30 de julho de 2011

JAC J3: UM BOM CARRO, BEM MELHOR QUE O ESPERADO

Fotos: autor

O JAC J3 surpreeende pelo bom desempenho. O pequeno 4-cilindros de 1.332 cm³, bloco de alumínio, duplo comando de válvulas acionado por conrente e 4 válvulas por cilindro, empurra forte mesmo, principalmente a partir de 3.800 rpm. O comando de válvulas de admissão conta com variador de fase (VVT, Variable Valve Timing) e contribui bastante para a boa elasticidade. Mas quando o comando de admissão vai para a fase de potência, aí  o motor encorpa e estilinga com uma valentia que não se espera de um 1,3-litro, e o faz com um ronco gostoso e invocado.

Produz 108 cv a 6.000 rpm, o que dá uma potência específica bem alta: 81 cv/l. E tem torque muito bom também, para a cilindrada: 14,1 mkgf a 4.500 rpm, torque específico de 10,6 mkgf/l.

Em baixa ele responde mesmo muito bem, sempre pronto a acelerar. Parrudinho o danado. Em suma, um motor com muita disposição e com um toque bem esportivo para a pequena cilindrada.

Não conheço nenhum motor de 1,4-litro que acelere que nem este e seja tão bom em baixa. Todos levam pau. Comparável a este, só os 1,6-litro.

O motor projetado pela austríaca AVL é brilhante


Ele acelera, segundo a JAC Motors, de 0 a 100 km/h em 11,7 segundos e atinge 186 km/h. Você já imaginou um 1,3 andando fortinho assim?

E o consumo é de um 1,3-litro... gasta pouca combustível - só gasolina por enquanto, o que acho ótimo. Taxa de compressão: 10,5:1. Bem moderno este motor.

O projeto dele vem de uma parceria entre a JAC e a AVL, uma empresa austríaca que também tem projetos seus rodando em alguns modelos da Audi.

Um quê de escultural nas linhas do JAC J3

A alavanca de câmbio é bem gostosa, com engates leves, curtos e precisos, fruto do comando a cabo. A posição de guiar é boa. O volante tem regulagem de altura - não de distância - mas a ergonomia é boa, com volante e alavanca de câmbio nas posições certas. Só o console que se adentra demais no espaço da perna direita do motorista, o que impede que se faça com facilidade o punta-tacco e também impede maior relaxamento da perna em viagens mais longas. Achei que o pedal do acelerador está muito próximo ao do freio. Por segurança deveria estar mais distante.

Seria melhor se não tivesse cromados no painel: reflexos
A sensação é de carro sólido, bem estruturado e silencioso, o que nos faz crer que ele deva demorar para começar a criar os inevitáveis “grilinhos”, que mais dia menos dia todo carro apresenta. Isso contradiz com a expectativa de um carro de origem chinesa. Isso mesmo, nós, brasileiros, temos um certo pé atrás com relação aos produtos chineses. Não temos culpa disso, pois até há pouco seus produtos eram baratos porém ruins, inclusive automóveis, mas todos nós sabíamos que um dia eles teriam carros tão bons quanto os nossos ou japoneses ou coreanos etc. E agora, após uma semana com o JAC J3, estou achando que esse dia já chegou. Ainda não testei carros chineses de outros fabricantes, então não posso afirmar nada sobre eles.

Faltam-lhe alguns detalhes, como um material mais apropriado no volante, cuja pegada é num plástico um pouco desagradável, meio “suarenta”. As saídas de ar do painel têm contornos cromados, que podem ser bonitinhos, mas criam inconvenientes reflexos quando ao sol. O para-sol é pequeno demais. O painel – com luz azul forte, que não diminui de intensidade quando acendemos as lanternas – pode estar ao gosto de muitos, menos do meu. Também não gosto de bola cromada na alavanca de câmbio – nada cromado no interior para não dar reflexos.

Os para-sóis poderiam ser um pouco maiores

Mas essas coisinhas são detalhes e também é questão de gosto, daí que não me cabe julgar. Isso quem julga é o comprador.

Mas me cabe julgar outras coisas, tipo a suspensão, que é ótima, mas foi erguida além da conta para atender o padrão brasileiro de lombadas, a maioria fora das medidas regulamentares..

Na foto se vê que o braço transversal em "L" de suspensão dianteira – McPherson – está fora da posição de seu projeto original. Vê-se que está muito inclinado, nada próxima da horizontal, como normalmente eles devem ser, e isso evidencia que ele trabalharia muito melhor do que já trabalha se estivesse como foi feita para ser. Essa erguida é comum a quase todos os carros brasileiros, quase todos foram erguidos, mas nem todos tanto.


Suspensão erguida para enfrentar as lombadas, mas a dose foi excessiva

Nota-se, portanto, nas curvas de baixa velocidade (como o leitor verá no vídeo ao final), que o carro tende a patinar a roda interna à curva com maior facilidade que o desejado, e com isso o carro perde tração.

Mesmo assim ele é bastante estável, tanto nas retas quanto nas curvas. Faz curva direitinho, sim, também creio que por ajuda da boa suspensão traseira independente, de braços longos.

A suspensão está bem calibrada quanto à sua rigidez. O carro é macio sem ser mole. É firminho. Está no ponto; o carro é ágil, com boas e seguras respostas ao volante, e é confortável. Rola lateralmente na medida certa.

Isso tudo – motorzinho valente, boa estrutura, boa suspensão – me anima a dizer que bastaria pouca coisa para que a JAC lançasse uma versão esportiva do J3. Seria só trazer a suspensão para a sua posição de projeto, além colocar amortecedores com um pouquinho a mais de carga e um escape que desse um ronco mais parrudinho – além das inevitáveis faixas pretas com GT, SR, ZR, o que seja, que lhe dessem um aspecto mais invocadinho (o design do carro foi feito no estúdio que a JAC montou em Turim, na Itália, e teve a ajuda do estúdio Pininfarina).

Além do J3 hatch, há a versão sedã, a J3 Turin., com um excelente porta-malas de 490 litros.

No banco traseiro um sujeito de 1,80 m vai bem, com bom espaço para pernas e cabeça; sem problemas. O porta-malas é de razoáveis 350 litros. O tanque de gasolina, 48 litros.

Espaço atrás é adequado, especialmente considerando o porte do J3
Faz poucos anos que a JAC Motors produz automóveis – coisa de 3 ou 4 anos –, mas faz bastante tempo que ela produz caminhões, quase vinte anos, e ela investiu pesado no ferramental da fábrica. Importou, segundo informações da JAC, o que havia de mais moderno na Suécia e Alemanha.

Como se vê, eles não estão brincando em serviço e estão com boa pontaria; vão direto ao ponto. Em 2010 produziram 450 mil carros e este ano estimam que atingirão 650 mil - é a imensa economia de escala chinesa em ação. Aqui, pretendem vender 35 mil este ano.

Os sistemas eletrônicos têm boa origem. São da Delphi, Bosch, Visteon etc. - empresas de renome estabelecido. Não são “xingling”, não.

O J3 só é vendido aqui com todos os acessórios que tem, ou seja, como diz o Faustão, completo. Eu não sei o que significa esse tal “completo” que todo mundo diz, já que pra mim um Fusca 1200 que não faltava nenhuma roda ou o volante, não chovia dentro e tinha limpador de para-brisa também era completo. Minha sobrinha me disse que comprou um Celta “completo”. Que ótimo! Todo mundo fala nesses tais carros completos e o dia em que eu entender de carro saberei o que significa esse tal completo aí.

O J3 tem freios ABS de oitava geração com EBD, a disco ventilado na dianteira e a tambor na traseira. Freiam bem, sem problemas. Tem ar-condicionado etc, conforme está no quadro abaixo, e tem um sensor de ré que apita cada vez mais desesperadamente rápido quanto mais a traseira do carro chega perto de um obstáculo. Acho divertido esse troço num hatchzinho pequeno desses.

Mas o carro é bom, sim, e isso é bom. Talvez ele simbolize algo. Talvez assim a nossa indústria comece a se mexer para baratear os carros aqui produzidos - parece que já está se mexendo -. Talvez o nosso governo se toque que deve ter mão mais leve nos tributos e mais pesada na melhoria de nossa infraestrutura produtiva – já isso eu duvideodó.

A China não é milagreira. Só não brinca em serviço.

AK

Veja este vídeo que fiz numa serrinha:


Principais equipamentos de sériE
Modelo
J3
J3 Turin
Vidros elétricos dianteiros e traseiros
Desembaçador traseiro
Retrovisores elétricos
Faróis com regulagem elétrica de altura
Faróis de neblina
Terceira luz de freio
Protetor de cárter
Luzes de leitura
Luzes de segurança nas portas
Alças de segurança dianteiras e traseiras
Parassol com espelho de cortesia
(Somente passageiro)
(Somente passageiro)
Acendedor de cigarro
Retrovisor interno antiofuscante
Limpador traseiro com temporizador
-
Luz traseira de neblina
Iluminação do porta-malas
Luzes de segurança nas portas
Porta-revistas
Banco traseiro bipartido 60/40
Bancos em veludo
Apoios de cabeça dianteiros com ajuste de altura
Airbag duplo
Portas com barras de proteção lateral
Cintos traseiros laterais de 3 pontos
Cintos dianteiros com pré-tensionador
Chave com destravamento remoto das portas
Alarme antifurto
Travamento automático das portas a 15 km/h
Freio ABS com EBD
Sensor de estacionamento traseiro
Porta-copos
Acendedor de cigarros
Antena impressa no para-brisa
Tomada de energia (12 V)
Iluminação azul no painel de instrumentos
Volante com regulagem de altura
Direção hidráulica
Ar-condicionado
CD player com entrada USB
Abertura interna da tampa do tanque de combustível
Seis alto-falantes



FICHA TÉCNICA JAC J3
Modelo
J3
J3 Turin
Motor
4 cil. em linha
Disposição
Transversal
N° de comandos de v;alvulas  e posição
Dois, no cabeçote, VVT para admissão
N° de valvulas por cilindro
4
Diâmetro dos cilindros (mm)
75
Curso dos pistões (mm)
75,4
Cilindrada (cm³)
1.332
Taxa de compressão
10,5:1
Potência máxima (cv/rpm)
108/6.000
Torque máximo (mkgf/rpm)
14,1/4.500
Transmissão
Câmbio manual de 5 marchas; tração dianteira
Suspensão dianteira
Independente, braço transversal, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Suspensão traseira
 Independente, McPherson, 2 braços transversais, 1 braço longitudinal, mola helicoidal e amortecedor pressurizado
Freios
Dianteiros a disco ventilado e traseiros a tambor; ABS
Direção
Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica variável com a rotação do motor
Rodas e pneus


Rodas
Alumínio, 5,5J x 15 pol
Pneus
185/60R15H
Dimensões, peso, capacidades


Comprimento x largura x altura (mm)
3.965 x 1.650 x 1.465
4.155 x 1.650 x 1.465
Distância entre eixos
2.400
Peso em ordem de marcha (kg)
1.060
1.100
Capacidade do porta-malas (l)
350
490
Tanque de combustível (l)
48
Desempenho


Aceleração 0-100 km/h (s)
11,7
11,9
Velocidade máxima
186 km/h
Garantia e manutenção


Garantia total, sem limite de quilometragem (anos)
6
Primeira revisão/demais (km/tempo)
2.500/6 meses/10.000/1 ano
Troca de óleo (km/tempo)
5.000/6 meses

78 comentários:

  1. Se tratando de um chinês, surpreendente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MELHOR SITE DE VENDAS http://www.mercadozets.com.br/

      VENDE DE TUDO

      CARRINHO EM ALUMINIO
      ...
      http://www.mercadozets.com.br/ListaProdutos.asp?texto=carrinho+em+aluminio&IDCategoria=110

      BEBÊ INFANTIL
      http://www.mercadozets.com.br/ListaProdutos.asp?idCategoria=110

      VENDE DE TUDO TEM BERÇO ELETRONICOS CELULARES TV NOTEBOOK COMPUTADOR ACESSORIOS PARA CARROS BRINQUEDOS ARTIGOS INFANTIS E MUITO MAIS ...

      Excluir
  2. Gostei da avaliação, conseguiu escapar dos extremos exaltados que normalmente vemos.
    E quanto ao "completo", é o termo mais banalizado e idiota do mercado automotivo, a ponto da Hyundai oferecer seus carros nas versões "completas", "completas + teto solar", "completa + teto solar + xenon", etc etc... Tìpica coisa de brasileiro ignorante que não sabe ler o que tem no carro e quer impressionar o vizinho dizendo ter um "completo"... argh!

    ResponderExcluir
  3. AK, gostaria de saber o você achou do comportamento desse carro para subir ladeiras.
    Há críticos que reclamam de certa dificuldade para sair da imobilidade nelas.
    Isso tem mesmo fundamento?

    ResponderExcluir
  4. Arnaldo, gostei da avaliação, só acho que faltou comentar que os bancos não tem regulagem de altura e isso pode ser incômodo.

    O espaço dele é bom mesmo, mas acho que atrás ficamos com a cabeça muito próxima da coluna e, dependendo da maravilhosa rua em que se trafega, uma boa cabeçada ali vai acontecer e não será muito agradável.

    O porta malas também é estranho, achei o acesso difícil. E os bancos de veludo desagradaram minha esposa: "vai pegar muito pelo". O bom é que por R$ 1000 se coloca couro nos bancos.

    Também duvideodó que por aqui as coisas mudarão, dá mais resultado o camarada poder comprar um carro (completo hehe) do que ter uma estrada muito melhor, a notícia é mais bonita "poder de compra do Brasileiro aumenta em XX nos últimos Y anos", e aí, todos com seus carros ficam atolados em congestionamentos todos os dias, aumentando o consumo de combustível, o estresse e etc, nada de falarem em aumento da qualidade de vida e conforto das pessoas.

    ResponderExcluir
  5. Corsário,

    exatamente isso. e quando eles falam de "opcionais de série", então?

    ResponderExcluir
  6. Bacana, Arnaldo. Mas considerando que o Tiida sedan está sendo vendido com desconto, que dá na prática uns 40, com qual voce ficaria? O Nissan ou o JAC?
    Realmente subiram demais o carro, ficou com visual esquisito, mas se descesse 5 cm, ficaria harmonioso. E outra, a receita para um esportivo está na fábrica, pois ha o motor do J5, com uns 120 cv, e o do J6 com uns 140 cv. Aí sim ficaria divertido! E só a JAC querer. Um J3 2.0 ia ser capa de TODAS as revistas do ramo. Só ficaria atrás do SI.
    Será que as fábricas se esqueceram do quáo um esportivo é salutar para sua imagem?
    Garanto que muito da boa imagem da VW nos 80 e 90 vinha dos seus lendários GTS e GTI.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  7. Arnaldp Keller, seria interessante se você colocasse a câmera dos seus vídeos em uma posição levemente mais alta (na altura do encosto de cabeça do banco do carona seria o ideal), para que TAMBÉM pudéssemos ver a pista...

    Isso favoreceria nossa percepção de todo o comportamento dinâmico do carro...

    Abs

    ResponderExcluir
  8. Me agradou o ronco do motor, tem personalidade própria. Meu único receio quanto a automóveis chineses diz respeito à durabilidade do conjunto. A parte eletrônica do J3 me parece a prova de falhas, já que vem de fabricantes com larga experiência no setor. Resta saber o restante do veículo...

    ResponderExcluir
  9. Uber,

    Não sei a que tipo de ladeiras você se refere, mas não vi razão alguma para que ele não suba o que os concorrentes conseguem subir. O motor tem bom torque em baixa, a 1a marcha não é longa demais...

    ResponderExcluir
  10. Lucas,

    O Tiida é outra categoria, é bem mais carro, maior, anda mais, etc. Fico com o Tiida sem pestanejar.

    ResponderExcluir
  11. Celestino,

    você tem toda a razão. Eu não tomo os cuidados devidos nas filmagens. Vou tentar melhorar. Quando for colocar da próxima vez vou escutar a sua voz: "Arnaldo! Bota direito essa câmera aí, rapaz!"

    ResponderExcluir
  12. Road Runner,

    até agora nada indica que não seja resistente, além do mais estão dando 6 anos de garantia e isso indica que o importador confia nele.

    ResponderExcluir
  13. Nas outras avaliações que eu vi reclamavam da falta de torque em baixa rotação. Será que essa unidade que o Arnaldo pegou já é de um ano/modelo mais novo, com modificações no motor?

    ResponderExcluir
  14. Yuri Leite30/07/11 13:13

    AK, você experimentou arrancar ele em subidas íngremes?

    http://www.youtube.com/watch?v=ioE67d-fAzE

    Depois que vi esse vídeo fiquei com um pé atrás com relação a esse chinês. E olha que como o motorista disse, estava só ele dentro do carro.

    ResponderExcluir
  15. Para quem tem interesse sobre o comportamento do consumidor brasileiro no momento de avaliação da compra de um carro, levando em consideração a variável - carro chinês - pode acessar o resumo da pesquisa que realizei em meu mestrado neste link: http://www.cbcde.org.br/home/biblioteca_virtual-lista.asp?paPagina=2

    (No fim da página, é permitido descarregar o PDF)

    ResponderExcluir
  16. O Arnaldo disse: "(o design do carro foi feito no estúdio que a JAC montou em Turim, na Itália, e teve a ajuda do estúdio Pininfarina)."

    O Fabrício Samahá disse: "Análise de Estilo JAC J3: desenho italiano, mas sem Pininfarina e sem inspiração" - http://bestcars.uol.com.br/artigos2/357-estilo-jac-j3-1.htm

    Sei não Arnaldo. Esses chineses enchem a boca para falar dos carros, igual o grupo CAOA, se tivesse mesmo um quê de Pininfarina eles fariam questão de evidenciar isso no marketing.

    Lembra o caso da Harley Davidson V-Rod, que tem sistema de refrigeração a água projetado pela Porsche, mas os vendedores Harley dizem que a Porsche projetou o motor inteirinho.

    Faltou falar das coisas do coração: como é a modulação dos freios, os freios sofrem fading após uma tocada entusiasta? A direção tem peso correto? É comunicativa ou dá a impressão de ser um timão de caravela?

    Tocando no limite, é um carro chato e previsível ou é daqueles que dão adrenalinha e terminam as curvas já alinhado?

    Abraço Arnaldo!

    ResponderExcluir
  17. Esse carro que você testou é zero-km e certamente foi todo testado pela JAC antes de ser entregue a você (todas as montadoras fazem isso com carros para jornalistas).

    A dúvida está na manutenção dele e nas peças de reposição. Tem 6 anos de garantia, se tiver defeito de fabricação vai ser consertado, mas e as peças? E a qualidade do serviço pós-vendas? E o treinamento da rede de concessionárias? E no caso de uma batida eventual, vão ter peças disponíveis?

    Ninguém sabe disso ainda, por isso acho esse carro muito caro para o que ele oferece e muito arriscado comprá-lo agora. Em alguns paízes do mundo a lei protege o consumidor contra eventuais "picaretagens" nesse sentido, aqui não dá pra confiar muito nisso...

    Mesmo o melhor carro do mundo vai precisar de manutenção um dia...

    ResponderExcluir
  18. Interessante, AK, por dois motivos, o primeiro é, que diabos é esta empresa austríaca AVL?

    O segundo, por que no Brasil não temos engenheiros e investidores com disposição para construir carros nacionais, haja visto que os chineses compram ferramental mundo afora e constroem carros muito bons, o que falta para este país?

    ResponderExcluir
  19. Quase 40 paus por uns carros feios, sem tradição, pra ser cobaia de quem "está aprendendo" a fazer carros? A Ford está vendendo Fiesta 1.6 com os mesmos equipamentos do J3 pelo mesmo preço. Mesmo sem ser apaixonado pelo Fiesta, ao menos a Ford está no ramo há um século...

    ResponderExcluir
  20. Deve ser peluda essa esposa do Evandro!

    McQueen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada se compara a vaca malhada que é sua mãe, que se andasse no carro, o encheria de pêlos.

      Excluir
  21. Eu que não aposto e não gasto 1 centavo meu com carro chines e coreano ! Quero e exijo que as grandes marcas que já existem aqui volte a realidade normal do resto do mundo e nos de respeitem com produtos ótimos que tem lá fora e custando o certo que seria a metade do que poderia custar aqui atualmente. E por favor: Essa estoria ridícula de achar que carro completo é só os que vem de fabrica ar + direção + trio elétrico, são os mesmos que ainda vivem e alimentam este pensamento pobre da industria Brasileira que só faz atrasar o país. Lá fora todos os carro normais já vem praticamente com tudo isso de fabrica e com ABS, Airbag, EBD, discos de freios nas 4 rodas, computador de bordo. Opcional lá é só pintura, som melhorados, acabamento diferenciado, rodas, teto solar, kit esportivos...

    Acorda Brasil !! Exija coisa boa como em qualquer outro lugar do mundo e custando o correto para nós !!!

    ResponderExcluir
  22. Pedro de Albuquerque30/07/11 15:12

    O termo completo acho que pegou por aqui por ter demorado muito a popularizar carros com direção assistida e A/C.

    E ainda tem aqueles que achavam e acham que caro pequeno não precisa de assistência...

    Como disseram acima, tem Fiesta 1,6 aos mesmo preço, não sei se comprena arriscar.

    ResponderExcluir
  23. Pedro de Albuquerque30/07/11 15:14

    E garantia longa enche o saco, ainda mais com essas trocas de óleo de 5 mil 6 meses. A primeira com 2500 km, igual a Hyundai, já é pega-trouxa.

    É melhor alugar um imóvel do lado de uma concessionária.

    ResponderExcluir
  24. Pedro de Albuquerque30/07/11 15:28

    O único 1,35 que chega perto dele é o da Honda (1339 cm³): 100 cv a 6000 rpm; 13 kgf.m a 4800 rpm.

    Na versão vendida em outros mercados ele é mais próximo do Honda, só aqui que deram uma melhorada. Ordens do Habib!

    ResponderExcluir
  25. A crítica que me refiro é justamente dizerem que o carro não sobe ladeiras que seus concorrentes normalmente sobem e que as marchas não estão adequadas para o relevo brasileiro.
    Mas bom saber que alguém experiente como você não viu esse problema.
    Obrigado pela informação!

    ResponderExcluir
  26. Clésio,

    Tem gente que fica querendo um torque em baixa de um 2-litros de um motorzinho de 1,33-litro. Desencana de escutar essas bobagens. O carro tem um motor excelente para a cilindrada.

    ResponderExcluir
  27. Yuri,

    Acho melhor que esse sujeito do vídeo use só carro automático. O carro tem 5 marchas e elas existem para serem usadas.
    O meu vídeo foi feito numa serrinha íngrime mesmo, entre Boissucanga e Maresias. Quem conhece a serra sabe que ela é forte e pelo vídeo dá pra ver que ele subia rapidinho.
    O motor é valente, sim.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo das 13:33

    A informação que passei foi a que oficialmente recebi da JAC.
    Você tem razão, esqueci de algumas coisas importantes.
    Aqui vão:
    Direção com peso certo. Não é muito levinha, não. Pessoalmente prefiro ainda mais um pouco pesada, mas do jeito que está fica aceitável e é isso que o consumidor quer. Na verdade, querem ainda mais leve, tipo solta, como se virasse em falso.
    O pedal do freio é ótimo. Não é toca-estanca, não. Tem peso e dá pra dosar com tranquilidade. Gostei muito disso.
    Sobre fading: desci a Imigrantes inteira só no freio justamente para ser chato e experimentar mesmo, e o freio não mudou nada.
    Na verdade, por ser chinês, fui mais rigoroso e chato procurando coisas, e o que achei falei.
    Pode tocar forte que ele não tem vícios, não apresenta surpresas desagradáveis. Seria muito melhor se tivesse a suspensão na altura para que foi projetada, como falei no texto.

    ResponderExcluir
  29. Ewerton,

    Porque na China se o funcionário público rouba leva um balaço na nuca e a família do cara ainda tem que pagar pela bala.
    Essa é uma das razões.
    Lá é como se fosse uma economia de guerra, só que econômica. Aquele povo passou muita fome e privações que o nosso nem imagina, graças a Deus. E outra: a China forma 100 vezes mais engenheiros que o Brasil forma. 100 vezes mesmo... Levaram a educação a sério.

    ResponderExcluir
  30. Uber,

    Como disse o Pedro, há outras boas opções no mercado a esse preço, mas daí a dizer que o carro é ruim, é engano ou mentira.
    Pode sentar e mandar a lenha que o bichinho é valente.

    ResponderExcluir
  31. Fiz um test-drive em um J3 e no pouco que pude rodar com ele achei um carro honesto. Tem alguns poucos detalhes, como os instrumentos do painel que parecem mostrador de rádio daqueles baratos, mas me pareceu um carro razoavelmente sólido, e o motor esperto. Só não está como opção de compra para mim porque quero um automático (que infelizmente está difícil de achar).

    ResponderExcluir
  32. Testei o J3 tambem, achei bem honesto, melhor que um Gol novo.
    Quero ver os carros chineses daqui a uns 10 anos, se a concorrência não se mexer eles vão dominar tudo!

    ResponderExcluir
  33. Eurico Neves Jr.30/07/11 18:29

    Já se fala em fábrica no Brasil:

    http://carros.ig.com.br/noticias/jac+motores+pode+anunciar+fabrica+no+brasil/3383.html

    ResponderExcluir
  34. Testei o carrinho, achei muito adequado, bem equipado e com bom comportamento. O que não gostei foi ter de fazer revisões a cada 5000Km, com a primeira aos 2500.

    ResponderExcluir
  35. jackie chan30/07/11 20:25

    Eu nao duvido que carros coreanos e chineses sejam até bons, decentes, mas me recuso a comprar produtos de quem não investe em pesquisa e desenvolvimento. Só fabricar não basta, uma marca de verdade tem que inovar, avançar. E a Hyundai/Kia (e muito menos os chineses) nunca inovaram em nada. Apenas reproduzem o que os outros introduziram.

    ResponderExcluir
  36. Para um hatch tá legal, mas pelo preço do J3 Turim eu prefiro pagar um pouquinho mais e levar o cavernoso Tiida Sedan, até pelo motor maior e pelo câmbio com 6ª de economia.

    ResponderExcluir
  37. AK, obrigado de novo!
    Agora que vi um pouco do vídeo, pois minha conexão está péssima hoje.
    Gostei do ronco!
    Mas vou esperar o J2 que é menor, mais leve e dizem que virá com o mesmo motor. Se for verdade, vai ser um foguetinho!

    ResponderExcluir
  38. Pedro de Albuquerque30/07/11 20:48

    Eu lembro deste vídeo que o Yuri postou, só podia ser do Notícias Automotivas aquela "galerinha apaixonada pelas novidades do mercado". Se eles veem um Palio com um friso diferente já vira discussão de 200 comentários, hahaha. Perdem tanto tempo discutindo bobagens que não se aperfeiçoam no dirigir.

    E o teste dos 100 dias? Jeeeeesuis! Foi um festival de bobagens de dar dó.

    E a "galera" de "avaliadores" é do tipo "faról de neblina pra dar visual esportivo". Segui as pérolas:

    "Mas ruins estão as luzes de neblina do nosso JAC. Seus fachos estão desregulados para o alto ao invés de estarem próximos do chão e a luz emitida pelas lâmpadas são muito forte, ao ponto de ofuscarem os motoristas que trafegam no sentido contrário"

    "Seja dia ou noite, costumo rodar com a lanterna e os faróis de neblina acesos. Agora à noite, ao inserir a chave no contato, os faróis auxiliares simplesmente se acenderam sem que eu acionasse o comando das luzes, e as portas se travaram. Fiquei surpreso, não com a trava (já conhecia o procedimento), mas com o acendimento automático da lanterna e dos faróis de neblina."

    E - em homenagem ao Bob Sharp - uma imagem do J3 dos 100 Dias com faról de neblina num TÚNEL.

    Agora me deem licença que foi tomar meu copo de veneno...

    ResponderExcluir
  39. Pedro de Albuquerque30/07/11 20:55

    Lembrei de outra coisa vendo o vídeo do NA, acho que ele não sabe que potência é carga mais rpm. Só eleva rpm com pé na casca do acelerador e aí vem com essa de que o carro não anda??

    Agora sim, vou tomar um duplo de veneno!

    ResponderExcluir
  40. Arnaldo, talvez sobre esse lance de o J3 sofrer para subir ladeira, pode haver uma coisa que o fabricante esteja pecando e que poderia ser refeita: a curva de torque. Em seu vídeo, vi que você falou que o carro "desperta" às 3.800 rpm e aqui fica-me a dúvida sobre se o J3 é tão "morto" quanto seria um Fiesta 1.4 16v em baixas rotações.
    E aqui que entra um detalhe: talvez a JAC pudesse ter usado a presença de variador no comando de válvulas para usar essa característica para planificar a curva de torque. E, como bem sabemos, dá para planificar bem uma curva de torque mesmo sem variador (Civics de sétima geração na versão básica, e portanto sem VTEC, tinham 80% de seu torque máximo).

    Com isso, o fabricante conseguiria agradar mais a dois mundos, tanto daquele que quer ter uma boa força em baixa (característica que também agrada a qualquer autoentusiasta) quanto aqueles que exploram as rotações mais altas.
    Fora que em uma estrada, um multiválvulas com curva de torque bem planejada e planificada também agrada ao exigir menos redução de marcha, uma vez que em baixa vai haver uma boa reserva de fôlego e o carro vai ficar em uma situação em que pega a parte ascendente da curva de torque, facilitando a manutenção da velocidade. Portanto, fica uma pilotagem mais agradável no seu geral.
    Não sei que padrão de pilotagem você adotou durante toda a viagem. Não saberei se andou pisado o tempo todo como fez no vídeo, mas estou aqui imaginando um uso médio.

    Talvez a tal falta de força em baixas e especialmente em ladeiras da qual se falou aqui manifeste-se especialmente na cidade, em que naturalmente não há uma pista tão longa quanto a de uma estrada e obviamente anda-se mais na estilingada. E é uma situação que não podemos desprezar de maneira alguma.
    Também me preocupo em relação ao escalonamento das marchas do J3. Você sabe melhor que eu se elas estão bem escalonadas ou se fica algum "buraco" ou "sobreposição" que prejudique a condução do veículo e em relação aos quais o motorista não tem muito o que fazer. Enfim, estou aqui especulando sobre o que pode acontecer para que as pessoas não reclamem de falta de força em um Fit 1.4, mas alguns estejam reclamando do J3, e isso porque estamos falando de dois carros de faixa de cilindrada próxima e imaginando que o J3 seja até mais leve que o Hondinha.

    ResponderExcluir
  41. Eurico Neves Jr.
    Ontem (sexta) a JAC Motors convocou a imprensa para uma coletiva na segunda às 15 horas. Pode ser que anunciem isso, fábrica aqui.

    ResponderExcluir
  42. Diego Maciel Debesaitys31/07/11 00:08

    Bela avaliação Arnaldo.

    Não dirigi o carro ainda, mas o conheci na Expoclassic deste ano e gostei. O interior, apesar de preto, é bem mais agradável que o dos carros da Chery e, principalmente, Effa (apesar da diferença de categoria e preço). Os bancos são como o Bob falou: ocidentais. Diferente dos outros chineses, que têm os bancos duros.

    Sobre o braço da suspensão, ficou bem parecido com o do novo Uno Way, que também é muito inclinado.

    Quanto ao avaliador do NA não conseguir arrancar o carro na lomba, acho que ele deve aprender a dirigir melhor. Aprender à extrair potência de um motor. Ou, como o Arnaldo sugeriu, andar apenas com carro automático.

    ResponderExcluir
  43. O NA não me agrada. As avaliações daqui são muito melhores, na minha opinião, pois são feitas por gente que entende realmente do assunto. Ótimo texto e vídeo.

    ResponderExcluir
  44. Anônimo 30/7 18:31
    Primeira revisão 2.500, demais 10.000 km. A troca de óleo é que é a cada 5.000 km.

    ResponderExcluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. AK,
    Boa e completa avaliação, parabéns.
    Essa questão da elevação excessiva da suspensão foi realmente uma pena. O Ford Ka atual, ao que me parece, também sofreu esse abuso, pois nem se precisa abaixar para ver o braço da suspensão dianteira em posição bastante inclinada; medida tomada talvez para livrar o carro dos nefastos quebra-molas que raspavam com facilidade sob o modelo anterior.

    Só achei intrigante essa questão do fabricante atrelar o projeto de estilo à Pininfarina, sem que haja uma informação comprobatória a ser dada ao consumidor, além desses boatos que correm por aí.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  47. Assisti uns poucos minutos do vídeo do Notícias Automotivas (que já acompanhei por um tempo, mas desisti de ver tanto dramalhão que eles fazem por lá) e já desisti: quem não consegue sair numa subida sem deixar o carro descer não pode ser chamado de avaliador, mas de motorista regular, daqueles que puxam freio de mão em qualquer coisinha que pareça uma subida.

    Ainda mais quando o tal motorista pega uns carrinhos mais potentes (e automáticos) por uns dias e espera que o restante responda da mesma maneira ao pé "treinado" dele.

    Patético, é o que acho do vídeo que ele fez.

    ResponderExcluir
  48. Alexandre - BH -31/07/11 01:50

    Ok, tudo muito bom. Mas, se eu fosse comprar o J3, só assinaria o cheque com a condição de antes ver os resultados dos testes de colisão. Essa é a hora da verdade dos carros chineses.

    ResponderExcluir
  49. Os elogios acabam até os 216 km, quando a bucha da bandeja da suspensão estourar...

    http://quatrorodas.abril.com.br/blogs/longaduracao/2011/06/15/suspense-na-estreia

    ...e nos 4.405 km, quando os vidros elétricos pararem de funcionar!

    http://quatrorodas.abril.com.br/blogs/longaduracao/2011/07/26/fresta-de-arromba

    ResponderExcluir
  50. Conforme o que o Anônimo das 20:55 disse, o motor não parece responder muito bem. Seja faixa de torque ou câmbio, esperava que o AK pudesse identificar isso. Respeito a avaliação dele e merece crédito.

    O carro tem um estilo agradável. Não é não arrojado, mas é bem equilibrado. Difícil alguém dizer que é horroroso. O carro também tem muitas funcionalidades, coisa que só se acha em carro de 50, 60 mil.

    ResponderExcluir
  51. Ao Pedro de Albuquerque:
    Quando você transcreveu partes do Teste dos 100 Dias, não se esqueceu de nada?
    Por exemplo, vigia que se desintegrou ao ligar o desembaçador? Fusíveis queimando a toda hora? Marcador de combustível que não funciona? Painel trocado?

    ResponderExcluir
  52. AK, gostando ou não, o Noticias Automotivas faz uma crítica relevante.
    O carro tem a rampeabilidade bastante ruim. De 5000RPM cai para 1500RPM quando se tira o pé da embreagem.

    Andar como você andou, acho que qualquer carro anda bem.

    ResponderExcluir
  53. Acho que não faz o menor sentido essa crítica do Notícias Automotivas. Onde já se viu sair com o carro em um aclive sem dar carga adequada no acelerador? Alguém já viu algum carro que nem canta pneu ao sair a 5000 rpm? Naturalmente, ao se acoplar totalmente a embreagem, deve-se pisar mais no acelerador. Se vcs verem outro vídeo do NA, do teste em estrada, que já começa com a aceleração 0-100 km/h, dá pra ver que a 1ª marcha não tem nada de errado.
    Aliás, no aclive em que o avaliador do NA deixa o motor morrer, é algo bem menos íngreme que qualquer rampa que se encontre em São Paulo, por exemplo.


    De qualquer modo, belo post, Arnaldo!

    ResponderExcluir
  54. Todos
    A critica do NA quanto a dificuldade do J3 de arrancar em subidas não procede absolutamente. Contudo, se eu fosse a JAC mudaria os parâmetros dos comandos de válvulas no sentido de tirar um pouco de potência e que seu pico ocorresse em rotação menor, algo como 5.500 rpm, e assim aumentar ainda mais a elasticidade. Uns 5 cv menos, para 103 cv, traria beneficios e a perda de desempenho seria insignificante, além de continuar a ser um motor brilhante. Falei nisso na minha avaliação em 13 de março.

    ResponderExcluir
  55. Basta umas molinhas esportivas e já era.

    Vou procurar saber se elas existem...

    ResponderExcluir
  56. Eu andei alguns bons quilometros nesse carro e achei o comportamento correto. Em curvas muito fechadas notei uma certa tendência a querer sair de traseira, mas nada sério, só se provocar mesmo.

    Gostei também da forração dos bancos, com um veludo muito parecido com os Chevrolet da década de 80, imediatamente me lembrei da forração dos bancos do meu Chevette DL. Os bancos dele, aliás, são um pouco mais estreitos que o normal.

    Não gostei da pintura, achei um pouco fosca demais, percebi alguns desencaixes de parachoques e grade, mas como era carro de frota de imprensa, vai saber.

    Vi também que as luzes de leitura dianteiras não tinham lente fosca, então dá pra ver a lâmpada lá dentro, bobagem.. mas é tosco.

    Mas, principalmente pelo preço, achei o carro correto sim. Concordo com o AK.

    ResponderExcluir
  57. Me lembrei também do seguinte: As alças do teto, os populares "puta merda" são muito pequenos, parece desenhados para mãos chinesas apenas. hehehe.

    Gostei muito também dos engates do câmbio, permitem tocadas esportivas, bem rápidas. Também gostei dos freios, a assistência do ABS dele me surpreendeu, fiz uma frenagem em alta velocidade em asfalto ruim e o carrinho parou em linha reta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem representado o seu exemplo do "puta merda" ( desenhados para mãos chinesas ). rsrs. Boa!

      Excluir
  58. ANônimo das 21:33,

    Olha, não sei quem inventou essa de que o carro não tem força em baixa e não sei porque eu tenho que ficar aqui repetindo o que já escrevi no texto. O carro tem força em baixa, sim, só que acima de 3.800 rpm ele encapeta mais forte. E as marchas estão bem escalonadas, não tem buracos, o carro é bom de guiar tanto devagarinho, que é como costumo andar, ou no pau, que é como ando de vez em quando.
    Desencane dessa bobagem. Não estou aqui pra defender marca alguma. Estou aqui pra defender a verdade.
    Outro leitor disse que os botões do painel parecen botões de rádio de camelô. Sim, parecem meio toscos mesmo.

    ResponderExcluir
  59. AK
    Sempre bom ler a avaliação de alguém descompromissado, mesmo assim, eu passo esse chinês.
    E me permita uma ousadia. Não concordo com a comparação que você faz desse motor com os 1,4l (pelo menos os nacionais, que conheço), pois, para mim, não estão no mesmo pé de igualdade em termos de recursos utilizados. Tirando o motor FIAT do Punto TJet, que está alguns patamares acima, todos os outros ficam abaixo nesse aspecto. Se você enfiar um cabeçote de 16 válvulas, duplo comando, variador de fase e etc... duvido se não dá pra arrancar bem mais que 80 cv/l de qualquer nacional, hoje em dia.

    ResponderExcluir
  60. FVG,

    Se colocar um turbo também.
    O que acontece é que esse já tem esses recursos e os nacionais não têm, daí que acho que é para compará-los, sim.
    Por isso é que é bom que venham carros mais modernos, senão a nossa indústria se acomoda. É a lei do mínimo esforço. E nossa indústria está ganhando o bastante e tem mais é que nos oferecer o que há de melhor, já que duvido que ganhem mais por unidade do que aqui no Brasil.
    E sem essa de ousadia, meu amigo. Sem essa. Manda bala, que aqui não tem ninguém dono da verdade.

    ResponderExcluir
  61. Marcelo Silva01/08/11 16:35

    AK,

    Agora entendo o motivo pelo qual TODOS os J3 que passaram por mim estavam acelerando bem. Sempre tive curiosidade para saber o quanto esse carro anda.

    Excelente matéria.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  62. Arnaldo,

    No vídeo é nítido que você vibrava a cada vez que o horizonte abria para " uma curva de segunda " ...

    Muito bom! Tem que mostrar esssa diversão de bordo , igual o Vrum de 31/07 com o Camanzi,bigodes e tudo, barbarizando com um Camaro.

    ResponderExcluir
  63. Caro AK,
    Minhas expectativas caíram bastante quando a Quatro Rodas tomou um susto ao ver que o pedal de freio simplesmente "dobrou" num teste de frenagem, com o modelo de longa duração que eles adquiriram há pouco tempo.
    Fora isso, a assistencia técnica ainda é muito ruim.
    Sei não, acho que ainda falta certo amadurecimento da marca e produtos.
    abs!
    ps: saudades dessa serrinha aí viu! rs

    ResponderExcluir
  64. Anônimo das 20:15,

    A 4Rodas elegeu o J3 como a melhor escolha entre 35 e 40 mil reais.
    E aí? Falei lá na 4Rodas com quem o testou, o Péricles Malheiros, e ele adorou o carro. Foi ele quem me disse que era econômico barbaridade.
    Se o carro fosse uma bomba xingling as outras fábricas não se dariam ao trabalho de baixar seus preços. Não é meu tipo de carro, porque pra mim basta ar-condicionado, mas devo analisar do modo que outros o fazem, os que gostam desses apetrechos todos aí.

    ResponderExcluir
  65. Pra mim completo significa apenas uma coisa: completo.
    O carro tem que ter todos os opcionais oferecidos para aquele modelo.
    Sendo assim:
    um Fusca pode ser completo, mesmo sem vidro elétrico;
    um Celta pode ser completo, mesmo sem teto solar;
    e uma versão GL nunca poderá ser completa se existir uma GLS, GLX, CD, etc. para o mesmo modelo.
    Ou seja: tem que ter o pacote de opcionais COMPLETO.

    ResponderExcluir
  66. Quero ver as curvas de torque e de potencia.

    ResponderExcluir
  67. Vagner Ornelas15/09/11 13:01

    Todo dia subo o ladeirão do Morumbi, próximo a Paraisópolis e saio na ladeiras sem problemas. O que muda é a altura da embreagem em comparação com os outros carros. Tem muita gente que tem mesmo é dificuldade ! Tanto que vejo outros carros de outras marcas saindo cantando pneu, queimando embreagem e outras barbaridades no mesmo lugar.

    ResponderExcluir
  68. Fiz o test drive, achei o carro excelente. Não tenho medo de dizer que anda mais que um C3 1.4 (minha mulher tem um). O carro era na verdade para minha mãe, ela adorou. Como é um carro chinês, é inevitável ficar com a pulga atrás da orelha, mesmo assim, não tive coragem de falar para minha mãe NÃO comprar.
    Achei uma ótima compra...

    Esses dias vi aquele vídeo do NA. Acho meio complicado levar em consideração o que foi mostrado.., Queria ver ele arrancar em uma subida com qualquer outro carro 1.4 sem ter q subir o giro do motor.

    Uma coisa que me tira do sério são espertões que desqualificam o produto apenas pro ser chinês. Esquecem que os carros das 4 grandes são montados utilizando componentes de diversas marcas fabricados em diversos lugares, inclusive da China..

    Parabéns pela avaliação

    ResponderExcluir
  69. MELHOR SITE DE VENDAS http://www.mercadozets.com.br/

    VENDE DE TUDO

    CARRINHO EM ALUMINIO
    ...
    http://www.mercadozets.com.br/ListaProdutos.asp?texto=carrinho+em+aluminio&IDCategoria=110

    BEBÊ INFANTIL
    http://www.mercadozets.com.br/ListaProdutos.asp?idCategoria=110

    VENDE DE TUDO TEM BERÇO ELETRONICOS CELULARES TV NOTEBOOK COMPUTADOR ACESSORIOS PARA CARROS BRINQUEDOS ARTIGOS INFANTIS E MUITO MAIS

    ResponderExcluir
  70. Gosto muito desse blog, principalmente pela imparcialidade que os redatores tem.. Uma especia de profissionalismo. RARO. Ontem fui em uma concessionário da Jac, na Consolação - Sp. Havia um coquetel acontecendo para promover o J5, e lá vi os carros, observei alguns detalhes, só n tirei o carro de lá para dar uma volta pq foi algo bem descompromissado. N pretendo comprar agora. Mas aprovo, apesar do pouco tempo de mercado, é compensador um carro completo agindo no mercado agora. O J5? ABsolutamente lindo. Não conheço o motor ainda, mas logo colocarei para funcionar em um test por bem prazer. Vamos ver...

    André.

    ResponderExcluir
  71. Aqui em casa temos um J3 Turin que de cara ganhou estrada entre Minas e São Paulo e não deixou nada a desejar... O bichinho fez várias dessas viagens sem pedir arrego... deu conta do recado direitinho, na estrada e nas ruas... Depois veio de Minas pra Bahia sem reclamar e, não bastasse isso, fez Bahia-São Paulo (ida e volta!) com valentia. As revisões são baratas se comparadas com as outras marcas e a assistência da Jac fantástica... E, sinceramente... Depois de 5 anos poder vender um carro com um ano de garantia ainda deve pesar de forma positiva no valor da revenda, especialmente se a Jac continuar com a seriedade que tem tido em resolver os problemas que têm surgido... Gostamos tanto do carro que ontem compramos o nosso segundo... agora um J3 Hatch!

    ResponderExcluir
  72. não sei se esta certo os valores mais pra galera que quer saber a curva de torque e potencia vai nesse link http://bestcars.uol.com.br/comp4/fiat-uno-sporting-jac-j3-6.htm

    ResponderExcluir
  73. não sei se os valores de torque e potencia estão certos neste site(http://bestcars.uol.com.br/comp4/fiat-uno-sporting-jac-j3-6.htm) mais se estiverem o j3 a 1300,1400 rpm já tem cerca de 10 de torque e 23,24 de potencia...

    ResponderExcluir
  74. Pessoal tenho um j3 2012 com 30 mil km já. O carro não apresentou nenhum problema sequer. Carro muito bom na estrada e na cidade. Na estrada então nem se fala ele anda muitooo. E aqueles que dizem que na subida é ruim é pq não possuem um. Adoro ultrapassar com ele na subida ele simplesmente puxa muito se baixar uma quarta a 90 km. Costumo ir muito para a serra aqui do sul e não me arrependo da compra. o único problema o carro é que passando de 100 o barulho do motor se torna muito alto por falta de vedação acústica adequada. Costumo pisar muito. 140, 150 e isso incomoda em viagens longas

    ResponderExcluir
  75. A css aqui de Porto Alegre possui um atendimento ótimo. Nunca fui tão bem tratado em uma CSS. O carro é muito bom. A segunda marcha dá pra esticar até 70km tranquilamente. No pedágio deixo todos para tráz. O carro anda muito chegando Nas ultrapassagens ele é ótimo. Se você baixar uma 4 marcha então nem e fala, ele dispara. Aliás a quarta é ótimo dá para esticar muito ela sem passar de 5 mil giros. Meu carro está com 30 mil km e até agra não troquei nada. Coloquei roda 17 sem perder a garantia. Ficou lindo

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...