9 de junho de 2011

HISTÓRIA DE TRÊS AMIGOS E UM VOLANTE

Chuck (esq} e Dave com o volante
Há por aqui um senhor, já de idade, que se chama Chuck. Ele serviu durante a Segunda Guerra Mundial como piloto de PBY Catalina na campanha do Pacifico. Quando digo “de idade”, quero dizer que ele está por volta dos 90. A mulher dele já morreu muitos anos atrás, os filhos provavelmente tem entre 60 e 70, os netos já com uns 40 e tantos, os bisnetos já se formando etc.

Bem, além de ser homem de família, ele é também entusiasta de carros, com uma seleção na garagem de casa grande e requintada. Especialmente de carros Maserati. Se me lembro certo, tem um Ghibli, um Bora, um ou dois Merak, um Spider Zagato biturbo, um 4200GT cupê 2002, um Osca spyder. E vários Jaguares XJS e XJ8, um Cadillac XLR relativamente novo, um Lamborghini Espada Serie 1.5 lindo prata com interior original em azul e um Packard 1932. Ah, quase esqueci o 308 GTB. E o SM. Ou será que são dois? E os vários motores de SM no chão da garagem. E um Cord 812, ou talvez dois. E que mais? Esqueci alguma coisa? Sei que são 16 carros completos. Ou será que são 18? 20? No mínimo, dar para ver que ele é colecionador de categoria. Quer dizer, um autoentusiasta!

O Chuck tem um amigo que se chama Dave. Esse colecionador também tem uns Jaguares XK e E-Type e talvez alguns mais modernos.

Um dia o Chuck descobriu que tinha um volante de madeira e alumínio em casa, provavelmente feito nos anos 1950 para usar num carro esportivo inglês. Só um problema – não tinha carro da idade e nacionalidade certa para colocá-lo. E com isso, deu o volante para o Dave, que já tinha uns Jaguares por aí que ofereciam possibilidades de instalação. Dave recebeu o volante com todo prazer, e pesquisando bem, notou que tinha um autógrafo estampado num dos raios. O nome era de um tal Stirling, conhecido de Dave.

Dave sempre bem acompanhado, desta vez com John Fitch

Mas o que era esse volante? Querendo saber mais, o Dave escreveu uma nota rápida a Stirling, e logo após recebeu uma resposta que, traduzida para o português, diz:

Prezado Dave. Agradeco a sua carta do dia 17 (de abril de 2009).
Faz muito tempo ninguém fala comigo sobre o volante “Stirling Moss”. Espero que esteja em boas condições para o seu uso. Se me lembro, eram bem feitos.
Geralmente fico em Pebble Beach em vez de Monterey, mas esse ano espero ter a chance de dirigir um Lola em Laguna Seca.
A única coisa que posso dizer sobre o volante é que recebi umas 5 libras esterlinas por cada um vendido!
Abraço e ciao, Stirling Moss, OBE

Carta do Stirling

Bem, o Stirling nao ofereceu muitos detalhes, mas no mínimo parece que foi produzido por Les Leston nos fins dos anos 1950 ou possivelmente no começo dos 1960, e fabricado na Inglaterra em metal e madeira. Além disso, difícil saber, mas de qualquer jeito é bonito e muito vistoso, uma coisa que qualquer um gostaria de pôr no seu XK ou Mark II da época. E bem consistente com o costume e moda da época, e até bem parecido com os volantes contemporâneos fabricados pela Nardi na Itália. 

Folheto do volante Les Leston

E o que aconteceu com esse? O Dave instalou num XK-140 DHC (drophead coupe, ou conversivel em portugues) da coleção dele. Coisa de quem só pode ser entusiasta!

Stirling num W196 de 1954/55, comentando a Dave, “Sou eu me divertindo!”

RP

6 comentários:

  1. luizborgmann09/06/11 16:15

    O royaltie de £ 5 a cada vendido é pouco, você não achou? A Les Leston racing equipments fez um baita negócio. Lembro que a moda nos anos 60 e 70 era os equipamentos da Les Leston, me parece que o Emerson usou não foi? Não foi o Wilsinho que trouxe aquela marca para distribuir no Brasil?
    Muito bacana a matéria.
    luiz borgmann

    ResponderExcluir
  2. Yá mal de amigo o Dave hein? Invejaaaa, hehehe.

    Falando sério agora...
    Luiz, talvez nem seja tão pouco, 5 libras na época eram muito mais que hoje, já que naquele tempo um XK não custava nem 10 mil.

    ResponderExcluir
  3. Semelhante aos volantes Formula 1 do Emerson Fittipaldi aqui no Brasil(resguardando as devidas diferenças e a falta da assinatura)Eu tenho um do E.Fittipaldi que acabei de restaurar,uma peça mesmo muito legal

    ResponderExcluir
  4. O famoso "volante com pedigree"... show!

    ResponderExcluir
  5. O preco de lancamento do E-Type 61 na Inglaterra era de L2097. Com a venda de 420 volantes, ai o Stirling teria dinheiro suficiente para comprar o carro.

    ResponderExcluir
  6. uizborgmann, £ 5 é pouco hoje, 50, quase 60 anos atrás era muito mais dinheiro.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...