Google+

14 de agosto de 2011

JAC J6: MUITO ESPAÇO NUM PACOTE AGRADÁVEL

Fotos : JAC Motors Brasil




Menos de 150 dias depois da chegada da JAC (Jianghuai Automobile Co.) ao Brasil por meio do hatchback J3 e do sedã J3 Turin, agora é a vez da marca chinesa lançar aqui novo produto, a minivan J6. Entra com o pé direito, especialmente a versão de sete lugares Diamond. 

De porte médio, 4.550 mm de comprimento e 2.710 mm entre eixos, acomoda bem motorista e passageiros, embora com algum aperto para adultos no sexto e sétimo bancos na Diamond,. A largura de 1.775 mm, conjugada com a altura de 1.660 mm, provê boa amplitude interna e amplo compartimento de bagagem, 720 litros, que diminui para 198 litros com dois pequenos bancos adicionais em posição normal.

O preço de R$ 58.800 para a cinco-lugares e mais R$ 1.000 para a de sete é mesmo atraente considerando o pacote como um todo. Está bem razoavelmente bem situada em preço diante da concorrência Nissan Livina (R$ 43.990~R$ 54.790), Grand Livina (R$ 54.290~R$ 62.290), Citroën Xsara Picasso (R$ 56.250) e Chevrolet Zafira (R$ 60.891), todos preços básicos sem opcionais, ajudada pelo fato de que a marca JAC vem se firmando no mercado, sem a pecha de “carro chinês”. O importador prevê vender de 1.000 a 1.500 unidades por mês. Novamente dentro do esquema “sob medida” para o mercado brasileiro, a J6 vem com motor de 2 litros, ante 1,8 litro na China.

Como no J3, o desenho do J6 ficou a cargo do Centro de Estilo da empresa em Turim, Itália, com assistência da Pininfarina.

Chinês com jeito ocidental

O motor transversal, só a gasolina, é projeto próprio, sem consultoria externa oficial, ao contrário do J3, em que a fabricante que se valeu da AVL da Áustria. Com bloco de ferro-fundido e cabeçote de alumínio duplo-comando de acionamento por corrente e 4 válvulas por cilindro, está dentro do desempenho médio da cilindrada, com 136 cv a 5.500 rpm e 19,1 mkgf a 4.000 rpm, resultando na relação peso-potência de 11 kg/cv (pesa 1.500 kg em ordem de marcha).

O diâmetro dos cilindros 85 mm e o curso dos pistões 88 mm resultam na cilindrada exata de 1.997 cm³; a taxa de compressão é conservadora, 10:1.

Motor 2-litros estado-ar-arte: DOHC 16-válvulas

Para o tipo de veículo, cujo câmbio é exclusivamente manual de cinco marchas, a aceleração 0-100 km/h em 13,1 segundos e a velocidade máxima de 183 km/h atende bem as necessidades, embora  o J6 se ressinta um pouco dos 1.500 kg de peso nas retomadas. Saliente-se que na avaliação estivemos sempre com mais de 400 kg referentes a cinco ocupantes, o que é incomum nessas ocasiões, que em geral não passa de 150 kg.

Ambiente interno perfeito

Como ocorrera com o J3, não se tem sensação de estar dirigindo num veículo fabricado na China. Tudo está no lugar certo, o nível de acabamento é bom, os bancos são confortáveis. A calibragem da suspensão está mais para o macio, embora algo áspera, mas o comportamento dinâmico é bom, sem vícios como inclinação exagerada nas curvas ou movimentos parasitas incômodos em linha reta. Com 36,4 km/h por 1.000 rpm em quinta, têm-se 3.300 rpm a 120 km/h, para um viajar confortável.

É nos pequenos detalhes que se vê o cuidado no projeto e fabricação

A seleção e engate de marchas são impecáveis, a carga do pedal de embreagem (comando hidráulico) é bem baixa, há um grande e conveniente apoio para o pé esquerdo, mas sente-se a falta de um batente de fim de curso no pedal do acelerador, uma das :"marcas registradas Volkswagen". Outro ponto que necessita de atenção da fábrica é o descansa-braço entre os bancos dianteiros que é também a tampa de um porta-objetos: alto demais, interfere com o cotovelo e atrapalha um pouco o uso da alavanca de câmbio (veja na foto abaixo).

Tampa do porta-objetos e descansa-braço é muito alto e atrapalha; menos 15 mm na altura resolveria

As suspensões seguem o estado-da-arte, com dianteira McPherson e subchassi, traseira McPherson com dois braços transversais paralelos, barra estabilizador em ambas. Rodas de alumínio combinam-se com pneus 205/55R16V Giti Comfort 228 (“V” é classificação de velocidade 240 km/h, um exagero para um veículo que não chega a 190 km/h. Opcionalmente, por R$ 1.600, a J6 pode vir com aro 17-pol e pneus 215/45R17W (exagero ainda maior, “W” identifica pneus para 270 km/h).

Além de a banda de rodagem ser reforçada para suportar deformação a essas altas velocidades e disso resultar a aspereza de rodagem citada, tais pneus são normalmente mais caros na hora de substituí-los. É um ponto a ser revisto pela JAC.

O outro opcional de fábrica é a pintura metálica, por R$ 1.190. Nas concessionárias pode-se pedir revestimento dos bancos de couro, que sai por R$ 1.400 para o J6 e R$ 1.800 para o J6 Diamond.

A lamentar a localização do estepe, sob o assoalho do compartimento de bagagem, externo ao veículo, de difícil manuseio em caso de furo de pneu.

Infelizmente, apesar de solicitado, não houve informação das características aerodinâmicas, do J6 pois as linhas da J6 (atente para a foto de abertura) sugerem bom coeficiente de arrasto (Cx). Tampouco foi informado o consumo de combustível normatizado, a lamentar.

Nota: Hoje (15/8) às 14h00 a assessoria de imprensa da JAC Motors Brasil informou o Cx do J6: 0,34.

No geral, entretanto, o novo chinês familiar agrada bastante e tem tudo para se impor no nosso concorrido mercado.

BS


FICHA TÉCNICA JAC J6

J6
J6 Diamond
MOTOR
Tipo
2,0 DOHC 16 válvulas
Número e disposição dos cilindros
 Quatro em linha
Instalação
 Transversal
Material do bloco/cabeçote
 Ferro-fundido/alumínio
Diâmetro dos cilindros
85 mm
Curso dos pistões
88 mm
Cilindrada
1.997 cm³
Taxa de compressão
10:1
Poência máxima
136 cv a 5.500 rpm
Torque máximo
19,1 m·kgf a 4.000 rpm
Formação de mistura
Injeção no duto
Tanque de combustível
68 litros
Combustível
Gasolina
TRANSMISSÃO
Tipo
Transeixo manual de cinco marchas, tração dianteira
Relações das marchas
1ª 3,615:1; 2ª 2,053:1; 3ª 1,39:1; 4ª 1,031:1; 5ª 0,837:1
Relação do diferencial
4,294:1
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, McPherson, braço triangular, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Independente, McPherson, braços simples transversais paralelos, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
FREIOS
Dianeiros
A disco ventilado
Traseiros
A disco
Controle
ABS e distribuição eletrônica das forças de frenagem
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 6J x 16
Pneus
205/55R16V
DIMENSÕES E PESOS
Comprimeno x largura x altura
4.550 x 1.775 x 1.660 mm
Distância entre eixos
2.710 mm
Capacidade do porta-malas
720/2.200 L
720/198/2.200 L
Peso, ordem de marcha
1.500 kg
DESEMPENHO
Aceleração 0-100 km/h
13,1 s
Velocidade máxima
183 km/h
MANUTENÇÃO E GARANTIA
Revisões
10.000 km
Troca do óleo do motor
5.000 km
Garantia
6 anos




EQUIPAMENTOS JAC J6
Modelo
NORMAL
DIAMOND
Abertura interna da portinhola do tanque de combustível
Acendedor de cigarros
Airbag duplo
Ajuste de altura dos bancos dianteirros
Alarme antifurto
Alças de segurança dianteiras e traseiras
Antena impressa no pára-brisa
Apoios de cabeça dianteiros com ajuste de altura
Ar-condicionado digital
Bancos traseiros rebatíveis e removíveis
-
Banco central com apoios de cabeça
Bancos em veludo
Bancos intermediários individuais (2ª fileira)
Bancos intermediários rebatíveis 60/40 e removíveis
Bancos traseiros individuais (3ª fileira)
-
Barras laterais no teto
CD player com entrada USB
Chave com destravamento remoto das portas
Cintos dianteiros com pré-tensionador
Cintos traseiros laterais de 3 pontos
Cintos dos bancos da 3ª fileira de 3 pontos
Desembaçador traseiro
Direção assistida hidráulica
Espelho retrovisor elétrico com desembaçador
Faróis com regulagem elétrica de altura
Faróis de neblina
Iluminação azul no quadro de instrumentos
Iluminação do porta-malas
Lâmpadas de fraol halógenas
Limpador traseiro com temporizador
Luzes de leitura
Luzes de neblina traseira
Luzes de segurança nas portas
Pára-sóis com espelho de cortesia e iluminação
Porta-copos
Porta-objetos enre os bancos dianteiros, com tampa e função de descansa-braço
Porta-revistas
Portas com barras de proteção lateral
Protetor de cárter
Repetidoras dos indicadores de direção nos espelhos externos
Retrovisor interno antiofuscante
Retrovisores externos com ajuste elétrico
Seis alto-falantes
Sensor de estacionamento traseiro
Terceira luz de freio
Tomada de energia 12 V
Travamento automático das portas a 15 km/h
Travamento central das portas
Vidros elétricos dianteiros e traseiros
Volante com comandos multifunção
Volante com regulagem de altura
Volante revestido em couro

 

94 comentários:

  1. Marcelo Augusto14/08/11 16:30

    Não informaram sobre uma versão de "dois pedais"?

    ResponderExcluir
  2. Marcelo Augusto14/08/11 16:34

    Considerando as mesmas condições de medidas e calibragem, uma classificação de velocidade maior torna o pneu mais resistente a buracos?

    ResponderExcluir
  3. Achei os pedais muito horizontais e o contagiros esta à esquerda, detesto!

    ResponderExcluir
  4. Acho que a JAC pegou o mau Brasileiro de querer lucrar muito, os preços são muito parecidos com a concorrência, estava achando que eles iam conseguir um preço ainda mais convidativo.

    Qual o valor desse carro se convertido o valor que é vendido na China +Impostos+Frete ,para sabermos se também estão abusando na margem de lucro. Não tenho dúvidas que o carro seja bom, só que pensei que iria ocorrer uma revolução no preço dos automóveis no Brasil que pelo visto ainda demorará muito para acontecer.

    ResponderExcluir
  5. Minivan média-grande é um tipo de carro que nunca "pegou" no Brasil, por causa do alto preço. Não é sendo fominha desse jeito que a JAC vai emplacar.

    Não imagino quem poderia pagar quase o preço de uma Grand Livina completa por isso aí...

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Não imagino quem poderia pagar quase o preço de uma Grand Livina completa por isso aí... [2]

    O J3 ainda está com preço competitivo, apesar de a Ford ter minado isso baixando o preço do Fiesta. Agora, a J6 está cara, pois a Grand Livina, de marca e modelo muito mais afirmados aqui no mercado, está na mesma faixa de preço.

    ResponderExcluir
  9. A forma como têm sido avaliados os JAC por aqui me parece, no mínimo, parcial.

    Só estando sob efeito de drogas pra considerar essa caixa de miojo um veículo que faz frente à um Nissan Grand Livina.

    Tenho a maior admiração por você Bob, mas tudo está começando a soar muito suspeito. Tudo que um jornalista tem é sua credibilidade.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo 14/08 17:49
    Apreciaria sua explicação: parcial em quê? Ou você é doa que acham que jornalista bom é o que mete o pau, mesmo sem ter em que fazê-lo?

    ResponderExcluir
  12. Olavo Fontoura14/08/11 17:59

    E um anônimo escroto? Que credibilidade tem???

    ResponderExcluir
  13. Marcelo Augusto
    Falaram, um robotizado de duas embreagens, mas vai demorar.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo 14/8 16h49
    Prefito o conta-giros à esquerda. Nos Audis é a direita, mas no recente R8 GT passou para a esquerda. Não tem jeito, pela altura do banco em relação ao assoalho os pedais ficam mesmo mais para horizontal. Mas não isso nào atrapalha sua operação.

    ResponderExcluir
  15. Marcelo Augusto
    A classificação de velocidade relaciona-se à resistência da banda de rodagem em não centrifugar. A resistência a buracos está nos flancos e essa característica independe de velocidade.

    ResponderExcluir
  16. Olavo Fontoura
    Isso aí. Estamos até pensando em acabar com os comentários de anônimos.

    ResponderExcluir
  17. Eu não consigo ver alguma vantagem da J6 em relação a Livina/Gran Livina, considerando que essa é mais barata, tem opções de motor 1.6 e 1.8 (os dois com bloco de aluminio) e cambio automatico. Mesmo o modelo top mais equipado é mais barato que o J6, e aquele painel azul é o que lembra que é um carro chines. E ainda tem a confiança da marca Nissan que aos poucos o brasileiro vai reconhecendo.

    ResponderExcluir
  18. Bob,
    Eles comentaram sobre a classificação do lubrificante do motor, sua composição? Achei estranha essa periodicidade para troca, já que é um tanto reduzida para os padrões atuais.

    Como funcionou o ABS? É daqueles que permite boa margem de modulação dos freios pelo motorista ou dos que "se adiantam"?

    E, como é classico em suas avaliações, o carro conta com bate-pé para o motorista?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Bob, se você fosse comprar, ia nela ou na Grand Livina?

    ResponderExcluir
  20. Bob, experimentem um sistema de comentários diferente deste padrão do blogger.
    Que tal o Intense Debate ou o Disqus?
    É preciso dar um basta a certos anônimos que vêm aqui apenas para criticar por criticar, ofender e desrespeitar você e os demais autores do blog.

    ResponderExcluir
  21. Intensedebate eh muito bom.

    Falando do carro, a preco de Livina, fico com o Nissan.

    ResponderExcluir
  22. Marcelo Junji14/08/11 19:23

    Achei que seria mais barato. Acho que os chineses já sacaram a mentalidade do brasileiro.

    ResponderExcluir
  23. Marcelo Augusto14/08/11 19:25

    A minivan da Nissan tem largura de carro pequeno, já que tem base do Clio europeu que também é a mesma do Tiida. Da categoria da J6 só mesmo as minivans médias. Para levar 5 e bagagem com caixa manual, o melhor custo/benefício, e minha escolha, seria uma perua, Mégane ou i30SW.

    ResponderExcluir
  24. Bob, vai levar tempo para eu ver um produto chinês, com a mesma credibilidade que vejo um japonês. Agora, uma coisa que não vai acontecer nunca, é eu me acostumar com a idéia de prestigiar um produto de um país comunista, he, he! Vou de Livina.

    Mr. Car

    ResponderExcluir
  25. O problema não é ser anônimo e sim achar que os outros não podem expressar suas opiniões tranquilamente.

    Acho curioso que quando se fala de CET, etanol e ecochatos, vão com tudo. Mas quando se fala de carros, seja qual for, é de uma suavidade, cuidado e benevolência extremas.

    Só falta escrever que o Effa M100 é um ótimo carro.

    ResponderExcluir
  26. Achei o acabamento ruim, principalmente o da porta, o Chery Cielo e o Lifan 620 têm acabamenro bem melhor. Esse carro não vale 60 mil, no máximo uns 45 mil e o J3 35 mil.

    ResponderExcluir
  27. Sobre os carros da JAC me parecem ser bons, se não tivessem o mínimo de padrão de qualidade o Haab não estaria cuidando da marca no Brasil.
    Lógico, que somente com o tempo poderemos ver que além da qualidade de montagem, veremos se teremos também a durabilidade.

    Sobre as avaliações do Bob, apesar dele nunca ter dito, acredito bem que sejam plurieditoriais. Sejamos rasoáveis. Um blog por com tantos textos de altíssima qualidade tem um custo. Creio que o Bob dedique um bom tempo ao blog, e não há nada mais justo que ele ganhe dinheiro com este. É muito simples! Sobre os comentários de anônimos. Se tirar a permissão para anônimo tem gente tão atoa que é capaz de criar contas só pra vir falar besteira. Realmente o que falta é B-O-M S-E-N-S-O.

    ResponderExcluir
  28. Eurico Jr.14/08/11 20:59

    Bob, tem mais é que acabar com os comentários anônimos mesmo. Quando o povo não tem capacidade moral ou intelectual para exercer uma prerrogativa corretamente, deve-se acabar com ela.

    ResponderExcluir
  29. Bod@ao
    Você está completamente equivocado a meu respeito e/ou não entende o que lê. Ambas as coisas lamentáveis, é mesmo de dar pena.

    ResponderExcluir
  30. Leo Amaral14/08/11 21:59

    rasoáveis? que palavra é essa Bodão?
    Que não gosta dos textos publicados no Blog simplesmente não deveria mais entrar e ler...

    ResponderExcluir
  31. Bob,

    Percebo que fiz uma leitura errada, então. Fica aqui o pedido de desculpas.

    Danilo

    ResponderExcluir
  32. Leo Amaral,

    Faltou o corretor.....

    Sobre a parte de quem não gosta concordo plenamente. Não gostou muda de página, horas!

    Danilo

    ResponderExcluir
  33. Nao vi pessoalmente, mas acho que tem tudo pra dar certo, pois pega os fãs da finada Scenic, e as Picasso e Livina são excessivamente feias.
    Se baixar um pouco o preço, pra uns 55 mil, vai dar trabalho.

    McQueen

    ResponderExcluir
  34. Excelente texto Bob muito boa avaliação. Dá uma boa ideia do que é o carro. Mais concorrência é sempre bem-vinda para nós consumidores.
    Mas sinceramente prefiro pagar 55 mil em um polo sedan 1.6 com ABS/AIR BAG apesar de considerá-lo um veículo ultrapassado.
    Abraços e sejam felizes.

    P.S.: Como tem gente chata!

    ResponderExcluir
  35. Bob, você talvez seja o jornalista que mais conhece carros no Brasil.
    Merece um pouco mais de respeito.
    Determinadas pessoas não estão aptas ainda a participar deste Blog.
    Alguns participante são mal-educados, ignorantes, irritantes e tolos. Não contribuem com nada.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  36. Nunca pensei que diria isso, mas comecei a me interessar pelo carro...
    Achei o estilo bonito, apenas colocaria pneus de perfil mais alto;
    Interior legal, controle de som no volante, ar digital. Só muitos detalhes cromados, poderia ter menos;
    Porta-malas de 720 litros? Fantástico.
    Sistema de freios excelente, com discos nas 4 rodas, Abs, Ebd.
    Achei o desempenho fraco pela motorização.
    Entreeixos de 2,70 m, significa bom espaço interno.
    E pra fechar, garantia de 6 anos.
    Enfim, pra um people carrier, pra esposa transportar os filhos e bugigangas diversas, acho que é uma das melhores opções.

    McQueen

    ResponderExcluir
  37. É Bob, não publicar os anônimos é um caso a pensar. A Internet nasceu para não haver qualquer tipo de censura e dentro do possível, deve ser assim. Este é um blog de auto-entusiastas e não vejo nenhum problema em identificar-se. Até escreveria em um blog de político como anônimo para chama-lo de ladrão, FDP e outras coisas mais, mas não aqui.
    Abração, Luiz

    ResponderExcluir
  38. Luiz Dranger14/08/11 23:36

    Falhou, no post acima a assinatura é Luiz Dranger

    ResponderExcluir
  39. Estou vendo com bons olhos a entrada dos chineses no mercado brasileiro. Concorrência é sempre saudável, nosso mercado precisava de mais uma sacudida, no estilo daquela que o Collor deu quando acabou com quase 20 anos de proibição de importações.

    Nossa indústria está acomodada demais, com legislações protecionistas e sentando em cima de altíssimas margens de lucro. Os chineses vêm para trazê-las de volta à realidade.

    Não dou 3 anos para os chineses chegarem ao nível de qualidade que os coreanos têm hoje.

    E VIVA A CONCORRÊNCIA!!! Aos fabricantes que não gostarem, lembro de uma frase que minha mãe diz desde que eu era criança: "quem não tem competência, não se estabelece .

    ResponderExcluir
  40. Bob,

    Por mim já teríamos cortado comentários anônimos faz tempo.
    Proponho também que comentários que coloquem em dúvida nossa honestidade também sejam cortados.
    Este blog é democrático até certo limite. Ele tem dono, sim. Somos nós os donos. Somos nós que o mantemos vivo. Não temos que dar corda a esse tipo de gente que tenta nos rebaixar ao nível lamacento deles.
    Eles que leiam comentários parciais de gente idiota que fica colocando pelo em ovo só pra fazer tipo de quem entende. Não fazem idéia que hoje praticamente não tem mais carro ruim. A engenharia avançou pacas e o investimento é violento.
    Corta esses caras. Goiaba sem bicho-de-goiaba é melhor.

    ResponderExcluir
  41. Bob,

    Retirado da Constituição da República Federativa do Brasil:

    Art. 5º: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

    IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;


    Pessoalmente, sou da opinião de que não deveria ser permitida a postagem de comentários anônimos.

    Anonimato serve apenas para quando queremos denunciar uma situação injusta e podemos ser prejudicados por aqueles que perpetuam a injustiça.

    Fora disso e, principalmente, num ambiente democrático em que cada um tem o direito de expressar livremente o seu pensamento, é a arma dos covardes que não tem hombridade de assumir suas próprias opiniões. Anonimato, numa situação dessas, é postura de quem é frouxo. Esta é a MINHA OPINIÃO, honradamente assinada com todas as letras:

    CARLOS MAURICIO FARJOUN

    ResponderExcluir
  42. Aléssio Marinho15/08/11 00:28

    Meus pais me ensinaram a quando entrar na casa de alguém, sempre limpar os pés, cumprimentar todo mundo que estiver presente, falar em tom moderado e sobretudo, respeitar o anfitrião.

    ResponderExcluir
  43. Aléssio Marinho15/08/11 00:34

    Quanto a J6, pra melhorar a percepção de qualidade do produto, deviam trocar a cor da iluminação do quadro de instrumentos. Um verde ou laranja seria mais sério.
    De resto, a primeira impressão é que parece um produto robusto.
    Contraste com a EFFA que conheci esses dias. O acabamento da porta traseira era de corino(?) liso, sem nenhuma decoração.

    ResponderExcluir
  44. Vale lembrar o que o AK escreveu uma vez (e eu achei ótimo), "...essa história de fazer carros sem defeitos é uma grande mediocridade"

    Me pareceu que o J6 é o caso acima.

    Bob, conta pra gente qual foi o último carro zero que você testou e te deu prazer em dirigir.

    ResponderExcluir
  45. Achei um pacote interessante Bob;

    Sou dono de uma Gran Livina e o J6 se encaixa no meu perfil de compra. Gostei do visual meio parrudo com as rodas "enchendo" bem a lateral e o porte bem parecido com uma caríssima C4 Picasso que - por acaso - é enfadonha de dirigir.

    Mas ainda tenho alguma reserva para a aparente fragilidade da Livina (portas, motores dos vidros elétricos), e seu motor um tanto errático para lançar em baixos giros e em topografias urbanas mais acentuadas. Por isso, não queria um familiar com as mesma características visto que achei um tanto elevado os 1500 kgs da J6 e seu motor parece tão agudo quanto o da Livina - que justiça seja feita - pode andar barbaridades com espaço aberto. E a questão de fragilidade de acabamento e suspensão, melhor esperar mais um pouco.

    Eu aguardava uma Freemont com caixa manual, mas parece que não vai rolar...e acho que uma nova Zafira (parruda, e com mais oferta de torque) vai demorar um pouco. Por curiosidade, se possível, vou tentar avaliar a J6.

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  46. Toda essa discussão só porque alguns cabeças ocas se dedicam a malhar o carro somente pelo fato dele ser chinês ?

    Às vezes acho que o brasileiro tem mesmo que se estrepar, tem gente que merece.

    ResponderExcluir
  47. Os preços estão salgados mesmo! Ate achei que a diferença entre o J3 e o J3 Turim ta bem baixo e é por isso que a cada 1 J3, vejo 5 J3 Turim aqui no Rio. A maioria Preto ou Branco.

    O problema é que quem trouxe a JAC motors foi o Habib ... o mesmo da Citroen na decada de 90! Se fosse um importador chines, o preço estaria la embaixo, mas acredito que as avaliações sábias do BS nao seriam tao boas assim!

    abs

    ResponderExcluir
  48. Vocês já deveriam ter proibido os comentários anônimos há muito tempo! Apóio integralmente a medida.

    Quanto ao J6, acho o seguinte: poderia eventualmente (quem-sabe, talvez, etc) valer a pena se fosse bastante mais barato que a concorrência. Prefiro a old-Picasso, a Livina ou a Grand Livina a um carro feito por novatos no ramo (4 anos fazendo automóveis). Do mesmo modo, é preciso ter um parafuso a menos pra preferir um J3 a um old-Fiesta, ambos com equipamentos e preços similares. Afinal, a Ford faz carros há um século!

    Abs, Ricardo Montero

    ResponderExcluir
  49. No post do J3 fiz um comentário que repito. Fico com a opinião de Roberto Nasser a respeito dos novatos. Quanto ao preço não vejo nada de revolucionário nesse J6. Desejo muita sorte à quem se aventurar na marca. Vão precisar...

    ResponderExcluir
  50. Não-às-carroças15/08/11 11:09

    Se a Grand Livina não fosse tão feia, com aquela traseira espichada que lembra Saveiro adaptada para funerária, não daria chance nenhuma para essa chinesa. Pode falar o Faustão o que ele quiser.

    Mas, como sabemos, no fim das contas quem vai vender ainda é a jurássica Zafira com motor "Monzatech"...

    ResponderExcluir
  51. Lembrando também que os dois modelos da própria recém-lançada Fiat Freemont, a depender de um bom desconto para CNPJ que a Fiat parece já oferecer a outros modelos (e também da disposição das concessionárias a honrá-lo - um dos problemas do Renault Fluence), podem ter seu preço reduzido para a casa dos 60 ou 70 "pau", tornando a preferência por essa JAC ainda mais complicada...

    ResponderExcluir
  52. Lembrando que a maioria dos cometários anônimos é respeitoso, mesmo quando discorda do autor do post. Mas a maioria paga pelos erros de uma minoria, como sempre.

    ResponderExcluir
  53. Não vejo nada de bom em comprar carro chines ou coreano e só fazer a concorrência baixar irrisoriamente os preços. Grande coisa ser mais barato e vir "completo" e não ter credibilidade ou renome no mercado. Só olhar o tanto de reclamação nos fóruns da vida e no valor de revenda final.

    Agora fazer protestos e boicotes sérios a esse cartel de super preços dos carros e tudo nesta terra ninguém faz ! Cada vez mais o Brasileiro é assaltado todo santo dia, cada vez mais os carros estão mais caros e inferiores aos mesmos de fora, isso quando a maioria não e arcaico e inseguros.

    Toma vergonha povo !

    ResponderExcluir
  54. O brasileiro critica tanto os carros chineses e quando olha para o umbigo percebe que não existe sequer um grande fabricante de carros genuinamente nacional.

    Gostaria muito de ver um carro de série brasileiro malhado num blog da Europa, por exemplo... mas não tem nenhum!

    Aí quando uns corajosos resolvem construir carros de fibra semi-artesanais aqui no país, vem aquela cambada tecendo comentários irônicos.

    Gente, não adianta malhar os chineses: eles vão engolir o mundo, pois resolveram acordar de séculos de isolamento geo-político.

    ResponderExcluir
  55. Rodrigo Barreto15/08/11 15:10

    Visitei um concessionário JAC Motors logo que abriu as portas aqui perto de casa e vi de perto e demoradamente uma J6. De fato, a qualidade de construção dos chineses não deixa nada a dever aos brasileiros equivalentes. Seja Lifan 320, JAC J3 ou mesmo o Chery Face, qualquer deles é tão bem (mal) acabado quanto os Gols, Palios e Unos brasileiros. Isso sem nem citar o Celta e o Mille que são casos de cortes extremos em qualidade e custo!
    A J6 por exemplo tem todos os comandos com molas de movimento amortecido, inclusive a tampa do porta-luvas. Quais carros têm isso no Brasil hoje? São bem poucos! Os painéis são todos com folgas regulares e a pintura é bem acabada. Inclusive com pintura no cofre do motor, coisa que as versões mais básicas do C3 não têm. Até mesmo o Renault Fluence não tem estofados nas portas traseiras em seus modelos mais básicos. Coisa que alguns chineses têm.

    Muita gente reclama apenas por não querer aceitar a idéia de que é dioturnamente roubado pelas montadoras brasileiras! Elas nos inpingiram nos últimos anos o costume de comprar carros defasados por preços altos! Achamos que estamos fazendo bom negócio imaginando bons valores de revenda, e deixamos de nos satisfazer com qualidade em nome de uma pseudo-vantagem. Carro hoje em dia é artigo de consumo! Já deixou de ser investimento ou bem durável em praticamente todos os países mais desenvolvidos. Mas nós brasileiros, tratados como gado há tanto tempo, vemos o mundo de forma míope, somos enganados e batemos palmas.

    Voltando ao J6, de fato, o motor é um pouco fraco para o peso do carro. Mas que ele é sólido e bem construído só quem é minucioso na análise como foi o BS pode dizer. Eu que já pude guiar um e tb sou exigente em qualidade pude atestar que não há no J6 nada que o desabone frente à concorrência atual. São todos equivalentes com um ou outro ponto melhor...

    Abraços a todos do Blog. Perdoem esse post longo mas é chato ler opiniões de pessoas que depreciam análises mais sérias e só demonstram preconceito e desinformação.

    PS: Abaixo os posts anônimos. Não há nada que os justifique!

    ResponderExcluir
  56. Que diferença faz um leitor Anônimo, de um que usa um nome falso?
    Pelo que sei, muitos dos que postam neste blog usam nomes falsos.
    Melhor então, não ter mais o blog, principalmente se as críticas e as opiniões não forem bem vindas.
    Que se forme um clube fechado.
    Acho que os Srs. deveriam rever os seus conceitos.

    ResponderExcluir
  57. Eu posto como anônimo visto que estou com problemas no meu antigo provedor, evidentemente que sempre me identifico, e duvido que nos anos que "milito" por aqui eu tenha alguma vez causado um mínimo de desconforto.

    É só não alimentarmos discussões com gente sem noção que tudo fica muito bem...autoentusiastas é um espaço diferenciado, não um orkutão onde impera o "naum" o "KKKK" e outras idiotices que estão aniquilando o vernáculo.

    Mister Fórmula Finesse

    ResponderExcluir
  58. O carro é bom, conforme entendemos do texto do Bob.
    Eu não comprarei um carro chinês, porém, pois provém de um País que só é capitalista para ganhar dinheiro do mundo.
    Quando for uma Nação mais livre (já que liberdade absoluta não existe ), poderei reconsiderar minhas escolhas e incluir chineses.

    ResponderExcluir
  59. marcelo vieira (jmvieira)15/08/11 17:06

    eu torço muito que os chineses deem certo de forma relativa: que mantenham os preços para não perderem mercado e mantenham o nivel de opcionais. torço tb para que eles tenham durabilidade. nao vejo o preço versus os itens de conveniencia/conforto como uma afronta a qualidade de construção ou de durabilidade, pois no brasil carro é caro, então os chineses nao fizeram magicas, apenas repensou-se o lucro.

    ResponderExcluir
  60. Bob, achei engraçado vc incluir a foto com o farol auxiliar de neblina aceso, hehe.

    ResponderExcluir
  61. O carro não é ruim, mas certamente é caro.
    Se fosse comprar algum veículo deste gênero, optaria por Livina ou mesmo a Picasso.
    Para mim a Jac ainda não tem credibilidade de cobrar o mesmo que os concorrentes, deveria seguir cobrando menos, bem menos!

    ResponderExcluir
  62. Acho que o preço está muito alto para um carro que quer entrar no mercado.

    A Gran Livina ainda mora no meu coração.

    Talles

    ResponderExcluir
  63. Arnaldo Keller;

    Apoio e endosso!

    Acabem com esses anonimos que, com todo respeito só bagunçam o AutoEntusiastas.

    São um bando de COVARDES esses anônimos que não tem a CORAGEM de colocar o proprio nome para defender suas idéias.

    para postar algo no UOL tem que ser cadastrado.. Aqui tem que ser igual.

    ResponderExcluir
  64. Acho tudo isso um saco15/08/11 21:34

    Quanto rancor em vossos corações...
    O autor fez a avaliação dele, sob os critérios dele.

    Se eu for considerar que todo jornalista que tem um opinião diversa da minha "é vendido", melhor eu comprar um mimiográfo e editar meu próprio veículo de informação. Com tiragem de um exemplar.

    Li e reli várias vezes e não achei nenhuma indicação mandando eu ter que ter as mesmas impressões do Seu Sharp. Ou num exagero, ter que comprar o carro.

    ResponderExcluir
  65. JAC e outros Chineses, to fora acho que por muitos anos ainda.
    Como autoentusiasta, analiso carro com objetividade temperada por certa dose de passionalidade.
    Quando entro em um carro, pode ser até um simples Celta, olho a gravatinha no volante e imediatamente sei de onde ele vem e um Chevrolet, ao reconhecer de quem é maquina, vejo se ela se comporta como um, e por incrível que pareça a resposta é sim, o mesmo vale para um Volkswagen.
    Entrando em um JAC, Cherry etc, não sei o que esperar, não tem tradição nenhuma, eles tem que construir a deles, como os Japoneses fizeram levando seus carros e motos para competir provando assim que são bons, é só ler um pouco de historia que vocês saberão sobre o que eu escrevo.
    Acho que para evitar polêmica se eu estivesse escrevendo sobre o J6 iniciaria dizendo, “segue uma avaliação fria e imparcial, desprovida de qualquer opinião particular como se um computador estivesse escrevendo, não um autoentusiasta que atrai seus leitores com opiniões personalizadas”.
    Bob; espero que vc tenha sido somente profissional, descrevendo o que viu, também espero que sua opinião, não publicada, esteja cheia de duvidas quanto a real qualidade e durabilidade do você esta vendo e por ai vai.
    Acosta

    ResponderExcluir
  66. Olavo Fontoura15/08/11 23:34

    No final das contas, quem são os maiores autoentusiastas???

    Nós brasileiros, "apaixonados" por carros, que não temos sequer um fabricante genuinamente nacional, ou os os chineses, que estão num país repleto de fábricas que constroem automóveis dos mais variados tipos, desde cópias descaradas até exemplares com desenho, mecânica e características únicas???

    Enquanto alguns ficam aqui ladrando como cães, achando que Chevrolets são o supra sumo da qualidade e tradição automobilística, os chineses continuam a trabalhar, projetando e construindo automóveis cada vez melhores.

    E para muita gente, a única coisa que resta é mesmo menosprezar, que é a atitude típica de quem não sabe fazer algo melhor...

    ResponderExcluir
  67. JUVENAL JORGE
    VC NAO PODE COMPRAR MAIS NADA DESSE MUNDO A NAO SER HARLEY DAVIDSON E OLHE LÁ.

    TUDO VEM DA CHINA LEMBRA? QUE DESCULPINHA BOBINHA ESSA SUA PARA NAO COMPRAR UM JAC E OFENDER O PATROCINADOR DO BLOG.

    ResponderExcluir
  68. Acho que é questão de tempo até as marcas chinesas chegarem ao nível das marcas mais consolidadas.
    Além de ser muito bom a entrada delas aqui no mercado brasileiro, porque oferecem um pacote mais completo por um preço mais competitivo...diferente dos caros carros pelados que temos aqui.

    ResponderExcluir
  69. ""Anônimo disse...
    Que diferença faz um leitor Anônimo, de um que usa um nome falso?
    Pelo que sei, muitos dos que postam neste blog usam nomes falsos.
    Melhor então, não ter mais o blog, principalmente se as críticas e as opiniões não forem bem vindas.
    Que se forme um clube fechado.
    Acho que os Srs. deveriam rever os seus conceitos."

    Não são "nomes falsos". Estamos na Internet, e na Internet essas são as identidades das pessoas que comentam.

    ResponderExcluir
  70. Não-às-carroças16/08/11 09:42

    "Arnaldo Keller disse... Proponho também que comentários que coloquem em dúvida nossa honestidade também sejam cortados."

    Uau! Viva a ditadura.

    ResponderExcluir
  71. Não-às-carroças disse...

    "Arnaldo Keller disse... Proponho também que comentários que coloquem em dúvida nossa honestidade também sejam cortados."

    Uau! Viva a ditadura.
    16/08/11 09:42

    Então vá ler a Carta Capital dirigida pelo "simpatico" e "democrático" jornalista (com j minusculo mesmo) Mino Carta e pára de ler AutoEntusiasta.

    ResponderExcluir
  72. Não vou mais assinar "Renan Veronezzi" abaixo dos meus comentários. Não comentarei mais como anônimo, apesar de nunca ter comentado no anonimato. Espero mesmo que o nível dos comentários deste blog volte ao que era antes.

    ResponderExcluir
  73. Renan, infelizmente não irá voltar ao mesmo nível, pois infelizmente existem muitos malas que vem aqui só para tumultuar, julgar, criticar (sem embasamento) e ainda tentam se passar por santos.

    Vou começar a ler somente as matérias e ignorar os comentários, pois quando vejo que estes passam dos 30 e poucos, já significa que o assunto descambou.

    Abs

    ResponderExcluir
  74. Também sou a favor de acvabar com os anônimos. Se temos apiniões, que as assumamos, agradando ou desagradando a quem quer que seja. A experiência do Bob nos dois lados deve ser respeitada e levada em consideração. Como ele disse, jornalismo automobilístico ou se tem inerente ou não se leva jeito pra coisa, assim como há bons motoristas e gente que não deveria sentar no banco à esquerda atrás daquela roda que aciona a buzina... O Bob foi piloto, dono de concessionária, assessor de imprensa e reporter de revista especializada. Seu currículo fala por si. Também não concordo com algumas opiniões dele sobre air bag, tapetes e películas, mas temos que exercitar a tolerância sempre. Quanto aos carros chineses, queiramos ou não, eles vieram para ficar, e em alguns anos estarão no nível de qualidade que os coreanos levaram 15 e os japoneses 30 anos para chegar. Dirigi o J3 e tive uma boa impressão: bom motor, câmbio adequado ao tamanho e peso, acabamento ok. Tive ressalvas quanto ao brilho excessivo do painel à noite, e só. Foi só eles chegarem que as outras fábricas centenárias com modelos "decadários" no nosso mercado baixassem seus preços, provando que há muita gordura pra queimar ainda. Quem viver verá, e o próprio mercado se encarregará de separar o joio do trigo, como aconteceu com os franceses há uns quinze anos. A Honda lucra em média 15 mil reais a cada City vendido. O Hyunday I30 nem é comercializado nos USA, e o Kia Cerato (com o nome Forte naquele mercado)é considerado um carro popular pros padrões deles, ao lado de Cruze, Jetta e Focus. Para finalizar, se o J6 custasse esse valor com câmbioautomático sequencial com trocas no volante, e o manual de entrada chegasse a uns 49.000 seria matador, mas não vão matar a galinha dos ovos de ouro desse jeito... Nossos carros custam o que o mercado paga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem porque o importador dos carros da JAC Motors baixar os preços, pois, em muitos casos no Brasil, um mesmo importador de um produto qualquer, também importa outras marcas que deveriam ser concorrentes...

      Assim, é mais lucrativo nivelar os preços. Lógico que, como o brasileiro paga o que as montadoras pedem, elas nivelam o preço "por cima"!

      Excluir
  75. Ronaldo Nazário16/08/11 14:26

    Ai Jesus Cristo....

    Carro de pobre!!!

    Ronald nunca andará num lixo desses!

    A Milene pode!

    ResponderExcluir
  76. Alexandre, pode procurar todos os meus comentários neste post, com a palavra-chave "Renan Veronezzi". Eu e muitos outros, você também, tentamos manter a civilidade, mas o meu medo é que os comentários fiquem como o da revita 4Rodas. Uma disputa para ver quem grita mais alto e quem diz mais asneiras.

    ResponderExcluir
  77. Pois é Renan, eu nunca entrei no fórum/blog da 4rodas, nem imagino como seja, o máximo que fiz lá foi rever umas reportagens do início dos anos 80 e só. Mas já imagino que seja uma porcaria pelo que vc diz e pelo que vejo de certos pseudo-anônimos que insistem em escrever baboseiras por aqui.

    Para ser sincero, nem sabia dessa ferramenta de busca do blog, vou procurar aqui e comparar umas coisas.

    Enfim, a minha parte eu fiz quando começaram a falar groselhas sobre o anonimato, vamos ver como ficará daqui para frente.
    Abs

    ResponderExcluir
  78. o carro é completo, grande e tem um bom motor (levando em consideração q a Zafira nos seus primeiros anos teve um motor 2.0 com 116cv) mas os chineses ainda ñ tem a credibilidade q as "tradicionais" tem aqui no Brasi e ñ vai ser com preços altos iguais aos delas q as chinesas vão conquistar mercado ñ...
    acho q se essa J6 custasse no máximo uns 55 mil ela venderia até bem, mas 60 mil, hum hum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem porque o importador dos carros da JAC Motors baixar os preços, pois, em muitos casos no Brasil, um mesmo importador de um produto qualquer, também importa outras marcas que deveriam ser concorrentes...

      Assim, é mais lucrativo nivelar os preços. Lógico que, como o brasileiro paga o que as montadoras pedem, elas nivelam o preço "por cima"!

      Excluir
  79. Irlan
    No caso da velha Zafira, apesar dos 116 cavalos de outrora, o torque (não lembro o valor) já estava todinho entregue antes do conta-giros marcar 3000 rpm. Num carro pesadão isso faz (muita) diferença.

    ResponderExcluir
  80. Os chineses vieram para abalar a concorrencia e quem vai sair ganhando é o consumidor...
    abs

    ResponderExcluir
  81. Achei o carro muito caro para uma marca nova de mercado, de um país que não tem tradição no ramo e que ainda tem que mostrar a que veio. Tão indo com muita sede ao pote, vamos ver se vão conseguir manter as vendas altas quando o fator novidade passar.

    Niro

    ResponderExcluir
  82. O verdadeiro estado da arte18/08/11 14:36

    Eu queria saber onde um motor 2 litros com bloco de ferro e 136hp é "state-of-the-art", pra evitar a tradução do termo americano.

    Se isso aí é o state-of-the-art, o que seria o K20Z3 da Honda, também de 2 litros só que todo em alumínio com comandos de duplo perfil e polias eletronicamente variáveis que rende, em versões originais e aprovadas em testes de emissões, 110hp POR LITRO?

    Bob, acho que nessa avaliação vc exagerou um pouco nos elogios às tecnologias do carro.

    Isso aí é apenas um people-mover desenhado para ser barato de produzir. Não tem absolutamente nada de state-of-the-art neste carro!!

    ResponderExcluir
  83. O verdadeiro estado da arte18/08/11 14:53

    Em tempo, realmente hoje em dia com a popularização do conhecimento e o avanço da informática ficou mais fáci fazer carros que não sejam ruins.

    O que não necessariamente significa que eles sejam bons no sentido de nos trazer a emoção que um entusiasta deseja...

    Praticamente qualquer liquidificador consegue fazer um suco de frutas. E num teste rápido, provavelmente vamos gostar do suco feito em todos eles. Mas será que a operação dessas máquinas vai nos trazer algum prazer? A posse irá nos confortar? Desenvolveremos laços emocionais com nossos liquidificadores? Muito difícil...

    Hoje em dia realmente é quase impossível encontrar um carro novo RUIM, mas quase todos os carros novos de produção em massa estão virando liquidificadores.

    Considerando tudo isso e avaliando o que este carro nos traz de tecnologia eu volto a afirmar que não há nada state-of-the-art neste produto. Nada mesmo! Até pq state-of-the-art é incompatível com baixo custo.

    ResponderExcluir
  84. O verdadeiro estado da arte18/08/11 14:59

    A crueldade da avaliação jornalística é que ela costuma ser apenas a fotografia do momento ótimo do produto, são avaliados sempre carros novos, revisados e algumas vezes até -por má fé do fabricante- melhorados.

    Já a experiência de ser proprietário de um desses veículos está fora da alçada do jornalista que avalia o veículo. Algumas revistas ainda investem e testes de longa duração. São interessantes sem dúvida, mas não deixa de ser apenas um produto num universo de milhares. Estatisticamente estes testes, apesar de bons, são irrelevantes.

    O preconceito contra carros chineses não vem tanto da idéia de serem produtos ruins mas sim do medo de não serem produtos duráveis. Quando estamos falando de um produto que muitas vezes é o segundo ou até o primeiro maior BEM do patrimônio do cidadão, isso ganha bastante importância.

    Eu não sei o que foi que o pessoal comentou ai em cima pq tá tudo apagado e eu cheguei agora na conversa. Mas imagino que tenha sido apenas a dificuldade de expressão de meia dúzia de incautos que confundiu suas emoções e desconhece as razões de seus medos que geram os preconceitos.

    Em tempo, eu jamais teria um carro chinês hoje. Assim como também não compro carro coreano.

    Alguém ainda vê algum Hyundai Elantra em boas condiçoes nas ruas? Todos se acabaram. A 20 anos atrás os coreanos eram MUITO ruins.

    De 10 anos pra cá os Coréias evoluíram MUITO. Talvez na próxima geração de carros eles consigam se equiparam em qualidade aos japoneses. Aliás os japoneses nos anos 60 e 70 tb eram bem ruinzinhos. Só começaram a acertar a mão de verdade nos anos 80!

    Os chineses sem dúvida nenhuma chegarão lá, mas acho que ainda falta chão. Todavia os aplaudo por estarem aqui pois TODA concorrência é saudável.

    Para finalizar o meu comentário repito o que foi dito aí em cima. Boa sorte aos que comprarem carros chineses neste momento!

    ResponderExcluir
  85. Ronaldo Nazário19/08/11 15:14

    Aí Verdadeiro,

    Me deu uma saudade do Zullino...

    ResponderExcluir
  86. Ronaldo Nazário19/08/11 15:19

    Ai MÉÉÉÉÉÚUU DEEEEEEEUUUUUSSSSS!!!!

    OLHEM AÍ O EFEITO JAC!

    QUEM COMPROU COMPROU!

    E VOCêS TOLINHOS ACHARAM QUE AS GRANDES IRIAM DEIXAR FÁCIL ESSA???

    http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/08/18/brasil-vai-aumentar-tarifa-sobre-importados-para-tentar-deter-concorrencia-chinesa-925161905.asp

    ResponderExcluir
  87. Um roubo! No Chile o Jac J6 lá denominado Jac trip tem o preço de venda a equivalentes a R$ 22500. Isso mesmo! O preço aqui é duas vezes e meia do que cobrado no Chile.

    Não há carga tributária que justifique tamanha diferença de preço. O preço justo para venda desse carro, sem abrir mão de uma generosa margem de lucros seria de aproximadamente, no máximo R$ 45 mil reais.

    Um verdadeiro roubo que o sr. Sérgio Habib faz ao vender o Jac 6 por pouco menos de R$ 60 mil reais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que eu escrevi em postagens anteriores:

      Não tem porque o importador dos carros da JAC Motors baixar os preços, pois, em muitos casos no Brasil, um mesmo importador de um produto qualquer, também importa outras marcas que deveriam ser concorrentes...

      Assim, é mais lucrativo nivelar os preços. Lógico que, como o brasileiro paga o que as montadoras pedem, elas nivelam o preço "por cima"!

      Excluir
  88. Sobre a suposta parcialidade da reportagem, não percebi nada. E com certeza vou reclarmar se perceber alguma no futuro, como faço em outros sites.
    Uma coisa que a maioria faz é ignorar o futuro. Esse carro, por exemplo. Daqui a cinco anos, já que a garantia é matusalendica, quanto que custará a revisão de por exemplo 100.000km? Será que essa fábrica ainda estará no brasil? Um carro novo é tudo de bom, mas e daqui a três anos de uso?

    ResponderExcluir
  89. Pelo conteúdo da "reportagem", esse Sr. Sharp deve ser o criador das propagandas da Hyundai também.
    "JAC, o melhor carro chinês DO MUNDO"
    Estdo de arte. Um motor BMW então seria classificado como? Eu hein...

    ResponderExcluir
  90. Bob Sharp; parabenizo-o pela matéria como sempre imparcial, de impecável conteúdo técnico e exemplar maneira de criticar sem debochar ou desrespeitar seja qual for a marca ou automóvel. Afinal esse é o propósito do blog, falar sobre carros. Aproveito para dizer que o admiro como profissional e pessoa, e respeito suas considerações como experiente jornalista automotivo. Finalizando, acho ótima a ideia de o blog vetar posts de "anônimos", pessoas que tem coragem de falar qualquer coisa por trás de uma tela de computador, mas não tem coragem sequer de mostrar a cara, de assinar com o nome aquilo que falou. Um abraço e sucesso para a equipe AE!

    ResponderExcluir
  91. quem aqui comprou esse CARRO.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...