Google+

12 de abril de 2011

MORDIDA ANUAL



Sempre discutimos sobre a pesada carga de impostos em nosso país, particularmente sobre os automóveis, já que quase metade do valor do carro novo vai direto para os cofres dos governos federal e estaduais. Mas ainda tem outro, que pagamos todo ano e só lembramos dele no início de cada ano.

O IPVA, Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, é de 4% do valor do carro no Estado de São Paulo, mesmo percentual no Rio de Janeiro para carros a gasolina, carros flex pagam alíquota de carro a álcool, de 3%

Em uma continha rápida, considerando um carro como o Honda Civic,  na faixa de R$ 65 mil, além de deixar uns R$ 30 mil para o poço sem fundo do governo já no ato da compra, em cinco anos com o carro pagamos mais uns R$ 10 mil de IPVA, ou 1/3 do imposto inicialmente pago ao adquiri-lo.

Em troca, é aquele asfalto com a qualidade que todos aqui conhecemos. Estradas de  pista dupla são privilégio dos paulistas; no resto do país contente-se em procurar o acostamento quando um caminhão resolve ultrapassar outro. A desculpa é sempre a mesma: falta de verbas.

Bom, só os 3,5 milhões de carros que serão vendidos este ano, renderão de IPVA pelos próximos cinco anos, o que numa continha bem chutada dá uns 20 bilhões de reais. Fora o resto, fora os ônibus e caminhões. Fora as motos. Deve dar para fazer alguma coisa, uma estradinha aqui, um asfaltozinho novo ali.

Mas a gente sabe para onde vai a grana. Para pagar o salário da dona que trabalha no senado, e que por conta de obras na sala dela (sic) bate ponto e volta para casa - às oito da manhã! Dela e de mais um monte de gente. Resta saber se, caso um desses parasitas fosse parente de algum de nós, sofreria a mesma reprovação.

Enquanto isso, seguimos como uma das maiores economias e um dos maiores mercados de automóveis do mundo - o quarto maior em 2010, mas estamos apanhando da Índia este ano, caímos para quinto - só que com os carros mais caros do planeta e as piores estradas.

Algo está muito errado nisso tudo.

AC

45 comentários:

  1. Cara, não entendo uma coisa no brasileiro. As estradas estão tão ruins, os pedágios tão caros, os impostos tão altos sem retorno significativo, os combustíveis não baixam o preço, os carros tem pouca qualidade, a desvalorização do carro usado é absurda, etc.

    Com tudo isso, pq vende tanto carro, especialmente zero?

    Ou as pessoas estão loucas ou pouca gente dá real valor ou presta real atenção aos problemas que você (e eu) levantou no post.

    Se ninguém melhora nada é pq o povo não reclama, ou melhor, não age, pq reclamar é fácil, agir é difícil. Quem lembra dos anos de luta estudantil contra os militares entende bem o que é lutar e oq é reclamar.

    ResponderExcluir
  2. É a enorme vontade que o brasileiro tem de mostrar ao vizinho que pode comprar um carro melhor que o dele que move todo esse ciclo...

    ResponderExcluir
  3. Os preços são altos porque o consumidor brasileiro é safado e ignorante. Compra o que não pode, pra mostrar o que não tem, pra gente que ele não gosta, aquilo que ele não é. Em suma, brasileiro compra carro pra ter status, e não adianta argumentar esse tipo de coisa com o zé povinho porque na cabeça dele "quem desdenha quer comprar".

    ResponderExcluir
  4. E ainda tem um pedágio proximo a Londrina onde cobram R$12,60 para este mesmo automóvel andar em uma estrada de pista simples. Brasil sil sil sil sil

    ResponderExcluir
  5. E o brasileiro ainda vota... Pq eu não voto, pago multa multa mas não voto. O processo eleitoral no Brasil é escroto. Existe o voto de protesto, o voto nulo, mas só no papel, pq na CF é expresso no artigo 77 que os votos nulos não são computados, então não servem de PN.

    ResponderExcluir
  6. "Resta saber se, caso um desses parasitas fosse parente de algum de nós, sofreria a mesma reprovação."

    Perfeito AC, farinha-pouca-meu-pirão-primeiro é a cara do Brasil.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo das 16:29 foi brilhante agora! rs
    Enfim, isso é pq o brasileiro ainda está lentamente acordando para sua vida cívica.
    Se a rua tem buraco ele não sabe reclamar, ligar na prefeitura, protocolar, ligar de novo, mandar carta pra jornal, fazer associação de bairro, etc etc. Ele só reclame por cinco minutos até o Jornal Nacional mudar de assunto.
    Mas aos poucos isso vai mudando.

    ResponderExcluir
  8. Pedro Navalha12/04/11 17:26

    Um Chevette Luxo 1975, um Puma GTE 1979 e por último o Escort Ghia 1986 que estão aqui na garagem não pagam IPVA há muito tempo, e de quebra, fiz um monte de amizades e memoráveis viagens nos clubes e eventos de carros antigos que participo. Carro antigo é o melhor protesto que faço contra essa merda de governo. Além de preservar a história não ajudo a enriquecer políticos vagabundos e muito menos fábricas que teimam em fazer carros piores que os meus de 30, 40 anos atrás. Status, vizinhos, estou tomando Actívia e Jonny Walker para eles...

    E para finalizar, mais um provérbio popular que serve para muitos brasileiros:

    "Enquanto tiver cavalo, São Jorge não anda a pé!"

    ResponderExcluir
  9. A principio eu sou contra qualquer tipo de violência, mas este país está precisando de um grupinho terrorista com especialização em tiros de longa distância. Um deputado por semana e um senador por mês, essa é a conta de baixas necessárias para esse ladrões começarem a dar valor.

    ResponderExcluir
  10. Navalha,

    Falou tudo! O carro que uso no dia-a-dia é 2005, por enquanto não penso em trocá-lo, acabei de gastar algum para deixá-lo em perfeito estado... Não pagar IPVA deve ser muuuito bom! Parabéns mesmo!

    Lincoln,
    Muitos não falam, mas todos temos ao menos um pouquinho deste sentimento!

    Dále Cel. Nascimento!
    "O sistema é F***!"

    Sds

    ResponderExcluir
  11. Pedro Navalha, voce não deixa de ter razão, mas se ninguem comprar o carro zero como ficam os empregos? Acho que a resposta melhor á a urna mesmo, sem a violencia de uma revolução e o recado dado. E o anonimo das 16:29 foi brilhante mesmo!

    ResponderExcluir
  12. Pedro Navalha12/04/11 17:51

    Reynaldo,

    Eu posso até estar equivocado com essa minha decisão de ter carros antigos, mas no que depender de mim, essas fábricas que todo mundo chama de "montadoras" iriam ter que fazer latas de Toddy ou sardinha coqueiro para sobreviver.

    Boicoto mesmo, que se danem eles e o governo! Se não comerçarmos a chutar o balde, mesmo que isso cause problemas na economia, daqui a pouco estaremos trabalhando exclusivamente para sustentar o governo com impostos e as financeiras com seus juros extorsivos.

    Prefiro viver em paz e na simplicidade. E olha que mesmo fazendo isso, já pago pelo menos 3 ou 4 meses de trabalho por ano para Dona Dilma e seus asseclas...

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Inicialmente, o IPVA não era para, entre outras coisas, substituir o pagamento do pedágio? Isso me faz lembrar da IPMF/CPMF, que também foi um imposto totalmente desvirtuado ao longo de sua história.

    Concordo com o Pedro Navalha, a melhor maneira de protestar contra esse sistema, é ter pelo menos um carro antigo que pague pouco ou nenhum IPVA, e mantê-lo em uso no dia-a-dia, em perfeitas condições de rodagem. Dessa forma, fazendo exatamente o contrário do que querem o governo, seguradoras e fabricantes.

    Completando a idéia do primeiro comentário do Anônimo das 16:15:
    Interessante como conseguiram implantar tão fortemente na mente do brasileiro comum (não somente por vaidade, mas muitas vezes de maneira até inconsciente) a "necessidade" de trocar de carro regularmente num prazo de poucos anos... Mesmo que o cara não tenha a menor condição financeira para tal! Tem gente por aí que diz que "se já terminou de pagar o financiamento, então é hora de trocar de carro"...

    ResponderExcluir
  15. Daniel San12/04/11 18:14

    É por essas e outras que lá fora somos conhecidos como um povo de bananas,que paga fortunas por carros que lá fora são considerados de carregação,mas que achamos que é o máximo do máximo. Fico imaginando os estrangeiros se torcendo de rir da nossa cara. Só mesmo um povo assim pode eleger um governo que só nos falta arrancar o couro e nos devolve a porcaria que devolve. Sei que voto nulo não altera o resultado de uma eleição,mas fica como protesto. Podem me obrigar a votar,mas não podem me obrigar em quem.Portanto,me nego a dar contribuição para sustentar parasitas.

    ResponderExcluir
  16. Pedro Navalha12/04/11 18:29

    Damiel San, bem lembrado sobre o voto nulo!

    Nessas últimas eleições, qual era a opção por exemplo, aqui no estado de São Paulo?? Não tinha.

    Nem vou entrar na questão de partido, mas era escolher entre bosta ou merda. Nesse caso, melhor anular o voto mesmo. Pelo menos ninguém pode alegar que contribuí para botar esses vagabundos sanguessugas lá no Palácio dos Bandeirantes, na Presidência, no Congresso ou Senado, que vejam só, ainda é liderado por aquela múmia chamada Sarney, o cara que realmente comanda esse país desde os anos 80...

    ResponderExcluir
  17. O IPVA é o imposto que mais me indigna. Não tem destinação alguma, é usado apenas para fazer caixa. É uma tributação por TER um carro. Você tem que pagar impostos por ter um carro. Você paga 50 paus num carro, mas se não pagar 25 anos de IPVA, vira um caloteiro, com direito a confisco de bens! Pensava que era o único a ficar indignado com essa indecência que é o Imposto sobre a PROPRIEDADE de veículo Automotor.

    Vá ver qual país decente cobra tanto para poder rodar por aí.

    ResponderExcluir
  18. Olha, os motivos irracionais que levam o brasileiro a comprar carro 0km sem poder se deve a ausência de opnião pública autônoma e racional.

    O brasileiro tem acesso à informação, mas não a interpreta. Já absorve os fatos mastigados pela imprensa marrom que temos, aquela propaganda direcionada, vinculada aos interesses dos grupos de pressão que atuam nas grandes metrópoles.

    Instrumento de manobra política, nosso povo preocupa-se unicamente com seus interesses, buscando sempre levar vantagem.

    Nossa democracia é uma falácia. Distorcida.

    Se cada um adotasse alguma medida reacionária aos desmandos do Governo, teríamos mais respeito. Uma espécie de desobediência civil.

    Meu carro tem 13 anos de uso. Essa ideia de que carro bom é 0Km não passa de marketing. Pura ilusão.

    Sábio é o homem que se afasta das tendências, que vive na simplicidade, enxergando a felicidade na harmonia de seu lar, substrato da sociedade.

    Nícolas

    ResponderExcluir
  19. A não, a diferença é que lá eles têm retorno, eles têm educação que é base de tudo e a única aposta para um futuro melhor. A saúde deve ser um pouquinho melhor. Os salários um pouquinho mais alto. O poder de compra real também.
    Falando em impostos e agora que estamos no inicio do ano de 2.011 como não se lembrar deles, do IPVA e do IPTU.
    Aqueles que sempre chegam no começo do ano, junto com matricula de escola, uniforme escolar, material escolar, gastos com viagem de férias, festas de fim de ano, presentes de Natal, etc.
    Ah, mas ainda bem que existe o 13º para solucionar tudo isso.
    Como festas de fim de ano, presentes de Natal e gastos de inicio de ano com escola não tem como serem mudados para outra época do ano, poderiam mudar a data de IPVA para outros meses, quem sabe de acordo com o final da placa, como é feito com o licenciamento veicular.
    Só o IPTU que é difícil mudar já que a maioria dos brasileiros o paga em 10 parcelas. Aliás, estranhíssima essa mania do brasileiro de pagar o IPVA em 3 parcelas e o IPTU em 10 parcelas.
    Por que será que não aproveitam do imenso desconto que são concedidos para quem os quitar a vista em uma única parcela como, por exemplo, o IPVA do estado de São Paulo com excelentes 3% de desconto e o IPTU com espantosos 6% para quem quiser trocar a opção de 10 parcelas por pagamento à vista.
    Falando nisso, todo ano a mesma coisa, passa um economista em algum programa de TV dizendo que não é bom negócio pagar a vista o IPVA e para isso ficar devendo no cheque especial.

    ResponderExcluir
  20. continua...

    Mas se tiver dinheiro na poupança é um bom negócio devido à rentabilidade da poupança.
    O que eles esquecem é que matematicamente está correto, mas no mundinho real, a maioria das pessoas que conseguiu deixar um dinheiro guardado na poupança e tirar para pagar o IPVA, nunca mais devolverá esse mesmo valor para sua conta poupança.
    O negócio é deixar o dinheiro na poupança para não se descapitalizar e pagar o IPVA em 3 parcelas mesmo deixando de lado o ridículo desconto de 3%.
    Afinal se usar o dinheiro da poupança vai ser como um empréstimo a si mesmo e no decorrer dos meses outras contas e prioridades aparecem e óbvio que serão pagas deixando de lado a obrigação de se devolver o próprio empréstimo para a conta poupança.
    Afinal se ficarmos devermos para nós mesmos, não corremos o risco de ir para listas de inadimplentes como Serasa e SPC.
    Aliás, uma das coisas que deveriam mudar na educação, era incluir no currículo escolar aulas de educação financeira no ensino fundamental e médio.
    Não desmerecendo nenhuma outra matéria, mas muito provavelmente seria mais útil do que saber, por exemplo, o nome científico de um pinheiro ou que o reinado de Muhammed II capturou Constantinopla.

    ResponderExcluir
  21. imposto,juridicamente falando, nao pressupoe uma contra partida de algum serviço. taxa sim, por isso, la atras, o delfim neto,malandramente, mudou o nome. era TRU(taxa rodoviaria unica).aos que acham que estao a salvo por terem veiculo de mais de 20 anos lembrem-se que miguel jorge(aquele de triste lembrança da autolatina.que viu no governo uma chance de nos explorar mais que na ind.automobilistica) esta propondo ipva progressivo e acbar com a isençao de 20 anos.quem pode vai logo embora daqui.falhamos definitivamente na construçao de uma naçao.

    ResponderExcluir
  22. Pior que tem muita, mas muuuita gente que enche a boca e defende o alto preço dos pedágios paulistas. Parecem que sofreram lavagem cerebral. Acham que é justo e certo pagar um absurdo para se ter estrada boa. Caçoam de quem acha o contrário. Esse é o consumidor brasileiro...
    No sul de Minas, pelo menos, o governo daquele estado arrumou muitos quilômetros de estradas. São duplicadas? Não. Mas são estão bonas, aslfato bom, sinalização boa. E não têm pedágio. Por que os paulistas são tão alienados?

    João Paulo

    ResponderExcluir
  23. Aqui é o país dos impostos e taxas em geral. Sem contar que, além de pagarmos um absurdo de impostos para comprar e manter um carro, precisamos ainda pagar o seguro, para não se arriscar de alguém levar o bólido e ficarmos no prejuízo ainda maior, já que segurança pública é uma piada de mau gosto por aqui. E o seguro vai nos custar, em média, mais uns 4% a 5% ao ano do valor do veículo, isso numa apólice bacaninha, perfil do condutor de baixo risco e região com pouco índice de furto/roubo...

    E, realmente, o Anônimo das 16:29, 12/04, foi brilhante nas afirmações. Essa é a síntese do porque o Brasil é o que é. Fica pagando o carro por cinco ou seis anos, mas compra! Desde que impressione o cunhado ou vizinho, claro...

    ResponderExcluir
  24. Gente, o negócio é parar de reclamar!!

    Temos várias opções:

    - Fazer concurso público;
    - Nos candidatar a um cargo eletivo;
    - Nos comprometer com algum político do bairro e grudar no saco dele até conseguir alguma coisa...;
    - Casar com uma filha de um político;
    - Casar com um político(a);
    - Se casar com seu melhor amigo e se candidatar a um cargo político (a plataforma gay, apesar de enrustida é bem unida);
    - Fazer seu(ua) filho(a) se casar com o(a) filho(a) de um político(a);

    As soluções estão aí...

    Falou!

    ResponderExcluir
  25. No Rio Grande do Sul o IPVA é calculado de forma diferente, inclusive as datas de pagamento são durante o ano, assim como acontece com o lic. em SP.

    E tem mais! Lá, o bom condutor, que não leva multas no ano anterior, recebe um belo desconto.

    Isso aí, continuem morando no estado de São Paulo e, além de pedágios, impostos e alto custo de vida, ainda levem fechadas dos excelentes motoristas que tem o rei na barriga.

    ResponderExcluir
  26. Anônimo das 20:09, pior que também vejo muitos que defendem mesmo, alegando que depois do pedágio a estrada ficou boa. Porra, tem que ser boa e sem pagar pedágio, já pagamos uma fortuna em outras coisas.

    ResponderExcluir
  27. Fabio Alexandre
    Pior ainda é quando pagamos pedágio e a estrada tá horrível, como a Marechal Rondon, por exemplo.

    Anônimo gaúcho
    Como paulista, sou obrigado a concordar com você. Se aqui no interior já existe a compra pra "agradar" vizinho, imagino na cidade de São Paulo, com muito mais dinheiro rolando e uma disputa mais ferrenha por Status.

    ResponderExcluir
  28. Isaac pereira

    Ao anonimo gaucho

    me mudei pro interior a 1 ano,e na verdade,aqui sim que se ve muito dessa sede por
    status...principalmente por quem ñ tem quase nda,mas quem se importa...afinal ele tem um carro(prata logico) na garagem..e olha so faltam 56 parcelas...

    sempre gostei muito mais de carros que mais antigos,são carros de verdade,cujo desenvolvimento tem historia..talz..

    o de cada é um EG8 Civic lx 1993 Harvard Blue,faz 13km\l na cidade e 20km\l na estrada,ar,abs,direção,trio eletrico,conforto,suspenção independente de braços sobrepostos nas 4 rodas,otima dinamica...dar 30 mil num carro pelado?fraco? pqueno e deconfortavel..q ainda por cima vai beber mais q o eg8?
    ñ obrigado...

    ainda vai demorar um pouco pro eg8 ñ pagar mais ipva,mas...chegaremos lá

    ResponderExcluir
  29. ps: bacana como muitos usam a mascara de "anonimo",e aproveitam pra dar alfinetadas,e ficar de bairrismo idiota..
    aqui ñ é forum de orkut,o assunto é automovel...ñ discutir qual estado é melhor,e etc...

    ResponderExcluir
  30. Temos que boicotar mesmo, aqui as montadoras fazem a festa, pois apesar de uma cacetada de impostos eles ainda podem desovar toda a tecnologia obsoleta que não vende mais em lugar nenhum no mundo, com margem de lucro várias vezes maior.

    Brasileiro é o povo mais burro do mundo e pior pensa que é o mais esperto.

    ResponderExcluir
  31. jackie chan13/04/11 08:20

    Eu também estou cada vez mais adepto do carro "antigo", o meu último zero kilômetro foi há 11 anos. Dá muito mais satisfação gastar com peças de reposição e manter o meu "velhinho" em forma, do que gastar muito, mas muito mais, em carro zero "pelado" e "mil". É claro que isso é uma opção pessoal, até pelo fato de eu ser um "autoentusiasta", não só da teoria, mas da turma das mãos na graxa. Se todo mundo pensasse como eu, é claro que seria ruim para a indústria automobilística, mas nem me preocupo, pois somos minoria absoluta.

    ResponderExcluir
  32. Não acho errado querer trocar de carro todo ano,se for para se exibir para os outros é asneira mesmo,mas se for para não ter dor de cabeça com manutenção... o errado é o imposto absurdo que pagamos, se fosse bem menos muito mais pessoas trocariam de carro e movimentariam a economia.
    E o tal do seguro obrigatório que não serve pra nada? dizem que parte dele vai para o sus, mas será mesmo?

    ResponderExcluir
  33. nelson lopes13/04/11 09:09

    Navalha, tem mais uma coisa: apesar de nao pagar mais IPVA, vc ainda paga para ser vistoriado todo ano! Pense bem nisso - ag paga para ser inspecionado, investigado!!!
    Nao sou contra esse tipo de controle, mas ter que pagar para isso é o fim da picada!
    Se vc pode se recusar a fazer o teste do bafômetro, pq é obrigado a pagar essa taxa? Por acaso ag paga pra enviar o IR?

    E tem mais um absurdo nesse IPVA: pense na pessoa que tem condicao de ter um carro de 1 milhao... ele paga 40 mil por ano so pra ter o carro. Um carro q ele provavelmente vai usar pra dar uma volta no quarteirao ums 10 vezes no ano... e ainda assim será uma volta com buracos, risco de assalto, multas por excesso de 1km/h a mais...

    Eu trabalho com industria automotiva, dependo dela pra viver, mas mesmo assim gostaria de ver o brasileiro ficar um ano sem comprar nenhum carro novo em protesto nitido aos altos impostos do governo e a esse IPVA infame!

    ResponderExcluir
  34. Hoje eu rodo de Parati GL 1.8 91, cuja escolha teve um "dedinho" do Bob Sharp, graças ao teste da CL 1.8 91 que ele fez para a revista Oficina Mecânica (tenho esta revista guardada até hoje).

    Esse ano eu ainda paguei IPVA. Mas, ano que vem estou livre disso. Não penso em comprar carro 0KM pois além dos custos serem absurdos (IPVA, seguro, o próprio valor pedido pelo carro), não tem um carro 0KM a venda neste país, que caiba no meu bolso, que me agrade... Assim sendo, vou andando feliz da vida com minha "relíquia", recebendo vários elogios pelo estado de conservação da mesma, e sonhando com mais um antigo na garagem de casa.

    ResponderExcluir
  35. Com gente ganhando 8 mil por mês no Senado pra servir café, pra onde as pessoas acham que vai o dinheiro? Alguém ainda tem duvida?

    ResponderExcluir
  36. E apesar de tudo isso, tente conversar com o típico brasileiro de classe "mérdia" sobre a necessidade de se reduzir o tamanho do Estado no Brasil. O zumbi o tratará como se você fosse um alienígena e ele não tivesse nada a ver com isso.

    Tendo Bolsa-Cabresto para os miseráveis e Tucson financiada até a morte para a classe "mérdia" fútil, está tudo ótimo, se melhorar, estraga...

    ResponderExcluir
  37. De Taubaté a Londrina gastei um tanque para ir, outro para voltar e o equivalente em valor nos pedágios.
    Um pneu furado e uma roda torta por conta de uma cratera.
    Não acho o pedágio injusto, mas os valores sim. Como ja´disse o amigo , R$ 12,60 em Londrina é um roubo a mão armada.
    Os carros e seus donos são os maiores fornecedores de grana para o governo. E se não fizermos nada, continuará do mesmo jeito.

    ResponderExcluir
  38. ha ha ha...excelente o comentário do Pedro Navalha!

    ResponderExcluir
  39. Johnconnor13/04/11 15:45

    Á cerca de oito anos atrás tive um Kadett GSI 1991 que posso afirmar sem medo de errar que foi o melhor carro que já tive na vida até hoje.Ouso dizer até que se fosse feito um comparativo entre um Kadett GSI em ótimo estado e todos os autómoveis 0Km que temos hoje bem poucos poderiam ser considerados melhores.Vai daí que se eu não tivesse tido aquele comichão por trocar por um mais novo hoje eu teria um carro completo inclusive com alguns acessórios que não se encontra nos 0Km de hoje(painel digital,desembaçador com temporizador,bancos recaro,etc).O Chapolim(era vermelho Bonanza) era veloz,estável,confortável,estiloso,razoavelmente economico(levando em conta o fato de ser esportivo)e quase não dava oficina(quando dava aleijava).Isso tudo em um carro que hoje não paga mais IPVA e se comparado á um Astra
    zero só perde ponto por não ter 4 portas.

    ResponderExcluir
  40. "Parasitas" é o termo exato para definir esse tipo de gente. Ainda há de lembrar que quem compra carro provavelmente já pagou um monte de $ de imposto de renda antes de poder pensar em ir à concessionária, sem falar nos impostos indiretos que o fabricante tem que pagar. às vezes dá vontade de comprar um Chevette. Mas ainda assim, eles vão meter a mão no meu bolso toda vez que eu for encher o tanque...

    Curioso foi ler o seu comentário de que "o resto do país contente-se em procurar o acostamento quando um caminhão resolve ultrapassar outro" poucos dias após um familiar meu ter desmanchado o carro exatamente numa situação assim (felizmente, sem ferimentos), num trecho da BR 392 no RS que está sempre em obras (há mais de dez anos que só o que se faz é tapar buracos e vê-los ressurgir na primeira chuva)

    ResponderExcluir
  41. Penso um pouco diferente.

    IPVA ao aliquota de 4% é caro? Lógico que é. Mas se o cidadão, ciente disso, compra um carro e não aguenta sequer pagar os tributos que incidem sobre ele é porque não pode ter aquele veículo. Que adquira um mais barato.

    Quanto aos pedágios. Ao menos em SP é roubalheira mesmo. As pedagiadas são boas, mas nada comparado às estradas europeias como gostam que dizer por aí. Além do mais, estradas europeias, além de melhores, tem pedágios mais baratos. E aquelas que não são pedagiadas, são um lixo.

    Entretanto, há poucos meses, rodei por Bahia, Sergipe e Alagoas. Na maior parte do trecho pista simples, mas bem sinalizada e com asfalto muito bom. E nada de pedágio.

    Ah. E o IPVA serve para custear a administração da máquina publica, tal com IPTU, IR, ICMS e outros impostos. Não tem vinculação.

    Marco

    ResponderExcluir
  42. O problema nem é tanto ao valor, mas, o retorno que recebemos em troca... Impostos escandinavos, retorno africano, até qdo o povo brasileiro vai permanecer quieto e continuar se conformando com a atitude dos governos, entra governo, sai governo e em vez de melhorar só piora, mas brasileiro é um povo tão passivo, (vive levando ferro e continua feliz e saltitante)... que continua a comprar a porcaria de carro 1.0 pelado e cheio de plástico vagabundo a R$ 30 mil pra se mostrar pro vizinho, que status será que alguém vê nisso? Será o prazer de sintir o "cheirinho de carro novo"?

    ResponderExcluir
  43. Roberto Dallabarba15/04/11 23:58

    Recentemente meu amigo trocou de carro. Um Passat bem estiloso, por um Celta 2008. Imposto vencido, foi pagar: 600 e cacetada, na hora ele disse: que saudade do meu Passat!
    Não pretendo trocar tão cedo meu Verona 90. Sonho com um ainda mais velhinho. Que vamos e convenhamos, Não por isso..., mas um antigão bem cuidado chama mais atenção e admiração do que um popular zero. Outro dia vi várias pessoas torcendo o pescoço para ver um corcel inteiraço, lindo. E não vi o mesmo interesse por BMW que passou.

    Os políticos que aí estão, já se profissionalizaram, tem todas as manhas. É necessário EDUCAÇÃO, INFORMAÇÃO, pessoas com pouco ou nenhum estudo são facilmente ludibriadas por essa corja.

    Roberto

    ResponderExcluir
  44. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  45. Roberto, vc lembrou de um ponto muito interessante. Concordo plenamente:

    Independente dessa história de IPVA, é muito bacana andar com um carro mais velho, que chame atenção por estar bem conservado apesar da idade (e nem precisa ser um carro muito raro ou antigo).

    É o que eu digo: para ter um carro novinho em folha porque é o carro do ano, isso é "fácil", é só o cara ter dinheiro. Agora, para ter um carro mais velho, e mantê-lo em ótimas condições mecânicas e de aparência, o cara tem que entender e saber cuidar: Isso é uma daquelas coisas que o dinheiro não compra.

    E quando alguem elogia que o carro está bem conservado, é algo muito gratificante, pois indiretamente é um elogio ao dono também.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...