3 de abril de 2011

NOVO JETTA, UM EM DOIS

Fotos: Divulgação VW

O Jetta, um sedã, é a “costela de Adão” do Golf,  um hatchback, e foi lançado em 1979, cinco anos depois do modelo do qual derivou. Sua última atualização havia ocorrido em 2004 e agora chega do México, em versões Comfortline e Highline, com desenho totalmente novo executado na Alemanha, onde também é produzido. Ficou maior e se divorciou por completo das linhas do Golf. Nesse processo, saem de cena o Jetta produzido até então e o  Bora.

Para comparação, o Jetta anterior media 4.555 x 1.780 x 1.460 mm (comprimento x lagura x altura),  com 2.580 mm entre eixos e 1.535/1.510 mm de bitolas. Essas medidas agora são 4.644 x.1.778, x 1.473 mm  com entre-eixos de 2.651 mm e 1.535/1.532 mm de bitolas. O peso da versão superior manteve-se igual, 1.375 kg, mas o porta-malas perdeu 15 litros, passando a 510 litros.

Uma nota curiosa e sobretudo importante é o desenho da carroceria ser de autoria de dois brasileiros, os gêmeos Marco Antônio e José Carlos Pavone (foto abaixo), 33 anos, ambos formados em Desenho Industrial pela Universidade MacKenzie e trabalhando atualmente em Wolfsburg, depois de terem começado na Volkswagen do Brasil, em São Bernardo do Campo, em 2000 e 2002, respectivamente. A proposta que apresentaram numa espécie de competição interna foi a vencedora. As linhas  do novo Jetta são nitidamente germânicas e têm personalidade. Notável, aplausos do AE para os dois.

Os gêmeos Pavone, mestres do estilo (foto motorshow.com.br)
Desta vez a estratégia da Volkswagen é oferecer dois produtos com o mesmo nome variando trem de força, como é comum, mas – inédito – com suspensões traseiras diferenciadas. O objetivo óbvio é reforçar presença em duas faixas de sedãs médios japoneses, franceses e americanos, a 65~70 mil reais e a 90 mil reais, por meio das versões Comfortline e Highline, respectivamente. Verdadeira receita de um dividido em dois.


Estilo moderno e jovem,, nada de linha de cintura alta demais
O Highline (R$ 89.520) vem com motor 2-litros turbo com interresfriador, injeção direta, duplo comando de válvulas acionados a corrente e quatro válvulas por cilindro, sendo o comando de admissão variável. A taxa de compressão é 9,6:1 e o motor é o mesmo do Tiguan. Com 200 cv a 5.100 rpm e 28,5 mkgf  a 1.700 rpm, empurra com vigor os 1.375 kg do veículo. O câmbio robotizado de seis marchas e duas embreagens contribui decisivamente para a expressiva aceleração 0-100 km/h em 7,3 segundos, com velocidade máxima de 238 km/h (dados de fábrica). A suspensão traseira multibraço passou do Jetta anterior para o novo.

O Comfortline (R$ 65.755 manual cinco-marchas e R$ 69.990 automático de seis) também é de dois litros, (1.984 cm³)  exatamente de mesmos diâmetro dos cilindros e curso dos pistões, (82,5 x 92,8 mm), porém de aspiração natural e de geração mais antiga, EA-113 ante a atual EA-888.. É o mesmo motor que propulsionava o Bora,  é flex e desenvolve 120 cv a 5.000 rpm e 18,4 m·kgf a 4.000 rpm com etanol.  Sua taxa de compressão é 11,5:1. Não pode fazer milagre com um carro de 1.311/1.346 kg (manual/automático) nas costas, mas está longe de decepcionar, embora a VW fizesse melhor negócio se aplicasse nele um cabeçote de quatro válvulas por  cilindro, facilmente elevando a potência para o patamar de 140 cv. Mesmo assim, acelera de 0 a 100 km/h em 10/11,1 segundos (manual/automático) com etanol e atinge  202/198 km/h, de acordo com a VW.

Motor TSI 2-litros turbo, ponto alto da versão superior do novo Jetta: 200 cv e 28,5 m·kgf

Achei rodar do Comfortline mais confortável que o do Highline, cuja suspensão poderia ser um pouco mais macia, – mas é perfeita para uma Autobahn – e com estabilidade de sobra, apesar do simplório eixo de torção na traseira em vez da mais elaborada suspensão multibraço do Highline.

É claro que o Highline é superlativo, proporciona satisfação de dirigir bem maior, tanto pela potência quanto pelo câmbio roborizado que inclui borboletas para trocas no volante além da alavanca seletora (sobe marcha para frente, padrão VW/Audi). O Comfortline, que segundo a fábrica deverá representar 70 por cento das vendas, estava equipado com as rodas e pneus opcionais de medida 225/45R17., de série no Highline. É de supor que o Comfortline se beneficie dos pneus de série mais estreitos, 205/55R16, em razão da potência relativamente baixa. A conferir.

Ambos são bons exemplos dos carros de tração dianteira atuais, com uma direção irrepreensível., mesmo  no Comfortline de assistência hidráulica, que no Highline é elétrica, mais moderna. A relação de direção, 15:1, e o volante de 370 mm de diâmetro estão na medida certa. Os freios mostram funcionamento preciso, com modulação perfeita. Os discos de freio dianteiros da versão mais potente tão maiores, 312 mm de diâmetro contra 280 mm.

Diante do motorista os traços inconfundíveis da marca
Lamentavelmente a Volkswagen só forneceu informação de consumo rodoviário do Highline, 14,8 km/l segundo a norma NBR 7024.

Nas arrancadas fortes a potência do Highline faz as rodas dianteiras quererem patinar, mas o controle de tração, que não poder ser desligado, logo assume. O contole de estabilidade é bem tolerante. Mesmo andando forte em alguns momentos, não se manifestou. Nota dez. Apesar da potência a relativamente baixas 5.100 rpm, o corte de alimentação só ocorre a 6.750 rpm, o que é conveniente, já que o motor vai bem até 6.250 rpm.

Qualquer que seja a escolha, Comfortiine ou Highline, é garantida a satisfação em possuir e utilizar um sedã atual, de boa aerodinâmica (Cx 0,30), muito espaçoso mesmo para os ocupantes do banco traseiro e com  uma ainda generoso porta-malas com boca baixa, apenas 80 centímetros do solo, o que facilita colocar ou retirar bagagem.. A dotação de itens de série é rica.

O Comfortline vem com ar-condicionado, limpadores de pára-brisa com variação de intermitência, para-choque, retrovisores extternos e maçanetas da cor da carroeria, ajuste elétrico dos espelhos, protetor de cárter e saída de escapamento dupla. Há três apoios de cabeça no banco traseiro e três cintos de três pontos, freios ABS, controle de tração, bolsas inflaveis frontais e laterais para os ocupantes dianteiros. Há ainda alarme antifurto, aviso sonoro de faróis ligados, sistema Isofix para bancos de crianças, faróis de dois refletores, faróis de neblina e sensores de estacionamento dianteiro e traseiro.

São opcionais para o Comfortline; auxílio de faróis ao se aproximar ou se afastar do carro, espelho retrovisor eletrocrômico e sensor de chuva, os três dentro do Kit 1 (R$ 1.300); ar-condicionado digital duas-zonas, volante de direção multifuncional e controlador automático de velocidade, compondo o Kit 2 no caso de veículo com câmbio manual (R$ 2.100); o mesmo Kit 2 com câmbio automático custa R$ 2.620, por conta das borboletas para trocar de marcha no volante; rodas de alumínio 17-polegadas (R$ 1.600); bancos de couro (R$ 600); teto solar elétrico (R$ 2. 990); e rádio RCD 510 com oito alto-falantes (R$ 1.000).

O Highline traz de série todos os itens do Comfortline, mais duas cortinas infláveis, controle de estabilidade, ar-condicionado digital de duas zonas, controlador automático de velocidade, espelho retrovisor  eletrocrômico, sensores crepuscular e de chuva, auxílio de faróis ao se aproximar ou deixar o carro, bancos de couro e rádio MP3 com tela sensível ao toque e Bluetooth.

São opcionais para o Highline rodas de alumínio preto Queensland (R$ 300), teto solar elétrico (R$ 2.990) e  ajuste elétrico do banco do motorista (R$ 1.000).

O novo Jetta, independedente da versão, tem todos os ingredientes para agradar. Só não custava nada o pára-brisa vir com faixa degradê. Perguntado por que não tinha, um gerente da engenharia esclareceu que é norma da VW alemã. Bem que podiam rever esse conceito, não?

BS

73 comentários:

  1. Bob
    Me desculpe, mas o carro apenas repete o estilo dos atuais Audi na traseira e a nova identidade do Polo/Fox/Passat na dianteira. Nada de muito especial, com todo o respeito aos gêmeos.

    ResponderExcluir
  2. Leo
    Bem, sempre tem que manter a identidade da marca.

    ResponderExcluir
  3. Bob, esse modismo de rodão e pneuzão beira o absurdo. Pneu 225 num carro de 120 cv penaliza muito o desempenho. Basta lembrarmos que os omegas nacionais de 4 cilindros, de porte, potencia e peso semelhante ao VW em questão, possuíam pneus 195, e não lhes faltava aderencia. Vai ter dono de Jetta 2.0 passando aperto com celtas VHC e milles mais nervosos...
    Apesar de não ser exatamente a mesma proposta, Civic SI e Jetta turbo custam o mesmo. Potencia parecida, mas muito mais torque no VW. Difícil justificar a escolha pelo Honda. A não que o cabra seja viciado por altos giros!

    Vai ter gente aqui me criticando um bocado, mas por 90 contos do turbo, eu pegaria um Azera (270 cv, 6M, 73 paus, anda junto do Honda e VW citados) e uma DRZ 400 para brincar nos fins de semana, ambos zero bala!

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  4. Rômulo Rostand03/04/11 11:19

    Bob Sharp,
    Gostei do post. Se o preço do Confortline manual se confirmar, estará cotado juntamente com o Focus 1.6 e Vectra para minha próxima troca de carro, daqui à alguns meses.
    Algo que me desagradou no Hughline foi saber que não é possível desligar o sistema de controle de tração. Nem imagino qual seria a alegação do fabricante para tirar esta opção do motorista.
    Se coubesse no meu orçamento, seria um dos fatores que me desistimularia a adquirir o carro.

    ResponderExcluir
  5. Bob;

    Uma duvida: Você que está no meio automotivo já deve ter se perguntado e talvez até quem sabe consiga apresentar uma resposta satisfatoria: Porque a VW não desenvolve um pouco mais a linha de motores EA827/113 dela a fim de obter um pouquinho mais de potencia dela.

    Até o Familia II da GM (apelidado jocosamente de "Monzatech") extrai seus 140cv com etanol no Astra/Vectra!. O Ap/EA merecia mais!

    Um grande Abraco

    ResponderExcluir
  6. O Fluence é mais bonito e parece (apenas parece, pois é um pouco maior) ser bem maior e parrudo, e, apesar de oferecer só uma motorização, esta mesma é intermediária e satisfatória comparando com as do Jetta. Um ponto negativo é que o desenho do Jetta anterior era mais agressivo, e realmente, manter a idêntidade da marca é uma coisa, mas manter o mesmo desenho em todos os carros é loucura Bob. E no caso da Volks, excluídas proporções, o desenho está ficando igual em todos os carros. Duvido que o Gol NF reestilizado com a nova frente GENÉRICA fique mais bonito que o original. Só trocaria um Fluence por um Jetta 2.0 TSI, lógicamente, mas comparar um Fluence com o Borão é justo , compará-lo com o Passatinho, nem tanto.
    Bob, você acha que conseguiriam extrair mais de 140 cavalos do motor 2.0 aspirado apenas adotando 4 válvulas por cilindro? A taxa de compressão tão alta não significa que já não conseguem tirar mais do mesmo?


    Renan Veronezzi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu acho o inverso. gosto é gosto.....

      Excluir
  7. Shimomoto
    Sempre que pergunto isso a alguém da VW brasileira, não há resposta. É esperar que alguum dia se toquem e usem a tecnologia que têm.

    ResponderExcluir
  8. O EA-113 já não é palio para muita coisa, e a anos! Apesar do carro ser excelente e muito bonito, eu acho que é uma coisa a colocar na balança o fato de um carro de mais de 60 mil reais vir só com 120 cavalos... Mas mesmo com essa falha grande de estratégia e respeito com o consumidor, eu compraria o Jetta básico de olhos fechados, afinal, é um Volks e pareçe um mini A4.

    Rômulo R., você gosta tanto assim da GM a ponto de comprar um Vectra? o Cruze está chegando, calma aí cara, vamos ver se vale a pena esperar. Comprar uma carro equipado com Monzatech (hahahaha, ri pra caramba) e de uma GM decadente, deprimente e asquerosa como a de hoje é mancada. Bons tempos em que a nossa GM estava em sintonia com a Opel.

    ResponderExcluir
  9. Carro básico é pelado demais...parece Honda New Civic, quando começa a "encher" o pacote o preço fica fora da realidade....os Focus oferecem muito mais por menos preço....

    ResponderExcluir
  10. Essa coisa de manter a identidade visual da marca é uma faca de dois legumes, pois se exagerar, ficam todos os modelos parecidos demais entre si. Perde-se a identidade visual do modelo, digamos. Os mestres em manter a identidade da marca, como a BMW por exemplo, sempre o conseguem sem deixar seus modelos parecidos demais uns com os outros.

    ResponderExcluir
  11. Renan
    Há dois tipos de consumidor de automóveis, os que dão importância exagerada ao estilo e os que não. Eu estou no segundo grupo. Desde que me agrade à vista e seja um desenho eficiente, para mim é mais do que suficiente, caso desse novo Jetta. Além disso o estilo VW está longe de desagradar, tanto que no Golf é carro mais vendido na Europa faz tempo. Sobre a potência do EA-113, acredito que poderia chegar fácil aos 140 cv com outro cabeçote. E ainda há campo para algum aumento da taxa de compressão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o jetta novo não enjoa mas também não empolga. agora o novo azera e sonata, empolgaram muito, mas para mim já estão cansando....
      potencia não tem muito haver com prazer de dirigir. aposto que o jetta 120cvs é muito mais prazeroso que um corolla ou civic no dia a dia.

      Excluir
  12. Também acho que essa história de manter a identidade da marca já está indo longe demais, afinal quem quer comprar um carro de 90 mil reais praticamente igual a um que custa 40 ?, o consumidor quer mostrar que conseguiu chegar lá, certo ou não é assim que o mercado age. Vou ver esse carro mais de perto, parece bem interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BDF, qual carro que custa 40 mil que é igual a ele?

      Excluir
  13. jackie chan03/04/11 12:33

    Essa é a arma da VW para tentar conquistar uma fatia do mercado norte-americano, no segmento dominado pelos Civic, Corolla, etc., dentro do plano ambicioso de se tornar o maior fabricante do mundo até 2018. Agora com o desastre natural no Japão, afetando a produção das marcas nipônicas, o objetivo está menos difícil de ser alcançado.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo 3/4 12:23
    Um dos segredos do estilo da BMW é a inconfundível grade do duplo rim através do anos. Não fosse ela, teriam que buscar a identidade visual de outra maneira, talvez seguindo os passos da VW.

    ResponderExcluir
  15. Dias atrás fui num concessionário VW conhecer o Amarok. No salão havia um Passat, 1.8 Turbo por R$ 99 mil. Achei o seu interior com linhas simples para o porte e preço do carro. Não combinava com o desenho do exterior.
    Com o novo Jetta estou com essa mesma impressão. Com um agravante: a VW está pedindo muito pelo Confortline. Acho que R$ 6 mil a menos no básico ficava na medida certa, aí sim SBC teria um produto e com condições reais de balançar o mercado de sedãs médios.
    Desse jeito o Jetta vai continuar como um apagado coadjuvante na lista da Fenabrave.

    ResponderExcluir
  16. Tem razão Bob, formato peculiar da grade dianteira é uma grande sacada, também da Alfa Romeo, Volvo, Aston Martim... Se eu fosse um fabricante, ia querer ter uma "grade", e não apenas o símbolo, rs.

    ResponderExcluir
  17. Por 90 paus, sou mais esse Jetta que um corolla altis. Apesar que com essa grana no bolso não compraria nenhum dos dois...

    Agora, o confortline por 65 mil, com direito a "para-choque, retrovisores extternos e maçanetas da cor da carroeria" é extremamente caro, mesmo porque já li em outros site que o acabamento não é lá essas coisas....

    Bela piora em relação ao modelo anterior....


    Marco

    ResponderExcluir
  18. O melhor indício de que esse motor chegaria facilmente à faixa dos 140cv com quatro válvulas por cilindro é o finado Gol GTi 16v, que há quinze anos já tinha potência nesse patamar.

    Pena o controle de estabilidade e as bolsas infláveis laterais não serem opcionais na versão básica, mas aqui no Brasil quase ninguém iria comprar, mesmo...

    Quanto à identidade visual, acho que a VW anda exagerando um pouco. No caso do Jetta, ainda tem o agravante de a parte superior do painel se assemelhar muito à do Fox.

    Ainda assim, me parece que a Volks conseguiu um resultado excelente com a nova geração do sedã, e a clara diferenciação técnica entre as versões, abrangendo motor, transmissão, suspensão, direção e freios mantém o carro interessante em faixas de mercado distintas, ao contrário de modelos como o Corolla, cuja versão de topo passa a impressão de simplesmente não valer o que custa.

    ResponderExcluir
  19. Aproveitando os comentários referentes às gerações de motores, recomendo o interessante vídeo do camarada ADG High Torque

    http://www.youtube.com/user/ADG0068#p/u/49/PGvMr6yLE-o

    ResponderExcluir
  20. Rômulo Rostand03/04/11 13:59

    Lucas,
    73 mil um Azera? É um preço realmente tentador para que o carro oferece. Acho estão praticando preço dos custos como forma de afirmar a marca no país. É muito carro para esse preço.

    ResponderExcluir
  21. Lucas quis dizer "abaixo dos custos."

    Anônimo(11:47),
    O Vectra está bem defasado realmente e ficará bem mais com os novos lançamentos previstos, mas está sendo vendido bem abaixo da tabela. Imagino que aumentarão os descontos após o Cruze.
    E apesar do Monzatech(também não conhecia, rsrs), considero um carro de ótima dirigibilidade, muito firme e obediente na estrada, ainda que não seja páreo para nossos sedans japoneses ou o Focus.

    ResponderExcluir
  22. Acho que essa política "8 ou 800" da VW para o Jetta revelar-se-á um tiro no pé. Quase 70 "conto" é muito para o combalido motor EA-113 (AP-2000 no formol, que como bem lembrou o Daniel acima, não tem nem o comandinho de válvulas roletado que a GM pôs no Monzatech). E R$90 mil pela versão caprichada invade segmentos maiores, como o do Fusion, Sonata e Azera.

    Vai acabar competindo só com o Vectra "Por Fora Bela Viola, Por Dentro Pão Bolorento".

    ResponderExcluir
  23. Romulo, a 72 já se encontra. Veja o link. http://www.webmotors.com.br/webmotors/carro/novos/hyundai-azera-3.3-mpfi-gls-sedan-v6-24v-gasolina-4p-automatico/6526724/detalhe.wm

    Eu não sei se é o Azera que está barato ou os outros caros demais. Acho que é a segunda opção. Mas não podemos esquecer que o novo Azera já foi lançado no exterior, e o pessoal tem que desovar esses rapidinho.

    Bem, a favor do Jetta turbo tem a facilidade de aumentar sua potencia com o mínimo esforço. Já li que 260 cv vem duma simples reprogramação via porta OBD2. Os que conhecem mais do assunto, por favor, façam as correções necessárias.

    Abraço


    Lucas crf

    ResponderExcluir
  24. Bob,


    a versão hatch do Corolla (Auris) também oferece dois tipos de suspensões traseiras: eixo de torção, ou independente com dois braços tranversais na versão 2,2-L D4D.

    ResponderExcluir
  25. HeadStar
    Essa informação não consta do Automobil Revue. Onde a viu?

    ResponderExcluir
  26. Jamais um carro q pesa 1,300 Kg e tem um motor de 120 CV faz o 0 a 100 em 10s e muito menos atinge os 202 Km/h.

    o Tempra HLX c/ motor de 127 CV e 100 Kg a menos fazia 9,7s e chegava a 200 exatos...

    ResponderExcluir
  27. Pisca
    É perfeitamente possível. Aerodinâmica conta.

    ResponderExcluir
  28. Bob, me desculpe, mas carro de 1300 kg e 120 cv não faz 0 a 100 em 10 s nunca. Só se estiver numa baita duma descida...Vamos esperar os testes e ver. Vamos apostar entre 13 e 14 s para o automático e 12 para o manual?
    Na máxima eu concordo com voce que a aerodinamica faz toda a diferença, mas acredito que ele estacione na casa dos 190. E voce sabe que de 190 para 200 tem botar muitos cavalinhos.
    Particularmente, acho os dados de fábrica duma desfaçatez ímpar.
    Vide o novo omega canguru, que como eu havia previsto e um amigo colunista teimado, ficou longe dos 6.8 prometidos no 0 a 100.

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  29. Ainda me pergunto porque a VW não traz a versão 2.5 5cil, colocando entre as duas atuais. Um dos principais pontos positivos do antigo Jetta era exatamente esse motor...

    ResponderExcluir
  30. Acho que se eu entrar numa loja da volks, caio duro de sono....
    cada carro feio.

    ResponderExcluir
  31. O desenho do Jetta pode não ser muito original, mas provavelmente também não enjoará fácil. Meu sonho de consumo agora é esse 2.0 turbo, mas nem sei ainda se é o meu perfil, pois prezo o conforto de rodagem... mas com esse câmbio e motor não deve ser muito difícil relevar uma suspensão um pouco mais dura. Pelo preço, o Azera pode ser uma boa opção, mas o Jetta é mais jovial e esportivo. Espero logo fazer o test-drive para tirar todas as minhas dúvidas.

    ResponderExcluir
  32. Lucas
    Não é meu papel defender fábrica alguma, mas o fato é que os testadores dos fabricantes tiram realmente o máximo dos motores e conferem aceleração no nivel do mar. Você deve saber que nos motores de aspiração natural há queda de 1% na potência para cada 100 metros de altitude. Já velocidade máxima é calculada por computador com notável precisão, não há por que duvidar.

    ResponderExcluir
  33. A Volkswagen do Brasil é que poderia contratar o "Irmão do Décio", ao invés de processá-lo, como intentou faz algum tempo atrás. O traço do rapaz, especialmente em modelos da Volks, é simplesmente fantástico. O "novo Fusca" dele é sensacional.
    Pra quem não conhece, vale uma espiada em seu site.

    ResponderExcluir
  34. Bob, de maneira alguma questiono sua probidade e imparcialidade em relação aos seus (ótimos) testes e impressões. Se passei essa sensação, peço desculpas. O problema, Bob, é que os números de fábrica são sempre muito melhores do que os que são obtidos nas publicações especializadas. Ora, sabemos que nessas publicações o que não falta é gente boa de braço. Portanto, quanto à tecnica não vejo o porquë das diferenças nos testes. Acho que então sobraria uma parcela muito grande da diferença somente para as questões climáticas e de altitude, o que acaba por fugir de minha lógica e conhecimento.

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  35. Bob, você anda está numa fase meio amena hein? Acho que tem diferenças no tempo em que você trabalhava nessas empresas para os dias atuais.

    A volks divulga tempos de aceleração e velocidade máxima muito diferentes da realidade. É Golf 1,6 L que acelera mais rápido que Subaru Impreza 2 L com o praticamente o mesmo peso, menos marchas, menos torque, muito menos cavalos e tração só dianteira.

    ResponderExcluir
  36. Marcelo Augusto03/04/11 19:51

    Esse motor 2 litros é uma vergonha. Por mais contraditório que parece o veterano motor GM é que está em bom padrão. Sem duplo comando, sem mais 8 válvulas, sem variação de comando e admissão, e gera gera pouca diferença de potência perante os concorrentes (Ford, PSA, Toyota etc) que tem tudo isso e com custo elevado. Essa engenharia toda sevindo de argumento de marketing do que resultado prático.

    ResponderExcluir
  37. Também concordo que a identidade visual da frente de todos os modelos VW está um pouco exagerada.

    Já que estão trazendo esse Jetta do México, e já que (embora não compartilhe painéis de chapa) suponho que ele compartilhe a maioria da parte mecânica com o Golf, bem que a VW poderia trazer também o Golf atual do México também!!! Aliás, não sei porque ainda não o fez. Afinal, o lançamento do Golf 7 vai demorar um pouco ainda.

    Seria medo de estragar as vendas do velho "Golf 4,5"? Que façam então como a GM: chamem-no de "Jetta GT"! Ou de "New Golf", sei lá...

    ResponderExcluir
  38. Bob,

    Tem o caso da suspensão do Cruze: nos EUA é multilink (na versão turbo) e na Argentina é eixo de torção todas as versões. Nos respectivos sites da Chevrolet dá para conferir as especificações.

    A VW não foi original. Só foi prática. Eliminou o Bora e Jetta antigos.

    ResponderExcluir
  39. Caio Cavalcante03/04/11 22:06

    Bob,
    Bom post. Apenas notei que seus comentários pessoais foram poucos, a avaliação foi curta?
    Vou pertubar um pouco você com algumas perguntas. O câmbio automático da versão Comfortline é o mesmo Aisin que equipa o Jetta Variant? E a caixa DSG, qual é a procedência? É perceptível a diferença de comportamento dinâmico entre as versões além do quesito conforto? Dizem que o novo é inferior ao antigo em acabamento. Qual a sua impressão Bob? Sobre a Variant, fiz o que você me recomendou. No trânsito urbano não obtive muito sucesso, o câmbio continuou reduzindo ao menor aumento de pressão no acelerador. Longe de ser ruim, pois as trocas são de uma precisão e suavidade incríveis. Já na estrada é possível fazer ele "aprender" a reter marchas.

    Gosto desse desenho tipicamente alemão dos Volkswagen, linhas limpas e sem tantos vincos. Concordo que na foto um Jetta fica muito parecido com um Fox, principalmente por dentro, mas é entrar em ambos pra ter certeza das diferenças. São vários detalhes que a primeira vista não se revelam mas que no dia a dia aparecem. Sem entrar no mérito da eficiência, pra maioria é difícil engolir um lançamento dessa categoria com motor rendendo 120 cv.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  40. O desenho caiu bem: não foi uma inovação, mas não é cansativo e, seguindo a escola VW, não será aquele carro que depois de seis meses vc já está enjoado, como todos da Hyundai, na minha opinião.
    Quanto À versão Highline, nem precisa comentar.
    O que me pergunto é: tenho um Polo GT, ou seja, com o mesmo motor 2.0 de 120 cv, e com AC ligado já sinto o carro fraco, demora pra responder, etc. Imagina num jetta!
    A VWB está muito acomodada, deveria urgentemente promover melhoras num motor que já foi excelente e exemplo mas que, infelizmente, está com desenvolvimento abandonado.
    ACorda VW!!!

    ResponderExcluir
  41. Pelo menos esse Jetta automático de 120 cv anda mais que um Vectra de 140 cv. Pelo menos segundo os dados da QR, a aceleração 0-100 do Vectra Elite é em 13,9 segundos. Com isso não quero dizer que a VW não deveria ter oferecido um motor melhor, apenas mostra como o Vectra está totalmente ultrapassado. Mas fico curioso em saber como seria o Jetta com o motor 1.4 turbo como na Europa (também deve ser apenas suficiente, o que já é bom para muitos consumidores).

    ResponderExcluir
  42. Oferecer um motor defasado num carro moderno é de cair os butiá do bolso.
    Duvido que o 2.0 FSi aspirado fosse encarecer muito.

    ResponderExcluir
  43. Bob, talvez algo mais simples (em termos de economia de escala) do que montar cabeçote 16v no EA-113/AP/827 seja justamente fazer uma versão sem turbo do 888, aproveitando a vantagem do conjunto já reforçado para o turbo para para ganhar em durabilidade.
    Tudo bem que na própria família 888 há o 1.8 de 160 cv, o que significaria redundância, bem como o EA-111 1.4 Twincharger, mas vai que mesmo assim alguém não goste de turbo, mesmo sendo os TFSI muito bons em todos os aspectos...

    ResponderExcluir
  44. Sobre o desenho, a VW sempre se gaba de ser atemporal, design que dura. É fácil ser atemporal sem criatividade e personalidade...

    O Golf mesmo é atemporal mas com personalidade. VW atuais são muito bem feitos mas dão um certo sono...

    Bob, vocês poderiam convidar um estilista pra comentar aqui no blog. Os comentários sobre estilo aqui sempre são no nível de "gosto pessoal" mas nunca algo mais técnico...

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  45. Osmar Fipi
    É uma ótima ideia!

    ResponderExcluir
  46. O estilo dos VWs está tornando todos os carros da marca bastante semelhantes. mas creio que este family feeling está longe de ser um "picolé de chuchu". Preocupa-me o novo estilo dos Hyundai, que a despeito de fazer qualquer um cair o queixo, tornar-se-á envelhecido rapidamente, tamanha a quantidade de vincos, arestas e formas sinuosas.

    Agora...motor "Santanatech" é duro, heim ?

    ResponderExcluir
  47. Bob, td bem q lá em cima a aerodinamica pode até levar o Jetta aos 202, mas vc há de convir cmg q de 0 a 100 ela não influencia em nada.

    O fator limitador é o alto peso do carro em si.

    E eu DUVIDO q o Jetta faça os 100 na casa dos 10s.

    Um Gol Gti q tinha a potencia no msm patamar e pesava INFINITAMENTE menos fazia em 10s cravados num teste feito p/ vc na revista Auto Esporte.

    ResponderExcluir
  48. Adoro VW,principalmente a mecânica,simples,sei que o APZÃO ta mega ultrapassado,mas a própria VW deu a opção do mesmo carro em duas versões,coisa que,a Toyota não fez,Renault também não,GM idem,a Honda tem o SI que é mais agressivo e pede uma tocada igual.
    O que não dá pra aguentar e o acabamento.Um amigo certo dia disse para mim,cara hoje eu andei em um JETTA é o carro tem um acabamento maravilhoso...quando a grana aparecer será um Jetta.
    Mas agora já estou ouvindo de várias pessoas,inclusive aqui,que o acabamento,mesmo da versão turbo já não é o que era.Antigamente um Gol era bem acabado para sua época,como um Santana,um Passat,mas parece que a VW parou no tempo e para piorar a situação,agora está aplicando a mesma formula de econômia porca que aplicou em seus carros populares.
    A Fiat já é lider de mercado há nove anos,neste ano ela passou o VW GOL em vendas por dois meses seguidos com os UNO antigos e novos,se tudo continuar assim em breve até os chineses vão tomar o mercado que um dia ela reinava.
    A Fiat não é melhor que seus concorrentes,mas em matéria de colocar no mercado o que o consumidor comum quer,isso ninguém faz melhor que ela.Se ela hoje decidir fabricar um novo modelo,em pouco tempo ela o faz.A VW levou décadas pra mudar sua linha de carros aqui no Brasil,e só mudou porque o mercado exigiu,se não tinha Fusca(nada contra ele,tive dois) saindo do forno até hoje,basta ver a Kombi que vai morrer por obrigação!

    ResponderExcluir
  49. FICOU BÃO ESSE NOVO SANTANA !!!!

    E TÁ LÁ O "APEZAUM" COM OS SEUS DESCOMUNAIS 116CV (NA GASOSA), O "MESMO" DESDE 1986.. HÁ HÁ.( PODEM TER INVENTADO VÁRIOS NOMES MAS A POTÊNCIA É PRATICAMENTE A MESMA).

    SERÁ QUE VAI SAIR TAMBÉM A VERSÃO "BX" COM MOTOR VW " A AR ?" OU A VERSÃO "CL" EQUIPADA COM O AE-1600 (O VÉIO CHT )?

    ACORDA , VOLKS!!

    ResponderExcluir
  50. Rapaiz.....
    Esses folkswagens são muito horriveis. E ainda foi brasileiro que desenhou ? que fama...

    ResponderExcluir
  51. 0-100 em 10 segundos...

    Volkswagen mandrake!

    ResponderExcluir
  52. Realmente, só é negócio a versão top. E neste caso, como é negócio! ("AO MEU VER...")
    Primeiro carro no Brasil com tanta tecnologia, DSG + FSI, que prataço heim!
    Mas naaaaum, o pessoal quer malhar o "APEZAAAUM"...
    (Que aliás, com um "caracolzim" vira 280cv/40mkgf brincando... brincando... sem quebrar!)
    Bom deixa pra lá... Eu não posso comprar um mesmo.
    Agora pra quem pode comprar... Sou 1000x mais um "Santanaum" do que um "Monzaum trambolhaaaum"...

    Sds

    ResponderExcluir
  53. Bob, otimo post...tenho um jetta 2007 e só trocaria pelo novo pensando no motor e na transmissão...tenho uma dúvida...o jetta 2007 não tem transmissão DGS, mas tem dupla embreagem?

    ResponderExcluir
  54. Fui ver o carro pessoalmente e gostei muito mais ao vivo do que nas fotos. Frente parece do Fox, mas é muito mais encorpada. Com relaçao ao 2.0 aspirado fiz o testdrive e realmente é uma vergonha, duvido que acelere em 10s até os 100km/h, dai o vendedor sugeiru desligar o ar condicionado, melhorou um pouco, mas quem num carro desse valor, vai andar de vidros abertos e respirando fumaça e calor..... dai ele me disse que o carro estava abastecido com gasolina q por isso tava fraco....horas e qdo poderemos usar alcool de novo...com esses preços...Agora o 2.0tsi é um brinquedo, motor consagrado no exterior e que no jetta usa sua roupa mais barata, basta ver preços de audi, eos, e o proprio tinguam com esse motor...
    Comprem azera, sempre foi defasado em estilo e agora entao com o novo chegando.... e se vc bater o carro esquece, vai ficar meses espeando peças....

    ResponderExcluir
  55. É anônimo... Deixa essa minoria (no caso do AE) achar que os korea by CAOA é negócio!
    Não tem nem cabimento comparar preços de um carro que segue à risca a escola alemã com um sem escola.

    ResponderExcluir
  56. "Escola alemã" com AP-2000?

    Só brasiliero mesmo...

    ResponderExcluir
  57. Isso para quem não pode pagar por um 2.0 turbo de injeção direta!
    Aliás há algum outro motor que possa ser comparado a este no nosso mercado, HEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEIM?
    Ahhh... com DSG, mero detalhe!
    Mas vai lá compra um Azera, manezão!

    ResponderExcluir
  58. E pro seu conhecimento o AP não deixa de ser de escola alemã, ouviu ooooo...
    O AP nada mais é que um motor Audi! Pode ser antigo, mas não é por isso que deixou de ser.

    ResponderExcluir
  59. Uma última para o sabichão:

    O atual designer "residente" da "koreana" Kia veio de onde mesmo?

    ResponderExcluir
  60. O novo jetta nas fotos é muito mais feio que ao vivo, ao vivo ele é um show. Design sóbrio sem ser tiozão, carro bem acabado, o interior é impecável, bom acabamento e material pra durar ao menos 10 anos sem ruídos, acreditem.

    As fotos não favorecem esse belo carro.

    Questão do motor, o 2.0 é o básico, muito melhor que carros 1.6 e 1.8 que estão sendo vendidos a preço de ouro no segmento "hatch premium" (muito mais baratos que o jetta, só estou comentando) mas não é um motor maravilhoso, e quase nada mais tem a ver com o AP. Não dá pra fazer motor novo todo dia, não vale a pena, mas ele é um bom motor, durável e anda bem. Quer o carro mais agressivo? Compra o TSI.

    Sobre ser Audi, alemão ou não ser, tanto faz, quem quer um carro da Audi compra um Audi, ou sonha com um, não compra Volks e fica pagando pau pra Audi. Compre o Jetta e seja feliz, ou compre outro e seja feliz também, só não sonhe que seu golzinho foi feito por deuses - se é que eles existem.

    ResponderExcluir
  61. E qual a diferença entre um VW e um Audi? As quatro argolas?
    Na época do "T 180cv" por exemplo, o velho Golf era um carro mais interessante que o A3, quem dirigiu ambos os carros sabe disso.
    O que o A3 tem hoje que o Jetta não tem?
    Agora dar valor pro emblema volta à história de comprar carro pro vizinho.
    Esta referência que se faz à Audi é em razão que as novas tecnologias são lançadas nos carros da marca mais top do grupo, só isso. Não é questão de "pagar pau"... Bom, isso pra quem considera as opções dum ponto de vista técnico, quando entra emoção na jogada, a história é outra.

    ResponderExcluir
  62. Engraçado ver o povo que compra VW querendo comprar Audi...

    Poxa, com o preço de um Jetta 0km você compra um interessantíssimo Audi S3 usado mas muito bem conservado.

    Eu compraria o Jetta sem dúvidas, se tivesse nos meus planos, mas hoje estou pro lado do 4x4 sério, então invisto nisso e infelizmente a VW não tem nada a altura no nosso país, sobra-nos Mitsubishi, etc. mas o assunto é outro.

    Agora eu compraria o S3 também, mesmo que usado.

    Complicado é o neguin que compra Golf mexicano achando que tá arrasando de Audi.

    ResponderExcluir
  63. Oooo aí sim cara! Compra lá o S3! Tração quattro, demais!
    Viu... E esse carro foi muito bem tropicalizado, pode rodar com gasolina comum que não dá nada... e seja feliz com a caranga!
    Bela escolha! Parabéns aê!
    Abraços

    ResponderExcluir
  64. prefiro a GM velha e decadente que essas invenções mirabolantes da VW e outras montadoras.

    confiabilidade não se compra.
    pelo menos vejo uma boa vontade em melhor na GM coisa que não vejo nas 3 grandes do Brasil.

    acredito o Cruze(credo!) e nos ecotec da vida..

    ResponderExcluir
  65. A GM tá na mesma M***A! Aquele monzatech (que ao menos tem os balancins do comando roletados) não é referência nenhuma pro mercado e no final das contas o velho APzaum se mostra mais prazeroso, com mais torque disponível em baixa. Agora não sei como está o pós-venda da GM, atualmente estou valorizando bastante isso, chega de gastar dinheiro pra passar nervoso.

    Agora falar em Ecotec é a mesma coisa que falar nos motores turbo de injeção direta da VW, somente disponíveis em versões mais caras, algo que não posso me dar ao luxo de ter por enquanto. Resultado, continuo com o meu carro! Não vou trocar messssmo!

    ResponderExcluir
  66. Do texto:
    "4.644 x.1.778, x 1.473 mm com entre-eixos de 2.651 mm e 1.535/1.532 mm de bitolas. O peso da versão superior manteve-se igual, 1.375 kg, mas o porta-malas perdeu 15 litros, passando a 510 litros. "

    Vectra Elegance 2010:
    4587 x 1728 (sem espelhos laterais) x 1458 com entre-eixos de 2.703 mm e 1.484/1.481 mm de bitolas. Peso de 1.308 kg (em ordem de marcha, não sei se tanque cheio), porta-malas de 526 litros. Valor da nota fiscal R$56.000,00 (abril de 2010).
    ABS, airbag duplo, bluetooth (atende telefone sem mexer no aparelho, viva voz), leitor de SD e entrada auxiliar no som que tem comandos no volante, ar condicionado digital, volante com regulagem de altura e profundidade, banco com regulagem de altura, retrovisores elétricos com pisca integrado, vidros elétricos "um toque" que fecham ao trancar o veículo e um desenho mais bonito (recém lançado é uma coisa diferente de bonito).
    De minha residência ao trabalho são 6 km que faço em MEIA HORA!!! Um monte de 1.0 soltos impunementes (rsrsrsrs), um monte de gente falando no celular ou esperando o celular tocar!
    0 - 100 km/h, num tô nem aí!
    Quero é custo benefício.
    Os fabricantes informam a altura e larguras totais externas, mas isso não fecha a conta do conforto interno.

    ResponderExcluir
  67. ÉÉÉ Rolim! Bom é seu Vectra! AHHH!

    ResponderExcluir
  68. Este motor da Confortline de 120 CV, faz lembrar ao finado AP 2000 do Santana que aliás tem mesmas medidas internas,só recebeu um tapa e um nome novo e tcham !!!! mais alguns anos de sobrevida no mercado enganando o povo! dá vergonha esses motores perto que que é vendido na Europa pela Volks na Itália,na Inglaterra..
    Jetta com 1300 Kg 0 - 100 Km em 10 s duvido !!!
    Só tem casca....
    ACORDA VW !!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  69. Eduardo, quem tem que acordar é o consumidor... Pode ter certeza que a VW está bem acordada! E pra quem pode dar 80k, a VW oferece o melhor custo-benefício do mercado. IMHO
    Ahhh... E a base do TSI também é o APzão viu...

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...