem postando com o nome alheio.
    só vou postar comentários estando logado agora.

    ResponderExcluir
  31. EU TENHO UM PROJETO COMPLETO EM CAD,DE UM GASOGENIO WINBLER,COM TODAS AS PEÇAS DETALHADAS PARA FABRICAÇÃO DO MESMO,VENDO.
    MAIORES INFORMAÇÕES. dorboes@gmail.com

    ResponderExcluir
  32. EU TENHO UM PROJETO COMPLETO EM CAD,DE UM GASOGENIO WINBLER,COM TODAS AS PEÇAS DETALHADAS PARA FABRICAÇÃO DO MESMO,VENDO.
    MAIORES INFORMAÇÕES. dorboes@gmail.com

    ResponderExcluir
  33. pq alguns "gênios" aqui não volta a se dedicar aos sites de sexo de onde eles não deveriam nunca ter saído? fazer parte da massa de 78 % dos brasileiros q tem internet para sexo é tão bom! fiquem lá! reclamem dos professores quando estes exigerem demais nas provas pq assim vcs serão competentes, dedicados a trabalho, vai deixar de ser apressadinho, gastador de combustível qdo acelera demais para chegar em casa para ver novela; e vamos passar por inteligentes. veja q horrível. aturem as piranhas e cornos e diga que em todo lugar é igual. relamente é. realmente esse negócio de IDH é pura idiotice, e a Noruega não é o país mais desenvolvido do planeta não. o Brasil que é uma maravilha, e façam bom proveito da lata-de-lixo, e dos políticos ladrões que fazem bom uso dos ignorantes que escrevem essas imbecilidades nesse pobre blog que tenta ensinar alguma coisa para essa massa de estúpidos.

    ResponderExcluir
  34. Eu comprei um Nissan Le3af, todo eletrico, ja tenho a casa toda convertida para energia solar, estou pensando em daicionar mais 5 paineis e 10 bateriasm de "golf car" para entao poder careegar tambem o meu carro eletrico, assim poderei dar uma figa para os arabes.

    ResponderExcluir
  35. Existem ainda muitas caldeiras com queima ineficientes por ai,(pouco automatizadas)seria possivel extrair dessas chamines o pobre gasogenio,que alimentaria motores acoplados a geradores eletricos,quem sabe uma serie deles,a fumaça ja esta la mesmo,sei que estes motoes são pouco eficientes,mas se possivel só teria em desfavor o custo de manutenção,se fosse viavel provavelmente ja o teriam feito...

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...