Google+

25 de outubro de 2010

DESAFIO ESTRADEIRO


Corria o ano de 2005, e eu era ávido leitor da revista semanal inglesa Autocar, a mais antiga do mundo. Um belo dia, coloco as mãos no exemplar que está acima, pago no caixa e vou olhando para a foto, com dois carros maravilhosos, e já imaginado o que os ingleses malucos haviam inventado dessa vez, comparando um BMW com um Ferrari.

Ferrari F430, sucessor do fabuloso 360 Modena e BMW M5 com o recurso M-Sport haviam sido lançados há poucos meses e dividiam, junto com outros carros potentíssimos, os sonhos de entusiastas mundo afora.


Na matéria, intitulada "Twin Peaks", a revista perguntava se um carro que tinha 17 hp a mais, o dobro de lugares, um grande porta-malas, era 380 kg  mais  pesado e custava metade do preço, poderia bater um esportivo puro de motor central com emblema de cavalo empinado. Parecia piada de primeiro de abril, ou similar, mas alguns minutos de leitura esclareciam muita coisa.

Tudo começa, dinamicamente falando, na autoestrada a caminho do País de Gales, em busca de espaços abertos e pouco trânsito. Com o F430 vindo atrás, o autor da matéria, Steve Sutcliffe,  cravou o pé no acelerador em segunda marcha a 2.500 rpm e em 3 segundos o Ferrari estava a cerca de 10 metros atrás. Até 5.000 rpm do BMW era possível escutar o berro do V-8  Ferrari logo atrás, som que desapareceu após isso, quando o V-10 da fábrica de motores da Bavária  emitia um ruído descrito como "industrial", e provocava uma surpresa que ninguém esperava: aumentar a distância entre as duas máquinas maravilhosas.

Parada no acostamento logo à frente para uma troca de ideias, e sintonizar os cérebros com o que haviam acabado de presenciar.  O alemão havia acelerado mais que o carro italiano.

Depois de um tempo, já no País de Gales, em estradas de mão dupla, curvas apertadas, sem compensação de inclinação, ondulações e outras imperfeições, mais surpresas.

Aparentemente, esse era o ambiente perfeito para o F430, e para qualquer Ferrari com esquema de carro de corrida, com motor central. E um lugar hostil para um sedã grande e pesado.

Mas o que se viu foi novamente o M5 abrindo e abrindo espaço ao longo dessa estrada, e depois de alguns quilômetros, não havia mais Ferrari  a vista no retrovisor.

Obviamente a revista não iria terminar o trabalho por aí, e os motoristas tinham que ser trocados para eliminar o fato de que um poderia ter mais habilidade que o outro. Não se poderia simplesmente declarar que um Ferrari havia sido batido por um BMW e voltar para casa para escrever a estória.

E assim foi feito,  repetido o trecho sinuoso, com Sutcliffe agora a bordo do F430, com o mesmo resultado: Ferrari atrás, fora do campo de visão do BMW.

Houve também a tentativa de deixar o Ferrari na frente para ver o que acontecia, se este poderia despachar o BMW, mas não deu certo.

Nas palavras de Sutcliffe: "E foi isso. Não importa o quão forte eu tentasse, ou quão rápido eu dirigisse, ou quão conectado ou bem eu me sentisse enquanto fizesse isso, eu ainda não conseguia me soltar do cara no BMW".

O principal motivo pela disparidade que pegou a todos de surpresa, foi a faixa útil de distribuição de potência de ambos os carros. O M5 tem potência de sobra em todas as rotações, enquanto o Ferrari só brilhava acima de 5.000 rpm. No mundo real, fora de pistas de corrida, muito mais fácil para o pesado sedã alemão.

Além disso, o câmbio sequencial de 7 marchas do M5 era muito superior ao de 6 do Ferrari, em todos os sentidos. Velocidade de troca, qualidade do acoplamento da embreagem e ausência de trancos, reforçando as características de um dos grandes motores da história automobilística, o V-10 BMW.

Cinco anos se passaram, muita coisa mudou, novos modelos, motores, objetivos de mercados de cada carro. Mas ficou a marca de uma disputa com dois carros sensacionais, cujo resultado foi absolutamente de outro mundo.

Estórias que ficam para sempre marcadas na mente de quem as lê.

JJ

21 comentários:

  1. Esse BMW é literalmente um lobo em pele de cordeiro. Cordeiro Heavy Metal, mas ainda um cordeiro!

    ResponderExcluir
  2. Mister Fórmula Finesse25/10/10 08:25

    JJ: sou "seco" por sedans quentes de quatro portas, e posso confessar que como os demais farão, fiquei muito admirado com os resultados desse teste.

    A M5 sempre foi uma das minhas favoritas e quase atingi um orgasmo quando foi lançada a geração anterior (1995) do V8 acoplada a caixa manual de seis marchas.

    Eram quatrocentos cavalos, cifra incrível para a época - hoje coisa frugal - e aquele carro, na emblemática cor azul marinho, era a personificação da maldade vestida de sedan.

    Essa bmw M5 autal me sugere pura e simplesmente equipe Willians de fórmula 1, quando assombravam nas pistas em vistas do V10 da bmw que empurrava loucamente Schumi Jr. e Montoya pelas pistas afora, era o recordista de potência da época, pena que o chassis não dava o respaldo necessário...Ah, aqueles carros brancos e azuis, e agora essa M5, com um urro tão bonito e denso, coisa de macho mesmo, não uiva em agudo como um castrati como podemos ver em alguns esportivos, e isso é bom!

    Mas voltando à tona; que resultado é esse? Fiquei realmente espantado.

    ResponderExcluir
  3. Junior-Big25/10/10 08:52

    BMW Auto, der Rest ist die Unterstützung

    Quattro ist für sissies!

    ResponderExcluir
  4. Considerando que hoje você encontra os mesmos carros (BMW) a 215 Mil Reais (Webmotors) e a mesma Ferrari por 770 Mil.... Fico com a BMW. Vou comprar assim que vender o passatão! KKKKK

    ResponderExcluir
  5. Sempre fui fãzasso dos M5, principalmente do último 6 em linha, o E34.
    Taí uma sugestão de post, algo sobre os sedans que encarnam os super esportivos, e algumas vezes são melhores, como visto acima...
    Bimmer, Merças, Audi, Caddy, Ford e Holden australianos.

    ResponderExcluir
  6. Eu admito ser um fã incondicional daquela última geração de 6 cilindros, mas esse V-10 também era uma nave de outro mundo. Talvez com excesso de eletrônica para o meu gosto, mas uma verdadeira super máquina.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou suspeito para falar: adoro os sedãs de luxo com temperamento esportivo. Acho-os muito mais bacanas que qualquer super-hiper-ultra-mega-baita esportivo. Se eu salvasse a vida de uma filha de um sheik árabe, e ele me dissesse para escolher um carro de presente, Lambo, Veyron, Ferrari, Zonda, etc, nem passariam pela minha cabeça. Seria um Audi A8, he, he, he!

    Mr. Car.

    ResponderExcluir
  8. Pode ir até a lua, pode ser mais rápido, pode ser maior, mais confortável, sei lá.

    Não interessa, uma BMW nunca estará aos pés de uma Ferrari. É igual falar que um Gol quadrado preparado andou mais que uma Mercedes. O Gol continua sendo Gol, a BMW continua sendo a BMW.

    Adoro a BMW, sou fã incondicional e ainda terei o meu "série M", porém não tem como, Ferrari é Ferrari.

    ResponderExcluir
  9. Francisco Neto25/10/10 13:01

    Alemão sabe fazer carro.

    ResponderExcluir
  10. "Cinco anos se passaram, muita coisa mudou"... Verdade, apareceu o Nissan GT-R e botou no chinelo esses dois.

    ResponderExcluir
  11. JJ,

    resultado impressionante, para dizer o mínimo. e uma prova de que, carisma à parte, nem sempre o mais caro ou mais temido é a melhor escolha.

    Mister Fórmula Finesse,

    anteontem vi ao vivo uma M5 dessas da geração anterior (E39), V8, branco Sharp. já são sete anos e duas gerações depois dela, mas continua impressionante.

    ResponderExcluir
  12. M5 já!

    Se bem que sou suspeito pra falar já que não sou lá muito fã dos bólidos de Maranello.

    ResponderExcluir
  13. E tão polêmico que deu uma discussão de 21 páginas no Fórum M5Board

    http://www.m5board.com/vbulletin/e60-m5-e61-m5-touring-discussion/55228-autocar-m5-beats-ferrari-f430.html

    Tem a matéria scaneada na página 5 do tópico.

    ResponderExcluir
  14. JJ,

    Aproveitei o material scaneado e postei lá no meu blog (com os devidos créditos). Coloquei também um link para o seu excelente texto.

    ResponderExcluir
  15. nerddecarro,

    obrigado mesmo amigo. Agradecemos o link. Não sabia que tinha gerado tanta polêmica há 5 anos atrás.

    ResponderExcluir
  16. E teve "zebra" em outra categoria também há algum tempo.

    O Golf R32 deu uma lavada no BMW M1, era mais barato, mais espaçoso, mais confortável, mais estável, e foi 4 segundos mais rápido na pista que o M1.
    Procurem no youtube que aparece o link do Top Gear.

    AB

    ResponderExcluir
  17. Se bateu a Ferrari (será que bateu mesmo?) teria batido muita gente grossa, mas como sempre a Ferrari é parâmetro no mundo todo. Todos querem batê-la e quando, e se conseguem, correm para falar para todo mundo.

    Ferrari é Ferrari. Scusi!

    ResponderExcluir
  18. Dr. Sigmund26/10/10 12:20

    Ferrari é carro de exibicionista ou carente de atenção.

    Ponha uma melancia no pescoço com o adesivo ferrari colado nela que dá o mesmo efeito.

    ResponderExcluir
  19. As poucas AUTOCAR que possuo sempre me surpreenderam. Sempre tem alguma coisa não usual.

    Lembro que em 2008 eu estava na Rodovia dos Imigrantes, em velocidade impublicável, numa sexta de manhã rumo ao Guarujá, andando junto de uma F430 "passeava" por lá. Uma RS4 chegou e, depois de umas duas provocadas, saíram em disparada. A Ferrari ficou cerca de 100 metros pra trás da Audi em menos de 2km. Lindo de ver e ouvir.

    ResponderExcluir
  20. Ferrari=lixo italiano,hehehehehe

    ResponderExcluir
  21. Para o otário Maluhy:

    Lixo é você seu trouxa!

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...