3 de maio de 2011

MARIA VAI COM AS OUTRAS



Tenho notado que aumenta o cordão dos maria-vai-com-as-outras na questão de escolha do automóvel, cordão que não é de hoje. Quando eu trabalhava na GM, recebi um telefonema de uma senhora (presumivelmente, pela voz) perguntando qual a cor mais vendida. Eu já sabia o motivo, mas fiz questão,. depois de lhe ter respondido, de perguntar por que ela quis saber. “É para o carro desvalorizar menos”.

Como autoentusiasta, considero inconcebível uma pessoa deixar de ter o carro que deseja, seja modelo ou detalhes como cor, só para se defender da desvalorização.

Tenho grande um amigo que, como eu, prefere câmbio manual a automático. Há três anos comprou um carro médio com caixa manual, teve até de esperar um tempo por não haver o que ele queria nos estoques das concessionárias, inclusive não queria que fosse preto ou prata. Ao anunciar o carro para vender esses dias, os poucos que atenderam ao anúncio desistiam quando viam que era manual. Meu amigo disse, “É, não adianta remar contra a maré. Meu próximo carro vai ser automático e preto ou prata”.

Essa mesma atitude de seguir o rebanho é um traço do ser humano que seria bem melhor se não existisse. Por exemplo, há quem só vote em candidato a cargo eletivo que esteja na frente nas pesquisas de intenção de voto só para “não perder”. No terreno dos automóveis, só comprar carro que esteja entre os mais vendidos.

Mas há também quem não dê importância a isso – felizmente – ou o Hyundai i30 não teria alcançado a posição de hatch médio mais vendido, com 21 por cento do segmento, à frente de Punto, Focus, Astra, Golf, C4 e outros. Um carro que vem da longínqua Coreia do Sul e recolhe 35 por cento de Imposto de Importação.

No começo da nossa indústria automobilística, 1956/60, eram poucas opções – Fusca, Dauphine, DKW, Chambord, JK, em versões únicas – mas hoje comprador dispõe de cerca de 600 opções entre modelos e versões num mercado de 3,5 milhões de veículos que era o quarto do mundo até 2010 mas deverá descer uma posição este ano para a Índia, a julgar pelas vendas até o primeiro trimestre. O ponto a que quero chegar é que já somos maduros como mercado para escolher o carro que desejamos, sem nos atermos a aspectos mercadológicos, deste modo aproveitando na plenitude o leque de ofertas que felizmente temos hoje.

Você gosta da cor laranja? Compre seu carro dessa cor sem receio, curta-o, e tenha certeza de que quando chegar o momento de vendê-lo ou trocá-lo, haverá alguém que o queira. Vai partir para um importado entre 150 e 200 mil reais e gostaria de tê-lo com câmbio manual mas não o importam? Pressione o importador, faça questão, imponha sua vontade, pois o mercado hoje é do comprador.


Você é um ou uma automobilista. Tenha o carro que quer, não o que querem que você tenha.

Não seja mais um ou uma maria-vai-com-as-outras.

BS

Nota: Hoje, apenas um dia depois de publicado este post, meu amigo me comunicou que vendeu o carro por um ótimo preço, acima da tabela. Fipe. Apareceu um comprador que estava procuranndo justamente uma versão manual, pois pega estrada diariamente e, incrível, não queria preto e nem prata. O carro é azul escuro, muito bonito. Por isso, mais uma vez, satisfaça a sua vontade, não vale a pena ser um maria-vai-com-as-outras.

(Atualizado em 4/5/11, 22h00, com a nota acima)

106 comentários:

  1. Bob...

    Você conhece algum estudo sobre este assunto?

    Pergunto pois tenho um amigo que sempre comprou carros com cores ditas chamativas e nunca teve esta dificuldade para vendê-los. Pelo menos não depreciaram o bem dele, assim como muita gente imagina...

    E particularmente também concordo contigo. Chega deste "mundo monocromático" (Apesar de eu também gostar dos veículos brancos).

    ResponderExcluir
  2. Bob,


    Concordo com tudo que vc relata no texto. Mas o pior que até as lojas estão dificultando a vida de quem quer sair do "comum". Quando fui comprar meu carro atual, eu queria um Branco. Começou com o próprio vendedor desqualificando o produto, dizendo que praticamente não vendiam Mégane Branco, que ia confundir com taxi, etc. A confusão foi tanta, pediram no mínimo 90 dias, depois disseram não ser mais fabricado, e depois de 30 dias de espera aceitei pegar um Prata, por ser a cor mais fácil pra receber o carro.

    ResponderExcluir
  3. Bob, concordo com tudo que disse, eu gosto de carro branco e o meu carro é branco, mas mesmo pra quem prefere câmbio manual não acho que seja uma opção confortável nos grandes congetionamentos, não podemos aproveita-los exeto em situações de viagens e olhe lá, aqui em Recife um câmbio manual é uma péssima escolha, imagino em São Paulo... Penso que a escolha do câmbio depende da aplicação do carro.

    ResponderExcluir
  4. Acho que o problema é decorrente de nossa situação brasileira peculiar. Não é novidade pra ninguém que pagamos caro por automóveis defasados em relação ao primeiro mundo. Os motivos são muitos, mas passam por questões como: fabricantes com margens altas, baixa concorrência (ainda), compradores com baixo poder de compra e baixo critério "entusiasta", crédito caro (juros altos), e obviamente altos impostos.

    Outro dia li em algum canto da internet um estudo que comparava o número de horas de trabalho que um trabalhador em vários locais do mundo necessitava para adquirir bens de consumo relativamente semelhantes entre os países como: iphone, ipad, big-mac, carros médios etc.

    Tenho certeza que no Brasil, custa ao consumidor médio muito mais esforço (trabalho e tempo) adquirir um veículo zero km. Então, devido a esse "esforço triplicado" que enfrentamos, e nosso baixo poder aquisitivo, a questão de desvalorização pesa demais. Muito mais do que nos países desenvolvidos, onde o sujeito pode bancar mais "o sonho de consumo" e se dar ao luxo de não se preocupar tanto com desvalorização.

    Acho que aqui, automóvel ainda é mais meio de transporte do que sonho de consumo. E aí, remar contra a maré para satisfazer uma vontade pessoal acaba sendo caro demais.

    Tomara que isso mude. Torço para que acabe a ditadura do "Prata/Preto". Nossas ruas estão cada vez mais tristes e sem-graça.

    ResponderExcluir
  5. Eu acho que, no fundo, a maioria dos consumidores ainda tratam o carro como um investimento, por mais que todos saibamos, pensando friamente, que não maioria dos casos não é.

    ResponderExcluir
  6. Quando fui comprar meu carro, escolhi vermelho e duas portas. Todo mundo torceu o nariz. Mas escolhi exatamente da forma que eu queria. Tem um ditado que diz que todo carro tem seu comprador. Da mesma forma que eu quis fazer da minha forma vai haver quando eu vender alguém que pensa assim como eu. Inclusive já recebí proposta de venda acima do valor de mercado, e olha que meu carro é apenas um popularesco Celta...

    ResponderExcluir
  7. Esta questão manual x automático está quase ficando sem seu principal argumento: a extinção dos câmbios de 4 marchas.

    Eu, particularmente, até trocaria um manual por um automático (e penso isto para o próximo carro) mas se for só 4 marchas, não compro. Se 4 marchas fossem suficientes por então 5 na manual? Com 5 há um escalonamento muito melhor e com a troca sequencial fica perfeito.

    ResponderExcluir
  8. tem gente que é mto boba! rs

    ResponderExcluir
  9. Concordo com o Bob... E tem um fator muito favorável a favor de uma cor fora do padrão: "roubabilidade". Afinal, o bandido vai pensar duas vezes antes de levar o carro verde limão, sendo que o preto/prata-padrão passa despercebido aos olhos de todos. :-)

    ResponderExcluir
  10. Bob,

    só discordo que o sucesso do i30 seja por conta de quem não dê importância a isso. Pelo contrário, é o típico caso de maria-vai-com-as-outras, muita gente comprando só porque tá todo mundo comprando.

    ResponderExcluir
  11. O carro como patrimônio líquido, relíquia, ainda é resquício de quando ouvia-se um carro passar na rua se corria para ver a novidade. Apesar de ser um vício que sobrevive pela falta de banalidade, um certo grau de desapego ao automóvel talvez seja o fator que fará mudar essa preferência. Claro que isso inclui a diminuição da necessidade de financiamentos a longo prazo, para ver como a questão é complicada.

    ResponderExcluir
  12. Concordo com o Cruvinel, o sucesso do I30 é resultado de muita publicidade, massiva (e muitas vezes indeferida pelo CONAR).

    ResponderExcluir
  13. Fábio Lins03/05/11 10:01

    Bob,

    Assim como o Alexandre Cruvinel disse, também acho que o i30 é carro da moda. Lembro que um amigo meu estava procurando um hatch medio para comprar, e ele queria um i30 cinza que aparecia numa propaganda deles na época. Quando ele chegou na concessionaria falaram que essa cor só tinha na Argentina e que o comercial foi gravado naquele país, e só tem disponível cores prata e preto aqui. Com alguns palpites meu e por sábia decisão ele optou pelo focus, mesmo sendo um vw lover fiz ele desisti do golf também.

    ResponderExcluir
  14. Antonio Pacheco03/05/11 10:04

    Mais um excelente post do Bob. Eu também sou dessa teoria e compro o carro que vai me agradar, do modelo e cor que eu quero, e não um carro que vá agradar o mercado ou, pior, um revendedor.
    Tenho um amigo que é como a maioria dos brasileiros, que em 2008 comprou um GolG4 1.0 "completo", prata, porque é fácil de vender e não dá manutenção. Recentemente ele fez um negócio e deram um Clio sedan 1.6 16v 2006 completo como entrada para ele. No começo ele torceu o nariz, não queria receber o carro, porque era Renault, não vendia, aquele mesmo blá, blá, blá. Resultado: hoje, depois de 3 meses com o Clio 1.6, ele é só elogios. O carro é bem mais econômico que o Gol 1.0 dele, e a revisão dos 70 mil km foi mais barata que todas as revisões que ele já fez no gol. Ah, e mais um detalhe: antes desse negócio, ele tentou vender o Gol rapidamente, e não conseguiu, pois as ofertas que fizeram foram bem abaixo do valor de mercado. Muito abaixo. Isso porque é o queridinho do mercado.
    ps: desculpem o texto longo, mas foi só para ilustrar como nem sempre a maioria está certa. Dificilmente o modelo ou cor mais vendidos são o melhor negócio.

    ResponderExcluir
  15. Rodrigo Laranjo03/05/11 10:08

    Tive um Suzuki Samurai que pus a venda quando o mesmo tinha 11 anos de uso e por valor acima da tabela, já que estava perfeito. CHOVEU GENTE pra compra-lo.

    Também já vendi um A3 turbo e um Vectra blindado, sem nenhuma dificuldade.

    Não existe carro difícil de vender, existe carro mal cuidado com preço errado!!!!

    ResponderExcluir
  16. Em algumas situações, de nada adianta não se preocupar com a desvalorização.
    Recentemente comprei um Renault Fluence. Por gostar de carro vermelho e achar a tonalidade do vermelho do carro muito bonita, pedi um Fluence Vermelho.
    Porém na concessionária não havia nenhum e muito menos existia uma previsão de chegada de algum veículo com essa característica.
    Portanto, ou esperava alguns tantos meses, ou comprava um cinza (cor na qual haviam quatro carros a pronta entrega).

    ResponderExcluir
  17. Alexandre Cruvinel, eu gostaria de comprrender o seu raciocínio com relação ao i30.
    Li, em outro blog, a opinião de uma pessoa respeitada no meio automobilístico afirmando que carros coreanos eram "ilusões" de consumo!
    Será que eu cheguei tarde na prosa e perdi alguma coisa importante?..ha ha...sinceramente não entendo.
    Pra mim, atualmente, seria muito menos justificável comprar um chevrolet do que um coreno importado, que é moderno e muito bem concebido. ( bom, pelo menos é a impressão que eu tenho...)
    Me esclareçam, por favor...

    ResponderExcluir
  18. Alexandre Cruvinel
    Mas antes de tudo o carro era novo, ninguém conhecia e mesmo assim alguns o compraram, deram o ponta-pé inicial. Depois a propaganda e o boca a boca se encarregaram do resto. Atualmente pode existir o efeito maria-vai-com-as-outras, mas o carro tem qualidades. Um dos fatos mais notáveis do i30, não sei se você notou, é a suspensão não ter sido levantada. Agora que a Caoa tem uma assessora de imprensa competente, a Déborah Encarnato, ex-Volkswagen, vou pedir um para avaliação Tenho excelente impressão do i30.

    ResponderExcluir
  19. Adorei o post...

    Quanto as questões de escolha de cor e coisa e tal, puramente pelo anseio de vender pelo melhor valor, isto se deve ao fato de que nós todos temos dificuldades com relação ao financeiro e compramos carro por amor e não por necessidade.

    A uns anos atrás comprei meu primeiro carro, um Corsa 1.0 16V 2000. Namorei este a um tempão, pois acreditava que tinha orçamento para bancá-lo. Paralelamente tinha desejos por carros como o Vectra CD 98, o Golf GLX 97 e o Omega 3.0 93, carros que eram meus sonhos de consumo em 2003, porém não tinha bala na agulha pra tanto. O Vendedor esperto, viu que eu tinha interesse e me fez pressão para comprar o carro, pois segundo ele tinha outros interessados... acabei comprando ele por R$16.500,00.

    Todas minhas compras de carro para o dia a dia foram feitas em cima do orçamento que tinha disponível, sonhando mais alto do que eu podia comprar, e sonhando em vender o carro com a menor desvalorização para poder no futuro comprar o carro dos sonhos sem me apertar no orçamento.

    Quando comprei meu carro atual a meio ano atrás, um Fiesta 1.6 zero, realizei um antigo sonho de comprar um carro zero. No entanto estava de olho num Focus, ou num Cerato, Fit, Tiida, Polo BlueMotion... enfim. Carros aquém do meu orçamento. Mas também tive uma experiência nada boa na venda de meu velho Brava, pois comprei ele por 24 mil e vendi por 9 mil.

    Um choque para mim, pois não imaginava receber menos da metade do que paguei por ele...

    Enfim... em tempos em que a compra de um carro impacta fortemente no orçamento familiar, qualquer dinheiro que se puder tirar a mais do usado na hora da venda é lucro.

    Talvez nós ainda precisaremos aprender a comprar carro. Mais ainda... deixar de usar tanto o carro só pra dar aqueles "tiros-curtos", dando preferência ao ônibus...

    ResponderExcluir
  20. Gostaria de saber se nos outros países o mercado é igual ao brasileiro. Antigamente, lembro bem, carro de 4 portas, nem pensar, hoje é regra... carro preto era de funerária, hoje é regra, câmbio automático "deus me livre, dá muito problema", hoje é regra.
    Sou obrigado a pagar por essas coisas se não preciso delas?

    ResponderExcluir
  21. Caio Cavalcante03/05/11 10:43

    Pior que o comportamento de manada considero o conformismo. Que a maioria das pessoas encarem automóveis como meio de transporte e busquem não fugir do padrão para simplificar a vida, vá lá. Mas deixar de lado preferências pessoais, como câmbio manual, só porque o vendedor disse que ninguém compra, que não tem em estoque, não dá. Isso não é comportamento de entusiasta, e o Brasil, para mim, deixou de ser autoentusiasta há muito tempo. Infelizmente somos poucos...

    Sobre o i30, fico em parte com o Bob e em parte com o AC. Os primeiros compradores foram autênticos em apostar no novo carro, mas hoje virou carro da moda. A publicidade do grupo CAOA também sabe mirar certeiro nesse tipo de comprador. E não esquecer do Tucson, que preparou o terreno fazendo uma boa imagem da Hyundai.

    ResponderExcluir
  22. Caio Cavalcante03/05/11 10:48

    Me desculpem pelo erro de concordância no post.

    ResponderExcluir
  23. Como gastar anos de trabalho em um bem que vai desvalorizar e não pensar em revenda?

    Só pode fazer isso quem tá cheio da grana. Do resto, pode ser entusiasta de coração, mas tem família pra manter e contracheque no fim do mês.

    Comprar um uno verde por ex. é pedir pra perder dinheiro. Já quem vai comprar uma BMW pode escolher.

    ResponderExcluir
  24. Gol é o queridinho dos ladrões, dos depenadores e dos donos de ferro velhos e "lojas alternativas" de peças...

    Por isso o seguro é bem mais caro e no final das contas tira toda a vantagem do "valor de revenda maior" que na verdade do mercado não é tão maior assim.

    ResponderExcluir
  25. O senhor que era o primeiro dono do meu Omega não pediu opcionais, ou seja, é um CD básico. Omega CD sem teto solar e banco de couro geralmente estão conservados, justamente por não terem caído em mãos erradas, os boys não compram.

    Já ouvi inúmeros comentários do tipo: Tá lindo esse carro, mas não tem teto nem couro.

    ResponderExcluir
  26. Bob,

    concordo, sempre existem os desbravadores. Mas acho que a aposta do JAC é nesse sentido, não que o carro seja uma oferta de outro mundo, mas basta fazer alguns acreditarem nisso e a massa ir atrás.

    Galo,

    não acho que o i30 seja má escolha, pelo contrário. Mas é fato que pessoas compram sem ao menos considerar outras opções, simplesmente vão na onda. Até a Lada teve seus 15 minutos de fama.
    O Bravo vende metade do volume planejado, o i30 vende muito. Será que o coreano é tão melhor assim ? Duvido, mas as pessoas são simplesmente incapazes de ao menos comparar.

    ResponderExcluir
  27. Leandro Rueda03/05/11 11:19

    Comprei meu Punto Sporting Amarelo! E ainda ouço pessoas criticando por pegar uma cor "tão difícil de vender"! Sempre quis o Amarelo. Cada vez que passava na rua eu entortava a cabeça para olhar. Eu gosto assim. Vou curtir pelo menos uns 5 anos meu carro amarelo antes de encontrar alguém que, como eu, goste dessa cor. E tenho certeza que vai ser muito mais fácil do que imaginam.

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. Bob, O problema é a cultura brasileira, a maioria não impõe suas vontades e aceita tudo do jeito que é, eu sou contra isso e quando acho algo ruim eu falo e vou em frente e sempre tento falar com um superior, quando vejo algo de errado numa loja por exemplo eu reclamo e peço pra falar com gerente, mas logicamente eu falo com bons modos e sem perder a paciência.
    Outro dia fiquei pasmem quando uma pessoa que conheço mesmo estando com muito calor só bota a ventilação até a velocidade 2 porque um técnico de uma loja de refrigeração automotiva em que ele foi mandado pela consessionária Citröen para reparar o ar-condicionado na garantia disse que se botar acima do 2 força o compressor, ele acreditou no tal técnico que certamente é um profissional ruim e faz como ele disse, se um técnico dissesse um absurdo desses para mim eu iria questiona-lo e independente da sua resposta iria falar com o gerente, pois acredito que um técnico que diz um absurdo desses não tem boas condições de prestar esse serviço a uma oficina de refrigeração automotiva.
    Quanto a outra questão, eu não me preocupo se depois vai ser difícil de vender o carro e prefiro câmbio manual, interior claro e não gosto de preto, prefiro branco, amarelo, laranja e azul.O que me irrita profundamente é quando um carro só tem disponivel automático, O Peugeot 408 por exemplo só tem opção de câmbio manual na versão Allure que é a mais barata, estava tendo um show room no aeroporto de Recife e então perguntei se tinha como comprar a versão Griffe com câmbio manual e a resposta foi como eu esperava, ela disse que não tem como. Outro triste caso é o Camaro, nos EUA ele tem disponível também o manual, já no Brasil ele só vem automático e com o farol sem o arco de Xenon devido a lei brasileira que só deixa ter faróis de Xenon se tiver lavador e permite faróis comuns sem lavadores. A GM já foi uma marca muito boa mas hoje está sempre reduzindo o numero de versões e diminuindo a opção de escolha do comprador, devido a isso hoje estou preferindo a Fiat que antes eu não gostava mas hoje estou gostando e acho uma das melhores.

    ResponderExcluir
  30. Realmente não entendo. Acho que essa preocupação com revenda é mais para quem deixa o carro usado na concessionária quando troca de carro... E daí ter que sujeitar a o que eles consideram que tem valor na hora da avaliação (e nesse momento qualquer coisa é desculpa para eles pagarem pouco).

    Pois, para vender normalmente, existe a lei da oferta e da procura! Por exemplo: Se vc tem para vender um carro "x" na cor prata, e na sua cidade existem uns outros 200 à venda nessa cor, porque alguem iria comprar justo o seu? Por outro lado, se vc tem esse mesmo carro "x" na cor vermelha por exemplo, é bem provável que seja um dos únicos à venda nessa cor no momento, e portanto tem grandes chances que o comprador que quiser dessa cor acabe comprando o seu.

    E, vamos ser realistas, carro 0km desvaloriza muito mesmo. Para quem realmente se preocupa com desvalorização porque o carro pesa no orçamento, é melhor pegar um usado semi-novo (com uns 2 ou 3 anos), que pelo menos já passou da fase mais intensa de desvalorização.

    Sobre a cor, são absurdos certos radicalismos do tipo "se não for preto ou prata é mico", que tanta gente fala por aí. Claro que comprar um carro com uma cor MUITO ousada pode ser arriscado , mas existem muitas cores discretas que não enjoam e que não aparecem muita sujeira SEM SER preto ou prata!!!

    ResponderExcluir
  31. Verdade, Alexandre !
    Acontecimentos semelhantes aconteceram na década de 90 com os saudosos Puma e Tigra, Astra importado, Fiesta espanhol e com o próprio Vectra...
    Bem lembrado.

    ResponderExcluir
  32. Se é difícil um carro grande com câmbio manual, por outro lado também é difícil um carro pequeno com câmbio automático!

    Em SP tem de tudo, mas vai numa cidade menor e tenta achar um Polo ou um Focus que não seja preto nem prata para comprar, usado: missão quase impossível!

    O que dá mais raiva é ver o Novo Uno, que tinha uma proposta de ser um carro alegre e colorido, mas a maioria que tem nas ruas já é preto ou prata, e parece que a Fiat até já diminuiu as opções de cores. Lamentável!

    ResponderExcluir
  33. Brasileiro tem mentalidade de vendedor de carro (em tudo, basta ver os representantes que elegemos, autênticos vendedores de carros usados). Mas será que essa estratégia de ir comprando carros "aos poucos", de degrau em degrau, cuidando pra não desvalorizar, é a melhor opção? Será que ela é benéfica para o consumidor?
    Basta olhar para os resultados dessa "estratégia". De um lado temos as fábricas (montadoras, como preferem alguns), e do outro o consumidor. Um deles está lucrando como nunca, fazendo o que bem entende, com o mercado na mão. O outro...
    Só no Brasil se compra um bem baseado na facilidade de se livrar dele. Tem um carro dos sonhos? Espere. Não compre sete carros até chegar lá, se isso fosse bom pra gente a GM não teria lucros operacionais tão altos com uma frota de bons carros, mas todos da década de 1990...

    ResponderExcluir
  34. Anônimo 3/5 11:47
    Certíssimo o que você disse. Já tivemos Chevette e Kadett automáticos e havia comprador para eles. Acho que está faltando imaginação e vontade dos fabricantes em servir bem, em ter um leque de ofertas que, se não todo, parte do mercado aprecia.

    ResponderExcluir
  35. Nosso mercado é complicadp. De um lado, os compradores botando tudo quanto é defeito para pagar menos no seu carrinho. Se sair desse padrão, perde-se $$$
    Do outro o vendedor querendo levar vantagem, o que e certo, mas sem razoabilidade. E para tentar se defender, o jeito e ficar no padrão, prata e preto.
    O problema é que isso advem do imediatismo do brasileiro. A compra de um carro não é precedida pelo planejamento. Nossos consumidores querem ir na concessionária e sair de lá como se fosse comprar arroz no supermercado. Por conta disso, aceitam levar o que tem no estoque.
    Como educar o mercado é dificil, os espertos se aproveitam disso e vc, ansioso por comprar o seu 0km e sair dirigindo sem nem compensar o cheque, acaba pagando mais caro, ou se sujeitando ao disponível no estoque.

    ResponderExcluir
  36. Não tem como um Gol ou Uno ser o carro dos sonhos de ninguém. Vamos acordar.

    Carro dos sonhos? Algum 4x4 parrudo, algum super esportivo talvez. Nesse caso, o dono escolhe o que quiser.

    Agora se alguém falar que sonha em ter um popular, tipo, interna. Isso não é carro, é meio de transporte, e tem sim que ser comprado pensando em se livrar dele perdendo o mínimo dinheiro possível. Quem trabalha e ganha salário, ganha por hora, sabe o quanto custa e o quanto é difícil, não vai querer perder dinheiro por ter um carro que não sai.

    E o dia que puder ter um carro dos sonhos TODOS vão comprar do jeito que querem. Nunca vi ninguém comprar uma Ferrari e ficar insatisfeito pq veio "sem o kit aerodinâmico que pedi".

    ResponderExcluir
  37. Acho interessante o cenario atual nesse segmento de medios / hatch.
    O I30 serve ate como case nas escolas de adm / mkt e estrategia de produtos. Um produto desconhecido , da distante Corea, num peq de concessionarios , pagando 35% de imposto desbancou os nacionais.. As nossas grandes , (cheias de empafia e descuido com seus consumidores)Fiat(Stilo/Bravo) Ford(Focus) GM (VectraGT) VW (Golf) continuam a amargar a lideranca do I30.
    Na minha opiniao o consumidor (principalmente nessa faixa de preco) pesquisa , compara , e sabe o que esta levando . O mercado e sabio , um produto nao e lider de vendas por acaso e muito menos permanece lider se nao tiver grandes predicados.
    O que aconteceu foi que por anos as "Nossas Grandes" se acostumaram a nos enfiar "goela abaixo" seus produtos defasados e caros..
    Fiat: atrasou demais o lancamento do Bravo, Ford: Belo produto mas uma campanha de mkt fraca e atendimento ruim de pos venda GM produto de baixa qualidade e caro . WV (a minha amada) produto anacronico com 11 anos de mercado)
    Como em jogo de futebol ou luta de Box qdo se abre a guarda se toma gol ou uma muqueta bem forte!!
    Mais uma vez David derrubou Golias ou os grandes Golias nacionais...

    ResponderExcluir
  38. BOB, tenho percebido que algumas cores são cíclicas, reaparecem de tempos em tempos, como os tons de verde. Tenho observado que essa cor geralmente é oferecida entre o final de cada década até o primeiro ano da nova (99 a 2001 e 2009 a 2011) como ex.
    Depois fica mais dificil de achar um.
    Vc sabe explicar como funciona o processo de escolha de uma cor, para um ano/modelo? E qual a razão para existir o oferecimento de algumas cores cíclicas?

    ResponderExcluir
  39. Bob, que Audi é aquele da foto com câmbio manual? deve ser muito bom.

    ResponderExcluir
  40. Bob, O problema é a cultura brasileira, a maioria não impõe suas vontades e aceita tudo do jeito que é, eu sou contra isso e quando acho algo ruim eu falo e vou em frente e sempre tento falar com um superior, quando vejo algo de errado numa loja por exemplo eu reclamo e peço pra falar com gerente, mas logicamente eu falo com bons modos e sem perder a paciência.
    Outro dia fiquei pasmem quando uma pessoa que conheço mesmo estando com muito calor só bota a ventilação até a velocidade 2 porque um técnico de uma loja de refrigeração automotiva em que ele foi mandado pela consessionária Citröen para reparar o ar-condicionado na garantia disse que se botar acima do 2 força o compressor, ele acreditou no tal técnico que certamente é um profissional ruim e faz como ele disse, se um técnico dissesse um absurdo desses para mim eu iria questiona-lo e independente da sua resposta iria falar com o gerente, pois acredito que um técnico que diz um absurdo desses não tem boas condições de prestar esse serviço a uma oficina de refrigeração automotiva.
    Quanto a outra questão, eu não me preocupo se depois vai ser difícil de vender o carro e prefiro câmbio manual, interior claro e não gosto de preto, prefiro branco, amarelo, laranja e azul.O que me irrita profundamente é quando um carro só tem disponivel automático, O Peugeot 408 por exemplo só tem opção de câmbio manual na versão Allure que é a mais barata, estava tendo um show room no aeroporto de Recife e então perguntei se tinha como comprar a versão Griffe com câmbio manual e a resposta foi como eu esperava, ela disse que não tem como. Outro triste caso é o Camaro, nos EUA ele tem disponível também o manual, já no Brasil ele só vem automático e com o farol sem o arco de Xenon devido a lei brasileira que só deixa ter faróis de Xenon se tiver lavador e permite faróis comuns sem lavadores. A GM já foi uma marca muito boa mas hoje está sempre reduzindo o numero de versões e diminuindo a opção de escolha do comprador, devido a isso hoje estou preferindo a Fiat que antes eu não gostava mas hoje estou gostando e acho uma das melhores.
    Me desculpem pelo comentário duplicado, mas o outro está como anônimo e não da para apagar.

    ResponderExcluir
  41. Rômulo Rostand03/05/11 12:24

    Excelente post,

    Boa catucada no comportamento de escolha mesquinha de boa parte dos compradores. Acho que é um resquício do tempo em que carro era uma aquisição pouco acessível, tempo em que era considerado um investimento. Mas, há décadas carro no Brasil é objeto de puro consumo.

    Quanto ao I30 e CAOA,
    Minha opinião é de que as vendas são frutos de um carro bonito(isso vale muito), recheado de acessórios e muita, mas, muita propaganda.
    Investiram demais na fixação da marca principalmente com propanda televisiva, inclusive invadindo o maior trunfo da televisão brasileira; as novelas com os lucrativos "merchans". Não dá para ignorar isso. Mesmo quem não acompanha novelas, meu caso, já viu muitos Kia ou Hundai sendo elogiado nas mãos dos protagonistas do horário nobre. O reconhecimento da marca abre caminho para a escolha mais subjetiva.

    Ando no I30 da minha namorada e já viajei muito dirigindo, bom carro, sem dúvida. Mas, não vejo tanto destaque em relação aos concorrentes.

    Bob Sharp,
    Que tal um comparativo do I30 com o Focus?

    ResponderExcluir
  42. Anônimo 3/5 12;12
    Cada um tem seu sonho. O meu, por exemplo, jamais está num 4x4 parrudo. Mas se for um Porsche 911 turbo cabrio...Mas lembre-se que estamos falando de entusiastas de automóvel, não de quem considera o carro mero objeto de transporte.

    ResponderExcluir
  43. É estranha a relação do brasileiro com o carro. Ao mesmo tempo que não está nem aí para manutenção,funcionamento e utilidade, o trata como um objeto puramente estético e algo que possa render $$.

    João Paulo

    ResponderExcluir
  44. Estou com o Bob: 911 também é meu sonho. E nem precisa ser dos novos: acho lindo o 911 de 73.

    Tirando ele uma Lambo ou um Aston Martin.

    Eu compro o carro que gosto, sem perder tempo escutando opiniões alheias: é feio, a relação custo x benefício é ruim, é difícil de vender...Quem vai andar nele sou eu. Se não gostar vendo e compro outro, simples.

    ResponderExcluir
  45. Cíclicos estão alguns assuntos no AE, praticamente um círculo vicioso...

    Autores, que tal uma listinha? Faz tempo que não temos nenhuma.
    A última acho que foi a de 50k do AC. Talvez algo tenha mudado em 4 meses ou talvez uma lista de 40 ou 60... sei lá

    ResponderExcluir
  46. Boa idéia, anônimo das 14:21... faz tempo que não vemos por aqui um ranking de carros por faixa de preço.

    Até para não ficarmos com foco só nos defeitos do consumidor ou nas atitudes bizarras da CET... vamos alegrar o blog, vamos colocar alguns rankings ou estudos técnicos que vamos ganhar mais...

    Abração

    ResponderExcluir
  47. Meio fora do assunto, mas já que o assunto do flex e do etanol tem estado em voga, poderiam fazer uma listinha das taxas de compressão dos carros flex dos últimos anos, para ajudar na escolha de quem quer um carro mais adequado à gasolina ou ao etanol.

    Uma outra lista, de relações peso/potência dos carros atuais, também seria interessante.

    Voltando ao assunto, acho que o Aléssio Marinho matou a charada: o problema é o imediatismo e falta de planejamento, tanto para comprar quanto para vender.

    ResponderExcluir
  48. Quem compra carro pensando em se livrar dele pra mim está comprando errado sim. Tenho meu Palio 2001, feio que dói, deu carona a Jesus na Santa Ceia, mas adoro ele. Não é meu sonho, mas me serve perfeitamente bem por enquanto.

    Basta fazer a conta e ver que comprar carro pra revender NÃO é estratégia, é ilusão. Perde-se mais dinheiro assim, a única ajuda é na hora de imobilizar o dinheiro, e pra isso um título de capitalização (irc!) serviria.

    Enfim, quer andar de carro até comprar o seu desejo? Compre um popular seminovo e cuide dele até lá. O "preço da virgindade" está pago, e no final das contas gasta-se menos com manutenção do que com a depreciação. Sério, eu já fiz a conta, e até acharia bem vindos argumentos que provassem o contrário.

    Até hoje nunca me convenceram que essa neurose de revenda valha a pena. Se valesse negociante de carro velho não teria a fama de 171 que tem...

    Eu pelo menos sigo assim. Casei com meu sapato velho até poder arcar com meu objetivo de consumo, dinheiro que junto através de investimentos reais e tangíveis, e não da ilusão de comprar "o que vou dar de entrada no próximo carro".

    Eu acho que a ciranda cirandinha de compra vende compra é mais por status, a desculpa financeira é... desculpa. Brasileiro tem uma obsessão por se impor pelo carro que tem - e admitir isso nem é demérito, pos a pressão é cultural. Te olham torto se seu carro é "velho", mesmo em bom estado. Eu que o diga!

    Enfim, quer ter status de trocar de carro todo ano? Admita então, mas não se curve ao mercado com a desculpa que "tem que ser assim" porque não tem.

    BTW, meu carro é vinho e duas portas, mico total. Paguei barato quando comprei, e ele me serve muito bem todos os dias. Quando chegar a hora do adeus, vai de graça pro meu irmão. E assim será até quando Deus não exigir seu metal de volta pra terra. No fim me dei bem com a cirandinha ficando fora dela =)

    ResponderExcluir
  49. Nunca planejei tanto minha próxima compra como estou fazendo agora... Resultado... rsrsrs...

    MFF, há quanto tempo falo sobre troca de carro? hahaha...

    A verdade é que no "Brasa", se pensar você não compra! Mesmo estando com um carro que é praticamente um "desprazer" dirigir... No caso um Fox, "o do rodízio", que estou louco pra me desfazer.

    ResponderExcluir
  50. *E assim será ENQUANTO Deus não exigir seu metal de volta pra terra, isso que dá escrever sem revisar :-)

    ResponderExcluir
  51. Marcelo Augusto03/05/11 14:54

    Se para a maioria carro é um simples meio de transporte, qual o problema de elas fazerem uma escolha tendo em vista a menor perda financeira possível? Problema algum.

    O que não pode é alguém que se diz gostar de carros fazer uma compra somente pensando nisso.

    ResponderExcluir
  52. Anônimo 203/05/11 14:57

    Também acho, carro é bem de consumo!

    Considerar carro como investimento é algo dos anacrônicos tempos em que até linha telefônica o era.

    ResponderExcluir
  53. O povo tem aquela visão de quando comprava o Fusca por 3 milhões de dinheiros e no dia seguinte vendia por 6 milhões. Aí depois de toda essa vantagem pegava outro por 9.

    ResponderExcluir
  54. Engraçado que quando o Bob avalia carros automáticos ou automatizados diz dispensar o manual, mas pra jogar pra galera ele diz o inverso.

    Pior que os maria-vai-com-as-outras é bem capaz de comprar um manual por causa da opinião dele...

    ResponderExcluir
  55. Como dono de 1 Corolla prata e automático, gostaria de me defender: não me considero "maria-vai-com-as-outras", quem escolheu a cor e o tipo de câmbio do meu carro foi a "diretoria" da Toyota, quer saber, consumidor brasileiro não apita nada, quem impõe essa padronização na oferta são os fabricantes e sua rede de concessionários, movidos pelo lema: menos tempo no estoque = mais lucro.

    ResponderExcluir
  56. Ref. ao Bob 03/05/11 12:26

    Taí um novo post: "1(hum) carro dos sonhos" (ou pelo menos "Porsche dos sonhos", para abreviar). Eu mesmo não saberia se seria um 550 ou 2.7 RS (nada de turbo).

    ResponderExcluir
  57. ref. ao Anônimo 03/05/11 15:36
    quer um argumento para não usar mais câmbio manual:
    http://lh5.ggpht.com/_wkU0aCa0Pag/Tb90yfcE99I/AAAAAAAAVp4/8OKJZJk_KoQ/s1600/Lifan-320%5B3%5D.jpg


    heheheh

    ResponderExcluir
  58. Eu quero um sedan manual com tração traseira!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  59. Bob, aproveito a oportunidade para decifrar um enigma: todo Opala/Caravan automatic 3 vinha compulsoriamente com um 250S (durante - não é trocadilho - sua época na Chevrolet)?

    ResponderExcluir
  60. Eu quero um coupe 2 portas manual com tração traseira. Mas a industria assumiu que so posso comprar um hatch com 4 portas e tração dianteira (prata ou preto, logico).

    ResponderExcluir
  61. Estou com um dilema... Só tem carro prata/preto/automático porque vende mais, ou SÒ È OFERECIDO carro parta/preto/automático porque dá mais lucro?
    A ditadura das fábricas/revendas passa por aí..., Tento é que o produto existe, mas leva meses para ser entregue... o mercado aceita., então, TOMA...

    ResponderExcluir
  62. E isso que só se vê i30 nas cores preto ou prata. Gostaria de ver um desses nas cores branco ou vermelho.

    ResponderExcluir
  63. Johnconnor(old rocker)03/05/11 18:07

    Já tive um Kadett GSI vermelho bonanza e um Corsa GSI amarelo e não tive problema nenhum em vende-los.O Kadett anunciei na terça e vendi na sexta e o Corsa coloquei a placa de vende-se de manhã e vendi a tarde.Nos dois casos vendi por uns 5% a mais do que o preço de tabela.É claro que os donos de garagem tentavam desvalorizar ao máximo usando o "argumento" das cores.No caso do Kadett teve um dono de garagem que disse que o carro era vermelho bombeiro pra ele comprar e na hora dele revender aí era vermelho Ferrari.É só não cair nessa e ter confiança no que se tem nas mãos que logo aparece comprador.

    ResponderExcluir
  64. Já fui numa concessionária Hyundai e a informação que me deram foi que no Brasil o i30 só é vendido nas cores prata e preto.

    Tenho certeza que muitos gostariam de comprar um i30 azul, vermelho, verde e até branco ou amarelo, mas se só tem prata e preto... não há como comprar o que não é disponibilizado pelo fabricante...

    Aí caímos num "paradoxo" à lá Tostines: Prata/Preto vende mais porque é a cor que todos compram? Ou vende mais porque é o que tem para ser vendido?

    Compra-se o que te vende? Ou vendem-se o que compram? ou vice-versa... sei lá...

    ResponderExcluir
  65. O branco vai virar moda também e daqui 5 ou mais anos todo mundo vai reclamar de tudo muito "claro" nas ruas...

    O problema não é a cor. É falta de personalidade do comprador, exceto o que não dá a mínima pra carros e compra qualquer coisa...

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  66. Johnconnor(old rocker)03/05/11 18:41

    Jota
    OOOOOOOOOOOO QQUUUUUUUUUUEEEEEEEEEEEEEE,não tem i30 branco?????Cara acabei de ficar orfão de sonho de consumo.

    ResponderExcluir
  67. Sempre fui muito idiota para comprar carro. Deixava de comprar modelos que desejava por medo de ficar com um mico nas mão, e nem comprar uma cor chamativa que eu gostava. E no fim das contas nem vendia eles bem vendido, enjoava do carro e queria me desfazer logo dele e comprar outro.

    Mas de uns tempos para cá me deu vontade ter um carro vermelho. Pena que não fabricam mais o peugeot 207 1.6 com 2 portas. Não gosto de carro hatch 4 portas.

    ResponderExcluir
  68. Teve uma leva de i30 azul... mas branco não. Mas já vi um "envelopado" de branco.

    ResponderExcluir
  69. mania de falar "coisa de brasileiro".
    no mundo todo atualmente se vende mais prata, cinza e preto.

    gosto é gosto, eu aceito o azul, vermelho, laranja, prata e preto, esse uno da imagem pra mim é horrível, parece carrinho de brinquedo

    ResponderExcluir
  70. Um carro que com certeza é injustiçado é o "Old" Focus, poucos carros me cativaram como ele... E como é difícil encontrá-lo no mercado de usados... Já tive um e agora estou a procura de outro.

    ResponderExcluir
  71. Porsche 911 TEM QUE SER A AR, esses mais novos são ótimos, mais rápidos que os antigos, mas muito menos divertidos e puros em sua essência.

    Depois de muito avaliar, infelizmente o Focus Hatch, meu carro dos sonhos 0km atual na faixa que posso comprar vai ter que ficar pra depois. Vou comprar um Corolla, que atenderá minhas necessidades do momento.

    Fui na revenda pra comprar o Corolla da forma que eu quero. Sentei e conversei com o vendedor. Não gosto de ABS, nem de ar-condicionado digital, acho o analógico mais fácil e intuitivo na regulagem de temperatura e o ABS nos acomoda a não dosar o pé, coisa muito divertida e que deve ser feita com maestria. Só tem a versão com acabamento mais simples. Até aí tudo bem, mais barato, melhor pra mim. Eu quero o carro azul marinho, fui informado que não existe em estoque e que a espera é de 90 a 120 dias. Resultado, como tenho meu carro atual pra rodar, um Escort GLX ano 2000 em perfeitas condições de uso e que não venderei para comprar o outro, vou esperar os quatro meses pedidos pela cor que quero, sem ABS, nem AC digital. As rodas ainda me trazem a vantagem de ser aro 15 e uma bela roda de alumínio para substituir a original de ferro com calotas que vem no carro, na mesma medida, me proporcionará mais conforto, menos arrasto, menor consumo e uma estética mais agradável pra alguém que, como eu, não gosta de rodas grandes e acha perfeita uma banda lateral grande.

    Bem que o vendedor tentou me empurrar goela abaixo um GLi, com AC digital e ABS, na cor prata ou cinza... Não foi dessa vez.

    ResponderExcluir
  72. Meu carro é um Corolla XEi bege aurora com câmbio automático. Bem, a opção pelo câmbio automático se deu não por causa de mercado, mas porque acho muito ruim dirigir nos intermináveis congestionamentos trocando de marcha a todo instante, já que meu carro é usado 99% do tempo na cidade. Agora o que eu não aceito, e os compradores deveriam fazer a mesma coisa, é a Hyundai só vender carros de cor prata e preta, um absurdo total.

    ResponderExcluir
  73. Anônimo 3/5 15:36
    Eu já disse diversas vezes aqui que se hoje fosse comprar um carro manual que tivesse opção de robotizado, escolheria esse. Isso porque defino o câmbio robotizado como um manual sem pedal de embreagem e com trocas de marcha por breves movimentos da alavanca para trás e para frente, sem ser pelo tradicional "H". Do ponto de vista função mecânica o manual normal e o robotizado são iguais.

    ResponderExcluir
  74. Eduardo Zanetti
    Legal, parabéns pela sua decisão.

    ResponderExcluir
  75. Marcelo Junji03/05/11 23:50

    Pouca personalidade,burrice e mais exibicionismo que autoentusialismo que ditam o mercado de automóveis.Exemplos:
    Idea,crossfox,aircross,meriva,soul e ecosport (todos esses custam perto de 50k,e todos tem espaço e desempempenho parecido com os de carros mil),apesar que estes dão "status" para esse pessoal.Eu prefiro os 1.0 e alguns dão até prazer de dirigir.
    Queria uma gran tour branca, não tinha.Adivinhem por que não tinha!?
    Muita oferta de suvs, e nenhuma de furgões de passeio.É os suvs especialmente os de tração dianteira, apesar da pouca utilidade chamam mais a atênção.
    Concluindo.Graças a essa maioria de pessoas que ficamos sem opção de cores e de modelos de carros mais interessantes e racionais.

    ResponderExcluir
  76. Eduardo Chiavaloni
    Não tenho esse estudo. Baseio-me em experiência pessoal e de amigos.

    ResponderExcluir
  77. Milagres acontecem. Concordo 100% com tudo o que o Bob Sharp escreveu dessa vez. Aleluia!!

    Sempre pensei dessa mesma forma. Espero que esse texto possa convecer mais algumas cabeças a deixar de seguir o rebanho.

    "Toda unanimidade é burra" como dizia Nelson Rodrigues.

    ResponderExcluir
  78. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  79. Adorei a matéria, sempre compro carros importados antigos para o uso no dia a dia e sou chamado de louco pelos meus amigos, sempre sou surpreendido com sugestões do tipo, "poxa, vende esta ratoeira e compra um popular mais novo", mas não adianta, quem é autoentusiasta gosta de carro de verdade e sempre vai contra a razão, o único lado ruim é que a gente sempre perde mto dinheiro com isso :(

    Parabéns pela matéria Bob

    ResponderExcluir
  80. Junior Antonini04/05/11 10:20

    Perfeito este post!
    Eu finalmente consegui meu tão sonhado Old Focus Hatch 2.0 Duratec BRANCO. E ainda de série especial! Chega de prata :)
    Agora ele irá se transformar em um Focus Cosworth.
    Concordo totalmente com o post, a gente tem que ir atrás do que quer e não do que a maioria aprova.

    ResponderExcluir
  81. Luciano Lopes04/05/11 10:26

    Parabéns Bob, ainda bem que tem bastante gente que concorda comigo. Em 2003, meu irmão foi comtemplado em um consórcio de 50 meses, pago com muito suor e, após pensar muito, decidiu que iria comprar um Peugeot 206(depois se arrependeu amargamente), fomos a uma concessionária e ele pediu pra vendedora: " Um 206 preto(cor que ele adora) duas portas", a vendedora, disse que só tinha 4 portas, ele agradeceu e se despediu, aí ela ficou indignada, "nunca vi alguém querer comprar um de duas portas ao invés de um com quatro, depois ninguém vai querer comprar", ele falou, "eu que pago a prestação, estou comprando zero Km, posso escolher o carro que eu quiser? Além disso, compro o carro pra mim, não para os outros". Outro caso que eu considero são esses carros horrorosos metidos a Jeep, tipo Adventure, com a suspensão levantada, pneus "lameiros", bagageiro, vários apliques de plástico de gosto duvidoso, um baita mal gosto, mas todo mundo "gosta", ou seja, nâo têm personalidade.

    ResponderExcluir
  82. Sacco
    Boa ideia, essa de "Carro de sonho".

    ResponderExcluir
  83. Sacco
    Existiu caixa automática tanto para o Opala 4-cilindros quanto para o 6.

    ResponderExcluir
  84. Sacco,
    O comprimento da biela, que é comum ao 1,6 e ao 1,8, foi mantido. A diferença de cilindrada é no diêmetro dos cilindros.

    ResponderExcluir
  85. Paulo Levi
    A crisa financeira mundial iniciada em setembro de 2008 fez muita gente sustar planos e o Bravo foi um desses casos.

    ResponderExcluir
  86. Jota
    Se for para usar o automatismo constantemente, não recomendo. Como já disse, considero o câmbio robotizado como manual sem pedal de embreagem e de troca pela alavanca em toques longitudinais.

    ResponderExcluir
  87. Box666
    Quem disse que milagres não acontecem? Acontecem, taí um exemplo...

    ResponderExcluir
  88. Prezado Bob

    Então é verdade mesmo que o câmbio automatizado comporta-se como o manual nas trocas, tanto na alavanca quanto nas borboletas do volante? Por elas daria para esticar as marchas até próximo da rotação de corte, por exemplo?

    ResponderExcluir
  89. Luciano: quer dizer que comprar o carro que quer, seja um mco chamado 206 de duas portas é ter personalidade e quem compra um com aparência de aventureiro, POR QUE GOSTA, NÃO ESTÁ NEM AÍ PRA OPINIÃO DOS OUTROS, não tem personalidade?
    Bem parcial...

    ResponderExcluir
  90. Uniblab
    Não se comporta como um câmbio manual, é um câmbio manual. Só que em vez de haver pedal de embreagem, ela funciona automaticamente. Em vez de a alavanca movimentar os eixos e garfos, quem faz isso são atuadores elétricos (Meriva) ou eletro-hidraúlicos (Fiat e VW)a partir de sinal elétrico da alavanca ou das borboletas. Já tivemos carros com embreagem automática, sem o pedal: Corsa Autoclutch, Palio Citymatic e Mercedes Classe A. Só que os câmbios robotizados têm função automática também, para ser usada se desejado.

    ResponderExcluir
  91. Irmão do meu cunhado tem uma Space IMotion... Deixou na mão de um amigo pra subir a serrinha de Taubaté (Ubatuba), naquele anda e para, ele foi acordado pelo amigo, porque o painel indicava superaquecimento do sistema IMotion, ele muito entusiasta só acordou, virou a cabeça pro outro lado e voltou a dormir... kkkk
    Não sei se o cara fez alguma bobagem com o carro, mas é de se estranhar...
    Com um relato desse, eu pensaria duas vezes antes de comprar um carro desse.

    ResponderExcluir
  92. Prezado Bob

    Reformulando então, a embreagem automática usando as borboletas para trocas manuais no Bravo, por exemplo, tem diferenças perceptíveis em relação a um câmbio manual? Nunca dirigi um Citymatic.

    ResponderExcluir
  93. Uniblab
    Não tem diferença perceptível. Quando se puxa a borboleta ou se dá qum toque na alavanca para frente, três coisas acontecem. Primeiro, a embreagem desacopla, o que corresponde a apertar o pedal. Segundo, uma marcha é desengatada e a proxíma é engatada, como você faria com uma alavanca de câmbio tradicional. Terceiro, a embreagem acopla, o equivalente a tirar o pé do pedal. Tudo é administrado pelo microcomputador do sistema. No Citymatic é parecido, a embreagem desacopla no momento em que se toca a alavanca de câmbio (há um contato elétrico na base dela) e se troca a marcha normalmente, como num carro manual comum. O robotizado tem a vantagem adicional de haver uma aceleração automática nas reduções, de modo a igualar rotação do motor com velocidade do carro na marcha a ser engatada, eliminando qualquer possibilidade de tranco. Se você se aproxima de uma curva freando e reduz marcha, não é preciso você fazer o punta-tacco, o sistema faz isso sozinho. É só puxar a marcha inferior. Exatamente como nos F-1.

    ResponderExcluir
  94. Fabio
    Com total certeza o amigo do seu irmão ficou segurando o carro na subida com o motor, daí o superaquecimento da embreagem. Se parar na subida só se pode manter o carro parado com o freio de serviço ou de estacionamento. Exatamente como num carro de câmbio manual comum. Só os câmbios autométicos normais, os epicíclicos, que têm conversor de torque, podem ficar mais tempo parados numa subida, mas assim mesmo o fluido da caixa acaba superaquecendo também.

    ResponderExcluir
  95. Obrigado Bob. Menos mal para o Dualogic ter os trancos restritos ao modo automático. De quebra, acabei entendendo melhor o "punta-tacco" também...

    Curioso o fato do tipo Citymatic, na época, não ter ficado "na moda" como o tipo Dualogic hoje, justamente pelo modo automático, que é a fraqueza do sistema. Teria a influência dos importados feito o brasileiro em geral pegar gosto pelas trocas automáticas?

    ResponderExcluir
  96. Obrigado pela explicação Bob, imaginei que ele tivesse "operado" de maneira errada mesmo, ou seja, ele fez o mesmo que segurar o carro em rampa na embreagem.

    Quanto aos automatizados simularem o punta-taco, pensei que só os de dupla embreagem o fizessem.
    Agora sim entendi o seu gosto por esta solução.

    Bob, ficaria grato se comentasse sobre o problema/solução que descrevi nos comentários do post "Mais ar nos pneus".

    Abs

    ResponderExcluir
  97. Tá certo que existem os efeitos "Maria vai com as outras" e "Tostines" o duro é ver o fabricante pelar o carro, seu produto, e manter e até majorar o preço...
    Tem um carrinho que estou namorando faz tempo... vou adquirir um assim que quitar meu apartamento, porém já desisti de visitar seu site e brincar de "monte o seu"... é que agora só o fazem três cores sólidas e três cores metálicas, tiraram o rádio... já tiraram motor, é quase entristecedor.

    ResponderExcluir
  98. Todo o carro tem virtudes e defeitos...só não enxerga isto aquele fanático ou o que se acha o "entendido", e tem muito entendido aqui que anda de Classic, de Celta... Cada um compra o que achar melhor, sem precisar ficar ouvindo o bla-bla-bla dos outros.


    O TÓPICO SE DESVIOU TOTALMENTE COM ESSE PAPO FORA DE LUGAR SOBRE CAMBIOS DUALOGIG.

    ResponderExcluir
  99. http://pensamentosolto.wordpress.com/2011/05/06/os-duvidosos-rtulos-que-os-carros-possuem/

    bom artigo sobre este tema.

    ResponderExcluir
  100. Levante o dedo médio e fale: "Eu quero esta 'bagaça' e trabalhei para isto!"

    Vergonha maior é comprar um carro sem ter dinheiro e depois ter que vender rapidamente pois não conseguiu pagar as prestações ou viver comprando celulares que fazem tudo menos ligações.

    ResponderExcluir
  101. Falou tudo, ótimo texto, temos que comprar os carros para nós mesmos curtirmos, não pensando que os futuros donos vão gostar ou não! Conheci uma pessoa que comprava sempre carros zero km e quando começavam a atingir determinada quilometragem, ele parava de andar no carro, parava de fazer viagens por causa da desvalorização que isso ia causar em seu carro, é o tipo do caso em que ele comprou o carro para outra pessoa, não para ele mesmo.

    ResponderExcluir
  102. Sabe o que mais me deixa indignado com este pensamento pequeno? É que o preto, o prata, o automático, o COMUM também desvaloriza! E muito!
    Carro não é investimento. Quem compra carro pensando em investimento, revenda, perda/ganho de dinheiro, desculpem a sinceridade, é BURRO. Porque é fatal: você vai perder dinheiro! Se quer investir, procure um negócio mais rentável!
    Ao tirar o plástico dos bancos, vc já perdeu aí uns 10% fácil ou mais dependendo do modelo e preço!

    Portanto, compre o que você gosta, importante é se sentir bem dentro do carro que você escolheu.

    Isso vale pra todas as escolhas na vida: pessoal, profissional, sentimental...

    Autoentusiastas dando lições de vida!!!

    ResponderExcluir
  103. Achar que carro é investimento é burrice. Caro é um passivo, e te "come" dinheiro como um filho! hehe

    Eu escolho meu carro, primeiro pelo custo-benefício, Projeto e Qualidade e em seguida pelo Design. Comprei esse ano um Focus Hatch 1.6 Prata 2007, de um amigo que "tirou" zero. Paguei R$ 27.000 e estou super satisfeito. Revisão de 60.000 km em uma oficina de confiança foi R$ 250,00!

    Mas meu próximo carro vai ser "colorido", azul ou verde, como as cores do New Fiesta! Chega de tanto preto, prata e branca nas ruas!!

    Abraço, Vinicius

    P.S: Meu "dream car" é um Porsche 911S 60´s ou Turbo 70´s!

    ResponderExcluir
  104. Ótimo blog.
    Sempre fui apaixonado por carro, e estou tirando minha CNH (Fiz 18 anos em abril).

    E, comecei a as aulas de direção dia 29/06, nunca tinha dirigido antes, e já estou bem, praticamente, uma semana depois. Acho que o amor pelos carros ajudou, e peguei um gosto por cambio manual. Sentir o carro, você trabalha junto com o motor, transmissão. Você faz parte do carro.

    Temos o direito de escolher o que queremos, e essa de ser maria vai com as outras, só mostra que as pessoas são modinhas, vão do momento, e se ocultam a sociedade.

    Pretendo no futuro, estar adquirindo um Mustang.

    E se for para o lado dos superesportivos, vou querer o cambio borboleta, ao menos, poderei sentir o giro do motor e passar as marchas. Acho que automático vai ser em caso de carro para a esposa, no futuro.

    Boa Tarde.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...