30 de outubro de 2009

QUANDO AS AUTORIDADES DE TRÂNSITO NÃO ENTENDEM DE TRÂNSITO



Estive esta semana em Brasília e fiquei alarmado com a sinalização "Pare", de parada obrigatória, nas dezenas de rotatórias na cidade, a exemplo da foto acima (que não é em Brasília, mas para ilustrar somente).
A rotatória foi concebida justamente para não se parar diante dela e com isso evitar retenção desnecessária de tráfego - ou haveria um semáforo para tanto. Apenas adentra-se nela tendo-se em mente que a preferência é de quem já está circulando. Isso é universal e consta até do nosso código de trânsito! Há até sinalização para tanto, que é a placa "Dê a preferência", a chamada placa R-2 (Regulamentação-2):


É preocupante uma autoridade de trânsito mostra desconhecer o código que se obriga a cumprir. Com esse mau hábito notado em Brasília, ninguém para o veículo diante da placa  "Pare", que tem significado exclusivo de parar, sem nennhuma outra interpretação. O ou a motorista se acostuma a desrespeitá-la sistematicamente e um dia, em Brasília mesmo ou em outra cidade, ignorará uma um placa de parara obrigatória onde parar é realmente fundamental, podendo causar um acidente sério.
Tem da haver uniformidade de sinalização para as diversas situações de trânsito, uma vez que o código é de abrangência nacional. Tudo tem que ser igual nesse aspecto, do Oiapoque ao Chuí.
Lembro-me que na mesma Brasília, muitos anos atrás, a parada obrigatória era para quem estava na rotatória, absurdo ainda maior. Essa mesma situação existe hoje em Pindamonhangaba, SP, na rotatória situada na avenida de acesso ao centro para quem vem da via Dutra.
Poucos se dão conta que o desrespeito à placa de parada obrigatória é infração gravíssima, exatamente a mesma de se avançar o sinal vermelho. São debitados 7 pontos na carteira e a multa é de R$ 191,54.
Vamos ver o que Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) acha disso tudo. Para isso estou lhes enviando o link deste post.
BS

30 comentários:

  1. Já estive ai em Brasilia e o trânsito por lá tem fama de ser um dos piores, não pelo número de carros, mas pelo número de acidentes.... Será que essa não é uma das razões?

    ResponderExcluir
  2. Carlos,
    Sem a menor dúvida.

    ResponderExcluir
  3. Bob, o senhor tem andado aqui pelo Rio de Janeiro? kkk

    Ande e relate, por favor. Os cariocas agradecem.

    ResponderExcluir
  4. Mister Fórmula Finesse30/10/09 13:36

    Lisarb, lisarb (Brasil ao contrário como bem destaca o Tite Simões)....estou fazendo um curso de bombeiros aqui na minha cidade e um motorista de ambulância hospitalar me disse que todas as multas são pagas por conta do bolso dos motoristas, mesmo em casos de emergência onde a rapidez pode ser fundamental para salvar pessoas, ou seja, passar por um controle de velocidade o carro de resgate é multado e recorrer diante de uma situação dessas é um longo e oneroso processo. Nos outros estados acontece a mesma coisa? ....aqui é o RS.

    ResponderExcluir
  5. Bob, TODAS as rotatórias da cidade de Sumaré, no interior de São Paulo, têm sinalização de parada obrigatória.

    ResponderExcluir
  6. Mister Fórmula Finesse, sua história é tão absurda, esdrúxula e ridícula que não me resta outra opção a não ser acreditar que ela seja verdadeira. Esse país definitivamente não é para amadores.

    ResponderExcluir
  7. Mister Fórmula Finesse, eu já vi diversas vezes aqui em Porto Alegre as viaturas da Brigada Militar passando pelos radares em velocidade bem acima da velocidade permitida, e também ja vi ambulância cortando caminho por dentro do corredor de ônibus, fazendo conversões em locais proibidos, subindo o canteiro central e etc...
    Já ouvi falar que se a sirene está ligada não tem problema, agora se isso é correto ou não perante a lei realmente eu não sei dizer.

    ResponderExcluir
  8. Mister Fórmula Finesse30/10/09 15:30

    João e Anderson....mesmo com a sirene ligada, o condutor da ambulância disse que se passar por um "pardal" acima da velocidade, é graxa na certa! Você pode até recorrer, mas precisará do laudo do médico atestando que o paciente corria risco de vida, isso claro, pagando a multa antes para depois iniciar o processo, evidentemente que quase pulei da cadeira quando ele falou isso. Vou interpelar o motorista do AR - auto resgate dos bombeiros - se isso serve para eles também!

    ResponderExcluir
  9. Bob, confesso que fiquei até surpreso ao ver seu post. Moro em Goiânia-GO e por aqui as rotatórias também são assim (com sinalização de pare). Até hj não me lembro de ter visto nenhuma diferente desse padrão pelas cidades onde fui (ok, não são muitas hehehe).
    De qualquer forma, a intenção da autoridade de transito foi priorizar a prudencia. Se muita gente já ignora o sinal de pare e passa reto pelas rotatorias as vezes fechando quem já está nelas, imagina o caos que seria se houvesse somente o sinal de dar a preferencia. Estudei recentemente para um concurso de agente de transito e pude entender bem isso... Justamente por lidar com pessoas de todas as classes sociais e intelectuais, o legislador e a autoridade de transito precisam sempre nivelar por baixo para evitar o pior. É por isso que as velocidades são tão baixas nas cidades e a sinalização só empata a vida de quem tá com pressa.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  10. Infelizmente, seja esta ou aquela placa, praticamente ninguém as respeita.

    ResponderExcluir
  11. Aqui em Belo Horizonte também há muitas rotatórias, mas a maioria está com a sinalização correta.

    ResponderExcluir
  12. Anonimo,
    Conheço bem aí e há coisas inexplicáveis, como linhas vermelhas e azuis para separar faixas de rolamento, sem indicação do que se trata. Já inquiri a CET-Rio, mas sem resposta. Fora a posição de muitos semáforos, antes dos cruzamentos e fora do alcance visual do motorista sentado em seu banco.

    ResponderExcluir
  13. João e Mister Formula Finesse,
    Complicado, não?

    ResponderExcluir
  14. Um amigo que mora na Califórnia, disse que ao encontrar uma placa de "STOP" eles têm que parar, contar até dois e só então seguir.

    Dar só uma "meia-trava", passar bem devagar ou não parar, é tudo igual: multa certa.

    ResponderExcluir
  15. Bob Sharp, realmente isso é um problema sério.

    Aqui em BSB tem outros locais que possuem problemas de sinalização, como uma confluência de 2 vias onde em 1 delas consta placa de PARE e "Dê a preferência", ou seja, vc não sabe qual delas obedecer. Ou então nos comércio de entrequadras, que ora quem está retornando precisa parar, ora quem está na via tem que parar para quem retorna passar.

    Carlos, o motorista brasiliense médio dirige muito mal. Para se ter uma idéia, por aqui o pessoal usa tanto a faixa da esquerda indevidamente (andando muito devagar) que foi realizada campanha do detran para ver se isso melhorava (se não me engano a um bom tempo atrás mandei o link do vídeo para o Bob Sharp). Fora que luz indicadora de mudança de direção é enfeite.

    Outro problema que tínhamos aqui (agora diminuiu) eram os acidentes fatais. Uma boa parte das vias não possuem sinal, o asfalto é acima da média e plano. O pessoal andava sempre acima da velocidade da via, daí era muito comum acidentes fatais ou com ferimentos graves.

    ResponderExcluir
  16. Valdeson,
    Todas as rotatórias de São Paulo, até as mini-rotatórias, exibem a placa R-2. Diferenças intelectuais e sociais de uma população de modo algum podem justificar erros crassos na aplicação do Código e de engenharia de tráfego. A continuar assim nunca nos desenvolveremos.

    ResponderExcluir
  17. Gedias,
    Aqui teoricamente é igual, mas isso jamais é cumprido.

    ResponderExcluir
  18. Luís Augusto,
    Bom saber, obrigado pela informação e parabéns aos mineiros.

    ResponderExcluir
  19. Grave distorção, comum em São Paulo, é a ignorância dos motoristas em relação ao "Dê a preferência". Simplesmente, os motoristas acham que se a via em que circulam tem preferência, ela fica mantida. E quem estiver na via "secundária" que se cuide, se não, é batida na certa (ou ao menos xingamentos).

    ResponderExcluir
  20. Anônimo,
    Exatamente. E tem os que acham que a mini-rotatória é chicana para ali demonstrarem sua habilidade, passando muito rápido por ela.

    ResponderExcluir
  21. Não há nenhuma razão, do ponto de vista médico, para uma ambulância ultrapassar a velocidade de 60 km/h. Se a equipe não tiver condições técnicas e materiais para atender emergências de 5 minutos (parada cardíaca, obstrução respiratória, sangramento profuso), o paciente estará morto. As demais urgências podem ser manejadas em prazo bem maior. AGB

    ResponderExcluir
  22. Continuando. Mas a preferência ao deslocamento de veículos de socorro deve ser observada pelos demais usuários, seja parando ou desviando para abrir caminho. AGB

    ResponderExcluir
  23. Denílson Alves31/10/09 21:01

    Galera!

    Sabem qual o real problema?

    Chama-se comando e controle!

    Mentalidade ultrapassada!

    Trânsito é meramente comportamental e não adianta ficar fazendo o "controle do controle".

    Semelhante situação é qdo a preferência é de quem vem da direita e colocam a plaquinha lá de parada obrigatória.


    Sou de BHte e atualmente estamos aguardando uma definição jurídica sobre a atuação da BHtrans (órgão municipal do trânsito), pois, acabou virando uma máquina de multa, a qual ela foi criada para orientar o condutor e não somente penalizar.

    Eleições estão chegando.....

    ResponderExcluir
  24. Anônimo, mas a ambulância, viatura policial ou carro dos bombeiros pode estar indo até a ocorrência, seja para atender algum enfermo, apagar um incêndio ou prender/perseguir ladrões, e neste caso é inviavel diminuir a velocidade em radares ou respeitar todas as leis de trânsito.

    ResponderExcluir
  25. Bob,
    imaginar que as autoridades de trânsito entendam do assunto é querer demais. Estamos no B-R-A-S-I-L, sacou ?
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  26. Carlos. Desculpe se não expliquei meu ponto de vista corretamente: não é necessário correr a 100 por hora para atender essas ocorrências, principalmente em casos de doença. Vale tambem para incêndios e outras catástrofes: ou faz em cinco minutos ou não influencia. Para perseguir criminosos deve-se usar várias viaturas e contato pelo rádio. Mas concordo, veículos de resgate não devem ser limitados por regulamentos viários (semáforos, preferenciais etc). AGB

    ResponderExcluir
  27. Jonas Torres02/11/09 16:35

    Todo mundo deveria fazer como vc fez: tomar atitude de pedir uma solução para as autoridades.

    Mesma coisa para o rodízio: comunicacao@mp.sp.gov.br

    O rodízio é claramente inconstitucional, basta fundamentar com o art. 22 inciso XI da Constituição Federal combinado com o art. 24 inciso XVI do Código de Trânsito Brasileiro.

    http://www.mp.sp.gov.br

    ResponderExcluir
  28. Em Campinas/SP tem várias rotatórias com placa de pare em TODAS as entradas da rotatória, inclusive essas "mini" rotatórias que sei lá porquê colocam no lugar de simples cruzamentos. Depois vou tirar umas fotos e enviar. Numa delas, motoristas de ônibus são obrigados a entrar na contramão pois a "mini" rotatória, repleta de obstáculos e placas, impede o ônibus de fazer a curva necessária na mão correta. Complicado...

    ResponderExcluir
  29. Bob, gostaria de um esclarecimento. No antigo CTB, a preferência nas rotatórias - assim como nos cruzamentos - não era de quem se aproximava à direita? Ou estou equivocado ou, do que li, isso agora mudou com a R-2.

    ResponderExcluir
  30. E então Bob, voce obteve alguma resposta do Denatran?
    Por favor nos informe, mesmo que seja um simples "recebemos o seu comunicado e avaliaremos a questão".

    Jonas Torres,
    Vejo que voce também fez a denuncia de inconstitucionalidade ao MP. Eles lhe deram alguma resposta?

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...