27 de maio de 2011

O PROBLEMA NÃO É CARRO, É GENTE

Foto: autor

O problema de trânsito congestionado não é excesso de veículos, como os "especialistas" em trânsito gostam de falar e os jornalistas das emissoras dedicadas a trânsito repetem feito papagaio. O problema é outro, é o excesso de gente, resultado do inadmissável adensamento populacional das cidades por total irresponsabilidade da autoridade municipal, certamente esfregando as mãos ante a perspectiva de faturar  muito com Imposto Predial e Territorial Urbano, o conhecido IPTU, recebendo de braços abertos as construtoras de prédios de apartamentos.

Para ilustrar o que digo, veja a foto acima. Ela foi tirada ontem às 16h15 na estação Ana Rosa do metrô, em São Paulo. Eu voltava para casa após uma reunião com um cliente. Ao desembarcar nesta estação para  passar da linha verde para a linha azul e ao me dirigir à escada rolante, congestionamento...de gente! Fiquei impressionado e fiz a foto.

É gente demais, não há transporte coletivo que dê vazão. Permitiram que a cidade crescesse demais.

Depois, ao embarcar no trem da outra linha, minutos depois, os vagões já estavam lotados, e ainda não era hora de pico.



Veja-se o caso da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A foto abaixo mostra a praça Professor José Bernardino e as diversas vias que para ela convergem. Portanto, houve um planejamento. Porém, mais importante ainda foi o limite de três andares para todos os prédios nessa parte da Barra.

Foto do Google Earth

O que aconteceu? Não há problema de tráfego nessa parte da Barra da Tijuca, muito menos de estacionamento. Só que da época em essa área foi ocupada em diante, de meados dos anos 1960 para frente, a Barra verticalizou-se de maneira irresponsável e impressionante, virou uma cidade dentro da cidade. Tornou-se um inferno como qualquer grande centro.

Veja na foto abaixo: como é possível não haver problemas de trânsito com esse volume inadmissível de arranha-céus? Dizer que há excesso de veículos é fácil e óbvio, mas eles não chegaram sem motivo.

São Paulo: selva de arranha-céus (gabrielarighetto.wordpress.com)
Esse crescimento descontrolado se verifica atualmente em todas as regiões da capital paulista. Galpões industriais da zona leste dão cada vez mais lugar a prédios de no mínimo 25 andares. O mesmo acontece no interior do estado e em outras unidades da federação. É a farra das construtoras.

No caso de São Paulo, nem com uma malha de metrô dez ou quinze vezes maior que atual se resolverão os problemas de transporte de massa. Quanto mais se aumentarem as restrições ao transporte individual., aí é  que piorará mesmo.

O futuro desta cidade é, de fato, sombrio. A cidade sozinha já passou de dez milhões de habitantes Deter a construção de prédios com mais de oito andares não resolveria os problemas, mas evitaria que se acentuassem.

BS

75 comentários:

  1. Há duas semanas estive em no estado de São Paulo, e fiquei embasbacado de ver a densidade do transito na dutra no caminho de Guaratinguetá até o aeroporto de Guarulhos. Com todos que eu comentava falavam que alí ainda era tranquilo, que havia coisa bem pior. Vejo aqui em Goiânia que a verticalização está acontecendo de forma ferrenha, e teho medo, muito medo. O pior e que sou capaz de apostar que há muito de interesses das contstrutoras pra não mudarem as leis de postura das cidades... Aqui em Goiânia onde antigamente só podiam construir prédios em áreas demarcadas, liberaram para qualquer lugar, desde que seja em alguma avenida. Será o caos de São Paulo chegando na querida Goiânia?

    ResponderExcluir
  2. Como é bom ler um texto lúcido! Parabéns como sempre, Bob!
    A prefeitura segue ignorando qualquer responsabilidade, como bem apontado, pela ganância de arrecadar mais e mais. Da mesma forma, facilita-se a compra de carros, mas estes são impedidos de rodar por rodízios e engarrafamentos.
    O Brasil deveria se desenvolver de forma mais homogênea, ao invés de concetrando em poucas e grandes metrópoles. Em SP já se nota um êxodo para o interior, com destaque para Campinas, que vem crescendo. Porém lá a praga se repete, e falta investimento para os novos habitantes.
    Mas é tão mais fácil jogar a culpa nos "monstroristas", culpados do ar ruim, dos engarrafamentos, dos atropelamentos... Pra que pensar não?...

    ResponderExcluir
  3. São Paulo (não somente é verdade) é totalmente rendida à especulação imobiliária. Sou radicalmente contra a verticalização da cidade, pelos mesmos motivos do Bob. Adensa-se demais a cidade, tornando a vida das pessoas um inferno.

    Sempre pipocam notícias de modificações nos limites legais para construção de edifícios.

    Veja o bairro da Aclimação, por ex. Tem ruazinhas estreitas com prédios altíssimos um ao lado do outro. O cidadão mal consegue sair de casa, dependendo do horário.


    Marco

    ResponderExcluir
  4. Aqui em Recife a geografia é praticamente toda plana e a maior parte encontra-se ainda com baixa densidade populacional. O problema é que a construção de prédios encontra-se bastante polarizada nos bairros tidos como mais nobres, onde concentra-se riqueza, carros e também o medo de assaltos. E com as recentes chuvas é que o problema do trânsito se agrava pelo fato de a cidade não possuir um eficiente sistema de drenagem, que se combinar chuvas com maré alta é que vive-se um caos. A Copa de 2014 tá chegando e inventaram de construir noss estádio nos arredores da cidade ao invés de ser aqui dentro, com alguma reforma significativa no sistema de transporte urbano. Não sei como as coisas vão estar daqui a 3 anos, mas acho que falta muito a fazer daqui até lá.

    ResponderExcluir
  5. Tudo no Brasil carece de planejamento, e o urbanismo não é exceção. Mesmo os bairros ou cidades inicialmente planejadas não sobrevivem muitos anos à especulação imobiliária e acabam sendo totalmente deformadas. Governos municipal, estadual e federal preferem, sem dúvida, os impostos e "agrados" oferecidos pelas empreiteiras que a qualidade de vida ou mobilidade dos moradores.

    ResponderExcluir
  6. Ronaldo Nazário27/05/11 16:57

    Ué Bob???

    Não percebeu???

    É por isso que o governo está distribuindo o KIT GAY!!!!

    Para frear o crescimento da população!!!

    Tolinho!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  7. Bob, concordo com quase tudo o que você disse. Mas acho que São Paulo deve, sim, acelerar os investimentos em transporte público de qualidade. Para uma cidade de seu porte, a extensão da malha metroviária é absurdamente pequena. Santiago do Chile, com apenas um terço da população de São Paulo, tem um metrô bem maior e mais eficiente.

    ResponderExcluir
  8. Todos aqueles que moram em São Paulo e criticam São Paulo por causa de seu trânsito, provavelmente não tem obrigação nenhuma de morar na cidade.

    Fica a pergunta: quem topa se mudar de São Paulo? Quem topa ficar longe de seus clientes, dos bares e restaurantes, dos cinemas e teatros e de dos melhores prestadores de serviços de saúde (ou qualuer outro ramo) do país?

    Não se pode controlar a chegada de novos moradores. Da maneira como está colocado fica a impressão que "vai para lá que eu cheguei aqui primeiro!"

    Devemos defender, sim, o investimento brutal em transportes públicos. Devemos defender também que o planejamento da cidade fique a cargo de arquitetos, urbanistas e engenheiros - livres dos especuladores de imóveis e dos políticos interesseiros.

    Como se consegue isso? Não sei. Talvez seja melhor fazer as malas e ir para o interior, ou para outro estado, e fazer dar certo lá o que não tem mais jeito por aqui.

    ResponderExcluir
  9. Bod@o

    Aki na fazenda asfaltada isso não acontece não kerido, pode ficar tranquilo.

    Agora falando de SP, eu sempre disse aos meus amigos daí q o grande problema de SP é q tem gente demais!

    É impressionante o tanto de gente q tem ae nessa cidade.

    Se SP tivesse metade da população seria uma cidade espetacular.

    ResponderExcluir
  10. Eurico Jr.27/05/11 17:36

    Bob,

    Sei não, mas acho que essa foto da escada rolante foi tirada na estação Paraíso...

    ResponderExcluir
  11. Eurico,
    É a Paraíso mesmo, sempre confundo as duas, que ligam as linhas verde e azul. É que na ida se faz a baldeação na Ana Rosa, na volta, na Paraíso. Mas é tudo congestionado do mesmo jeito...

    ResponderExcluir
  12. será que eu entendi corretamente? restringir as construções residencias/comerciais, não investir em transporte público e liberar totalmente o transporte individual?

    que tal: mulheres e aposentados não poderiam circular com automotores de 07-19h seg-sex

    ResponderExcluir
  13. Paulo Levi
    Também acho, tem que ampliar o metrô em pelo menos dez vezes o que é hoje, mas se continuarem a construir prédios de apartamentos desenfredamente, de nada adiantará.

    ResponderExcluir
  14. Troglodita careca27/05/11 17:47

    É verdade que tem gente demais...e vai aumentar.
    Então, eu pergunto, se não verticalizar ( não sou a favor...) o que acontecerá?
    É impossível continuar expandindo os limites de praticamente todas as cidades nos grandes porque isto também acarretaria problemas ainda mais graves do que o trânsito caótico. Problemas ambientais severos, de abastecimento, entre outras coisas.
    Com ralação ao trânsito, não tem solução melhor do que transporte público eficiente e conscientização, mas tanto um, quanto o outro, está mais para um conto de ficção do que para realidade...
    Ai ai...

    ResponderExcluir
  15. Anônimo 27/5 17:44
    Não entendeu. O que digo é que a construção desenfreada não pode continuar, ou nem metrô dez ou quinze vezes mais extenso não adiantará.

    ResponderExcluir
  16. Olha, isso é um problema bem mais complexo e antigo. começou lá nos anos 50, junto com a idéia de industrializar o país. Foi mais ou menos assim: "vamos transformar nossos lavradores em operários". Porque roça aqui, sempre teve idéia de atraso. Ser moderno é morar na cidade. No caso de SP houve (e há) aquela idéia cínica do "Estado Locomotiva", "Bandeirante", o "Non Ducor Duco" e da "cidade que não pode parar"
    A esperança é que muitas empresas já estão percebendo o absurdo custo de vida e já estão transferindo suas fábricas pra cidades menores, como as do sul de Minas, por exemplo.
    E isso não é um problema só da capital. Aqui em SJCampos aprovaram a nova lei de zoneamento, cheia de brechas para atender às pressões das construtoras. Aliás, prédios de 25, 27 andares da década de 70 já nasceram irregulares, erguidos bem na rota de pouso e decolagem dos aviões. Dizem que foi por causa da vontade de alguns militares da época, ha! E hoje já há espigões de 30, 32 andares nessa rota. O prefeito aqui gosta muito de abrir e alargar avenidas, mas os ônibus são na casa dos 300 há mais de 10 anos. Melhorou o trânsito? Sim. Mas até quando?

    João Paulo

    ResponderExcluir
  17. O buraco é muito mais embaixo. Tem que conter o êxodo.

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Em algumas estações da CPTM, na linha que segue a marginal Pinheiros, acontece algo pior. Nos horários de pico eles desligam as escadas rolante para diminuir o fluxo de passageiros para a plataforma.

    ResponderExcluir
  20. Pois é Bob ! E aqui em Brasília que foi totalmente projetada e pensada em tudo para no máximo 800mil pessoas, e por causa de certo um ex Governador, que já foi cassado e cometeu TODAS as falcatruas possíveis, extremamente corrupto, trocou votos por lotes na cara dura em menos de 2 décadas e já vamos para 2.5 milhoes de população em uma cidade que NÃO tem para onde ir e mudar quase nada, não tem estrutura nem emprego ! Infelizmente é minha cidade e nasci aqui, mas Brasília se acabou e não tem mais volta. Transito absurdo, insegurança, saúde, emprego, educação, bem estar social...Nada mais temos por causa de falta de escrúpulos e planejamento.

    ResponderExcluir
  21. Boa, Bob!

    Dependendo do ângulo, podemos dizer que existe um círculo virtuoso ou vicioso em Sampa.
    Se você pegar as 10 melhores instituições ou estabelecimentos do Brasil (Universidades, Hospitais, Aeroportos, Multinacionais, Restaurantes, Casas de Show, etc), pelo menos umas SETE ou OITO estão na cidade (ou no estado).
    No lado "ruim" temos o trânsito, a poluição, a violência, a pobreza, entre outras coisas.
    O fato é que esta estrutura de nível mundial atrai e segura gente do Brasil e de outros países por aqui.
    Nosso país é lindo e adoro viajar por ele, mas experimente ficar doente ou ter um filho doente fora de SP, para sentir o "drama". Este é apenas um exemplo para dizer que SP é e continuará sendo a megacidade que move o país.

    ResponderExcluir
  22. Olha, não é só em São Paulo que ocorre esse inchaço populacional. Até em cidades "médias" como João Pessoa/PB você topa com essa realidade. Falo com conhecimento de causa, pois nasci e moro em João Pessoa. O trânsito aqui está extremamente caótico.
    Em minha singela opinião, o que nosso país está mais precisando é de educação, que é, em verdade, um gargalo muitíssimo maior até do que o gargalo de infra-estrutura.
    Por que digo isso? Ora, pesquisas estão aí comprovando que os grupos sociais de pessoas de maior nível de instrução possuem menores índices de envolvimento com drogas, maior inteligência emocional, além de terem bem menos filhos do que as pessoas ignorantes. Com a melhoria da educação, terá como consequencia a população brasileira parar de crescer indefinidamente, podendo até diminuir no futuro. Isso devido ao fato das pessoas instruídas terem noção das consequencias negativas da superpopulação para a qualidade de vida da população, evitando assim,terem muitos filhos.
    Essas informação que digo são todas comprovadas cientificamente pela sociologia e demografia.

    ResponderExcluir
  23. É isso aí, Bob. Texto lúcido, irrepreensivel, como todos os demais de sua autoria. Faltou dizer que o poder público adora arrecadação proporcionada pelo automóvel, mas simplesmente o ignora no planejamento urbano.

    abs

    Sérgio D. Gomes

    ResponderExcluir
  24. O país está passando por uma situação que, temos duas opções. A primeira é educar, a segunda também é educar.
    Ou a gente educa o povo brasileiro, ou essa onda de prosperidade econômica vai passar e o nosso país será um país de quinto mundo, sem deixar nada a dever de qualquer país miserável que a gente encontra mundo afora. O país será inteiramente assolado pela ignorância, pela completa alienação, pela mediocridade, pela prostituição e pelas drogas, além de um inchaço populacional insuportável.
    Nesse novo milênio, a educação é uma das maiores forças de desenvolvimento social e econômico.
    A palavra de ordem do novo milênio é "SUSTENTABILIDADE".
    O Brasil precisa conter esse crescimento demográfico absurdo, sob pena de ter uma situação ainda até pior que a Ìndia, país inchadíssimo mas que tem, por compensação, um povo de índole pacífica, diferente da realidade social desumana do nosso país. Não dá mais para ficar de braços cruzados.
    É preciso agir.

    ResponderExcluir
  25. Daniel San27/05/11 19:08

    Há um outro fator a ser considerado:a do controle da natalidade. É aquela velha história: Quem pode ter filhos tem 1 ou 2 ou nem os tem,quem não pode,tem aos montes. Famílias não planejadas produzem governos idem,e o resultado tá aí. Depois vem os governos,que não perdem uma oportunidade de gerar mais receita,criando medidas de restringir os carros nas ruas sem oferecer uma contrapartida,o que é uma tremenda sacanagem. O exemplo da Barra é clássico. Se fosse obedecido o plano urbanístico original,o bairro seria muito mais civilizado,embora totalmente dependente do automóvel,naquelas largas extensões. Hoje é uma odisséia entrar,transitar e sair de lá.

    ResponderExcluir
  26. Henrique Romano27/05/11 19:18

    Qualquer um que já jogou Sim City sabe como funcionam as cidades e sabe os problemas de se ter alta densidade populacional em uma região.
    E tenho que admitir: de longe o mais complicado é o transporte.

    Mas há uma diferença: eu não recebo nada pra comandar uma cidade no Sim City.
    Já os nossos governantes, secretários, ministros e outros (ir)responsáveis estão sendo MUITO BEM pagos POR NÓS para cumprirem suas determinadas funções. E eles teoricamente deveriam ter passado anos estudando pra ocuparem esses cargos.

    A verdade é que só no dia que houverem punições severas sobre os políticos, governantes e outros servidores públicos pelos absurdos cometidos por eles é que vai começar a melhorar alguma coisa...

    ResponderExcluir
  27. Bob,
    Excelente post, falou a verdade, mais uma vez!
    Penso semelhante, não dá pra ficar tentando adaptar a infra-estrutura a esse mundo de gente que vai surgindo ou chegando nas grandes cidades (não digo só Grande São Paulo, mas nas demais também).
    Esse negócio de "ampliar porque ampliou" é um laço infinito que, como tudo o que cresce continuamente, um dia "explode".
    Esse bolo chamado população já cresceu demais, e o governo joga mais fermento pra encher o bolso...

    Tava pensando aqui: já pensou um prédio desses caindo e levando outros em efeito dominó? Impossível, eu sei.

    Bob, que tal falar um pouco sobre esses novos sistemas "start-stop" que vêm surgindo nos carros "azuis" (como os chamam VW e Mercedes)? Outro item interessante seria o sistema de direção e/ou suspensão, fazer um "dossiê" bacana como aquele - excelente, aliás - sobre a embreagem.

    ResponderExcluir
  28. Bob, urbanizar as metrópoles significa mais investimento ainda em transporte público e infraestrutura de vias, pois sem espaço vertical, os grandes centros iriam expandir horizontalmente englobando cidades vizinhas. E isso aqui no Brasil é utopia.

    ResponderExcluir
  29. Daniel San, você botou o dedo na ferida ao mencionar a questão do controle de natalidade. Parece haver um tabu ao redor desse assunto, basta tocar nele para ser visto como um monstro genocida.

    Há muitos anos, quando o presidente da república era o Sarney, o governo federal apresentou um projeto visando incentivar o planejamento familiar. Foi torpedeado por todos os lados, principalmente pela igreja e por um certo partido de esquerda, sob o argumento de que "o Sarney quer acabar com os pobres". Haja estupidez ou má fé, ou uma combinação dos dois.

    ResponderExcluir
  30. Marcelo Junji27/05/11 20:37

    Não moro em apartamento, mas pelo que sei, em alguns condominios existe congestionamento para sair do prédio e me disseram que levam até 15 min. para sair do prédio.
    Sr. Bob, vocÊ falou tudo que eu sempre pensei.É preciso um melhor controle na construção de edifícios. Precisamos espalhar mais o povo pelo Brasil que é enorme, e não centralizar ainda mais.
    São Paulo já está no limite.

    ResponderExcluir
  31. Depois de tudo o que já ouvi a respeito só falta alguém dar a idéia de construir o muro do nordeste. Cada uma...

    ResponderExcluir
  32. AMZ

    "mas experimente ficar doente ou ter um filho doente fora de SP, para sentir o drama"

    Pelo visto vc não anda viajando mto pelo país, tamanha MERDA q acabou de escrever.

    Goiânia é um dos Polos mais importantes de saúde do Brasil, e não dependemos em nd de SP!

    Tanto é q meu pai - neurologista e neurocigirgião - tem vários pacientes de SP.

    Guarde teu preconceito rasteiro p/ si.

    ResponderExcluir
  33. O transporte coletivo da cidade de São Paulo está aquem da real capacidade necessária para transportar a população de forma que ela merece e paga (afinal de contas a tarifa de transporte coletivo é cara). Na região metropolitana de S.Paulo a situação é ainda pior,tente se deslocar do ABC para Guarulhos por exemplo para ver o transtorno que é ou tome como exemplo tambem a região do ABC que a EMTU tenta a pelo menos 05 anos licitar as linhas intermunicipais e não consegue. O resultado são empresas trabalhando precariamente, com onibus velhos, horários desrespeitados e linhas que não atendem a necessidade da população.
    Agora eu penso se ao menos 30% dos que utilizam carros e/ou motos em seus deslocamentos diários, resolvessem utilizar o transporte coletivo, como incentivam as "autoridades" no assunto, o que aconteceria. No mínimo um colapso no sistema.

    ResponderExcluir
  34. Pessoal por que vocês não migram para Bahia? aqui na Chapada Diamantina tem espaço de sobra, custo de vida mais em conta , um clima maravilhoso, podem fazer seus fornos de pizza e voar para Sampa uma ou duas vezes por ano. Estamos a mil metros acima do nível do mar, algumas cidades um pouco mais outras um pouco menos.Oferece uma qualidade de vida impressionante e uma paisagem deslumbrante.
    Viver em Sampa hoje é inviável. Paga-se o dobro do que se paga pelos mesmos serviços em várias outras boas cidades. E se mudasse a sede da capital para outra cidade ?abs, Ewerton.

    ResponderExcluir
  35. AMZ

    Uma coisa é a cidade ter os melhores serviços, hospitais, cinemas, lazer, etc. Outra coisa é toda a população em geral ter acesso a esses bons serviços. Vejo notícias das melhores cidades para os idosos viverem - grandes cidades, na maioria. Até que ponto vale a pena ter um hospital bom por perto mas correr o risco de ser assaltado, atropelado e morrer por respirar tanta poluição? Acho tudo isso muito falacioso.
    Invejo aqueles velhinhos sentados nas praças das cidades pequenas. Ninguém me tira da cabeça que eles vivem melhor.


    João Paulo

    ResponderExcluir
  36. A cidade não cresceu demais, são as pessoas que pensam muito pequeno...

    Não é o metrô q não dá vazão, foi "apenas" projetado com um limite muito inferior ao necessário.

    Pq, quem é o culpado, etc... É outra conversa. Normalmente nesses casos a incompetência, a improvisação e a corrupção andam de mãos dadas... Incluindo aí os eleitores que elegem os seus próprios algozes e compactuam com administrações no mínimo incompetentes; não apenas em SP mas em todo o Brasil.

    Quem já viajou a NY ou outra megalópole? Os metrôs por lá têm apenas 1 ramal??? Não né... Nas áreas mais populosas e/ou com maior trânsito de pessoas em um mesmo trecho são vários ramais (trilhos paralelos).

    A estação Grand Central en NY que se não me engano já era a maior do mundo, foi ampliada e construíram não sei mais quantas plataformas abaixo das existentes... E por aí vai! Mas tem q pensar "grande"!!!

    Não construiram 1 plataforma, contruiram VÁRIAS!!! E muito provavelmente já deixaram as futuras expansões projetadas e "engatilhadas".

    Ao invés de copiar o q os estrangeiros tem de pior como de costume, precisamos ver os bons exemplos! Abraços.

    ResponderExcluir
  37. mas no momento não tem solução, nas próximas eleições analisem bem as propostas relacionadas a trânsito e planejamento urbano, questionem os candidatos nas várias mídias disponíveis.
    pra quem mora no centro e se locomove pela região central, táxi é mais barato, já foi comprovado.
    evite usar seu carro nos dias úteis, outras opções podem ser mais rápidas, até bicicleta em determinados casos, não é lero-lero, e se vc gosta de dirigir, reserve dias tranquilos da semana, como sábado, domingo, faça pequenas viagens para interior, aproveite as boas vicinais que ainda existem, inclusive algumas poucas foram recuperadas no interior de sp.
    tire um dia para ter o prazer de dirigir num local que permita.

    ResponderExcluir
  38. aliás, prazer de dirigir não, normalmente digo, prazer de guiar

    ResponderExcluir
  39. A responsabilidade pela falta de metrô em São Paulo recai inicialmente nos ombros do Prestes Maia que, apesar de ter iniciado o planejamento do metrô em São Paulo com meios de transporte “modernos”, basta ver que alguns viadutos da 23 de Maio tem escadas não utilizadas para o canteiro central e um andar sob o viaduto, acabou sucumbindo a interesses escusos da época. Como no caso do Viaduto Pedroso! O metrô naquele trecho seria a céu aberto no canteiro central, já notaram como ele é largo? Ainda estão no arquivo da Pref. de São Paulo desenhos mostrando este planejamento. Mas... na hora H a escolha recaiu sobre o transporte de superfície, bonde e ônibus!?! Será que as “Irmãs do Petróleo” já rondavam a prefeitura de SPO naqueles tempos?
    Outro exemplo do planejamento dele que não foi realizado totalmente: alguém sabe o motivo daquelas enormes torres, com cabines envidraçadas no alto, ladeando a margem esquerda da Ponte das Bandeiras sobre o Tietê? Era para controlar o tráfego de barcos de passageiros pelo Tietê!
    E quem conhece a Marginal do Tietê antes destas escalafobéticas obras, sabe que os viadutos tinham previsão para a passagem dos trilhos de trem de subúrbio! E assim por diante...
    Indo um pouco mais a fundo, quem sabe os mais velhos entre vocês lembrem que o Maluf tentou mudar a capital de São Paulo para o "centro geográfico do estado". É certo que ele já tinha comprado toda aquela área “por acaso”, mas a idéia se tivesse vingado talvez tivesse esvaziado um pouco a cidade tirando a parte administrativa daqui para o interior...
    Agora é enfrentar estes desmandos administrativos que se acumulam por décadas.
    Para mim não há muita solução e o melhor caminho para resolver o problema será o da saída de São Paulo para outras paragens ainda habitáveis.
    Saudações
    Alexander Gromow

    ResponderExcluir
  40. João Paulo
    27/05/11 21:59

    Não discordo de você. Tenho parentes no interior de SP e no PR que passaram dos 80 e alguns dos 90 anos devido ao estilo de vida mais tranquilo. É uma opção a ser considerada.

    Pisca

    Eu só disse o que todo mundo já sabe. Não duvido que seu pai seja um excelente profissional, mas pergunte para a Dilma, para família do José Alencar, ou das gêmeas siamesas porque eles não procuram/procuraram hospitais de Goiania. Neste país, existem cirurgias que só são feitas no Hospital das Clínicas, Sírio-Libanês ou no Albert Einstein.
    Outra coisa: a cidade de São Paulo é composta por pessoas de TODO o Brasil, não só paulistanos. O Bob é um ótimo exemplo de carioca que escolheu SP, como outros tantos amigos que tenho oriundos de outros estados, que são pessoas e profissionais excepcionais.
    É justamente esta soma de BRASILEIROS que faz SP ser o que é!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  41. O metrô de SP além de ineficiente nos aspectos já comentados, ainda deixa a desejar na qualidade do ar que lá respiramos... hoje necessitei usar o metrô da estação Barra Funda até a Sé e da Sé até o Terminal Rodoviário do Tietê, pela manhã... e vejam que supimpa, agora estou queimando em febre, e com uma gripe para lá de forte... e só posso ter pegado lá, no metrô. Pois não tem outra explicação, se não a "longa" viagem pelo subsolo dentro daquele aquário de germes... *Aaaaatchiiiim!*

    ResponderExcluir
  42. Aléssio Marinho28/05/11 03:28

    Bob,

    Acabei de chegar de viagem de São Luis. Interessante como aquela cidade possui um ordenamento, com bairros definidos por avenidas de pista dupla, bem melhor que Belém.
    Apesar de um tráfego pesado por causa de uma greve dos rodoviários, até que tudo flui bem.
    O mais legal é que a cidade não se verticalizou como Belem ou SP, e na decolagem fiquei observando esta característica.
    Venho no AE e acho um post sobre isso...

    ResponderExcluir
  43. Nesse momento que escrevo esse post, estou no 15ºandar de um Hotel aqui no Vila Mariana, vim a São Paulo para conhecer uma fábrica de tensores que pretendo representar em Minas.
    Essa mesma marca que só tem seu escritório e parte do estoque na capital, pois suas fábricas já se mudaram para o interior de São Paulo a muito tempo.
    Em minha visita as fábricas, notei uma antiga fábrica de briquedos que antes ficava na capital, a Brinquedos Estrela hoje com seu brilho ofuscado pelos produtos chineses já não é mais a mesma, mas para continuar existindo, foi para o interior paulista e ainda continua sua luta.

    Em minha profissão, recebi inúmeros convites para me mudar para São Paulo, eu adoro essa cidade, ela pulsa, tem de tudo, fico impressionado com a grandiosidade dessa cidade, mas cá entre nós, não consigo me imaginar morando aqui, eu simplesmente enlouqueceria caso tivesse que encarar toda essa energia diariamente.

    Daqui a pouco embarco de volta a BH, um tipo de roça urbanizada que ainda amo.
    São Paulo ficará apenas para negócios onde seja necessário apenas 1 ou 2 dias para resolver, pois viver aqui ainda não dá pra mim.

    ResponderExcluir
  44. Ainda bem que os chineses limitaram a natalidade. Assim sobram carros de sua indústria para enchermos todas as nossas pobres cidades. E nem metrô precisaremos construir. :)

    Agora sério:
    Quando vamos nos conscientizar de que precisamos penalizar a circulação urbana de veículos e priorizar imediatamente as vias públicas para o transporte coletivo. Em São Paulo devemos colocar uma segunda pista exclusiva para ônibus nos corredores principais, mesmo que incomode quem insistir em usar carro.
    Enquanto nossos tributos forem desviados (via reduções pontuais de IPI para a danosa indústria automobilística) em vez de aplicados à solução de mobilidade urbana vamos amargar esses problemas.

    ResponderExcluir
  45. Uma coisa que atrapalha muito o deslocamento é a coincidência de horários de entrada e saída do trabalho. O tal do horário comercial é que joga a pá de cal no trânsito da cidade.

    Ontem voltei de Copacabana para o autódromo em 32 minutos, mas às 9 da noite. As ruas ainda estavam bem cheias, mas dentro do normal.

    Se algumas agências bancárias ficassem abertas até mais tarde, e o comércio de um modo geral também esticasse a jornada, minimizaria o problema. Mas todo mundo tem que voltar para casa entre 17 e 19h, aí entope tudo.

    ResponderExcluir
  46. Opa, por algum motivo meu browser não me deixou assinar o comentário acima (anônimo de 28/05/11 11:12)

    Ruivo

    ResponderExcluir
  47. mudaria o titulo do post para "o problema não é o carro , foi a gente que administrou a cidade nos ultimos trinta anos"
    conseguiram até tornar um meio de tranporte eficiente no mundo inteiro em ineficiente aqui,está construindo um anel viario há 16 anos e estão na metade... , não há planejamento urbano , nem viário em sp e a culpa é dos municipes, mas relaxe já comecçouno exodo de pessoas em sp....

    ResponderExcluir
  48. Como já dito acima, Bob parabéns por mais um texto realista, esta foto se fosse em plenas 18h30 seria o dobro mais cheia.
    Eu desde meus 18 anos, tenho 25 agora, sempre achei ridiculo falar "excesso de veículo" é DE GENTE MESMO!

    ResponderExcluir
  49. Tava demorando para aparecer um petralha com sua visão limitada de trinta anos. O problema é que o sujeito esquece, por má fé, que na prefeitura de São Paulo já passaram alguns espécimes dessa raça defendida por esses milicianos do pé rachado. O resultado todo mundo conhece. Muito factóide e nada que preste.

    ResponderExcluir
  50. Eco ao comentário acima!

    AMZ, falando somente em saúde, vale citar HCor, INCOR, Hospital do Cancêr, Samaritano, São Luiz, entre outros. Agora se for pensar no atendimento público o gap é ainda maior.

    Daniel San,
    Do que tem de médico amarrando trompas e ninguém nem fica sabendo! Desculpem-me, alguns podem discordar, mas eu acho isso o máximo!

    Antonio Augusto, que o nosso maior problema está na educação, isso não há como discordar, agora "os nossos governantes" veem nessa ignorância um mar de dinheiro.
    Olha! Difícil ter esperança neste país!

    ResponderExcluir
  51. Bob,

    Sou corretor de imóveis e posso te falar que o problema é mais complicado do que vc imagina.

    Mesmo quem está dentro do mercado e vive disso, fica abismado com as barbaridades que esse governo paulista(no) faz em prol das construtoras e principalmente do próprio bolso.

    E infelizmente não adianta impedir a construção de prédios com mais de 8 andares, pois quando o zoneamento limita o número de andares, as construtoras lançam empreendimentos com 8, 10 ou 12 apartamentos por andar e 2 ou 3 torres num mesmo terreno.

    No fim da na mesma pois temos 100, 200 ou mais apartamentos num mesmo empreendimento de torres "baixinhas"

    Abraço do Corretor AutoEntusiasta

    ResponderExcluir
  52. É claro que em São Paulo esse problema do trânsito fica claramente visível.
    Mas peguem capitais menores e cidades pólo do interior do Brasil que vocês verão que há um boom imobiliário com edifícios e edifícios sendo construídos em áreas inadequadas, sem qualquer planejamento urbano decente.
    Quanto à cidade de São Paulo em si, eu, gaúcho, digo: ainda bem que o Brasil tem uma cidade como São Paulo. E não adianta chiarem, a qualidade dos serviços top da capital paulista (hospitais, universidades, hotéis...) não tem comparação com nenhuma outra cidade brasileira.

    Ricardo2

    ResponderExcluir
  53. AMZ,

    O Pisca e o João Paulo têm razão. Já morei em São Paulo mais de 20 anos. A cidade tem de tudo, mas... É preciso muuuuita paciência para aguentar o trânsito caótico, as longas filas para atendimento e (não sei se isso mudou) uma falta de atenção de quem atende o público. As pessoas parecem que querem te despachar logo! rsrsrs Próximo, por favor!...

    O que isso quer dizer no dia a dia? O adensamento a que o Bob se referiu gera esse caos. No exemplo de precisar de um médico ou hospital, você perde um dia inteiro entre deslocamentos e filas. No lazer trivial (cinema, teatro, pizzarias), a mesma coisa acontece, exceto em feriados prolongados, quando o pessoal desce para Santos...

    Morava no Butantã e fazia compras no hipermercado do Shopping Eldorado. Várias vezes tive que desistir das compras porque fiquei retido mais de meia hora em congestionamento para cruzar a Marginal Pinheiros. Voltei com a patroa e acabamos comprando o básico numa padaria mais próxima...

    Tinha uma vizinha por lá que quase não saía de casa com o marido e os filhos. Dizia que se contentava em saber que tinha de tudo na cidade. hahaha

    ResponderExcluir
  54. o metro e o sistema viario de SP nunca foram administrados por petralhas, senão certamente a culpa seria destes.Em tempo nas administrações Marta e Erundina , transporte publico foi prioridade , experimente sair aos fins de semana e ver como não funciona o transporte publico em sp.

    ResponderExcluir
  55. Político nunca vai resolver nada.. não aqui no Brasil. Como diz o "filósofo", penso, logo, desisto... Desisto porque vamos todos morrer apontando soluções óbvias que nunca sairão do nosso imagináio...

    ResponderExcluir
  56. Mineirim, só uma pergunta só existia o Eldorado pra vc fazer compras? Vc não tinha como evitar a marginal?

    Pra morar em SP é necessário ser safo ou você ficará mais que as habituais 2,5 horas/dia no trânsito... rsrsrs... É triste!

    ResponderExcluir
  57. Velho, mas limpinho28/05/11 20:25

    Sempre tem um babaca anônimo (tipo o de 28/05 as 12:05)para falar groselha.
    O metrô nunca foi adminstrado pela prefeitura e sim pelo Estado e aí fica claro que os 30 anos de desmando desta gentalha que lá se encontra (por culpa de quem os elegeu) estão sendo cobrados de quem ainda sobrevive na cidade e nunca votou nessa corja incompetente, mas arca com os custos e problemas desta falta de planejamento.

    Mas as rodovias estão uma "maravilha", mesmo que os pedágios custem o quádruplo do preço do restante do país e de muitos lugares do 1º do mundo.

    ResponderExcluir
  58. velho limpo do traseiro imundo
    metrô é do estado? Noooossa! eu não sabia. Falei da prefeitura, otário. Tá revoltadinho com as aves do bico grande? Vai votando nos petralhas, um dia, quem sabe, vocês ainda conseguem tomar SP de assalto. Enquanto isso, vai trafegando pelas ótimas estradas paulistas e pagando pedágio abusivo. Quando a sua turminha mandar por aqui você continuará a trafegar pelas ótimas estradas paulistas e a pagar pedágio abusivo. Mas precisa botar um cara melhor que esse merdaandante ou o rombudo do palocci.

    ResponderExcluir
  59. totiy
    Quer dizer que tranporte público foi prioridade nas administrações dessas infelizes? Então tá bom...
    No tempo da martaxa, aquela tresloucada que virou senadora, tinha um secretário de transportes, um sujeitinho com cara de bom moço, porém, de alma podre, chamado Zarattini, que achava que ônibus tinha que possuir assoalho de madeira!!! Acho que ele não conseguiu convencer o pessoal da Marcopolo e da Caio, háháhá!
    E a Erundina? Essa teve a idéia de municipalizar o transporte. Os caras ganhavam por km rodado. Um excelente negócio. Para os empresários, é claro. No horário de pico, botavam menos carros pra circular. Fora dele, com tarde da noite, botavam um monte deles, cansei de ver vários, coisa de tres ou quatro, da mesma linha, um atrás do outro. Fácil de concluir, né! Nessa hora, não têm trânsito, então o busão roda mais depressa e faz mais km por menos tempo. Vazio, têm menor desgaste, tanto de diesel como de manutenção em geral. Uma beleza. Para nós, usuários, uma banana.

    ResponderExcluir
  60. Chupa Velho Porco! E agora o que vc tem a falar? Vai ficar como o Palocci? Quietinho?

    ResponderExcluir
  61. Anônimo das 22:01, seu comentário não só é de baixo calão como também é
    profundamente ofensivo às pessoas idosas, entre as quais me incluo. Posso até compartilhar seus pontos de vista em politica, mas não expressos dessa maneira.

    ResponderExcluir
  62. Fábio, o Butantã fica na margem oposta da Marginal em relação ao Eldorado, o único shopping com hipermercado daquela época na região. Ficava apenas a 3 km da minha casa e "agarrava" no km final entre as alças sobre o rio Pinheiros.

    ResponderExcluir
  63. mineirim
    Volta lá no butantã. Você vai se impressionar com a mudança. Só atravessa o rio quem quiser, hoje em dia.

    ResponderExcluir
  64. Anônimo das 13:28,
    Mas aí minha ex-vizinha tá certa: ficaria satisfeito só de saber que existem recursos na cidade... sem poder usufruir.
    Quer mais? Custo absurdo dos imóveis, serviço público de péssima qualidade, pessoas sendo tratadas como gado, e por aí vai...
    Tenho parentes lá. Sei do que falo.
    Experimente você mudar para qualquer outra cidade de médio porte e confira a diferença. Pior é que a gente em Sampa pensa que o Brasil é só ali...

    ResponderExcluir
  65. Velho, mas limpinho29/05/11 18:56

    Anônimo limitado e retardado das 21:27 e 22:01, tenho mais o que fazer do que ficar pendurado na internet (ainda mais de final de semana)

    Eu não voto eu ninguém pois nenhum presta, anulo e ponto. Se todos fizessem isso, veríamos uma mudança no cenário político.

    Vou dar um exemplo (já que não posso desenhar pra vc) para facilitar o entendimento, já que percebe-se que vc é inferior intelectualmente.

    Se não existe um carro que me agrade, atenda as minhas necessidades, ou tenha o custo de manutenção muito elevado, não irei comprar este ou um outro menos pior pra quebrar um galho!

    É isso que o Brasileiro faz, vota no Alckmin ou na Dilma por falta de coisa melhor naquele momento. Se não votasse (ou não comprasse porcaria) teríamos mais opções disponíveis em ambos "mercados", mas como tipos como vc precisam viver dessa maneira maniqueísta.

    Vá ler um pouco e tente expandir sua mente, mas dê descarga depois ok?

    ResponderExcluir
  66. Eu gosto muito do planejamento das cidades norte-americanas. Onde os prédios comerciais estão localizados no centro, as regiões de suburbios são cheias de casas (na maioria grandes e muito agradáveis de se morar). Aqui em um terreno pequeno se constrói multiplos apartamentos pequenos, no melhor estilo japonês, dentro de um país que residências tão pequenas não fazem muito sentido, afinal, temos uma GRANDE área para construir. O problema é a população concentrada nas costas do Oceano Atlântico. Ninguém quer ir pro interior...pq lá não tem nada. Se vc precisa de hospital, precisa se deslocar para uma cidade grande. Até acesso a bens de consumo é difícil, até mesmo no básico. Além de pequenas, essas cidades não possuem a mínima estrutura e nem horizonte de criação de estrutura. Interior de São Paulo pode ser puljante, mas em outros estados é quase vazio. Pode ser "bonitinho", mas qualquer problema que acontecer com vc, é preciso ir para a capital. As pessoas se concentrar nesses desorganizados grandes centros somente por necessidade. Sem controle, sem um interior interessante, com as construtoras querendo encher o rabo de dinheiro, uma prefeitura sem fiscalização e etc...temos aberrações arquitetônicas como SP e outras capitais brasileiras que estão indo pelo msm caminho. QUer pode arrumar isso? Ninguém, não temos "responsáveis", esse problema vem desde que o Brasil existe.

    ResponderExcluir
  67. Descobri!!!!!!!!!!!!!!!!



    O BoB Sharp post como anônimo quando quer dizer algo que não pode publicamente...

    ResponderExcluir
  68. velho limpinho
    Eu não sou o anônimo das 22:01. Sou o das 21:27 e o que respondeu para o totiy. Jamais me expresso da maneira como esse outro. Quanto ao resto, no que me diz respeito, dispenso qualquer explicação. Não rezo da sua cartilha nem julgo/condeno você por ser diferente de mim. Cada um que viva como de costume e assuma o peso de suas decisões. Acho que isso já responde bem ao que penso à respeito de votar nulo ou até mesmo à compra de um carro. Boa semana.

    ResponderExcluir
  69. Ronaldo Nazário30/05/11 15:55

    Como tem gente boba!

    Vou pedir pro Kassab distribuir o Kit que eu mencionei lá encima para vocês!

    Tolinhos...

    E olha heim, mesmo sabendo que o Kit Gay é para conter o crescimento da população, tem muito garoto querendo engravidar de qualquer maneira!!!

    Eu não!

    Depois que enviuvei da Bianca, estou mais contido.

    Só saio com minhas amigas Flamenguistas...

    ResponderExcluir
  70. Chama o cara de otário cú sujo e vem com esse falso moralismo... Ahhh... vai dar meia hora de bunda seu babaca!

    ResponderExcluir
  71. anonimo 30/05/11 20:04
    Vá você já que deve saber como é e, pelo visto, gosta.

    ResponderExcluir
  72. Bob, outro dia fiz uma conta rápida na esquina da casa dos meus pais aqui no bairro do Sumaré, na esquina das ruas Herculano com Apinajes que da acesso a Heitor Penteado haviam 5 casas( em media cada uma com dois carros um total de 10 veículos ) estás casas foram demolidas e lá construído um predio de 27 andares com 4 apartamentos por andar o que dá 108 familias levando a mesma media de veiculo por familia chegamos a 216 carros 206 a mais com uma media de 4 metros por carro temos 824 metros o que faz hoje qualquer um demorar 25 minutos apenas para atravessar a Rua Heitor Penteado as 7:00 da manha.
    Abraço

    ResponderExcluir
  73. Esse é um dos pontos importantes do péssimo trânsito de SP. Agora imagine se todo esse povo tivesse condições de ter carro? Nos últimos anos houve uma melhora na renda e no crédito, mas alguns milhões não usam carro por falta de condições financeiras.

    Conheço alguns amigos, que ganham bem, são pais de família e pagam seus impostos. Eles decidiram comprar moto, mesmo sendo um transporte estatísticamente perigoso em SP. Não querem gastar 4 horas do dia pra ir e voltar do trabalho.

    Nisso percebe-se que falta incentivo para as pessoas trabalharem em outras regiões. A zona leste é um exemplo sempre citado. Não há incentivo pras empresas se instalarem lá. Isso vale pra grande SP e interior. É muita gente indo pro mesmo lugar no mesmo horário e o resultado é óbvio.

    ResponderExcluir
  74. Quando minha família, em agosto/1970, saiu de Jussara, Norte do Paraná e mudou para São Paulo, o meio de transporte foi o trem: havia o trem de cargas e o de passageiros; hoje, desativados.Investir em ferrovias. Acredito que tem que ser construído um anel ferroviário em São Paulo. Porque alguém que mora em Itaquera para ir ao Jabaquara precisa ir até a Estação Sé? Poderia haver um metrô/trem circundando SP; por exemplo: de Itaquera, Pq.do Carmo, São Mateus, Pq. São Lucas, Divisa de São Caetano... Jabaquera e circuncando SP, voltando pela Zona Norte... não haveria necessidade de passar pelo Centro de SP. (Jason)

    ResponderExcluir
  75. "excesso de gente" é um mito! é um equívoco grosseiro: a densidade habitacional média de são paulo é de cerca de 80 habitantes por hectare. Cidades agradáveis chegam a ter três vezes este valor: ou seja, São Paulo tem POUCA gente. No entanto, as favelas mais longínquas são extremamente densas e as áreas centrais estão repletas de imóveis ociosos, descumprindo sua função social.

    O problema não é quantidade, mas qualidade: os serviços públicos e a infra-estrutura são concentrados nos bairros de elite. O problema do trânsito de São Paulo tem nome: segregação sócio-espacial. O mito do "excesso de gente" leva a uma conclusão ainda mais nefasta: ao mito de que a urbanização estadunidense seria mais "saudável". ERRADO: a urbanização dispersa dos subúrbios americanos só leva a um aumento da necessidade de recursos naturais, periferização da pobreza (pois os pobres acabam indo morar cada vez mais longe) e degradação do meio-ambiente natural, pois o território fica cada vez mais alterado pela ação do homem. As cidades devem ser compactas, pedestrianizadas, multifuncionais. As elites paulistanas, porém, querem ver os pobres morando longe e mal… O nosso maior inimigo é o provincianismo das elites.

    Mais sobre o tema aqui: http://notasurbanas.blog.com/2010/03/19/mitos-sobre-sao-paulo/

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...