Google+

18 de abril de 2011

VAI UM MEXICANO AÍ?


Desde que foi firmado o acordo comercial com o México isentando os automóveis fabricados lá do imposto de importação, apareceram em nosso mercado alguns modelos com preços mais atraentes se comparados aos nacionais. Um dos primeiros a mostrar bons números de vendas foi o Ford Fusion, com preço ligeiramente superior às versões mais caras do Ford Focus, fabricado na Argentina.

Atualmente, um modelo que chama a atenção é o Dodge Journey SE, que nos EUA custa a partir de 22 mil dólares e aqui é oferecido a 82 mil reais. Longe de ser uma pechincha, mas custando pouco mais do que um Corolla XEi, o crossover americano oferece bom espaço interno e motorização V-6 acoplada a uma caixa automática de 6 marchas, além de bolsas infláveis frontais, laterais e tipo cortina.

Já o Honda Accord, de preço similar nos EUA e também vindo do México, tem preço sugerido aqui de R$ 99 mil. A explicação pode estar na gordura dos preços dos carros fabricados em nosso país. Como a Honda posicionaria o Accord com preço mais baixo na gama se o Civic EXS tem preço sugerido de R$ 86 mil reais?

Uma busca no mercado de usados, no site Webmotors, por ofertas de Fusion desde o ano modelo 2006 retorna mais de 700 anúncios, o Jetta também retorna número parecido, começando no ano modelo 2007. Já o Honda Accord retorna menos de 200 ofertas, considerando também carros a partir de 2006, o que nos dá uma ideia das vendas dos três modelos.

Outra explicação seria a preferência por utilitários esportivos. A Honda tem o CR-V com preço similar ao Accord, o que acaba canibalizando vendas do sedã. Tivesse a Ford algo como o Edge a preço similar ao Fusion e a VW um Tiguan mais barato e provavelmente os sedãs dessas marcas ficariam em segundo plano.

Mesmo com as diferenças de preços mostradas aqui, fica claro que o carro importado do México tem preço mais atraente do que o carro nacional. Ótimo que tenhamos uma oferta de modelos cada vez maior e preços mais em conta, mas causa preocupação o fato desses modelos serem todos importados. A Ford já traz o New Fiesta, colocando um modelo fabricado no México em uma faixa inferior de preços. A continuar assim, ficaremos cada vez mais longe de ter fabricados aqui modelos que possam ser vendidos em outros mercados, nos gerando divisas, e permaneceremos relegados à condição de fabricantes de modelos baratos e de menor valor agregado.

Lamentável para o país que ostenta o sexto lugar no ranking mundial de produtores de automóveis.

AC

40 comentários:

  1. AC, salvo melhor Juízo, quando o CR-V passou a vir do México, a importação do Acord ficou a cargo da produção japonesa. Inclusive me parece que esta seria a justificativa 'oficial' pelo preço sugerido pela montadora ao Acord básico.
    Leandro/PR

    ResponderExcluir
  2. O que me preocupa é a oferta de peças de reposição desses modelos. Mas como o brasileiro vive trocando de carro, só eu mesmo pra me preocupar com uma coisa dessas...

    O destino desses carros, a partir dos 12 anos de uso, são as periferias das grandes cidades ou pequenas cidades do interior.

    ResponderExcluir
  3. Na época que o Fox ainda era exportado para a Europa, eu não me conformava (e ainda não me conformo) em ver um carro nacional mais barato lá fora do que aqui.

    ResponderExcluir
  4. Fusion é uma EXCELENTE compra. Um 2006 sai na faixa de 40 mil reais e está a anos-luz das tranqueiras 0 km que nosso mercado oferecer.

    Por isso eu compro usado, o 0 km no Brasil é muito "overpriced", pelo preço de um "compacto premium" se compra um sedã de luxo usado.

    Ainda estou juntando dinheiro para comprar o meu, estou me auto-financiando (e fazendo o banco pagar juros pra mim em vez de eu pagar juros pra eles), mas afirmo que o Fusion é disparado o mais provável candidato a ser meu próximo carro.

    ResponderExcluir
  5. Zé das Couves18/04/11 17:26

    Guilherme J, o Honda City é exportado pra Argentina e pro México. Faz uma pesquisa e vê o quanto custam por lá.

    Ao ver esse tipo de coisa, tenho que concordar com o Carlos Mauricio, carro zero é muito caro.

    ResponderExcluir
  6. Da mesma forma que nós importamos carros mexicanos, o México importa carros brasileiros. A diferença é que os modelos que nós exportamos para aquele país são os pequenos e básicos. Quando eu estive na Cidade do México, fiquei surpreso com a quantidade de Gols brasileiros que há rodando por lá, inclusive como taxis.

    ResponderExcluir
  7. É o que eu sempre digo: carro fabricado aqui tem muita gordura no preço, disfarçada "de alta carga tributária". Mesmo com isenção de imposto de importação, o custo de transporte de um carro do México para cá não é barato. Tudo bem que o dólar mais barato nos últimos meses ajuda diminuir a diferença de preços, mas ainda assim carro aqui é muito caro, tomando-se por base o que oferecem e a idade da maioria dos projetos.

    ResponderExcluir
  8. Cruvinel,

    Empolgantes suas análises sobre carros usados. Por sinal, vc é o único colunista que aprofunda o tema com rigor.

    ResponderExcluir
  9. É o Fusion é uma verdaeira pechincha, o preço de um 2008 é muito proximo, de um focus ghia sedam, a diferença é a manutenção , que não deve ser muito, mais alta.
    PS:Tenho um focus ghia 2006 auto, troquei o calço do motor valo da peça:R$ 630.00, ou seja é bem cara

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Pois é, Zé das Couves.
    Revoltante.

    Espero que essa concorrência externa dê bons resultados.

    ResponderExcluir
  12. Alexandre
    Vc acertou na mosca ao falar de posicionamento. Muitos jornalistas e publicações ignoram este fator. Os carros mexicanos não podem ser mais baratos para não canibalizar nem desornedar a gama de cada marca no país.

    ResponderExcluir
  13. Leonardo,

    Por isso eu acredito que deveria ser dada a todos os brasileiros a oportunidade de importar carros do Mercosul e México nas mesmas condições que as "montadoras". Sendo assim, as fábricas nacionais não poderiam mais fazer este joguinho que só engorda os seus lucros e teriam que rever esta política insana oligopolista que praticam aqui, só oferecendo a nós carros ruins e caros. Nos EUA e na Europa não se aceita carro que não tenha Air Bag. Aqui engolimos os 1.0 pelados em que a direção e pneus só não são opcionais porque não seria possível tirar o carro da concessionária sem eles.

    E nossos carros mais pelados de tudo que custam 15 mil dólares!!!

    ResponderExcluir
  14. O Accord não vem do México, vem do Japão. Por isso o preço mais alto.

    ResponderExcluir
  15. Esse acordo comercial com o México vale também para autopeças?

    ResponderExcluir
  16. Roberto Dallabarba18/04/11 22:25

    Não estou dando a mínima de onde vem esses importados, seu preço (pois também estou longe de poder comprá-los sequer usados), e nem dos fabricados aqui. Por que lendo esse post me lembrei de uma reportagem que li, em que Rigoberto Soler, projetista do melhor esportivo puro sangue brasileiro: Brasinca Uirapuru, disse algo assim: fizemos um automóvel no Brasil quando a coréia do Sul nem existia. hoje não temos uma única fábrica nacional, enquanto eles produzem milhões de carros. É uma vergonha. Algo está profundamente errado com o Brasil. Uma fábrica de automóveis, como qualquer indústria, deve ser vista como um centro gerador de rendas, não como um pólo concentrador de receitas" Choremos, comprando essas porcarias 1.0 e ainda mandando os lucros para fora, que nem no México ficam... FALEI!!!
    ABS, REVOLTADOS.

    ResponderExcluir
  17. Só complementando, se vocês observarem na Fenabrave, o Fusion vendeu mais que o Focus sedan por vários anos seguidos (e acho que ainda vende).

    ResponderExcluir
  18. Roberto Dallabarba18/04/11 22:40

    AC,
    não foi nada pessoal, seu post está ótimo como sempre, e suas preocupações bem fundamentadas.

    ResponderExcluir
  19. AC,

    O bom é o consumidor ter acesso a carros completos de verdade, com boa motorização e pacote de acessórios de respeito.

    O ruim é que não é produzido aqui, não gera empregos aqui, etc. e ladainha já conhecida.

    A vantagem é que sempre há e sempre haverá público para os carros aqui produzidos, especialmente os de "baixo" custo, populares, que tem uma saída muito boa.

    Sendo assim, todo mundo feliz, todo mundo com emprego e quem tem mais $ investe no carro que quiser.

    []s

    ResponderExcluir
  20. Antonio Filho-

    Pior de tudo é aceitar que até o México nos rouba descaradamente.

    Não adianta pessoal, somos o salva guarda financeiro mundial. TODAS as fabricas, montadores e importadoras de carros, assim como quase tudo aqui nesta terra de comércio e industria multi nacional nos roubam numa boa e o Brasil sempre abrindo as pernas e fazendo de tudo para que mantenha essas margens de lucro fantásticas que TODOS TEM !

    Enquanto não houver uma revolução popular e pessoas sérias, Brasil vai cada vez mais nos fazer de burros financeiros.

    Acorda Brasil !

    ResponderExcluir
  21. Acontece que aqui no Brasil, no caso os fabricantes e montadoras de carros, sempre venderam muito bem, e tinham o preços de acordo com o valor do carro internacional, nos anos 90 com a abertura dos importados, chegaram até a melhorar ou ter os mesmos produtos da Europa. A alta do dólar e da divida externa nos anos 90 inflacionaram o valor dos carros, e começaram a fixar esse dólar alternativo e seguro sempre alto, bem acima para não ter prejuízos. Com isso o valor do carro no mercado foi subindo, e economicamente o bem adquirido não podia perder seu valor com aqueda do dólar, acomodando o valor inflado. Só que ai a agencia reguladoras monetária brasileira deixou a coisa correr solta no final dos anos 90 para ano 2000, com o pico do dólar a R$3.60 e os juros para lá de 3% AM, e a partir do ano 2000 começou a escala dos valores dos carros que até hoje não para. Só que ai com essa brincadeira de manter sempre o valor alto desse dólar digamos, salva vidas comercial para assegurar o valor do carro no Brasil, a muito tempo que não acontece nada disso, e tudo que vemos se torna super lucro para todos os fabricantes, montadoras e importadoras.

    Uma vergonha por que simplesmente ninguém faz nada, e sinceramente, dane-se quem pagou caro em carros anteriormente, os preços tem que baixar ao normal, já a muito tempo. Lembrando que a industria de um modo em geral também usa essa mesma regrinha protecionista interna igualmente.

    ResponderExcluir
  22. o que eu queria saber é se tem meios legais e amparados por lei pra eu ir em algum lugar como o méxico ou argentina ou qualquer um desses lugares com acordo comercial com o brasil, comprar meu carro zero por metade do preço que é vendido aqui, traze-lo e documenta-lo. É possivel?

    ResponderExcluir
  23. Tá ai Anonimo das 11:46 !!

    Ótima pergunta !

    Alguém ae sabe responder essa pergunta de suma importância ???

    ResponderExcluir
  24. Quem gosta, gosta, quem não gosta, curte!

    E tenho dito!

    ResponderExcluir
  25. Anonimo da 11:46: é perfeitamente possível e muita gente faz isso, mas tem que pagar os impostos para sustentar a corja de Brasília do mesmo jeito. Veja um caso recente do Badolato do Museu do Dodge que trouxe um Challenger por conta própria:
    http://museudodge.blogspot.com/2011/04/meu-challenger-rt-classic-parte-1.html

    ResponderExcluir
  26. jackie chan19/04/11 15:17

    Carro aqui é muito caro. Quase tudo aqui é muito caro. De produtos industrializados a serviços, quase tudo muito caro. Outro dia eu estava comparando os preços de frete cobrados pelo comércio online dentro do estado de SP com os praticados no Japão. É um absurdo, pois os fretes aqui em SP, via Correios, chegam a custar mais do que no Japão via courrier, sendo que SP é muito menor, geométricamente falando, por não ser comprido e divido em dezenas de ilhas. Sem falar na qualidade do serviço e na rapidez, que aí já seria covardia. Em suma, é um ciclo vicioso: Como quase tudo aqui é muito caro, cobra-se muito caro mesmo quando não é necessário.

    ResponderExcluir
  27. Carlos Maurício
    Você pode importar carros nas mesmas condições que as fábricas. Mas simplesmente não compensa comprar um Fusion por importação independente que não terá garantia e terá preço pouco inferior.

    ResponderExcluir
  28. Com certeza o Jetta e o Fusion são ótimas opções de usados... Agora em alguns aspectos o Brasil está mais parecido com os países desenvolvidos, tipows... o preço para manter um carro, o preço de serviços em geral... Agora o preço do produto novo, só a lei da oferta e da procura poderá regular, acho que só compensará comprar carro novo em 2014.
    Abs

    ResponderExcluir
  29. Li uma reportagem onde o preço do carro(na europa)era o equivalente a 450 mil reais, o mesmo carro no mercado de usados no Brasil estava sendo vendido por um milhão e meio de reais.Levando ainda em conta a diferença de renda per capita, é um absurdo.ps. carro ferrari458.

    ResponderExcluir
  30. Anônimo 219/04/11 18:11

    Junior, o que acontece é que no mercado de carros antigos e de luxo, o pessoal faz os preços aqui já considerando quanto custa para trazer o carro de fora (carro + impostos), e não apenas o valor do carro em si.

    ResponderExcluir
  31. Anônimo 219/04/11 18:39

    Completando, eles fazem essa conta mesmo na hora de revender um carro que já esteja no Brasil há décadas.

    Poe exemplo, se um carro custa US$30 mil nos EUA, por aqui pode ter um igual por uns US$50 mil, e ainda vai ser considerado mais barato que o dos EUA, pois para trazer vai custar mais que 50 mil no total...

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. E eu já pensei em comprar um carro na Argentina, Uruguai ou até Paraguai, emplacá-lo lá mesmo e rodar aqui.

    ResponderExcluir
  34. Acho interessante esta invasão de importados, para acabar com a lenda de que aqueles fabricados lá fora não são tão robustos como os nossos VWs e GMs da vida. Pelo menos vários destes carros rodam muitos e muitos Km sem problema de suspensão, direção, etc.

    ResponderExcluir
  35. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  36. O Accord é caro porque é Honda. A GM importa o Malibu 2.4 dos EUA com preço mais competitivo e pagando mais imposto.

    Eduardo,

    O custo de manutenção do Fusion em relação ao Focus é mais ou menos a mesma coisa, se não for mais barato. Isso é devido ao fato das peças virem do México - assim como os carros, tendem a ser mais baratas.

    Anônimo 19/04/11 11:46,

    Não é possível porque o acordo comercial com o Mercosul e México só é válido para importações entre empresas. Se você comprar um carro no México, terá de pagar o imposto de importação normalmente.

    Os EUA seguem como o país de onde é mais interessante se importar, já que imposto de importação é impossível não pagar.

    É possível conseguir o desconto de outro imposto, o IPI, se a importação for feita diretamente em seu nome, como Pessoa Física.

    ResponderExcluir
  37. Aí Thânia Maria... esclareceu legal!

    ResponderExcluir
  38. Aí Thânia Maria... esclareceu legal!

    ResponderExcluir
  39. PeTista-LuLista24/04/11 03:51

    Isso é tudo culpa do PSDB!!!!

    ResponderExcluir
  40. Não podemos esquecer que o Real é uma moeda "forte". Ou seja, está muito mais barato comprar coisas lá fora, mas é muito caro para eles comprarem coisas aqui.

    Sabe qual país tem uma das moedas mais "fracas" do mundo? A China. Explica alguma coisa?

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...