27 de junho de 2011

NOVA YORK, UMA CIDADE CADA VEZ MENOS AUTOENTUSIÁSTICA

Fotos: autor

Havia anos que não vinha para a Grande Maçã. Ao planejar minhas férias, decidi alugar um carro somente quando estivesse deixando Manhattan, só o que deixaria de dinheiro na mão dos estacionamentos pagaria um belo upgrade na Hertz; deixo isso para o próximo post.

Prius Hybrid - recepção nada entusiástica, cadê os V-8?
O engraçado é que cheguei a essa conclusão logo ao apanhar o táxi do aeroporto, um Prius, cadê os Crown Victoria V-8? Que, apesar de barcas, tinham aquele ronronar gostoso, tão bom que até esquecíamos como eram apertados por dentro. O motorista do Prius, um indiano, perguntou muito do Brasil, queria traçar paralelos, realmente estamos mais para eles que para EUA. Feliz com seu híbrido, roda 11 horas e gasta 10 dólares por dia de combustível. Já há muitos Prius táxi e vários outros híbridos também. Meu amigo AG choraria de ver V-8s desaparecendo do cenário, lenta e dolorosamente, em prol de não sei bem o quê.
Reforcei minha conclusão ao passear pela cidade, a concentração de carros legais, tão mais comuns nos EUA do que em vários países que conheci, parece terem se deslocado para outro estado ou cidade; no lugar deles, certas "breguices" típicas de outras regiões americanas, em grande concentração!

Não bastasse isso, sábado de manhã dois eventos fecharam a 6a Avenida, a Parada do Imigrante e uma feirinha, carros tiveram de se espremer nos arredores...

Parada pelo Dia Nacional do Imigrante, fecharam a 6a. Avenida!
Feirinha numa importante avenida!
Um amigo recomendou-me alugar uma bicicleta, logo às 7h00 de domingo, quando a cidade está deserta. "Vá até a ponte do Brooklin, atravesse-a, vai gostar", disse. Gostei tanto que me animei a dar uma volta completa na Maçã. Saí do Brooklin, percorri uma boa ciclovia que margeava o Rio Hudson, havia algumas interrupções nas vias, estive no Bronx, no Harlem, margeando o Rio Harlem, Av. Manhattan e daí até o Central Park, de onde apanhara a bike. Não sempre em ciclovias, não sempre respeitado, alguns ônibus passam raspando, outros motoristas dos Yellow Cabs idem, mas para quem já pedalou em Sampa, tira de letra e ainda acha graça e pouco perigoso...

Ponte do Brooklin, mirando o distrito ao sul de Manhattan
Uma boa ideia para Sampa e outras metrópoles brasileiras
Talvez o menos entusiasmante dos "bimmers", mas onde mais ia encontrar?
Proteção de para-choque contra arranhões, ao menos no centro não fica "marquinha"; em outras cidades brasilerias os espertos de estilete transformariam isso em tapete de porta de entrada de casa...
Voltando ao tema, creio a preocupação "verde" de alguns governos municipais está tirando a graça que era dar um rolê de carro legal. Se quiser ver isso, aqui em Sampa nas avenidas Cidade Jardim, Europa e Faria Lima, está ficando cada vez mais comum. O mundo anda estranho mesmo.

MAS

Mais fotos: 

Reconstruindo no marco-zero
Da ciclovia do Rio Hudson
Roupas à venda nas barraquinhas do Harlem, muito cheiro de urina pelas ruas, já viram isso aqui?
Ciclovia no Central Park
CR-V com mata-cachorro? Reparem as calhas dos vidros
Havia boas exceções, como sempre, esse eu gosto

21 comentários:

  1. jackie chan27/06/11 09:33

    Calhas nas janelas e quebra-mato podem ser cafonas, mas já foram febre em décadas passadas (no eixo JP-EUA, por onde eu costumava passar), assim como o "santantônio" é até hoje nas pickups. Mas feio mesmo é esse protetor de para-choques. Ô coisa horrorosa. Mil vezes ter o para-choques arrannhado do que andar com um treim desses. O Prius substituindo as barcas V8 ainda é bom, pior mesmo serão aqueles monovolumes da Nissan, que serão os próximos táxis "oficias" de NY.

    ResponderExcluir
  2. Assim como a grande maçã a maioria das grandes cidades estão perdendo a graça....em Paris o cheiro de urina é forte demais,uma vergonha.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, no fundo, no fundo, eles são como nós, enfrentam os mesmos problemas e tentam ajeitar as coisas como podem( não tão descaradamente quanto a gente...ah ah ah).

    ResponderExcluir
  4. Fala Marco!

    Tenho a mesma impressão que você, a de que o mundo todo está ficando sem graça. Nunca sai do Brasil, aliás, nunca fui muito longe de minha terra natal, Rio Verde - GO. Mas noto essas tentativas que podem até ser bem intencionadas, mas que ao meu ver, focam na variável menos importante. Se podemos ter carros mais econômicos e mais amigáveis com o meio ambiente, porque não? Mas atitudes como a da cidade de Paris, proibindo a circulação de carros com determinada idade no centro da cidade, acho totalmente desnecessária! Não seria mais interessante focar tamanho empenho em causas que realmente ajudam no problema, como parar com os desmatamentos, investir em saneamento básico, que além contribuir com a saúde pública, também promove a conservação ambiental se tiver ênfase no tratamento de dejetos. Enfim, acho que tudo que está sendo feito representa muita "dedicação" naquilo que não é tão importante. Pra completar, só dando exemplo do tanto que o mundo está ficando chato, a nova geração do Mustang terá um motor Ecoboost de 4 cilindros. Fala sério! Um Mustang não ter um motor com cilindros em V chega a ser uma heresia! Desfiguram um ícone em favor de algumas graminhas de carbono... Lamentável.

    ResponderExcluir
  5. enricof18, tbm acho que alguns carros deveriam ser preservados, e essa história de carro verde ficar para os carros de massa.

    Faz alguns anos que noto que as construções de infraestrutura urbana estão ficando cada vez mais feiosas e chatas de se olhar. Acho que o Japão, Singapura, Taiwan e Honk Kong ainda preservam a grandiosidade dessas construções. Pelo menos é o que vejo pelas fotos pq não conheço. Tbm acho que Chicago deve ser bem interessante.

    ResponderExcluir
  6. Temos que seguir preceitos, normas e leis que cada vez mais nos acorrenta:
    - "Isto não é ecologicamente correto";
    - "A empresa tem que ser socialmente responsável" (como se a criação de empregos pela empresa já não o fosse).
    - "Você está discriminando as minorias" (vejo os desenhos animados e programas de humor mais antigos e certamente todo mundo seria preso se fossem produzidos hoje em dia);
    - Carro terá de ser elétrico (tudo bem, mesmo que a energia tenha sido gerada pelo carvão).
    - "Abaixo os V8 e V6" (até a formula 1 terá seus motores "rebaixados").
    - "Cigarro e alccol serão banidos das mídias";

    O mundo está ficando muitíssimo chato.

    ResponderExcluir
  7. Como diria a frase de uma propaganda da Harley Davidson

    "o mundo está entrando numa monotonia, mas nós(entusiastas), não estamos indo com ele"

    ResponderExcluir
  8. Nunca fui fã de barcas americanas que tem medo de curva, até porque se carro americano fosse bom não teriam todos ido a bancarrota. Mas eles martelam tanto no marketing que faz a cabeça da moçada. Um carro barato europeu, japones e até coreano dá de dez em qualquer americado em dirigibilidade, claro, isso pra quem guia e não é guiado pelo marketing.

    ResponderExcluir
  9. Não é por nada não, mas se fosse para manter o visual novaiorquino o que precisava era se ter mantido os Checkers
    Eu gosto muito de carros, V8 inclusive, mas me parece que para esse tipo de serviço, um Prius (ou um Leaf) é um carro muito melhor adaptado: mais econômico, mais silencioso, manutenção bem menor... Ao meu ver tanto os elétricos quanto os V8 tem seus nichos próprios onde cada um pode explorar o que tem de melhor, e ao invés de competirem um com o outro, se complementarem.

    ResponderExcluir
  10. hmmmmm.... peraí, deixa eu ver se entendi direito este post. O senhor foi à Nova Iorque em busca de um V8 para acelerar? E não encontrou? Isso não me surpreende. Surpreso eu ficaria se o senhor nos contasse que encontrou o King Kong no alto do Chrysler Building. Isso sim seria uma surpresa.
    É claro que o senhor não vai à muito tempo à NI, pois não sabia o quanto a população desta cidade está cobrando às autoridades por sustentabilidade e práticas condizentes com os desafios que o século XXI nos impõe. Não se trata de greenwashing, a retórica do mercado sobre meio ambiente, mas de medidas concretas que permitam a eles continuarem vivos, respirando um ar saudável, andar por ruas mais silenciosas, enfim, mais equilíbrio.
    Ou então, eis a segunda opção, o senhor sabia sim disso tudo e costurou para os incautos aqui esta história sem pé nem cabeça.
    Sua história não cabe dentro dos fatos, eis o perigo. Sua opinião e surpresa induzem o leigo ao erro de achar que o mundo ainda quer esses bebedores de gasolina. E que por isso ainda temos sozinhos a sabedoria pois, ao contrário deles, incentivamos cidades cada vez mais poluídas, congestionadas, inabitáveis. Nada mais falso.
    Portanto, prezado autor, respeite a inteligência dos que por aqui passam, contando fatos completos, e não parciais como sói ser sua visão de mundo, aqui representada pela fábula que nos contou.
    Seu artigo é incompleto. Melhor seria se contasse a todos nós o TANTO que NI têm feito para ser uma cidade (e Estado) mais compatíveis com uma vida saudável, sustentável e equilibrada.
    Em tempo, se achar Kong por lá, avise. Ficarei surpreso.
    Ass., Robertto Aguzzo.

    ResponderExcluir
  11. Akele CR-V com mata cachorro me lembrou sabe o q? Cidade do Leste! PUTSS.... =(

    ResponderExcluir
  12. Gostou do Golf xunadão? Eu não.

    ECOfreakinboringjerk detected!

    Anônimo sabichão too...

    ResponderExcluir
  13. Uma das postagens mais lamentáveis deste blog. De uma melancolia tão babaca quanto inútil. Não comemoro tudo dos novos tempos, mas você foi longe demais.
    Alemão M

    ResponderExcluir
  14. Em breve, pessoas como o Rrobberrtto Agguuzzo e o alemão m... serão a maioria.
    Tenho pena das pessoas do futuro.

    McQueen

    ResponderExcluir
  15. F1 perdeu a graça faz tempo, até aí ok...mas soube que querem reduzir a potência dos motores e o som proporcionados por eles...aonde isso vai parar???

    ResponderExcluir
  16. Quer saber de uma coisa? Eu recomendo que o autor desse post soque o seu nariz no escapamento de um fênêmê com fumaça preta, e seja feliz.

    ResponderExcluir
  17. Roberto Aguzzo,
    A intenção do post não foi desinformar, pelo contráio, mas temos pleno direito de discordar um do outro, de forma madura e saudável, assim como eu de discordar dos rumos que essa 'onda verde' está tomando.
    Lembre, as emissões de gases de automóveis atuais, sejam a gasolina, etanol (E85) ou diesel estão quase zero, considerando uma população estável de carros em NI, significa ar mais limpo e saudável também, comparativamente a outras épocas, questiono se a guinada aos elétricos trará benefícios adicionais.
    Pessoalmente sou adepto da vida saudável, ex-atleta, pratico esportes 6 vezes/semana, dei a volta na ilha de Manhattan de bike, nem por isso induziria os outros a seguirem meus gostos por esportes, mas estamos num meio de autoentusiastas, onde motores potentes e emissores de gases nocivos são bem vindos!

    Abs,

    MAS

    ResponderExcluir
  18. É, os tempos mudam mesmo... Mas eu prefiro andar num táxi Prius e pagar menos pela corrida do que num monstrão v8...
    Os dias de carros entusiasmantes se foram... ficarão relegados aos track-days... Mas e daí? Os caçadores de emoções sobre rodas sempre poderão correr atrás daquilo que gostam pois os nichos sempre irão existir...
    Vida longa aos carros econômicos! :-)

    ResponderExcluir
  19. Aléssio Marinho28/06/11 10:09

    A uns 6 anos tive a oportunidade de guiar um Lincoln Town Car azul, do Itamaraty. Esse havia sido apreendido pela Receita e doado ao MRE.
    Aquilo é que é carro! V8, bancos macios, painel digital azul, tudo elétrico...
    Até hoje o cheiro do estofamento de couro me vem na memória.
    Será que os ianques etão errados em fazer carros diferentes dos europeus?
    Acho que não. É outro mercado, outra cultura e esses valores são inegociáveis.
    Já pensou se vc chega nos EUA e dá de cara com um celta no aeroporto?
    Com certeza não iria se sentir na América.
    Eles podem pagar a conta do posto com o v8, que retribui dando prazer ao volante. Isso é o que importa.
    Esse blá, blá, blá de sustentabilidade, já encheu o saco. Sacolinha retornável só aumenta o lucro do supermercado...

    ResponderExcluir
  20. Grande Autoentusiastas,

    falando em carro verde o q vcs acham do CR-Z?

    Abracos

    ResponderExcluir
  21. Concordo com quem disse que os V8, V6, etc ficarão nos track-days...

    Até o começo do século XX transporte era carroça e cavalo. Até existem os passeios de charrete e carruagem para fins de turismo, cavalos para fins esportivos mas nada além disso.

    Da mesma forma, o transporte das grandes cidades será convertido em alguns carros elétricos e muitos, mas muito meios coletivos (metro, trens expressos, táxis, linhas de ônibus, lotações etc)

    Quem quiser V8-V6 ou mesmo o seu 4 cilindros envenenado sempre vai ter o track day no deserto de sal ou no autodromo.
    Gasolina vai ser tão cara com a escassez nas próximas décadas que só vai ser usada com gosto e sem perdão nas estradas vazias do sertão e autodromos.

    As pessoas hoje em dia só criam cavalos para praticar hipismo ou pólo equestre. Para fins de transporte e trabalho, só no interior, isso se já não foram substituídos por motos. Já vi uma reportagem que até no sertão do nordeste o popular jegue já está sendo trocado pelas CGs 125

    Hoje em dia ninguém tem baias para criar cavalos no quintal de casa, assim como no futuro carros V8 e V6 serão como cavalos de raça mantidos só para curtição...

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...