Google+

18 de maio de 2011

A BOA MORTE

Imagem: EPTV.com

Há, em Piracicaba, uma excelente padaria que nunca fecha, perfumando o centro da cidade com aquele maravilhoso aroma de pão fresco a qualquer hora. Não vou citar seu nome, mas digo que é a única padaria 24 horas da rua Boa Morte.

Nome irônico esse, "Boa Morte"... Eu costumava pensar, "O que pode haver de bom na morte?", até o dia em que o meu tio Vicente Bitu se despediu da família: após um infarto no litoral norte de São Paulo, ele ainda teve forças para dirigir até a capital, onde foi internado. Conseguiu ver e conversar com praticamente todo mundo: esposa, filhos, irmãos, sobrinhos, netos e amigos.

Feneceu poucos dias depois da intervenção cirúrgica, tranquilo, com aquela sensação de dever cumprido. Em paz. A resignação da família foi imediata, todos entenderam que a sua passagem para o outro plano foi a melhor possível. Ficou apenas a saudade do tio engenheiro que trocava de Opala quase todos os anos.

Foi nesse dia que entendi o conceito da "Boa Morte": já que o evento é inevitável, que se realize da melhor maneira possível. Em minhas orações diárias, não peço a Deus muitos anos de vida, mas sim muita vida aos anos que me restam. E é claro, peço também uma Boa Morte, pois assim como o Bob, acredito que não exista uma forma pior de morte do que a morte besta, aquela que poderia ter sido facilmente evitada.

Pois foi o que aconteceu ontem na rodovia Luiz de Queiroz, em Piracicaba, durante a tarde: dois veículos se envolveram em um pequeno acidente e um Policial Rodoviário logo chegou para registrar a ocorrência. Ficaram todos perigosamente expostos no acostamento, até o momento em que um caminhão desgovernado colheu a viatura e os dois veículos. Morreram o policial e um dos motoristas, bestamente.

Trata-se de situação idêntica à que vitimou dois amigos, em especial o saudoso Fernando Bender: poucos lugares são mais perigosos do que um inocente acostamento de estrada. Portanto, digo ao leitor, pouco importa a natureza da ocorrência que force uma parada, o ideal é sempre ficar o mais longe possível das faixas de rolamento, ainda que o socorro já esteja presente no local.

A vida não admite descuidos bobos. Seja esperto e cuide bem dela.




FB

48 comentários:

  1. Bitu
    Apenas leia o conteúdo deste link
    http://www.gazetadopovo.com.br/brasil/conteudo.phtml?id=703432

    ResponderExcluir
  2. Kevin de La Noya18/05/11 16:09

    Mais um acidente causado por uma besta fera dirigindo um caminhão.

    É todo dia essa mesma história, mais e mais acidentes envolvendo essa raça, que continuará ceifando vidas inocentes e atravancando o trânsito das grandes cidades.

    A maioria dirige sonada, drogada,alcoolizada e chapada, correndo mais que o diabo da cruz...

    ResponderExcluir
  3. Não admito "desgovernado", "perdeu o controle".
    Houve imprudência, falta de perícia, abuso da condição.

    ResponderExcluir
  4. Lembra doq aconteceu c/ o nosso amigo Fernando do PP?

    ResponderExcluir
  5. Kevin de La ''NÓIA''...

    Acho que o suas ofensas e disparates são no mínimo, fruto da falta de conhecimento e pré-conceito sobre a vida daqueles que movem a ecônomia do país!...sua generalização é um ato imperdoável... diga-me, e oque são aqueles Bad-boys e filhinhos de papai ou ricos empresários, políticos etc..quando não são os mesmos que sobem pelas calçadas atropelando pedestres, totalmente drogados,chapados e alcoolizados..e ainda por cima, querem usar de seu status social e influência para justificar seus atos e assim sairem perdoados? sem sentir o gostinho da impunidade?

    Também são seria as ''bestas'' que rodam nas vias de nosso país?

    Henrique

    ResponderExcluir
  6. Kevin de La Noya18/05/11 17:12

    Henrique,

    Com certeza filhinhos de papai homicidas, motoqueiros assassinos e motoboys loucos também são bestas feras que agem impunemente por aí, também ceifando vidas inocentes.

    Mas acho que todo mundo concorda que o que tem de caminhoneiro nóiado e sonado por aí não está escrito. É morte atrás de morte.

    Todo santo dia um ou mais acidentes atravancando o trânsito de São Paulo, quase sempre nas marginais e anel viário.

    E sempre aquele papinho de "perdi o controle, uma motoquinha me fechou!"

    Façam-me o favor...

    ResponderExcluir
  7. Realmente aconteceu isso ontem? Se aconteceu, é o 2° caso este ano então, em fevereiro se não me engano na mesma estrada aconteceu um caso idêntico, mas o estranho que nada vi a respeito disto ontem e hoje. Moro em Santa Bárbara d' Oeste/SP, cidade vizinha a Pira e a estrada SP-304, vulgo Luiz de Queiroz corta.

    ResponderExcluir
  8. Bem , Já que é esse o assunto vejam o que aconteceu com meu Sogro:

    Em 16 de Dezembro , me ligaram no trabalho para correr para a casa dele pois havia sofrido um acidente de carro.No momento imaginei que ele havia batido em alguém na Fernão Dias , pois moramos bem próximos da rodovia.

    Quando cheguei em sua casa ,minha esposa (que tinha pedido demissão de um emprego de 7 anos para ficar mais em casa ) já o havia levado ao hospital.

    Pensem num acidente mais absurdo :

    Ele chegou em casa para almoçar e subiu a rampa da garagem ( bem inclinada por sinal) e parou o carro na parte plana.Enquanto fechava o portão nem percebeu que a velha Variant 73 carregada de ferramentas ( ele era Marceneiro)
    descia a rampa ATROPELANDO-O
    e arrastando-o até a rua.

    Foi internado com os dois pulmões perfurados ,várias costelas quebradas,os dois ombros fraturados e uma fratura na bacia..

    Contra todos os prognósticos sobreviveu CINCO MESES internado e chegou -se a cogitar sua alta pois seus pulmões estavam cicatrizados, porém foi vítima de uma parada cardiorrespiratória.

    Sobreviveu , reanimado pela equipe médica e voltou para a UTI porém após duas semanas foi derrotado ,vindo a falecer devido a uma grave infecção hospitalar (a tal super bactéria)

    Nesses 5 meses teve muito tempo de "acertar" as contas com minha esposa e sua família pois foi um pai ausente por muito tempo.

    "BOA MORTE" , talvez . "MORTE BESTA" com certeza, pois peguei o carro , parei no meio da rampa com o freio puxado e ESTAVA TUDO NORMAL , ou seja, ELE SEQUER PUXOU O FREIO DE MÃO....

    O que fazer ...?!


    Alemão - R.I.P....

    JONES....

    ResponderExcluir
  9. Posso falar em primeira pessoa: sofri um acidente na alça de acesso da Ponte Ary Torres (SP) há uns meses. Como o carro ficou imóvel, tive que aguardar o guincho, devidamente atrás do guard rail. Não foi por menos, pois ocorreram mais três acidentes em menos de uma hora e meia no mesmo local. Um chegou a se aproximar a dois metros do citado rail. Por curiosidade, os quatro acidentes foram causados pelo desrespeito às faixas contínuas do acesso à ponte por, supostos, motoristas que desejavam continuar na Marginal Pinheiros.

    ResponderExcluir
  10. Então, para que serve a faixa de acostamento?
    Pensei que ela existisse justamente para dar segurança e evitar esse tipo de acidente!

    ResponderExcluir
  11. Olavo Fontoura18/05/11 18:01

    Em países civilizados ela existe exatamente para isso!

    Aqui infelizmente, acostamento serve principalmente para chegar mais rápido no litoral e para bestas feras como disseram aí em cima atropelarem inocentes...

    ResponderExcluir
  12. Sofri um acidente leve este ano, estava parado na sinaleira e bateram atrás de mim.
    A primeira atitude que eu tomei foi sair de perto do veiculo e ficar fora da pista de rolamento. A minha esposa quis ficar aguardando dentro do carro, mas expliquei à ela como isso poderia ser perigoso caso mais alguém se envolvesse no acidente.
    É incrível com as pessoas perdem o senso do perigo, o outro motorista ficou a maior parte do tempo no meio da pista olhando para o estrago dos carros, sem se dar conta de quão fácil ele poderia ter sido atropelado.

    ResponderExcluir
  13. além de alertar a população para ficar fora da faixa de rolamento, conta muito o treinamento da polícia e outros profissionais, seja qual for, coisa que não vejo muito nas rodovias, nos acidentes vejo aquele amontuado de gente desnecessária na pista, inclusive policiais, claro que num atendimento de emergência não é possível sair da faixa, mas sempre há excesso de gente, coisa básica, falta de treinamento

    ResponderExcluir
  14. Besta mesmo.
    Mais besta ainda porque se repete toda hora.
    Sinceramente, o brasileiro acha que acostamento é uma "pista bônus" ou calçada.

    ResponderExcluir
  15. caminhoneiro ganha 500 cruzeiros por mes, toma cachaça no buteco em toda parada, carrega três pensões nas costas, toma chifre, a irmã tá na zona, o filho já é nóia, dirige sem cuidado pois afinal o caminhão não é dele mesmo e ninguem o multará e se multar, a multa vai pra firma, querem o que de um individuo desse. Pior só se for motoqueiro.

    ResponderExcluir
  16. Todos
    Prática comum por aqui é pessoas marcarem encontro em determinado ponto de uma rodovia esperando no acostamento. Vejo muito isso.

    ResponderExcluir
  17. só lembrando que existem caminhoneiros altamente especializados, com treinamento constante, geralmente trabalham como motoristas para grandes empresas, são monitorados dentro do caminhão com até 4 câmeras e ganham muito bem para um caminhoneiro, acima de 3 mil reais, alguns ultrapassam 5 mil, s/ extrapolar as horas semanais, pena que são poucos.

    ResponderExcluir
  18. Olavo Fontoura18/05/11 20:03

    Um em cada mil né anônimo!

    ResponderExcluir
  19. só se for treinamento para capotar no rodoanel...

    ResponderExcluir
  20. Henrique
    "daqueles que movem a ecônomia do país" por culpa da burrice brasileira em não se investir em ferrovias, seja para carga ou para passageiros.

    ResponderExcluir
  21. oliveira_jc18/05/11 20:56

    Bitu,

    Depois que vi esses videos da Truetv nunca mais marquei toca em beira de estrada. Uma vez quase pedi um pneu furado rodando até chegar num local seguro: melhor perder o pneu do que a vida.

    ResponderExcluir
  22. Marcelo Junji18/05/11 22:01

    Será que existe uma estatística de que tipo de veículo provoca mais acidentes fatais? Pois parece que caminhoneiro paga o pato de tudo.Exs:Horário de rodagem restrito, rodízio, pedágio mais caro e cobrado por eixo, restriçao de rodagem em alguns locais, não podem rodar em feriados,etc.
    Infelizmente há discriminação, pois um acidente provocado por um caminhão, é visto como mais grave que provocado por um carro.
    Um dia fui entregar uma carga de papel higiênico em Campos do Jordão, quando um cidadão com um corolla buzina insistentemente para eu ir para o acostamento dar passagem para ele, e o pior é que nesse trecho tinha um espaço enorme para passar e acho que o corolla tem força suficiente para passar um mb 608. Se eu caio serra abaixo, esse cidadão que buzinou pra mim, ia ter que esperar outro caminhão para limpar seu c..

    ResponderExcluir
  23. No eixo Campinas-Limeira da Anhanguera, que já tive que pegar diariamente, a maioria dos caminhoneiros não respeita os carros, limites nem nada.

    Não foram raras as vezes que cruzei com acidentes fatais envolvendo especialmente dois caminhões.

    Falta educação para eles. Educação é tudo, o salário ou trabalho não justificam, se for assim quando faço hora extra posso sair matando?

    ResponderExcluir
  24. Como em tudo, tem casos e casos. Afinal, motorista irresponsável existe tanto em caminhão quanto em carro quanto em moto, até em bicicleta! rs
    Já vi na Bandeirantes caminhoneiro a mais de 140km/h na esquerda, colando e dando farol, tirando gente da pista. E a PRF dormindo...
    O ponto é que se um caminhão tá lotado e dirigindo de forma imprudente, potencializa todo o risco. A freada será menos eficiente, e o estrago será maior.

    ResponderExcluir
  25. Como em tudo, tem casos e casos. Afinal, motorista irresponsável existe tanto em caminhão quanto em carro quanto em moto, até em bicicleta! rs
    Já vi na Bandeirantes caminhoneiro a mais de 140km/h na esquerda, colando e dando farol, tirando gente da pista. E a PRF dormindo...
    O ponto é que se um caminhão tá lotado e dirigindo de forma imprudente, potencializa todo o risco. A freada será menos eficiente, e o estrago será maior.

    ResponderExcluir
  26. Marcelo Augusto19/05/11 02:10

    Até que esse caminhoneiro não está de todo errado. Essa via tem mais de 4 faixas e todo mundo só fica nas duas à esquerda. E os "sem noção" parece que não entendem que deveria haver uma crescente de velocidade sentido à esquerda: mas não, é uma verdadeira salada. O dia que uma carreta passar em cima de uns três compradoes da esquerda, a coisa muda.

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  28. Caminhoneiros são 99,9% LAZARENTOS e pronto!!

    - Ocupam 3 de 3 faixas da rodovia;

    - Dão seta ( quando lembram) e jogam aquele trambolho em cima de você sem nem olhar pelo retrovisor.

    - Nas descidas querem correr a 120 e simplesmente APAVORAM os coitadinhos que estão de CG e de Fusquinhas na direita! Vejo todos os dias eles simplesmente TIRAREM ELES DA ESTRADA porque estão com "pressa".

    - Reparo que muitos motoristas com carros novos não ultrapassam os caminhões por MEDO DE SEREM FECHADOS.

    - Conseguem a façanha de capotar em locais ABSURDOS , caem em canteiros centrais das rodovias EM RETAS porque estão chapados e DORMEM..

    - Ele são BANDIDOS que causam PÂNICO e TOCAM O TERROR nas estradas..

    Os 0,0000001% de caminhoneiros decentes que me desculpem mas não tem como não generalizar ..é igual a político.....

    ResponderExcluir
  29. Bitu, sei que a razão de seu texto não é a cronologia, assim como não sei qdo vc o escreveu, mas este acidente aconteceu há algum tempo (creio que meados da semana do carnaval). Moro em SP mas neste dia estava em Piracicaba (sou de lá) e presenciei o fato.

    ResponderExcluir
  30. Existe imperícia e negligência de todos os motoristas. Mas o modelo de transporte do Brasil favorece esses acidentes.

    Caminhões demais nas estradas precárias e mal sinalizadas. Tem que ampliar o transporte ferroviário.

    ResponderExcluir
  31. Bitu,
    fato lamentável, que ocorre com frequência, infelizmente.
    No caso desse vídeo do post, quer me parecer que o shorts da moça, um pouco fora do padrão americano, causou uma certa distração do motorista que bateu no carro parado.
    Como disse o Bob, pessoas vivem marcando encontros em acostamentos de estradas, e se comportam como se estivessem em um lugar seguro.
    Como escreveu Saramago:
    " A ignorância se alastra a uma velocidade assustadora."

    ResponderExcluir
  32. Antonio Pacheco19/05/11 09:53

    Concordo com o Corsário Viajante, maus motoristas tem em várias categorias. Até pedestre atrapalha o trânsito quando quer.
    Atualmente muitos caminhões andam a mais de 110, 120 nas retas. Na descida passa disso fácil.
    Agora pasmem com a informação que eu descobri: todos os veículos de carga são obrigados a ter o tal do tacógrafo, para medir a velocidade. São obrigados por lei a ter, sob pena de multa. Até aí tudo certo.
    Aí o policial para um caminhão para fiscalizar, verifica se tem o tacógrafo com o disco funcionando, e se estiver, tudo ok. Mesmo que no disco conste velocidades absurdas, acima do limite de velocidade, o agente de trânsito NÃO pode multar ou punir o motorista pela informação do tacógrafo. Só pelo radar, quando for o caso.
    Aí eu pergunto: para que a obrigatoriedade do tal do tacógrafo então? Qual o objetivo dessa Lei burra obrigando a todos os veículos de carga a possuir um instrumento de medição de velocidade, se o mesmo não pode ser usado para fiscalizar e punir quem anda em alta velocidade?
    Eu particularmente não entendo e vou morrer sem entender...

    ResponderExcluir
  33. Por falar em caminhoneiros na Bandeirantes/Anhanguera, os que dirigem VUCs estão abusando mais ainda.
    Aproveitam-se da agilidade dos caminhõezinhos para costurarem pelas pistas!

    ResponderExcluir
  34. Desculpem-me se estou repetindo "quase todo post" o nome desta rodovia, mas a cada dia vejo um absurdo maior na Índio Tibiriçá.
    Esta rodovia está sendo duplicada e nos pequenos trechos onde a faixa adicional já foi disponibilizada, a regra é "se não quiser ficar a 40~50km/h atrás de um caminhão, passe pela direita. Devido a estes trechos serem curtos, percebida a dificuldade ao término da tal faixa, os caminhoneiros simplesmente não abrem pra direita, mesmo com placas indicativas. E não os tiro totalmente a razão, ontem mesmo vi uma fila de carros fazer o caminhoneiro praticamente parar ao final da faixa adicional (com a seta ligada, tentando voltar), isso numa estrada de mão dupla, não é difícil imaginar o que um "sangue ruim" faria. Depois reclamam, que caminhoneiro joga pra cima. Procurando estabelecer uma comunicação, percebe-se que uma boa parcela coopera bastante, dentro do possível, com a fluidez. Mas tem gente que não tem bom senso e só sabe culpar a "besta-fera".
    Pessoal, está no código de trânsito brasileiro que os veículos de grande porte (algo assim) tem a preferência, dada a óbvia dificuldade.
    Sds

    ResponderExcluir
  35. A única coisa que existe no Contran, é que o veiculo maior deve proteger o menor.

    Caminhoneiro é sim uma maioria de imbecis que não tem noção nenhuma da responsabilidade que é dirigir um caminhão.

    A Polocia Rodoviaria deveria fiscalizar melhor os caminhões.

    ResponderExcluir
  36. na minha humilde opinião....os problemas são óbvios, e enquanto não evoluírmos como cidadãos/sociedade, não irá se resolver e não terá ninguém menos culpado que o outro:
    - falta de bom senso (tem vários tipos de animais na pista, em todos os sentidos e categorias)
    - falta de boas condições rodoviárias (nossas estradas são um LIXO, interior dos estados são perigosíssimos, mal sinalizados, sem acostamento e cheio de animais do item anterior)
    - falta investimento adequado e responsável, pois as autoridades, engenheiros e técnicos se enquadram na categoria supracitada também quando não estão dirigindo...
    quem sabe um dia fica como um país civilizado...depende de nós
    abraços

    ResponderExcluir
  37. Aléssio Marinho20/05/11 11:04

    Pessoal;

    Vcs já guiaram algo maior que uma caminhonete?

    É muito fácil, para nós motoristas carteira B, descer a lenha nos caminhoneiros, por pura falta de conhecimento da máquina que eles operam.
    Um caminhão não para como um carro. Suas reações são totalmente diferentes de um carro. Caminhão não para pela força do pensamento como um carro ou moto.
    Imagina o que é segurar uma composição (rodotrem) com PBT de 75 toneladas, freando num espaço de pouco mais de 100 metros numa emergência? Não tem freio que segure essa massa toda instantaneamente.
    Imagine o que é conduzir um veículo com até 30 m de comprimento, e arrumar espaço para efetuar uma ultrapassagem numa rodovia com a sua limitação natural.
    Só dirigindo um "bruto" pra entender a aflição do motorista ao guiar um bicho desses.
    Antes de baixarem a lenha generalizando que todo motorista profissional é assassino, etc, avaliem a sua forma de conduzir e se relacionar com os outros no tráfego. Ponha-se no lugar do outro e imagine 10% da dificuldade de guiar um caminhão, que garanto que 90% dos que escrevem aqui não seria capaz de operar uma maquina daquelas com segurança.
    Em todas as profissões existem profissionais e profissionais, mas tem-se que separar o joio do trigo.
    Respeito é bom, e todo mundo gosta.

    ResponderExcluir
  38. Aléssio,

    Levou a taça! Eu não conseguiria expressar melhor. A rapaziada tem que aprender a observar mais, como já falado acima, essa "raça" MOVIMENTA O PAÍS!
    Detalhe, não sou caminhoneiro, mas admiro esta profissão.

    Sds

    ResponderExcluir
  39. Aléssio
    Já dirigi, sim, só que sem a carga o que dá uma bruta diferença. Não é facil, admito, mas se pega o jeito em pouco tempo, pelo menos na situação que vivi.
    Entendo a sua defesa, sobretudo na injusta generalização que alguns fazem, mas é impressionante como, depois de alguns anos de experiência ao volante, na estrada, consegue-se identificar um mau motorista de caminhão. Às vêzes, num mínimo detalhe, já dá pra saber qual é a do cara.

    ResponderExcluir
  40. Aléssio Marinho20/05/11 15:50

    Fabio

    Minha formação como motorista é essencialmente rodoviária. Conheci praticamente todo o país dirigindo, seja a trabalho ou a passeio, e isso me deu uma visão mais ampla das dificuldades que esse pessoal enfrenta.
    De todas as categorias de motorista, sabe qual a mais perigosa?
    Os cegonheiros! Sim justamente os que levam os nossos carrinhos novos. Na maioria são cooperados, donos de 2 ou mais caminhões, equipados com motores com potência acima de 400 cv para uma viagem com alta velocidade média, pois o seu frete é o melhor remunerado. São capazes de cobrir em 48 h o trecho entre São Paulo e Belém nesse rítmo, pois a logística dos automóveis não pode parar. E para conseguir cobrir isso, só usando um entorpecente, pois o "rebite" não faz mais efeito.
    Depois do cegonheiro, vem o verdureiro, e esse é pior que o anterior, pois a sua carga é perecível e tem horário. Se estragar, ele paga. E o seu frete é uma mixaria. Imagina o que é levar verdura no inverno para Altamira ou Itaituba, no Pará, no inverno? Ou tirar gado de Confresa-MT, pro seu churrasco de FDS? Ou soja do Nortão do MT, sem 1 metro sequer de asfalto e o caminhão atolado 1 semana?
    Já vivi essas situações de carro e caminhonete e sei de caminhão é pior 100 x mais.

    FVG

    Entendo o que disse e concordo em parte, pois com o passar dos anos, o arrojo da juventude dá lugar a prudência. Mas, claro, toda regra tem exeção.

    Ps. Tenho o maior motivo do mundo pra ter raiva da classe dos caminhoeiros, mas não o tenho pois entendi as dificuldades que esse pessoal passa.

    ResponderExcluir
  41. Virgi!

    Na base da "bright" mesmo? Medo!

    Pelo menos hoje os caminhões são muito mais confortáveis (ergonomia, ar condicionado, direção com assistência à altura, câmbio sincronizado, cabine suspensa, etc.)

    Sds

    ResponderExcluir
  42. concordo plenamente com os últimos três "sensatos" que postaram aqui. realemente é um problema conjunto onde todos os motoristas/pedestres/caminhoneiros/motociclistas/animais devem ter consciência do que estão conduzindo e respeitar as outras categorias que compartilham as nossas maravilhosas estradas...
    abraços

    ResponderExcluir
  43. Marcelo Junji20/05/11 21:25

    Motoristas inexperiêntes é que reclamam de caminhoneiros.
    Qualquer motorista experiente sabe que quando dois ou mais caminhões estão enfileirados em aclive, e se um deles der seta este vai entrar, e não é de uma forma irresponsável como muitos estão pensando, se estiver vindo um carro pela esquerda eles presumirão que este está na velocidade permitida para via e que irão frear sem maiores consequencias.
    Motorista experiente sabe que caminhão quando perde embalo, não consegue retomar velocidade (nos carros, basta reduzir para voltar a velocidade pretendida.
    Quem tem experiência sabe que se deve dar espaço para o caminhão frear.
    Para quem disse que tem caminhão perdendo o contrôle até em reta, digo o seguinte: Quando estoura um pneu dianteiro de um carro mesmo estando a 110km/h, não se perde o contrôle,mas se acontecer num caminhão...Quando um caminhão precisa fazer mudança brusca de trajetória, e este sendo um baú de muitos metros de altura imaginem o que acontece. Agora num carro essa manobra é muito mais simples. Rajada de vento lateral? Num carro só se sente o balanço,e no caminhão não será só um balanço, provávelmente este irá sair um pouco da sua faixa.
    No trânsito urbano, se um caminhão dá seta, ninguém cede passagem, ele só entra forçando.
    Desconheço algum caminhão que alcance 140km/h. A injetora não deixa.
    Se um caminhão está em alta velocidade reclamam, e se está lento reclamam mais ainda.
    Caminhoneiro não é suicida e nem assassino. È sim um discriminado.
    Se conhecermos a dinâmica de um caminhão, evitamos muitos problemas. Seria bom se ensinassem o comportamento de um caminhão nas auto escolas.

    ResponderExcluir
  44. Acho interessante como gostam de malhar pau em caminhoneiro. Por acaso alguém aqui já dirigiu um caminhão carregado para saber como é reduzir a velocidade e depois retomar a velocidade porque alguém esta vindo a anos luz de distância na pista da esquerda a 150 km/h aonde é permitido andar a 110 km/h? Alguém aqui sabe como é acordar as 5 da manhã, sacolejar o dia inteiro na boléia, comer comida ruim de beira de estrada, tomar banho em posto de gasolina e dormir dentro de um veículo, todos os dias? Se o caminhoneiro deu seta para entrar, eu seguro. Quem está atras geralmente reclama. Experimentem um dia arrumar uma carreta e sair de Belem do Pará e ir até Porto Alegre em 5 dias. Depois venham aqui xingar os caminhoneiros de irreponsáveis, assassinos e semeadores do panico. Sou da opiniao que todo mundo deveria dirigir um caminhao carregado antes de tirar a CNH.

    ResponderExcluir
  45. Gustavo
    Também tenho a postura de colaborar com os caminhoneiros, inclusive relampejar faróis autorizando-os a sair para a minha faixa e ultrapassar quando vejo-os com essa intenção por meio da seta ligada. Mas infelizmente há os que imaginam que dar seta é o mesmo que ser autorizado a mudar de faixa, e isso não só caminhoneiros, mas motoristas da qualquer veículo. Isso é meio caminho para o acidente. O correto é dar seta e depois avaliar o tráfego à retaguarda, se há algum veículo se aproximando, independente de este estar trafegando à velocidade permitida ou acima.

    ResponderExcluir
  46. Irmão Caminhoneiro21/05/11 11:22

    "Feliz foi Jesus, que não teve sogra nem caminhão..."

    ResponderExcluir
  47. Alexandre Freitas12/06/11 01:27

    Além dos exemplos citados, vejo também muitas pessoas usando os acostamentos de estradas como áreas de lazer, desde atletas amadores correndo até grupos de senhoras fazendo caminhadas. Totalmente sem noção, acostamento não é calçada!

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...