Google+

10 de junho de 2011

KANGOO X FIORINO

Em 2007 compramos uma Fiorino Fire Flex 0-km para usar em uma de nossas lojas, transportando carga leve, para substituir a Strada 2001 que já dava algum sinal de cansaço. Conseguimos achar uma com ar-condicionado, depois de procurar muito, pois ninguém tinha e não estávamos muito a fim de esperar por uma encomendada.

Já guiei um bocado o carro, é um Uno mais comprido, com uma traseira mais desajeitada. O motorzinho 1,25-litro não é lá muito forte, mas dá conta do recado. Funciona suave e consome pouco, é até ágil no trânsito da cidade.

Ano passado resolvemos comprar outro furgãozinho para outra loja, mas resolvemos achar algum com uns dois anos de uso, e bem conservado. Queríamos também com ar-condicionado, o que limita bastante a busca. Achei algumas Fiorinos em locadoras, mas todas em SP (moro no Rio) e pedi para um amigo dar uma olhada. Ele não gostou de nenhuma, mas disse que viu um Renault Kangoo perto de casa que estava bem inteiro.

Pedi para ele me mandar umas fotos e, confiando no conhecimento dele, comprei o carro daqui mesmo. Ele teve que vir ao Rio e nos trouxe o carro. De cara vi que era bem conservado, tinha pertencido a uma locadora e devia fazer parte da frota de alguma empresa.

O Kangoo Express veio com o pacote de acessórios que o torna mais atraente: ar-condicionado, direção assistida e terceira porta lateral. 4 pneus novos e hodômetro indicando 39 mil km, o que me pareceu coerente com o estado geral do carro.

A cabine lembra a do Clio, mas não é igual como Uno e Fiorino. O painel é mais largo, com saídas de ventilação circulares. Usa plástico cinza de boa qualidade e tem um aspecto bem legal, de visual mais moderno que o cansado painel do Uno.

Logo que pude peguei a chave e fui dar uma volta, e aí a primeira boa surpresa: a posição de dirigir é melhor, o banco recua um pouco mais e é mais confortável, o para-brisa é amplo. A impressão foi das melhores.

Andando é que descobri o que o carro tem de melhor, o valente motor 1,6-litro de 16V e 98 cv a 5.000 rpm usando etanol. É uma versão amansada do motor usado no Clio e outros Renaults, com menos potência e pico a rotações mais baixas. Na prática, acoplado a uma caixa de marchas mais curtas, prevista para fazer o carro sair com 700 kg no baú, um canhãozinho.

O bichinho acelera com galhardia, enche as marchas sem sacrifício e responde muito bem mesmo em baixas rotações. Comando de caixa correto, típico dos Renaults, com acionamento um pouco mais pesado que outros carros. Freia bem e faz curvas razoavelmente, prejudicado pelo centro de gravidade mais alto.

Em relação a Fiorino, além de ser bem mais agradável de guiar, tanto pela posição de dirigir como pelas respostas ao pé direito, passa a sensação de maior solidez, de possuir um monobloco muito mais rígido.

A Fiorino sofre com corrosão no assoalho dianteiro, é um problema crônico que incomoda todo proprietário do Fiat utilitário, pois atinge o local onde é gravado a numeração de chassis, e, dependendo da extensão do dano, pode obrigar o dono a remarcar o carro, perdendo bastante em valor de mercado.

O Kangoo poderia vender mais, é um excelente utilitário, amigável para quem dirige, e de manutenção relativamente fácil. Mas o estigma das peças caras afasta os compradores, culpa do fabricante, que pratica preços abusivos nas peças vendidas em concessionárias.

Felizmente hoje em dia se encontra uma variedade grande de peças em lojas paralelas a preços bem mais acessíveis. Recentemente precisei trocar o botão que aciona o pisca-alerta, a concessionári pediu 160 reais, encontrei em uma especializada Renault a 38 reais. A peça tem acabamento pior que o original, mas funciona perfeitamente.

Mas ainda ando com marcador de combustível sem funcionar, o eletricista condenou a bóia do tanque, e só encontramos na autorizada a "módicos" 900 reais. Lamentável que ajam assim, o mercado de utilitários de pequeno porte é grande e tem poucos concorrentes, e o Kangoo é um excelente produto.

Mas a continuarem assim, a arcaica Fiorino ainda vai continuar líder com larga folga. O mercado não perdoa.

AC

37 comentários:

  1. Pra quem usa o carro para trabalhar, cada centavo economizado é um centavo de lucro. Sendo assim, Kangoo nunca será popular pois as peças de reposição são muito caras e o carro desvaloriza demais.

    ResponderExcluir
  2. Eu já dirigi muito um Doblò Cargo da minha empresa e gostei muito do comportamento do carro. Acho a melhor opção entre os três.

    ResponderExcluir
  3. Em casos de veículos assim, voltados ao trabalho, um custo desse de 900 é muita coisa, a Renault deveria rever sua política, senão vai continuar comendo poeira da Fiat nesse segmento.

    ResponderExcluir
  4. Rodrigo Laranjo10/06/11 09:59

    Pedir 900 reais por uma bóia deveria ser crime federal previsto no código civil...

    ResponderExcluir
  5. Caro Rodrigo, condocrdo con vc... mas tomo a liberdade de ajustar seu comentário..... "... deveria ser crime federal previsto no código PENAL"...

    ResponderExcluir
  6. Aléssio Marinho10/06/11 11:00

    Cruvinel;

    O Kangoo é um excelente utilitário. Superior ao Fiorino em robustez, conforto e desempenho. O único senão dele e o custo de manutenção, pois peças Fiat se acha até no boteco. Interessante como neste Renault os componentes são uma mescla as utilizadas no Clio e no Mégane
    O que mais me agrada no Kangoo é a suspensão traseira por barra de torção. O mesmo eixo utilizado no finado Scenic e Mégane, garantia de conforto e robustez. O único problema é o desgaste das buchas de borracha que prendem as barras, um pouquinho chatas pra trocar mas eles demoram muito a incomodar.
    Agora peça cara é a da Peugeot Partner. É o triplo da Renault.

    ResponderExcluir
  7. O Doblô é conhecido por acabar com os pneus dianteiros. Mantê-lo na cambagem é uma luta inglória...

    ResponderExcluir
  8. Cruvinel,

    A utilização deste 1,6 l 16v castrado desse jeito não dá para entender. Nesse caso o 1,6 l 8V com potência similar estaria bem mais adequado à finalidade do carro e custo de manutenção.

    ResponderExcluir
  9. O kangoo e o Partner são feitos na argentina, em baixa escala. Isto pode ser o motivo dos preços altos, além do olho grande das montadoras, é claro.

    ResponderExcluir
  10. AC
    900 paus por uma bóia é um assalto a mão armada. Depois os caras não chiem pelas poucas vendas, mesmo o carro tendo qualidades, o que é o caso. Cobrar caro nas peças só serve pra duas coisas: estimular o mercado de peças roubadas e a famosa gambiarra.

    ResponderExcluir
  11. Coloca uma bóia não-original. Existem muitas peças funcionais do mercado alternativo que são tão boas quanto as originais (ou tão ruins quanto, ja que pifou antes dos 40.000km).

    ResponderExcluir
  12. Thiago,

    também pensei como você, o 8V deveria ser o escolhido. Mas é o que o Bob sempre fala, o 16V é mais forte em quase toda a gama de rotações, eu diria que acima de 1500 rpm é sempre mais forte. Ele rende 3 cv a mais a 250 rpm menos.

    Anônimo das 14:51,

    colocarei paralela assim que encontrar uma. De Clio tem a 40 reais, a boia é do modelo tradicional. A do Kangoo é diferente.

    ResponderExcluir
  13. Na boa, vá a um ferro-velho de carros importados. É possível encontrar muita coisa de Renault, semi-novo, e com custo absurdamente mais baixo. E outra coisa : Bóia é bóia. Sua função é baixar e subir com o nível de gasolina. Uma boia não sabe se é Fiat ou Renault. E também existe o fato de que uma mesma peça é compartilhada por diferentes veículos. Então, leve a tal bóia condenada e solicite que o ferro velho ou a auto-peças encontre uma semelhante.

    ResponderExcluir
  14. Anonimo das 13:07;

    Na Argentina o Partner e o Kangoo são utilizados até como táxi. Isso comprova a sua robustez. Em Buenos Aires existe a restrição ao tráfego de caminhões, portanto tanto esses furgões como as vans proliferam nas ruas portenhas. Lá também vendem uma vesão mista, com bancos e vidros nas portas de correr e a parte de carga, fechada em chapa.
    Curioso é o adesivo fixado na traseira desses furgões, indicando a velocidade máxima permitida. 90 km/h para os furgões e 110 km/h nos mistos.
    Fiat na Argentina não vende bem pois lá não é facil achar peça pra eles...

    ResponderExcluir
  15. Aqui em casa temos um Clio Sedan 1.6 16v 2004 e um Celta VHC 2007, o Clio já vai a mais de 150 mil km enquanto o Celta agora que vai chegando aos 60 mil. A qualidade construtiva do Renault é infinitamente superior ao do GM, que já começa a apresentar sinais de ferrugem, batidas de tuchos e sem falar no "nheco-nheco" do acabamento interno. O problema é que sempre que eu chego na EUROVIA (concessionária Renault no Nordeste) não sou atendido como gostaria e o preço de peças é absurdo, estou precisando trocar a válvula "anti-chama" do Clio e eles só vendem a tampa completa do motor a módicos 3300 reais.

    ResponderExcluir
  16. A TSA (fábrica de Itu-SP) tem o sensor de nível de combustível para Kangoo em seu catálogo, na certa custa menos que 100 reais.

    ResponderExcluir
  17. Ronaldo Nazário10/06/11 16:12

    Ai, crédo!

    Menina amarra uma rolha na vareta da bóia e pronto!

    Quer dar uma de Isabelita mas quer economizar na purpurina... imagina...

    ResponderExcluir
  18. Tivemos na família um Kangoo RN ano 2000, versão passageiros, com o qual ficamos até 2006. Completo de tudo, incluindo controle do rádio no volante e airbag duplo. O carro é robusto e faz curvas relativamente bem para sua altura, mas não convém arriscar muito, pois os pneus dobram. Por isso a calibragem indicada no manual, com os Firestone reforçados originais, é de 36 libras na frente e 42 libras atrás, com o carro VAZIO. Problemas: o coxim superior do motor estoura a borracha (neste caso específico era o 1.6 8 válvulas); por ser muito dura, a suspensão exige muito de buchas e amortecedores; a parte elétrica (como em todo Renault) tem mau contato por todos os lados. Resumindo, é um carro muito bom, seus problemas são pequenos diante de suas qualidades. Quanto ao preço das peças, é salgado mesmo, mas aos poucos aumenta a oferta em lojas. A Fiat também cobra caro, a diferença é que ninguém vai a uma autorizada comprar peças para Fiorino.

    ResponderExcluir
  19. Nunca dirigi uma Fiorino, mas é o carro que mais me deu fechada no trânsito em toda a minha vida. Nem buzino mais, já é certeza que o motorista não me viu...

    ResponderExcluir
  20. Há um ano atras paeei pela mesma duvida em relação a fiorino,pois usava uma 86 comprada zero pelo meu pai,procuramos e fiquei entre a kanggo e a peugeot partner, optei pela partner zero co desconto saiu na epoca a R$34,000,00, resultado estou muito feliz o motor 1.6 16v anda que é uma beleza, afinal são 113cv

    ResponderExcluir
  21. vinicius righi11/06/11 00:19

    pessoal...
    Comprei uma dessas Kangoo para ser utilizada na firma...o problema é que teste ela e quiz ficar para mim mesmo...foi depois de muita insistência tive que devolver para firma..hehehe
    Anda muito..não é muito economica...porem anda muito...acelera muito rápido...na sinaleira os caras em civic e vectra me olhavam e diziam gringo verdureiro(pelo meu tipo e pelo tipo do carro..hehe)...até que aquele furgaozinho arrancava mais rápido que o carro deles...resumindo...sinto saudades da kangoo...nao tinha muita velocidade final, nem estabilidade. Também os amortecedores e bobinas...não são baratos...porém que saudades da kangoo...

    ResponderExcluir
  22. Marcelo Junji11/06/11 01:51

    Eu queria comprar uma doblo, mas acabei desistindo, pois na época pediram 67 mil e demorava 90 dias para chegar, além de não ter gostado do interior que parecia um brinquedo. Achei muito caro e acabei comprando a partner passageiro na versão mais completa por 50mil. Tenho também uma fiorino 2001 1.5, que é mais robusta, e tem uma suspensão mais silenciosa e seu monobloco com certeza é muito rígido, sei disso pois excedo em muito sua capacidade de carga e não há torção de carroceria. O motor da fiorino tem muita força em baixa, embora acabe logo. Se existisse a fiorino para passageiro, eu compraria uma.
    Um amigo que tem uma kangoo, me disse, se eu comprasse uma era para passar em valetas com o carro reto e que teria que fazer alinhamento com mais frequência.
    A kangoo poderia usar o motor renault na versão mais potente sem problemas, pois já dirigi uma livina lotada de gordos e não senti falta de força em nenhuma situação.
    A partner tem um interior amplo e arejado, gerando muito bem estar, auxiliado ainda pela suspensão macia mas que nada atrapalha na estabilidade do carro, que é inacreditavelmente boa. Mas como nada é perfeito, a imperfeiçao esta na combinação do peso, relaçao de marcha e motor, que deixa o carro fraco em muitas situações.
    Vou ter que trocar o parachoque dianteiro da partner, e acho que vou levar duas cacetadas; uma foi no muro e a outra vai ser na autorizada.

    ResponderExcluir
  23. Mendonça,

    é uma alternativa. Ainda vou ver se acho nova a preço aceitável, senão parto para os ferro-velhos mesmo.

    Anonimo 15:31,

    valeu a dica, tá na home do site deles. Vou correr atrás de mais informações.

    C.E.Sato,

    aqui não incomodam não, quem distribui fechadas a torto e a direito são as Kombis, Ducatos, Masters e Sprinters usados pelo transporte 'alternativo'.

    ResponderExcluir
  24. Eurico Jr.11/06/11 09:52

    Sobre a corrosão no assoalho: também ocorre na linha Palio. É realmente um tremendo transtorno, já passamos por isso!

    ResponderExcluir
  25. HEVANDRO JR11/06/11 10:05

    DIANTE DISTO EU PERGUNTO:
    1-POR QUE ELES FICAM TÃO A VONTADE PARA COMBRAR O QUE QUEREM?
    2-POR QUE OS GOVERNANTES NÃO FAZEM NADA?
    3-O QUE PODEMOS FAZER PARA OS FABRICANTES REVEREM SEUS PREÇOS?

    ResponderExcluir
  26. Fico aguardando o FIAT Qubo

    ResponderExcluir
  27. Carrissimo Alexandre,
    Quanto a sua questão do indicador de nível, creio que seu mecânica nao pediu a peça correta, pois nao é necessário trocar a bomba, neste caso, pois o indicador de nivel do Kangoo é vendido separado da bomba e custa menos de de R$100,00 reais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Addans,

      fiquei sabendo depois que o que estava quebrado era a carcaça da bomba de combustível, onde monta o indicador de nível. Alguém fez M ali e resolveu com uma gambiarra. Os 900 reais são da bomba de combustível, e não da bóia, tivemos que trocá-la para poder resolver o problema do marcador de nível.

      Excluir
  28. Pessoal, além disso temos que levar em conta que o Fiorino não deve ficar para sempre sendo vendido. Quero ver a Fiat colocar ABS e Airbag...O que será que vão fazer ? Aposto em uma Strada Furgão ou um Doblo mais barato..

    ResponderExcluir
  29. Tenho um Kangoo e a vantagem dele é o motor. Ágil e muito econômico. O meu tem acesso lateral, que é excelente para entregar meus biscoitos aqui no RJ.

    ResponderExcluir
  30. Pessoal, vocês viram o Kangoo no programa do Milton Neves ? Ele está mais barato que o Fiorino. Agora sim, comprar o carrinho italiano é coisa para desinformado

    ResponderExcluir
  31. Amigos coo vai!? Sei que esse POST é antigo quase um ano. será que as coisas mudaram!? Estou precisando comprar um utilitário para usar na distribuição de carga fracionada, atender empresas do comércio eletrônico. vou rodar em média 250 km por dia. tenho que pensar também no meu conforto, pois vou passar o dia todo no carro. Poderia me ajudar!? Obrigado!

    ResponderExcluir
  32. vai de doblo cargo 1.8 com gnv de cilindro de 25 m3 e ar condicionado, vale a pena, gnv a $ 1,50 o m3, roda em media na estrada 300 a 400 km dependendo do tamanho da força do pe!!

    ResponderExcluir
  33. Senhores

    Os comentarios são pertinentes, de fato a Kangoo é mais carro que a Fiorino, e como muitos disseram, peça para a Kangoo é de lascar, a minha quebrou a caixa do filtro de ar, no desmanche paguei R$450,00, pois na concessionaria é R$ 1182,00, mas gostaria de alertar a todos para um detalhe, se for para uso com GNV, tem que ser Fiorino, pois a Kangoo no GNV pode esquecer, pois não funciona de jeito nenhum.

    ResponderExcluir
  34. Possuo um Kangoo express e agrego o mesmo para operações logisticas diversas, o que posso avaliar no carro como ponto positivo é o motor, o torque desse veiculo é impressionante, por se tratar de um utilitário ele não deixa a desejar na estrada e muito menos na cidade, estou com o carro a menos de 3 meses tirei ele 0km, mas já deu pra percerber que o carro é muito bom, como uso ele o dia todo a posição de dirigir é otima, bem confortavel... recomendo.

    ResponderExcluir
  35. Alguém usa o Kangoo em estrada de terra? Ele aguenta?

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...