Google+

15 de maio de 2009

PONTO A PONDERAR


Parte da Zona Sul de São Paulo viveu horas de trânsito praticamente parado ontem devido a um problema no controle dos semáforos. Segundo a autoridade de trânsito da cidade, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) -- uma autarquia municipal, portanto não ligada à Secretaria de Segurança do Estado -- explicou o problema como decorrente da "queima de uma peça do sistema de controle", que deixou os semáforos descontrolados.
Explicação mais lacônica, impossível. Deveriam ser dados detalhes. Cadê a transparência dos tempos modernos? O fato é que foram seis horas de ruas entupidas e aproveito esse lamentável fato para uma ponderação.
Com o que ocorreu ontem, fica mais do que evidente que é possível criar congestionamentos onde não existem. Como a Prefeitura de São Paulo não abre mão do rodízio de veículos pelo final da placa, uma operação vergonhosa que este ano completa 12 anos -- que lhe dá um bela fonte de renda com as multas por desrespeito ao rodízio -- permito-me especular se não estaria havendo sabotagem sistemática da fluidez para justificar a medida que reputo a mais completa aberração.
Os paulistanos mais atentos sabem que há alguns dias em que, sem explicação, o trânsito está normal, fluido, chegando-se mesmo a estranhar. Todos sabem que uma frota de seis milhões de veículos não some de um dia para outro. Por isso, quem garante que não estamos sendo alvo de uma "amarração" intencional do trânsito?
Tem coisa aí.
BS

25 comentários:

  1. Realmente deve ter caroço no meio desse angu... Não faz sentido um trânsito ser razoável um dia e piorar muito em outros. Quem garante que não hajam (ou ajam...) "esporádicas" queimas de peças do sistema de controle?

    Se de fato isso ocorre, "este país" é mesmo uma vergonha (talvez por isso o atual presidente da república hesite tanto em dizer Brasil).

    ResponderExcluir
  2. "queima de uma peça do sistema de controle"

    Seria uma válvula?

    FB

    ResponderExcluir
  3. não digo queimas propositais, mas os engenheiros de trânsito são tão "inteligentes" que creio que não calculam a fluidez na hora de programar os semaforos...
    aqui em Porto Alegre, que acredito não ser diferente de São Paulo, os próprios semaforos analizam a intensidade do trânsito e ajustam o tempo, se uma via tem mais tráfego que a outra, o semaforo desta via passa mais tempo verde, que o de outra via...

    lógico que se este sistema não estiver funcionando adequadamente, a fluidez do trânsito vai ser prejudicada

    ResponderExcluir
  4. todo esse sistema de semáforos é mais complexo do que a gente pensa

    ResponderExcluir
  5. Rodrigo Laranjo15/05/09 20:28

    Gente, teoria conspiratória agora? Se for eu já sei quem são os culpados. São "eles".

    Tenho a minha própria "teoria conspiratória": Quem compra um carro zero, sempre pede o final da placa, e sempre diz: "Qualquer dia menos sexta-feira! Não quero ficar sem carro na sexta! Escolhe qualquer um outro, deixa eu ver, segunda não, quarta tem jogo, então TERÇA!!!".

    Eu já reparei que às terças-feiras pego menos trânsito na Marginal.

    ResponderExcluir
  6. pega menos trânsito porque já estão todos pelos "butecos" hehehehehe

    ResponderExcluir
  7. Uma coisa me deixa cabreiro. Ninguém entrou com ação na Justiça contra o rodízio?

    ResponderExcluir
  8. Em se tratando de São Paulo, atos imorais referentes a transito são normais. Devemos todos lembrar que muitas das coisas que vemos hoje referentes a transito, rodizio, vistorias obrigatórias começaram com muita força durante o governo do PSDB do FHC, logo como eu comecei dizendo, nenhuma surpresa se isso ocorre por lá. E para não dizerem que apenas desço a lenha nos tucanos safados, o PT reza pela mesma cartilha. Claro, quem mais perde somos nós todos.

    ResponderExcluir
  9. Teoria conspiratória, "com certeza"!

    Só ficaram faltando o "chupa-cabra" e a "loira do banheiro"... Ambos mancomunados com seres extra-terrestres, com o objetivo de invadir a Terra. Desta vez, pela zona sul de SP, já que Nova Iorque e Washington já estavam meio sem graça.

    O que aconteceu não passou de incompetência. O resto, é enredo para o "Arquivo X".

    ResponderExcluir
  10. Bob, sempre desconfiei de atos não-honestos para gerar receita com multas.

    ResponderExcluir
  11. Bob, muito interessate suas observacoes.Mas a foto que ilustra o post diz muito tambem sobre a falta de cordialidade entre os motoristas.TODOS estao com pressa e ninguem quer ceder a vez.E o que se ve e um cruzamento totalmente bloqueado e logo a frente uma avenida completamente livre.Fazer o que,ne?

    ResponderExcluir
  12. Franklin,
    A foto diz isso realmente isso, porém no trajeto que fiz, de Moema aos Jardins, não vi esse tipo de coisa nenhuma vez. Era tudo parado apenas.

    ResponderExcluir
  13. pois é... como é que vão desfazer aquele congestionamento ali da foto agora? hehehe

    ResponderExcluir
  14. Cesar Costa,
    Já tentaram, mas na minha opinião nunca usaram o argumento correto. Qualquer dia faço isso com o auxílio do amigo entuasiasta bloqueiro do Ae, Gino Brasil.

    ResponderExcluir
  15. André Andrews16/05/09 15:10

    Faz uns anos me correspondi com o Ministério Público sobre a questão do rodízio e sua clara inconstitucionalidade, pois durou apenas uns 2 anos o rodízio legal, com razão ambiental. Até hoje estou esperando uma medida...

    ResponderExcluir
  16. Estão postando aqui com o nome Alexei, pediria para que não confundam , esse post logo acima não é meu .

    ResponderExcluir
  17. Acho que muitos devem ter “soluções padrão” para este tipo de caos.
    Fato é que há estudos aprofundados sobre movimentos caóticos, mas o trânsito deveria ser algo organizado e não caótico.
    Concordo com o BS em uma série de fatores como educação no e do trânsito, o DSV agindo mais como elo de logística e orientação, sem esquecer a coerção através de multas, quando justo e necessário.
    Mas há limites físicos para que esta fórmula possa agir, pois com quase 1000 novos emplacamentos por dia fica difícil fazer um planejamento estratégico, pois o mesmo tem que ser revisto constantemente. Considerando o fator de limitação físico da capacidade das ruas, os congestionamentos já estão pré-programados. São bombas relógio de prazo curto que teimam a eclodir constantemente.
    A situação é desesperadora e o fator de falta de educação ao dirigir, aliado à impunidade quase que total, devido à falta de uma coerção real e coerente potencializam a situação de enfarto do transito paulista. O que entendo por uma coerção real e coerente seria aquela feita de modo a parar com as barbaridades em nosso trânsito, feita por agentes do DSV; que deveriam ser em maior número e melhor treinados e deixassem de lado o foco em multas de rodízio e se focalizasse no que realmente ajudaria a fazer o trânsito fruir melhor (coibir as manobras malucas que incomodam a todos nós no dia a dia). O bolso é a parte mais sensível do corpo humano e é assim que o trânsito é controlado em vários países do mundo, na base da multa aplicada imediatamente e de uma maneira competente. Em meu primeiro estágio na Alemanha, na década de 70, eu fui “pego” em contravenção (excesso de velocidade 60 ao invés de 50 Km/h) na cidade de Nuremberg, na Francônia, por vigilância através de câmaras de supervisão do trânsito. Simples e barato, uma central com câmaras multi-função acopladas a radares, leitores e interpretadores de placas e assim por diante.
    Este é um assunto vasto, já participei de vários seminários sobre isto e, sobretudo, fica clara a falta de vontade política de peitar o assunto de um modo concreto, o nosso sofrimento é alimentado pelos desastrados paliativos que são adotados de maneira “peristáltica”.
    Saudações congestionadas
    Alexander Gromow

    ResponderExcluir
  18. Junior-Big17/05/09 15:16

    Interessante suas observações Bob, mas creio que antes de qualquer ação reparatória, teríamos que "EDUCAR" o brasileiro e depois ensiná-lo à dirigir! O que se vê todos os dias no trânsito é falta de bom senso!

    ResponderExcluir
  19. Bob Sharp:
    Sei não... Acho que o primeiro argumento seria o valor do IPVA, passando pelos carros das "autoridades" (será que o governador e o prefeito andam de ônibus no dia do rodízio?), até o proprio direito de ir e vir...

    ResponderExcluir
  20. Bob,
    aqui no Rio não tem rodízio mas acontece o mesmo. Alguns dias pego um engarrafamento federal, em outros fico embasbacado como passo rápido pelo mesmo trajeto. Verdade que de modo geral, quinta e sexta são piores do que segunda e terça. Como meu trajeto inclui túnel Rebouças, basta um carro enguiçado (ou enguiçando, lento) que a coisa já encebola. Mas sempre é misterioso, mesmo nos dias ruins, não vejo nada de errado, e a partir de um certo ponto, passa a andar melhor como mágica.
    Agora, que o tempo de amarelo aqui é pra te pegar no pardal, isso é, tanto que o assunto já foi capa do jornal O Dia. Armadilha das mais perversas, só pra arrecadar em cima da gente.

    ResponderExcluir
  21. Cesar Costa,
    Não é por aí. O IPVA é imposto sobre propriedade, tanto quanto o IPTU. O direito de ir e vir não está afetado, apenas não se pode usar o veículo. A coisa tem que pegar é pelo lado do Código, que prevê restrição à circulação somente por motivo ambiental. E também ser medida extrema, a ser tomada somente quando todos os recursos forem esgotados, como semáforos controlados por computador em toda a cidade.

    ResponderExcluir
  22. Neste blog, eu já li assuntos diversos, sempre muito bem abordados. Mas esta postagem não fez muito sentido e, principalmente, foi bastante sensacionalista.
    Claro que o trânsito de São Paulo é muito estranho, mas partir para a hipotética existência de um "plano por baixo dos panos" é fantasioso demais.
    Parece campanha política.

    ResponderExcluir
  23. Àqueles que fazem pouco do que chamam de "teoria conspiratória":
    Por favor, expliquem-me como na Av. Domingos de Morais, nas proximidades do Metrô Santa Cruz, a CET fez muros entre as pistas para impedir a travessia de pedestres e melhorar a fluidez do trânsito, enquanto que na Av. Jabaquara (continuação da citada avenida), a partir do Metrô Praça da Árvore, não satisfeita em instslar faixas de pedestres em ambas esquinas (o que, inevitavelmente, implica numa fase semafórica em que veículos não circulam), também instalou semáforos no meio dos quarteirões!!!
    Não seria por que a Av. Jabaquara está na "saída" da área do rodízio? Ou há outra explicação para tamanha incoerência da CET???

    ResponderExcluir
  24. em não vi em nenhum momento o Bob Sharp falar em "teoria conspiratória", como sempre um tal de "anônimo" distorcendo as coisas....

    é evidente que existe no Brasil a "teoria arrecadatória" e quem não conhece, ou vive em outro mundo, ou em algum lugar bem longe do Brasil

    tão lamentavel quanto, são os comentários de anônimos que se acham inteligentes, ou tem alguma coisa contra quem fala a verdade.

    ResponderExcluir
  25. Anderson,

    Você tem razão, o autor do texto não fez menção a “teoria conspiratória”. Entretanto, você mais uma vez dando demonstrações de que a leitura atenta não é o seu forte, não percebeu que este tema surgiu na opinião do leitor Rodrigo Laranjo.
    Eu apenas concordo com a colocação deste leitor. Ou seja, querer “justificar” o desastroso controle do trânsito com um plano arquitetado, objetivando um “resultado” maior, é fantasioso demais. No geral, as autoridades e órgãos públicos são muito “limitados” para tanto. Trata-se, mais provavelmente, de incompetência mesmo.
    O que percebo são dois problemas. O primeiro é que, ao que parece, você aceita tudo que é “dito” pelo(s) autor(es), sem questionamento. Direito seu. Mas na minha opinião, isso é um tremendo despreparo intelectual.
    Segundo, você parece ter muito problema com “os que se acham inteligentes”. Se opiniões divergentes parecem coisa de quem “se acha inteligente”, eu também lamento, mas por pessoas como você.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...