30 de agosto de 2011

CARRO VELHO E SEM SEGURO: UM SONHO



Vocês já se imaginaram ficar sem pagar seguro de carro? Quanto dinheiro cada um de nós gasta pagando essa parcela de nossos recebidos, a companhias de seguro?

Um professor de estatística disse para a classe, na faculdade onde estudei, que o melhor negócio do mundo era uma empresa de petróleo, o segundo melhor era uma empresa de petróleo mal administrada, e o terceiro era uma empresa de seguros.

Seguradoras trabalham com estatísticas. Por isso meu professor disse essa frase com propriedade. Ele trabalhava também com consultoria a essas empresas.


Se você tem um carro cujo modelo é um dos preferidos dos ladrões, saiba que mesmo que você comprou o carro para ele ficar de bibelô de garagem, vais pagar pelos que rodam o dia todo. O valor pode variar um pouco, e até varia razoavelmente, de acordo com o perfil do usuário, mas mesmo assim, estão ganhando também nas costas dos mais cuidadosos e que sofrem menos riscos. As seguradoras ganham sempre, e muito.

Agora, eu como um cidadão padrão que sou, já pensei sim em ficar sem pagar seguro para ver o que acontece. Comprar um carro bem barato, feio, daqueles que ninguém gosta, e usá-lo como eu preciso, que é todos os dias.

Mas não consegui. Troquei de carro recentemente, comprei outro usado, agora só com 3 anos, e procurei novamente um carro em ótimo estado, como sempre faço.

Infelizmente, me falta coragem de comprar um carro como eu acho que deva ser, pelo principal motivo que minha família também vai andar nele, e não se brinca com integridade e segurança da família.

Se fosse apenas para EU usar, seria sim aquele velhinho, podrinho e amassado, com peças da lataria de cores diferentes, compradas em desmanches. Aquele carro maravilhosamente indesejado por ladrões,  flanelinhas e vendedores de semáforos, já que eu me camuflaria facilmente em um pé-rapado.


Mas vai chegar o dia em que não precisarei mais trabalhar dentro de empresa, com horário de entrada, de almoço e de saída, e poderei ter um carro apenas para deslocamentos eventuais e emergências. Aí sim, me livrarei das seguradoras ao menos com um dos carros de casa.

O segundo carro, enquanto for necessário, terá que continuar sendo um decente, daquele jeito que a maioria aprecia, bem cuidado. E este não pode ficar sem seguro, nessa terra de bandidos. Infelizmente.

JJ

85 comentários:

  1. "nessa terra de bandidos"

    Falou uma grande verdade. E tem gente que acha que nossos políticos vieram de Marte, pois acreditam que o povo brasileiro é honesto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente observação!

      Excluir
  2. Ahahahah! Carro velho tem outra vantagem também: as pessoas respeitam mais você no trânsito! Por exemplo, no outro dia, um Mercedes C tentou fechar meu Fusca (que está impecável mecanicamente, mas ainda feio de lata); eu deixei bem claro que não iria tirar o pé, e o Mercedes obviamente refugou...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho um Escort velhinho e já vivenciei situações parecidas... :)

      No primeiro momento o cara pensa em tu não vai querer bater nele, depois ele dá aquele reflexo de "eu fico na pior fazendo merda" e logo eles desistem.........

      Excluir
  3. Homem-Baile
    Dirigir Fusca é soda... ninguém quer ficar atrás do Fusca. Pode ser o Schumacher dirigindo, ninguém dá vez, ninguém respeita.

    ResponderExcluir
  4. Tenho vontade de comprar uma veraneio diesel descuidada de lata mas boa de mecanica, mataria 2 coelhos. Se bem que se o ladrão souber que é diesel, rouba tambem!!! Tá dificil em SP.

    ResponderExcluir
  5. Sobre o seguro, há algum tempo (2004 ou 2005) li na FSP ou então no Estadão sobre um cara que simplesmente decidiu que não iria gastar 13 mil reais no seguro da MB C200 dele. Em vez disso ele colocaria na poupança e deixaria lá em caso de emergência. Se guardasse 13 mil por ano, em cinco anos (o que é pouco pra um MB) teria dinheiro para cobrir a diferença por um modelo novo.

    Eu não tenho seguro. Já saí do perfil de alto risco (27 anos) e só guardo o carro em estacionamento pago.

    Ah, e acidentes?

    Uso o método TVR (quando questionaram a fábrica inglesa sobre a ausência de airbags nos carros):
    Não bata.

    Nos últimos 5 anos me envolvi em 2 acidentes. No primeiro, meu carro sem seguro foi "arremessado" contra um poste por um maníaco que furou o semáforo. Perda total, o seguro do imbecil pagou. Sorte, claro. Mas só fui atingido por falta de experiência. Depois dessa você passa a ficar mais atento nos cruzamentos, mesmo com a preferencial.

    No segundo, tentei passar entre uma van e o canteiro central, só que a van teve que desviar de um motoboy que tentou cortá-la pela direita. Culpa minha, claro. 250 reais e eu consertei meu carro.

    Quem for realmente disciplinado com sua grana, pode depositar em uma poupança a quantia do seguro para ter algum recurso caso algo aconteça. Se acontecer o pior, bem, é um risco. Mas se não acontecer, ao menos o dinheiro ainda é seu.

    Além disso, se a vida não for uma aventura, ela não é nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo amigo!!!
      Também não uso seguro e me recuso á tal prática, mesmo me havendo recursos para tal!
      Concordo plenamente contigo sobre acidentes (a frase da TVR, já a dizia aos meus amigos e conhecidos mesmo sem saber que fora proferida por tão "honrosa" autoridade automobilística!).

      Pois então que, faço minhas as suas palavras! É isso aí!

      Excluir
    2. Se a TVR tivesse seguro, talvez ainda produzisse carros....

      Excluir
    3. hahahahaha boa!!! O treta é ter que tomar cuidado com esses maníacos que furam o sinal, dirigem como doidos e não respeitam nada nem ninguem.

      Excluir
    4. Sobre a TVR, bem, é uma lástima que uma das duas últimas fabricantes de carros com alma e com vontade própria, tenha ido pro buraco. Agora só restou a Lotus.

      Excluir
  6. Também tenho vontade de fazer isso: Pegar um carro que não seja visado por ladrões (um bom exemplo disso é a maioria dos importados dos anos 90), e daí fazer um seguro somente contra terceiros (esse considero indispensável).

    Só não tive coragem ainda porque estou com classe 9 de bônus, e se eu parasse de fazer o seguro compreensivo eu ia ter que começar do zero quando fosse fazê-lo de novo... Enfim, a gente acaba ficando meio refém desse esquema.

    ResponderExcluir
  7. Meu pai faz EXATAMENTE isso que você citou, JJ.
    Um Lada Niva, com a lataria mostrando os sinais de 20 anos de apenas bons cuidados (sem reparações) e mecânica bem cuidada.
    Ele não tem seguro, paga apenas R$120 de IPVA sendo que esse ano não pagará mais...

    Dependendo do caso, é um bom negócio. Onde ele trabalha, pode deixar na rua tranquilamente, porque há vagas.
    Mas já fiz as contas que a economia de seguro + IPVA é engolida pela manutenção mais frequente e pelo alto consumo de gasolina frente a um Mille Flex. Portanto, sobra-lhe a vantagem de parar onde quiser, sem se preocupar em achar um estacionamento.

    Nem sempre compensa. É ténue a linha entre valer ou não a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende o modelo e o que é uma manutenção mais frequente.... eu tive um Ford ka 2009 com seguro e o ipva era bem caro também. Tive que trocar por consequencia do destino, mas no fim das contas acredito ter feito um dos melhores negocios que poderia pois ando hoje com um verona 92 CHT que não me apresenta defeitos e sim manutenção preventiva igualmente a do ka, como disco de freios, óleo, filtros e etc, nada demais, no máximo um cabo de acelerador que fica ruim ou algo assim, mas nada caro, se usar realmente os numeros e não uma falsa estatistica, verá que manter um carro mais antigo sem se importar com respeito no transito pq isso é balela de gente que deve ter problemas com o ego e deixa-lo sempre em ordem, não precisará ficar trocando de carro ano após ano, pois isso é jogar dinheiro no lixo... Claro, nada do que eu disse é generalizado...

      Excluir
  8. Muito duro gostar de carro, e não poder ter o que gosta pois o carro é visado ou pelos ladroes de esquina ou "puxadores". Dificílimo ter que andar numa jabiraca velha pela segurança da família, e o sonho ou o prazer de ter algo e sempre em prol da segurança da família. Não concordo em forma alguma isso, isso é um absurdo.

    Sobre o seguro em geral, é exatamente o outro lado do problema, um mau necessário.

    ResponderExcluir
  9. Oi Juvenal Jorge.


    Mesmo um automóvel com risco de roubo baixíssimo, é recomendável ter a cobertura de prejuízos causados à terceiros, afinal, "acidentes podem acontecer", e um acidente que envolva um automóvel de meio milhão de reais que não seja culpado do acidente, ou que seja, mas que em um julgamento errado tornou-se vítima no tal acidente, é bom estar "protegido". Com um histórico de bom motorista o valor deve ficar um tanto contido. É uma pena que todos os motoristas e motociclistas não tenham no mínimo um seguro com a cobertura de prejuízos causados a terceiros, pois algumas vezes já tive o automóvel atingido por trás por motoristas e motociclistas distraídos (que nem ao menos pediram desculpa), e que pelo dano ser pequeno, preferi "deixar pra lá" para evitar maiores transtornos, ainda mais quando percebemos que provavelmente o causador do acidente não irá colaborar para o pagamento das despesas, já que aparentemente ela terá um grande peso no seu orçamento, etc.
    Talvez este tipo de seguro para cobertura de prejuízos causados a terceiros devesse ser atrelado ao condutor e não veículo, pois é este "geralmente" o responsável pelo acidente, e cada condutor pagaria conforme seu histórico e situações de riscos, avaliados pelo "perfil" (idade, freqüência de uso, local predominante de utilização etc - em rodovias geralmente os danos são maiores).

    Sim, as seguradoras sabem bem calcular os riscos (sejam de automóveis, pessoais, de saúde etc)e ganhar dinheiro com eles. Por isto é importante também no momento da compra de um automóvel, quando há dúvida entre a escolha entre alguns modelos e nenhum outro fator ajude a decidir, colocar o valor do seguro como fator de decisão (como também os valores médios de manutenção do automóvel), pois é um tipo de despesa que pode ser bastante relevante quando do somatório desta ao longo do uso (posse) do veículo, e pode variar bastante entre diversos modelos de automóveis (tipo/proposta do automóvel; índice de roubo na região de utilização do automóvel; custo de reparo em caso de colisão, etc).

    Contra roubo/furto, um sistema de monitoramento remoto "sem mensalidades" (exceto do número de telefone móvel), com função de imobilização do veículo comandada remotamente e localização por coordenadas geográficas através de GPS obtem-se bom resultado. Existem produtos com este tipo de função por menos de quinhentos reais, e pode o proprietário do veículo comandar remotamente o sistema (de local seguro), imobilizar o veículo, e repassar a localização para a polícia para ter a posse do seu bem reestabelecida. Claro, o sistema pode ser burlado, mas raro o sistema que não o é. Vamos nós contarmos com as estatísticas à nosso favor, pois não são muitos a saberem burlar tais sistemas. Conforme aprendem, a tecnologia dá um passo adiante (a eterna briga da qual os fabricantes obtém o lucro).

    Abraço.

    Allan Welson.

    ResponderExcluir
  10. É ilusão imaginar que carros velhinhos ou mal cuidados não são visados. Principalmente se forem das linhas mais populares como gol, fusca, fiat, kombi, corcel. Eles lideram os rankings. E tem o agravante que qualquer "mixa" põe o carro para funcionar na hora.

    Semana passada roubaram a Elba de um eletricista que prestava serviço para meu irmão. E olha que ele era caprichoso na arte de "mal cuidar" o carro. Não tinha um palmo da lataria sem uma amassado ou descascado. O ladrão não se importou muito com isso não.

    JJ, para cumprir essa função tem aquele tipo de carro que ninguém quer. Já tive um Lada Laika que nunca tive problemas para estacionar na rua (se bem que bateram nele parado duas vezes...) Um Citroen ZX também parava na rua sem nenhum medo na consciência, e esse era bonitinho e bem cuidado, uma delícia de dirigir.

    A única vantagem do carro velho é que o prejuízo é menor...

    ResponderExcluir
  11. Sou louco para ter um Golf VR6, daquele dos edição de 100 carros, completaço, 2 portas, teto solar, Vr6 2.8 litros, bancos Recaro, 6 marchas, com tudo que existe de melhor, de cor preta por favor heim ! Um carro lindo demais e único, seria meu 3 carro. Mas o seguro dele é algo absurdo, pois é de edição especial(raro), ser esportivo, e ser somente um, Golf...Acho que o problema é antigo e esta no país, na falta de segurança e planejamento para evitar o que esta acontecendo agora, e, quem paga a conta, adivinhem quem...

    ResponderExcluir
  12. Discordo totalmente da opinião do tal professor. Já trabalhei em 3 Cias de seguros e posso afirmar que a carteira de automóveis tem rentabilidade baixa. A concorrência é forte, a sinistralidade é alta, os serviços agregados (Reboque, serviços em casa de elétrica e hidráulica, etc.) são custosos, a comissão do corretor leva uma boa parte do lucro e as fraudes estão comendo soltas por aí. Esre professor não entende nada de contabilidade de seguros.

    ResponderExcluir
  13. Isso é muito relativo. Meu carro hoje está tabelado por R$ 35.000 e pago R$ 871 de seguro completo na Zona Sul de SP (pior região). Acho que é melhor que ficar se cagando de medo em cada esquina.

    ResponderExcluir
  14. Johnconnor(Old rocker)30/08/11 11:12

    Tenho carro já faz mais de trinta anos e nunca paguei seguro.Acho um absurdo pessoas e empresas que vivem do medo dos outros.Medo de acidentes,medo de ter o carro ou a casa roubados,medo de morrer,etc,etc...Nesses trinta e poucos anos me envolvi em apenas um acidente até hoje e nunca tive o nenhuim carro roubado,(até hoje).Imagine se eu pagasse seguro durante todo esse tempo qual seria hoje o valor corrigido que eu teria jogado no ralo.

    ResponderExcluir
  15. Já tive um assim, he, he! O modelo não tinha quase nenhum rodando, portanto não tinha nem um mercado ávido por peças em desmanches, nem gente interessada nele em si. Detalhe: eu não tinha seguro não por não querer fazer, mas por as seguradoras não quererem segurar. Podia largar na rua (e largava) sem me preocupar, mas havia sempre o risco de bater em alguém e ter que assumir o prejuízo. Sabe aquele negócio de "pagar para não se aborrecer ou preocupar"? É o perfil exato para se definir um seguro.

    ResponderExcluir
  16. Leandro/PR30/08/11 11:32

    De incício, desculpem pelo post dissociado da matéria, mas é que não conheço outro lugar onde eu possa colher informações tão balizadas sobre o assunto como aqui, então peço licença para uma dúvida sobre dois automóveis e outra sobre a forma de segurar o volante:
    I-Recebi a proposta de dois carros por 49.500,00: a) Renault GrandTour Dynamique 1.6 16v 0km (11/12), prata e, b) Ford Focus hatch GLX 1.6, com abs, branco, 2011/2011, com 8.500km.
    Sou solteiro, então o espaço da mégane seria supéfluo, contudo ao final de 4 anos, por exemplo, as revisões anuais da renault custarão 1200 reais a menos que as da ford (conforme tabelas), lembrando que a garantia é de 3.
    Itens como pastilhas de freio, amortecedores (ao menos comparando quanto a concessionárias, também são mais baratos).
    O uso do carro é primordialmente rodoviário e, mensalmente, trafego em estradas rurais uma média de 40km.
    Feitas tais considerações, gostaria de saber qual dos modelos conta com melhor vedação, montagem (acho que nenhum autoentusiasta gosta de ver seu carro rangendo e batendo né?), conforto da suspensão em pisos irregulares e silêncio de rodagem.

    A outra questão é: ok, seguindo as dicas do site, ajustados bancos e volante, empunhando-o nas posições indicadas, pergunta-se: numa curva, a mão externa empurra o volante, ou a interna o puxa para o lado que se deseja virar (qual das mãos faz mais força)? Isto é relevante?

    Por fim, antecipo os agradecimentos e espero contribuir com uma sugestão: Que tal um fórum para que as dúvidas fiquem reunidas por categorias, e tenham um lugar específico para debates, de modo que os assuntos não acabem esquecidos num post já antigo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A segunda pergunta a resposta é: a mão externa deve fazer a força. Ex. Curva pra esquerda, mão direita faz mais força, a esquerda só apóia.

      Isso é técnica de pilotagem, mas acho que serve pra rua. Tem isso e muito mais nesse guia:
      http://www.lpracing.com.br/Escolinha/Escola_de_Pilotagem.pdf

      Abs

      Excluir
  17. Anônimo das 10:50;

    Olha, não acredito que seguradoras tenham margens pequenas. Muito pelo contrario, devem ter margens altissimas especialmente no interior pois os bancos que sou correntista (3) me procuram igual doido atrás de "algum carro" para fazer seguro. Teve um que se contentou até em segurar meu Fusca 1983 contra terceiros!

    Mas CONCORDO contigo que as seguradoras sofrem inumeros golpes, desde segurados até de oficinas credenciadas e "peritos".

    As oficinas por sua vez cobram o dobro quando se trata de seguro e não se acanham em colocar margem, muitas vezes superfaturando peças. Ai as companhinas começam a mandar as peças elas mesmas, mandam peças de 5 linha (aconteceu comigo em um Golf mexicano que tive) e quem sai perdendo é o segurado honesto.

    É uma guerra sem vencedores e um unico derrotado: O segurado honesto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correm atras de voce pq ganham por comissão. Como o cara falou antes, os corretores ganham um comissão boa.

      Excluir
  18. Por que é que uma pessoa faz seguro? para dar prejuízo pra empresa. Por que faz plano de saúde? pra dar prejuízo. Você paga uma quantia pequena por mês porque é melhor que ter que pagar um carro inteiro novo quando o seu é roubado. E o quê as empresas tem? prejuízo ou lucro? lucro, é claro, e bastante. Disso eu concluo que para a maioria esmagadora das pessoas, ter seguro é desvantagem financeira. Concordo com o método de guardar uma quantia na poupança todo mês. Será muito difícil faltar dinheiro na hora que precisar e, se não precisar, você não jogou fora.

    ResponderExcluir
  19. Brilhante texto!

    Faço EXATAMENTE o mesmo! Comprei meu Corcel ll GL 84(o que me frustrou quando vi a imagem de exemplo..ehehe) por 4.500 reais em 2008. Não pago IPVA, por causa do ano. Ele faz no alcool 7.5 no transito. Reformei ele inteiro e está impecável, chamando atenção de gatunos. Aí coloquei 1 rastreador sem mensalidade, caso acontecer algum furto/roubo travo e localizo pelo celular.

    Na ponta do lápis, gastei com o carro, reforma e manutenção uns 15, 16 mil até agora, o que dá uns 5 mil por ano(arredondando). Se eu tivesse um Vw gol G4, por exemplo, só com seguro e IPVA pagaria muito mais o que eu gastei com meu carro... e nem contei manutenção, depreciação e caso financiasse o carro!

    Detalhe: nunca me deixou na mão! Afinal, como todo autoentusiasta, sempre faço manutenção preventiva com peças originais e, como todo piloto de Corcel, ando com parcimônia (sem atrapalhar o trânsito..rs)...

    A questão não é nem de ser pão duro, mas saber valorizar o nosso dinheiro! Enquanto não pagarmos valores justos tanto nos carros quanto em tributos, continuo usando este raciocínio para comprar carro!

    ResponderExcluir
  20. Senhores,

    Ao que me parece, o que está acontecendo é parecido com o que acontece com a indústria de multas, onde não há interesse de subsidiar transporte público de qualidade, sequer prover um planejamento urbano adequado.

    No caso da indústria do seguro, não ha interesse em prover segurança para o cidadão pelos mesmos motivos. Vai acabar com o ganha-pão dessa corja de sem vergonhas que praticam preços abusivos tendo em vista a certeza de que àquele que compra um bêm com seu suado dinheiro quer manter este bêm em bom estado para a sua própria segurança e a de sua família.

    Concordo que do jeito que tá, é melhor ter seguro do que não ter, mas o ótimo seria uma polícia que inibisse os assaltos e os acidentes de trânsito.

    Quanto a enchentes e outros fenômenos naturais que causam PT exclusivamente, isto justificaria o seguro, porém com custos bem mais baixos, devido aos fatores roubo e acidente serem largamente minimizados.

    Quanto aos golpes sofridos pelas seguradoras, até isto seria inibido por um policiamento mais rigoroso e ostensivo.

    Resumindo: NÃO HÁ INTERESSE "DELES" EM MUDAR O SISTEMA ATUAL. O interesse é nosso e nós é que temos que mostrar para eles que é isto que nós queremos.

    ResponderExcluir
  21. Leandro,
    eu jamais compraria um carro médio com motor 1,6. O melhor de um carro é a sua relação peso/potência, por isso penso que nenhum dos dois seja uma boa opção.
    Motor 1,6 é para carro pequeno, ok?

    Quanto a fazer seguro do carro, vou contar uma historinha.
    Certa vez, um cidadão com um carro meia vida cruzou a minha frente e não tive como desviar.
    O carro dele ficou no meio da pista, mas antes mesmo de aparecer alguém, ele o empurrou para fora. Como era noite e tinha pouco movimento na rua, ninguém viu.
    Ato contínuo chamei a polícia e apareceu um policial com sua viatura.
    Após fazer várias medições e conversar muito com o outro, "ficamos lá quase uma hora", o policial me falou que estava sozinho e que era para fazermos a ocorrência policial no outro dia. "Nunca façam isso, ok?".
    No outro dia, no horário combinado, o outro motorista declarou que eu o tinha machucado e deixado de socorrê-lo. Fez o BO me acusando de omissão de socorro e o caso foi parar na justiça.
    Depois fiquei sabendo que o cara era um policial aposentado e por orientação de meu advogado fiz acordo e utilizei o seguro.

    Por isso é muito complicado ficar sem qualquer segurança nessa nossa terra de bandidos. Infelizmente!

    ResponderExcluir
  22. Leandro,

    Duas boas escolhas. Meu pai tem um Focus novo e fiz um curso de pilotagem num Megane (sedan), então acho que posso falar um pouco:

    Megane Grand Tour: Acho muito bonito, teria um sem esforço. Motor muito bom, bastante suave, torque bem distribuído. Suspensão na medida certa, deixa o carro estável e confortável.

    Focus: Outro carro bonito, não dirigi o 1.6 mas dizem que ele é mais suave e girador que o 2.0, então parece muito bom. Suspensão excepcional, parece que o carro é imune às superfícies brasileiras. O único porém é que esse é um carro pesado (quase 1300 kg), até porque é bem grande (1,84 m de largura), acho que a diferença de preço entre o 1.6 e o 2.0 compensa levar o último.

    Opinião pessoal: levaria um Focus 2.0, em segundo lugar o Megane Grand Tour.

    Quanto ao volante: deve ser empurrado, com suavidade!

    ResponderExcluir
  23. Pois, é porem tem carros e carros em que um seguro é algo que realmente tem peso. Por exemplo meu pai tem um Fiesta 1.6 2010 completinho e tudo, mas na tabela custa algo de 40k, mas o seguro dele é completo até contra "meteoro" e esta em torno de R$890,00 e como ele só fica com os carros em torno de 3 anos, neste caso vale a pena.

    Como eu disse, cada carro e cada tipo de pessoa, é cada caso diferente.

    ---

    Pelo outro lado da moeda, muito difícil quando esses carros velhos provocam um acidente e 99,99% de chances de você ficar com o prejuízo e se machucar de graça.

    ResponderExcluir
  24. Com relação a roubos e furtos, creio que não faça muita diferença o estado do carro; sendo um modelo com muito mercado, sempre haverá risco. Tanto faz se é um Gol "G5" zerado ou um Gol "caixa" caindo aos pedaços; ambos são visados por bandidos. Mas é possível ter um carro novo e ter tranquilidade quanto a roubos e furtos, basta escolher um daqueles modelos considerados "micos". Por outro lado, obviamente a revenda não será tão fácil quanto a de um popular/da moda, mas a meu ver, a tranquilidade extra compensa isso muitas vezes.

    ResponderExcluir
  25. Só irei fazer seguro no próximo ano, quando completo 26 anos, ainda assim, penso em fazer apenas para roubo e cobertura à terceiros.

    Meus pais tem seguro e já teve vezes de a demora, e o custo alto da franquia ser alta que optamos em fazer o serviço por fora e olha que não foi pouca coisa.

    ResponderExcluir
  26. Pois é, eu tenho um antigo, que tava caindo aos pedaços, dei uma bela reformada, e agora ja chama atenção na rua. Não posso fazer seguro, por causa da idade, mas todos os meus outros carros tem, vejo o seguro como um mal necessário, o preço é um absurdo, mas não posso colocar todo meu patrimonio em risco, e a minha família.

    Só queria fazer uma pergunta para os que tem rastreador no carro. Qual empresa que vocês contrataram o serviço ? Tem alcance nacional ?

    ResponderExcluir
  27. Fiquei 8 anos com um escort hobby 94 sem seguro e fui muito feliz com ele. Claro que bastei uma boa grana de manutenção mas não chega nem perto do que gastaria com IPVA, seguro e prestação de um carro zero. O carro só me deixou na mão mesmo 3 vezes nesses 8 anos. Agora comprei um novo uno zero km e já levei 3 vezes à concessionária, morri mais de mil em seguro e quase mil em ipva. Cada dia aparece um probleminha. Uma coisa é certa, carro zero agora só compro se a promoção for imperdível. Prefiro um com 5 anos de uso inteiro.

    ResponderExcluir
  28. Tenho 25 anos, um carro avaliado abaixo dos 20 mil e, em 2 anos, já paguei 4 mil reais em seguro. Eu me matei por anos pra juntar dinheiro suficiente para ter o carro, mas a seguradora me classifica como jovem débil que não valoriza bem ou vida.

    Toda vez que estou prestes a renovar o seguro, penso e penso se caio fora dessa ou não...só não sei se vou rir do mundo ou ficar preocupadíssimo quando parar na rua (e eu não paro em valet por nada na vida).

    ResponderExcluir
  29. CCN1410
    Revoltante essa sua história...

    Leandro
    Focus é um baita carro, mas, esse 1,6l(o novo), fica devendo um pouco em desempenho. Na última vêz que estive em BSB andei bastante em um, pertencente a um sobrinho de minha esposa. Achei sua aceleração e retomadas um pouco abaixo do desejável.

    ResponderExcluir
  30. Uma vez tentei ver seguro pro Xantia. Só quem fazia era a porto e a maritima, as duas com um valor baixissimo!!
    Apenas R$6.000,00. que é exatamente 50% do valor do veículo.

    Mas o Xantia não é muito visado, faço parte de clube e fórum e nunca ouvi alguém dizer que teve um Xantia roubado.

    ResponderExcluir
  31. Tenho um FIT 2007 devidamente segurado, que minha mulher utiliza no dia-a-dia e um ESCORT 1.6 completo que eu uso diariamente. Nesse não tenho seguro, mas também não deixo na rua. Além de economizar, sou poupado da panfletagem que impera aqui em Águas Claras(DF) e nem os pedintes se aproximam pra pedir nada. E olha que o carro é uma delícia de dirigir. Pra mim, carro é pro meu uso, e não pra mostrar pro vizinho.

    ResponderExcluir
  32. luizborgmann30/08/11 14:42

    Estou esperando a sinaleira abrir a meu favor. Ao meu lado, chega um outro carro, impecável, novinho. É um Daewoo Espero, placas de cidade do interior. Ei, o sujeito guarda esse carro numa cristaleira, pensei. Fiquei olhando e imaginando de quantas pessoas ainda tem um daquele ali. Esse aí é aquele do cartão de crédito, não tem preço. Quando esse carro apareceu nos anos 90, maravilhoso. Mas depois olho na Internet o preço dos carros desse modelo à venda, os sobreviventes. Já tem preços a menos de Fusca. E o seguro prá ele, vai encarar?
    luiz borgmann

    ResponderExcluir
  33. Seguro é muito lucrativo, basta vocês conferirem no site de compras do governo federal, comprasnet.gov.br, já vi Hilux 2010 com seguro de 2 mil reais! E isso que quando o governo contrata é para qualquer condutor, condutor indefinido, ou seja, bem mais caro. Vá você cidadão tentar fazer o seguro de uma picape dessas, no mínimo 6 ou 7 mil reais. Não me venha dizer que um negócio desse não é lucrativo.

    ResponderExcluir
  34. Brasileiro honesto nasceu para sofrer.
    Quem não conhece um Gérson que já queimou, ou facilitou roubo para "dar o golpe" na seguradora?
    E quem não está vendo nossa política externa bancar a pateta com a Bolívia legalizando carros roubados descaradamente?
    Além, claro, da impunidade generalizada quanto à roubos.
    Neste contexto, some ainda a pouca competição (aos poucos está melhorando) e entendemos porque o seguro é tão caro.
    Ao mesmo tempo, dado nosso "país de bandidos", ele também é item obrigatório hoje.

    ResponderExcluir
  35. "Quem não conhece um Gérson que já queimou, ou facilitou roubo para "dar o golpe" na seguradora?"

    \o
    |\
    / \

    ResponderExcluir
  36. Esqueçam meu comentário das 15:24. Além da resposta estar errada ficou uma porcaria.

    ResponderExcluir
  37. Peça "pros homi" do blog apagar.

    ResponderExcluir
  38. ao Leandro/PR,

    O Renault aguenta muito bem a pavimentação brasileira, e é muito bom nas estradas de terra. O Clio Campus, por exemplo, é muito melhor em estradas rurais que o CrossFox e que os outros carros populares.

    Quanto ao Focus, quem garante que os seus 8.000 km foram rodados sobre uma pavimentação perfeita por um motorista exemplar, que sabe como cuidar do carro? Esse carro pode ter sido usado por um manolo para disputar rachas em estradas de terra. Ou então pode ser sido usado para transportar um cadáver no porta-malas antes da desova. Dependendo do seu motorista e do seu uso, um carro de 100.000 km pode estar muito melhor conservado que outro de 5.000 km.

    ResponderExcluir
  39. Aki em Gyn os carros c/ 10 anos já não pagam IPVA.

    Imagina rodar numa BMW 2001 s/ esse custo extra...

    ResponderExcluir
  40. Quem anda com carro muito novinho e bonitinho é o principal alvo! Eu, por querer ter uns antigos mofando ao invés de apenas 1 novinho, ando de carro meia boca... Mas impecável mecânicamente. Quando estaciono em lugares suspeitos boto o correntão no volante e brinco com os amigos que aquele é o seguro do meu carro.

    GiovanniF.

    ResponderExcluir
  41. Tem que ser um carro tipo hoodride ou rat hod, pq um velhinho bem conservado é bem procurado pelos gatunos, aimda mais pq são mais fácil de furtar.

    Antonio Filho,

    Outro dia ví um VR6 desses na rua, todo repintado, com pneus lisos, motor fumando, vidros abertos ( provavelmnete o ar não funcionava pois tava calor ), e volante todo gasto indicando quilometragem bem alta. Deu uma dor no coração ver um carro desses na mão de alguém que não está tratando bem dele.

    ResponderExcluir
  42. Aqui na minha cidade, estão roubando até pampa, voyage 86, enfim, é melhor ter carro novo, ao menos você tem a opção de fazer seguro... já carro velho, é ser roubado e ficar a deriva.

    ResponderExcluir
  43. Eduardo, nem me fale isso, vou ter pesadelos, um sacrilégio sem precedentes...Um Golf VR6 não merce isso ou o dono(s) não mereciam telo.

    Quando lançou fiz um test drive em salvador, um prata completo de tudo, único por aquelas bandas ao custo de 100K, o GTi 180 custava 55k, ótimo carro mas não era a mesma coisa que seu irmão nobre.

    Ainda é meu sonho, mas um ainda custa em torno de 60k.Quem sabe nesta mega sena né ?

    Até logo !

    ResponderExcluir
  44. SEM PRUDÊNCIA,sem coerência
    É evidente que o autor não pensou com calma quando escreveu a matéria.Afinal so pensou nele.Não contou na possibilidade de bater numa Mercedes de US 100.000 nem na eventualidade de matar o proprietário da mesma ou atropelar um jovem médico de 30 anos. O prejuízo do seu carro é fácil calcular pois será o valor dele.Mas não se pode calcular o valor de outro veículo nem quanto vale a vida dos terceiros. Certamente iria ver que é muito, muito mais barato ter, no mínimo, o seguiro contra terceiros. Ou iria querer ficar a vida inteira pagando pelo prejuízo? E outra coisa, este professor dele esta enganado pois se o risco é ruim para o consumidor que não quer assumi-lo certamente o é tamabém para as seguradoras.Ou você acha que elas aceitam seguros de Motos, fuscas e carros velhos? Amigo estes são os piores riscos. Portanto fica incompreeensivel falar que ter carro velho é o melhor dos mundos. Finalmente,a área de seguros não é das mais lucrativas para se investir. A concorrência é acirrada e o risco é grande. Não é uma mina de dinheiro.E elas vivem quebrando.

    ResponderExcluir
  45. Tenho um ponto de vista um pouco diferente, tenho um focus ghia auto 2006, com seguro, paguei um valor justo R$1,400,00 tenho 43 anos sem filhos e so paro em estacionamento, e tentei fazer um seguro da 147, placa preta, mas não há uma seguradora, que faça, então evito de viajar com ela, e tomo o maximo de cuidadoao sair, ou seja não ter seguro faz com que eu a use menos do que eu gostaria, por não ter assistencia 24 horas e nem reboque.Para quem tem carro antigo é par usalo, com parcimonia, já que ficar enguiçado numa estrada não é nada agradavel.

    ResponderExcluir
  46. concordo com o Homem Baile (oO?)
    também tenho um fusca, e aqui onde quer que vc vá, todos desviam, abrem passagem
    só não sei se é respeito ou se medo de bater kkkk

    ResponderExcluir
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  48. É triste ter que pagar seguro. Porém, mais triste ainda é ser lesado pela falta de segurança do Estado ou então por alguém que dirige feito idiota por aí. Já tive a infelicidade de ter perdido um carro devido a acidente de grande monta e o seguro do outro não cobrir o prejuízo.

    Não adianta ter carro velho, mal cuidado, pois os FDPs estão roubando de tudo! Muitas vezes esse bando de marginais rouba para pegar somente parte do veículo (motor, câmbio etc.). Assim, o que vier a mais é "PLR", pois o valor da encomenda já está garantido. Se o carro estiver bem cuidado, melhor, o PLR será mais alto.

    Absurdo essas coisas, já passou do limite do suportável! É seguro de carro, casa, plano de saúde, tudo porque o bando naquela ilha da fantasia tá andando pro povo brasileiro. E a maioria da plebe ignara tá achando lindo ter copa de futebór e olimpíadas por aqui.

    Desculpem o desabafo, mas está difícil...

    ResponderExcluir
  49. Anonimo das 18:12;

    Sem jogar pedras nas seguradoras, afinal elas sofrem inumeros golpes, seguro de carros é lucrativo SIM para as grandes seguradoras. E te respondo com um UNICO argumento: Os bancos estão no ramo. Quando algo deixa de ser lucrativo, os bancos imediatamente abandonam o mercado, como fizeram com o mercado de seguros saude que na d´cada de 80 foram verdadeiras "vedetes" do mercado de seguros.

    Os bancos brigam feito doidos pelos seguros de meus carros.

    A titulo de "reciprocidade", já tive até que fazer seguro contra terceiros para meu Fusca 1983 que roda uns 500km por ano!

    Então, concordemos que: Seguradora leva muito golpe sim mas isso nao torna o seguro de autos um mau negocio. Até porque eles repassam os custos para o consumidor.

    ResponderExcluir
  50. Cara, você pode até não pagar seguro para roubo mas deveria ser obrigatório o pagamento para terceiros, não é nem um pouco gostoso quando um delinquente bate no nosso carro e tenta fugir pois não tem seguro.

    ResponderExcluir
  51. Leandro/PR30/08/11 21:35

    Obrigado aos amigos autoentusiastas pelos esclarecimentos.

    CCN1410, Concordo contigo quanto à relação peso-potência, tanto que tenho um ka 1.6... mas sabe, acho que to naquele momento da vida que conforto e qualidade tá contando mais que desempenho. Contudo, o capital ainda não acompanha a qualidade toda, ao passo que nossos "hot-pockets" ainda deixam a desejar no quesito conforto e acabamento. Por isso tenho olhado com atenção aos médios 1.6 (C4, Focus e GrandTour), bem como porque os 2.0 flex não tem apresentado um bom consumo.

    -------

    Eduardo Antunes de Oliveira: Valeu pela dica de condução... e, sem querer abusar, mais onde foi esse curso de pilotagem?
    Quanto aos pesos, a GT em 1275kg, e o focus glx 1.6, 1290kg. Não tenho dados aerodinamicos para compará-los. De todo modo, agradeço as informações.

    ----------

    FVG, reconheço que vou estranhar bastante ao sair de um carro com 8,9kg/cv, para outro com 11,2 kg/cv, todavia, parece-me que tais opções trariam ganho em conforto sem maiores comprometimentos na segurança em ultrapassagens, mesmo porque, segundo ouvi falar (corrijam-me se estiver errado), o focus e a gt possuem um casamento enre câmbio e motor mais feliz que o ka 1.6 flex.

    -----

    Anônimo, 30/08, 15h54: Entendo suas considerações sobre carros usados, mas em ano recorde de recalls, também já não vejo os 0km com tanta "magia"... como em qualquer atividade no limite, as fabricantes de automóveis nacionais privilegiaram o volume à qualidade, com vistar a aproveitar um mercado sedento. Mas é claro que a compra de um veículo usado, ainda que semi-novo, demandaria o exame por funileiro e mecânico de confiança.

    ResponderExcluir
  52. JJ,
    Quer um carro que você pode parar na rua com os vidros abertos e chave na ignição e ninguém mexerá? Quer um carro que, se bobear, é capaz de alguém deixar um igual ao lado do seu quando ele estiver parado em sua porta, crendo que se você cuida de um pode cuidar de dois? Compre um Ford Ka de 1ª geração! Pelo menos não soube de nenhum caso de roubo/furto a Ford Ka...
    Tenho um Image 2002, verde, todo bonitinho e com rodinhas de liga do XR3 87 e mesmo assim não chama a mínima atenção dos amigos do alheio. O carrinho é bom e, ainda bem, poucos sabem disso...

    ResponderExcluir
  53. Um adendo... Quando o comprei até tentei fazer um seguro, mas como contemplo o perfil de alto risco, na seguradora mais "barata" sairia por 3 mil reais...

    ResponderExcluir
  54. O difícil no seu "podrinho" vai ser passar no teste da Controlar.

    ResponderExcluir
  55. "Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come" como diria um velho ditado popular.

    Seguro é uma faca de dois gumes. Se compensa ou não, depende do ponto de vista de cada um.

    Eu já trabalhei dentro de uma das maiores seguradoras tupiniquins. Eles levam bastante calote sim! Mas ganham mais grana (MUITO mais) do que "perdem".

    Quando eles querem eles "tem seus meios" de provarem que o segurado estava infringindo algum cláusula do contrato. Aí amigo... É melhor sentar e chorar. Dificilmente alguém consegue ganhar deles "na justiça".

    O único seguro que "fica no zero a zero" para as seguradoras, é o seguro de saúde. Aqui sim o lucro é pequeno.

    ResponderExcluir
  56. Ótimo texto!

    Também além disso, acredito em um meio termo:

    Carro de meia idade(já bem usado, com uns 10 anos), desvalorizado, que não seja muito visado, com boa média de consumo... acaba sendo uma boa opção para o dia-a-dia, para mim, que dirijo com cuidado por mim e pelos outros, vou até o trabalho e volto, parando em duas garagens "seguras"(o que é seguro hoje em dia?).

    E para isso, elegi um Renault Clio para a missão, e acho que foi a escolha mais acertada. Meus antigos hoje só passeiam de final de semana, e eu fico tranquilo com isso também.

    ResponderExcluir
  57. Eduardo (30/08/11 - 18:43):

    Veja o link abaixo. Pode ser que para o seu 147 seja viável:

    http://museudodge.blogspot.com/2011/04/seguro-para-carros-antigos-nosso.html

    ResponderExcluir
  58. Meu pai tem um Escortão XR3 85 desde 94. Todo feio mas com mecânica em ordem. Mas já roubaram-no, ainda que por causa da minha bateria dentro que deve ter chamado atenção do ladrão. Roubaram num dia 19/12 e o encontraram em 25/12. Foi o melhor presente de Natal que tivemos até hoje!

    ResponderExcluir
  59. Leandro:

    Pois é, são carros bem pesados e a aerodinâmica do Focus é ruim (se não me engano o Cx é algo como 0.33), assim como a área frontal desse é grande o que deve fazer com que ele sofra um pouco. Continuo achando o Megane GT um bom negócio, melhor que Focus 1.6, até porque, como o Bob diz, a melhor marca de carro é zero.

    Pequeno adendo: hoje dirigi o Punto da minha namorada (essence 1.8) e tenho que dizer que ele é muito bom, ela pagou algo em torno de R$ 46.000,00, por esse valor é difícil coisa melhor. Acho que é um carro mais condizente com o teu perfil, já que tens um Ka 1.6.

    O curso de pilotagem que fiz foi o do Roberto Manzini, em Interlagos.

    ResponderExcluir
  60. Eu recomendo comprarem um Escort Hobby, eu já tive um 94, tudo bem que ele tem 52 cv e é meio fraquinho, mas nunca tive problemas com ele, ia pro trabalho e faculdade, ficava na rua e dormia na rua, pq não tinha espaço na garagem, já tive um Focus 2005 tbm, perfeito! tbm nunca tive problemas com ele, mas precisei do seguro por causa que bati ele, mas é um carro pouco visado, agora estou com um Uno Mille que em menos de dois meses já tentaram furtá-lo, qdo sai de casa o carro estava uns 20 metros rua abaixo aberto, sorte que ele tem segredo e não conseguiram levá-lo. Procurem por um carrinho bom na casa de 8 a 12 mil, coloquem um bom alarme e esqueçam de seguro!!

    ResponderExcluir
  61. Meu pai que está bem faceiro: Comprou um Versailles Guia 2 portas 1991, carburador e GNV. Pagou barato e o carro está em bom estado. Além de gastar pouco, ele não se preocupa com seguro nem IPVA, o carro é confortável e ainda tem ar condicionado e direção hidráulica...

    ResponderExcluir
  62. Aqui no RJ não tem isso, neguinho rouba carro visado ou não visado. Já me roubaram Passat LS 82 (2 vezes!!!) e Gol GTi 94. Na época do Passat, eu tb tinha um Santana novo (em 94) com seguro e o Passat não tinha...
    No Gol, o seguro tinha vencido uma semana antes, eu estava captalizando pra renovar, e tive MUITA SORTE por terem levado no estacionamento fechado do antigo supermercado Freeway, que pagou o valor do carro.
    Meu carro atual não é visado e eu nunca batí em 21 anos de CNH mas a minha esposa dirige o carro e não dá pra deixar descoberto...
    Aqui na esquina de onde trabalho, Botafogo, roubaram uma Caravan 76 de um chaveiro da área, na semana passada...

    Carlos Galto

    ResponderExcluir
  63. Também não pago mais seguro. Fiquei indignado depois de ter pago R$ 1.800 à vista pelo seguro de um Fiesta 2006 que tive; vendi para uma mulher da minha idade que fez o mesmo seguro com o mesmo corretor e com a mesma companhia por R$ 980 (e ainda pagou em 6 vezes...). Isso pra mim virou guerra dos sexos...

    ResponderExcluir
  64. O que acontece não é que um carro velho não é roubado: carro velho é roubado e batido da mesma forma que carro novo. Mas, o carro velho é barato, portanto não será tão grande o prejuízo se ele for roubado.

    O CSS, no post de 01/09 22:38, informou pagar R$ 1.800,00 pelo seguro de um Fiesta 2006. Esse valor é aproximadamente um terço do valor de uma Parati CL 1.6 1984, em bom estado. Sem falar que a Parati já não pagava IPVA.

    Resultado: sai mais barato manter um carro velho em bom estado do que manter um carro novo. Para uso em trechos menores, um velhinho se vira muito bem.

    ResponderExcluir
  65. aushaushaushus por isso q uso meu veinho, uso o vectra q é da empresa pra trabalhar normalmente, mas quando nao to usndo eles, pra uso pessoal normal, tenho outro carro, mas prefiro meu chevettetinho 1.6, otima de mecanica, interior mais ou menos, bancos meio gastos, mas por fora parece um rat roda surrado, ta meio sujo, como se tivessem enterrado e dps retirado e faço questao de nao lava mesmo, nem os flanelinha me enchem o saco

    ResponderExcluir
  66. O carro não precisa ser velho. Basta não ser visado. Tive um Kangoo que, após vencer o seguro do primeiro ano (comprei zero), nunca mais fiz seguro. E para tranquilamente em qualquer lugar. Pois o carro pode ser bom, mas tem pouco mercado e é feio que dói. Então nem será roubado para abastecer o mercado paralelo. Nem será roubado por algum delinquente que queira pagar pau por aí... Abraços, Vinicius.

    ResponderExcluir
  67. Galera, eu tenho um ford escort 84, carro muito bom, só tive problemas com ele duas vezes em cinco anos, certamente pq sou cuidadoso e faço manutenção preventiva. Acho que ele não é visado minimamente por ladroes, afinal quem quer correr risco de ir pra cadeia por causa de um carro que não vale o mesmo q uma moto pop 100 da honda?? rs não vale no mercado, mas pra mim vale muito, invisto nele na mecânica no interior e só, o mundo pode me ver como um pé rapado à vontade. Ng paga as minhas contas. Tenho hj quase 50 mil na poupança. Tenho amigos com carro zero, cheio de boletos no porta luvas rs e que se vc chamar pra ir na praia ele vai dizer q não tem dinheiro. Eu não faço viagens longas de carro, tenho sempre dinheiro pra viajar de avião e alugar carro onde eu tiver. VALE MUITO MAIS A PENA!!!

    ResponderExcluir
  68. Haroldo Rego01/05/12 07:44

    Quem não tem grana para seguro é precisa de carro para trabalhar não resta muita opção, a solução é comprar carro velho de pouco valor, e ligar o botão do ...oda-se quando for estacionar nas ruas. Assim se roubarem o prejuízo é menor. Caso contrário, se tem grana compre um carro novo e completo curta a vida, mas faça seguro total. Tive meu fusca roubado, comprei-o por 8 mil e gastei 5 mil para renová-lo com dinheiro jogado no lixo. Agora estou sem grana e sem carro. Não adianta fujir da realidade, a solução são essas que falei. Brasil, é terra de bandidos !!!

    ResponderExcluir
  69. Eu tenho um Voyage CL 1.8 1992 que está na família há 18 anos, 125000km originais, impecável.... e têm seguro total Porto Seguro..... sou de SP, tenho 33 anos e bônus classe 1000 (rs, nunca usei seguro, tenho desde os 19 anos)... pago cerca de R$ 1200,00 por ano, alto para o valor do carro, mas fazer o quê, pelo menos posso viajar, pegar a estrada tranquilo......
    Agora estou pensando em turbinar esse carro e logicamente terei que abrir mão do seguro, estou pensando em um alarme de presença junto do Positron que já tenho e da Mul-T-Lock..... não deixo esse carro na rua nem com reza... vamos ver o que eu decido

    ResponderExcluir
  70. Tenho um pálio ex 2002 que custa uns 13.ooo no máximo. vale a pena fazer um seguro de 1.271 à vista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que não Rossana. Dependendo de onde vc more, eu seguiria de rastreador, ou uma trava central, e faria somente seguro contra terceiros e ocupantes. São 10% do valor do bem. A maior preocupação em casos assim, eu entendo que deva ser com a integridade dos ocupantes, e não com o carro. Acho que é isso.

      Excluir
  71. Olha, eu gosto da ideia de ter carros rejeitados pelo psicológico do mercado. As chamadas ""onças"". Tive durante muito tempo, uma Omega suprema. Que surpresa ao perceber que a gurizada na rua até parava o futebol para eu passar. Nem passavam perto. E um belo dia, ao passar por eles, já nem tão jovens assim, e ouvir uma pérola.. ""uuiihh é carro de levar defunto..""
    Dei muuitas risadas.
    O carro foi rejeitado. Então..nem pensar em roubar, arranhar, ou qualquer coisa motivada pela inveja alheia. Eu andava em um ""rabecão"", e tinha o prazer de ver, pessoas até saindo para estacionar mais longe do meu carro, pois como poderiam estacionar perto do possível último carro de nossas vidas?? não.. vamos evitar por agora.
    Meu carro não tinha amassadinhos de shopping. Muitas vezes, era ela e mais ninguém dos lados. Que prazer em ver ela encerada, brilhando, "em pé" e 6 canecos! saudades...
    Minha esposa destruiu ela. Pé pesado. Graças a Deus não sofreu um arranhão.
    Mas hj é ex.

    ResponderExcluir
  72. Dirijo um Suzuki 1992, 45.000 milhas originais. Sem seguro, sem IPVA, e ainda ando no ar-condicionado dando risada de todo mundo. Se não fossem os buracos, seria perfeito.

    ResponderExcluir
  73. Meu primeiro carro fiz seguro, bateram nele.. me ferrei.. a franquia era mais cara que o conserto.... resultado... estou há 20 anos sem seguro, já poupei mais de 80.000,00 de seguro, se eu tivesse continuando sendo OTÁRIO... o seguro atual do meu carro agora está cotado em mais de 4.000,00 em 20 anos bateram e bati de leve.. gastei uma merreca nestas batidas.. tenho seguro-saúde e vários seguros de vida...Seguro auto, nunca mais.

    ResponderExcluir
  74. Teve uma época que utilizava um Fiat 147 'Brio' (frente quadrada) para trabalhar numa obra na região de Pinheiros (SP/SP), francamente conhecida pelos roubos em faróis. Certa vez estava num farol e vi uns gatunhos olhando descaradamente dentro do carro da frente, depois vieram na minha direção, PASSARAM DIRETO PELA FIOLA, e roubaram o motorista do carro de trás. :-)))))
    Detalhe é que havia milhares de reais em equipamentos no porta-malas sem cobertura.
    Vendi o 147. Na época me pareceu ser o correto, mas tenho muita saudades dela!

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...