Google+

15 de junho de 2011

OS CARROS DO TINTIN

TINTIN, UM AUTOENTUSIASTA

Sou maluco pelas histórias em quadrinhos do Tintin. Desde criança que as devoro, me absorvendo em suas aventuras. As reli inúmeras vezes, e o legal é que em cada fase da vida elas têm um sabor diferente. Bons livros também são assim: merecem ser relidos após alguns anos, talvez dez anos, pois nos tocarão diferentemente a cada vez. Bons carros também merecem ser guiados novamente, pois o acúmulo de experiência nos capacita a captar nuances que antes passaram despercebidas.

Agora, se desde a primeira vez você não gostou do livro, do carro, ou o que seja, desencane, porque pode ser bom pros outros, mas não é bom pra você, e boa.


Acho genial o tema do Tintin: um rapaz jornalista/detetive e seu inseparável cão se metem em aventuras ao redor do mundo. Nada mais atraente para a molecada, principalmente para os meninos, tipo coisa de homem. Meu irmão e eu éramos doidos pelo Tintin, enquanto que minha irmã nem dava bola. Também notei isso em minhas filhas: elas nunca ligaram muito pro Tintin.

Hoje, lendo o Tintin, me parece que o seu autor, o Hergée, escrevia mesmo para os meninos, pensando neles, ou mais provavelmente pensando no menino que ele mesmo foi. E já que os meninos gostam de carros, porque carro é sinônimo de liberdade e aventura, principalmente os carros esportivos, os quadrinhos do Tintin estão recheados de fiéis desenhos de uma infinidade de carros, e normalmente carros curiosos, diferentes, com personalidade marcante, tipo Alfa Romeo P3, Jeep, Amílcar CGS, Citroën 2CV, Cadillac V-12.

Ele manjava de carro. Pelos modelos já se vê, e manjava de cachorro também, porque a raça do Milú, a Fox Pêlo-Duro, é bem que nem o Milú mesmo; dá cachorro esperto pacas.

Fica meio difícil imaginar as aventuras do Tintin com um cachorro de outra raça, tipo um desengonçado Cão Fila, como também fica difícil imaginar suas histórias com outros carros, tipo a grande maioria dos carros de hoje.

“E eis que Tintin e Milú, ao cair da noite entram na gruta e ali encontram o Capitão Haddock praguejando e brandindo sua espada num acesso de colérica bebedeira. Ao seu lado vêem uma arca cheia de antigas garrafas de vinho desarrolhadas – o Capitão achara ao menos parte do tesouro dos piratas e já consumira um bocado dela. Tintin volta ao seu Celta flex para buscar a pá, a picareta e um tanto de gasolina para embeber uma tocha de fogo, mas decepciona-se ao lembrar que abastecera o carro com uma porcaria de álcool que não presta pra fazer tocha de fogo coisa nenhuma. Milú mija na roda do Celta”.

E que tal se a sequência viesse assim:

“Milú, com as orelhas atentas, solta grunhidos, o que alerta Tintin para um possível perigo. O Capitão solta urros ribombantes do fundo da caverna, o que leva Tintin, após muita luta, a amordaçar o amigo para que pare de fazer barulho. Então consegue escutar que um veículo, com os faróis apagados, vagarosamente desce a estradinha de pedregulhos. Tintin e Milú se escondem atrás de uma reentrância na boca da caverna. Espreitam. Chega um enorme Buick Roadmaster, preto, e dele, silenciosamente, descem os capangas do general. Um deles abre o pesado capô do porta-malas e de lá tira o Professor Girassol, que está inconsciente”.

Pois é. Fica difícil dar um clima legal – tanto nas histórias em quadrinhos quanto em nossas vidas – com os carros que andam fabricando ultimamente.

As motos do Tintin também eram ducacete.

E que tal um desses carros adventure? Não rola, não? Ele é feito pra aventuras, não é?

Parece que até o final do ano será lançado um desenho animado em 3D do Tintin, produção do Spielberg. Espero que ele não esculhambe com o meu herói.






Aqui está o site Les Autos de Tintin, de onde tirei a ideia deste post. Vale dar uma olhada:

21 comentários:

  1. Parabéns pelo post!
    Sou apaixonado pelas histórias do Tintin, e voltei a lê-las justamente por isso, prestando mais atenção aos carros!
    Sò uma observação: do jeito que é hoje, politicamente correto, o Cap. Haddock não poderia beber, não poderiam fazer uma tocha, não poderiam nem caçar tesouro. E dirigir, só abaixo dos 60km/h para não levar multa!

    ResponderExcluir
  2. Sò um detalhe: a capa do livro no post "Tintin en Suisse" é um fake, uma sátira ao "Tintin no Congo". Não é, obviamente, do Hergé!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Que post legal!!
    Eu mesmo sou apaixonado por HQs...
    E neste mundo tão vasto, existem alguns títulos onde é possível ver o quanto os criadores são apaixonados por máquinas velozes.
    Em Dragon ball ( que não é Tin Tin, mas é legal...), as capas de Toriyama são um show, com direito à Maclaren do Senna, Fiat 5oo, Renault 5 turbo e umas motos fantásticas.
    E pra quem gosta dos quadrinhos europeus mensais, Julia, a criminólga, vive envolta com o seu problemático MG...
    Entre uma infinidade de outros que não me vem à mente!

    ResponderExcluir
  4. Corsário Viajante,

    Tem toda a razão. Peguei e foto e colei. Tinha um carro legal, que não sei qual é, e boa. A paisagem não é nada alpina mesmo....

    ResponderExcluir
  5. O filme do Spielberg parece que vai ser muito bom, pelo menos de visual tá realmente legal, é só procurar no youtube por "Tin tin trailer" que acha fácil!

    ResponderExcluir
  6. Arnaldo, estive em uma loja em Londres, que vendia as miniaturas dos carros do TinTin. Caríssimas, mas super legais.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Arnaldo.
    Não tenho certeza, já faz bem uns 30 anos que não vejo essas capas, mas se me lembro bem, a última que você publicou também é um fake. A original tinha um legítimo CJ3.

    Abraçose obrigado pela devolução de infância!

    AAM

    ResponderExcluir
  8. Marchiodi,

    me preocupa o filme ser tão perfeito que iniba a imaginação das crianças. Depois elas lerão os quadrinhos e acharão uma porcaria, uma coisa tosca, e não é por aí.
    Exercitar a imaginação faz bem pra cachola, pricipalmente das crianças.

    Antônio,

    Não se acha muitas fotos de Tintin com carros na internet. A site que indiquei tem muitas, mas não permite que se salve as fotos. Entre no site que vale a pena.

    ResponderExcluir
  9. Bem observado Corsário, o Tintin leva uma negra com um baita black power no carro... Acho que ele estava mal intencionado... rsrsrs

    AK, você falou dos carros "adventure" e fez-me lembrar deste final de semana, quando após degustar um delicioso almoço preparado pela minha avó, que no último dia 6 completou 87 anos, estava assistindo uma tela, fazendo a digestão e talz, quando no famigerado (termo este que o pessoal aqui do AE adora usar) programa do Luciano Huck começa o também famigerado quadro "Lata Velha"... Caramba! Deu muita dó daquele roceiro, pessoa humilde foi ridicularizada ao fazer um imitação da banda que simplesmente f**** a cena musical brasileira nos anos 90 em troca de receber reformada sua honesta Brasília branca, que parecia não ter ferrugem, porém com o interior bem prejudicado. Maaas o pior é que devolveram a "Brasília Crossover", (já que o homem vive na roça né?AFFFF! Que falta de criatividade!) pintada de amarelo vibrante (sabe aquele que parece ter purpurina?), com o interior também em amarelo num tom que nada tem a ver com o do exterior do carro. Não contente, acabaram com o porta malas do carro enchendo-o de amplificadores de som... Putz! Vergonha alheia Luciano, VERGONHA ALHEIA!

    Sds

    ResponderExcluir
  10. Bob, o de Petrópolis15/06/11 20:27

    http://dardel.info/tintin/index.html

    ResponderExcluir
  11. Corsário Viajante

    Uns colegas de trabalho lembraram bem que nos antigos filmes dos Trapalhões o Didi chamava o Mussum de grande pássaro, numa referência ao urubu e o Mussum era doido por "mé". Consegue imaginar um filme da Xuxa falando da cachaça com humor? Pois é, o mundo tá ficando muito chato.

    ResponderExcluir
  12. Caro Keller, realmente... não tinha pensado sob esse ponto de vista, do jeito que as coisas andam hoje, é bem capaz de acontecer isso mesmo.

    ResponderExcluir
  13. Devo ter guardado, ainda, uns 7 ou 8 álbuns do Tintin, que lá em casa era presente de aniversário intercalado com os discos dos Beatles.

    Nos anos 90 a TV Cultura exibiu os desenhos animados fielmente decalcados das histórias de Hergé, com uma belíssima trilha sonora. Eu já tinha meus 18, 19 anos de idade, e tentava chegar em casa a tempo de assistir os episódios.

    O curioso é que as aventuras Tintin inspiraram grandes personagens do cinema, como James Bond e Indiana Jones. O Spielberg era leitor assíduo do jovem jornalista. Por isso confio que fará um filme bacana dele, que na verdade será uma trilogia.

    Não só os carros, mas os lugares retratados por Hergé eram previamente estudados e fotografados. Mesmo os países fictícios eram amarrados em lugares e costumes reais. Por isso, cada álbum levava de um a dois anos para ficar pronto.

    Outro personagem que eu lia muito na infância e adolescência era The Spirit, do Will Eisner. Caçava seus gibis nos sebos de Campinas. Infelizmente cometeram um delito infame com Denny Colt, quando levaram a história para o cinema.

    Nesse quesito, ninguém apanhou mais do que Speed Racer. Neste caso, defecaram e sentaram em cima!

    ResponderExcluir
  14. Maurice Stambouli16/06/11 12:50

    Prezado Arnaldo, bem sei que o foco do post não são as histórias mas sim, os carros. Mas não posso deixar de reconhecer que os europeus, assim como os americanos, naquela época do auge do TinTin não conheciam o Brasil. Fiquei um pouco decepcionado quando numa história, os aventureiros vieram para o Brasil, especificamente Rio de Janeiro, retratado como uma selva com macacos em árvores, cobras e outros bichos e, pior, uma castelo Asteca no meio da selva de Copacabana. Lembra desta história?

    ResponderExcluir
  15. Aranaldo,

    Não li, mas assisti todos os desenhos da série.

    Coisa fina.

    Boas lembranças.

    Rafael Aun

    ResponderExcluir
  16. É, Arnaldo, fica difícil... só que eu trocaria o Buick Roadmaster por um Caddy Escalade - fica mais a cara de capanga de hoje me dia, sempre em SUV (Stupid Useless Vehicles...). E como fã do Tinitn estou com muito medo do que o Spielberg possa fazer com o personagem. Já não tive coragem de ver o remake de um seriado que eu gostava quando moleque, o Besouro Verde, por achar que não achariam um substituto à altura para o Bruce Lee no papel de Kato, quanto mais essa "obra' do Spielberg.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Nuss, me fez voltar a infância, do tempo em que eu assistia o Tintin pela TV Cultura. Bons tempos aqueles...

    Em tempo: pra salvar as fotos daquele site só apertando a tecla "PrintScreen", e depois editar com algum editor de imagens ou no Paint. Sempre faço isso quando não consigocapturar uma imagem ^^!

    Abs
    Kiko Molinari

    ResponderExcluir
  18. Vale lembrar que este ano vai sair o Filme do Tintin! Aqui vai o trailer!

    http://www.youtube.com/watch?v=Rg8uQ-L62V0

    ResponderExcluir
  19. Maurice Stambouli,

    Lembro sim dessa ruína Asteca "brasileira". Também não gostei, pois indica que outros erros certamente foram cometidos nas outras histórias.
    Mas tudo bem. Considere isso uma licença poética e perdoe.

    ResponderExcluir
  20. Bacana lembrar de Hergé, ele era realmente um autoentusiasta. Tanto que ao contrário da maioria dos quadrinistas, ele desenhava modelos existentes na realidade.

    ResponderExcluir
  21. Bruno,

    hoje não fazem isso porque na certa vai aparecer uma besta dizendo que é propaganda. O desenhista, coitado, não pode nem gostar de um modelo.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...