Google+

26 de março de 2010

NÃO FAZ DIFERENÇA, PARA MUITOS...


Recentemente rodou uma informação pela internet que a BMW possuía uma pesquisa que indicava que 80% dos proprietários do modelo Série 1 acreditavam possuir um carro com tração dianteira. Veja um texto sobre isso aqui.
Isso nos faz pensar um pouco. Imaginando que a BMW, famosa por criar veículos de qualidades dinâmicas inquestionáveis e sempre com a filosofia de tração traseira, ou mais recentemente o uso da tração integral, está com clientes que não fazem ideia do que possuem, o que será dos outros carros mais simples?
Vamos pensar na nossa realidade tupiniquim. Sabemos que o motorista médio é lastimável, tanto no quesito conhecimento do automóvel, como na condução do seu veículo. Achamos que é piada quando ouvimos dizer "Oleo? Precisa trocar?", mas muitas vezes não é. OK, ninguém precisa saber a teoria dos ciclos termodinâmicos do motor a combustão interna para ter um carro, mas o mínimo é necessário, até por questões de segurança.
Cada vez menos as pessoas sabem o que possuem, e acredito que isso é "causado por uma solução". Dificilmente hoje um carro novo quebra, e se não quebra, o dono não precisa abrir o capô pra olhar (e mesmo porquê, com a eletrônica embarcada, não vai resolver mesmo), e se ele não precisa abrir o capô, não precisa se preocupar em entender como as coisas funcionam ou o que é que está lá bem escondido sob as chapas metálicas e acabamentos plásticos.
E não digo que é sem razão. Pra que eu me preocuparia com uma coisa que não quebra? Está lá funcionando, e no pior dos casos, se quebrar, chamo o guincho e mando pra concessionária arrumar. Simples.
Mas nessa é que vamos perdendo os pontos pelo caminho. Chamar um BMW de tração dianteira há dez, quinze anos atrás era um sacrilégio. O carro muitas vezes era comprado por justamente ter uma arquitetura diferente dos novos padrões, com tração traseira e motor longitudinal, um modelo entusiástico com bom comportamento dinâmico.
Hoje o Série 1 é um dos carros mais divertidos de se guiar, especialmente o 130i seis-cilindros. Muito equilibrado, forte e só coloca sorrisos no rosto de quem o dirige. Totalmente entusiástico. Mas pelo jeito, não mais. Caiu na massificação de quem não sabe e não está nem aí para o que compra.
E para completar, a BMW anunciou o lançamento de uma plataforma com tração dianteira. Onde vamos parar?
MB

53 comentários:

  1. já tive um chevette e um escort hobby. sem a menor sombra de dúvidas prefiro a tração trazeira por proporcionar mais emoção na condução. sinto pena daqueles que nunca experimentaram esa sensação!

    ResponderExcluir
  2. Estamos na era do carro-imagem, a boiada pouco se importa com a técnica. Veja a Ruindai como cresce a passos largos.

    ResponderExcluir
  3. infelizmente hoje imagem é tudo para uma grande parcela da população!

    ResponderExcluir
  4. "Ruindai" hauhauhauha muito bom!

    Hoje tenho uma picape tração traseira e já decidi que nunca mais terei um carro dianteiro. A meta é mesmo conseguir um 130i, mas não volto atrás na minha decisão nem que tenha que andar de fusca, chevette, opala...

    Também não apoio essa decisão da BMW em abandonar sua "identidade" para construir um carro um pouco mais acessível. Parece que estão com medo do i30!

    ResponderExcluir
  5. Depois dos anos 90,quando tornou-se carro de yupies, a BMW perdeu a aura conquistada com o modelo 650 csi,nesse tipo de pesquisa a resposta é facilmente sugestionavel para a alegria do financista que a encomendou e assim ter a justificativa para quebrar a tradiçao ,e cortar bastante o custo de produção dos modelos de entrada,afinal de contas só no nosso mercado o consumidor aceita pagar valores absurdos em carros compactos.

    ResponderExcluir
  6. Reynaldo Cruz26/03/10 13:10

    Tenho muita saudade do Maverick e do S.M. 4.1, os melhores carros que conheci na vida.Hoje tenho um Monza 89, impecável mas que não me satisfaz nem um pouco. To sonhando com um Omega 3.8, quem sabe!!!

    ResponderExcluir
  7. Caro Milton Parabéns pela reportagem.

    Infelizmente no Brasil e no Mundo a tendência do Mercado é de sacrificar os bons projetos.

    Para mim o exemplo mais dramático são os FLEX ( que abomino ), pois são um total retrocesso em termos de eficiência de motores.

    Tenho um Chrysler Grand Caravan e veja abaixo uma comparação com uma "minivan" flex nacional.
    (dados de fábrica -gasolina/automáticos)

    Zafira 2.0 " FLEX " 2010 -(Auto)
    Aceleração de 0 a 100 km/h-13,9 s
    Consumo urbano 9,6 km/l
    Consumo rodoviário 13,5 km/l
    Peso : 1400Kg

    Chrysler Grand Caravan 1997-v6(3.3)
    Aceleração o a 100 - 13,52 s
    Consumo Urbano 9,91 km/l
    Consumo Rodoviário 10,91 km/l
    Peso 1916 kg

    Como pode um carro 97 com motor de seis cilindros e quase duas TONELADAS de peso ter desempenho e consumo quase equivalentes a um " moderno" carro de 1400 Kgs ?

    É a tal da " tecnologia " Flex .

    Lamentável..

    Abraço e parabéns novamente . .

    Daniel
    Elite Customs

    ResponderExcluir
  8. Rafa, é uma estratégia de mercado. Não tenha dúvidas que eles vão fazer um excelente carro FWD, pois gabarito para isso eles têm.

    E não tenha dúvida também que uma plataforma FWD vai ser muito lucrativa para eles.

    abs,

    ResponderExcluir
  9. Eu só lamento... isto remete a velha frase... Deus dá asas a quem não sabe voar!

    ResponderExcluir
  10. nicolas, é verdade.

    As pessoas não ligam para o que a máquina é, apenas se é bonitinha, barata e se não vai dar problema.

    Se você perguntar por ai quantos cilindros tem o motor do carro, a maioria não sabe e não está nem aí.

    abs,

    ResponderExcluir
  11. Aliás... estes dias eu vi um cara com uma !550!, era notável que ele não sabia no que estava montado.

    ResponderExcluir
  12. Fabio, cansei de ver "peruas" emperiquetadas andando de MB ML-AMG. Você acha que elas sabem o que é isso e o que o carro faz?

    abs,

    ResponderExcluir
  13. Gostar (e entender) de carros é algo cada vez mais em extinção. Embora paradoxal num país que compra mais e mais carros a cada ano, a verdade é que as pessoas não gostam de carro de uma forma entusiasta. Acham aqueles mil e poucos quilos de ferro apenas um meio de transporte, e, no máximo, algo pra aparecer e chamar atenção pra "nova-riqueza" do dono (parcelada em 550x).

    Isso abre espaços pra os Hyundai, pras rodas de 18 polegadas num 1.0, pra falsos aventureiros, picapes cabine-dupla de 2 toneladas que nunca viram uma estrada de terra ou peso na caçamba...e pra BMWs com tração dianteira.

    Nada contra a BMW lançar o que ela quiser. Mas é um dos poucos bastiões de purismo automotivo que vai embora, junto com a Porsche e seus Cayenne. Nenhuma dúvida que esse Bimmer FWD vai ser um ótimo carro. Mas é como a Lamborghini lançar uma minivan de portas corrediças. O purismo e aquilo de que a marca tanto se vangloriava irão embora.

    ResponderExcluir
  14. Não entendo o porque da BMW não utilizar a Marca Mini para lançar esse novo carro fwd (um carro abaixo do Cooper)... Só traria bons resultados. O fãs da marca não iriam ficar ressentidos, afinal é um mini e mini sempre foi fwd, a BMW iria lucrar da mesma forma e ainda manteria a sua longa tradição.

    ResponderExcluir
  15. Olá.

    Lendo o post e os comentários me ocorreu que há grandes carros FWD que fazem qualquer autoentusiasta se satisfazer. Um deles é o grande Olds Toronado, quase 400 hp no eixo dianteiro.
    Creio que o problema dos carros atuais não é a opção do eixo motriz mas sim o fato de serem pasteurizados, todos muito parecidos e sem emoção.
    Para os puristas, lembro que a BMW já fez carros bem diferentes do que seria sua tradição(se é que isso existe)como a famosa Isetta!
    O correto é cobrar qualidade e não solução tecnológica. Afinal, se o fabricante não investe em pesquisa,não há evolução e podemos perder a oportunidade de vermos inovações que tragam melhores automóveis.

    AAM

    ResponderExcluir
  16. O carro será lançado em dezembro de 2012...

    ResponderExcluir
  17. Essa é mais uma das "brilhantes" decisoês tomadas por quem só vê os numero$ na frente. Vai ocorrer com a BMW o mesmo que ocorreu com a Alfa, no curto prazo vai ser uma maravilha, os caras cortaram custos, aumentaram lucros, foram verdadeiros gênios. Daqui a vinte anos a marca será apenas uma sombra do que já foi, com vendas cada vez menores e com o risco constante de extinção...

    ResponderExcluir
  18. König
    Concordo em gênero, número e grau...

    Rodrigo, acho q não é pra tanto...

    BMW fwd é uma heresia!

    ResponderExcluir
  19. Antonio, há diversos carros FWD que são geniais. O finado Cobalt SS é um claro exemplo. Os Alfas ainda são muito bons. Vide como eles brigavam cara a cara com os BMW no WTCC.

    Onde está a tração não é o problema, mas sim como as pessoas simplesmente esqueceram que, neste caso, era o diferencial dos BMW e não estão nem aí pra isso, e não querem nem saber mesmo.

    abs,

    ResponderExcluir
  20. A BMW não tem culpa. A tração só faz diferença para os entusiatas.

    Seria interessante então colocasse o motor traseiro como o Porsche, mas ai seria outro sacrilégio!

    Que situação.

    ResponderExcluir
  21. Aun, não tem culpa mesmo.

    Imagine o que eles vão ganhar de dinheiro com isso, assim como ganham com o X6. Money is always money.

    ResponderExcluir
  22. bera silva26/03/10 18:03

    A questão toda não é onde vai a tração, nem se o novo modelo da Bavária será ruim. A questão toda é ser fiel a si próprio como foi comentado pelo MAO outro dia.
    Pra uma empresa que começou com um Austin 7 sob licença, foi fornecedora de motores aeronáuticos, fez Isettas e Glas; sendo fiel à boa engenharia se manteve todos esses anos, porque isso agora? Se eles querem lançar um FWD, que lancem com a marca Mini, como disse o König.
    Concordo Rodrigo. Quem é a Alfa hoje?

    Será que pra nos mantermos de pé no mundo, temos que vender nossa alma?

    ResponderExcluir
  23. Bera,

    Eu acredito que a história é diferente... quem não vende a alma que é reconhecido a longo prazo, como uma marca com identidade mesmo... esse CEO é um cagalhão, isso sim! rs*

    ResponderExcluir
  24. Fugindo um pouco do assunto BMW... mas continuando no assunto tração traseira... acabei de ver este video, fiquei com vontade de compartilhá-lo... kkk
    http://www.youtube.com/watch?v=SzuDuWOX6To&feature=related
    olha o que esse Dojão causou no track day... (causou no bom sentido é claro)
    tem 3 partes

    ResponderExcluir
  25. Refletindo sobre isso tudo, chego à conclusão de que a marca mais íntegra da indústria automobilística é a Subaru. Lá, o motor boxer é sagrado. Até mesmo quando tiveram que lançar um diesel para não ficarem de fora do mercado europeu, fizeram o seu próprio diesel (boxer, bem entendido) em vez de comprar um motor pronto de alguma Peugeot da vida.

    Que BMW, que Saab, que nada - automóvel com personalidade é Subaru!

    ResponderExcluir
  26. Paulo, não esqueça da Morgan que até hoje faz alguns de seus carros com estrutura em madeira, é da mesma família desde a fundação há 100 anos, e não dá caras de mudar nada. Isso sim é tradição. :-)

    abs,

    ResponderExcluir
  27. É lastimável ver um cidadão metido a entendido e ainda questionar o "tupiniquim" como o pior motorista do mundo. No maior mercado do mundo a maioria dos condutores só sabem acelerar, frear e usar a alavanca em P ou D, assim como dar uma "ordenhava" nas curvas.

    Esse sentimento de inferioridade e de adorar e achar superior tudo que é de fora é muito infantil, e infelizmente virou lugar comum entre os "entusiastas".

    ResponderExcluir
  28. Eu também fiquei muito assustado quando li isso!!

    ResponderExcluir
  29. Belli,
    Infelizmente tem gente que nem sabe onde fica o motor do carro!
    Já vi em dia de vistoria do Detran uma moça se enrolar porque não sabia onde ficava o extintor e o manete que destrava o capô...

    ResponderExcluir
  30. Esse é um dos motivos que temos porcarias como o Agile, pra que usar uma plataforma moderna se o comprador nem faz idéia das vantagens.
    Mas é uma pena, BMW ja tinha se desvirtuado com as suas X, em especial a bizarra X6... mas os carros sempre seguiram tradições, distribuição de peso próximo de 50/50 e tração traseira, também espero que esse FWD não venha com a marca BMW.

    ResponderExcluir
  31. Verdade, Milton, tem a Morgan... até que alguma ONG ou os próprios governos peguem no pé dela (se é que já não estão pegando) por insistir em usar madeira na estrutura dos carros.

    ResponderExcluir
  32. Ahhh Anônimo... vai procurar tua turma! Brasileiro é um povo mal educado de merda mesmo! Cultura passou longe! O negócio aqui é dançar o REBOLATION e votar no PT!

    Não precisa ir longe para perceber como isso é diferente no exterior... qualquer proprietário de um típico kiosco argentino sabe o que está se passando no mundo, já aqui! deixa pra lá! ignorância total! vergonha alheia é um sentimento muito triste, mas é o que sinto pela maioria dos brasileiros.

    Parafraseando Lima Barreto...
    O Brasil não tem povo, tem público!

    ResponderExcluir
  33. Mais um baba-ovo...

    ResponderExcluir
  34. Não sei o que é pior, não saber que tem que trocar óleo, ou os idiotas que fazem troca com 3 milhas (aqui 5 mil km).

    ResponderExcluir
  35. Anonimo, quem está adorando o que de fora?

    Se você ler o link postado, vai ver que é uma reportagem americana criticando a falta de conhecimento dos proprietários de Série 1, não é invenção puxa-saco de gringo.

    Alias, falar que o brasileiro só reclama do que é nosso e adora os extrangeiros é o maior comodismo patético do mundo. Se há algo ruim acontecendo aqui, não somos obrigados a aceitar porque "não podemos criticar nossos próprios problemas, porque em outros lugares também há problemas". Isso é ridículo.

    ResponderExcluir
  36. Quem viveu, comprou, dirigiu, aproveitou, sei lá, foi nas décadas passadas. E esses ainda, compreensivelmente, viverão suas lembranças de Porsches 911, Batmóvel, MB 190, Opalas 250-S...

    A BMW só quer continuar no jogo. É o capitalismo. E o automóvel é o maior produto do capitalismo, acredito. Se ela não fizer carros com tração dianteira, vai, um dia, quebrar.

    E assim ainda teremos muitos Cayennes... quem sabe até uma SUV Ferrari. Até a Jaguar é indiana (o que é a História).

    Assim, sem apego a "purismos", aceitemos o futuro. E cada empresa quer mais é vender, e só.

    ResponderExcluir
  37. É só ler o terceiro parágrafo, não fez sentido algum nos desclalificar justamente em cima de uma citação idêntica vivida pelo outro país citado.

    ResponderExcluir
  38. Meu caro o assunto aqui é BMW fwd... vc tá aqui só para agitar! Dá um tempo!

    ResponderExcluir
  39. Sei que fazer um FWD excepcional não vai ser problema para os engenheiros da BMW, mas não deixa de ser uma perda imensurável para a marca. Uma pena que 90% (ou mais) dos seus consumidores não estão nem aí para isso, porque para eles a BMW não passa de uma fonte de status. E pior ainda é perceber que o interesse pelo conhecimento seja facilmente trocado por uma futilidade qualquer.

    No Brasil parece que tudo que é ruim consegue ficar pior, a maioria das pessoas ficam satisfeitas em pagar 40 mil reais em um Gol pelado, desde que este consiga mostrar "status" aos vizinhos, ainda que só tenha seu financiamento quitado daqui a 7 anos.

    Não vejo problema nenhum se alguém acha que carro é um simples meio de transporte. Mas no Brasil não há preocupação com segurança, nem com a finalidade do carro, muito menos com um nível mínimo de conforto. Tudo em nome da ostentação, que parece ser a única preocupação de quase todas as pessoas.

    A GM anunciou que vai lançar um novo sedan compacto nos EUA, o Cruze. Entre as melhorias que vai receber por lá, um acabamento melhor, e a tal da ligação Watt no eixo traseiro, já que ter um bom comportamento dinâmico é uma das exigências do consumidor.

    Aí eu penso, se num país como os EUA, onde sobram vagas nas ruas porque as maioria das pessoas tem preguiça de manobrar ou simplesmente não sabe como estacionar (quem for viajar para lá pode comprovar isso), o consumidor tem um nível de exigência razoável, fico pensando como deve estar ruim a mente dos brasileiros, já que o nível de exigência aqui é nulo - vide Agile e Crossfox.

    ResponderExcluir
  40. Anônimo, e você acha que no resto do mundo é diferente? Vide o link.

    ResponderExcluir
  41. Bom, confesso que já fui bastante radical em minhas opiniões, no sentido de criticar esse povo que compra carro para mostrar apenas status sem saber a máquina que possui, bem como aqueles que colocam macacão e saboneteira pra ir tomar café no serra-azul, pela Bandeirantes, se vangloriando que deu 299 km/h na reta e, quando chega numa curva, só falta colocar o pé no chão pra fazer.

    Hoje penso de forma diferente. É um gosto e se o cara pagou o bem de forma honesta, ainda que financiado em 72x, deixa ele curtir o que pra ele o carro proporciona.

    Tem pessoas que gostam do carro pela performance e se divertem ainda que com um 147 bem acertado, outras pelo status que dá e, jamais, comprariam um 147.

    Conheço casos de cara que tem uma Santa Fé 0 km, mas mantém os filhos estudando em colégio público e o condomínio do prédio atrasado.

    É uma inversão de valores.

    Quantos aqui não possuem um computador com 500 gb de HD, 8 gb de Ram, Placa de Vídeo Off-board de 1 gb, monitor de 20" e o utilizam apenas para acessar a internet.

    Ou seja, possuem um equipamento superior a suas necessidades e utilizações, igualmente, mal sabem pra que serve tantos números e todo ano fazem up na máquina, porque o mercado lançou um pente com maior capacidade ou uma HD maior.

    A justificativa é que o computador é o mais atualizado possível, que não dará problemas por pelo menos uns 2 anos.

    Quantos, aqui, não possuem um IPhone que só utiliza pra fazer ligação, não conhece 1/5 da capacidade do aparelho mas, compra porque é estiloso e está na moda?

    O mesmo ocorre com os carros e se a BMW percebeu que 99% dos consumidores compram baseado no status ou no desenho do carro ou8 no fato do carro não quebrar por no mínimo 3 anos, pouco se interessando pela parte técnica, melhor pra ela, pois ela não vive da tradição ou de caridade, vive de dinheiro e, quanto mais trouxer, maiores as chances de permanecer no mercado.

    Vocês acham que um Fiat 500 vale quase R$ 60.000,00? Já notaram que de traseira é praticamente um Ka de primeira geração?

    Só que, no começo, o Ka foi extremamente criticada e custava o preço de um popular.

    A Fiat enfiou um carro "parecido", num preço absurdo e o brasileiro achou cult, virou carro de estilo.

    Como dizem, mais vale um gosto que um tostão no bolso.

    ResponderExcluir
  42. Acho que todos aqui entendem a necessidade de uma empresa em obter lucro, como é o caso da BMW.
    Mas quem é autoentusiasta ainda via a BMW como uma empresa que além dos lucros preservava suas raizes, a suavidade de um motor 6 em linha, a boa distribuição de peso quase em 50/50 e a tração traseira.
    Acredito que ela vai manter esses ítens como um nicho como ja faz hoje, então assim como hoje alguns 6 convivem com os 4cil, pelo jeito no futuro os com tração traseira passarão a conviver com os FWD. Pode ser saudável para a empresa do ponto de vista lucrativo, mas para nós entusias tas vai ser sempre uma pena.
    Deve ser triste a conversa entre engenheiros e administradores, com os primeiros defendendo a tração traseira e os segundos afirmando: "pra que se preocupar com isso no série 1 se 80% dos consumidores nem se dão conta disso"?
    É uma pena...

    ResponderExcluir
  43. Hola!
    Es la primera vez que entro en tu blog y esta muy bien. Me uno a tus seguidores para seguirte y espero que tu tambien te unas al grupo de seguidores de mi blog. El mio es exclusivamente dedicado al F1.

    Saludos,
    Ricard

    ResponderExcluir
  44. Concordo com o Sergio 100%
    Paulo Levi, eu tambem adoro um Subaru, é porreta mesmo. Dirigi uma vez só e não esqueço mais a sensação.

    ResponderExcluir
  45. realmente é um absurdo, a ponto de a quatro patas comparar o belissimo-maravilhoso-incrivel série 1 com o lixo mediano-coreano i30. hoje parece q só o q importa nos carros é o estilo (fútil) e o quanto vc consegue causar de inveja. é triste, e nós entusiastas ficamos parecendo retrógrados bobos falando de coisas sem importância.

    quanto ao desprezo dos proprietarios com a manutenção de seus modernos veículos, ouvi falar de uma mulher q ganhou um classe a de presente e "não sabia" que tinha q trocar o óleo. resultado: bielas atravessaram o bloco. papai mandou consertar o carro e vendeu. por essas q é dificil achar um usado q passe uma imagem de confiança, mas isso já é outro assunto.

    ResponderExcluir
  46. Ate algum tempo atras, eu tambem era radical neste sentido.
    Hoje nao vejo problema, desde que se mantenham sedas e peruas RWD e motores L6, V8 e V12. Acho uma pena o V10 ter sido descontinuado.
    Assim como fez a Porsche com Cayenne e Panamera.
    Enquanto existirem 911 GT3 RSs, BMWs ///M e Corvettes, estou feliz.

    ResponderExcluir
  47. Esqueci, espero que mantenham o 1er como ele eh, RWD e motor praticamente central dianteiro.
    Acho que o proximo sera algo abaixo dele, pra competir com A1.

    ResponderExcluir
  48. É a mesma questão do Big MAc que foi postado poco tempo atrás por aqui. Vai-se piorando as coisas aos poucos, sempre enganando o consumidor que na verdade a mudança é para melhor. Somente depois de anos é que as pessoas se dão conta de como o produto piorou e muito em relação ao que era.

    ResponderExcluir
  49. Adalberto, acredito que os produtos "piorem" cada vez mais por dois motivos. Primeiro e o mais forte, a necessidade de se vender mais, reduzindo a durabilidade do produto. E ainda, o cliente aceita isso e aparentemente não está preocupado, pois "vai ter que trocar mesmo", então aceita e deixa de se interessar.

    Se não há interesse, como em saber ou não se o Série 1 que comprou é FWD ou RWD, não há outras preocupações.

    abs,

    ResponderExcluir
  50. Existe um aspecto que ninguém comentou ainda: segurança e agilidade em pisos molhados.

    Neste aspecto, nenhum RWD se sairá melhor que um ótimo FWD. Claro que existe a solução ideal, que é AWD e a BMW sabe disso. Porém, AWD é pesado e caro, portanto, se voce quer um carro que tenha um comportamento exemplar em chuva boa, terá que optar por um FWD.

    Portanto, diante deste fato, e sabendo que, dinamicamente, o que a BMW fizer será bem feito, concordo com o Milton Belli: a BMW vai fazer um excelente FWD, e portanto será muito bem vindo!

    Na minha opinião, o que destoa mesmo da tradição BMW é motor de 4 cilindros. Portanto, 118 e 120 deveriam ser cancelados (ou melhor, nunca deveriam ter nascidos). Estes sim são os verdadeiros BMW pra quem quer apenas "mostrar que tem BMW". Se hoje ela é a única que ainda insiste em motores L6 por questão de tradição e purismo, então porque diabos oferecem motor L4?

    ResponderExcluir
  51. bussoranga, esse aspecto de controle em piso molhado é igual ao piso seco. Há bons carros RWD e péssimos FWD. Não é uma regra, é questão de acerto de carro.
    E hoje em dia, não é lá grande diferença, pois em situação crítica, há 'n' ajudas eletrônicas.

    Lembre-se que a BMW tem tradição sim em motores 4 cilindro. O primeiro M3 (E30) era 4 cilindros.

    abs,

    ResponderExcluir
  52. MB,
    É completamente diferente o controle no limite em pista seca e em pista molhada.
    Sem sombra de dúvida há bons RWD e péssimos FWD em chuva, mas se voce comparar bom com bom, ou melhor com melhor, verá que, em chuva, FWD ganha.
    Por isso considerei que a decisão da BMW é inteligente, levando-se em conta o fator custos. Se fosse para ignorar o fator custos, bastava fazer AWD e pronto.
    Eu até posso concordar que não é lá muito grande a diferença, no limite em chuva, de FWD para RWD, mas ela ainda existe, e é favorável ao FWD.
    Eu sei que a primeira M3 é L4, mas em termos de motor (e não do carro inteiro), não era lá grande coisa se comparado à concorrência (o que só comprova que não existem milagres).

    ResponderExcluir
  53. Lindo de mais este chevrolet da foto!

    Sobre a BMW, eu vejo que não é apenas no Brasil que as marcas estão perdendo suas características. A GM, quando lançou o monza, despertou a ira de muitos da época só que com o tempo o povão viu que não era tão ruim assim e acostumou. Hoje apenas a S10 tem tração traseira ou 4WD, ômega nem falo pois é um importado e 99% dele é vem da Austrália, inclusive buchas e suportes!

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...