26 de maio de 2011

O CONTA-GIROS JÁ ERA


Não vejo razão alguma para que muitos carros, hoje, tenham esse instrumento no painel, já que para a grande maioria dos motoristas ele não signifique absolutamente nada. Para a maioria é só um ponteirinho que fica se mexendo engraçadinho.

Quando lhe é explicado que ele indica a rotação do motor, a pessoa diz: “Opa! Legal! Então é dez, vinte, trinta... o quê?” Ou diz: “um, dois, três... o quê?” Ou seja, nem sabe em que escala está a numeração.

E daí toca a explicar que, se é uma escala de 1 a 8, é que esses números são multiplicados por mil e que o resultado significa quantas rotações esse motor está dando em um minuto. Que aquele rpm escrito significa justamente isso, Rotações Por Minuto.

E daí toca a explicar que normalmente em baixo do mostrador, na barriguinha dele, tem um escala lá, tipo “rpm x 1.000” ou tipo “rpm x 100” e tal, e a pessoa inventa de ficar fazendo conta em vez de bater o olho e de cara saber que a rotação não pode ser trezentas mil rpm, que aquilo não é turbina de avião pra virar tão rápido, nem a cabeça de uma mulher num shopping. Em suma, não têm noção do quanto é que vira aquele troço.

- E daí? - ela pergunta. Eu preciso saber o quanto está virando o motor? Dá multa se esse ponteirinho subir muito. Quanto é que pode? Posso ir até no seis?

- Madonna Mia!!! Dai-me forças! Olha! Quer saber duma coisa! – diz o namorado explicador – Ignore essa porr...! Isso não serve pra nada, ainda mais que seu carro tem câmbio automático.

- E o que é que o câmbio automático tem a ver? Me explica, vai! Por favor! Explica!

- Caraca! Pra que é que fui falar em câmbio!... É que o câmbio automático não deixa o motor passar de giro, ele não deixa o ponteiro entrar na faixa vermelha e antes disso ele troca de marcha e o giro cai.

- Faixa vermelhe é essa lista vermelhinha aí? É?

- É. É essa vermelhinha aí.

- E o que é que é passar de giro? E o que é que acontece se passar de giro?

- Essa merd... debulha, vira uma bagunça, vira um liquidificador de cacos de ferros lá dentro. Teu motor vai pro saco.

- Noossa! – ela de olhos arregalados e a boca aberta. Que perigo! Então esse reloginho aí é importante mesmo.

- Não é relógio. Relógio conta as horas dentro de um dia e esse aí conta os giros dentro de um minuto.

- Ufa! Ainda bem então que o meu câmbio é automático. Que bom! E se não for automático que nem o seu?

- Quer saber? Os carros modernos todos tem injeção e com injeção também não tem problema, porque o motor corta o giro antes que debulhe o troço.

- Corta como? Corta o quê?

- É gíria. Cortar nesse caso significa que o motor dá um jeito de engasgar e você não consegue acelerar acima do que é seguro, então ele não debulha.

- Então, resumindo, não serve pra nada esse reloginho?

- Não. Não serve pra nada essa porr.. desse “reloginho”. Desencana. Você pode por uma foto aí nessa bolinha do reloginho, uma do Justin Bieber, ou do Lula, ou do Palocci, ou de um outro cachorro qualquer.

- Ah! Não! Ou vou colocar uma do Brad Pitt ou uma sua. Estou na dúvida sobre qual é o mais bonito.

- Então põe uma minha aí, boneca, porque aquele fresco pode ser mais bonito, mas quem tá aqui na área sou eu e você sabe que comigo você entra na faixa vermelha.

- Ui! – ela se arrepia.

- Hehe...

- Quem vai guiando? – ela pergunta, com aquele olhar que é um segredo só deles. 

- Vai você. Gosto de vê-la guiando quando está de mini-saia.

- Eu sei.

Então, voltando ao sério, nós, autoentusiastas, sim, gostamos de saber a quantas anda o nosso motor. Gostamos por inúmeras razões e ponto final.

O gozado é que, antigamente, quando o conta-giros era realmente necessário, na época dos carburados e tal, câmbios manuais, era raro o carro que vinha de fábrica com ele - praticamente só os esportivos. Tínhamos que comprá-los e dar um jeito de encaixá-los no painel. Hoje, quando na prática é desnecessário e pouquíssimos sabem pra que serve, quase todos os carros os têm.

Vai entender...

AK

Nota do editor: Este post entrou somente às 18h15 por problema de data no meu computador, que estava adiantado 1 dia e por isso a programação de entrada estava 27/5.. O horário da tarde é sempre 16h00.

99 comentários:

  1. Marcelo Junji26/05/11 18:37

    Não entendi porquê hoje em dia o contagiro não é necessário.

    ResponderExcluir
  2. Uma conhecida tomou multa com um Celta.

    Passou a supostos 30km/h na lombada eletronica...... Depois ela viu que estava olhando no "reloginho errado" uahuauhahuauahuahuauhahuauhahuauhauhahua

    Ainda ninguém me explicou porque um carro automatico, daqueles que não permitem troca manual, tem um conta giros.

    E um carro que tem cambio manual nao tem. Mesmo a injeção, ela não corta o giro nas reduções. É importante ter.

    ResponderExcluir
  3. Junior Valias26/05/11 18:39

    Muito bom! Estou aqui lendo em voz alta pra minha mulher, que, por sua vez, me olha com a mesma cara da "dona" que não entende p...nenhuma de conta-giro.

    ResponderExcluir
  4. Mas é justamente hoje em dia, com motores tão silenciosos, que se faz necessário o uso do contagiros!

    João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tocou num ponto importantíssimo!!! Manobrando com o som ligado, ar-condicionado ligado (obviamente com os vidros fechados)é muito válido ter um contagiros pra não deixar o motor morrer ou ficar tirando fora de giro sem saber. Portanto, contagiros é essencial sim.

      Excluir
    2. Exatamente,falou tudo o manolo,peguei um fiesta 2011 que chegava a 5 mil e parecia q estava a 2 mil,com esses motoristas de hoje e carros silenciosos muitos motores ainda vão fritar ae,só pra adicionar tem o som alto !

      Excluir
  5. Senhores, sinceramente, o conta-giros não serve para nada no veículo de um usuário comum. Seja automático ou manual, aquele "reloginho" é apenas enfeite mesmo, desde que o danado foi criado. Aliás, aqui no Brasil, conta-giros só vem em carro de de proprietários não são nem um pouco autoentusiastas...

    ResponderExcluir
  6. Num bom e silencioso carro automático o conta-giros serve pra vc saber em que marcha está, se o bloqueio do conversor entrou e uma infinidade de outras coisas podem ser depreendidas de sua leitura.

    Keller, para de escrever para leigos num blog de entusiastas!!

    ResponderExcluir
  7. Fora que ajuda numa ultrapassagem, se o motorista sabe (leu o manual do carro) a melhor faixa de desempenho, pode aproveitar a informação e tirar o "melhor" do motor numa ultrapassagem.

    Mas ae junta isso, o semáforo regressivo, decorar as velocidades das vias (que não precisa de placa, é só ter feito auto escola onde deveria ter aprendido), usar o a seta (pisca) e os acéfalos fazem as barbeiragens no trânsito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o Anônimo não vive no Brasil. A velocidade das vias, ou melhor segmentos das vias, são decididos ao "Deus dará". A BR 277, por exemplo, tem trechos de 110 e de restrição de velocidade a 80. Até ai tudo bem, mas passa por "perímetros urbanos" de 60 ou 70 (que dependêm da cabeça de quem mandou colocar a placa) e locais inclusive com quebra-molas. Na verdade nem sabemos mais se a rodovia é federal ou estadual. O BR diz que é federal, tio! Não é por ai. Quem conhece a história recente do Paraná sabe que o Lerner mexeu os pauzinhos para obter o domínio das rodovias federais que passam pelo estado afim de privatiza-las com tarifas extorcivas contra o interesse dos paranaense (pelo menos contra o interesse dos paranaenses que não exploram estradas pedagiadas).
      Na cidade nem se fala. Aqui em Cascavel tem ruas que tem 3 limites de velocidade permitidas sendo que a via é geométricamente a mesma. Geralmente baixam repentinamente de 60 para 40 para "economizar" não comprando um semáforo para uma via com certo movimento ou para botar um radar-arapuca.

      Excluir
  8. Conta-giros é para autoentusiasta, que nem termômetro do motor.
    Sinceramente, é necessário? Não.
    Quem não curte carros nunca vai saber para que serve, aliás só quer aquilo por achar que é característica de carro "completo". E do jeito que está a engenharia hoje, como bem demonstrado no post, vc nunca precisa nem olhar para ele.
    Mas eu gosto. E uso.
    E, aliás, belo texto, bem divertido. Acho que todo mundo passa por isso com irmã, mãe, namorada, ou até mesmo aquele amigo meia-roda... rs

    ResponderExcluir
  9. Minha esposa e eu conversando dias atrás:
    - Pra que serve aquele relógio com um ponteiro só?
    - O velocímetro ou o conta-giros?
    - O outro que não é o da velocidade.
    - Serve pra ver a rotação do motor.
    - E daí?
    - Serve pra você ver se está usando o motor de forma adequada, por exemplo, perto da faixa de torque máximo você vai dirigir de forma mais econômica. Ou com rotação muito baixa, estará forçando demais o motor. Entendeu?
    - Hã?
    - Deixa pra lá.

    ResponderExcluir
  10. Esse texto parecia eu tentando explicar ao meu pai por que utilizar o veiculo engatado em descidas, falando de estrategia de cut-off e etc.

    Sinceridade? Ele continua utilizando a banguela, mesmo...

    ResponderExcluir
  11. Isto porque vc não tentou explicar para o que serve a faixa laranja...
    Mas, na verdade, com excessão do marcador de gasolina, TODOS os demais instrumentos são completamente inúteis para a maioria dos manés.
    Para alguns, nem mesmo o marcador de gasolina, visto o que se vê pane-sêca por aí...

    ResponderExcluir
  12. Marcelo Augusto26/05/11 19:35

    Termômetro do motor de uns 10 anos pra cá não serve pra nada, muito menos tem haver com entusiasta. Ele só tem 3 posições: baixa, na temperatura de trabalho e naquela de quando eleva, tudo instantâneo, sem graduação. Tanto que acendem a luz de superaquecimento, já que é mais fácil ver uma luz que se acende do que um ponteiro que salta na escala.

    Conta giros é fundamental, sentir um motor girando e não saber o quando tira toda a graça.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo disse...
    26/05/11 19:23

    Mostre esse vídeo para ele, se mesmo assim ele não entender, ai sim, desista.

    http://www.youtube.com/watch?v=ur5JxWiI_ss

    ResponderExcluir
  14. Arnaldo, não acho interessante remover o conta-giros do painel em nome da manolização dos carros atuais. Se tem uma imensa maioria de otários que não sabe para que serve um conta-giros, a culpa não é do conta-giros, mas de eles serem otários.
    Vamos deixar a seleção natural agir. Deixemos os otários fazendo seus carros beberem mais por não olharem para a rotação de troca de marcha mais adequada, deixemos os mesmos reclamarem sem saber o porquê de seus carros berrarem a 120 km/h em uma estrada (marcha curta que joga a rotação para cima, algo que o conta-giros denuncia rapidinho) e por aí vai.

    Já nós, autoentusiastas, seguiremos trocando as marchas no momento certo e fazendo nossos carros beberem menos, faremos aquelas sutilezas de dar uma ligeira aliviada no acelerador sem que o carro perca a velocidade e outras coisas facilmente detectáveis no conta-giros.
    E, claro, que ninguém de departamento de depenação dos fabricantes de carro leia esta postagem, senão estaremos dando ideia para novas operações de lesa-consumidor.

    ResponderExcluir
  15. Pelo amor de Deus apaga esse post!!! hehehehe Agora que temos em quase todos os carros?!! Não reclama nããão!!!!

    ResponderExcluir
  16. Não sei porque veio contagiro no meu Corvete, se eu acho desnecessário?

    ResponderExcluir
  17. mas a pessoa do exemplo é uma anta, mesmo que não goste, não entenda, não custa aprender, uma simples leitura no manual do carro já convenceria da importância do conta-giros

    ResponderExcluir
  18. Necessário? É indispensável, e grande parte das pessoas sabe sim sua função e interpretam que a faixa vermelha é algo a não explorar ou mesmo a escala por si só é algo bem intuitivo. Oras, então pelo motivo de uma mulher não saber ou de que os motores tem limitadores e blá blá blá, o conta-giros deve ser extinto? Como diz o Bob Sharp, "nada a ver". Dou graças ao Senhor por ter me livrado de um Gol Special sem conta-giros e sem termômetro. Economia porca ou convenções para leigos não funcionam com várias pessoas. Por exemplo eu!

    Renan Veronezzi

    ResponderExcluir
  19. Hahahaha! Muito boa! Mas, falando sério, já tive carro com voltímetro no painel e, agora que não tenho mais, sinto uma baita falta! Por mim, o carro teria até um manômetro de óleo.
    Quanto aos leigos (ou às leigas...), basta dizer que o "reloginho" só diz respeito a quem sabe como o motor funciona. Quem não sabe não vai saber usar.

    ResponderExcluir
  20. Pra mim, contagiros é o instrumento principal do carro. Como pode se ter um motor e não querer saber as
    rpm? É a mesma coisa que ter um tanque de combustível e não ter um marcador pra saber o quanto resta.

    Mudando totalmente de assunto, acabei de ler um artigo, que diz no final: "Por outro lado, dados coletados em poços de petróleo exauridos na Arábia Saudita são condizentes com uma hipótese de que esses poços estão novamente se enchendo de baixo para cima."

    HAUSHASUAHSUAHSAUSHASUAHS :) :) !!!

    link: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=teoria-abiogenica-petroleo&id=010125110510

    ResponderExcluir
  21. Alessio Marinho26/05/11 21:06

    Fiquei pensando: Se o contagiros tivesse faixa verde como o Del Rey teve, seria preciso um MBA em pilotagem?

    ResponderExcluir
  22. Engraçado é que é tão difícil mesmo das pessoas entenderem que dá para economizar mais combustível utilizando-se do conta giros que a Fiat colocou um vacuômetro.

    ResponderExcluir
  23. concordo com a colocação...
    não há necessidade nenhuma de conta giro, ainda mais se você está a mais de uma semana com o mesmo carro, é feeling pombas!
    agora o da temperatura é importante... ja tive diversos episódios q vinha acompanhando a temperatura do carro... vim dosando muito acelerador, giro do motor pra não esquentar mais ainda... chegando em casa oq acontece? jorra água de mangueira velha e esssas coisas... esse é util!

    ResponderExcluir
  24. Aléssio Marinho26/05/11 21:20

    A uns anos atras estava viajando com o meu Uno Cabriolet pelo Tocantins. Recentemente havia trocado a caixa de marchas de 4 velocidades por uma de 5. Na epoca meu carrinho não tinha contagiros.
    Avistei um cliente num trevo da estrada e como íamos para a mesma cidade, inventei de alcancá-los.
    A força do 1300 contra o 2.8 MWM.
    Resultado: em 20 minutos o carro começou a pipocar e queimar óleo. Aliviei o pé e segui em frente e assim fui até chegar em Brasília, 800 km.
    Levei o carro direto pra oficina.
    Os aneis do 2o. pistão quebraram e desintegraram dentro da câmara.
    Fiz o motor e toca pra estrada de novo. Amaciando entre Brasília e Aracajú, sem passar de 80 km/h...
    Cheguei no destino, achei um painel com contagiros jogado numa oficina e substituí o relogio original pelo contagiros. Encaixou e funcionou imediatamente. Na primeira volta descobri o motivo do meu motor ir pro espaço: A 120 km/h o motor estava em 6000 rpm.
    A caixa de 5 velocidades que me venderam era do MILLE, cujo diferencial é bem mais reduzido que o do 1300.

    ResponderExcluir
  25. Arnaldo, eu não sei se rio ou choro lendo esse post. Acho que vou rir, pois dá mais prazer.
    Falando sério agora, ao menos hoje em dia o conta giros ainda marca com fidelidade. Pior mesmo é o termômetro de água (que muitos carros já não têm mesmo), que frequentemente para nos 90º seja na estrada aberta ou no congestionamento (onde por lógica ele deveria subir um pouco).
    Abraço!

    ResponderExcluir
  26. Arnaldo
    É claro que dá para dirigir sem conta-giros, mas diz isso para a Porsche, diz... (risos)

    ResponderExcluir
  27. jackie chan26/05/11 21:32

    Aquele que tem nos Fiat Mille Economy não é vacuômetro, é um indicador analógico de consumo instantâneo, comandado pela ECU. Para os poucos que sabem usar, e entendem sob quê circunstâncias o motor apresenta melhor eficiência, o contagiros é muito mais útil mesmo.

    ResponderExcluir
  28. Antigamente os povo reclamava que os carros não tinha nem conta giros. Agora tão reclamando que na realidade é inútil para a maioria das pessoas...Cuidado que senão teremos carros de novo sem o retrovisor direito, cinto abdominal, quebra-ventos...

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Dei graças a Deus quando meu pai comprou o primeiro carro com conta-giros...e desde então acho indispensável.

    Certa vez fiquei sem velocímetro em uma viagem e só de saber as rotações do motor em determinada marcha já sabia a que velocidade (aproximada) estava.

    ResponderExcluir
  31. Eu uso o contagiros em todos os carros que ando para saber se estou na faixa de giro de torque ou de potencia máximna, em ultrapassagens ou em testes de aceleração, alias eu nem olho pro velocimetro do meu carro pois ja sei a velocidade de cabeça em todas as marchas só de olhar para o "tacometro"

    ResponderExcluir
  32. Marcelo Junji26/05/11 21:55

    Fico surpreso que tem gente dizendo que o termômetro de água fica estático. Acho que isso se deve somente devido ao bom funcionamento do mesmo.
    O meu carro quando estava novo, também deixava o ponteiro congelado, mas agora que está muito rodado e com a válvula termostática danificada o ponteiro nunca chega no meio da escala, e quando pega uma descida longa o ponteiro cai até o começo da escala. O ponteiro também já acusou temperatura excessiva (não chegou a acender a luz espia, pois percebi pela queda de desempenho), também por problema na termostática. E no peugeot 1.6, varia de 9o a 1oo graus, e quando desligo o motor e depois de alguns minutos o ligo, o ponteiro chega a 3/4 da escala, eu acho que isso ocorre devido ao sensor que deve estar no cabeçote. Portanto os dois marcadores na minha opinião são indispensáveis.
    Em carros com sistema de arrefecimento com bom funcionamento, o ponteiro deve estar estático em qualquer situação.
    Por acaso, o contagiros também marca a rotação de marcha lenta.
    E me desculpe Sr. Arnaldo, da brincadeira do corvete.

    ResponderExcluir
  33. Marcelo o Novo FOCUS 2.0 não marca a temperatura correta pelo ponteiro,pois ja fiz o teste comparando a temperatura no modo teste onde aparece a temperatura do motor no visor digital, pra vc ter ideia o ponteiro fica congelado no frio até a temperatura chegar nos 50 graus no modo digital ai derrepente ele vai rapidamente até os 90 e la fica enquantoa temperatura no modo digitam ainda está la pelos 55 graus, chega a ser ridiculo.
    Ja no palio, no punto e no stilo todos acima de 2009 ainda se pode ler a temperatura "real" pelo ponteiro.

    ResponderExcluir
  34. Johnconnor(old rocker)26/05/11 22:01

    Antonio
    Muito boa,concordo....

    Tenho um carro antigo q tem conta-giros,vácuometro,voltimetro e pressão do óleo.Sei usar todos e acho que a leitura deles é importante e ajuda quando se quer andar com mais desempenho e/ou economia.Já no dia a dia são quase inuteis mesmo.Bastaria o velocimetro,luz de tamque na reserva e luz do óleo(quantos se lembram dela?).

    ResponderExcluir
  35. jackie chan26/05/11 22:14

    Alguns modelos de carros possuem o ponteiro indicador de temperatura que marca apenas três posições (frio, aquecido, superaquecido), controlado pela ECU. Nesses casos, é normal que o ponteiro permaneça parado na posição central, em transito livre ou no congestionamento. Quando a indicação é linear, percebe-se perfeitamente as variações, conforme o vento de frente e carga do motor. As características da válvula termostática não permitem um controle tão acurado da temperatura a ponto dela ficar invariável sob quaisquer circunstâncias.

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. Pra falar a verdade, pra mim deveria ter relógio ou medidor até para pressão negativa do escapamento !

    ResponderExcluir
  38. Era horrível aquele conta-giros do Gol G4 ou do Fox G1. Um cocozinho tão pequeno na esquerda do painel, que mal fazia diferença estar lá ou não.

    O que fiquei revoltado foi de ver o painel de um Astra 1.8 ano 2000 de um amigo meu, sem conta-giros...

    ResponderExcluir
  39. Rômulo Rostand26/05/11 23:09

    Aléssio Marinho,

    Lendo seu comentário, fiquei pensando qual o motivo do motor girar tão alto a 120 km/h, já que mesmo no Mile o motor não está a mais de 4000 rpm a esta velocidade. Será que a caixa era mexida ou havia algum problema com o conta-firos?
    Chegou a se questionar sobre isso?

    ResponderExcluir
  40. Tenho um microcarro com motor 1.0 e cambio automático, que é um excelente automóvel se desconsiderarmos os estonteantes 64 cavalos.

    Uso muito o recurso de bloqueio de marchas (3-2-1) para compensar a pouca potência do motor, e o conta giros torna mais fácil a decisão de como operar o câmbio/acelerador para conseguir maior potencia ou ter maior economia. Dá até pra saber quando o conversor de torque está travado e quando ele começa a patinar, procurando extrair um pouquinho mais de força do diminuto bloco antes antes de descer uma ou duas marchas.

    Conta-giros em carro automático é bom e eu gosto!

    Ateriormente tive um Punto com motor 1.8 da GM. Todos sabem que esse motor é meio morto em rotações baixas, e de repente ele acorda aos 2800 RPM e vai indo bem até uns 5500 RPM. Mantê-lo nesse intervalo deixava ele bem esperto, era outro carro. Vários amigos e conhecidos, que também eram proprietários de Punto com motores GM, ficaram muito mais felizes com o jurássico família I depois que eu dei a dica, e passaram a usar o conta-giros.

    Conta-giros em carro manual é bom e quase todo mundo gosta!

    Dicieri

    ResponderExcluir
  41. P/ mim pode tirar o velocímetro e deixar só o Veglia lá no meio...

    ResponderExcluir
  42. Daniel Shimomoto26/05/11 23:50

    AK e Entusiastas;

    Painel de verdade era o do caminhão Ford F-11000 que tive na Fazenda: Velocimetro, conta giros, manômetro de ar comprimido, amperimetro, manometro de óleo, termometro além do indicador de combustivel...rs.

    Falando seriamente: Contagiros bom era o do Del Rey: Lúdico. Faixa verde, faixa vermelha, igual ao dos modernos caminhões e onibus.

    Com relação ao termometro da água, acho um crime o que os fabricantes estão fazendo, ao programá-los para chegar ao meio e parar. Tive o desprazer de descobrir isso quando o sistema de arrefecimento da minha Ranger a diesel simplesmente estourou de tanta pressão pois entre as colméias (condensador, radiador e intercooler) estava tomado de barro. E o ponteiro subia até o meio e ficava, e não marcando que o sistema estava com temperatura acima do normal. Só indicou que as coisas estavam erradas quando vazou a água (e eu graças a Deus, parei o motor a tempo!)

    Foi a surpresa boa que eu tive com o Peugeot 207 da minha mulher: Quando abastecido com gasolina, o ponteiro fica abaixo da metade, quando com álcool, sobe para a metade e se fica parado, por exemplo num congestionamento, ele indica o aumento da temperatura (sobe para cima da metade), cai quando entra o eletroventilador, etc.

    Abraços a Todos!

    ResponderExcluir
  43. Marco Antonio27/05/11 02:10

    Também acho o conta giros essencial, mas sinto muita falta é da temperatura d'água; esses carros que só tem a luz de advertencia, que quando acende, a cobra já fumou....

    ResponderExcluir
  44. Alexandre - BH -27/05/11 05:28

    Para o xará Alexandre ADG: Muito legal o seu vídeo sobre dirigir na banguela. Nunca vi alguém demonstrar na prática. Só um conselho: Cuidado ao fazer testes no Anel Rodoviário, pois agora tem um radar a cada 100 metros! Aqui em BH estão pondo radar até no Drive Thru do McDonald’s! Rsrs!

    ResponderExcluir
  45. O problema é que as pessoas simplesmente não leêm a respeito do assunto ... por simplesmente não ter interesse ... as pessoas compram o carro, abrem a porta, dão a partida e saem dirigindo ... sem saber o que tem no carro ... não é só o conta giro não ... tem muitos proprietários que não usufruem toda a comodidade que seus carros oferecem ... um exmplo: o Ômega antigo, quando vc fechava o carro e girava a chave somente 45º, os vidros subiam automaticamente e depois vc terminava de girar a chave ... um amigo meu comprou um e não sabia disto, porque não leu o manual ...

    Geraldo

    ResponderExcluir
  46. Esse post é bem realidade ..

    Minha esposa pegou nosso carro e foi trabalhar ( estrada quase 30Km) Ok . De repente a Múmia me liga dizendo que o motor tava "vibrando" muito e não passava de 90Km/h ..

    KCT ! O que será que ela quebrou agora ? quando cheguei lá descobri o defeito : O cambio entrou em "limp-mode" por alguma razão e quando isso acontece ele "trava" o automático em segunda marcha ..

    Ou seja, minha espertíssima esposa não viu que estava tentado andar a 120Km/h EM SEGUNDA MARCHA com o MALDITO CONTA GIROS MARCANDO 6500 RPM.

    É só desligar e ligar que "zera" a memória do módulo e volta ao normal.

    Outra vez esse carro mesmo Ela me ligou dizendo que alguma coisa tava apitando.Falei: Pára essa merda e olha o painel .. A agulha da temparatura estava no vermelho
    só não perdi o motor porque o painel "APITA" quando superaquece.


    Hoje minha esposa tá andando de Variant porque é a única coisa que Ela não consegui quebrar ainda...


    PAINEL+MULHER = ENFEITE


    JONES

    ResponderExcluir
  47. luizborgmann27/05/11 08:57

    Alô Arnaldo,
    Esse Smiths que ilustra a matéria era objeto de desejo nos anos 60, e o melhor que se conseguia eram os BRD que vinham camuflados da Argentina. A propósito da utilidade do instrumento, certa vez questionei a um mecânico de carros de corrida de qual a folga pistão x cilindro que ele pedia quando levava o motor à retífica. Ele respondeu: 8. Eu disse: 8 o que...? Ele respondeu: não sei, todo mundo diz 8 e eu digo também... Para quem deseja utilizar o instrumento, um pouco de técnica é imprescindível, aí entra o manual...o que é mesmo torque e potência máxima? Minha mulher não tem o menor interesse nisso.
    Um abraço
    luiz borgmann

    ResponderExcluir
  48. Acho muito útil o conta-giros, mas sei qual o giro do motor pelo velocímetro. Um dos carros que dirijo não tem conta-giros e tem carburador, não existindo portanto o cut-off.
    O que fiz: Medi a circunferência do pneu, achei todas as relações entre o número de dentes das engrenagens do diferencial e das marchas do câmbio e calculei a velocidade/1000 rpm em cada uma das marchas. Depois somei 5% para compensar o erro do velocímetro e pronto! Não tenho conta-giros mas sei de cabeça que meu Fusca a 40Km/h no velocímetro está a mais ou menos 1800rpm em 3ª marhca e se eu passar à 4ª ele estará a mais ou menos 1300rpm.
    Entusiasta pobre tem que se virar! Hahahahaha
    Não queria comprar um conta-giros porque iria perder a aparencia original, que é o meu objetivo com este Fusca.

    Abraço a todos!


    Nota: Tem gente postando aqui e dando exemplo errado, ou seja, mostrando que também não sabe usar o conta-giros. Rotação de torque máximo nada tem a ver com máxima economia. Se fosse assim, dirigir um carro de 1 litro atual de forma econômica seria manter o conta-giros ao redor de 5.000 rpm... Vamos aprender de fato a usar o conta-giros!!

    ResponderExcluir
  49. ... ou uma foto do FHC, ou uma do Maluf, do Serra, do Jânio, do Adhemar, ou Alkmin, ou Kassab. São muitos cachorros, é só escolher um!

    [Não baixa o nível, cara!!!!]

    ResponderExcluir
  50. Pedro Bergamaschi27/05/11 10:03

    Aléssio Marinho,

    Acabei de colocar um painel com conta-giros e termometro de àgua no meu Uno também. Demorei até conseguir fazer o termômetro funcionar porque o fio que antes fazia acender a luz de aviso de superaquecimento (que nunca tinha acendido) estava ligada ao sensor da partida à frio! E o carro já estava assim a uns três anos, desde que foi retificado o motor...
    Imagina se ele tivesse superaquecido...

    ResponderExcluir
  51. Conta-giros é um instrumento essencial!

    E nos carros com relação peso-potência apertada, como aqueles com motor 1000cc, considero-o indispensável! Pena que justo nesses carros que ele não costume vir, por economia de custo.

    E mais, devia vir indicada em verde a faixa de rotações de máximo torque, para tentar educar aqueles que insistem em subir ladeira a 2000rpm...

    Lembro de alguns carros mais antigos, que não tinham conta-giros, mas pelo menos o velocímetro tinha umas marquinhas com as velocidades máximas de cada marcha.

    Para o Guilherme: Um conta-giros poderia ser colocado no lugar onde ele vinha instalado originalmente no "super fuscão": naquela grade à esquerda do velocímetro. Ou no painel mais moderno tem gente que coloca um conta-giros quadrado naquele buraco que era reservado ao relógio de horas.

    ResponderExcluir
  52. Quanto mais informação disponível melhor. Quem souber utilizar aproveita, que não sabe, ignora. Simples assim.

    ResponderExcluir
  53. Eu que tenho carro 1.0 é muito necessário, na estrada para conseguir um desempenho proximo do aceitável em uma ultrapassagem voce precisa chegar bem perto da faixa vermelha para ganhar velocidade rápido, eu nao me vejo dirigindo um carro sem esse instrumento, a injeção corta a injeção de combustivel mas nao troca a marcha entao é um instrumento muito necessário para a segurança na minha opniao. concordo que a maioria nem sabe usar e tem um medo danado de passar do 5mil rpm mas eu considero essencial.

    ResponderExcluir
  54. Baseado nesse pensamento então:

    1- Podemos eliminar o marcador de gasolina,basta a luzinha da reserva ou então colocar uma torneirinha tipo fusca véio ...
    2- Como já começaram a eliminar o marcador de temperatura ,me baseio nessa premissa para o item 1.
    3- Arranca o velocímetro tb, ninguém olha para aquela porcaria,pois tomam multa de radar direto,não é?Marcador de pressão de óleo?Amperímetro?hahaha,isso é só em carro tunado,para o boneco acender aquilo tudo à noite e aparecer bonito na foto....

    Sabem qual é o grande problemA?Auto escola ensina a tirar a carteira de motorista,não a dirigir, se todos recebessem o mínimo de informação técnica a coisa seria bem diferente,mas como esse país é uma casa de meretrizes comandada por homossexuais o resultado é esse mesmo, e a tendencia é só piorar....

    ResponderExcluir
  55. Para quem tem dificuldade em "sentir" o motor sem contagiros, pode ver que existe uma marcação em vários carros - no velocímetro - com os limites de cada marcha; pode ser de grande utilidade.

    O manual também informa a velocidade máxima de cada marcha.

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  56. Anônimo 227/05/11 13:57

    Sabem qual é o grande problema? Auto escola ensina a tirar a carteira de motorista, não a dirigir. [2].

    Não tenho certeza porque eu era muito pequeno, mas acho que já vi Fusca dos anos 80 que vinha sem marcador de gasolina! Em vez disso, tinha só uma luzinha que acendia quando ela estava no fim.

    ResponderExcluir
  57. Ronaldo Nazário27/05/11 14:25

    Ai Arnaldo!

    Você é um menino danado heim!!!

    Primeiro, me chamou para dar uma volta no seu carro e agora, coloca nosso diálogo para todo mundo ler!!!!

    Eu e você passando as marchas... ui, ui, fiquei arrepiada!!!!

    Depois reclama quando eu fico querendo mais e ligo pra sua casa no fim de semana...

    ResponderExcluir
  58. "Tenho um microcarro com motor 1.0 e cambio automático, que é um excelente automóvel se desconsiderarmos os estonteantes 64 cavalos."

    Pq os donos de Picanto têm vergonha de dizer que têm um Picanto?

    ResponderExcluir
  59. o cara num Fiat Mille não perceber 6 mil rpm ou é surdo ou é um nó cego mesmo

    ResponderExcluir
  60. Mas veja o caso dos corossovers, SUV's e picapes 4x4, cuja tração total dificilmente será usada pelos seus donos, mas então por que eles fizeram questão de escolher um 4wd? Queriam o top, coisa de status etc. Quem compra carro acima de popular faz questão de conta-giros, mesmo que seja p/ enfeitar o painel.

    ResponderExcluir
  61. Eu do pau de Picanto automático mesmo. O pessoal é bem burrinho, não sabe que cv é soma de carga mais rpm, aí, andam na casquinha do acelerador e motor no que eles chamam de berrando (3500 rpm hahahaha) e falam que o carro é que é fraco. Fraco é o empata phoda que ta dirigindo.

    Perto dos obstáculos móveis que vejo, 50 cv e caixa automática de 3 marchas já dá coro em 99,99% dos entusiastas que vejo pelo caminho.

    ResponderExcluir
  62. Jones, ri alto aqui com a sua história. É cada coisa que acontece...

    No meu antigo Gol GTS (já com conta-giros original) eu retirei o porta fitas cassete instalei no lugar um manômetro de óleo e um vacuômetro, de indiscutível maior utilidade (ao menos pra mim).
    Já um Vectra GL que tive veio sem conta-giros, achei um absurdo aquilo. Mas bati o carro antes de trocar o painel pelo do GLS.
    Agora estou pesando seriamente em instlar a dupla manômetro de óleo e vacuômetro no meu antiguinho.

    ResponderExcluir
  63. Arnaldo Keller27/05/11 18:39

    Quem tem ouvido não precisa de conta-giros para carros de passeio. No máximo um shift-light.
    Em carro automático o conta-giros é só pra autoentusiasta se divertir em carro que não é pra diversão.
    Máximo torque não é giro de máxima economia.
    Para esportivos, sim, o conta-giros é essencial, apesar de que nem a F1 os têm mais.
    Mas eu gosto e o observo de vez em quando, principalmente para avaliar se o giro em última marcha está condizente com o peso, potência e aerodinãmica do carro.
    No mais é ouvido e sensibilidade no pá direito para saber se não está forçando o motor pra cima ou o forçando pra baixo.
    Lembro perfeitamente quando botei meu sogro pra pilotar uma Honda 750 Four que eu tinha, motor mexido, 880 cm3, canhão. Ele não enxergava picas pois sua degeneração da mácula estava avançada, e ele estava com uns 77 anos, e ele foi piloto de moto e carro, correu várias Mil Milhas na década de 50. Bom, estrada vazia e retão. Ele nunca montara naquela moto e há décadas que não pegava uma panela quente daquelas, e ele saiu metendo marcha atrás de marcha trocando-as perfeitamente no giro máximo exato, um pouco acima da potência máxima. E vocês acham que ele enxergava o conta-giros?
    Não, não enxergava nem precisava. Ele era um piloto.
    O resto é papo-furado.

    ResponderExcluir
  64. Uma das experiências mais didáticas para se entender conceitos como torque máximo X rotação do motor é dirigir um trator em piso enlameado. Se pintar a oportunidade, não perca!

    ResponderExcluir
  65. Alexei Silveira27/05/11 19:13

    Arnaldo:

    Concordo que hoje, contagiros e sua faixa VERDE são coisa de caminhão. Talvez, carteira D ou E na mão, saiba para que funciona ao sentir q quando dá empuxo tá no verde...

    Alguns carros atuais precisam dos seguintes instrumentos no painel, a serem inventados e desenvolvidos

    1- Viscosímetro de óleo,para indicar que não tem borra, não está contaminado e ainda está útil.

    SE NÃO TIVER, FUNDE MESMO, até VW quase zero Km se deu mal


    2- Densímetro de Bateria, caiu do verde , buzina tudo, aí joga no aperelhinho de carga lenta automática que acompanhará o carro- tomada 12 v do carro na 110 ou 220.

    EVITA 99 % A HORRÌVEL PRÁTICA da " CHUPETA " , NOTE NOS HIPERMERCADOS A VENDA DE APETRECHOS PARA REALIZA-LA .....................

    3- Morreu motor 3 vezes em carro manual, uma voz lá no fundo do painel vem , bem macia : " tem certeza que deseja prosseguir essa operação, querida ? "


    ...................................

    ResponderExcluir
  66. Alexei Silveira27/05/11 19:17

    Ah, parabéns por tão raro sogro!

    Sim, os novos pilotos de F1 preferem saber a velocidade que é possível contornar as curvas de média ou alta com ganho, tem essa informação do engenheiro-telemetria, retirada do piloto titular.

    ResponderExcluir
  67. Não consigo me imaginar tendo um carro sem conta giros...O único carro que comprei sem ele foi um Corsa Super, mas logo na primeira semana arrumei um painel original de Corsa completo e instalei nele...maravilha, pena que os 60 cv não foram suficientes, e poucos meses depois acabei vendendo o carro. O mesmo aconteceu agora, comprei um Honda FIT, mas estou muito frustado com seu desempenho, carrinho sem graça, não sei porque falam tão bem dele...Minha mulher adora ele, mas trocarei em breve.

    ResponderExcluir
  68. Marcelo Junji27/05/11 20:20

    Qualquer um sabe trocar marchas no limite do motor, mesmo que seja a primeira vez que esteja dirigindo o carro.Mas no meu carro com os vidros abertos, não se percebe o motor sendo forçado (leve vibração) em baixos rpms, portanto o contagiros é útil também nas rotações intermediárias, e duvido quem sabe em que rotação está,sem olhar o velocimetros nas rotações intemediárias. Nesse caso demora um pouco para aprender a rotação certa sem olhar para o contagiro.
    Se for para dirigir o tempo todo esticando a marcha até limite, concordo com o sr. Arnaldo, que não precisa contagiros, pois é muito fácil perceber o momento da troca. Até a minha mãe sabe
    levar o motor até o limite, e tenho certeza que ela não olha o contagiros.
    Para mim o contagiro não é só para saber a rotação máxima de troca.

    ResponderExcluir
  69. Arnaldo Keller, concordo que em carros de passeio e em condições normais não há nescessidade de conta-giros. E dá para se ter uma idéia da rotação pelo ouvido, mas dependendo do carro o barulho do vento é maior que o do motor e ai só um conta-giros mesmo.

    Nesse Vectra que eu tive (sem o tal do conta-giros) passei por uma situação assim. Na primeira viagem com o carro descobri que o sincronizador da 5ª estava com defeito: ao se trocar de 4ª pra 5ª ou engatar do ponto-morto pra 5ª ela sempre arranhava. A soução era esperar a rotação cair ou dar uma acelerada, conforme o caso, antes de engatar. Mas como saber o ponto correto sem conta-giros e sem escutar o barulho do motor (já que o vento fazia mais barulho que o motor do carro)??? E assim se foram 800 quilômetros.

    ResponderExcluir
  70. Arnaldo Keller27/05/11 21:35

    Marcelo Junji

    Nunca falei que sempre se deve trocar marchas no giro máximo. O correto é ler direito o que o outro escreve antes de criticar. Se o fizesse teria lido que eu disse "No mais é ouvido e sensibilidade no pé direito para saber se não está forçando o motor pra cima ou o forçando pra baixo".
    E quanto a janelas abertas abafarem o som do motor, como o senhor e outro disse, não concordo.

    ResponderExcluir
  71. Pergunta ignorante:

    Não é possível que em carros com marcha automática, dê algum problema no mecanismo que faz a troca, que então fique "atrasando"?

    (ou talvez até trocando antes da hora também)

    Daí talvez fosse bom ainda ter o conta giros para referência, tanto em caso de suspeita quanto talvez para reparo. Mas não sei nada, só estou inventando. Nunca pisei dentro de um carro com marcha automática.

    ResponderExcluir
  72. AK,
    Post muito legal e, que jeito bacana e descontraído de falar sobre o contra-griros!
    E você ainda está nos devendo a história mais detalhada das façanhas do Gato Preto...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  73. Velho, mas limpinho27/05/11 23:17

    Pô um contagiros custa R$ 100,00 e serve em qualquer carro! Quem faz questão que coloque um no seu independente da idade e do carro em questão.

    Foi o que fiz nos meus 5 velhinhos, todos tem contagiros, temperatura de óleo ou água, vacuometro e voltímetro. Dá pra fazer sem deixar uma árvore de natal.

    Mas de que adianta ter todos estes instrumentos se não souber usar?

    ResponderExcluir
  74. Arnaldo Keller27/05/11 23:32

    dsc,

    Olha, sinceramente, nunca peguei um carro moderno com cãmbio automático que desse esse tipo de problema e mesmo que desse, o sujeito sente ao guiar que o giro subiu muito. Se ele não perceber é porque o cara é uma anta mesmo e se ele não ferrar com o carro desse jeito ele vai ferrar de outro.

    Marlos,

    tá bom, logo eu conto do Gato Preto. Você manda.

    ResponderExcluir
  75. Marcelo Junji27/05/11 23:43

    Não tô entendendo mais nada: O contagiros não é necessário para o entusiasta, porque têm ouvido e sensibilidade no pé direito, ou o contagiro não é necessário para quem não sabe usá-lo?
    Reli meu comentário, e nele não falei que o Sr. disse que se deve trocar marcha no giro máximo. E também não há critica no meu comentário, só dei minha opinião.

    ResponderExcluir
  76. mimimi mimimi pra cá, mimimi mimimi prá lá!

    ResponderExcluir
  77. Aléssio Marinho28/05/11 03:03

    Romulo Rostand;

    Também pensei que o contagiros estivesse descalibrado, mas essa caixa era de um mille eletronic. Descobri que a relação era mais curta, graças ao Box que a QR lançou em 2003 com todos os testes. Pesquisei e descobri o motivo do sujeito que me vendeu afirmar que "caixa de uno é tudo igual". Realmente as relações das marchas são iguais, o que muda e a do diferencial.
    Comprei uma coroa e um pinhão do 1300 e instalei. Resolveu o problema.

    ResponderExcluir
  78. Aléssio Marinho28/05/11 03:09

    Pedro Bergamaschi;

    Falta de atenção do mecânico ao remontar o motor. Por isso que quando desmontei o meu para fazer o serviço de pintura, removi o chicote com cuidado e fiz o esquema elétrico na mão mesmo, pra não dar problema ao remontar.
    Nisso estou com o manômetro de pressão do óleo guardado numa caixa esperando o dia de ser montado.

    ResponderExcluir
  79. Marcelo Munji,

    Pra carro normal e atual não é necessário de modo algum. Vc e eu, autoentusiastas, gostamos e nos divertimos com eles, mas não são necessários. Vai no ouvido e no pé mesmo.
    Além do mais, em nossas estradas vigiadas, ninguém anda muito tempo acima dos 120 km/h reais, e a essa velocidade, mesmo que a última marcha seja mais curta do que deveria ser, tudo bem, não muda nada.
    Quando viajei pela Argentina, coisa que recomendo a todo autoentusiasta, aí sim o conta-giros ajuda, pois eu controlava a velocidade para não andar muito tempo em giro muito alto, se bem que isso não afetaria o Corolla, que está preparado pra andar no talo a vida toda.
    Hoje os motores estão aguentando muito mais desaforo, sem problemas.

    ResponderExcluir
  80. Belo conta-giros este Smiths, eu tive um Auto Meter Sport-Comp de 5" com shift light, difícil esquecer o "canhão" aceso (passando os 6 paus) num câmbio PS em 5ª, meu amigo ao lado falando "tá maluco, para com isso!", e o velocímetro indicando "6 horas"... rsrsrs

    Eu sempre pego referências no conta-giros e não me falta "feeling", mas é aquela necessidade de ter certeza que estou extraindo o máximo em algumas situações, sendo em desempenho ou consumo.

    Anônimo (26/05/11 22:48),
    O painel do Fox G1 pode ser a coisa mais tosca já oferecida no mercado, mas o maior problema é a falta do instrumento de temperatura.

    Leonardo, por que será né? hahahaha
    "Dar pau de picanto... uuuuhhhh!" kkkkkkkkk...

    ResponderExcluir
  81. Nem pensem em tirar o conta-giros, tenho problemas auditivos e tenho que ficar olhando para ele volta e meia, tanto para arrancar quanto para controlar a troca de marchas.

    Já para o câmbio automatico ou atomatizado nem sei dizer.

    E, antes que algum engraçadinho comece com algum tipo de piada, digo que uso aparelhos auditivos sim, mas, para perda profunda é bem complicado.

    O post em si estava bem legal, ri bastante. :)

    ResponderExcluir
  82. Alexei Silveira28/05/11 14:45

    DSC,

    O Contagiros é justamente o instrumento utilizado ( até a distância, teste feito então pelo dono do veículo) pela assistência especializada para testar uma caixa automática.

    É o primeiro teste de todos e funciona assim :

    Cada veiculo com conversor de torque tem uma rotação ideal a que o conversor, com marcha engatada,frenado e máxima aceleração, tem que atingir.

    1-Vamos supor que essa rotação seja 3.500 rpm. Se atingir isso,

    2-Se a rotação passa de 3.500 rpm, por exemplo chega a atingir 4.000 rpm, significa mal funcionamento de componentes do conversor e ELE vai ser investigado ao invés do motor.

    3- Se ao contrário, a rotação atingir por exemplo apenas 3.000 rpm dos tres e quinhentos, aí é problema do motor, do conjunto motor e ele vai ser investigado antes do câmbio

    Ou seja, no teste prático da caixa automática o contagiros é essencial e obrigatório, claro que esse teste pode puxar por computador da ECU do carro, mas não seria prático e rapidamente exclusivo como no modo citado.

    ResponderExcluir
  83. A cara, lógico que sempre será bom ter um medidor de RPM no painel, espertinho... dã

    ResponderExcluir
  84. Nessas horas que eu dou valor a minha mulher que sabe oque é punta taco , cabeçote de fluxo cruzado e onde fica nurburgring.
    Ah!, e carro automatico é pra quem não gosta de dirigir.

    ResponderExcluir
  85. Arnaldo Keller30/05/11 12:00

    Anônimo de dia 23 às 9:33,

    Não comento mais comentários de anônimos, mas tudo bem, dessa vez passa.
    Vc tem razão. Coloque os da sua lista também. É tudo farinha do mesmo saco e nenhum merece que homens de bem os defendam.

    ResponderExcluir
  86. Leonardo,

    Não tenho vergonha de dizer que tenho um Picanto não, muito pelo contrário.
    Devo dizer que não tenho o perfil do comprador desse carro e comprei só porque era o automático mais barato mesmo, mas depois da primeira semana de adaptação, o carrinho só me trouxe boas surpresas.

    Hoje em dia eu faço questão de mostrar ele pra todo mundo, e até quem tinha preconceito passou a gostar. Inclusive o pequeno asiático faz muito sucesso entre as mulheres. Já tenho compradoras para quando eu quiser vender o meu.
    E digo mais, já fiz a cabeça de 3 amigos. Eles saíram de 206 1.4, de Palio 1.3 16v e Gol G4 1.0. Os tres possuem a versão manual do Picanto, e todos dizem que estão muito mais satisfeitos.

    Só não informei o nome do carro porque todo bom autoentusiasta, que se atualiza regularmente, já perceberia que o único 1.0 automático do mercado brasileiro é o Picanto! Lembrando que o Smart Fortwo também é 1.0, mas seu câmbio é automatizado.

    Não que eu precisasse me justificar, mas quem cala, consente.

    Dicieri

    ResponderExcluir
  87. Dicieri,

    Nunca guiei ou andei num Picanto, mas gosto da idéia de um carro pequeno e automático para uso urbano. É bem prático e boa.

    ResponderExcluir
  88. Lembrei de uma situação viajando com uma amiga. Ela dirigindo e eu de passageiro. Estávamos voltando de um passeio em uma rodovia qualquer.

    Sem querer criticar a forma de condução dela, mas ouvindo o carro gritando, resolvi ficar quieto. Em certo momento ela me pergunta por que o carro está fazendo barulho, que isso não era assim e tal.

    Eu prontamente respondi: Se você engatar a 5a, vai resolver. Ela, meio sem jeito, engatou a 5a e continuamos a viagem.

    ResponderExcluir
  89. vejo velhinhas dirigindo seus carros, sempre saindo da inércia com 5.000 giros ou dirigindo a 70 Km / h em 2ª marcha. O contagiros, neste caso atrapalha mesmo...

    ResponderExcluir
  90. Quero ver alguém ouvir algo vindo do motor em uma w140 com aqueles vidros duplos,,,Keller,os F1 tem contagiros sim, só que em forma de leds,o desgraçado sobe de giro tão rápido que só assim o boneco pode ver algo e trocar a marcha na hora certa....

    ResponderExcluir
  91. Meus amigos, conta-giros é útil essencialmente para saber até quantas rotações podemos levar o motor do nosso carro no caso de querermos uma aceleração rápida. E também para calibrarmos nosso ouvido, ou seja, para associarmos ao valor das rotações ao som produzido pelo motor a essas mesmas rotações. Em relação a usar o conta-giros para decidir quando se deve mudar de marcha acho que não é prático e também desnecessário no caso de conhecermos a rotação em que estamos pelo ouvido (é uma questão de treino, não é difícil).
    Não é preciso ler o manual de proprietário para saber qual as rotações ideais de utilização, basta dar uma volta com o carro e verificar quando é que o motor começa a responder melhor. Essa treta de mudar de marcha sempre à mesma rotação é para quem vive num lugar em que a estrada é sempre plana. Se for a descer podemos mudar marcha bem cedo porque não precisamos de muita potência (o veículo anda por si), em plano há que esticar apenas um bocadinho mais para que na marcha seguinte o carro não fique em rotação demasiado baixa (o que é prejudícial ao motor porque o esforça), agora quando é a subir é aí que se vê os bons condutores, porque conforme a inclinação da ladeira o condutor tem que calcular qual a rotação ideal para mudar de marcha de forma a consumir menos e sem o carro perder a força na mudança seguinte, tudo isto exige conhecer muito bem o motor do seu carro. Mas não é pelo manual de proprietário que os condutores aprendem isso.
    Conselho de bom condutor, o essencial é saber sentir o carro, saber sentir o motor e sobretudo saber interpretar os sinais (nível de ruído, vibrações, etc) e saber exatamente o que fazer e quando fazer. Mas considero o conta-giros útil e sei exatamente como tirar o máximo partido dele para qualquer situação, seja para consumir pouco combustível, seja para a máxima performance. Só acho desnecessário usa-lo o tempo todo. Devemos olhar o máximo possível para a estrada, não nos devemos distrair com o conta-giros, principalmente dentro de cidade e em zonas muito movimentadas onde a miníma distração pode ser fatal.
    O segredo é usar todos os sentidos da melhor forma. Ah e podemos ir com música no carro que não faz diferença, é tudo uma questão de concentração. Fiquem bem!

    ResponderExcluir
  92. Pois é, para consumir pouco combustível não é só as rotações que conta como alguns aí dizem, eu posso mudar marcha cedo mas carregando o acelerador a fundo até chegar a essa rotação ou então acelerar suavemente até essa rotação ou até mesmo até uma rotação superior acabando por gastar menos. Sabemos que quanto mais alto o giro do motor mais vai consumir mas também sabemos se o giro for muito baixo e tivermos que colar o acelerador no fundo para o carro andar também irá gastar mais como também irá esforçar muito o motor. Simples... Conta-giros é útil mas não assim tanto. Só mesmo para conhecer o som do motor a cada rotação ou para saber até que giros se pode leva-lo sem estragar.
    Se for em plano ou subir a lógica é esta:
    Rotações muito baixas=Esforçar o motor
    Rotações médias/ideais=Consumo e desgaste de motor mínímo
    Rotações altas=Desempenho=Alto Consumo de Combustível + Desgaste mais rápido do motor e outros componentes. Força

    ResponderExcluir
  93. Eu costumo dizer que existem, barbeiros, motoristas e pilotos. Os barbeiros não se importam com o contra-giros. afinal sempre vão esquecer de subir ou voltar marchas, e quase nunca olham para o painel. Motoristas usam o contra-giros para passar as marchas, conforme a indicação do manual. Já o Piloto interage com a máquina. É a peça mais sofisticada do veículo. Sabe sentir o motor, seja um V8, seja um 1.0. Sabe extrair o máximo, mas sabe também economizar, Não precisa de contra-giros, mas sabe o quanto tal reloginho ajuda. Ajuda inclusive a entender se o carro tem relações de marchas convenientes, ou se padece daquele mal conhecido do carro brasileiro, que é o encurtamento excessivo da transmissão. Encurtamento esse, que a indústria promoveu por conta das reclamações dos barbeiros - a maioria, infelizmente - que tem preguiça de ficar voltando marcha.

    ResponderExcluir
  94. Nem ferrando q eu compro veículo sem conta-giros... se bobear uso mais ele do que o velocímetro.. pra mim tem muita serventia (sempre usei muito nos meus carros e motos).

    ResponderExcluir
  95. kkkkkkkkkkkkkkkkkk, rindo muito deste post! É a pura realidade, ninguém ou quase ninguém se preocupa com este acessório, deve ter gente achando que é um relógio com defeito no painel!!! Boa!

    ResponderExcluir
  96. Acessório? SHUT UP SAULO!

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...