30 de abril de 2011

DIA DE FEIRA

Foto: atc.org.br

Certos hábitos são difíceis de entender. Comprar carro na feira é um deles..

Até onde minha memória alcança, os chamados feirões começaram perto do fim de década de 1990. Feirão de fábrica nos fins de semana de repente começou a ser a maneira de vender automóvel.

Anúncios na tevê tipo “A GM abre os portões da sua fábrica”, acrescido de “condições especiais” passaram a ser comuns. Estratagemas como “O sucesso do feirão no fim de semana passado foi tão grande que resolvemos continuar no próximo” repetem-se à exaustão.

Dia de feira na GM de São Caetano do Sul (foto maxpressnet.com.br)

Junto com os feirões de fábrica vieram os feirões simplesmente, organizados em grandes áreas como os estacionamentos de shoppings e não demorou para que parte das redes de concessionárias engajassem em feirões de fim de semana.

Qual seria o motivo dessa maneira de vender automóvel, afinal? Será que o comprador acha mesmo que “na feira” é mais barato? Será que ele/ela associa automóvel à feira-livre dos pastéis, frutas e legumes?

Salão de vendas típico (foto flickr.com)
Particularmente, acho “feirão” fora da concessionária um contrassenso. O empresário investe na concessionária, gasta centenas ou milhões de reais com reforma ou construção, decora o salão de vendas segundo os padrões da fabricante, gasta com identificação visual – para acabar vendendo carro num estacionamento de shopping ou no pátio da fábrica. Não faz sentido. Pelo menos para mim, não.

Pelo lado do comprador, ele/ela abre mão de todo o conforto de um ambiente fechado e muitas vezes climatizado para se sujeitar a ficar ao ar livre, sob sol ou até chuva. Só pela sensação – ou ilusão – de estar fazendo um bom negócio "na feira".

Nunca vou esquecer uma manhã de sábado na concessionária Volkswagen Saga, de Goiânia. Era1984, eu estava na cidade para uma corrida em que o time VW tomaria parte e precisei  ir lá buscar uma peça para um dos nossos carros. O tráfego de clientes no salão de vendas me impressionou. Era gente que não acabava mais. Perguntei ao gerente se era sempre assim e era. Ou seja, nada mais natural  do que aproveitar o fim de semana para ir atrás do carro novo. Mas, ir a uma feira?

Hoje parece que isso acabou, vender carro é só nos fins de semana e “na feira”. Ou na fábrica, a preços muito mais atraentes do que numa concessionária, devem as pessoas imaginar.

Cada um é livre para fazer o que quiser, mas contrassenso tem limite. Carro novo se compra é na loja, seja de concessionária ou de comerciante independente, não na feira.

BS







43 comentários:

  1. Johnconnor(old rocker)30/04/11 16:57

    Na minha opinião o que leva as pessoas a comprar carro no final de semana é nosso atual ritmo de vida.Hoje vivemos um corre corre sem tamanho,ninguem tem tempo pra mais nada,engolimos um salgado a guisa de almoço enquanto dirigimos,atendemos o celular até na privada,quando vemos um conhecido na rua desviamos dele para não perderemos preciosos segundos apertando sua mão e perguntando da patroa e das crianças. E os casais então, marido e mulher geralmente só se veêm no final de semana pois os dois trabalham e geralmente o horário de um não bate com o do outro.Diante desse estilo de vida caótico nada mais natural que reservar o fim de semana pra escolher um carro,que outro tempo pra isso teriamos.Não é nenhuma complicada questão cultural não,é só falta de tempo mesmo.

    ResponderExcluir
  2. É...realmente é uma falta de respeito com o distribuidor que tem uma loja.

    Cria-se a rede de distribuição depois o fabricante vem e passa por cima de todo mundo..

    ResponderExcluir
  3. Bob, eu que tenho pavor de picaretagem e de povão, digo, aglomerado de gente, nunca iria nisso. As pessoas compram carros como frutas as vezes: dão uma olhadinha e se estiver aparentemente tudo certo compram...alguns nem perguntam sobre manuais, chaves reserva (a maioria hoje em dia é codificada, e uma simples cópia não resolve) ou revisões.

    Renan Veronezzi

    ResponderExcluir
  4. Parece incoerente, mas de certa forma não é...
    Muitas usam os feirões para desovar aqueles "duas cabeças" (10/11, atualmente), pois já estão cheias de modelos 11/11.
    Aí, botam todo o estoque num pátio grande (estacionamento de shopping), dão um certo desconto e, como a propaganda é tudo, acabam convencendo que é um ótimo negócio...

    ResponderExcluir
  5. Johnconnor
    Concordo com toda a sua descrição da vida moderna, mas não há explicação para algúem, num fim de semana, preferir uma feira a uma concessionária. Só pode ser por achar que vai comprar por menos.

    ResponderExcluir
  6. Thales SR
    Nem fale dessa história de duas cabeças, uma aberração em si só. Ainda bem que está acabando devido à burrice esperta das fábricas. Com tanto carro 2012 já em abril não deverá haver 2012/2012...

    ResponderExcluir
  7. Johnconnor(old rocker)30/04/11 17:36

    Bob
    Quanto a escolher uma feira em detrimento de uma concessionária acho que entra um pouco do fator de banalização da compra.Quando a gente era criança,comprar um carro era um acontecimento,meu pai tirava a tarde de folga,a gente punha roupa de missa e ia na agencia aonde era bem atendido por um vendedor de camisa branca e gravata com uma paciência infinita para nos mostrar todos os detalhes do carro,o tamanho do porta malas,como as crianças ficavam bem acomodadas,etc.Chegando em casa a gente fazia até churrasco,só faltava dormir dentro do carro.Hoje parece que ninguem liga muito para o que está comprando,e se não liga pro produto então quem dirá do lugar que se compra.Sinal dos tempos,acho....Grande abraço

    ResponderExcluir
  8. Pedro Navalha30/04/11 17:42

    Tirar um carro novo da concessionária antigamente era outra coisa. Lembro que matei aula numa quarta feira de outubro de 1985 só para ir junto com meu pai e meu avô buscar um Escort Ghia na antiga concessionária Ford New Center, que ficava na Rua Amparo, Vila Prudente.

    Até hoje lembro do cheiro do interior e da primeira música que ouvimos no toca-fitas Philco-Ford: Part Time Lover do grande Steve Wonder!

    Os tempos mudaram, mas o Escort até hoje repousa na garagem aqui de casa...

    ResponderExcluir
  9. Peraí, não é mais barato não?! Oh...

    ResponderExcluir
  10. Há..

    Como postado a uns dias atrás, o "desconto" do feirão é compensado na taxa de juros do financiamento...

    Mas deixa estar.... um dia a farra acaba.

    ResponderExcluir
  11. Só vejo um motivo para se ir numa feira e não em uma concessionária/Loja: Achar um carro "especial".. Se estiver procurando uma Ranger Splash, um Alfa 155, um Citroen XM, um Xantia Activa, um ZX Dakar, um Subaru SVX... Só em uma feira tipo a do Anhembi pode se deparar com um carro desses, talvez em bom estado... fora isso, não há mesmo uma explicação plausível.

    ResponderExcluir
  12. Bob, me ajude a elucidar uma questão.

    Quando a fábrica anuncia carro com preço de nota fiscal de fábrica (montadora não combine né?) a concessionária está fazendo um trabalho social de caridade ou a fábrica aumenta o preço só para ajudar o governo pagando mais imposto?

    *Pergunta cheia de ingenuidade

    ResponderExcluir
  13. Bob,

    Concordo inteiramente com você. Feirão não faz sentido nem para carro usado de particular: tem mais carros do que compradores.

    Às vezes vou a esses feirões só pela facilidade de você entrar num carro recém-lançado sem ser incomodado. Aí dá pra ver os detalhes, sentar, sentir a habitabilidade.

    Geralmente quem aborda os visitantes são apenas atendentes, não vendedores. Ao menos nos que eu visitei em BH...

    Se bem que em algumas concessionárias dá pra "tourear" o assédio. Só quero falar com o vendedor quando estiver realmente decidido a comprar.

    ResponderExcluir
  14. Uma vantagem não citada do feirão é reunir num mesmo local o estoque de várias concessionárias. Assim é maios fácil encontrar o carro que se deseja por haver maior variedade de versões de um mesmo modelo, coisa mais difícil de acontecer no saguão de uma concessionária.

    Hoje em dia se compra carro ligando para várias concessionárias até se encontrar o modelo que se deseja pelo menor preço possível. Uma amiga minha comprou recentemente um Astra assim, pegou uma lista de concessionárias de SP e ligou para todas elas, fechando com quem deu o menor preço. No caso do feirão, em vez de ligar para outras concessionárias, basta sentar na mesa do lado.

    Mas não que isso signifique que vai comprar mais barato do que ligando para as concessionárias. Economiza o custo dos minutos telefônicos, no máximo.

    Nota Fiscal de Fábrica = A concessionária ganha um bônus da fábrica para vender um determinado modelo cuja comercializaçãO está difícil. O cliente espertão acha que está fazendo um negócio da china ao comprar de uma concessionária "apertada" pelo mesmo preço que ela pagou, zerando sua margem de lucro. Na verdade, o lucro é o bônus pago pela fábrica, que o retira de sua gordíssima margem de lucro pra desovar o estoque encalhado, isso permite que a concessionária "venda pelo mesmo preço que pagou". Um Gérson em cima de outro Gérson. Brasil-sil-sil, onde comprar zerando o lucro do vendedor (aparentemente) é comportamento correto e "ixpérrto".

    ResponderExcluir
  15. Bob,
    Outro fato intrigante em relação aos "feirões" é que sempre estão anunciando o "último feirão do ano", que é repetido diversas vezes.
    Acontece mais ou menos como as infindas liquidações de certa grande rede de lojas que comercializa móveis, eletrodomésticos e eletrônicos...

    ResponderExcluir
  16. Roberto Dallabarba30/04/11 21:46

    Bob,
    o negócio é o seguinte, comece a dizer que quem é "ixperto" não coloca película, não usa etanol, não compra carro de feira.

    ResponderExcluir
  17. Cara, como tem gente para achar ruim com tudo!

    Deixem que façam suas feiras para lá, vamos parar de ser tão rabugento.

    Aff, não concordo com isso, não gosto disso....

    ResponderExcluir
  18. Anônimo 30/4 21:53
    Falo o que quero sobre o que quiser. Se não gostar, problema seu, não leia mais o que escrevo. Se você sabe ser grosseiro, também sei.

    30/04/11 22:12

    ResponderExcluir
  19. Apenas mais um comentário sobre isso...

    Para mim, feira era a feira do automóvel do Carrefour Marginal Pinheiros que, quando eu tinha meus 7 anos (+/- 1985/1986) era o lugar de vender carros usados...

    Nesse quesito o sentido "feira" faz sentido pois são os locais onde pode se encontrar desde aquele usado em perfeitas condições até aquele "semidestruido" cujo proximo proprietário será o ferro velho mais proximo!

    Mas sou contra os feiroes de fabrica pois, em minha concepcão, a menos que seja algo bem orquestrado com a rede de distribuidores, fica igual a historia de alguns franqueados de uma grande rede de fast food que, sofrendo com a concorrencia do proprio franqueador, quebraram.

    ResponderExcluir
  20. isso não é particularidade do Brasil, nos EUA esses "feirões" ou "pátios" tem bom resultado, e os feirões livres são uma boa oportunidade para o particular.
    eu não gosto desse tipo de ambiente mas não sou contra, acho válido.

    ResponderExcluir
  21. Bob, e os especialistas da internet em "relíquias", como reginaldodecampinas.com.br e outros tantos, só uma dica pra post

    ResponderExcluir
  22. Alan
    Claro que não é paricularidade do Brasil, mas é mais para usado. Lá tem salão de exposição e vendas de novos como aqui. O que tem de feirão anunciado na tevê aqui é impressionante. E, isso mesmo, tem os feirões de "relíquias".

    ResponderExcluir
  23. Roberto Dellabarba
    É mesmo? Não me diga...

    ResponderExcluir
  24. Marlos Dantas
    É isso aí, esculhambação total.

    ResponderExcluir
  25. Johnconnor
    Tudo bem, carro meio que banalizou, mas tem muita gente festejando a compra do primeiro carro ou primeiro zero-km.

    ResponderExcluir
  26. Renan
    Quando penso em feirão me vem ideia de zero-km. Agora, tem sim gente que compra usado sem observar esses cuidados, chave-reserva, manual etc.

    ResponderExcluir
  27. Tenho impressão que feirão de 0km é um bom jeito de estimular as pessoas a comprarem por impulso. Com frases do tipo: "aproveite agora antes que acabe", "última chance", etc. Isso sem falar no clima de festa, em que parece que todo mundo está comprando, e o fato de o carro estar ali para pronta entrega.

    Sobre os feirões de usados, não vejo muito disso em minha cidade, mas, dá para confiar? Não tem muito carro bichado ou com "mutreta" nesses feirões?

    ResponderExcluir
  28. eu fui uma vez em feirao pra nunca mais ir, motivo: som alto, musica alta, locutores anunciando ofertas que nao dava nem pra conversar direito no ambiente. nunca mais.

    ResponderExcluir
  29. Alexandre,
    Foi como eu disse, as pessoas acham que por ser feira vão ter vantagem em preco. Comprariam do mesmo jeito, preço e tudo, numa concessionária.

    ResponderExcluir
  30. Bob,

    O povo gosta de tumulto! E alguns vendedoresse se aproveitam disso para pressionar o cliente a fechar um ou quem sabe, qualquer negócio.

    Esses feirões, aqui no Rio, começaram no meio dos anos 80.
    Eram de carros usados, vendidos nos estacionamentos dos supermercados. Lá perto de casa acontecia no estacionamento do Disco.
    Tempos depois, começou a ser feito na esquina da Avenida Brasil com a Rod. Washington Luiz (BR040).
    Uma vez, fui procurar um carro e achei estranho que sempre quando ia fechar um negócio, apareciam dois ou três que ofereciam mais do que o dono do carro estava pedindo... achei muito estranho esse comportamento, um tanto mafioso até. Fui embora e nunca mais voltei.
    Como sempre procuro meus carros pelo jornal e depois pela internet, porém sempre com muita, muita paciência e calma o que é fundamental para um bom negócio para todas as partes.

    ResponderExcluir
  31. Bob,
    Concordo contigo.
    Para o distribuidor então é a maior furada.
    Um monte de bandeiras da mesma marca reunidas, lado a lado se canibalizando umas as outras.Um leilão desgastante. As Fabricas em geral não estão nem aí, querem é o volume do final de semana. Não sei das outras mas ao menos a Ford caiu na real, continua anunciando a título de feirão, mas agora é realizado dentro de cada concessionária participante. Ufa!

    ResponderExcluir
  32. Achei bastante pertinente o comentário do colega Kantynho (30/04/11 18:11)... e condordo plenamente, pois, as "feiras" só se justificam se estivermos atrás de um usado do tipo "mosca branca". Feirão de carros novos não é feirão, é um engodo... uma arapuca pra pegar os compulsivos... Abraços...

    ResponderExcluir
  33. Feirão é uma chatice, as pessoas vão pois acham que vão fazer um grande negócio, o que é uma ilusão. As músicas tocam alto, e da pior qualidade, é forró, axé, etc. Pedro Navalha, boa lembrança a sua, me trouxe ótimas recordações dos maravilhosos anos 80, comprar carro naquele tempo era um acontecimento, me lembro quando meus irmãos compravam os seus.

    ResponderExcluir
  34. Sei lá, pra mim, toda vez que falam em feirão, fico pensando que é pra desovar carros "hortifruti", ou seja, aqueles que são um abacaxizão, o vendedor não quer mais o pepino e o comprador que aguente o nabo...
    Antonio Hermírio enfatizou isso uma vez, e caho que é certo concordar com ele: Diheiro é importante, mas não é mais importante do que ter tempo para gastar esse dinheiro. Se vou gastar meu final de semana, que seja com algum programa agradável para minha família. Uma concessionária que ofereça algo cultural e um espaço criança não acabaria atraindo até mais pessoas dispostas a fazer da compra um programa que essa "gersiunidade" dos feirões?
    Claro, para fazer isso, deveria haver alguem treinado para falar do carro e um produto diferenciado no mercado. Os carros atuais seguindo a mesma receita de bolo (motor dianteiro, 4 cilindros, tração dianteira, mcpherson, eixo de torção, 4 portas, interior preto exterior prata), não há muito o que escolher. Quando há alguma diferença, o vendedor sabe menos que o cliente, então carros passaram a ser escolhidos como tomates: Se não tiver um podre aparente, pode levar qualquer um pra casa. E tomate compra-se em feira mesmo.

    ResponderExcluir
  35. O texto do Bob Sharp está errado. Não se diz "padrões da fabricante". Se diz "padrões do fabricante". Fabricante é substantivo masculino.

    ResponderExcluir
  36. Anônimo 1/5 17:08
    Nessa caso foi empregada a figura da eclipse, "da (empresa)fabricante. Obrigado pela observação.

    ResponderExcluir
  37. Concordo contigo Bob,esses feirões só beneficiam as montadoras e algumas concessionárias. E o consumidor só leva fumo. Grande Abraço.

    ResponderExcluir
  38. Quem se ferra nos feirões são os coitados dos vendedores. Trabalham de 12 seguidas em pé, com sol na nuca, tem almoçar engolindo a comida pra voltar para atender. Tem que atender um monte de gente que só vai alí passear e perde de atender alguém que realmente quer comprar. Fora que são obrigados a atenderem correndo para vender a meta, com isso não atende bem ninguém e pode acabar perdendo uma venda.

    ResponderExcluir
  39. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  40. Feirão de carro zero é uma piada, aqui em Recife virou "febre". No caso dos usados, pra quem sabe avaliar bem e tem "saco" de encarar um feirão, acho uma boa opção por causa da variedade, como tabém acontece com as relíquias.

    ResponderExcluir
  41. Feira é pra comprar frutas, verduras e comer pastel com caldo de cana. Se quero tomar sol, vou pra praia ou tiro o meu cabriolet da garagem.
    Carro compro na concessionária, tomando refrigerante gelado, comendo salgadinho e no conforto do ar condicionado, fazendo doce com o vendedor para conseguir uma vantagem.
    Lógico que tudo isso depois de fazer indispensável test drive.
    Pra mim a razão de existir o feirão é apenas como instrumento de promoção da marca, mero instrumento de marketing, para ter o que anunciar na mídia.

    ResponderExcluir
  42. Johnconnor,
    Boas lembranças as suas, lembro que quando meu pai chegava com o carro novo em casa era difícil me tirar do carro, só saía depois de checar todos os detalhes do nova caranga... hehehehe

    Uma vez fui a uma CC pra comprar um carro e durante a negociação o vendedor me disse que não poderia melhorar o preço, que se eu fosse no feirão ele poderia barganhar melhor com o gerente em razão da meta que teriam que bater... Ridículo!

    ResponderExcluir
  43. carro usado em SP?

    pela terceira vez usei a "feira livre" do anhembi... carros em estado muito melhor que a maioria das bagaceiras de lojas e concessionários. Vendo melhor, compro por preço mais justo e ainda tenho o histórico do dono anterior.

    Um pouco de conhecimento e cuidados básicos praticamente garantem uma boa compra.

    Revendedores? Deixa pro dia em que voltar a comprar um 0km...

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...