14 de maio de 2011

A1, O AUDI "POPULAR"

Fotos: Audi/Claudio Larangeira



O Audi A1 fez sucesso assim que foi lançado no Salão de Genebra de 2010. Agora chega ao Brasil e é o primeiro Audi que custa menos que 100 mil reais, ao ser comercializado por 89.900 reais. Um Audi “popular”.

A plataforma é VW Polo e, portanto, o Audi A1 é compacto. Hatchback duas-portas, mede 3.950 milímetros de comprimento com entre-eixos de 2.470 milímetros, tendo 1.740 milímetros de largura por 1.420 milímetros de altura. Espaço para quatro, cinco com algum aperto no banco de trás. O diâmetro mínimo de curva é de 10,6 metros, bom para o trânsito denso.



O Cx (coeficiente de arrasto) é 0,329, com 2,04 metros quadrados de área frontal. O compartimento de bagagem é modesto, apenas 267 litros, 920 litros com o banco traseiro rebatido. Os vidros laterais são acústicos.


O motor TFSI 1,4-litro é turboalimentado com interresfriador e injeção direta. Com duplo comando acionado por corrente e quatro válvulas por cilindro, desenvolve 122 cv a 5.000 rpm, torque de 20,4 mkgf de 1.500 a 4.000 rpm (curvas ao lado). Pesando 1.200 kg em ordem de marcha, são 9,8 kg/cv de relação peso-potência, responsável pela aceleração 0-100 km/h em 8,9 segundos e pela velocidade máxima de 203 km/h, segundo a fábrica. Não é dos mais potentes mas dá para divertir.

Principalmente associado ao câmbio robotizado sete-marchas de duas embreagens (a seco) e suas trocas manuais rápidas pela alavanca ou pela borboletas, bem como pelos pneus 215/45R16 escolhidos para a comercialização no Brasil (a medida básica é 205/55R15). O bom comportamento em curva é proporcionado pelas usuais suspensões dianteira McPherson com subchassi e barra estabilizadora, e traseira por eixo de torção.

A direção é rápida,.relação 14,8:1, com assistência eletro-hidráulica dependente da velocidade e o veículo conta com controle de estabilidade, que pode ser desligado. Com o câmbio em modo S a assistência de direção diminui e nas trocas automáticas a sétima marcha é desabilitada.

Uma particularidade do transeixo é a existência de duas relações de diferencial, 4,800:1 para 1ª., 2ª , 3ª e 4ª e 3,429:1 para 5ª, 6ª e 7ª. Nesta marcha, a 120 km/h o motor está a 2.400 rpm. A velocidade máxima é obtida em sexta. Os números de consumo oficiais são surpreendentes: 15,4  km/l urbano e 21,7 km/l rodoviário. Por isso o tanque de 45 litros, aparentemtente pouco, proporciona boa autonomia Há sistema desliga/liga motor opcional.

O estilo é tipicamente Audi, com a grande grade trapezoidal com moldura cromada e ornada com o emblema-logotipo de marca, os quatro anéis entrelaçados. Não poderiam faltar as luzes de uso diurno, os já "audianos" filetes com LEDs em cada farol bi-xenônio. LEDs são usados também nas lanternas traseiras.

Ainda na parte visual do A1, são 11 cores de carroceria entre sólidas (3), metálicas (5) e perolizadas (3), e o carro pode vir com os arcos longitudinais do teto em pintura diferente (opcional de R$ 1.350).

O interior traz rigorosamente tudo o que se espera de um veículo premium, especialmente num carro alemão. O luxo, os cuidados e os materiais saltam à vista e ao tato. O teto solar panorâmico custa R$ 4.500, apliques no interior de várias cores a escolher, R$ 790, sistema de áudio Bose, R$ 3.374 e partida a botão sem chave, R$ 2.500. Tudo somando, o A1 chega a R$ 98.441.

Uma questão de gosto: conta-giros à esquerda, lugar certo

Como anda
Um carro alegre, para o qual é indiferente andar tranqüilo ou acelerando forte. A calibração da suspensão está no ponto certo na conciliação de conforto e estabilidade. Mesmo forçando em curva a roda traseira interna permanece no chão, sem a levantada normalmente vista nos carros de suspensão traseira por eixo de torção. O isolamento do mundo exterior é dos melhores; os bancos, perfeitos. O A1 faz tudo bem – faz curva, acelera e freia.

O kartódromo de Aldeia da Serra, próximo a São Paulo, que está virando autódromo tanto que é usado para avaliação de carros nos lançamentos, não é ideal mas serviu para numa tocada mais rápida avaliar alguns pontos do novo Audi. Ele é um pouco "frentudo", sai de frente mais do que eu esperava (visível na foto de abertura), e as trocas de marcha não são tão secas e positivas quando em outros Audis com esse tipo de câmbio que já dirigi. A Audi explica que é devido às embreagens a seco e também aos objetivos de calibração da fábrica. Mas isso não tira o mérito da excelência do sistema, que continua superior a tudo que existe em câmbio hoje, em especial na questão do consumo.

O motor TFSI 1,4 não é dos mais potentes

Na magnífica estrada que liga a Rodovia Castello Branco, no km 48, a Pirapora do Bom Jesus, um percurso com boa variedade de curvas, subidas e descidas, deu para sentir as qualdades dinâmicas do A1, sem prejuizo do conforto. Como dito acima, ele anda certo. Vai agradar e se juntar ao time dos carros "diferentes" que já estão no mercado: Smart, MINI e Fiat 500.

BS

57 comentários:

  1. Marcelo Junji14/05/11 16:12

    Linda curva de torque. Ou melhor reta.

    ResponderExcluir
  2. Sandoval Quaresma14/05/11 16:34

    ué Bob... não era o conta-giros que vc preferia à esquerda? exatamente como nos Audi?

    ResponderExcluir
  3. Muito bacana, muito lindo, muito foda! Queria muito ter um!

    Mas... 100.000 dinheiros?

    Acho que vivo numa realidade muito diferente, deve ser essa a explicação.

    ResponderExcluir
  4. partindo de 90 mil, que país lazarento

    um audi 0km, na faixa dos 55 mil, ai sim, esse A1 seria o carro, melhor continuar sonhando

    ResponderExcluir
  5. Bob,

    Será uma particularidade destas caixas dupla embreagem seca ter dois diferencias? No Fiesta é assim também, confira: http://media.ford.com/images/10031/2011_Fiesta_Specs.pdf

    OBS: Na legenda da fato acho que ficou trocada a informação, pois o senhor não prefere velocímetro à direita?

    ResponderExcluir
  6. Pedro Navalha14/05/11 18:44

    Sensacional esse Audi A1!

    Bob, o motor 1.4 TFSi tem comando de válvulas acionado por corrente metálica ou é correia dentada? Não vi essa informação em nenhum lugar que li sobre ele.

    ResponderExcluir
  7. Bob,

    Como é a manutenção da dupla embreagem a seco? Imagino que seja semelhante à monodisco, mas muito mais cara, não é?

    Esse é meu medo quanto aos novos câmbios que estão chegando (Novo Jetta TSI, por exemplo): custo de manutenção. Os automáticos puros teoricamente duram a vida toda, bastando observar o nível e período de troca do óleo...

    Num carro como o A1, tudo bem. É carro de nicho.

    ResponderExcluir
  8. André Andrews
    Não necessariamente as caixas de duas embreagens têm duas relações de par final. BMW e Porsche PDK só têm uma. Acredito que tenha a ver com espaço na carcaça. Vou me aprofundar mais nesse assunto.
    Realmente "troquei as bolas", gosto como está no A1, conta-giros na esquerda. Sempre estranho os BMW e Fiat, ao contrário.

    ResponderExcluir
  9. Pedro Navalha
    Detalhe muito importante, o acionamento dos comandos é por corrente. Vou acrescentar a informação ao texto.

    ResponderExcluir
  10. Sandoval Quaresma
    Isso, confundi-me ao escrever a legenda. O André Andrews lembrou o mesmo. Já acertei.

    ResponderExcluir
  11. Alexandre - BH -14/05/11 19:08

    Muito legal o brinquedinho, mas pagar 90 mil pra ter algo diferenciado? Grana alta. Aliás, ‘diferenciado’ é algo que tem sido desaconselhável, principalmente em certas regiões nobres de São Paulo...

    ResponderExcluir
  12. 90 pilas? Muito dinheiro para um carro desse porte e potencia. Por esse valor, jamais compraria um desse.

    Abraço

    Lucas crf

    ResponderExcluir
  13. Mineirim
    Não tenho como responder com certeza, mas as embreagens automáticas são menos solicitadas do que as de operação a pedal, por funcionarem sempre com o mesmo padrão, sem interferência do motorista e eventuais erros. Toda embreagem, se bem operada, a menos que haja falha do material de atrito do disco, tem que durar o que dura o carro ou pelo menos 200.000 km. Já contei aqui, um Mille do meu irmão que foi vendido com 236.000 km e nunca mexeu na embreagem. O que aniquila qualquer embreagem é temperatura excessiva por deixá-la patinar.

    ResponderExcluir
  14. Valeu Bob,

    Uma curiosidade:

    Essa caixa também tem avanço lento como na caixa em banho de óleo? No Fiesta não tem.

    ResponderExcluir
  15. Lucas e demais
    Reparem que nunca digo se um carro é caro ou barato, isso porque carro no Brasil é excessivamente caro. Esse A1 custa na Suíca 28.600 francos suíços, que a 1,77 dá 50 mil reais, isso preço público, já com a margem do concessionário. Caso típico é o Honda Civic Si, que custa 21.500 dólaes nos EUA, com teto solar que não é oferecido aqui, R$ 103.650...

    ResponderExcluir
  16. Bob
    Este motor,sendo injeção direta, não estaria muito estrangulado, comparado ao Fiat T-Jet que rende 152CV.Este carro não merecia mais potência?

    ResponderExcluir
  17. Não há como negar que os alemães são experts na arte de fazer automóveis!

    Os brasileiros também são experts em tarifas e impostos abusivos! 90k é exagero!

    ResponderExcluir
  18. oliveira_jc
    Os Audi dupla-embreagem têm avanço lento, mss com o freio acionado a embreagem abre, de modo que o motor não fica fazendo força. Considero ideal a solução, pois o avanço lento é útil ao manobrar.

    ResponderExcluir
  19. oliveira_jc14/05/11 19:48

    Obrigado Bob,

    Então é como no automatizado da Meriva, melhor pra manobrar.

    ResponderExcluir
  20. Bob + Laranjeira

    O melhor de 2 mundos!

    ResponderExcluir
  21. Marcelo Augusto14/05/11 21:27

    Na europa há Polo com este motor/caixa e até mais potente.... e barato. Que triste viver aqui...

    ResponderExcluir
  22. Popular com este preço? O painel até parece mesmo de popular, com aquelas saídas de ar redondas. Pode ser bom mecânicamente falando, mas o conjunto não.

    ResponderExcluir
  23. Popular com este preço? O painel até parece mesmo de popular, com aquelas saídas de ar redondas. Pode ser bom mecânicamente falando, mas o conjunto não.

    O conjunto é ótimo. Você achou feio, o que é diferente... As saídas de ar redondas eu também acho feias. E também não gosto da tela do GPS retrátil em cima do painel. Prefiro como é no Bravo.
    Mas que eu acho que ia apaixonar pelo carro ao dar uma volta, ah isso ia.

    ResponderExcluir
  24. Anônimo 15/5 21:37
    Foi por isso que escrevi popular entre aspas. Claro que não é popular no sentido exato, é apenas pelo preço em relação à gama Audi.

    ResponderExcluir
  25. Johnconnor(old rocker)14/05/11 22:37

    Talvez daqui a quatro ou cinco anos eu possa ter um usado...talvez...

    ResponderExcluir
  26. Bob, pq o conta-giros à esquerda eh a posicao "correta"?

    Tenho notado essa configuracao nos lancamentos recentes da industria...

    Ultimamente, somente a linha Palio o mantem à direita...

    Particularmente, prefiro o contagiros à direita, como nos antigos, gol, monza, delrey e santanas, pois acredito ser a melhor leitura...

    ResponderExcluir
  27. Bob,

    entre um A1 e o rival mais imediato, o Mini Cooper, qual seria a sua escolha?

    ResponderExcluir
  28. Com um "platozão" de torque desses, já dá para se divertir bastante, nem precisa o motor ser muito potente.

    Em tempo: Esses 122cv são DIN ou SAE?

    ResponderExcluir
  29. Anônomo 14/5 23:38
    O conta-giros no lado esquerdo tem a vantagem de, ao desviar o olhar para ele, o lado esquerdo do carro estar logo acima, de onde nas vias de mão dupla há o tráfego contrário, e também bastar um movimento de olhos para alcançar o espelho esquerdo. Os BMW também têm conta-giros na direita, infelizmente.

    ResponderExcluir
  30. Alexandre
    Atualmente todas as potências são líquidas, DIN.

    ResponderExcluir
  31. Eduardo Palandi
    Fico com o A1. Tem mais o meu jeito que o MINI.

    ResponderExcluir
  32. bob gostaria que sempre desse ênfase ao tipo de acionamento do comando.nesse carro e o correto por corrente

    ResponderExcluir
  33. Bob e demais colegas do Blog,
    Temos dois carros aqui: uma FIELDER 2006 A/T e um GOL 2009 1.6.
    O comportamento da FIELDER na estrada é muito melhor do que o GOL, digo em questão de estabilidade.

    Acostumado com a FIELDER a andar fácil a 140 km/h outro dia precisei pegar estrada com o gol. Já 120 km/h ele fica extremamente leve, sem estabilidade alguma. Ao tentar ultrapassar, vi que vinha outro carro e retornei para minha mão. Quase me perdi nessa manobra simples. DEUS controlou o carro para mim, chegamos a ir até o acostamento. Por pouco não virou. Um baita susto. Com a FIELDER a 120 km/h eu nem sentiria esta manobra. Fico pensando sobre este A1 tão potente, tão pequeno e tão leve 1200 kg, o gol tem 1000 kg. Seria fácil, como uma FIELDER, andar na estrada com ele? sei não. E olha o que valor da minha fielder é 32 mil pela tabela FIP. Abraços a todos, Ewerton, Bahia, chapada diamantina.

    ResponderExcluir
  34. É mesmo um absurdo os preços pelos quais os carros são vendidos por aqui. Um tremendo de um carro o Audi A1 mas, por esse preço, só mesmo que tem sobrando para desembolsar... Compra puramente emocional.

    Também fiquei feliz em ver fotos do Claudio Laranjeira. Saudades do tempo em que fez parte da equipe da QR, quando ainda era um boa revista.

    ResponderExcluir
  35. Alexei Silveira15/05/11 11:18

    O teste foi ótimo. Bob,não entusiasmou você como o A3 Sport, hein? Que aqui tem custo bem pouco acima.

    A VW fez uma Saveiro aqui, protótipo, com o motor 1.4 e usou uma versão com mais torque e 158 cv. Seria mais compatível com esse peso todo.

    o A1 não tirou a roda trazeira interna do chão, mas saiu de frente. Opção pelas molejo mais macio à frente, bastava usar dupla mola dianteira,tão comum em kit´s de suspensão para VW com eixo de torção... Afinal, é um Audi.

    O diferencial mais reduzido nas marchas baixas é para ter engrenagens menores nas mesmas?

    ResponderExcluir
  36. Alexei Silveira15/05/11 11:34

    Esqueci : boas vindas às fotos do Laranjeira.

    Sobre a durabilidade das embreagens, sinceramente não vejo a hipótese citada como realidade no mercado brasileiro de hoje, a menos que você mande fazer um conjunto customizado com lona (alemã) HD no disco, e kilogramas nas molas do chapéu chinês adequado ao torque do seu motor , peso do seu carro, capacidade de tração, relação de marcha.

    Hoje , são " flex " , afora um ou outro esportivo.

    ResponderExcluir
  37. Marcelo Junji15/05/11 11:53

    Embreagem durou mais 200 mil km? Foi com muito uso rodoviário?

    ResponderExcluir
  38. Ewerton, quem tá acostumado com carros de reação mais lenta se assusta ao dar "golpes" em carros mais leves. A fielder não só é mais pesada que o gol. Ela tem a traseira mais pesada, e entre-eixos maior. Isso confere a ela uma reação mais lenta a manobras.

    ResponderExcluir
  39. Caio Cavalcante15/05/11 12:39

    Bob,

    Se não me engano, o A1 não pode levar 3 pessoas atrás, não tem cinto p/ passageiro do meio.

    Abraços

    ResponderExcluir
  40. Excelente avaliação do A1. Pena que o preço seja tão proibitivo. De qualquer forma, numa comparação com o Mini, eu também ficaria com ele.

    Faço coro a vários outros comentaristas na satisfação com a presença do sempre ótimo Cláudio Larangeira aqui no AE.

    ResponderExcluir
  41. Aqui na Inglaterra, o Polo GTI 1,4 180ps, DSG-7 sai pelo mesmo preco.

    ResponderExcluir
  42. Tudo isso num Polo metido a besta? Não obrigado.

    ResponderExcluir
  43. Pedro Navalha15/05/11 16:48

    Puxa! Eu adoraria ter um Polo metido a besta desses na minha garagem...

    ResponderExcluir
  44. Bob, talvez nos dias de hoje, em que os carros sofrem com os diâmetros de giro excessivamente grandes, um valor de 10,6 m possa ser considerado bom, se pensarmos que carros como o C3 (cujo entre-eixos é mais ou menos do mesmo tamanho daquele do A1), vira em espaço maior que isso. Porém, se considerarmos que um Corsa B, cujo entre-eixos é mais ou menos o mesmo do A1, vira em 9,5 m, acaba sendo algo preocupante ver que o Audinho vira em 1,1 m a mais. E olha que neste caso só estamos mesmo falando de carros pequenos e de tração dianteira, o que é praticamente um duelo parelho com os oponentes tendo as mesmas armas.
    Passou da hora de se falar dessa questão de diâmetros de giro excessivamente grandes, pois isso prejudica sobremaneira a manobrabilidade dos carros. Pode significar um ato de estacionar mais prolongado, o que pode gerar congestionamentos que não existiriam em carros que fazem círculos mais fechados. Pode significar uma bela demora também na hora de se manobrar em vagas demarcadas ou ter de virar o carro em um pequeno espaço.

    E a coisa toda fica mais esquisita se pensarmos que já houve um carro da própria Citroën, com tração dianteira, 4,84 m de comprimento e enormes 3,13 m de entre-eixos, que virava em 11 m, valor esse que é menor do que o os 11,5 m do C3. E isso porque houvem ais recursos técnicos para se fazer o C3 do que a régua e o esquadro dos tempos do DS/ID.
    Chego a ficar com medo do dia em que teremos carros médio-pequenos com 12 m de diâmetro de giro, o que seria entrar em valores dignos de Galaxie.

    ResponderExcluir
  45. Eurico Jr.15/05/11 21:17

    Bob, vi numa revista o A1 com a tampa do porta-malas aberta, que revela algo parecido com lanternas na chapa que circunda a abertura. Qual a função delas?

    ResponderExcluir
  46. "...é o primeiro Audi que custa menos que 100 mil reais..."

    Não entendi, e o A3 que era fabricado aqui não custava menos?!

    ResponderExcluir
  47. Esse carro deve ser muito bom de rodar na cidade, vide seu "planalto" de torque. Deve lembrar carros de maior capacidade cúbica, certamente.

    Obs: Me assustei com o numero de marchas! Existe opção manual com alavanca?

    GiovanniF.

    ResponderExcluir
  48. Belo carrinho, deve ser muito "sorridente" para dirigir.

    Mas a esse preço, compro um Jetta Turbo, que apesar da proposta totalmente diferente, consegue disfarçar muito bem o tamanho e o peso (pouco a mais na verdade), através do seu soberbo conjunto mecânico.

    Mas isso por que sou um pobre homem, se fosse rico de verdade, esse Audi seria o terceiro carro de casa...

    MFFinesse

    ResponderExcluir
  49. Eurico Jr
    É uma lanterna mesmo, auxiliar.

    ResponderExcluir
  50. Perneta
    Está certo. A Audi (e eu) quisemos dizer importado.

    ResponderExcluir
  51. Kevin de La Noya16/05/11 11:51

    O Jetta com Viagra (turbo) não tem nada a ver com o perfil do comprador do A1...

    E não podemos esquecer que o conjunto mecânico do A1 é igulamente soberbo, não tanto pela potência, mas pelas soluções técnicas a ele aplicadas.

    ResponderExcluir
  52. MFF, estamos sempre alinhados nas opções, se eu pudesse também iria de Jetta.

    Agora, a VW não pode demorar mais em trazer este motor pro Polo, isto faria com que eu comprasse o meu 4º... rsrsrs... De tão ruim que este "carrinho metido a besta" é!

    Sds

    ResponderExcluir
  53. Ainda mais com 180hp!!! Pocket Rocket de verdade! Talvez viesse por menos no Brasil, se comparado ao preço pago "pelas argolas"...

    ResponderExcluir
  54. Kevin;

    É por isso que coloquei uma espécie de adendo abaixo do comentário: como não sou um nababo, não posso me dar ao luxo de gastar 90 mil em um "premmium" de pouco mais de 120 cavalos, mesmo que construtivamente muito bem elaborado.


    O Jetta Turbo, a pouco menos de 90 mangos, virou quase que referência entre custo/benefício para tudo que for lançado em faixas mais altas do mercado - compreendendo de 80 a 150 mil reais - daqui em diante.

    Mesmo que os públicos sejam distintos, a versatilidade do carro, podendo ser tocado como um muscle car - 7 segundos até os 100, fisicamente é beeem sentido para quem não é acostumado a carros realmente pontentes - ou levado como um sedan silencioso, espaçoso e confortável.

    Mercedes Classe C, Bimmer com motor 2.0 ou Audi A4, mesmo que com acabamento melhores e sensação de coisa bem feita, não são tão ativos na estrada e custam substancialmente mais...

    Por isso, O Audi júnior deve ser uma pequena beleza, mas está claramente vinte mil reais longe de uma proposta verdadeiramente séria. Prefiro - sem medo de errar - um Bravo T-Jet bem recheadinho...

    Fábio: loco, imagina o Polo com o 1.4T levemente anabolizado, duas portas...

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  55. MFF,

    Pra escancarar geral... hahahaha

    http://quatrorodas.abril.com.br/noticias/vw-pode-criar-versao-rua-polo-r-wrc-289889_p.shtml

    ResponderExcluir
  56. Fábio;

    Essa é fácil, a volks vai lançar no Brasil - em 2012 - o Polo WRC com os seguintes itens:

    - adesivo WRC na traseira;
    - adesivo WRC na grade dianteira;
    - adesivo WRC no volante;
    - volante do golf GTI (ultimas unidades ainda em estoque da direção);
    - filetes vermelhos ao redor da grade;
    - costura WRC nos bancos dianteiros;
    - conjunto de letras em placa adesiva para colocar seu nome no vidro traseiro, bem como do seu "navegador", mais o fator sanguíneo é claro...

    Motor??? claroooooooooo que o resistente, fiável, potente, econômico e eterno 1600cm3, que só não foi utilizado nos ônibus da volks porque os mesmos não conseguiam sair do lugar.

    De resto, até pra bombear água pra fábrica eles usam esse motor...

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  57. Naaaum MFF,

    Pro WRC eles vão lançar uma opção mais potente e robusta... O velho e conhecido APzaum do GT agora com o comando utilizado no Jetta... UAAAAAAAUUUUUUUUUUU!!! Que tesão! rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...