Google+

15 de janeiro de 2010

PALIO ADVENTURE: FEITA EM MINAS, NASCIDA PARA SÃO PAULO

 Foto: Divulgação

Não sei exatamente como andam as pavimentações Brasil afora, mas que a de São Paulo está um horror, isto é absolutamente certo. Não dá para acreditar que a maior cidade brasileira e terceira maior do mundo tenha um asfalto catastrófico. Se não fosse o circuito do Autódromo Municipal José Carlos Pace, em Interlagos, Zona Sul da capital paulista, estar com asfalto perfeito, eu diria que os paulistas não sabem mais asfaltar ruas. Mas como acertaram a mão no autódromo, que ficou perfeito, então o problema é esculhambação administrativa mesmo. Ou seja, a Prefeitura está pouco ou nada ligando para o problema. Está ótimo assim...

Rodar num piso pavoroso como o de São Paulo, fora as incompreensíveis valetas e as execráveis lombadas, fica menos penoso dependendo do carro. De uma maneira geral, os utilitários esporte se prestam bem para isso, mas não são ágeis o bastante e tampouco é bom ficar fazendo curvas rápidas com eles. A resposta tive no período de festas de fim de ano, que passei com um Fiat Palio Adventure Locker com câmbio Dualogic.

Por R$ 55.180 nada lhe chega perto em eficiência para andar no "campo de provas" que virou São Paulo. Com alguns opcionais, como retrovisores externos elétricos e volante revestido de couro, vai a R$ 55.815. Quem faz questão de bolsas infláveis e ABS, mais R$ 3.075. Já vem com ar-condicionado e direção assistida hidráulica e acionamento elétrico dos vidros dianteiros. Há mais itens opcionais, mas eu ficaria com essa combinação.

A Palio Adventure é mesmo boa de chão ruim. Literalmente ignora valetas, lombadas, buracos e piso irregular. Os pneus mistos 205/70-15 não se intimidam. O vão livre do solo de 190 milímetros é um sossego só.

Quando se precisa andar um pouco mais rápido, a suspensão independente na frente e atrás – coisa casa vez mais rara hoje – dá conta do recado com sobra. É McPherson e braço arrastado, respectivamente. Pode-se atirá-la nas curvas sem preocupação. Nesse ponto nota 10 para a engenharia de chassi da Fiat.

É uma perua alta, 1.640 mm de altura, resulltado da altura de rodagem imposta pela suspensão e pelos pneus. Chega a ser estranho nos aproximarmos dela e constatar como é alta. Mas não tanto quanto utilitários esporte, a sua grande vantagem.

Motorização bem de acordo, o GM 1,8-litro flex de 114 cv a contidas 5.500 rpm, com bom torque de 18 mkgf a 2.800 rpm. O peso é um pouco elevado, 1.198 kg, mas a aceleração é bem razoável, 11,5 s de 0 a 100 km/h e atinge 174 km/h, o que lhe garante boa reserva de potência quando a 120 km/h e o motor está girando a convenientes 3.300 rpm em quinta..

Tudo isso administrado pelo competente câmbio robotizado Dualogic, que torna o dirigir calmo na cidade e esportivamente onde se queira uma diversão só, sem o incômodo pedal de embreagem. Tanto no modo manual como no automático tudo funciona como deve.

A Fiat bem poderia, 1) providenciar um "4° pedal", ou apoio para o pé esquerdo; 2) um espelho esquerdo convexo; 3) inverter localização de velocímetro e conta-giros, é chato quanto este está na direita; 4) adotar sentido de trocas de marchas "à VW/Audi", reduzir para trás, subir para frente. Tudo isso é fácil, fácil.
Mas mesmo que nada disso chegue, eu teria uma perua dessas assim mesmo. Para meu sossego.

BS

82 comentários:

  1. ainda acho que o carro perfeito pra são paulo é o troller.

    ResponderExcluir
  2. Só é duro de passar pelo goela o fato de um Palio 96 enfeitado custar mais quem um Focus novo 2.0.

    ResponderExcluir
  3. André Andrews15/01/10 01:00

    Eu não sei qual o vão livre do 206, mas com ele nunca raspei em lombadas do meu trajeto, dos carros que tive foi o melhor nesse ponto. Agora com o New Fit voltei um pouco a enfrentar este tormento.

    Estes dados de vão livre deveriam estar nas fichas dos carros na internet, nos manuais (quando também publicados na net), e não apenas em material de imprensa.

    ResponderExcluir
  4. Caro Bob, quem quer sossego vai ao asilo, clínica de repouso, vai morar em Maricá ou passar uma temporada no hospital de tuberculosos em Campos do Jordão. O cemitério é outro local bem sossegado.

    ResponderExcluir
  5. Como o Bob parece ser daquelas pessoas do tipo "se não tem nada de bom a dizer, melhor ficar quieto", ele sempre procura destacar as qualidades dos carros.

    Então,contras ao meu ver: espaço limitadíssimo no banco traseiro (é uma tortura andar de táxi por causa disso), saídas do ar condicionado em posição estúpida, preço inicial altíssimo pelo pouco que oferece, posição de dirigir torta, bancos molengas e rebarbas pela cabine inteira.

    A favor? A citada facilidade em trafegar pelas ruas indecentes de São Paulo e o ótimo espaço no porta-malas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. onde vc viu que a direçao da weekend é torta?? nao fale oq vc não sabe... vc precisa se informar um pouco mais... Ou vc é um daqueles que odeiam a Fiat por uma experiencia ruim q teve com um... e falam ate oq nao existe pra detonar a marca... ñ sou a favor da Fiat, mas tb ñ vou inventer coisas q ñ existem sobre os carros da mesma..

      Excluir
  6. concordo com o Dener, tem que ser um jipe: troller, jimny, band, land e por aí vai

    ResponderExcluir
  7. Dener,
    O conforto de marcha de utilitários como o Troller é baixo. Esse é justamente o destaque do aventureiro da Fiat, além de poder pegar a auto-estrada como um carro normal.

    ResponderExcluir
  8. Vamodoiro,
    Essa é a dureza ao se comprar qualquer carro no Brasil. Exemplo perfeito é o Civic Si custar 21.500 dólares nos EUA, com teto solar. São 37.625 reais!

    ResponderExcluir
  9. André Andrews,
    Há vários carros que passam bem por lombadas e valetas, não é só a Palio Adventure. O ponto alto dela é que você não precisa ter a menor preocupação com isso. É como se esses obstáculos simplesmente não existisse, isso num carro com comportamento de asfalto. O vão livre, peguei-o no site da Fiat. Mas você tem razão, não toda fábrica que informa publicamente.

    ResponderExcluir
  10. Winston,
    Você toda razão, mas como por circunstâncias diversas temos que viver em cidades como São Paulo, precisamos de nos valer de certos recursos para ter sossego, concorda?

    ResponderExcluir
  11. Só acho que o Palio Locker tem muito "parafuso aparente" pra um carro desse preço.

    ResponderExcluir
  12. Acho a aparência de Palio Weekend e Strada Adventure muito rebuscada, deresto interessante.
    Como disse o Vamodoido, não dá pra aceitar que uma "miserável" perua derivada de hatch pequeno custe o mesmo que o MELHOR hatch médio do país.

    ResponderExcluir
  13. Aqui em minas não é tão diferente de São Paulo não. E nunca vi um carro com a suspensão dura como o celta, é um tormento rodar com o coitadinho aqui na minha cidade. Só foi pegar um CrossFox que notei a diferença em uma suspensão mais bem trabalhada para irregularidades mesmo que de Cross ele num tenha quase nada!

    ResponderExcluir
  14. Leonardo Andrade,
    Também acho.

    ResponderExcluir
  15. Mas Bob, será que apesar de mais alta, essa suspensão seria mais "forte", porque é certo que ela vai sofrer um uso mais severo já que "não se preocupa tanto" com lombadas e valetas enquanto dirige...

    ResponderExcluir
  16. Rodrigo outro dia achei uma revista mais antiga falando justamente sobre a suspensão da primeira adventure,eles falam que os amortecedores são de material forjado e que vários outros itens como buchas molas são diferentes.
    Aqui na empresa onde trabalho minha patroa tem uma weekend anterior a locker e realmente para o asfalto ruim ela tem um comportamento muito mais comfortavel que um troller que por sinal ela também tem um 2010, o troller absorve um pouco mais as irregularidades do asfalto que aqui em BH e em algumas avenidas e principalmente dentro dos bairros, está péssimo, ainda mais com as chuvas dos últimos dias, o troller tem uma caixa mais justa, talvez seja isso que o BOB quis dizer,aliás a Ford já fez ima mudança pra pior,trocou a caixa por uma outra com carcaça feita em aluminio e com engates bem mais ásperos e duros, já a caixa e aembreagem da palio e muito macio,já a embreagem do troller no anda e para em uma subida por exemplo chega a dar dor nas perna de tão pesada.

    ResponderExcluir
  17. Uma coisa que me incomodou no inicio foi a maciez da suspenção, mas com algus quilometros se acostuma, o que me assustou realmente foi o consumo com álcool que no computador de bordo quando se faz uma retomada um pouco mais forte marca 4.5 e andando normalmente não passa de 8.0 km/l.
    De resto o carro surpreende positivamente exceto o preço que esta muito alto.

    ResponderExcluir
  18. Sandoval Quaresma15/01/10 10:47

    esse veículo tem as qualidades que o Bob cita, mas é triste entrar num carro de 55 merréis e ver aqueles bancos horríveis com vinil solto nas costas, um visual de palio 96 cheio de penduricalhos.
    aquele inclinômetro e bussola, além de utilidade duvidosa, contribui para o visual "penteadeira de meretriz".
    não acredito nessa aceleração, o desempenho é de 1.6 com consumo de V6.
    Passo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo contrário, tenho uma 2009 e andando tranquilamente faz cerca de 11km/l na gasolina em circuito misto.

      Excluir
  19. Caro Bob,
    as "incompreesíveis valetas", são devido a falta de um esgotamento pluvial adequado. Diferentemente do Rio, que era a capital do País e cidade muito maior e importante do que SP, até o inicio do século passado, SP não teve construido um sistema de galerias para coleta de águas pluviais adequado, optou-se pelas famigeradas valetas, muito mais baratas de serem feitas.

    ResponderExcluir
  20. Carlos Galto15/01/10 10:57

    O que me incomoda profundamente da Adventure, em toda a linha, é o visual Transformers... Acho que o menos abrutalhado é o Doblò.
    Uma Trekking seria a minha escolha.

    É triste a gente ter de andar com um monte de jipes fakes nas nossas crateras de asfalto com um mínimo de decência...
    A Weekend HLX é muito mais bonita, sem aquele monte de penduricalhos, mas é óbvio que vai desmanchar antes de uma Adventure.

    ResponderExcluir
  21. Carlos Galto15/01/10 11:00

    Último anônimo, e mesmo o Rio tendo tudo isso, parece que um bombardeio permanente acontece por aqui, principalmente devido ao lixo que misturam com o asfalto que não aguenta dois dias de chuva sem esfarelar...
    Eu pago mais que um IPVA por ano só de manutenção de suspensões e sistema de direção por causa desse absurdo!!

    ResponderExcluir
  22. É de se lamentar que as ruas de São Paulo estejam do jeito que estão. Passou da hora de o Ministério Público começar a agir contra as cidades que fazem vias podres e que se degeneram em questão de poucos anos (ou mesmo meses). Nem todo mundo vai ao estádio, mas todos trafegam por ruas malfeitas, inclusive os promotores.
    Há algumas questões sobre carros rasparem ou não em obstáculos que estão sendo esquecidas aqui. Uma que sempre noto é o posicionamento do escape, essa peça que sempre é a primeira a atingir um obstáculo. Já vi carros que nem são tão altos assim, mas não raspam em lombadas e outras coisas por conta do posicionamento adequado do escape. E carros que têm boa altura livre do solo, mas raspam por causa dessa peça estar mal posicionada.

    Falou-se aqui da capacidade que um Fiat Adventure tem de ignorar os obstáculos urbanos, mas é preciso pensar se o pessoal não está adquirindo os aventureiros por conta de coisas perdidas em carros normais e que eram práticas. Aventureiros não têm para-choques pintados e, por isso, não há a preocupação de riscarem ao cumprir sua função. Isso havia em carros normais, mas foi sendo perdido e tido como denúncia de coisa barata. Aventureiros não usam pneus de perfil ultrabaixo e, por isso, são mais imunes à buraqueira e protegem as rodas de riscos em eventuais mordidas de guia. Isso tinha em carro normal, mas foi sendo perdido, em parte por influência do tuning, em parte porque começaram a achar que pneus 70, 65 ou 60 eram coisa de pobre. Tenho certeza quase absoluta que muitos adquiririam sem problema carros com altura livre normal que não tivessem para-choques pintados nem rodas gigantes ou pneus ultrabaixos e tivessem esse custo revertido em mais equipamentos e mais segurança. E estão adquirindo os aventureiros apesar da suspensão mais alta, mas porque têm os para-choques pretos e os pneus em perfil que todos usavam normalmente e não viam qualquer problema.

    ResponderExcluir
  23. "A Palio Adventure é mesmo boa de chão ruim"

    Essa frase leva a taça!

    Bob, eu acho essa peruinha um dos melhores carros já feitos pela Fiat do Brasil.

    Ela é a adequação máxima as necessidades dom motoristas paulistanos e acredito todo o resto também.

    Tem um design arrojado, até um pouco exagerado, mas qua agrada. É distinto. Bom espaço interno e conforto suficiente para uma família com 2 filhos.

    A boa altura do solo e o "commanding view" são muito bem-vindos para a massa.

    Além de atender a necessidades racionais também atende a necessidades emocionais, como paracer ser descolado.

    Até os taxistas descobriram as qualidades dessa peruinha.

    Eu particularmente não gosto de carros da Fiat e geral. Não porque os ache ruins, apenas porque não gosto da construção e de como todos os comandos operam. Prefiro a escola alemã.

    Mas admiro a Fiat pela capacidade de entender o que a massa quer e fazer algo exatamente como desejam, sem compromissos.

    PK

    ResponderExcluir
  24. o sentido de trocas de marchas ta certo nos fiats e não nos VW/Audi, basta assistir qualquer corrida em que os carros tenham cambio sequencial pra ver como eles aumentam as marchas com toques para trás na alavanca.

    ResponderExcluir
  25. Eu acho o design do carro criminoso de tão feio. Mas se pudesse colocava essa suspensão e esse trem de força no meu Palio Young 2001, porque se vocês reclamam de são paulo, ainda não viram são gonçalo... pra ter uma idéia, a rua que moro tem quase um quilômetro de paralelepípedo, costa como asfaltada na prefeitura, e a cada eleição o prefeito da vez asfalta 10 metros (não estou brincando) e pendura aquelas hediondas faixas agradecendo a si mesmo pelo serviço em nome da "comunidade". Talvez em 2110 a gente consiga andar na rua, embora o trecho inicial vá ter mais de 100 anos!
    É triste que as ruas fiquem nesse estado e a gente que tenha que arcar com os custos. Pra isso serve a classe média "média" mesmo, sustentar todo o resto do país.

    ResponderExcluir
  26. Rafael Ruivo,
    O carro é tão bom de andar sobre pisos ruins que a gente até esquece do estilo, é serio. Essa da rua sua em São Gonçalo é de doer...

    ResponderExcluir
  27. Marcos J.
    Nos controles remotos de TV sobe-se canais via tecla superior ou inferior? Dê um motivo para o certo ser como no Fiat. Não vá dizer que é para acompanhar a aceleração e a frenagem, com os manetes de acelerador de jatos que operam em porta-aviões, que aceleram para trás em vez do normal para frente devido à impulsão dos motores e da catapulta...

    ResponderExcluir
  28. Anônimo,
    Lamentável. Uma cidade cheia de alemães, italianos, suíços, japoneses, e não conseguem construir galerias de águas pluviais. E o Rio...

    ResponderExcluir
  29. no quesito troca de marchas, ninguém fez pior que a mercedes, em que se troca as marchas para a direita e esquerda

    ResponderExcluir
  30. Paulo Keller,
    Essa Palio Adventure me lembra uma Parati para a Polícia Civil que preparei quando eu estava na Volkswagen. Motor 2-litros, câmbio reescalonado para desempenho, suspensão típica de rali (alta), pneus idem. Era guiada apenas por um policial e era temida pelos bandidos. Aliás, note que como tem essas peruas na Polícia Civil atual.

    ResponderExcluir
  31. Bob, você poderia ter falado mais a respeito do carro em curvas. Existe um senso comum de que a linha Palio é muito ruim de curva devido a suspensão macia. Uns dizem que "parece que vai virar".
    Existe uma confusão sobre, inclinação da carroceria vs estabilidade, estou certo? Parece que é possível o carro ser macio, inclinar em curvas e ainda assim suportar curvas em alta velocidade.

    Quanto aos buracos, venha para a Zona Oeste. Esta horrível. Em pirituba há ruas afundando (buraco, digo, cratera já virou cotidiano) e a prefeitura tem uma letargia incrível em arrumar.
    Tendo um prefeito cuja ideologia partidária é liberal, ou seja, eles tem o dever de garantir infra-estrutura e o resto a iniciativa privada dá um jeito como resto, só podemos qualificar de incopetente nosso administrador democraticamente eleito.

    ResponderExcluir
  32. tambem compartilho a mesma duvida do Caio Ferrari
    um amigo meu tem um palio 2008 e nao me passou muita confiança em curvas...

    ResponderExcluir
  33. Incompreensível nós já pagamos o monte de I's (IPVA, IPTU, ICMS, IPI, ...), combustível caro e ruim, pedágios e ainda temos que comprar carros que se adequem aos buracos? Pq o governo não ranca o asfalto então e volta os paralelepípedos? Ou melhor? Deixa de terra mesmo, de barro... aí todo mundo compra L200 ou Hilux... ridículo ver um carro com suspensão acertada e bonito vir pro Brasil e ser "tropicalizado", virando um jipinho, tipo o Peugeot 206 (e 207 agora) que parecem big foot de tão alto e ridículo que é.

    Esquisito, se tem buracos, valetas e lombadas, o povo compra "Adventure", se a gasolina (ou álcool) sobe, compra flex ou instala gás, se tem radar, compra um GPS e coloca os POI's de radar, se o bandido leva, faz seguro e coloca bloqueador, se o bandido sequestra, blinda o carro, se tem trânsito de 2h em um trecho de 20min compra carro automático.. é RIDÍDULO, RIDÍCULO o povo ter que tomar decisões por causa da incompetência dos governos, e ninguém fazer nada, apenas se adaptar e tocar a vida.

    Do mais, a linha Palio Weekend/Adventure é um grande acerto da FIAT.

    ResponderExcluir
  34. O Ecosport velho de guerra não seria uma outra opção a esse jurássico Palio pesadamente maquiado? Entendo que a suspensão dessa Adventure é bem desenvolvida para a finalidade, mas convenhamos: o acabamento desses Palio é péssimo, o estilo pra lá de duvidoso e o preço caríssimo!
    Ou ainda uma idéia maluca: comprar um New Focus, colocar rodas aro 14 e pneus série 80, e por fim levantar a suspensão (Focus Adventure ou Focusport)!!!

    ResponderExcluir
  35. Arthur Jacon15/01/10 13:20

    Bob, conheço um lugar onde o asfalto é pior que o de São Paulo: o estado de Goiás. Por isso tenho uma Ranger 4x4.

    ResponderExcluir
  36. Tenho a impressão que de Curitiba pra baixo o Brasil funciona. Já pra cima....
    Fui conhecer Joinville no ano passado, poucos meses depois da enchente. Esperava encontra uma cidade esburacada e cheia de obras. Nada! Tudo prontinho, limpinho e arrumadinho. Outro País, se comparado a Rio e São Paulo. E tomara nossos problemas fossem só asfalto!

    ResponderExcluir
  37. Clésio Luiz15/01/10 13:41

    Bob, sobre passar marcha no câmbio automatizado da Fiat, lembre-se que os carros do WRC se passa marcha como nos carros da Fiat. Eu sou um que prefiro assim, parece mais natural para mim. É uma coisa que provavelmente nunca terá unanimidade, mas se o pessoal do rali usa, quem sou eu para discordar :-)

    ResponderExcluir
  38. Mister Fórmula Finesse15/01/10 14:19

    Realmente é um carro que têm uma suspensão para andar sobre pisos menos acurados sem precisar escolher muito caminho.

    Já testei uma na época do lançamento - com câmbio manual - e lembro que não havia problema algum em atirar o carro em algumas valetas propositalmente, ela continua íntegra e filtra bem as irregularidades para os passageiros.

    Caixa decente, um pouco borrachuda no tato, e motor que sente um pouco o peso do carro, mas a unidade em questão tinha pouca rodagem, e acordava com um pouco mais de ruído do que deveria. Mas depois de sair da inércia, ele andava razoavelmente bem....

    A suspensão em curvas - fiz apenas uma "à moda" - realmente cede um pouco devido as forças laterais mas os pneus continuam mantendo bom contato com o solo, apenas a frente precisou de ligeira correção.

    Inclinar a carroceria não significa exatamente que o carro não tenha estabilidade, ele pode contornar curvas muito bem e com segurança apesar disso, os limites (verdadeiros) são os pneus que avisam antes do que a carroceria em si. Claro que menos rolagem dá mais confiança, mas já andei em carro rebaixado que no limite , os mesmos dos normais aliás, eram mais perigosos nas correções.

    ResponderExcluir
  39. Ir para a frente, desde que o mundo é mundo e o primeiro australophiteco usou um pedaço de madeira para dar uma porrada no australophiteco rival, sgnifica ir
    para a frente. É antinatural por instinto e incompreensível cognitivamente criar o diabo de um controle que para ir para a frente
    tenha que ser empurrado para trás.
    Salvo especificidades que não existem numa condução normal. Abs. Fred.

    ResponderExcluir
  40. Bem, já encarei algumas ruas de barro com um amigo, ex-dono de uma Weekend Locker. É um Palio por dentro, com suas qualidades e defeitos, mas na hora de encarar buracos, vias de terra batida e lama a Locker se revela um carro super na mão!

    Os faróis são bem funcionais (ainda mais se estiver com lâmpadas brancas em todos eles), a suspensão torna o carro divertido para vias acidentadas e tudo mais.

    Demora-se a acostumar com a inclinação da carrorecia e a tendência de sair de traseira quando o carro está vazio, mas mostrou-se super eficiente para carregar a carga de um acampamento de beira de praia.

    Teria uma, sem dúvidas! Apenas o preço (e minha falta de dinheiro) que me atrapalham.

    ResponderExcluir
  41. Rodei 4.000Km neste final de ano... E vi muitas pessoas se divertindo na estrada com uma dessas. parece realmente que ela aguenta bem o tranco!
    Eu garanto que me divertiria bem numa dessas também!

    ResponderExcluir
  42. Bob, excelente, só discordo quanto a colocação sobre o sentido da troca de marcha manual no Dualogic. Gosto como a Fiat fez, + puxando e - empurrando.
    abs,

    ResponderExcluir
  43. O problema dos palio, nao só da adventure, é a total anestesia do carro em relacao a condução. Vc nao sente por onde passam as rodas, vc nao sente o conjunto de embreagem acoplando, vc nao sente o quanto está colocando de pressao na pastilha de freio. É tudo super assistido... o carro é anestesiado... e isso nao tem nada relacionado com performance... e isso inviabiliza o carro, na minha opniao. Prefiro um carro raspando las valetas de sp, mas que se conecte com o motorista

    ResponderExcluir
  44. Vic Rodriguez,
    Não acho que nada disso seja pejorativo, pelo contrário. Fiz ótimas lenhas com ela.

    ResponderExcluir
  45. Milton Belli,
    Você certamente opera algum controle remoto de TV. Imagine se a troca de canais fosse como nos Dualogic Fiat!

    ResponderExcluir
  46. Caio Ferrari e LucasS
    A rolagem em curva da Palio Adventure não é execessiva e a maciez que alguns reclamam não lhe afetam o comportamento em curva. Andei rápido algumas vezes nesses dias e não senti nenhum esquisitice. Quando eu corria, sempre ajustei meus carros com alguma rolagem. Inclusive, retirava a barra estabilizadora traseira do Opala.

    ResponderExcluir
  47. Clésio Luiz,
    Sabe o que acabaria com toda a discussão? O quadrante poder ser levantado com alavanca e tudo, girado meia-volta e encaixado de novo no lugar. Seria à vontade do freguês...

    ResponderExcluir
  48. Bob,

    Eu nem andei,mas o mano andou e desistiu de comprar porque desgarra e derrapa muito antes, em curvas de bom asfalto. Acabou comprando o novo Focus, pagou menos e está bem satisfeito.

    Sobre a segurança passiva da Adventure Weekeend, outro dia ocorreu aqui na cidade um fato bem comum, que é o carro derrubar um poste sobre si. Pois bem, a " trave " lá no teto segurou firme , o teto em si não desceu apesar de o parabrisas ter estourado e o motorista nada sofreu.

    Outro comentário( já abusando) : aqui tem muitas ruas de paralelepípedo. Totalmente irregulares. Como na Adventure o motorista fica meio anestesiado do chão, a gente observa de fora ela passando acima da velocidade de outros automóveis, e os amortecedores trabalhando MUITO para tentar segurar essa velocidade a mais e os enormes/pesados conjuntos pneus/rodas a pulairem. Aí a gente pensa: Esses amortecedores não vão durar muita dezena de km não.... E devem caros pra dedéu...

    Mas foi boa a dica : chega-se e o chão é muito ruim , aluga-se uma Weekend :)

    ResponderExcluir
  49. Alexei,
    Impossível pensar que com toda essa altura de rodagem e 14,3 cm de flanco de pneu biscoitudo a perua faça curva gerando alta aceleração lateral, mas é muito melhor do que um utilitário esporte (SUV) e diverte muito. Perigo, zero.

    ResponderExcluir
  50. Bob,
    Antes de mais nada, ótimo post! Muito interessante escutar os pontos positivos dos tão criticados aventureiros leves.

    Inclusive tive 2 experiências que tem reação direta com este post.
    Dirigi uma Strada Adventure Locker e Uma Hilux Sw4 nas férias de fim de ano.
    Primeiramete a Strada... Dirigi 50 km de estrada de chão. Como o carro é macio, como enfrenta os buracos e as pocas com valentia, e como o sisteminha locker funciona bem nesse tipo de situacao. Nada de offroad, apenas uma estrada de chao apos uma bela chuva de verao. Fantastico! Uma camionete relativamente barata e cumpre com valentia seu objetivo. As vezes as revistas e jornais especializados criticam esses carros, focando o teste apenas nas grandes cidades, e se esquecem de como esses carros se destacam no campo e em estradas sem asfalto. Me apaixonei pelo carrinho.
    Quanto a Sw4. O motor diesel em conjunto com o cambio automatico e fantastico, que retomada, o comand view realmente é mto bom, ainda mais qdo se dirige em estradas de pista unica e precisa chegar mais perto dos caminhoes para se ultrapassar. Passa sim uma sensacao mto boa de seguranca. Mas e so comecar as curvas... e MEDO! Tem que ser mto louco pra entrar forte em curvas com esses carros....
    E isso ai bob, Abracos!

    ResponderExcluir
  51. jr
    Esse é o grande problema das grandes picapes: curvas e, outra: frenagem.

    ResponderExcluir
  52. Clésio Luiz15/01/10 22:53

    @Anônimo
    "É antinatural por instinto e incompreensível cognitivamente criar o diabo de um controle que para ir para a frente tenha que ser empurrado para trás."

    Então me diga: você dirige passando apenas a 1ª, 3ª e 5ª marchas, não é? :-)

    Bob, eu não acho que o controle remoto seja uma boa analogia. Acontece muito de se aumentar o volume apertando o botão de volume na direita e às vezes até passar canais é assim em alguns controles.

    Ah, e quando se passa marcha em cambio "borboleta", você pressiona para trás, tanto para reduzir, quanto para aumentar as marchas. O que teria de anti-natural nisso?

    ResponderExcluir
  53. Putz! Usar um controle remoto de tv como parâmetro para mudança de marchas de um carro. Ridículo!...

    ResponderExcluir
  54. Anônimo,
    Ridículo, falar am controle remoto de TV? Então faça-me uma gentileza: qual a lógica do esquema usado nos Fiat e nos BMW?

    ResponderExcluir
  55. Clésio Luiz,
    As borboletas são outro tipo de controle e podem fugir da lógica da alavanca única sem problema. Lembro que no Autostick da Chrysler, de alavanca de movimentos laterais, subir marcha é para a direita, reduzir para a esquerda. Isso num carro para mão direita (volante na esquerda) repete o princípio Fiat/VW-Audi, sobe marcha afastando do motorista, reduz aproximando.

    ResponderExcluir
  56. Clésio Luiz16/01/10 09:18

    Bob, aproveitando o tópico da Weekend e seus pneus grandes, eu estava pensando em aumentar o diâmetro dos pneus do meu carro na próxima troca, passando de 185/60 R14 para 185/65 R14. Me parece que o diâmetro aumenta em torno de 2 cm. Existe alguma contra indicação em fazer isso? Minha intenção é aumentar um pouco o conforto ao andar por ruas esburacadas e/ou de asfalto ondulado. Eu sei que pode haver uma perda de estabilidade por causa do aumento da altura do carro, mas eu sou daqueles que andam em velocidades normais, então isso não seria um grande problema.

    ResponderExcluir
  57. Clésio Luiz,
    Pode fazer a mudança. A GM fez exatamente isso no Kadett GS do ano-modelo 1989, de lançamento, para o seguinte. As mudanças no seu carro serão impercetíveis e o resultado almejado será alcançado. Apenas fique atento ao velocímetro, que passará a ter menos erro ou pode ficar negativo (indicar menos que o real).

    ResponderExcluir
  58. Lógica? Talvez nenhuma.
    Mas podemos pensar num manche de avião, que se não me engano, aumenta a velocidade nos motores quando puxado para trás, e os reverte, quando levado à frente.
    Se o controle remoto de TV pode servir como parâmetro, por que não os botões de um liquidificador, o potenciômetro de algum rádio antigo?...
    Ou seja, carro é algo muito diferente da superficialidade de um aparelho doméstico.

    ResponderExcluir
  59. Clésio, fiz tal mudança em meu astra antigo. Tive a impressão que o carro ficou um pouco mais confortável, mas tal fato pode ser creditado também ao pneu novo em si. Mas como o Bob alertou, o velocímetro realmente marca menos e, no meu caso, foi de forma perceptível. Quanto ao comportamento dinâmico, nada notei.

    abraço

    Lucas

    ResponderExcluir
  60. prefiro a marcha do meu carro seguindo a logica do WRC do que de um controle remoto

    ResponderExcluir
  61. Anônimo,
    Acho que você quis dizer manete e não manche, que controla as superfícies móveis elevador e ailerons. Mesmo, assim, ao ser levado à frente o nariz abaixa e a velocidade aumenta, e vice-versa. Mas no caso do manete, a que você se referiu, para frente aumenta aceleração, para trás diminui.
    Você falou em botão e me veio à cabeça do controle de ar quente do Celta: em todos os carros o mais frio é girando o botão todo à esquerda. No Celta é à direita, muito estranho. Sem contar o conta-giros do Agile, em que o ponteiro desce em vez de subir.
    Nos potenciômetros verticais do computador aumenta-se volume para cima. Há uma lógica para tudo.

    ResponderExcluir
  62. Campos,
    Pois eu prefiro a lógica do Audi R8 a de qualquer carro do WRC. É para frente que se anda...

    ResponderExcluir
  63. Bob, você conhece a Teoria das Coisas ("Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa"). =)

    Acho mais intuitivo no modo como está no Dualogic, muito provavelmente por ter visto esse sistema primeiramente em carros de corrida, e que todos são como o Dualogic (se houver alguma exceção que tenha notícia, eu não conheço, gostaria de ver).

    Acho somente mais estranho ainda o sistema que as trocas são feitas deslocando a alavanca para a esquerda e para a direita.

    abs,

    ResponderExcluir
  64. Milton Belli
    O Easytronic do Meriva, igual ao que está no Opel Corsa desde 2000, é como nos VW/Audi.

    ResponderExcluir
  65. O pessoal discutindo qual a melhor posição das trocas de marcha num cambio sequencial, mas a maioria aqui gosta mesmo é de cambio manual...este sim é intuitivo!

    ResponderExcluir
  66. Bob,

    Os Joysticks para simuladores de GP3 ,GP4 ( simuladores de F1),Indy, como o Thustmaster que possuo há muitos anos, tem alavanca para troca sequencial como num câmbio dualogic.

    A configuração básica desse equipamento( volante, pedaleira com aceleradoe e freio ,câmbio para mão direita) segue a configuração usada nos F3 mais atuais, F Indy mais antigos.

    Para frente, reduz marcha.
    Para trás, aumenta marcha.

    Bob, claro que você pode programar a inversão disso, mas de todos que conheço que usam o troço, usam como ele é pré-programado. Uns alteram pegada do acelerador ou do freio,outros alteram a relação do volante ,mas nenhum que eu tenha visto meche na marcha.

    É apenas uma constatação,claro.


    Abraço,

    Alexei Silveira

    ResponderExcluir
  67. Bob,
    Os pneus mistos têm rolagem suave ou emitem ruido excessivo?
    Certa vez andei numa Weekend (1º modelo) e notei que o A/C demorava um pouco a gelar, talvez pelos difusores baixos e o porta-malas "dentro" da cabine (o corre o mesmo com a minha Elba). O A/C é satisfatório na Locker?
    Isso do contra-giros à direta é realmente estranho. Quando dirijo outro carro depois de ter andado na Elba por um tempo, nos primeiros metros, fico procurando o contra-giros no lugar do velocímetro...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  68. Marlos Dantas,
    Os pneus não são mais ruidosos que os normais. O A/C funcionou normal, bem eficiente até. Não me acostumo mesmo com o conta-giros no lado direito. Dá-se comigo exatamente o que você relatou.

    ResponderExcluir
  69. Alexei,
    Eta assunto polêmico esse, não? Dei cada errada na Palio Adventure...Ainda bem que o motor não quebra devido à salvaguarda de não permitir excesso de rotação numa reduzida não intencional...

    ResponderExcluir
  70. Jambo,
    Experimente um carro com câmbio robotizado efetuando trocas de marchas manualmente. É muito melhor do que um câmbio manual normal, garanto-lhe.

    ResponderExcluir
  71. O

    Estou em dúvida de comprar esse carro, pois os plásticos exteros tendem a desbotar e tornarem-se cinzas!

    ResponderExcluir
  72. Estou no meu segundo Siena 1.8, rmão da Palio Weekend. O veículo é muito bom, o comando de válvulas roletado, a partir de 2006 deixou o motor bem mais macio e torcudo. A suspensão excessivamene macia, dá sustos a partir de 120 km / h, mas por outro lado nos isola da superficie lunar de uma rua padrão brasileira. E o melhor. O carro, além de muito macio é silencioso, se mantendo assim por milhares e milhares de Kms. São anos e anos aperfeiçoando a familia Palio. Por dentro, o carro é apertado, mas dá para o gasto. O acabamento piorou, depois que ele passou a ser montado na Argentina (ouço grilos nas peças plásticas desde 0 Km, que não foram solucionados na concessionária ITAVEMA), mas é bonito (painel lateral da porta e bancos com um veludo bonito). Enfim, nota geral 7,5.

    ResponderExcluir
  73. Gente... só um adendo sobre as trocas de marcha do DUALOGIC. A Preferência da Fiat em deixar igual a dos carros de corrida é devido a Força G que atua quando dirigimos. Ao freiar a tendência do corpo dentro do carro é nos progetarmos para frente e por isso o comando de reduzir a marcha para frente. Ao acelerar o corpo vai para trás e assim aumentarmos a marcha para trás. Nos Stock Car atual é assim e acredito que tem que ser essa a maneira correta pois ao dirigir somos influenciados pela Força G dentro do carro.

    Leonardo

    ResponderExcluir
  74. Leonardo
    Isso de força G influenciar no movimento da alavanca é a falácia do século 21. Por esse raciocínio sem nexo, ficaria incômodo num carro de câmbio manual com seleção em "H" reduzir para 2ª e 4ª porque "a força G está empurrando o corpo para frente"...Aliás, quem é adepto dessa idéia doida deveria pedir para um técnico em eletrônica inverter os botões do controle remoto da TV de maneira a subir canais pelo botão de baixo! Ou então inverter a botoeira do elevador, com o último andar marcado embaixo...Certas a Volkswagen, Audi, Porsche e muitos outros.

    ResponderExcluir
  75. Em geral concordo com o pessoal que diz que o carro é caro, porém, qual modelo não é caro no Brasil?? No mais, possuo hoje uma idea adventure 2012 locker/dual logic e vou te dizer, o carro é ótimo pra São Paulo. O pessoal dá o exemplo do focus, mas se esquece que o TOP de linha do modelo vai pra quase 70K. Se eu tivesse mais grana, com certeza teria uma SUV melhor, mas é o que dá pra pagar com 50k. Em geral, esses "adventures" cumprem o que prometem, são bem confortáveis (na medida do possível) e deixam o dono bem tranquilo quanto as irregularidades do terreno. Não ouso comparar um modelo desses da Fiat com os luxuosos SUV ou qualquer modelo mais luxuoso, mas a FIAT não está em primeiro no ranking por acaso, ocupou com esses carros uma brecha do mercado. A unica coisa que não me agrada ainda é os trancos do Dual Logic, que, pelo que ví aqui no site, foi retrabalhado no novo DUAL LOGIC PLUS. Daria uma nota 8 ao conjunto da obra, já que usei o caro em estrada de chão (no sul do pais) e também já viajei de SP ao RS com muita tranquilidade.

    ResponderExcluir
  76. Calma, Bob. Você prefere subir as marchas para frente, porém no mundo do esporte à motor se convencionou que se sobe as marchas puxando a alavanca, isto nos câmbios sequenciais, inclusive na maioria das motocicletas é assim, o pé puxa a alavanca para subir marchas, viu? aí é: "puxar = subir". Claro que há as exceções.

    ResponderExcluir
  77. O mundo do esporte que troca marchas pela alavanca é, de fato, assim, mas quem é capaz de provar ou justificar que o sentido ilógico é o certo? É possível que tenham escolhido esse jeito porque quando as trocas são por borboletas puxa-se a da direita para subir marcha. Fora isso, não existe motivo para subir marcha puxando a alavanca para trás. Se você mora em apartamento, devia pedir para modificarem a botoeira do elevador, de modo que o último andar fique no primeiro botão de baixo para cima e vice-versa. Ou, se mora em casa, mandar modificar o controle remoto da TV, de modo a subir canais pelo botão de baixo. Aí fica dentro do "princípio correto" que você defende. Nas motos está perfeitamente dentro da lógica que considero correta, alavanca para cima = subir marcha, para baixo = reduzir. Nas antigas motos inglesas era subir marcha movendo o pedal (que era na direita!) para baixo, que eu achava péssimo. Nas Vespas e Lambrettas de seletor por punho giratório também era certo, girar o punho em sua direção, reduzir, ao contrário, subir marcha. Na minha bicicleta com motor Victoria de duas marchas, idem, puxar a alavanca de marcha, reduzir, afastar, subir. Alguns meses atrás andei no Mitsubishi Evo X na pista da Velo Cittá, cujo padrão é "certo", e tinha que pensar na hora de trocar marcha, tendo errado várias vezes – felizmente sem conseqüências, pois o câmbio não aceita redução que implique excesso de rotação do motor. No DKW-Vemag e no Malzoni e Puma o "H" era invertido, marchas ímpares embaixo e pares, em cima, péssimo também. Para terminar, você acha que Porsche/Audi/Volkswagen são incompetentes?

    ResponderExcluir
  78. Calma, amigo. Não fiz juízo de valor, não quis dizer que este é certo e aquele é errado, apenas falei: se CONVENCIONOU que se sobe as marchas puxando a alavanca, fato.
    Quando há paixão envolvida a lógica desanda na primeira premissa.

    Edu Monteiro/SP

    ResponderExcluir
  79. Faltou mencionar os BMW, onde também se "sobe" marcha puxando a alavanca e se reduz empurrando a alavanca... De todos os modelos top (menos Ferrari, que nunca dirigi !) a BMW é a única a utilizar essa "lógica" invertida; e pior, ao perguntar na concessionária por ocasião da revisão, o consultou técnico ainda disse a BMW tinha patenteado esse sistema!!!

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...