Google+

17 de julho de 2011

DEU A LOUCA NO TRÂNSITO 2

Foto: Midiacon News

Deu mesmo a louca no nosso trânsito. Nesta sexta, sete dias depois do acidente Porsche x Tucson, mais um grave, ocasionado por um ônibus, fora o caso dos menores que fugiam da polícia num carro roubado e atingiram outro, matando duas mulheres, por pouco uma menina de oito meses não morrendo, apesar de ter dido atirada do carro (irresponsabilidade da mãe, cadê o banquinho?). A coisa está mesmo fora de controle.

Nesse do ônibus, como é possível, numa faixa exclusiva de 50 km/h de limite, arrebentar a mureta e a grade divisória de pista que tem no local (av. Cupecê, capital paulista), e ir para a faixa exclusiva contrária? As pessoas estão mesmo desaprendendo a dirigir, só pode ser.

Acho que só tem um jeito: adotar a sistemática da aviação, de tempo em tempo o piloto é checado por um instrutor para ver se não desaprendeu. Com carro, a mesmo coisa, a cada dois ou três anos, novo exame de direção. 

No caso do ônibus que invadiu a faixa contrária, foram nada menos oito motocicletas atingidas, com três mortes instantâneas. Pergunta-se: o que faziam essas motos na faixa exclusiva de ônibus?

O motorista alegou que perdeu o controle porque o banco correu para trás de repente. Isso não é motivo - ou não seria, se esses profissionais se sentassem corretamente ao volante. Já notaram como dirigem? Ficam tão afastados que as mãos ficam pousadas na parte inferior do aro do volante. Para fazer uma curva precisam tirar bem as costas do encosto para poder usar o volante. Se o banco recuar de repente, e pode realmente ter acontecido, nem dá para se segurar agarrando o volante.

Tem mais, se o ônibus desviou a ponto de levar mureta e grade, o fez sozinho, sinal claro de que a direção estava puxando para a esquerda. Uma direção em ordem mantém a reta por um bom tempo.

Aproveitando, das besteiras inomináveis que a administração do trânsito de São Paulo comete - nem preciso repetir como se chama a "Companhia" - permitir táxi nessas faixas é uma das piores que já vi nos meus 68 anos em matéria de trânsito. Por uma razão só: ônibus param nos pontos. Aí o taxista  "inteligente" faz duas coisas: ou para atrás do ônibus e espera que ande, ou abandona a faixa exclusiva. Mas para fazer isso comete infração, que é trasnpor faixa branca contínua. Se eu fosse a "Companhia": tascava multa sem dó, para aprenderem.

Esse caso de táxi na faixa exclusive é mais uma do repertório "Ouvir o galo cantar mas não saber onde". No Rio de Janeiro, em toda a extensão da av. Brasil, importante via de ligação da zona norte com o centro, há cercas 40 anos foi instituída faixa exclusiva de ônibus à esquerda. Foi criada para o trânsito de ônibus intermunicipais e interestaduais, que não param em ponto. Liberaram-na para táxis, uma decisão acertada, já que não há paradas. Aí fizeram o mesmo aqui, livre para táxis, mas tem pontos de parada. É ser muito burro.

Por falar em táxi, muitos são "filmados" e a regra de uso da faixa de ônibus diz que só com passageiro. Com as películas, agentes ou câmeras não veem se há passageiros eventualmente a bordo e, tome multa!

A coisa está mesmo feia. Também na sexta, aqui no bairro, Moema, no cruzamento da al. dos Aicás  com av. Iraí,  que tem mini-rotatória, um carro atingiu por trás uma Palio Weekend da PM que aguardava para dobrar à direita, vindo esta a capotar. Ruas de 40 km/h!

Reciclagem já!

BS

21 comentários:

  1. Ontem no trecho de Balneário Camboriú a Itapema, sentido sul, vi entre outras barbaridades, um caminhão com carreta, fazer diversas ultrapassagens pela esquerda e pela direita, ou seja, costurando.
    Depois, a fila empacou. Ora andava, ora parava até que após alguns quilômetros descobri motivo. A Polícia Rodoviária tinha parado um Corcel II azul e o estavam vistoriando. Interessante a curiosidade dos motoristas, que chegavam a parar para observar o que estava a acontecer. Passei, e a fila andou normalmente, mas até chegar em Itapema, quase não tinha veículos atrás do meu carro, porque provavelmente os que estava atrás, também pararam para ver o "caso".
    Sinceramente, eu penso que chegamos ao caos.

    ResponderExcluir
  2. concordo com uma eventual falha do motorista mas vale lembrar que esses ônibus mesmo quando novos estão caindo aos pedaços, acho perfeitamente possível um problema no banco do motorista como causa maior do acidente.
    um telejornal noticiou que as motos estavam na faixa exclusiva para ônibus. parece o mesmo caso do porsche, todo mundo errado, agora discutem pra ver quem errou mais.

    ResponderExcluir
  3. Bob, meu filho acabou de tirar habilitação, e estava conversando com ele sobre esse acidente, e como é impressionante as pessoas conseguirem capotar um carro dentro da cidade em meio ao trânsito. Acho que nem se eu quiser eu consigo fazer um proeza dessas.

    PS: passei para ele ler seus textos sobre aceleração interina e punta-tacco, e tbm o vídeo sobre como se posicionar corretamente ao volante. Bob Sharp, utilidade pública. Kkkkk

    ResponderExcluir
  4. Eu até concordaria com o exame de direção periódico, se no Brasil esses exames fossem coisa decente, o que já não é desde muito antigamente (nem sei se já foi algum dia). Se fosse algo como nos EUA ou Inglaterra, já seria bem melhor.

    Outro dia eu tive de pegar um taxi, e fiquei abismado com o quão perto do volante o homem dirigia, inclusive curvando-se um pouco para frente. Fora as "ordenhas de vaca"...

    ResponderExcluir
  5. Acho que a Polícia faz muito corpo mole. Leis já existem. Se saissem na rua com vontade, tirariam uns 50% dos motoqueiros, que andam irregularmente.
    Depois se fiscalizassem com vontade e todos os tipos de infrações tirariam outros 45% das ruas, pois tem motoqueiro que consegue cometer no mínimo 6 infrações em apenas um quarteirão (andar na contra-mão, excesso de velocidade, direção perigosa, ultrapassagem irregular, avanço de farol vermelho, excesso de barulho, e por ai vai).
    O brasileiro está muito arrogante e sem educação, placa de Parada obrigatória é enfeite, moro próximo a uma esquina onde há a placa e quase ninguém para, já chegam entrando e os que fazem a curva parece cegonheiros, fazem a curva bem aberta invadindo a contra-mão.

    ResponderExcluir
  6. Parece que foi erro dos dois, mesmo. E motorista de ônibus ou é 8 ou 80: ou anda devagar demais ou senta a bota. Lamentável.

    ResponderExcluir
  7. "Acho que só tem um jeito: adotar a sistemática da aviação, de tempo em tempo o piloto é checado por um instrutor para ver se não desaprendeu. Com carro, a mesmo coisa, a cada dois ou três anos, novo exame de direção. "

    Engraçado Bob, pensei nisso ontem. Por que não aplicar nova prova teórica de direção defensiva e legislação no momento de renovação da carteira? Prova prática seria inviável, dado o volume de renovações diárias, mas uma prova teórica seria simples, e reforçaria conceitos que, se não avaliam a prática, pelo menos dão ao cidadão a consciência de que estão errados.

    ResponderExcluir
  8. Caio Cavalcante17/07/11 12:56

    Quem consegue capotar um carro a 40 km/h deveria ter o direito de dirigir suspenso no ato e ser obrigado a refazer todo o curso de autoescola, pois não tem o menor controle sobre o veículo e é uma ameaça às pessoas. Na Suíça quem se envolve em um acidente do tipo "perdeu o controle do carro" tem que pagar uma multa, carissima por sinal, nos seguintes termos: "o motorista não tem habilidade para controlar seu veículo", não interessa se havia gelo na pista ou outro fator do tipo.

    ResponderExcluir
  9. Tiago Raposo
    Eu duvido que isso daria certo do jeito que está atualmente. Quem obteve CNH em época anterior à exigência de curso teórico de primeiros socorros e direção defensiva, teve de renovar a carteira fazendo uma prova. O detalhe é que essa prova não necessariamente é aplicada no Detran, e muita gente recorre a lugares onde a fraude corre solta. Há muitos motoristas semianalfabetos, ou que desde que deixaram a escola nunca tiveram de fazer uma prova. O índice de reprovação é alto, apesar de ser muito simples a prova.

    ResponderExcluir
  10. Marcelo Junji17/07/11 15:59

    Foi dito nos jornais que o motorista do ônibus tentou diminuir a velocidade, usando as grades de proteção, pois perdeu os pedais por deslocamento do seu banco. No outro acidente, que foi bem parecido com a do tucson X porsche,a mulher foi fazer uma conversaõ e não esperava vir outro veículo em alta velocidade em que estavam os bandidos. Segundo os jornais a criança estava sim na cadeirinha, a causa de sua projeção para fora do veículo foi o rompimento do cinto de segurança do veículo.
    Embora alguns carros tenham isofix, não se encontra cadeirinhas com esse sistema para comprar aqui no Brasil. Talvez a criança não seria ejetada se estivesse presa por esse sistema de fixação.

    ResponderExcluir
  11. Graças a Deus não neva forte aqui no Brasil...

    ResponderExcluir
  12. Concordo com o que o Bob disse a respeito de se adotar a sistemática de avaliação de tempos em tempos não só para os motoristas profissionais, mas para todos. Porém essas deveriam ser avaliações de verdade e não a mentira que se vê atualmente, como na "reciclagem" a que fui abrigado a passar por ocasião da segunda renovação de minha CNH, em 2009. O que vou relatar não me orgulha. Ao contrário, sinto vergonha e não recomendo que ninguém faça. Ao me dirigir ao Detran para a renovação, me indicaram a obrigatoriedade de um curso de reciclagem, ou, se assim optasse, uma prova me seria aplicada, envolvendo conhecimentos de mecãnica, primeiros socorros e direção defensiva. CONTINUA

    ResponderExcluir
  13. CONTINUANDO....
    Como optei pela prova, me foi recomendado que baixasse pelo site do Detran-GO uma apostila a ser estudada... E a prova ficou agendada pra semana seguinte. Por motivos pessoais, não pude estudar o conteúdo e, no dia da prova, compareci apenas para cumprir tabela, crendo que iria ser reprovado... Qual não foi minha surpresa ao me deparar com uma prova tosca, ridículas, com perguntas de múltipla escolha tão bestas que qualquer pessoa, com um mínimo de raciocínio lógico, conseguiria fazer, dada a obviedade das respostas. O resultado foi que fui aprovado, renovei minha carteira e me "reciclei", sem fazer o curso e sem ler uma palavra da apostila do Detran... E tudo dentro da legalidade, obrigação legal cumprida. Porém me sentindo envergonhado daquilo que a lei me propos fazer...

    ResponderExcluir
  14. Sabia que ia ter película no meio. Tragicômico!

    ResponderExcluir
  15. Todo tipo de revolução só parte depois de um colapso. Estamos caminhando para o caos, a revolução é questão de tempo.

    ResponderExcluir
  16. Testes periódicos não, nem a pau! Vai ser mais um motivo pra me roubarem o suado dinheiro dos bolsos.

    ResponderExcluir
  17. Alexandre - BH -18/07/11 05:48

    Certa vez um alto executivo estrangeiro (não me lembro quem) declarou que o brasileiro desceu da árvore direto para trás do volante. Será que o cara estava errado?

    ResponderExcluir
  18. Simplesmente trágico !

    O que vejo de "cabaçagens" nas ruas não é brincadeira. Em alguns casos até pode "dar um desconto" por ser um recém-habilitado, mas e quando o "navalhão" já tem mais de 20, 30 anos de direção, como faz?

    Apoio o Bob para a reciclagem de motoristas, pois muitos deles hoje mal sabem interpretar as placas de transito. E olha que muitas delas nãm mudaram tanto!

    Abraços
    Kiko Molinari

    ResponderExcluir
  19. Velho, mas limpinho20/07/11 01:02

    Infelizmente já vi uma senhora dirigindo um Corolla (em 2006) bater lentamente na lateral traseira direita de um Palio e este capotar umas 2 vezes e ficar de ponta cabeça.

    Explico, a mulher do Toyota subia a rua Caraíbas e o Palio cruzava a rua Tavares Bastos (quando esta tinha fluxo sentido Av. Pompéia antes da rua Tucuna) e como é uma descida, o Palio desgovernou e foi tombando até parar de cabeça para baixo, e seus 5 ocupantes desesperados para sair do sufoco.

    Barbeiragem foi, principalmente da senhora que não calculou a velocidade e distância que deveria cruzar as ruas (ou não viu o carro cruzar sua frente mesmo) e do(a) motorista do Palio que não conseguiu fazer o contraesterço afim de evitar a capotagem.

    Ninguém se feriu gravemente, mas foi um acidente em câmera lenta aquele e facilmente evitável.

    VmL

    ResponderExcluir
  20. Rotatória é uma coisa totalmente desconhecida para os paulistanos. A regra é simples, DÊ A PREFERÊNCIA PARA QUEM ESTÁ NA ROTATÓRIA! ou seja, nada de parar no meio da rotatória pra esperar o carro do sentido contrário passar...
    Brasileiro não lê nem manual de instruções, pq saberia as leis de trânsito?

    ResponderExcluir
  21. Bob acho que você errou ao dizer que multaria um taxi por sair de traz de ônibus parado em faixa contínua, pois nosso Código de Trânsito permite ultrapassar veículos parados mesmo em faixa contínua, por um motivo óbvio: se por acaso o veículo para por problemas técnicos ou outro motivo qualquer, todos seriam obrigados a "estacionar" atraz dele por não poder trocar de faixa.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...