26 de outubro de 2010

PK FOI AO SALÃO


Acabei de voltar do Salão do Automóvel. A pergunta que todos fazem, mesmo que a si próprios, é o que mais gostamos no Salão. Fizeram-me essa pergunta na saída e eu não soube responder de primeira.

Refleti sobre esse fato e pensei em possíveis razões pela minha falta de resposta. A primeira delas é que talvez pelo fato de ter visto muitos carros de diferentes marcas tudo acabou se embolando. Mas aí lembrei do Mercedes-Benz/AMG SLS GT3 cromado e seu ronco ensurdecedor. Lembrei dos Lamborghinis, do Pagani, do Koenigsegg, do Veyron e de alguns outros. Mas mesmo assim não achei um destaque. Algo que tivesse marcado minha memória.

Então achei que essa sensação pode ser pela mesmice de sempre que é esse Salão. Os estandes sempre nos mesmos lugares, e o jeitão deles sempre parecidos com os dos anos anteriores. É Celta, Palio, Gol, Logan, Fiesta e outros. Alguns carros-conceito mais elaborados, feitos pelas matrizes (e alguns locais), e outros que mais parecem séries especiais. Alguns até muito legais. Mesmo esses esportivos, muitos deles se repetindo. Achei tudo meio déjà vu.

Pode ser que a velocidade com que recebemos e procuramos informações diariamente deixem tudo "velho" com muita facilidade. Ou pode ter sido apenas um dia de mau humor.

Mas insistindo para tentar responder a pergunta que me fora feita, cheguei a uma conclusão. Não exatamente sobre o que mais gostei, mas sobre o que mais me marcou nesse Salão.

Uma das partes que adoro ver é o fundão, que costumo chamar de lado B. Nesse ano há muito menos estandes de tuning e no lugar onde eles costumam se amontoar estão várias marcas chinesas. Acho que nem consigo lembrar todas as marcas de cabeça: Chery, Jac, Brilliance, Effa, Haima, Chana, Jinbei e a MG (que agora é chinesa!). E os modelos? Acho que nunca vou guardar todos os nomes - nem quero tentar.

Examinei muitos carros dessas marcas e é muito fácil notar que estão bem aquém das marcas já estabelecidas aqui. O Brasil, que com a crise que afetou muito a Europa, agora é o quarto maior mercado do mundo, só superado pelo Japão, Estados Unidos e China, este o primeiro. Então, todo mundo quer vir para cá. Mas eu gostaria de saber que são os clientes que vão comprar todos esses carros estranhos. Pode ser que seja aqueles que só pensam no preço. E com tantas marcas, acho que elas vão brigar contra elas mesmas. Algumas delas estão entrando pelos segmentos de utilitários, com vans e caminhões pequenos, de baixo custo, onde acabamento e beleza não são requisitos essenciais. Acho esse caminho o mais apropriado.

A Chery, maior marca da China e com apenas 13 anos de vida, me parece a mais evoluída. Já declarou intenção de construir uma fábrica no Brasil. O Bob Sharp já avaliou o Face e achou bom. O Cielo também me parece bom. Novos modelos estão sendo apresentados.

A nova JAC, assim como a Chery, anuncia 3 anos de garantia. Deve ser uma condição mínima para conseguir alguma confiança - mesmo que desconfiada - do consumidor. Diz que seus carros têm design italiano. Dificilmente alguém acreditaria nisso. Os interiores também são muito sofríveis. Chama a atenção de a maioria dos modelos ter suspensão traseira independente. Resta saber se a calibração é decente. No estande da JAC tem até um modelo elétrico de autonomia estendida, mas não havia nenhum informação sobre o carro..

O interessante é que nessa mesma área onde as chinesas estão também estão marcas do outro extremo do mercado como a Aston Martin, a Bentley e a Bugatti. Os pobres estão melhorando de vida, e os ricos ficando muito mais ricos.

E muito mais pela incitativa do que pela representatividade, acho que o Vorax, da Rossin- Bertin, desenhado, projetado e construído no Brasil, merece um destaque. O carro que anda muito falado por ser um superesportivo brasileiro, é realmente interessante. Pude ver o modelo e gostei muito do desenho da carroceria, que é do Fharys Rossin, que já integrou o AUTOentusiastas logo no início, quando era um grupo de discussão. O chassi, também exposto está sendo desenvolvido pela Alcoa, e a carroceria será de plástico reforçado com fibra de carbono. O protótipo pesa pouco mais de 1.000 kg e a versão de produção deve ficar por volta de 1.200 kg. A mecânica deve ser BMW. O carro está no estand eda Platinuss, ao lado do Pagani Zonda R.

Em suma, chineses que não quero nem de graça (ao menos por agora), carros dos sonhos que dificilmente poderei ter ou até dirigir, e uma promessa de um superesportivo nacional que fico na torcida para dar certo.

Faltou comentar a ofensiva de novos produtos da Hyundai e da Kia. Se os chineses seguirem o mesmo caminho podemos esperar uma grande mudança no cenário das marcas que ocupam a liderança de mercado atualmente.

Foi isso que ficou desse salão.

Entre as chinesas apareceu a picape Plutus(!) da Effa, uma cópia da Chevrolet Colorado americana.


Entre os carros dos sonhos estavam o Aston Martin Rapide, novo concorrente do Panamera, o Bentley Continental Supersports, o Mercedes SLS GT3 e o supercarro Pagani Zonda R.


O Vorax e seu desenho que ao vivo é muito melhor que em fotos.


Também gostei de outros modelos.

O solitário Seat Ibiza Cupra no fundão do estande da VW.



O TT da Peugeot, o RCZ.



O compacto Audi A1.



E na Honda gostei foi de uma moto, a VFR 1220 F com caixa automatizada de dupla embreagem que dispensa o manete de embreagem podendo ser utilizada no modo automático ou com trocas por botões. 


E também descobri o que me faz preferir o desenho do Mustang ao do Camaro. Não que o Camaro seja feio, longe disso! Mas é que o Camaro chega a ser caricato demais, muito transformer, enquanto o Mustang é mais atemporal, menos modismo. Mas como carro continuo preferindo o Camaro.

PK

32 comentários:

  1. Estou contando os minutos pra entrar numa Chana no Salao desse ano.

    ResponderExcluir
  2. Dos carros que vc postou:

    -O Camaro é demais! O meu filho me fez parar o carro uma vez pra tirar uma foto ao lado de um Bumblebee.
    -A Colorado-fake: Como toda cópia descarada chinesa, é estranha... A frente ficou grande, pneus finos o interior despojado em excesso.
    -Os super-carros nem temos o que falar, o SLS parece uma miniatura e queria só o adesivo do Nurbur com o tempo recorde.
    -O Vorax parece ser sensacional mas não sei se será um negócio interessante. O carro é, muito.
    -Seat Ibiza, acho que a Seat perdeu a mão no desenho dos seus carros. Se vier até no máximo 50 mil, pode ser interessante.
    -Peugeot RCZ, muito legal mas não pode vir custando o valor de um TT.
    -Audi A1, não gostei.
    -A VFR, pra variar, é uma revolução para as motos. O visual lembra das antigas BMW K.

    ResponderExcluir
  3. Legais os seus comentários Galto. PK

    ResponderExcluir
  4. Não sou fã de VW, mas sou muito mais um SEAT que um Jac, Chana, Chery ou seja lá mais quem...
    Quem viver verá...Se esses chineses emplacam por aqui....

    ResponderExcluir
  5. Poxa, trabalhei no Sydney Motor Show semana passada, e a Aston decidiu nao participar, Eu queria muito ver o Rapide, na minha opiniao o mais lindo de todos esses da nova linha de esportivos executivos de luxo.
    O seu SLS era cromado, o nosso era preto fosco. Fantastico, mas segundo a Merc so a pintura custou $60,000, o que soa ridiculo, principalmente pelo fato de vc nunca poder lavar o dito cujo sem estragar o acabamento.
    Nao gosto do RCZ, como nao gosto de nenhum Peugeot. O TT eh muito melhor, em todos os sentidos.

    ResponderExcluir
  6. Eurico Jr.27/10/10 08:40

    PK,

    Falando nos chineses, o que você achou da Haima, a "Mazda genérica"? Estou bastante curioso para conhecer os produtos dessa marca, dizem que é uma das chinesas menos piores, ao mesmo nível da Chery.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Mister Fórmula Finesse27/10/10 08:41

    Belas fotos!

    Como sou militante até de salão agrícola de quermesse, penso como deve ser grandioso um evento desses.

    Mas concordo que a parte de cima da fauna automobilística não deve diferir muito dos diversos outros salões que podemos acompanhar nas ondas na internet. E olha Punto, Gol e assemelhados não emociona muito ninguém...

    Faz muito bem em olhar a turminha do china in box, assim dá para ter uma idéia de quanto eles poderão evoluir no salão do ano que vem. Não duvido muito do potencial deles não. Daqui a pouco, eles atiram um saboroso motor de alumínio nesse "Pluto" ali - fruto de associação com outra marca - capricham no acabamento e teremos um produto mais interessante que a nossa jurássica S10, que ano após ano, recebe pesados investimentos em logotipos e adereços de plásticos.

    Claro que é um devaneio, mas a inércia industrial chinesa - ou melhor, de qualidade - a qualquer momento pode ser catapultada, queimando etapas para cair matando no mercado mundial.

    É bom sempre conferir, e as fabricantes nacionais abrirem o olho...

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Vamos lá... Não fui e provavelmente nem vou a esse salão...
    De qualquer jeito concordo com a maioria das conclusões do autor.

    Aguardem os chineses, ao contrário da nossa sociedade que não gosta de estudar, desenvolver produtos de alto valor agregado ponta por conta própria, nos falta empreendedorismo e muito o que é um pecado em uma terra abençoada como o Brasil, sempre se apoiando nos conglomerados estrangeiros, os chineses vieram para "rachar"; eles fazem praticamente tudo com tecnologia própria mesmo que existam joint-ventures por lá e não é uma ou outra nacional, são dezenas de fábricas; ainda ficam devendo em diversos itens mas isso é questão de tempo, pouco tempo. Assim que fizerem como as coreanas que investiram maciçamente em design; a coisa vai ficar feia para a concorrência!

    O CRZ é a prova cabal que exime das críticas as chinesas por cópias descaradas... Infelizmente as fábricas copiam-se umas as outras compulsivamente; faz tempo q o design da Peugeot não marca um belo “gol” e pelos conceitos mostrados ultimamente isso ainda vai demorar a acontecer mesmo com a recente mudança do diretor de design.

    O Aston-Margin Rapide é lindo; muito mais bem conformado que o criticado Porsche Panamera... Agora, quem puder experimentar o espaço interior dos dois, repare na diferença. Um é lindo e apertado e o outro feio e espaçoso. Espaço interior não resulta obrigatoriamente em desarranjo estético, mas devido a herança estética do 911 e as dimensões externas do alemão ficou complicado harmonizar tudo. Se a carroceria do Panamera abaixo da linha das janelas fosse meio metro maior e 10 cm mais largo o resultado seria muito melhor mantendo a mesma filosofia de projeto.

    Eu gostaria de entrar no capítulo superesportivo brasileiro; no design, tem algumas coisas que eu gosto como os grandes faróis abre-alas e outras q são dispensáveis como alguns vincos laterais que só poluiram o visual e impossibilitaram a tradicional "character line" ou linha lateral presente na maioria dos carros.

    Por ser uma marca inteiramente nova podia ter ousado muito mais na aerodinâmica; incorporando a eficiência aerodinâmica (menor área frontal + aumento de efeito solo para maior estabilidade dinâmica) ao design; se bem q com esse layout de suspensão complica realmente... Mas o q custa colocar um extrator de ar das caixas de rodas? ( a poderosa Bugati Veyron ficou mais de 1 ano tentando resolver problemas de estabilidade em altas velocidades porque o designer se recusava a colocar um extrator...) Os freios serão maiores? As lanternas traseiras serão maiores? Estão escondendo tudo isso para o carro de produção? Espero que sim!

    Ao mesmo tempo que fico super contente pela notícia da produção desse superesportivo, fico apreensivo com a falta de alguns itens “básicos” presentes a muitos anos em outros carros dessa categoria que fazem muita diferença positivamente em todos os sentidos e vão concorrer com o bólido brazuca.

    De qualquer maneira estou torcendo pelo projeto, é só o q posso fazer.

    Sobre a sensação de déjà vu do autor, é plenamente compreensível. As fábricas ainda mantém a abordagem conservadora de como fabricar um automóvel. Então por mais novos e potentes que seja os modelos já estão datados fruto de um modelo de produção praticamente exaurido. Quando será que componentes realmente inovadores entraram em cena? Quando peças mecânicas injetadas em plástico serão maciçamente aplicadas nos projetos barateando e fazendo carros mais leves, baratos e econômicos?

    Quem pensar “out-of-the-box” (fora da caixa) primeiro vai ter uma vantagem competitiva imbatível. Segundo os meus estudos é possível resumir um conjunto de suspensão inteiro em uma única peça oscilante feita de plástico injetado, espero que mais alguém esteja pensando nisso com alguma influência para melhorar as coisas; porque se não o déjà vu vai continuar... Porque realmente não tem nada novo...

    ResponderExcluir
  10. Lawrence,
    Porque classifica o Peugeot como cópia?

    Eurico,
    Eu vi um Haima desse baseado no Mazda 2 aqui na Alemanha, em exibição. Imagine um Mazda 2 todo torto usando tecnologia de construção de Gol quadrado. Mas também gostaria da opinião do PK sobre estes carros.

    Quanto ao esportivo brasileiro gosto da iniciativa. Pelo que andei lendo é o modelo nacional com maior investimento em projeto em nossa história. Espero que dê certo.

    Quanto aos chineses eles seguem o mesmo caminho de japoneses e coreanos, porém não "vergonha" de copiar modelos existentes, o que revela uma ética de projeto não aceita no Ocidente e em outros lugares da Ásia.

    ResponderExcluir
  11. Rodrigo, para mim o modelo francês é uma cópia descarada, piorada e mais feia do Audi TT... Quem vê esse carro e não se lembra imediatamente do TT? Deve ser metade do preço do alemão na europa porque se não encalha.

    Poderiam ter feito algo muito mais elegante e fluido, disfarçando a linha do teto idêntica a do tt, como o saudoso Opel Calibra em sua época que mesmo derivado de um sedam, o vectra, não precisou copiar receita de ninguém embora lembre vagamente os Citroën com o conjunto ótico frontal mais afilado.

    Faz tempo q o Design da Peugeot está devendo. Tomara que o novo diretor de design acerte as coisas por lá ao invés de recorrer a Pininfarina como fizeram com o 206. Mas a coisa está feia, eu pelo menos não gostei do último concept mostrado por eles que sinaliza a nova identidade visual dos carros com a marca do leão.

    Se a Peugeot copia o conceito do carro e suas linhas principais porque uma chinesa não pode copiar? Aliás, o processo de aprendizagem é esse mesmo, primeiro se copia e paulatinamente vai ser aprimorando o produto até que este fique tão bom que seja por sua vez copiado.

    Imagine como seria a Europa hoje se não tivessem copiado a fórmula da póvora chinesa? Alguém pagou royalties para os asiáticos?

    Se a cópia fosse proibida na indústria automotiva Europeia, não existiram tantas montadoras como temos hoje apesar do processo de compra que ocorreu nas últimas décadas com várias marcas sob um comando único.

    Graças as sucessivas cópias, a aprendizagem e melhora dos carros e seus conceitos que temos esses produtos “maravilhosos” a nossa disposição.

    Para mim essa choradeira europeia com relação aos chineses é igual a dos gringos que querem proteger as nossas florestas... Devastaram tudo por lá e agora querem meter o bedelho aqui com a desculpa esfarrapada que não querem q cometemos os mesmos erros... Sem entrar no mérito da matéria; lógico que toda a preservação e mínimo impacto ecológico é bem vindo; apenas para destacar o batido paradoxo: faça o q eu digo mas não faça o q eu faço...

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. PK,

    O que achou do Fiat Mio ao vivo?

    ResponderExcluir
  14. Lawrence,

    Tomando como base sua comparação Peugeot x TT, você entende que Camaro x Challenger x Mustang são cópias também? Opel Calibra e Peugeot 406 nos anos 90 eram cópias? Scirocco e C30 são cópias também, afinal é impossível olhar o VW e não lembrar do Volvo?

    Sobre a questão geral de cópias: se eu pegar seus projetos, inclusive o da van e todas horas de trabalho suas nele, colocar em meu portfolio, produzí-lo e fazer dinheiro com isso, você acharia normal? Pense nisso.

    ResponderExcluir
  15. Passa tempo27/10/10 14:21

    Pô, bem que poderíamos continuar o título desse texto!!!!!

    Eu começo:

    PK Foi ao Salão...

    fazer depilação...

    ResponderExcluir
  16. para se encontrar com o...

    ResponderExcluir
  17. Senti uma tremenda falta dos "hot" hatches. Eles ficaram literalmente de fora.

    ResponderExcluir
  18. PK
    Tive a mesma sensação que você teve, a de déjá vu. Quase não foi preciso consultar o mapa para encontrar os estandes...

    ResponderExcluir
  19. O vorax ficou bem legal hein!

    poderia se distanciar um pouco da bmw Z4 no design... acho que parece uma Z4 tunada... o que para um carro com as pretensões dele não é bom...

    mas achei TOP mesmo assim.

    tomara que dê certo.

    ResponderExcluir
  20. Rodrigo,

    O Camaro lançado em 1966 foi um "resposta" da GM ao Mustang nascido 2 anos; mas pelo menos não copiou descaradamente a linha de teto e o volume do carro. Também não custava a metade do preço. Competia de igual para igual no mesmo segmento com personalidade própria. Para mim é bem diferente pois são dois projetos que embora compartilhem algumas similaridades buscando o mesmo público são bem diferentes. O Challenger nem se fala; foi uma resposta ainda mais diferenciada e tardia.

    Quanto aos demais que você cita, eu discordo, não me lembro imediatamente do volvo quando vejo o modelo da vw embora os dois sejam hatchs. O modelo alemão não copia descaradamente a terceira porta sueca nem seu volume básico por exemplo. Não os vejo como concorrentes.

    Agora, quem trabalha nessa área; gostemos ou não; corre o risco da cópia se fizer um bom trabalho.

    Sim, eu espero que vc me copie a não ser que não veja méritos na minha van, e não apenas isso; eu espero que você absorva as melhores ideias e dê o seu toque pessoal além de melhorar os pontos fracos. Se isso acontecer de alguma forma já estou satisfeito pois o trabalho foi aproveitado; dependendo do caso caso você queira acelerar os trabalhos vai me chamar para ajudar pois depois de tanto trabalho conheço os pontos fortes e fracos do projeto; coisas que nem sempre estão expostas.

    Aí sim as coisas progridem, tira-se partido do que existe porém competindo com suas próprias armas e méritos. O público reconhece isso e dificilmente esse modelo francês clonado vai fazer sucesso por uma razão muito simples; quando você luta no “terreno inimigo” está fadado ao fracasso.

    Por essa mesma razão fico apreensivo com o superesportivo brazuca... O vejo lutando em terreno largamente dominado pelo “inimigo” sem inovações suficientes para suprir deficiências técnicas frente aos concorrentes diretos. Agora se é verdade que já venderam 3 Ferrari GTO, é sinal de mercado aquecido para a absorver esse supercarro. Eu abordaria esse mercado de forma completamente diferente, começando por um V-8 da GM muito menor, mais simples, barato, tão ou mais potente com centro de gravidade mais baixo e simples de manter; várias opções de potência, emissões controladas e quase indestrutível... Mas fazer o q? Estou torcendo pelo sucesso do novo carro.

    Esse mercado é assim, todos se copiam mas os melhores apenas se inspiram nos melhores exemplos, quem não gosta é melhor mudar de ramo...

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  22. Mister Fórmula Finesse28/10/10 09:15

    Lawrence, o esportivo brazuca terá a seu favor certa exlcusividade do V10 bmw sobrealimentado, um bloco que inclusive irá se aposentar com a atual geração M5, por isso, em um mercado tão restrito, isso contará pontos importantes para quem quer algo realmente fora de série.

    O bloco V8 é interessante para nós, e tão atrativo como um motor AP para os mercados realmente exigentes.

    Se capricharem um pouco mais no teto, coluna A, e nas laterais...(na minha leiga opinião), o carro será um petardo bem respeitável!

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  24. Lawrence,

    Se tirar a peça de cromo acetinado que enfatiza o arco de teto do Pug o que mais tem de TT ali?

    É preciso ter critério e cautela pra usar palavras como cópia ou plágio. Não dá pra falar que tudo é cópia. Há benchmark, e isso todo mundo faz.

    Se formos por esse lado seres humanos são todos cópias uns dos outros - porque a base é a mesma - e não somos.

    Quanto à questão do projeto me admira seu altruísmo. Talvez se tivesse investido milhões e empregasse centenas de famílias não pensasse assim se alguém usasse sua propriedade intelectual. Até os chineses estão vendo que isso não funciona muito bem...

    ResponderExcluir
  25. Mister Fórmula Finesse,

    É uma forma válida de ver a questão, mas olhando o chassis apresentado; que deve receber muitas melhorias até o lançamento da versão de produção; eu sinceramente acho um V-10 um pouco demais. Mas concordo que vai ser um belo chamariz para seduzir os consumidores.

    Olhando por outro lado, esse V-10 vai ser aposentado justamente porque já está obsoleto. Se não, pq seria aposentado?

    Aí muitos pensarão, ah, está obsoleto por causa das normas de emissão cada vez mais restritas... Eu discordo pois é um motor caro, complexo e q já não entrega tanta potência em relação aos concorrentes muito menores, baratos e simples.

    Houve até um ensaio para uma associação da BMW com a arqui-rival Mercedes-Benz faz pouco tempo para o desenvolvimento de uma nova geração de motores V-12 para você ver como a situação é crítica. Até aonde eu sei o investimento seria muito vultuoso; os arqui-rivais se desentenderam em várias questões e o resultado que eu sei dessa história: os V-12 já eram e vão ser substituídos por V-8 turbinados.

    É uma pena que os V-8 da GM tenham essa imagem desgastada, de antigos e arcaicos com seu comando central no bloco que é real, a sua observação é muito pertinente pq são motores excelentes, baratos para comprar e mante, duráveis, consome relativamente pouco, dentro das normas mais exigentes já que vários carros da GM com esses motores são vendidos na Europa, etc.

    Eu tinha essa mesma visão do motor yanke, mas acompanhando o blog Corvette Brasil do Scheidecker que é excelente diga-se de passagem, mudei completamente de opinião. Espero ver ainda na minha geração o projeto e desenvolvimento de uma família de motores brasileiros; sem isso nunca vai haver um carro realmente brasileiro. Ainda acho que umas válvulas rotativas bem acertadas para ficar só nos quatro tempos a gasolina seriam imbatíveis mas o jeito é torcer e desejar o melhor para o bólido brazuca!

    ResponderExcluir
  26. Rodrigo,

    As minhas observações sobre o carro francês são pessoais, não espero que todos concordem comigo. Olhando do jeito que você quiser, com o acabamento que for ainda acho uma cópia descarada e piorada do alemão; e isso foi noticiado em praticamente todas as reportagens que li a respeito; porque o volume da carroceria é praticamente o mesmo mudando-se os conjuntos óticos e uma traseira levemente maior ensaiando uma versão CC para recolher o teto no porta-malas.

    Isso é ruim, bom? Eu tenho certeza que foi ruim para a montadora francesa. É uma pena que tenha abdicado da sua prerrogativa de desenvolver um conceito próprio para o segmento mas essas decisões para desenvolvimento de carros são mesmo controversas. Cada um que se debruçar sobre a questão vai ter uma opinião diferente. Essa é a minha.

    Quanto ao meu projeto não é altruísmo, a realidade é essa... Depois que você apresenta o projeto, inscreve em concursos, publica no blog já era; é o preço que você paga para mostrar a competência que tem. Tenho poucas visitas mas de todo o mundo, se alguém na Rússia resolver usar algo o que poderei fazer? Nada porque faz parte como eu já comentei. Mais do que investir milhões, investi muito tempo e energia o que é muito mais valioso que qualquer $$$.

    Se eu tivesse colaboradores dependendo dos meus projetos faria o que sempre penso ser certo sobre essa questão, ao invés de ficar reparando no que me copiaram, já teria uma evolução preparada; essa é a única resposta! Observe o posicionamento da Apple como o iPhone; sem entrar no mérito de qualidade, estratégia, etc.; eles fazem exatamente isso! A sua única alternativa é lançar evoluções sempre a frente da concorrência desvalorizando as cópias.

    Exemplificando com a minha suspensão monobraço, eu tenho pelo menos 4 versões do sistema. Como eu penso ser uma inovação bem radical não sendo vantajoso desenvolver tudo de uma vez só, mataria dois coelhos com uma pancada só... Baratearia a implantação do sistema introduzindo as evoluções paulatinamente, assim mesmo que a concorrência conseguisse “quebrar” a patente ou fazer uma cópia a revelia; eu já teria uma evolução no forno pronta para ser lançada.

    Entendeu agora porque eu penso que a Peugeot deu tiro no próprio pé?

    ResponderExcluir
  27. Mister Fórmula Finesse28/10/10 11:38

    Lawrence: a BMW está embarcando como o resto do mundo na produção de motores menores e "mais socialmente" apresentáveis.

    A onda agora na marca bávara é o aperfeiçoamento das sobrealimentações; no topo do menu deles, as opções biturbo são as vedetes principais.

    O V-10 respondia por quinhentos e sete cavalos e tinha campo ainda para mais desenvolvimento, mas a configuração de dez cilindros sempre foi algo meio sui generis na indútria. Muitos dizem que é complicado regular a contento uma bancada de cinco cilindros em oposição a seis pistões de cada lado...mas isso apenas posso sugerir pelo que li, não tenho conhecimento técnico para tanto.

    Dez cilindros, sobrealimentado....isso é entrar de sola no mercado dos carros ferozes mesmo. Poderia até servir de vitrine tecnológica para depois trabalharem em uma versão V8 varetada - simples e bem mais barata - sob as bençãos auspiciosas do irmão mais velho e tecnologicamente mais evoluído.

    Iriam começar pela Enzo para depois ganhar dinheiro vendendo a 458....

    O blog do Corvette é magnífico, eis um sujeito que merece de verdade dirigir um Vette no dia a dia.

    ResponderExcluir
  28. Isso aí meu caro Mister Fórmula Finesse, nem que seja a "forceps" obrigadas por regulamentações cada vez mais severas, incentivos para motores menores... As montadoras estão revendo os próprios conceitos. Triste que seja assim, mas é melhor do que nada!

    Já q vc falou em potência vou listar só para constar: o motor LS9 do Corvette ZR1 rende mais de 620 hp e o LS3 mais 435 hp... E ainda tem o LS7 com 505 hp... Sem mexer em nada... É só tirar do contêiner e instalar! Stock! Para que um V-10 obsoleto e cheio de 9h?

    Se pegasse a diferença de $$$ do V-10, investisse em uma suspensão com duplo triângulo nas 4 rodas, freios cerâmicos, uma aerodinâmica realmente "invocada"; ninguém ia esquentar com o V-8 varetado com míseros 620 hp... Rs

    ResponderExcluir
  29. Mister Fórmula Finesse28/10/10 15:31

    Lawrence: talvez o pedigree do V10 fale mais alto do que considerações mais pragmáticas....e de todo modo, ele irá sofrer uma certa potencialização.

    Mas não é um motor obsoleto não, é apenas complexo em seu estado de arte. Os motor do Corvette precisa de um compressor eaton para suplantar essa potência em seu pacote original....cifra que será obliterada pela nova M5 com motor V8 (céus, onde vamos parar desse jeito?)

    Acho que freios de cerâmica iriam consumir metade do budget de todo o projeto final para seu desenvolvimento.

    ResponderExcluir
  30. Sobre os chineses, se usarem a "cabeça" (marketing) logo estarão emplacando sim... veja a Hyundai, até pouco tempo atrás vendia só van de escolar (por sinal, péssimas) hoje é marca "dos sonhos" de muita gente. Nada como o marketing e uma melhora na qualidade dos produtos.

    E os americanos, alemães e italianos que se cuidem (in)felizmente.

    ResponderExcluir
  31. Por pouco mais de R$ 40.000,00, prefiro muito mais andar no chinês Cielo do que em um Agile LTZ. Façam comparativo e verão que o acabamento do Agile não é nada melhor do que o do Cielo.

    ResponderExcluir
  32. PK,

    Maravilhosas as fotos. Uma das mais interessantes que achei foi a da SLS, tão polida que reflete irregularmente o fotógrafo ali pela quina do pára-choque esquerdo.

    Abraço!

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...