Google+

20 de setembro de 2010

ATÉ QUE ESTA PERUA ANDA DIREITINHO...

Fotos: Divulgação

Poucas vezes na vida andei em algo tão fantasticamente rápido: Audi RS 6 Avant. Quanto mais numa camioneta, como o Código de Trânsito Brasileiro define o veículo chamado perua entre nós - chamá-la de station wagon é meio pedante, com é também chamar utilitário esporte de SUV, jargão típico de boqueiro ou Caoa.

Deem uma olhada no motor: V-10 a 90° de 5 litros, um turbocompressor para cada fileira, a 0,7 bar, duplo comando de válvulas com variador de fase por corrente na traseira do motor, 4 válvulas por cilindro, injeção direta a 120 bars e cárter seco. É mole? O que sai disso é 580 cv de 6.250 a 6.700 rpm e 66,3 m·kgf de 1.500 a 6.250 rpm.

Até hoje meu recorde de potência em carro que dirigir era o Ferrari F40, com seus 478 cv a 7.000 rpm de seu V-8 3-litros biturbo.

A perua é pesada, 2.025 kg em ordem de marcha, mas com essa cavalaria toda são apenas 3,5 kg/cv de relação peso-potência. O suficiente para que vá de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos e de 0 a 200 km/h em 14,9 segundos. Na Alemanha é vendida com velocidade máxima limitada de 280 km/h. As que estão vindo para cá atingem 303 km/h. Um perua ser sócia do Clube dos 300 chega a soar surreal.

Ela  mede 4.928/1.889/1.460/2.846 mm de, respectivamente, comprimento, largura, altura e entre-eixos. O carro avaliado estava com as rodas de 20 pol opcionais, montadas com pneus 275/35R20.

Amigos, dirigi-la é algo fora deste mundo. É carro de corrida em roupagem civil. Dados de fábrica indicam aceleração lateral de 1,2 g (tinha mesmo que ter cárter seco, ou o motor ficaria sem lubrificação nas curvas).

O mais notável é o câmbio automático careta, de seis marchas, tiptronic — mas careta em termos, pois pertence a uma nova geração de transeixos Audi compactos e leves. Apenas não é do tipo dupla-conexão, ou dupla-embreagem, da marca, mas, francamente, não faz a menor falta. Trocas automáticas ou manuais pela alavanca (para frente sobe/para trás reduz, como acho que deve ser) ou borboletas.

Naturalmente a tração é integral com diferencial central Torsen (puramente mecânico) que pode desviar até 85% de potência para a traseira ou até 65% para a dianteira, automaticamente. Além disso, há bloqueio eletrônico do diferencial, pelo freio, se uma roda de um lado quiser patinar.

Um belo visual de um carro que anda: perfeito!

Aqui a Audi RS 6 Avant sai por R$ 554.300. Se entrasse algum da Mega Sena, seria essa, com toda certeza.

Só que branca...

BS



-->
FICHA TÉCNICA

Carroceria                                   Monobloco em aço, capô e para-lamas de alumínio
N° de portas/n° de lugares            4/5
Coeficiente de forma (Cx)            0,35
Área frontal (m²)                         2,36
Motor
Configuração                               V-10, 5 litros, duplo-comando, 4 válvulas por cilindro
Cilindrada (cm³)/dimensões (mm) 4.991/84,5 x 89,0
Materiais                                    Bloco, cabeçotes e cárter de alumínio
Formação de mistura/combustível  Injeção direta/gasolina de 98 octanas RON
Potência kW/cv/rpm                   426/580/6.250 rpm
Torque N·m/m·kgf/rpm               650/66,3/1.500-6.250 rpm
Câmbio                                      Automático, conversor de torque, tiptronic, 6 marchas
Tração                                       quattro, integral
Suspensão
Dianteira                                   Coluna elástica com dois braços triangulares
Traseira                                     Multibraço
Desempenho
Aceleração 0-100 km/h (s)           4,6
Velocidade máxima (km/h)         303
Consumo (km/l)
Urbano                                      4,9
Rodoviário                                9,7
Pesos e capacidades
Peso em ordem de marcha (kg)  2.025
Carga útil (kg)                           540
Compartimento de bagagem (l)   565
Tanque de combustível (l)          80       

50 comentários:

  1. Marcelo Augusto20/09/10 22:56

    Sou muito mais esse do que o Porsche 911 Turbo ou o R8. Carro esporte só serve pra quem tem dinheiro pra mais que um carro, o que de fato acontece. Já imaginou ter uma viagem longa com a família e viajar com essa perua? Como faria quem tem o Porsche ou o R8 e o carro do "dia a dia" é um Corolla?

    Por isso não gosta dessa história de carro pra "curtir" e carro do "cotidiano", seja um milionário ou não.

    ResponderExcluir
  2. Belo carro...
    Aliás, para ser considerado caminhoneta no CTB não tem que ter capacidade de carga de 1.500kg ou algo assim? Tenho dúvidas quanto essa classificação...

    ResponderExcluir
  3. O Bob é apaixonado pela cor branca... Mas eu também a preferiria nessa cor.

    Anônimo,

    Segundo o CTB, caminhonete são os picapes com PBT de até 3,5 toneladas. As camionetas são as peruas, vans e afins.

    Na Europa há várias definições para as peruas: carrinha em Portugal, berlina na Espanha...

    ResponderExcluir
  4. Anônimo,
    Há no CTB camioneta como este Audi e caminhonete, que é uma picape, de peso bruto total até 3.500 kg. Acima disso é considerado caminhão. Peso não entra no mérito das camionetas.

    ResponderExcluir
  5. Já disse isto, mas não custa repetir: sou muito mais estes carros familiares com desempenho realmente esportivo, mas que podem levar as crianças à escola, ser usados para as compras do mês, e para as viagens de férias, que qualquer ultra-mega-super-baita esportivo.
    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  6. Bob, se não fosse ruim eu diría que sinto inveja de ti.

    Essa RS6 é melhor que qualquer GT.
    Incrível que mesmo tendo todo o bloco em frente ao eixo dianteiro sja um carro bom de curva, como mostrado pelo Chris Harris ainda nos tempos de Autocar.
    http://www.youtube.com/watch?v=v8Kry1CbTkM

    ResponderExcluir
  7. Muito bom esse carro e não é de hoje, a Audi vem se superando a cada ano e melhorando sucessivamente o que já é praticamente perfeito. Em se tratando de qualidade dinâmica especialmente no molhado; nenhum rival tem chance. Da próxima vez se puder faça o teste no molhado, você vai ficar ainda mais surpreso agradavelmente.
    Antes da segunda foto tem um errinho de português bobo; eu também escorrego várias vezes escrevendo nessa janelinha... Vale a pena acertar.
    Mas gostaria de fazer uma ressalva.
    Independente do tipo de linguajar que você ache conveniente; ou da sua opinião com relação ao linguajar dos demais; prerrogativa sua...
    SUV realmente não é adequado a esse carro pois independente do linguajar, este carro sendo derivado de um sedam; jamais seria um utilitário embora alguns usem carros semelhantes e até menores com fins comerciais.
    Essa como você sabe é uma abreviatura de Sport Utility Vehicle; inicialmente aplicado aos grandes utilitários primeiramente americanos que eram derivados de jipes e picku-ps com acabamento mais cuidadoso e melhoramentos no trem de força para melhorar o desempenho; não sou muito bom de história mas eu considero a nossa Rural Willys a precursora desse segmento até chegar a toda poderosa Cherokee que foi um dos maiores sucessos de venda no mercado norte-americano; bem diferente desse não menos brilhante derivado de sedam
    Me senti homenageado com essa sua menção pois usei o termo SUV várias vezes em comentários de posts anteriores até porque não existe termo melhor para mencionar os veículos que são verdadeiramente desta classe. Obrigado! ;o)
    E para terminar, adorei o termo Caoa, gavião em Tupi-Guarani. Embora usado com conotação pejorativa; uma pena que os termos usados pelos nossos ancestrais se prestem a isso; é um excelente nome para um carro, estava justamente procurando um para o meu novo coupé...
    Veio bem a calhar. Obrigado novamente! ;o)
    Não que eu ache que a minha opinião vai ser levada em consideração; só fiz essa ressalva porque sem querer você pode adquirir inimizade e antipatia a troco de nada literalmente; e o pouco que conheço de você pelos seus textos que acompanho aqui a alguns meses não mereces isso.
    Abração

    ResponderExcluir
  8. BS, humilhou a gente, pobres mortais dos 300 hp....kkkkkkkkkkkkkkk carrão, canhão.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Falar para Bob que foi fonte de inspiraçao para ele ou pior ainda, dar dicas de como testar carros é demais hahaahh rachei de rir

    ResponderExcluir
  11. Bob, para fechar uma pergunta: Em monstrinhos como este, super-motor + cambio auto convencional (com conversor de torque), qual a tecnica para arrancar o mais rapido (para atingir estes numeros de testes)? Cambio no D (ou S), segurar com o pé esquerdo no freio, encher um pouco o motor/conversor e soltar o freio ou cambio no N, giro lá em cima e joga o cambio para o D?
    abraços

    ResponderExcluir
  12. Para quem quer mais ou simplesmente quer contar mais vantagem na rodinha, na alemanha tem receita para subir a pressao destes turbos e tirar 700cv...
    Sobre categoria do carro, acho tudo muito relativo, esta RS6 por exemplo pode tanto concorrer com um Cayenne Turbo na categoria "super esportivo familiar" como com qualquer outro esportivo, pois pode ter certeza que tem muito solteiro que compra carros assim simplesmente pq gostam, entao categoria para mim nao vale nada e sim o carro.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Sou fã desse carro, mas fico com a azul mesmo. A branca é bonita, mas eu achei meio apagada em relação à esta das fotos.

    Eu sou mais um que se ganhasse na mega-sena, providenciaria uma "crionça" dessas imediatamente. De preferência com uma preparaçãozinha pra desamarrar mais uns cavalinhos desse motor.

    ResponderExcluir
  15. Lubrico,
    Como você disse, pôr em D, frear com o pé esquerdo, depois acelerar até parar de subir de giro e soltar o freio.

    ResponderExcluir
  16. Mister Fórmula Finesse21/09/10 08:51

    Que petardo! Quinhentos e oitenta cavalos em um suposto utilitário; uma cifra que há 10 anos atrás seriam coisa apenas de séries especiais da Lamborghini, de um ou outro RUF, e mesmo as Ferraris especias - as comemorativas de passagem de década - não atingiam isso.

    Algo muito especial mas que revela uma certa histeria por mais potência como muitos preparadores europeus e americanos estão fazendo, acho que é um caminho um tanto perigoso se continuarem na mesma toada.

    ResponderExcluir
  17. Francisco V.G.21/09/10 09:10

    Eis aí uma boa opção para levar os filhos na escola sem que cheguem atrasados.

    ResponderExcluir
  18. Joel Gayeski, sobre peso todo à frente do eixo dianteiro, o mais interessante vai ser saber como seria uma RS6 da próxima geração, que nem está tão distante assim, uma vez que a plataforma será a MLP (já conhecida no A4, no A5, no Q5 e no A7) e, com isso, tendo os benefícios de um motor montado mais para trás do eixo dianteiro, eixo esse que estará mais avançado em relação à parede corta-fogo, quase tendo a relação visual típica de um carro de motor dianteiro e tração traseira.
    Por questões de downsizing, é possível ser esta a última vez que veremos o V10, mas nada tão preocupante assim se pensarmos que são altas as chances de um 4.2 V8 nervoso o suficiente para compensar a perda de dois cilindros (se a Audi já conseguiu extrair aspiradamente 420 cv dessa unidade, imagine a miséria que dá para fazer com dois turbos). E, claro, se for mesmo um V8, terá a vantagem de haver menos peso ainda além do eixo dianteiro, com óbvios benefícios dinâmicos.

    Juntemos tudo isso ao sistema quattro e presumamos também peso menor por causa de alumínio e algumas melhorias em processo construtivo. O resultado provavelmente fará ainda mais bonito.

    ResponderExcluir
  19. "Power sells cars while torque moves the world."

    Esta é uma frase que li em um livro de preparação de motores. Desde então, sempre procuro analisar o quão grande é esta curva de torque máximo.

    Convenhamos: 66,3 mkgf é torque para arrastar arado. Se percebermos que esta quantidade de torque estará disponível em uma banda de 4750 rpm, aí vira uma obscenidade!

    O carro possui um belo visual, um belo conjunto mecânico e um belo conjunto dinâmico. Típico de qualquer supercarro. E alia tudo isso à um belo conforto para 5 pessoas com um belo bagageiro.

    Precisa mais?

    Essas "Avants" da Audi estão em minha "Wishlist" desde a versão, já velhinha, RS2.

    E concordo com o Bob. Branca!

    ResponderExcluir
  20. Arnaldo Keller21/09/10 10:13

    O galho desse tipo de carro é que depois perde todo o valor. Passados poucos ano não vale nadicas.
    Já um esportivo de verdade perde muito menos valor.
    Então, continuo com a tese de dois carros, um comum pro dia a dia e um esportivo pra se divertir.
    Além do mais, com a família não se corre mesmo e boa.

    ResponderExcluir
  21. BS, esse é um dos meus favoritos. A única coisa que poderia ser diferente é o ronco, pois os turbos tiram toda a sinfonia do V10. Mas pelo contexto, eu não ligaria nem um pouco.

    Dá pra ir ao mercado e depois ao track day, levando a familia e o cachorro.

    abs,

    ResponderExcluir
  22. Tem um comentarista que aparece aqui de vez em quando e sempre faz confusão. Menciona um errinho de português no texto do Bob, enquanto o próprio comentarista escreve "sedam" e "picku-ps". Sem contar que só este comentarista não percebeu que o Bob não chamou a RS6 de SUV.

    De certa forma, este comentarista é o ingrediente humorístico do AutoEntusiastas.

    ResponderExcluir
  23. Anônimo

    O downsing vai fazer muito bem pra RS6. Menos inércia, menos consumo, mais aceleração.
    Nun carro que já é turbo, o downsizing faz todo o sentido.
    Eu sinto a perda do V10 na M5, isso sim.

    ResponderExcluir
  24. Valeu Bob!
    Nascido e criado no mundo dos manuais dá nisso :-)

    ResponderExcluir
  25. O que me agrada é que, nessa época de tanto Batmóvel cheio de excessos na carroceria, essa RS6 chega discretinha pra dar um pau violento em quase todo mundo.

    Mas continuo impressionado com o peso desses carros, 2 toneladas a 300 por hora é assustador.

    Aliás, tanto peso é a razão para adotarem pneus de perfil tão baixo assim ?

    ResponderExcluir
  26. Italo, a conversa é outra mas... se isso é assustador a 300km/h, imagina aquele caminhão no deserto de sal a 365km/h!

    Gostei do V10 com cárter seco!

    ResponderExcluir
  27. Franklin disse: Tem um comentarista (...)

    Sugiro aqui a criação do troféu autoestusiANTA, e que ele seja concedido em três distinções crescentes: cum laude, magna cum laude e summa cum laude. Proponho ainda que o comentarista apontado pelo Franklin receba logo a distinção máxima.

    Chamar um typo, uma derrapagem de teclado, de erro de português é falta de assunto somada à vontade de pegar no pé. Trata-se de um artista.

    ResponderExcluir
  28. vamos falar a verdade, esse Lawrence é metido a entendido e acha que abafa mas não passa de um perôbo que só fala merda!

    ResponderExcluir
  29. Excelente carro para ir na padaria no domingão de manhã comprar uns pãezinhos antes de começar a formula 1 hein!!! (detalhe: de são paulo para padaria real em sorocaba ahahahah)

    ResponderExcluir
  30. Branco ou Azul? Que tal este preto fosco:
    http://www.coches.net/audi-rs6-avant-50-tfsi-v10-580-quattro-tiptronic-5p-gasolina-2010-en-madrid-24724769-covo.aspx

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. Duas toneladas?!?! Esse carro deveria ser reengenheirado pela Lotus, risos... Pela ficha técnica, parece um cofre equipado com um motorzão!

    ResponderExcluir
  34. Deu pra perceber que o Bob estava todo babado... O carro deve ser mesmo demais.

    ResponderExcluir
  35. Anônimo
    Tinha de dar para perceber mesmo! Ah, e tinha mais: um banco-concha opcional típico de carro de corrida!

    ResponderExcluir
  36. Homem-Baile, há dois problemas que afligem os carros de hoje, e que de certa forma estão interligados:

    1) Peso excessivo, que obviamente aumenta o consumo e também obriga a usar freios maiores, que por sua vez traduzem-se em rodas maiores. Tudo isso por si só traduz-se em mais massa não-suspensa, o que por si só já dificulta bem a vida da engenharia. E como efeito colateral, temos os tais pneus de perfil ultrabaixo que, além de caros, oferecem pouco ombro para suportar as pancadas do piso.

    2) Tamanhos excessivamente grandes para as categorias a que pertencem. Peguemos um modelo conhecido do brasileiro: o Punto. Em três gerações europeias, ele cresceu de 3,76 m para 4,03 m (1 cm a mais que um Corsa B Sedan), alargou-se de 1,62 m para 1,69 m e seu entre-eixos cresceu de 2,46 m para 2,51 m), sem que isso se revertesse obrigatoriamente em mais espaço interno.

    Em todo caso, já se vê reações a esses aspectos. Temos o conhecido exemplo do Mazda 2, cuja atual geração é 100 kg mais leve que a anterior sem precisar ter usado de materiais nobres ou esculachado na construção geral. Ele inclusive é mais curto que o sucedido (3,89 m contra 3,92 m).
    Já no combate às rodonas e freiões, a Michelin já apresentou um Citroën C2 que usa rodas de 10 polegadas com freios correspondentes, um conjunto que gera poder de frenagem igual ao possível em um comum de 14 polegadas. Uma foto do sistema apareceu em uma Autoesporte recente e também é impressionante o quanto menos de espaço ocupa, a ponto de a Michelin montar saias quando mostra o C2 com as rodas menores. Segue matéria sobre o referido:

    http://www.4rodas1volante.com/2010/08/pneus-do-futuro.html

    Só com rodinhas e pneuzinhos (e isso se pensarmos que o C2 tem rodas de tamanho bem contido em suas 14 polegadas), o C2 fica 40 kg mais leve. Já pararam para pensar no quanto emagreceria em área importante (a da massa não-suspensa) um carro com conjuntos aro 15 com mesmo poder de frenagem de convencionais de 18 a 20 polegadas?
    E, claro, daria para imaginar um C2 que fosse tão ou mais espaçoso que um carro atual de tamanho médio-pequeno.

    ResponderExcluir
  37. Francisco Neto21/09/10 19:03

    Vida longa às Peruas!!

    ResponderExcluir
  38. Arnaldo,

    "O galho desse tipo de carro é que depois perde todo o valor. Passados poucos anos não vale nadicas."
    Amém! Como dizem os ingleses, a depreciação é a maior aliada do entusiasta: quem sabe um dia, depois que essa Audi desvalorizar, nós outros, reles mortais, possamos ter uma na garagem!

    Outra coisa: quem disse que "com a família não se corre mesmo"?
    Algum tempo atrás, eu vinha por uma rodovia, no limite de 110 km/h, e minha mãe (66 anos), no banco do passageiro, lamentou que estivéssemos andando tão devagar...

    ResponderExcluir
  39. Bob,
    Carro fantástico!
    Mas, me diga, como é a rodagem com esses rodões? Ela consegue ser civilizado e espartivo ao mesmo tempo?

    ResponderExcluir
  40. Alexandre Zamariolli

    Que 110km/h, minha vó de 65 diz que se for para ir abaixo de 140km/h é melhor pegar o ônibus (de graça) rsss.

    Ela diz que não tem saco para dosar o acelerador, aí pisa sempre até o fundo...

    ResponderExcluir
  41. Fantástico!!!
    Apenas tenho dó de abastecer esse carro com aquele líquido fedorento que vendem no posto com o nome de gasolina e por o bichão para rodar nas crateras brasileiras...

    ResponderExcluir
  42. No Brasil simplesmente não a lugar para carros desse tipo ou qualquer outro carro esporte.

    Só se o o mesmo for levado de pranha até as autoestradas paulistas e retirada na saída. Como vai andar um carro desses em valetas, lombadas, ondulações, vagas que não cabem um Smart, etc?

    ResponderExcluir
  43. Anônimo

    Dar não dá, mas olha quantos carros "pregados" no chão, carros mil com rodas 17" e pneus 40 ou 35.

    Tem muita lacraia por aí mais baixa que muito Porsche 986/987 que vejo aqui.

    ResponderExcluir
  44. Sempre fui fãzasso de super-esportivo travestido de carro comum, desde os M5 E28.
    Quando ví uma Audi RS2 ao vivo pela primeira vez, quase infartei, minha namorada ficou com vergonha da babada que eu dei na carreta azul clarinha...
    Atualmente, com a mega que todo autoentusiasta merece, eu teria sérios problemas sobre o que colocar na garagem entre os Alpina (até abro mão dos "M" originais) uma RS infernal preto fosco, um dos incríveis Holden HSV ou Falcon FPV...
    Mas, COM CERTEZA, teriam dois: Um M5 E34, de apenas 315cv, e um Focus RS500.
    Só de pneu essa RS6 custa deve custar mais que o meu carro!!

    ResponderExcluir
  45. Sou suspeito pra falar sobre sedas/peruas esportivos.
    Essa RS6 é superlativa, apesar de perder nos comparativos para os compatriotas. Mas isso não faz diferença pra mim.
    Mas a minha a escolha natural cairia numa M5 E60 Touring, mas acho a E63 Touring e Cadillac CTS-V Wagon.

    ResponderExcluir
  46. Ah, e um pecado da Audi, nao existiu cor branca disponivel. :(

    ResponderExcluir
  47. O Arnaldo falou tudo...se aguentar comprar daqui a um ano....se paga no minimo 150 paus a menos.

    trabalhei 4 anos na Audi...sem bem do que eu estou falando...

    A minha preferida...RS2...bandida de grife...apesar da RS4 já ser um belo torpedo...que na relação peso potencia, quase se iguala a essa Lambo SW.

    ResponderExcluir
  48. Temos um modelo raro à venda na Só Veículos, Bob. Trata-se de um Audi RS6 Avant Plus Exclusive 2010/2011 com apenas 800km blindado pela Quattro. É uma versão especial: a número 186 de 500 unidades no mundo! Segue o link: http://www.soveiculos.com.br/getcar2.asp?id=2299

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...