23 de julho de 2010

ENTUSIASTA TAMBÉM SE ENGANA

No meu último post eu mostrei o desenho de um motor de 911 e afirmei o comando de válvulas daquele motor era acionado por um conjunto de pinhões e árvore de acionamento, o chamado "eixo rei".
O BS ficou com dúvidas e me perguntou se aquele motor não tinha o eixo de comando acionado por corrente.
Fui pesquisar e ele estava correto.
A imagem a seguir encontrei no livro do Dante Giacosa "Motores Endotérmicos" (Editorial Dossat, em espanhol).
Aliás, a quem puder encontrá-lo, é excelente referência da engenharia de motores.


Na perspectiva vê-se claramente a corrente de acionamento.
Em meio às minhas pesquisas, encontrei esta animação em 3D deste comando. Trabalho muito bem feito.


Porém, não me dei por satisfeito.
Eu lembrava de ter visto um motor Porsche com eixo rei no meio dos meus livros. Sabia que não estava completamente errado.
Fui encontrar a figura que estava em minha mente no livro do Luis Ruigi "Preparación de Motores de Competicón" (Editora CEAC, em espanhol).


Segundo o BS, este é o motor 547, aplicado tanto  no 550 spyder quando no 356 Carrera, que tinha duplo comando de válvulas por lado.
Além do eixo rei mostrado acionando o comando de admissão dos cilindros do lado esquerdo, há seu simétrico para os cilindros do lado direito. Acionando estas duas árvores e o ventilador de fluxo vertical temos uma outra árvore paralela ao virabrequim.
Por baixo, uma segunda árvore paralela ao virabrequim aciona os eixos rei dos comandos de escape e a bomba de óleo.
Bastante similar a este motor era o do 917, de 12 cilindros. Porém, o acionamento dos comandos era feito por trem de engrenagens a partir de uma engrenagem no centro do virabrequim.
Esta animação mostra bem os detalhes de funcionamento do motor 917.


Nesta animação, a árvore superior paralela ao virabrequim fica bem nítida, acionando o ventilador e os dois distribuidores nas extremidades do motor.
Mais sutilmente a árvore inferior pode ser vista acionando a bomba de óleo.
Tanto o sistema de eixo rei como o de trem de engrenagens conferem alta resistência ao motor, uma característica importante em motores para corridas de longa duração. Porém introduzem muita inércia de rotação ao motor, o que limita sua capacidade de aceleração plena.
Este foi um artigo rápido só para reparar um pequeno deslize, mas acredito ter ilustrado melhor algumas características destes motores antigos.
E me perdoem pelo engano. Entusiasta é humano e também erra.
AAD
Obs: a informação sobre o acionamento deste comando foi retificada no artigo original.

7 comentários:

  1. Prezado AD,

    Durante minha juventude, um dos livros que mais gostava era justamente este do Giacosa, no qual me deliciava em ver gravuras de motores e diagramas... li muito o mesmo.

    Os motores Porsche da família 911, refrigerados a ar eram todos motores de 6 cilindros com duas válvulas por cilindro. A configuração de 4 válvulas foi esperimentada, mas causava deficiência no fluxo de ar de refrigeração, não se tornando viável de ser fabricada... Todos sem exceção tinham acionamento por corrente e cada cabeçote tinha um comando de válvulas e alguns modelos tinham a opção de 2 velas por cilindro. Importante salientar que o óleo de lubrificação do cabeçote tem função vital na refrigeração do motor, por isto os air cooled tinham um radiador de óleo dedicado.

    Motores Porsche com eixo-rei... só ouvi falar de dois ou três modelos, entre eles o 1.5 de Ernst Fuhrmann, que equipava os 550 spyder e algumas versões do flat-12 do 917, uma delas exatamente a da figura deste post (notem o sistema de acionamento do ventilador de ar de arrefecimento, entre os carburadores). Os 917 também tiveram acionamento por trem de engrenagens, com custo de fabricação maior.

    Detalhes e vista explodida dos motores Porsche 356 e 911, no site www.pelicanparts.com . Vale a pena visitar.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Se todo engano fosse acompanhado de uma bela explicação como essa o mundo seria um lugar mais legal.

    vlw!

    ResponderExcluir
  4. AD,

    Desculpe-me por usar o espaço do seu post, mas... Bob, você não vai mandar um texto sobre o atropelamento do filho da Cissa Guimarães?

    Abs

    ResponderExcluir
  5. Pessoal,
    Verifiquei que estava enganado com referência ao motor da figura do livro de Luis Ruigi, ao qual havia mencionado ser do 917. Na verdade o mesmo se refere aos motores Porsche typ 753 e 771, os quais equiparam os Porsche 804 F1 e o 904-8, respectivamente.

    Ambos motores tinham configuração flat-8 (8 cilindros boxer), onde a ventoinha é montada na vertical e os comandos de válvulas são acionados por eixo-rei (königswellen, em alemão). A diferença entre os motores se limita a cilindrada, onde o primeiro é um motor de 1.5 L com comando desmodrômico e o segundo tem 2.0 L de deslocamento, com válvulas de molas duplas.

    Fonte de consulta: forum pelicanparts

    http://forums.pelicanparts.com/porsche-911-technical-forum/458507-porsche-desmodromic-valves.html

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. algumas ducatis usam esse sistema de cardã com comando normal ou desmodrômico, isso desde o início dos anos 60.

    ResponderExcluir
  7. Pena que a animação do motor flat 12 não tenha o som dele,o urro é inimaginável.....

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...