Google+

23 de maio de 2010

FACEL VEGA EXCELLENCE AO MEU GOSTO

As pessoas que me conhecem bem já sabem que sou fã de carros mais antigos que tiveram um início de vida interessante, mas que hoje estão no mais completo abandono. Caindo aos pedaços. Calhambeques com fogo saindo do motor e fumaça da traseira. Carros sem freios. Carros sem motor! Caixa de câmbio? Cadê? Será que tem?
Bem, como todos os nossos carros aqui em casa.
Qualquer pessoa pode ter um carro completamente restaurado, em perfeitas condições. Carro 100-pontos. Carro de Pebble Beach. Claro, ter que ser qualificado para isso. Quem tem carro assim tem que ter muito dinheiro e a disposição de gastá-lo. Mas, afinal de contas, que graça tem um carro desses?
Sempre me atraem os carros que são realmente uma vergonha. Cacos. Desgraças. Carros tão ruins que as pessoas querem tapar os olhos. E de vez em quando tapar o nariz também.
Depois dessa conversa toda, apresento-lhes um carro bem ao meu gosto. Um Facel Vega Excellence escondido numa garagem em Norco, Califórnia. Acredito que o ano deve ser 60 ou 61, por aí. Talvez preto. Talvez não. Digamos que a cor é “escura”. Com ferrugem, claro. Na época, o carro mais extravagante e caro da linha Facel. De quatro portas clamshell, tipo concha, as traseiras “suicidas”. E hoje dia esperando num canto de garagem com dezenas de carros mais ou menos assim. Esperando o quê? Ninguém sabe.
O propósito desse artigo não é descrever a história da gloriosa marca francesa Facel Vega. É suficiente dizer que nos anos 50 e até 1965 a Facel Metallon fabricou os carros mais exclusivos e finos da França. E para os fregueses mais interessantes. Stirling Moss tinha um. Peter Sellers, outro. E Ringo Starr. Ava Gardner. Dean Martin. Maurice Chevalier. Le roi du Maroc. O escritor e filósofo francês nascido na Argélia, Albert Camus, morreu num ao sair da estrada a alta velocidade e bater num poste ou árvore, não me lembro exatamente.
Quem quer saber mais pode pesquisar o livro “Facel Vega: Excellence, HK500, Facelia”, por Jean Daninos, o fundador e diretor da empresa Facel. Também o livro definitivo da marca, “Facel Vega – Grande Luxe Sportif”, por Martin Buckley.
E esse carro nas fotos? O motor é Chrysler V-8. Provavelmente 383, mas talvez 413. Menos provável 361. Não importa. Pelo menos tem motor. Câmbio Torque Flite. Grade de alumínio fundido. Possivel que as rodas raiadas não vieram originalmente com o carro. Mais provável rodas de aço com calotas. E os pneus atuais vieram de uma picape ou utilitário esporte. Fora disso, notem-se os bancos com estrutura de alumínio fundido. Imagine-se o custo disso, especialmente para uma peca invisível!
Sabiam que o painel parecia de madeira, mas não era? Era de metal pintado com aparência de madeira por um funcionário na fábrica que só fazia isso. Com pincel! Incrível. E por isso ainda está intacto hoje, uns 50 anos após ter sido produzido.
As pessoas de outros países pensam que todos os carros aqui na Califórnia são do tipo 100-pontos. Claro, muitos são. Mas é bom saber que há exceções. Muitas, inclusive. E que pesquisando bem podemos descobrir carros assim em vários lugares por aqui. Como dizemos, carros “congelados no tempo”.
Bem, um carro assim nos leva a perguntar: o que fazer com ele? Na condição atual é evidente que não ser pode usá-lo na rua. E uma restauração completa iria levar anos e, pelo menos aqui, custaria centenas milhares de dólares. Isso para um carro com atual valor máximo de, digamos, 60~90 mil dólares. O investimento não compensa. Pelo menos este carro fica num lugar fechado, escuro e seco. Com isso, ele não degrada. E como disse antes, fica esperando.
RP
Escrevendo, como sempre, de Huntington Beach, Califórnia

19 comentários:

  1. Prezado Rex, este é meu primeiro comentário em um post seu mas obrigado por ter sintetizado muito do que penso sobre carros antigos. Aqui em BH não dá pra restaurar um Facel, mas que tal uma Caravan que estava em petição de miséria?

    http://antigomoveis.blogspot.com/2009/08/nostalgia.html

    E depois:
    http://antigomoveis.blogspot.com/2008/11/ao-volante-v-caravan-1976.html

    Um carro que sempre será visto pelos puristas como vagabundo, nada colecionável, mas cuja restauração e sensação de tê-la "salvo" do destino deu enorme prazer!
    Abraços,
    Luís

    ResponderExcluir
  2. From Wikipedia:

    Camus morreu em 1960 vítima de um acidente de automóvel. Em sua maleta estava contido o manuscrito de "O Primeiro Homem", um romance autobiográfico. Por uma ironia do destino, nas notas ao texto ele escreve que aquele romance deveria terminar inacabado. Ao receber a noticia da morte de seu filho Catherine Hélène Camus apenas pode dizer: "Jovem demais." Coincidentemente ela também morre no mesmo ano que seu filho: 1960.
    Uma curiosidade sobre o acidente de automóvel: Camus não deveria ter feito a viagem para Paris de carro junto com os Gallimard (Michel, Janine e a filha deles Anne). Ele iria fazer esta viagem com o poeta René Char, de trem. Mas, por insistência de Michel, ele resolve ir de carro com eles. Char também foi convidado, mas não quis lotar o carro, além de já haver comprado sua passagem (Camus também já tinha seu bilhete de trem comprado quando foi convencido a ir de carro).

    No acidente de automóvel o Facel-Véga de Michel se espatifou contra uma árvore. Apenas Camus morreu na hora. Michel morreu no hospital 5 dias depois. O relógio do painel do carro parou no instante do acidente: 13h 55min.

    ResponderExcluir
  3. Rex,
    incrível o estado dos bancos desse carro, muito destruídos. Será que estava aberto, sofrendo com as intempéries ? O detalhe do painel pintado eu jamais imaginaria, bom saber.

    ResponderExcluir
  4. Ola JJ. Parece bichinho que comeu o material.

    ResponderExcluir
  5. Uma pergunta:23/05/10 21:15

    não seria mais justo desmontar e destinar o que for aproveitável para restauração de outras unidades desse veículo?

    ResponderExcluir
  6. Producao total de so 152 unidades entre 58 e 64. Com isso, poucos candidatos para receber pecas de um carro desmontado.

    ResponderExcluir
  7. João Gabriel Porto Bernardes24/05/10 01:01

    Gosto também de carros em estado deplorável,mas na verdade deixados assim propositalmente como os rat rods,mas carros comuns ao nosso cotidiano,agora um carro que foi definido como "um poema feito de aço",extremamente raro e com um coração bruto e resistente(só podia ser Chrysler)não merecia chegar a um estado tão deplorável,uma covardia,é dificil pra mim entender como há pessoas desprovidas de sentimento que deixam um carro tão magnífico,excêntrico e raro chegar a esse estado...

    Abçs!!

    ResponderExcluir
  8. Tem o canal desse cara no YT:

    http://www.youtube.com/davidsfarm

    Ele tem uma fazenda cheia de carros detonados, de tudo quanto é modelo e ano.

    Olha o cara tentando ligar um Cadillac 1967 parado por 30 anos:

    Parte 1/3: http://www.youtube.com/watch?v=89pGLC-1jK8

    Parte 2/3: http://www.youtube.com/watch?v=_4m1-0CLf5c

    Parte 3/3: http://www.youtube.com/watch?v=acgGAxQrDTg

    ResponderExcluir
  9. Amigo Rex,

    O seu gosto é esse? Um carro esbugalhado e praticamente irrecuperável?
    Faz o que com um treco desses?
    Esse carro deve feder urina de rato.

    ResponderExcluir
  10. Oi AK. Espero que voce pode notar a ironia nos meus comentarios. Sim. Admito. Gosto de carro bom, carro bonito, carro em perfeitas condicoes. Como joia para ver e apreciar.

    Mas tambem acho intrigante um carro nessa condicao que so pode descrever de deploravel. E raro ver um carro que comecou a vida tao glorioso cair, com o passo de 50 anos, a esse nivel. Mas carro em estado assim reflecte uma historia que esses carros de 100 pontos jamais podem refletir. E como a diferencia entre pele lisa e pele cicatrizada. Quais foram as experiencias dessa pessoa para a pele ficar assim?

    Tambem me intriga pensar se o carro fosse meu o que faria, aonde iria comecar? Acho que seria interessante desmontar esse carro, peca a peca, e ver como foi construido. Notar todos os detalhes. E fazer as milhares de decisoes de como vou pintar isso, rebastecer isso, etc. De resolver todos os problemas desse carro para que ele possa andar de novo com a mesma dignidade e ate elegancia que tinha quando era bem mais novo.

    Ha outro carro por aqui sobre o qual vou escrever um dia desses. E um Mercedes W100 600 Pullman, preto por fora, bege por dentro, do Saddam Hussein. Reflete uma vida dura, como voce pode imaginar. Que vida! Imagine as experiencias de um carro assim. Imagine tambem se pudesse falar o que diria!

    Com tudo isso, acho esse Facel Excellence mais um desafio a ver e apreciar que outro semelhante em show condition. Como sempre me intrigam os desafios, acho esse carro ao mesmo tempo repugnante e irrestivel!

    Cheiro? Nem cheguei perto!

    Abs do Rex

    ResponderExcluir
  11. Rex, existe uma beleza profunda na pátina que o tempo aplica sobre automóveis e quase tudo o mais. No caso destes, eu acho que sei bem a que se refere. Me diga se não é disto aqui que se refere, no caso, um T recém saído do barn onde deve ter ficado por anos: http://4.bp.blogspot.com/_i_AovfzNXgQ/S_oTrroZKgI/AAAAAAABMNA/xYWVSNGyy3g/s1600/DSCN0107.JPG

    Como dizia Lúcio Costa, nem todas as ruínas precisam ser restauradas, alguma são históricas como estão.

    Abraço, Nik.

    ResponderExcluir
  12. Rex, só 90 mil dólares pronto? no ebay tem um Facel anunciado por mais de 160 mil... E não é Excellence!

    Luís, não fique constrangido com a sua Caravan, é um carro valiosíssimo, principalmente na mão de quem a admira.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  13. Eu me amarro em antigo sem restauração, mas utilizável.
    Esse aí, com certeza teria de ser restaurado pra exercer algum fascínio, claro à parte a história da marca e a exclusividade do carro.
    O Jay Leno é um desses que, se o carro estiver em condições de uso, ele não mexe. Foi assim com um Bugatti, ou Daimler não lembro bem, que ele comprou de uma senhora sem nem olhar, nem abriu a garagem. Quando chegou, ele deu um tapa, deixou em condições mínimas para rodar e foi pra casa nele, que ficou como estava, até onde me consta.

    ResponderExcluir
  14. O F-V mais valorizado de todos e o FV2. Carro de duas porrtas, e realmente belissimo. Esse ai tem preco atual de, vamos dizer, USD $100-200 mil.

    Carros de quatro portas geralmente levam menores valores. Sendo assim, alem de ser mais caro quando era novo, o Excellence hoje deve levar um valor bem menor que o FV2, ou ate o HK500.

    ResponderExcluir
  15. O F-V mais bonito e mais valorizado de todos e o FV2. Duas portas. Area invidracada grande. Linhas espetaculares. Valor atual de, vamos dizer, US$100-$200 mil. Tambem valorizado e o mais antigo HK500 de duas portas.

    Como carros de quatro portas geralmente levam precos menores no collector's market, acho pouco provavel que o Excellence tenha o valor dos modelos V8 de duas portas. Mais caro quando era novo, e menos caro hoje. Quem sabe, talvez os US$60-90 mil ja citado. E esse no artigo? Tem que ser bem, bem menos!

    ResponderExcluir
  16. Mister Fórmula Finesse24/05/10 16:35

    "Ha outro carro por aqui sobre o qual vou escrever um dia desses. E um Mercedes W100 600 Pullman, preto por fora, bege por dentro, do Saddam Hussein. Reflete uma vida dura, como voce pode imaginar. Que vida! Imagine as experiencias de um carro assim. Imagine tambem se pudesse falar o que diria!"

    Caro Rex, estaremos aguardando mais um brilhante post, esse modelo também era o preferido do ditador Idi Amin da Uganda, mais um triste exemplo de "ser humano".

    Sobre essa ruína ali do post: respeito muita a sua coragem, mas parece um carro um tanto exótico e desproporcional, quando o vi e li a lista de clientes famosos, veio me a cabeça imediatamente o Stutz Blackhawk, outra criatura estranha - apesar de rara - do mundo dos carros.

    abraço!

    ResponderExcluir
  17. É só reformar o interior que está nojento, revisar a mecânica e rodar do jeito que está. Carro é pra ser utilizado, não guardado.

    ResponderExcluir
  18. Rex,

    eu estava brincando, mas também falando sério. Não tenho coragem nem paciência para me meter numa restauração dessas. Só se o carro tivesse sido do meu pai, ou coisa assim. Bem, que eu me lembre, o do meu pai andava mais ou menos desse jeito aí.

    ResponderExcluir
  19. Talles Wang25/05/10 08:29

    Esse carro deve ser rebatizado para peste bubônica, ou tétano ambulante...

    E, acho que se enquadra também na coprofilia...

    Bléargh... rauulll...

    É bizarrice demais...

    Tallwang

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...