Google+

23 de outubro de 2010

ZERO LOMBADA

Foto: Autor

Um estrada, uma faixa de segurança de pedestres. Nada de lombada em todo o trecho, que é estreito, como pode ser visto na foto. Claro, é impossível a foto ter sido tirada no Brasil. O lugar é Stresa, uma das muitas cidades na margem do Lago Maggiore, Itália. Lugar de veraneio, e por isso no outono começa a esvaziar a olhos vistos.

Vale a pena dar uma olhada na região pelo Google Earth. A beleza do lago e do entorno são cativantes. Entre com Stresa, Italy.

O trecho fotografado é na Via Sempione Sud, que circunda o lago e cujo nome vai mudando ao longo do percurso. Foi impossível não traçar um paralelo com o bairro de Ingleses, em Florianópolis, em que num pequeno percurso, do centrinho comercial até o hotel Costão do Santino contei 20 lombadas. Cena de horror.

Vai ser difícil, mas tenho esperança de que um dia nos livremos desses dejetos viários que nos tiram completamente o prazer de dirigir e ocasionam prejuízos de toda ordem, de aumento de consumo de combustível e de emissões gasosas que sujam o ar, a lesões em pacientes graves transportados em ambulâncias.

Pior que isso, estão deseducando o motorista brasileiro, que só anda devagar quando há lombada à frente..

Vi algumas lombadas na parte montanhosa em torno de Turim, mas são mais lembretes para se andar mais devagar do que obstáculos ao movimento dos veículos propriamente ditos. Sua altura é mesmo mínima, a ponto de nem ser necessário reduzir velocidade para transpo-las.

É um horrível, deplorável, mas senti muita inveja dos italianos. Mesmo sem estarem no patropi que o cantor Jorge Ben Jor diz ser abençoado por Deus, eles conseguem  fazer do andar de automovel uma atividade prazerosa.

BS

11 comentários:

  1. Não bastasse as lombadas, aqui em Brasília ainda existem as "faixas de pedestres elevadas".. não "machucam tanto quando as lombadas, mas ainda sim tira qualquer tesão em se dirigir. Aliás, prazer em dirigir no DF, não existe. Só martírio.

    ResponderExcluir
  2. Será que depois que começou esta doença de colocar lombadas em todo lugar o numero de acidentes e atropelamentos diminuiu? se fosse assim fácil...e tem uns carros que suportam bem passar nas lombadas em alta velocidade e ai estas nem adiantam,so que o dono do carro está destruindo seu carro aos poucos e nem se toca, com o novo codigo de transito de 1997 dizia que todas as lombadas seriam revistas, que so as nas portas de escola ficariam,estou esperando até hoje !

    ResponderExcluir
  3. Bob, para chegar em casa, pego 12 lombadas! Ou seja, por dia são no mínimo 24. E o pior é que elas são em desacordo com a legislação, seja em tamanho, proximidade entre elas, volume de tráfego, curvas e inclinação da rua. Tudo errado! Brasília ficou um inferno sob esse aspecto!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Realmente, com tantas lombadas, físicas e eletronicas, como as de 40km/h no MEIO de estradas de velocidade, é uma vergonhosa hipocrisia qualquer palavra sobre ecologia etc. Muito maior o consumo e poluentes com incessantes pára-e-andas nas cidades e inacreditáveis nas estyradas. (sim, odiei a última reforma ortográfica) Fora inda os flashmobs de engarrafamentos, aqueles que travam tudo e mais à frente e eram por nada.

    Deu vontade até de escrever posts sobre isso, mas não sou capaz e não tenho voz.

    Um documentário antigo sobre congestionamentos nos eua, já mostrava que aquele pisadinha do freio imbecil, muito comum na ponte rio-niteroi, atravanca tudo. Reflete em pontos distantes, que levam a uma reação em cadeia muito infeliz.

    Tá fogo!!!

    ResponderExcluir
  6. Realmente, com tantas lombadas, físicas e eletronicas, como as de 40km/h no MEIO de estradas de velocidade, é uma vergonhosa hipocrisia qualquer palavra sobre ecologia etc. Muito maior o consumo e poluentes com incessantes pára-e-andas nas cidades e inacreditáveis nas estyradas. (sim, odiei a última reforma ortográfica) Fora inda os flashmobs de engarrafamentos, aqueles que travam tudo e mais à frente e eram por nada.

    Deu vontade até de escrever posts sobre isso, mas não sou capaz e não tenho voz.

    Um documentário antigo sobre congestionamentos nos eua, já mostrava que aquele pisadinha do freio imbecil, muito comum na ponte rio-niteroi, atravanca tudo. Reflete em pontos distantes, que levam a uma reação em cadeia muito infeliz.

    Tá fogo!!!

    ResponderExcluir
  7. Bob

    Realmente, no Costão do Santinho é uma lombada atrás da outra, verdadeira maluquice.

    Mas há prefeituras que estão cientes de que não podem mais fazer nada: conheço pelo menos uma que recebe pedidos de "reforma" de lombadas e prontamente respondem aos moradores que se as lombadas forem removidas para "reforma" elas não poderão ser reinstaladas.

    Conclusão: ficam lá do jeito que estão.

    FB

    ResponderExcluir
  8. Prezado Bob Sharp,

    Com todo respeito, acho que você ainda não viu o que é lombada...

    Pegue a SP 101 sentido Campinas - Monte Mor. Ah! O cartão de visitas é um radar de 50Km/h no menos ruim trecho da pista, em frente a Bosch.

    Sugiro você seguir até Capivari, entrar a direita na rodovia do açucar e seguir até a entrada que dá acesso a Santa Bárbara D'oeste.

    Pegue a SP 306, faça a "curva do Maluf" e siga até a SP 304, um doce de estrada...

    Sugiro um carro com pneus de perfil baixo e suspensão firme, tipo Polo 1.6 com pneus 195/55 ou um Civic Si com penus 215/45.

    Durante a safra de cana, os treminhões dão um toque especial.

    Eu notei que o assunto é lombada, mas eu precisava te dar um caminho para voltar para São Paulo, né?

    Abraço e tudo de bom.

    Robinson Garcia

    ResponderExcluir
  9. É isso aí Bob, prazer ao dirigir, algo que italianos prezam, mas brasileiros que se dizem amantes de automóveis nem sabem o que significa.
    O prazer, aqui, é mostrar o carro novo para os parentes e vizinhos.

    ResponderExcluir
  10. Bob,

    O Rio Grande do Sul e Santa Catarina possuem tara por lombadas.

    Não muito raro, quando acontece alguma bobagem no trânsito muitas vezes evitável, as associações de moradores se reúnem e pressionam a prefeitura para a colocação de lombadas naquela via.

    Para ajudar, jornais locais aplicam na mídia textos indignados com a falta de cuidado com a prefeitura e lembram de acidentes que talvez nem tenham acontecido...

    Antigamente, antes da colocação de lombadas eletrônicas, haviam pelo menos 10 lombadas entre minha casa e meu trabalho.

    Quando venho de MS á RS ou de SP à RS, basta entrar nestes estados para ver a diferença. Em Santa Catarina parace que estão mudando a mentalidade, mas no RS...

    Um abraço,

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  11. Olá Bob, primeiro gostaria de parabenizar seu trabalho, todos os dias (literalmente) dou uma olha no AE pra ver o que tem de novo. Depois gostaria de informar (com imensa felicidade) que existe uma cidade em Santa Catarina chamada Santo Amaro da Imperatriz. De colonização alemã,cidade pequena, você passa pela principal avenida e principais ruas e não encontra lombadas. E ainda por cima existem placas afirmando "povo educado não precisa de lombadas". Se um dia passar por Florianópolis de um pulo nesta cidade que fica bem próxima da capital de Santa Catarina. Vale a pena conferir a limpeza e organização da pequena cidade.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...