Google+

27 de outubro de 2010

NÃO SÃO ESSENCIAIS, MAS AJUDAM MUITO

Fotos: Autor
O que está mostrado nas fotos acima (clique nelas para ampliar e ver melhor) são dois itens não essenciais nos automóveis, mas que ajudam muito o ou a motorista. Ambos existem em vários carros, mas estes são de um Citroën Aircross, modelo lançado recentemente e baseado no C3.

A da esquerda é do mostrador do limitador de velocidade. Entra-se com o limite, arma-se o sistema e o carro não ultrapassa a velocidade escolhida mesmo acelerando. Em tempo de "caça ao cidadão" para aumentar o faturamento de estados e municípios, essa é uma das boas armas contra a autoridade de trânsito imbuída de más intenções.

Mas se, por qualquer motivo, for preciso andar mais rápido que o limite escolhido, basta acelerar até o fim de curso, como se fosse uma redução de marcha ao acelerar rápido e a fundo um carro automático - sente-se até o pequeno aumento de resistência no pedal, tal e qual um kickdown de caixa automática ou mesmo robotizada.

O comando é por um conjunto de botões numa pequena alavanca espetada no lado esquerdo da coluna de direção (solução que prefiro ao de comando no volante), muito fácil de usar.

Já a foto da direita mostra outra alavanca, a de comando de sinalização e iluminação. O interruptor de luzes está na posição Auto, uma das maiores comodidades para o motorista que existe. Ele ou ela não precisam se preocupar em ligar farois, uma vez que a função passa a ser totalmente automática.

Entrou num num túnel? Ou num estacionamento? Veio o crepúsculo? Esqueça o comando de luzes. Até se você esquecer de ligar faróis o acendimento automático vem em seu favor.

Todo carro deveria ter esse dois itens. A atenção de quem dirige pode ficar para outras coisas bem mais importantes.

BS

37 comentários:

  1. Sobre o limitador tenho lá minhas restriçoes, mas para o motorista comum que nunca passou de 120, é uma grande idéia. E se o orçamento permitir, acionamento automatico do limpador, que no meu carro funciona 90% das vezes bem e tb o controle de velocidade que para viajar tb te dá um descanso é uma tranquilidade com relacao a multas.

    ResponderExcluir
  2. O segundo item deveria vir em todos os carros e o Brasileiro se habituar a usar.

    Atualmente o que tem pessoas (principalmente mulheres) que esquecem de ligar os faróis simplesmente por seus carros ficarem com o painel acesso sempre, não está escrito!

    ResponderExcluir
  3. Controle de velocidade acho interessante. É chato ir pra trabalhar e ficar monitorando velocimetro.
    Mas o controle automático dos farois... Torço um pouco o nariz. Em geral, acho que automação demais tira atenção e carinho pelo carro. Acho que é justamente pelos carros serem cada dia mais automáticos que estão se tornando eletrodomesticos.

    Hoje a condução urbana já se resume em: Acelerar, frear, direita e esquera. E como as pessoas não precisam dar tanta atenção pro carro, passam a dar atenção pro celular, pro DVD, pro GPS, e continuam defecando, ainda mais, pelo transito.

    Daqui uns dias nem dirigi-los mais faremos. Vide o caso do Google. Estavam desenvolvendo, em segredo, um software que dirige um carro. Anunciaram a pouco tempo, depois de milhares de kilometros já testados.

    Imaginem ler uma noticia em 2020 com os dizeres: "No próximo ano todos os carros deverão ter como equipamento obrigatório o módulo de direção automática. Motoristas trafegando (detecção por chip) em areas urbanas com o modulo desativado terá a habilitação cancelada."

    Parece utópico não é? Mas não vejo essa cena nem tão impossivel nem tão distante.

    Abs,

    ResponderExcluir
  4. Lubrico,
    O limitador é para ser amplamente usado na cidade também, está cheio de radar/detector por aí. Na foto está ajustado para 75 km/h, para ficar no limite de muitas avenidas, como a av. dos Bandeirantes aqui em São Paulo.

    ResponderExcluir
  5. Guilherme Costa,
    Tem razão, e esse dia não está longe.

    ResponderExcluir
  6. Pior é que, em muitas vezes, esses carros de faróis apagados possuem o acendimento automático.

    ResponderExcluir
  7. Lubrico,
    Já o acionamento automático do limpador não faço questão, desde que o interruptor tenha a posição uma-varrida, que considero essencial.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Aí é que a Citroen (não pode mais usart o trema hehehe) ganha terreno. Desde 2001, ou talvez até antes, ela oferece o controle de velocidade (nas caixas manuais era apenas o sinal sonoro). O sensor de chuva era "de série" para toda linha Exclusive e opcionais para os GLX feitos na França (alguns eram uruguaios e não tinham). Apesar de não haver sensor de luminosidade em 2001, o modelo oferecia um conjunto ótico integrado móvel com milha e neblina que nunca vi igual.

    ResponderExcluir
  10. Sacco, Ricardo
    O trema continua a ser usado nos nomes próprios, como em Nürburgring.

    ResponderExcluir
  11. são 2 funções que agradam muito mesmo! utilizo as vezes um 206 modelo Feline que possui o sensor crepuscular em questão e é muito útil, assim como o sensor de chuva. Pena que esse tipo de item ao meu ver não faz sucesso com o público brasileiro. Muitos veem como "frescura". O que faz com que poucos carros tenham esses bons itens.

    ResponderExcluir
  12. Não fazia questão destes itens, mas atualmente tenho um C4VTR que possui estes acessórios e acho que sentiria falta do acendimento automático dos faróis, principalmente em rodovias, como Imigrantes, com muitos túneis. Um grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Rodolfo Milet27/10/10 20:17

    Gostei de ler o termo "limitador de velocidade", que é o correto; mas já cansei de ler em várias revistas e sites que tratam do equipamento como "piloto automático", o que é definitivamente não é.
    Outros utilizam o termo em inglês, cruise control (velocidade de cruzeiro).

    ResponderExcluir
  14. Bob,
    Sorry mas discordo. Limitador de velocidade é o fim da picada. Cada "piloto" sabe como fazer ainda mais se for um auto entusiasta. E tem que obedecer as leis, ainda que idiotas como sabemos que são.
    A China, rainha da eletrônica inventou sensores para acender as luzes. Creio que isso foi feito para meia dúzia de idiotas que dirigem hoje,sem noção do que estão fazendo! Qualquer ser "normal" sabe quando ligar as luzes. Detesto estes monitoramentos imbecis e que nos tratam como tal. É, temos que considerar que somos um País sub-desenvolvido mas com algum potencial ! Vamos colaborar com algo importante. DILMA NEVER !!!!

    ResponderExcluir
  15. Alfredo Affonso27/10/10 21:51

    Meu carro tem o acendimento automático de faróis mas nunca uso. Sempre ando com o farol baixo aceso pelo menos, conforme os Volvos europeus funcionam a muito tempo, e acho q agora é obrigatório na europa, já q a maioria dos carros europeus agora vem equipados com luzes diurnas, geralmente leds.

    ResponderExcluir
  16. Quando morei em Portugal dirigia um 207 que foi alugado pela empresa. Ele possuia ar condicionado digital de duas zonas e o tal acendimento automático dos faróis, uma verdadeira mão na roda! E ainda tinha função "folow me", que mantém o farol aceso por "x" segundos, normalmente tempo suficiente para se chegar ao elevador. Ô saudade...

    ResponderExcluir
  17. "falow me" se não me falha a memoria, muitos carros nacionais tem. inclusive Palio e Peugeot 206/207 desde a versão de entrada

    ResponderExcluir
  18. Não gosto de nenhum recurso citado, Bob. O esquema da velocidade, desde que seja um aviso luminoso no painel, é suficiente. Fora isso, não gosto do carro tomar decisões em meu lugar. No caso dos faróis por exemplo, eu os uso ao amanhecer e entardecer.

    Ao mesmo tempo que livra-se o motorista de responsabilidades básicas com tanto frescuragem embarcada, instala-se DVD, IPOD, smartphones....

    ResponderExcluir
  19. Sim, eu sei que é possível acender os faróis em modo "manual", quero dizer que considero dispensável tal recurso e que ele deixam nossos motoristas ainda mais relapsos.

    ResponderExcluir
  20. Esses aí até dá para aceitar, não no meu carro, mas dá.
    Inacreditável é sensor de chuva para ligar limpador de para-brisas. Esse sim é um acessório criado para quem acha que todos os motoristas são deficientes mentais.

    ResponderExcluir
  21. Concordo com o JJ e com o Guilherme Costa.
    Daqui a pouco qualquer debil mental poderá dirigir carro (que é mais ou menos o que vemos atualmente).
    Gostava muito mais da época em que, para dirigir carro, o cara tinha que manjar muito. Hoje virou palhaçada.

    ResponderExcluir
  22. São itens realmente muito interessantes de se possuir no veículo pois auxiliam na condução segura do veículo e eu incluiria a regulagem da intermitência do limpador de parabrisas. Em alguns Escorts do início da série eram até comuns. Ajuda muito pois hora está rápido, ora lento demais. Tambem a alternância de iluminação interna (IP) dia e noite.

    ResponderExcluir
  23. No meu Focus tem o controlador de velocidade e acho muito útil. Funciona muito bem, melhor que o da Tucson do meu pai.

    É só ajustar a velocidade, na máxima da via e esquecer o acelerador.

    Infelizmente o Depenation Team tirou o acendimento automático nos Focus direcionados para o Brasil (nos para o mercado argentino tem, e na versão 11 e 1/2 também virá) acredito ser útil se funcionar corretamente.

    O sensor de chuva não tem e eu não gosto, prefiro o temporizador ajustável, bem mais útil.

    Outro que acho muito prático e seguro é o comando de som remoto. Basta deslocar um dedo do volante para ajustar o básico do som.

    ResponderExcluir
  24. Bob,


    O Mégane, hoje somente na versão Dynamiqué, vem com esses equipamentos citados no texto (limitador de velocidade e sensor crepuscular), além do controle de velocidade mesmo na versão manual. Eram equipamentos da versão Privilége que acabou e passaram a ser série no modelo.

    O Mégane é como o Focus MK1, carro excelente que o mercado nunca aceitou.


    Abs,

    ResponderExcluir
  25. Janssen da Costa Arcoverde
    A rejeição ao Mégane é um caso típico de "cegueira de mercado". É um projeto e produto excelentes.

    ResponderExcluir
  26. Raphael Hagi
    Se não houvesse, como eu disse, a "caça aos bandidos" mediante o exército de radares ou detectores de velocidade que existe hoje e que não para de crescer, não haveria utilidade para o limitador (não é o controlador automático) de velocidade. Ele só serve para evitar que a distração normal com o pé direito se seja apanhado em excesso de velocidade não intencional. Fora que que, repetindo, se precisar acelerar o final de curso prevalece sobre o limitador. Por isso acho-o útil. Sobre faróis ligados como você usa, dois problemas. Um, sempre incomoda um pouco o tráfego contrário, mesmo bem regulados. Outro, anda-se com lanternas traseiras ligadas o tempo todo, o que não é bom, pode confundir que vem atrás. Por isso é que advogo o farol de meia intensidade para uso diurno, em que só os faróis ficam ligados para sinalizar e, principalmente, não incomodam.

    ResponderExcluir
  27. Luiz Dränger
    O limitador - acelerar o quanto se quiser mas o carro não ultrapassa a velocidade selecionada - é de grande valia como defesa contra bobeadas e ser flagrado em excesso. Acho um recurso da maior utilidade. De novo, se for preciso acelerar, basta dar um kickdown. Não vejo nenhum inconveniente em se dispor de tal recurso e tampouco desmerecimento das habilidades do motorista. De mais a mais, o limitador e o sensor crepuscular são usados à discrição, quando se quer. Não é obrigatório.

    ResponderExcluir
  28. Rodolfo Milet,
    Atenção que uma coisa é limitador, outra coisa é controlador automático de velocidade (cruise control, "piloto automático"). O carro citado tem ambos.

    ResponderExcluir
  29. Alfredo Affonso,
    O que muitos carros na Europa e Canadá têm é o Daylight Running Lamp (DRL), farol de uso diurno, um farol mais fraco que o normal, em que só ele fica ligado, ficando as luzes traseira apagadas. O farol baixo sempre incomoda um pouco, ao passo que o DRL, não.

    ResponderExcluir
  30. Depois de inúmeras multas por velocidade, rendi-me a usar o limitador, está lá, ajuda sim, até na cidade, a percepção de velocidade vem caindo, antes nos carros sofisticados, hoje em qualquer mediano, os radares se proliferando, enfim.
    Em carros automáticos, alguns até fazem a redução de marchas para você.

    CZ

    ResponderExcluir
  31. Quanto mais automação melhor. Carro todo manual é muito bom num autódromo, mas no dia a dia das cidades nada como o conforto e bem estar.

    ResponderExcluir
  32. O Camaro é um carro curioso, pois a alternância de gerações sempre nos brindou com lindos desenhos seguidos de aberrações automotivas, para um renascimento posterior.

    A primeira geração é indiscutivelmente bela, principalmente pelos faróis escondidos.

    Jã o Camaro de 2ª geração é pra mim o mais feio de todos, apesar que "indo" (visto de costas) sempre foi um dos mais bonitos. Mas essa frente é de matar...

    Na 3ª geração novamente ponto pra Chevrolet, que criou uma máquina que está na minha lista de carros que gostaria de ver na garagem: O Camaro IROC-Z com suas linhas retilíneas e proporções perfeitas.

    Já a 4ª geração voltou ao exagero de formas da 2ª e enterrou o carro de vez em termos de design. Merecidamente, a Chevrolet descontinuou sua produção e levou quase uma década para reeditá-lo, para ter certeza que não iria fazer feio.

    Hoje, na 5ª geração, temos novamente um carro inspirado, com um design que se não é unanimidade frente ao Ford Mustang ou ao Dodge Challenger, ao menos presta uma boa homenagem à belíssima primeira geração.

    ResponderExcluir
  33. Marcelo Augusto28/10/10 20:31

    Uma prova de que o brasileiro é bem burrinho é não ter aprendido até hoje como jogar com as regras da fiscalização fotográfica.

    ResponderExcluir
  34. Zé da Silva29/10/10 09:17

    Como faço parte dos brasileiros burrinhos, poderia me elucidar como fazer para jogar com as regras ?

    ResponderExcluir
  35. Dãããããã~!
    Queria ver um deste pilotos modernos pilotando um "Ford Bigode"!
    MH

    ResponderExcluir
  36. Bob,
    Na minha opiniao a maioria dos acessorios vem para dar conforto e segurança e nao para tirar o prazer em dirigir...
    Devemos reservar toda nossa atençao para o transito e, o quanto menos o carro exigir nossa atencao, melhor será...
    Tenho convicçao de que dirigir com farois ligados, o tempo todo, deveria ser norma obrigatoria em qualquer lugar do mundo, nao so na Europa...
    Esse detalhe ja me ajudou diversas vezes com pedestres desatentos a cruzarem as ruas...
    É interessante como as pessoas se colocam em alerta quando vêem um farol aceso, mesmo durante o dia.
    Alem disso, nossas estradas de asfalto cinzento, sujas de terra e com vegetaçao no acostamento sao otimos esconderijos para um veiculo da mesma cor... Principalmente quando ele surge a sua frente no crespúsculo, durante uma ultrapassagem...
    Tao importante como ver é ser visto...
    Seja visto:mantenha sempre os farois acesos!
    Abs
    Paulo Jurandir

    ResponderExcluir
  37. Carros de verdade existiram até a deca da de 70 (exceto fora do brasil)
    cada um com suas características marcantes que
    realmente davam vida aos carros.
    Hoje em dia os carros populares são só um monte de copias
    uns dos outros
    feitas de lata

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...