Google+

29 de julho de 2011

SOBREVIVENDO AO "INFERNO VERDE"



Nürburgring, Nordschleife. A pista mais desafiadora do mundo com pouco mais de vinte e dois quilômetros de asfalto, grama e guard-rails que guardam inúmeras histórias de sucesso e tristeza. É considerado um dos lugares sagrados da velocidade, e apelidado carinhosamento de Inferno Verde.

Vi este vídeo abaixo que me chamou muito a atenção. O senhor Andreas Gülden é instrutor de pilotagem em Nürburgring, e filmou uma volta própria a bordo de um fórmula da escola, em condições muito adversas. A pista estava completamente molhada, e o carro é bem potente, a ponto de destracionar em alta velocidade na reta. A filmagem mostra a incrível habilidade de Andreas em controlar o carro, pilotando sempre no limite e as vezes acima dele. É de tirar o chapéu.






Reparem como o carro responde rápido aos comandos tanto de acelerador como de volante, mesmo com o piso molhado. Com o aumento da velocidade, o downforce começa a atuar mais e o carro fica mais estável, mas mesmo assim ainda é difícil de controlar. Em algumas curvas de alta velocidade o piloto precisa fazer o movimento de correção.

Lembrei logo em seguida do famoso vídeo do lendário RUF CTR Yellowbird, um Porsche 911 1987 preparado pela empresa RUF, na época um dos carros mais rápidos do mundo. Com o motor boxer de 3,4-litros biturbo com 475 cv, o carro é do tempo em que não se contava com controle de tração, ABS, nem mesmo uma caixa sequencial. Era tudo no braço.





Este vídeo mostra a destreza do piloto Stefan Roser (até onde pude confirmar, piloto de testes da RUF) ao longo do traçado em meio à Floresta Negra. Pela caracterísca natural dos 911, o motor traseiro deixa o carro arisco em alta velocidade, e o piloto precisa trabalhar duro para manter o carro sob controle, especialmente com potência elevada. O motor traseiro dos 911 gera esta característica por conta da inércia gerada pela massa na extremidade do carro, que atua como um pêndulo, mas ao longo da evolução do carro, esta característica foi "domada".

Outro video que vale a pena ver é o do Porsche 956 Grupo C, pilotado por Derek Bell durante os treinos em meados dos anos 80. Não é possível ver o trabalho do piloto como nos outros, mas pela velocidade do carro e a precisão da pilotagem, é possível ver a dificuldade que era guiar um monsto desses. Novamente, no braço, sem muletas eletrônicas.





No caso do 956, um carro da divisão dos esporte-protótipos dos anos 80, o motor é central e o perfil da carroceria gerava uma quantidade surpreendente de downforce, que aliado com os gigantescos pneus slick, permitiam que o carro contornasse as curvas em velocidades muito superiores aos fórmulas, inclusive sendo o recordista absoluto do circuito, muitos segundos mais rápido que um F-1. Ainda assim, o carro destracionava, pois os 800 cv do motor sem controle de tração eram despejados nas rodas traseiras sem dó.

Apenas algumas filmagens muito interessantes sobre este incrível circuito, mas que nos fazem pensar o que um bom piloto é capaz de fazer com um carro, independente das condições.

MB

33 comentários:

  1. "Inferno Verde" acho legal esta designação....inferno verde mesmo é a BR-364 Cuiabá/Porto Velho, Inferno Verde é a nova estrada que liga Porto Velho á Lima no Peru...esta aí na Alemanha é Céu Verde.

    ResponderExcluir
  2. Se não eu não estiver enganado, Stefan Bellof ainda detem o recorde de volta no antigo traçado... façanha esta, conseguida abordo dos antigos ''canhões'' do Grupo C Porsche 956.

    Outro Grande mestre do Inferno Verde é Walter Röhrl vale lembrar aqui... rs

    Henrique

    ResponderExcluir
  3. Deveria ter dito que viu esse vídeo ontem no Jalopnik.

    ResponderExcluir
  4. Francisco, deram o apelido por causa do perigo que é esse circuito. Foram muitos acidentes graves e fatais ao longo dos anos.
    abs,

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito da visão de dentro do cockpit, gostaria que a F1 tivesse um canal mostrando somente a visão do piloto durante toda a corrida.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo 9:54

    Recebi por email este video no começo da semana, e depois vi que estava no Autoblog ontem. Não vejo o Jalopnik.

    ResponderExcluir
  7. Perguntas totalmente Offtopic...
    ( mas quando o assunto é pilotagem elas aparecem na minha cabeça..)
    Frenagem com o pé-esquerdo ( left-foot-braking ), quando este procedimento pode ser usado?.. Existem diferenças em sua aplicação e no comportamento do veículo tendo em vista os diferentes tipos de tração? ( dianteira-traseira-integral ). Quais são os sinais táteis que nós condutores sentimos quando um veículo apresenta a perda de pressão dos pneus traseiros, e os problemas no sistema de suspensão? ( com o avanço da técnologia e das preparações do sistema, parace-me que algumas destas sensações foram esterelizadas daí a dificuldade de interpretar as reações dos carros atualmente ) Rigidez Estrutural, como identificamos seus efeitos na direção?.. Transferência de Peso, como podemos ''equalizar'' os efeitos na hora de conduzir?

    Desculpe pelas perguntas! Mas sou grato pelas respostas!

    Henrique

    ResponderExcluir
  8. Muito bom!
    Aliás, alguém aqui no blog já teve a oportunidade de ver esta pista de perto? De andar nela?

    ResponderExcluir
  9. Milton, em 1970 o Barão já transmitia provas de formula Um pela Radio Panamericana, a volta no 'INFERNO VERDE" demorava 11 minutos...fiz somente uma brincadeira de comparação...esta floresta aí não tem nada que se iguale a qualquer floresta tropical pelo mundo...

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante, têm algumas looonngas contra ordens no volante do fórmula escola em curvas que não são exatamente de baixa.

    Ele sai da curva em alta - pé no porão - e o volante virado para o lado contrário por um tempo apreciável....épico, simplesmente genial!

    É o tipo de pilotagem, no fio da navalha, brincando com a aderência, que povoa os sonhos de qualquer entusiasta.

    Mas acho que no caso do RUF, existiu um pouco de malabarismo de propósito para valorizar o vídeo, o piloto e o carro. Creio que dá para ser mais rápido se adotar uma condução mais linear. Mas a demonstração de habilidade foi tremenda...parece aqueles videogames em que a gente atira o carro na curva e vai corrigindo com pé e volante (no game é fácil).


    No velho ring, acho que eu acharia fantástico até percorrer - e ficar sem folêgo - de bicicleta.

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  11. Curti muito essa volta na pista e me pareceu tb que ele não estava muito preocupado com tempo, fazia o carro escorregar deliberadamente, talvez testando algum componente como pneus que me pareceram não muito novos(dá pra ver quando ele para).
    Valeu Milton, sds!

    ResponderExcluir
  12. Milton Belli e todos
    Viram que punta-taccos perfeitos? É uma aula! Outra coisa, troca de marchas pela alavanca, e pelo jeito em "H", nada de borboletas. Dá para guiar perfeitamente mesmo no limite. E cara guia mesmo! Correções precisas e sem excesso de correção, magnífico! Belo vídeo mesmo.

    ResponderExcluir
  13. Detalhe para o Godzilla Safety car que aparece o final do vídeo, parado.

    ResponderExcluir
  14. Henrique
    Respondo pelo autor do post.
    Sua curiosidade é mais do que bem-vinda e saudável, mas responder a tudo o que você pede requer um post específico, pelo tamanho da resposta. Será feito, aguarde.

    ResponderExcluir
  15. Esses videos são uma aula mesmo! No último dia 10 tive a oportunidade de realizar o grande sonho da minha vida: dirigir no inferno verde. Pena que estava chovendo, mas mesmo assim foi inesquecível, aquele lugar é magico. Só de estar lá já vale muito a pena ir. Aluguei um BMW M3 e92, e me diverti muito lá. O cambio borboleta é legal, mas ainda prefiro a boa e velha alavanca e o pedal da esquerda. Esse foi o melhor presente de aniversário da minha vida!

    ResponderExcluir
  16. Espantoso a tamanha habilidade e coragem do piloto Andreas Gülden em pilotar daquela forma com a pista toda molhada e num circuito com tantas oscilações.
    Qualquer erro naquelas condições seria batida na certa...é de tirar o chapéu com certeza para os pilotos que guiam no braço!

    É lindo de se ver e ouvir o carro deslizando nas curvas nas rotações lá em cima!

    ResponderExcluir
  17. Se não me engano, na formula Indy também trocava-se as marchas pela alavanca como no carro que Gülden guiou no vídeo, ao invés no volante como é na F1...

    ResponderExcluir
  18. Pergunta:
    E dos automóveis de produção normal, qual é o mais rápido nesta pista?
    Azis.

    ResponderExcluir
  19. Azis, o recorde atual é do Zonda R (6.47) mas ele não é homologado para andar na rua. Neste caso, o recorde seria do Corvette ZR1 (7.19) com pneus originais. O Porsche GT2RS fez 7.18, mas com pneus slick de corrida, logo não conta como carro de produção.

    O record absoluto é do Porsche 956 (6.11).

    ResponderExcluir
  20. Anonimo, Indy usava mesmo alavanca para troca de marcha, mesmo sendo sequencial. Recentemente que adotaram as borboletas no volante. Uma pena.

    ResponderExcluir
  21. Mas que belo post MB, valeu!

    Eu diria que a pilotagem do "Maestro" no primeiro video é de tirar o fôlego, mostrei pro pessoal aqui no trabalho, até quem não é autoentusiasta assiste sem piscar os olhos... rsrsrs

    Meu sonho também é pilotar no Green Hell, que inveja do Fabio Lins... Inveja mesmo! Sem essa baboseira de inveja no bom sentido... Diga ae meu camarada! Fale mais sobre a sua experiência, sem problemas pra por um carro alugado no circuito? Será que é possível fazer isso em Interlagos? Eu e meu cunhado estávamos pensando nesta possibilidade... hehehe

    Abs

    Bob, estou ansioso por mais um post com dicas de pilotagem. Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  22. Esse é o comportamento do porsche?
    Até onde eu sabia é raro o porsche "pendular", que o maior problema deles com alta potencia é justamente aquilo que vemos claramente no fusca... Aquela "afundada" na traseira quando acelera, deixando a frente leve.
    Com pouca aderencia e em altas velocidades isso é perigoso. simplesmente vai em linha reta.

    ResponderExcluir
  23. Bob,

    Também estou aguardando postagens com técnicas de pilotagem, se puder indicar literaturas que abordem o assunto.

    ResponderExcluir
  24. anonimo das 17:37

    Pega um 911 de 30 anos,vai pra pista e terás uma verdadeira revelação...

    Os "braços" de antigamente acham os Porsche de hoje meio "frutinha" em relação aos antigos,pq. eles não mordem a bunda do piloto,veja só...

    boa tocada...

    ResponderExcluir
  25. Vou pedir licença ao Bob e fazer um pouco de publicidade do blog do saloma (link ao lado na lista, role a pg está lá pra baixo), aproveitando o gancho do aniversariante Fabio Lins aí de cima.
    Já que vc matou a bicha andando num paraíso que mexe com a maioria dos que aqui vem, conte mais dessa experiencia, como fez o Toni Seabra do RJ (amigão e profundo conhecedor) que fez quase o mesmo, só que em Maranello e SantAgatha, brincando por 4 dias com Ferraris e Lamborghines e contando qto custou, deu dicas a qualquer um que queira fazer algo parecido. Muito didático, mesmo descontando a natural empolgação. Eu mesmo, não vejo a hora de poder dar uma passeada nesses 22 km de sonho. Mas quero saber, antes, o tamanho do bolso pra não ficar só na vontade...

    Quanto ao video do inicio, recebi ontem e assisti 3 x em seguida, tela grande e o que tinha de som possível... Chão molhadaço, sai de frente, sai de traseira, destraciona na reta, pé no porão o tempo todo, um BAITA bota... e trocando marcha na mão e não no dedinho... tem coisa melhor?

    ResponderExcluir
  26. É muito bonito ver corrida na chuva, aliás eu adoro clima de chuva... Quando a chuva quebra uma longa estiagem de madrugada, eu levanto e vou dar uma volta na chuva no quintal. Mas pelo lado da pilotagem é um pé no saco. Exige muito mais paciência do que qualquer outra coisa. Vendo o vídeo do fórmula, vá ser paciente assim lá no inferno verde!!!

    E sobre o Inferno Verde, a melhor coisa para quem assiste uma corrida lá é escutar o ronco dos motores. Como a pista é longa, atravessa diversos morros e no meio da floresta, não há poluição sonora dos outros carros na pista. Se escuta o ronco puro e nada mais. Nürburgring é uma casa de ópera!

    ResponderExcluir
  27. Chevette 76
    Um amigo me presentou com o livro "Spors Car and Competition Driving", do mestre Paul Frère. Tem na Amazon.com e custa apenas US$ 12,95. Acabei de confirmar antes de responder o seu comentário. Vale a pena.

    ResponderExcluir
  28. Obrigado Bob! E aguardo pelas postagens técnicas de sua autoria!( mesmo que tenha lhe lançado inúmeras perguntas, mas agradeço pela boa vontade em me atender! ) Como sempre, é uma aula que muito se aprende, e o conhecimento se amplia.

    Valeu Bob!

    Henrique

    ResponderExcluir
  29. Vi esse vídeo no Jalopink BR, mas os demais eu não tinha visto ainda.

    Esse é um circuito que todo entusiasta gostaria de pilotar (eu já me considero satisfeito em andar apenas no jogo Gran Turismo 4, para o console Sony PlayStation II, pois se no jogo é bem dificil, imagina o traçado de verdade ?!?!?)

    Abraços
    Kiko Molinari - http://carrosrarosbr.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Essa pilotagem do instrutor na chuva é simplesmente genial. Sou louco por este circuito e tenho certeza que um dia ainda andarei lá (para quem não sabe fica abetrto ao público vários dias no ano).
    O cara é muito corajoso de dirigir lá daquele jeito na chuva.

    O vídeo do RUF é um SHOW. Imagina isso em HD?

    ResponderExcluir
  31. Bom, lá é um paraíso dos entusiastas. Como disseram acima, o ronco dos motores no meio da floresta é de arrepiar. Decidi ir pra Europa em junho desse ano junto com a esposa, e já inclui no roteiro a Alemanha pensando em ir pra Nurburgring. Como era um grande sonho, sempre pesquisei onde alugar carros e quais carros tinham para alugar, e optei pela rsrnurburg.com onde comprei um pacote de road tour para conhecer a história da pista e o instrutor tbm explica tangência de algumas curvas de Nordschleife, vira um bate papo. Nesse tour eu já fui com a M3 para ir conhecendo o carro, e depois do tour fui dei as 4 voltas na pista. No site deles tem os valores do pacote, não é barato, mas na minha opinião valeu muito a pena. Tive o azar de na hora de correr estar chovendo, mas foi maravilhoso. Na segunda volta só estava eu e mais um carro na pista, totalmente vazia! Fui embora já imaginando quando iria retornar para aquele paraíso.

    ResponderExcluir
  32. A diferença de tempo do Porsche 956 para os F1 não se da somente por desenpenho, mas também pela distância.

    O Niki Lauda fez o tempo de 6:58.6 em 1975 de F1 na pista de 22,835 km qua não é mais usada.

    Stefan Bellof fez o tempo de 6:11.13 de Porsche 956 em 1984 na pista de 20.8 km.

    ResponderExcluir
  33. Eu ainda vou dirigir um 911 RS nessa pista...

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...