Google+

9 de junho de 2011

O CARRO QUE MAIS CRIA SONHOS – E TAMBEM PESADELOS!



E-Type -- por todos os tempos…

Quando as pessoas falam de carros, é comum iniciar uma discussão para falar dos carros mais feios ou mais bonitos na história de automóvel. Os feios são fáceis de identificar. Parece que todos concordam no Aztek (para mim, o irmão gêmeo do Buick, o Rendevous, é tão feio quanto o Aztek…). E qualquer carro da Ssangyong, especialmente o Rodius. Citroën Ami-6? Como não!. Os atuais Maybach 57 e 62? Discutível, mas possivel. 

Não podemos esquecer do Suzuki X-90. Mustang II de 1974? Um verdadeiro horror, considerando a beleza dos modelos anteriores. E como sempre os ingleses, como a Austin A35, o Daimler SP-250, e o meu favorito de todos os tempos, o Lea-Francis Lynx. Esse aí é tão ruim que a fábrica só fez três unidades (um numa cor de orquídea com frisos em banho de ouro!), e após um esforço apaixonado e enorme não conseguiu vender nenhum. É fácil ver por quê.

Lea-Francis Lynx de 60 – três produzidos, zero vendidos


Em contraste, identificar os mais bonitos representa um desafio mais difícil. Uma possibilidade é definir regras: carro protótipo, carro de produção limitada ou carro produzido em quantidade. O recém-vendido Lamborghini Marzal, carro-conceito de 1967 é um desenho no mínimo chocante e memorável, se não propriamente bonito. Mas existe só um, e esse realmente não foi feito para andar na rua. Ou podemos considerar talvez o Ferrari 340 MM Mexico Vignale 0224AT, também recém-vendido, como um desenho absolutamente cativante. Mas a produção da berlinetta desse mesmo estilo foi de apenas três unidades (mais um spyder), e não poderia ser considerado como carro de conhecimento geral, nem de acesso público. O Ferrari 250 GT Lusso? Indiscutivelmente fantástico! E com produção total de aproximadamente 350 unidades entre 1962 e 1964, um modelo que poderia ser considerado como produzido em série? Quase, mas acho que não.

Ferrari 340 MM Mexico Vignale berlinetta de 1952

Mais feroz, cativante e belo que isso? Pouco provável!
Ferrari 250GT Lusso de 1962-1964

Bem, se concentramos a nossa atenção em carros realmente de produção, acho que todos nós podemos concordar num modelo esportivo que foi produzido em milhares de unidades. Um que está celebrando um grande aniversário de 50 anos em 2011. Um que, no lançamento no Salão de Genebra em março de 1961, foi talvez a maior sensação de qualquer salão de todos os tempos. Um que até o obstinado, recalcitrante e teimoso Enzo Ferrari declarou de ser o carro mais bonito do mundo - ainda mais inacreditável considerando que o carro era totalmente inglês! Todos sabem qual é. 

O E-Type Serie 1 da Jaguar fabricado entre 1961 e 1967. São quatro desses permanente gravados na minha memoria - o FHC (não, nada do Fernando Henrique, mas referindo-se a Fixed-Head Coupe) cinza-fumaca emplacado 9600 HP em conjunto com o OTS (Open Two-Seater) British Racing Green emplacado 77 RW que famosamente lançaram o modelo em Genebra. Mas o cupê dourado e o conversível creme que fizeram o mesmo papel em Nova York logo depois. Todos os quatro inesquecíveis para quem realmente gosta de carros bonitos e clássicos.

E-Type FHC coupé 9600 HP com Sir William Lyons, Salão de Genebra, março de 1961

E-Type OTS roadster 77 RW, Salão de Genebra, marco de 1961. Recentemente com John Surtees e Norman Dewis

E-Type FHC cupe dourado com a coelinha e figurinha Marilyn Hanold, Salão de Nova York, abril de 1961

E-Type OTS roadster crème, salao de Nova York, abril de 1961

São duas coisas que particularmente me agradam no desenho do E-Type. A primeira é que o feitio é muito felino, correspondente ao nome do carro. A forma, com as coxas elevadas, parece um gato à beira do ataque, e representa um aspeto muito bonito e agressivo. Além disso, o exterior do E-Type é dominado pelas elipses, que são as curvas mais belas na visão do ser humano. Os para-lamas dianteiros são na forma de elipse, a entrada de ar na frente do carro, os vidros laterais no cupê, a traseira vista por trás ou de cima. E a elipse mais importante de tudo que resulta de um corte transversal na cabine. Se abrisse o carro no meio com um corte assim, a forma do carro inteiro seria uma elipse. Mágico e lindo!

E-Type OTS visto por cima, mostrando a curvatura da forma do carro

E de outro ângulo…

Mas sonhar num carro pela beleza e viver com este mesmo carro como transporte de uso diário podem ser coisas completamente diferentes. Como o mercado-alvo do E-Type era os Estados Unidos, e principalmente aqui na Califórnia, existem muitos por aqui para ver, tocar e dirigir. Também há muita gente por aqui que já foi dono. Pelo menos, a experiência era relativamente constante e uniforme - carro lindo de ver e admirar, e bem dificil - até quase impossível - de dirigir, manter e confiar. Superaquecimento; sistemas elétricos de Joseph Lucas; peças caindo do carro. Componentes dificeis de tirar, e ainda mais dificeis de remontar novamente. Áreas sem acesso. Cheiros esquisitos. Fumacinha saindo do painel. Mais fumaça saindo do motor! Fios queimando. Freios queimando. Um capô dificílimo de instalar e acertar na posição certa. Uma capota no conversivel que, como típico ingles, era um trabalho dos diabos. A lista não termina.

Um desvio rápido aqui. Me lembro há 40-50 anos atrás que tinhamos um XK 150 cupê em casa. Prateado com interior vermelho. Estávamos andando no carro em Sunset Boulevard quando ele de repente parou. Morto. Descemos do carro para empurrá-lo e encostá-lo no lado da rua para ver o que aconteceu. A bateria tinha caido no chão e estava arrastando no asfalto! Era instalada logo após a roda dianteira, e com o passar de tempo a água jogada da rua pelo pneu atacou e enferrujou a montagem da bateria. E daí se soltou e caiu…

Também me lembro uma vez muitos anos atrás que um amigo me emprestou o seu E-Type Serie 1, motor 4,2, roadster, acho que de 1964 ou 1965, preto por dentro e por fora, para dirigir na vizinhança dele. Estava com uma das nossas filhas andando no carro, e me lembro muito bem ter dito para ela apreciar a experiência, sendo que provavelmente nunca iria andar num carro mais belo na sua vida. Ela era criancinha na época, mas espero que ela nunca esqueça da volta boa e vibrante que demos. Ainda bem que o carro não nos deixou na estrada, e que voltamos ao ponto original sem nada de extraordinário acontecer. Teria sido um “long walk home”!

Mas nem sempre é assim, ainda hoje com esses carros pouco usados, totalmente restaurados e refabricados, e com tudo que antigamente era problemático já resolvido. Há dois anos, logo no início da Semana Santa em Pebble Beach, houve uma exposição nas ruas do centro da cidadezinha de Carmel. Uns 250 ou mais carros participando. E entre esses todos, incluindo hiperexóticos e realmente antigos como Hispano Suiza, Isotta- Fraschini, Bugatti, Delage, Delahaye, Talbot Lago, Ferrari, Lamborghini, Maserati etc., quais foram os únicos dois carros a dar encrenca? Claro, os dois únicos E-Type no evento! Um cupê e um roadster, ambos com superaquecimento e deixando quantidades de refrigerante verde na rua. Talvez lubrificante também, quem sabe. Surpresa? Não! Mas por que num carro como o E-Type, já “moderno” em termos relativos e feito em quantidades suficientes para eliminar os problemas típicos de carros exóticos de baixa produção? Bem, sei por que. Inclusive, todos nós sabemos por  que. Mas em respeito aos nossos amigos ingleses, é preferível ficar calado…

E-Type FHC coupe com superaquecimento, Carmel, Califórnia, agosto de 2009

E-Type OTS roadster superaquecido, Carmel, Califórnia, agosto de 2009

Pingando de tudo, não só refrigerante mas provavelmente óleo também…

Peço desculpas, mas é como se fosse um cachorro grande deixando alguma coisa debaixo de árvore!

Sim, a beleza é sedutora, masé bom ter cuidado com as consequências da sedução!

RP

24 comentários:

  1. Concordo...este é o jaguar mais bonito de todos.

    Mas para mim o mais belo automóvel já fabricado foi, e é, o 911, seguido de perto pelo 356.

    ResponderExcluir
  2. Para min o mais bonito foi o De Tomaso Pantera.

    ResponderExcluir
  3. O que é aquilo na foto do E-type FHC?
    Em último plano...perto das árvores, à direita...
    ?!

    ResponderExcluir
  4. Excelente post! Belíssimo carro! Pra mim rivaliza com o Citroen DS no posto de mais belo! Ainda bem que os 4 que tenho no GranTurismo não quebram. (mas gostaria que dessem uns probleminhas, faz parte da experiência!)

    http://www.flickr.com/photos/15472072@N04/5530515784/in/photostream

    ResponderExcluir
  5. Absurdos !
    Comentários de quem, sinto muito, não conhece e nunca teve um.
    O problema maior destes carros de exposição é que são pouco usados, e carro parado estraga !
    Além disso, a maior parte destes colecionadores-almofadinhas fica preocupado apenas em polir e lustrar a jóia e não cuida da manutenção.
    Carro é para usar ! Tive vários Jaguar e de todos tenho boas lembranças !
    O E-type que tinha tendência a superaquecimento era o 3.8, da primeira série e apenas os que não foram "climatizados". Um radiador maior resolvia o problema.
    A partir dos 4.2, a deficiencia foi sanada. É um carro que pode ser usado normalmente, porque:
    1.- O motor é um trator. Inquebrável !
    2.- Câmbio e diferencial, idem !
    3.- Freia bem, boa estabilidade e tem potência de suficiente para assustar muito carro novo.
    4.- Manutenção ultra simples.
    Em resumo: O carro é uma parada !!!!
    A bem da verdade, só concordo com vc em um ponto fraco: parte elétrica !
    São as marcas do The Price-of-the Darkness !
    Mesmo assim, nada que assuste !
    No meu, troquei o motor de arranque, que é uma bigorna, por um made-in-Japan, engrenado; e fiz algumas modificação no chicote, que eliminou a mania de queimar lâmpadas.
    Fica aqui o meu conselho para quem não tem: Compre um !

    ResponderExcluir
  6. Rex
    Eu sou fã incondicional do E-Type, e ainda bem que existem empresas que o tornam um carro utilizável, como a Eagle:
    http://www.eaglegb.com/

    ResponderExcluir
  7. M, tinha deixado o comentário digitado e só agora dei "enter", bom saber dassas informações. Quem sabe um dia..

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Finalmente! Um artigo instigante e um comentario (M) construtivo! Ja estava sentindo falta disso por aqui.

    ResponderExcluir
  10. TEX WILLER09/06/11 16:39

    Eu também, anônimo....

    ResponderExcluir
  11. Uma vez eu estava perto de Carmel quando fui ultrapassado por um comboio de 300SL: duas gullwing e uma conversível! Algumas centenas de milhas depois, cruzei com um DeLorean DMC... Dia memorável, tanmto mais na bela estrada que é a Hwy1. Mas pra mim, dos esportivos, desenho por desenho, a minha predileção fica mesmo com o 356!

    ResponderExcluir
  12. Pessoal,
    Eu sou "Porscheiro" ! Os 911/912 (até 1973) são a grande paixão !
    MAS em matéria de beleza, o E-type ganha disparado !
    E atropelando por fora, o MGA !
    (o E-type dos pobres...).
    A Dino 246 também é magnífica, mas é um carrinho encardido.

    Homem-baile,
    Eu descia de Palo Alto para LA pela Hwy1 toda 6a.feira !
    Bons tempos...

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. A foto com Surtees é uma montagem bem mal feita, no calçadão do Butlers Wharf ao lado da Tower Bridge em Londres.
    Conheço bem esse cenário.

    ResponderExcluir
  15. É, para o bônus da beleza existe sempre algum ônus... no caso dos veículos ingleses, a parte elétrica do Principe das Trevas e o fato de veículos ingleses, gostarem de, digamos assim, demarcar território. Mas vale a pena.

    ResponderExcluir
  16. Os carros ingleses realmente têm esse maldito sistema elétrico LUCAS que é uma tristeza.

    Estou finalizando a restauração de um AUSTIN HEALEY MKIII e o motor de arranque já me deu um trabalho danado!


    JONES

    ResponderExcluir
  17. lindo é o que tenho um SM com motor maserati 1972. não o troco por nada

    ResponderExcluir
  18. Jones,
    Não perca tempo com esta josta !
    Compre um motor de arranque do Matthew ! Custa $175.

    Phone(518)290-0390
    inventory@ClassicCarPerformance.com

    ResponderExcluir
  19. Caro M,

    Valeu pela dica ( Vou guardar o contato ) mas já consegui resolver o problema dessa encrenca e agora está funcionando legal ( não sei
    até quando)!!

    Mesmo assim vou recomendar a troca ao dono do carro..

    Aliás você tem alguma idéia de valor desse carro , pois o proprietário vai vendê-lo.

    É um MKIII 3.0 ano 68 ( o mesmo da sua foto). Restaurado desde o chassis.

    Abraço

    JONES

    ResponderExcluir
  20. Este post me pareceu como se fosse uma resposta ao Keller, que comprou um belíssimo e interessante Alfa 145. Um carro que faz qualquer um (ok, nem todo mundo) torcer o pescoço, mas quando cai na oficina... Deus seja piedoso! (aquele motor TwinSpark que deve haver uns 3 mecânicos treinados no Brasil todo, me dá arrepios!)

    Os carros Ingleses são belos, vi alguns Austin num encontro de antigos esses dias e tive que vestir o babador! Não pude deixar de lembrar dos saudosos faróis Lucas, falados no AE há algum tempo!!! rsrs

    abraço!

    GiovanniF

    ResponderExcluir
  21. Jags são muito bonitos de se olhar, apreciar....de longe !

    Carro é Porsche !

    ResponderExcluir
  22. Daniel San10/06/11 20:58

    O bacana no E-Type (especialmente o conversível)é que ele passa uma imagem de nobreza,na qual a classe e o requinte substituem a ostentação. Muito provavelmente foi o mais belo carro já fabricado. Mas creio que o Triumph Spitfire certamente ocupa um lugar nessa galeria.

    ResponderExcluir
  23. João Gabriel12/06/11 21:48

    É por estas e outras que hoje os conglomerados automobilísticos britânicos estão nas mãos de outros ou já faliram a muito tempo...Do que adianta fazer um carro lindo,apaixonante se não é feito com qualidade...O mesmo pode se dizer do Triumph Stag,uma tentativa pífia de concorrer com o Mercedes 280 SL,um carro também muito belo,mas extremamente problemático...

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...