Google+

16 de agosto de 2011

OS BEM-VINDOS NOVOS CÂMBIOS AUTOMÁTICOS



Atualmente, carros com câmbio automático perdem por pouco em desempenho para os modelos similares manuais. Alguns automatizados, como o sistema PDK da Porsche, são até mais rápidos numa prova de aceleração.

Não era assim até alguns anos atrás. Se você queria um carro de câmbio automático para evitar mudar marchas, você de antemão já sabia que seu carro, além de gastar uns 10 % a mais de combustível, andaria bem menos que o modelo manual, e a piora não seria só na arrancada, não; a maior piora seria quando pegasse a estrada, pois os câmbios automáticos tinham no máximo 3 marchas e essa 3a e última marcha costumava ser bem mais curta que a última marcha (4a ou 5a) que o câmbio manual tinha.

Um exemplo é o câmbio automático do Opala 6-cil da década de 80. Sua 3a e última marcha é tão curta que o motor se esgoela a 120 km/h – um desperdício de potência e combustível. O VW Santana 1993 que tive era assim também, um horror na estrada, amarradão.
Todo mundo sempre fala na comodidade dos câmbios automáticos modernos, mas ainda não ouvi falarem da segurança que proporcionam. Isso mesmo, segurança.

Para os amigos autoentusiastas, gente que sabe cambiar direito, o automático não agrega segurança, mas para outros muitos, sim. Darei um exemplo, já que a partir dele é que achei interessante escrever este post.

Há pouco vendi com um dó danado a perua Mondeo que pertencia à minha mulher. Deu dó porque era perfeita para o uso destinado a ela: cabia tudo, era macia, tinha câmbio automático de 4 marchas (4a longa, 3.200 rpm a 120 km/h), andava muito bem, curvava muito bem, viajava que era uma beleza, etc, mas estava meio velhusca e carro de mulher não pode dar xabú, então comprei uma perua Renault Scénic realmente semi-nova com 31 mil km.

Motor 1.600, 16V, câmbio manual. O motor, que num Sandero deixa o carro esperto, na Scénic é apenas suficiente. Carregada, então, é só suficiente mesmo. Mas é bem econômico e tudo bem.

Mas o trânsito deste fim-de-semana nas Rodovias Bandeirantes e Anhanguera estava besta pra burro – creio que muita gente viajou para ver os pais. Notei que recentemente, por algum motivo, o percentual de barbeiros apressadinhos aumentou nas rodovias. Na hora do rush das estradas viajar virou uma roleta russa.

Uns colam na traseira dos outros e vão como um trem encarrilhado. Diante disso, claro, engavetamentos virou regra.

Macaco-velho, escapei de um feio. Alguns encarrilhados se estreparam ali.

Odeio quando um pseudo-motorista desatento ao retrovisor fica na pista da esquerda, abaixo da velocidade permitida. Até aí tudo bem, mantendo distância segura, dou uns toques com a seta à esquerda ou uma piscadela de farol e aguardo. Só que nessas sempre vem outro pseudo-motorista e cola na minha traseira tentando me empurrar para que eu cole no da frente também. E pior fica, quando, por ter a faixa ao lado tomada, simplesmente não tenho como lhe dar passagem. Se eu tivesse como lhe dar passagem, já a teria dado há muito tempo, pois os deixo passar para que eles que fiquem com a tarefa de cutucar o desatento, e depois, quando liberar, passo eu também.

Nestes casos, fico ainda mais irado quando isso ocorre quando levo minha família, porque o jumento a está pondo em risco. Minhas entranhas de pai de família se reviram, mas faço de tudo pra disfarçar a irritação para não tornar a viagem desagradável e/ou com sensação de insegurança.

De qualquer modo, na estrada é bom termos um carro com uma boa reserva de potência para uma rápida aceleração, já que em alguns casos acelerar é o modo mais seguro de escapar de uma encrenca. Na minha mão a Scénic (1.6, manual), mesmo meio carregada, fica até que ágil. Já na mão de gente menos ligada que a gente, não fica lá essas coisas.

E onde entra o câmbio automático moderno no meio disso tudo?

Entra onde ele permite que gente que não é craque na guiada consiga fazer seu carro render todo o seu potencial nas retomadas. É só pisar fundo e praticamente todo mundo sabe fazer isso.

Diante dessa constatação, hoje recomendo carro automático pra quem não é do ramo.

Mais ainda recomendo, principalmente quando com a família, que não viajem em meio à turbamulta inconseqüente que infesta nossas estradas nessas ocasiões.

Não sou doido de meter minha família onde tenho pouco controle da situação. Pra mim, chega. 

AK

93 comentários:

  1. As rodovias, todas, que ligam São Paulo ao interior por qualquer direção, viraram extensões das avenidas da capital,num raio de abrangência que vai de 80 a 100 km.

    Por isso, o câmbio automático vai muito bem, neste anda e pára de praças de pedágio e entroncamento de cidades satélites.

    Mas depois de 100 km, bom mesmo é curtir o câmbio manual. Deveriam haver estações de troca de carros nessas alturas de pista, feito a troca de bitola das linhas de trem em Bauru!

    ResponderExcluir
  2. Isso irrita mesmo; passar por um trevo e ficar na faixa da esquerda para dar lugar a um caminhão que precisa entrar na faixa da direita afinal não vai puxar o freio de mão e esperar ali...), e um desses idiotas "Abram Alas" aparece querendo que você simplesmente vaporize no ar. A seta para a esquerda particularmente me irrita, porque não sei o que ela significa, assim como gente que dá seta dentro de rotatória.

    ResponderExcluir
  3. Odeio ficar com essa sensação, que você muito bem descreveu. A vontade que dá é a de parar pra ver se todo mundo passa e gente ir mais tranquilo atrás.

    ResponderExcluir
  4. Bom mesmo é andar à direita, já abandonei a faixa da esquerda há algum tempo, mesmo andando bem e atento. Sempre aparece um desses que não compreende a situação e acha que você tem que sumir da frente dele. Nunca andei a menos do que limite máximo sempre que a situação permitia, mas mesmo assim é tensa a coisa. Quer se matar? Vai com Deus. Câmbio automático é bom sim, mas sempre pensei nele no pára-e-anda da cidade.

    ResponderExcluir
  5. A seta para a esquerda é uma maneira, digamos, mais 'polida' de pedir passagem do que o relampejar dos faróis. Eu acho mais simpático.

    ResponderExcluir
  6. Arnaldo,

    Desisti do trecho final da bandeirantes em dias de maior movimento, uso a anhanguera do km 61 em diante, saio ali no aeroporto de Jundiaí. Muito menos stress, muito menos malucos. Sugiro que você faça o mesmo. Abração!!

    ResponderExcluir
  7. Com o câmbio automatico eu tenho sempre as duas mãos no volante. Na sinaleira o pé esquerdo está no freio e o direito pronto para o acelerador.

    A pena é que o pessoal "menos craque" continua dirigindo só com uma mão e ainda por cima apoiada na perna.

    ResponderExcluir
  8. Também recomendo câmbio automatico para aqueles que tem um pai meio surdo e que anda só com 3ª marcha engatada.

    ResponderExcluir
  9. Eu achava que automático era coisa de velho e tal, mas depois que comprei um carro automático, não quero outra coisa.

    ResponderExcluir
  10. É como o Bob falou esses dias: Quem tem preguiça (ou não sabe) cambiar, que vá para o automático. É capaz até do carro consumir menos com ele.

    Por agora não faço questão de caixa automática, mas sei que nem todo mundo tem vontade ou gosta de ficar trocando marchas (por preguiça ou por um joelho ou tornozelo que dói), a tecnologia está aí pra auxiliar.

    ResponderExcluir
  11. Aqui em BH, no anel rodoviário uso sempre a faixa do meio, mesmo assim tem louco que ultrapassa a 140 tanto pela minha esquerda quanto pela direita, beirando as valas e atrapalhando que entra e sai da via. A verdade é que dirigir está ficando cada vez mais estressante por causa desses engraçadinhos apressados que nem sabem dirigir direito.

    ResponderExcluir
  12. AK e Entusiastas;

    Realmente os cambios automáticos melhoraram e muito mesmo.

    Minha mãe tem um Vitara 1.6 JLXi A/T e é terrivel dirigir o danado...sempre com o pee embaixo.

    Com relaçao a segurança, eu endosso suas palavras, AK: Tem gente que põe o carro na estrada, pega um carro 4+E, coloca em 5 marcha e esquece do mundo...Ai tenta fazer uma ultrapassagem perigosa e reclama que o carro não tem desempenho, não presta, etc. etc.

    ResponderExcluir
  13. Também estou me convensendo que o melhor mesmo é câmbio automático.
    Meu pai é portador de deficiencia física e tem o direito de comprar carros automáticos com um bom desconto."Fiz" meu pai comprar um Astra HB automático, ainda está pra chegar, porque o que mais me irritava era que ele sempre coloca 2ª marcha nos cruzamentos onde se tem que parar mas que o carro ainda mantém alguma velocidade bem baixa. Nisso o carro sempre saia com uma vibração e eu não gostava disso. Agora com o automático é impossível isso acontecer e o motor não afoga nunca. Perfeito!
    Vai ser o primeiro automático da família, vamos ver como será!

    ResponderExcluir
  14. PS: A unica coisa que o A/T é mais INSEGURO que o manual:

    A maioria dos cambios não prende a marcha, vai passando para a marcha subsequente, num declive por exemplo, ocasionando a sensação de "carro desengatado" e exigindo demais dos freios que ficam mais propensos ao "fading"

    Vejo isso, por exemplo na Hilux. Acho um verdadeiro crime um carro de quase duas toneladas não prender a marcha, passar para a marcha subsequente. A Hilux já não tem um freio lá dos melhores, e ainda uma transmissão que não ajuda...Em nada difere de um caminhoneiro que põe o veiculo em ponto morto na descida, carregado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é por isso que existem as opções 3, 2 e L (num câmbio automático de 4 marchas). Assim dá pra usar o freio motor. O problema é igual em câmbios manuais: tem gente que deixa na quinta e vai embora.

      Excluir
  15. Daniel Shimomoto de Araujo, mesmo num um câmbio automatico é preciso saber utilizar ativamente todos os recursos disponíveis.

    Uns tem botões para desligar o overdrive ou acionar o modo sport, otros tem a posição que permite segurar a 3ª ou 2ª marcha.

    ResponderExcluir
  16. É Verdade, Daniel.

    O primeiro carro automático que dirigi foi o Fluence CVT (por isso não tenho referência de um automático tradicional), mas é impessionante como o carro parece acelerar sozinho e o motorista tem que "lutar contra" usando o freio.

    Inclusive a única utilidade que achei para o "tiptronic" foi essa: reduzir para 2ª antes de curvas ou lombadas para fazer freio motore não sentir dó do disco e pastilhas de freio.

    Talvez seja questão de costume, mas ironicamente com o carro anterior com câmbio manual é que era automático para mim o engate das marchas de acordo com velocidade e rotação.

    ResponderExcluir
  17. Muito bem colocado, Arnaldo... Carros com câmbio automático tinham resistência para entrar no mercado em função da perda de performance e do elevado custo de manutenção (este por ter pouca peça de reposição e profissionais especializados). Agora com a evolução das caixas, especialmente no quesito performance, as mesmas entraram com tudo no mercado, baixando os custos de manutenção, pois tá todo mundo (os mecânicos, é claro) se preparando para fazer manutenção destas engenhocas.

    Quanto a questão da segurança, também tenho sido vítima deste tipo de gente que adora andar colado na traseira da gente e, no menor descuido, causar um acidente bobo, nos envolvendo sem motivo algum. Se querem se matar, que façam isto sozinhos! *&%¨$#@@#@!!

    ResponderExcluir
  18. Mister Fórmula Finesse16/08/11 13:52

    Concordo AK, para quem não é do ramo, uma caixa automática - esperta - vai muito bem. E para quem gosta do salseiro, modinho sequencial, na alavanca mesmo...é garantia de viagem segura e de toques de esportividade.

    Esse final de semana experimentei dois "brabuletas" que têm como alvo os pais de família: Corolla Altis (153 cv) e VW Jetta (120 cv), e como é interessante ver que o antigo epíteto de esportividade Volks não é oponente para o sizudo (pela imagem) toyota; e não estou falando de diferença de motor, mas da lógica da caixa automática....o mundo dá voltas!

    Outra coisa irritante nas estradas, você está atrás de um caminhão em descida, do outro lado pista dupla para ultrapassagem e a faixa do seu lado permite a manobra: SEMPRE têm um engraçadinho na pista da esquerda, solitário (e tão dono) como uma gaivota no céu.

    É de puxar a frente do carro mesmo assim para ver se o dono do mundo na pista contrária volta para a pista da direita e não atrapalha o fluxo de quem desce.

    ResponderExcluir
  19. Além de curtos os A/T antigos não tinham bloqueio do conversor de torque, qualquer mudança na topografia da pista e o ponteiro do conta-giros oscilava um pouco.

    Hoje, com o bloqueio do conversor, o comportamento dos A/T é muito similar aos M/T. O focus mk 1.5 que temos em casa anda tão bem quanto o meu XR antigo (até melhor já que o XR tinha 126 cv e o GHIA tem 130 cv).

    ResponderExcluir
  20. Uma das piores atitudes em trânsito pesado é quando vc está a uma distância segura do carro da frente e um "espertinho" se aproveita do "espaço vago" e coloca seu carro entre vc e o carro da frente, eliminando a distância segura ... tem gente que não aprende ...


    Geraldo

    ResponderExcluir
  21. Gosto de automático na cidade, e manual em rodovias. Infelizmente (mas nem tanto, pois o uso praticamente só em rodovias), meu Logan é de antes deste câmbio ser oferecido para ele. Estou louquinho por um novo, mas o $$$ não está sobrando no momento, he, he!

    ResponderExcluir
  22. AK,

    Em volta de feriado em SP, principalmente por Bandeirantes, Imigrantes e Castelo eu evito ao máximo a pista da esquerda. É como você descreveu, um querendo empurrar o outro sem a mínima noção do que pode acontecer. Fora que a pista da esquerda é sempre a primeira a parar quando o trânsito estanca e aí reza pra não dar zica. Nesses casos prefiro ficar lá na direita, que flui bem melhor com menos carros, o que permite uma distância segura e dá para desenvolver uma velô compatível com o volume de tráfego.

    ResponderExcluir
  23. Perneta;

    É verdade mesmo - Alguns carros bloqueiam o O/D, outros jogar em 3 ou 2.

    O problema é que 99,99% dos motoristas de carros automáticos mal sabem qual a função do 3/2/1. Uma pessoa me perguntou, certa vez porque o carro antigo dela era 3/2/1 e o atual era apenas 3/2/L

    É um problema pois infelizmente a maioria dos motoristas não tiram o potencial máximo dos A/T

    ResponderExcluir
  24. Quando preciso subir pra Sampa no domingo a noite, vou pela Anchieta inteira, até o Ipiranga. Imigrantes, só em outros dias. Aguentar o povo que vem da Praia Grande é exercicio de masoquismo, pois fica evidente que são motoristas acostumados a 23 de maio, isto é, colam no da frente para "caber" mais carros...resultado? No mínimo 4 empilhadinhos... Tô fora. Hoje cedo (7,00h) a neblina aqui na baixada era tão inacreditável que não dava pra ver o prédio em frente a míseros 20 metros de distancia. Nem o jardim da orla estava visível. Ia subir, desisti e no jornal local mostraram algumas empilhadas até Cubatão. Com neblina ou sem ela, Imigrantes está um perigo permanente, por excesso de veículos e EXCESSO dos sem noção. O mesmo vale pra quem vem pela Anhanguera, Bandeirantes, Castelo e Fernão Dias. Os últimos 50 km sáo terríveis num final de domingo.
    Cambio automático? só se for do tipo subir e descer no toquinho. Desse aí eu gostei. Dos outros não.

    ResponderExcluir
  25. Caio Cavalcante16/08/11 15:17

    Ponto realmente interessante. Para quem não curte tanto dirigir ou não possui muita habilidade, antever uma situação em que precisará acelerar para se safar de uma situação e já reduzir marchas não é uma ação instintiva.

    Os automáticos realmente estão evoluindo muito. Conheço alguns. O do Jetta Variant de origem japonesa c/ seis marchas e opção sequencial é dos melhores que já vi. Tem uma operação bem correta em todos os tipos de situação. O da Fielder/Corolla, embora simples tecnicamente casa de forma perfeita com o motor, e gosto muito do ponto de kick down bem definido no curso do acelerador. O único dos atuais que guiei e não gostei foi um Grand Vitara: câmbio muito indeciso entre 3ª e 4ª marchas na estrada, talvez por conta do escalonamento, além de algo lento.

    ResponderExcluir
  26. Câmbio automático não precisa de nenhuma manutenção além da troca de óleo (e em alguns carros, filtro) a cada 40.000 km. Sendo tratado assim e usado observando-se alguns cuidados básicos como não passar de P ou N para qualquer marcha motriz com o motor acima da marcha lenta e não segurar o carro na ladeira no câmbio usando o acelerador, tem-se câmbio para pelo menos 200.000 km, em muitos casos o motor pede retífica antes do câmbio.

    Quanto aos domingueiros da estrada, estes insistem em andar com seus potentes Voyage e Siena 1.0 sempre grudados na faixa da esquerda, pois a direita é pra quem é lerdo. Assim fica uma fila gigantesca de carros a 90 km/h na faixa da esquerda, enquanto a direita fica livre. Em finais de semana trafego muito mais pela faixa da direita, passando para a esquerda para ultrapassar um dos poucos caminhões que pegam as estradas paulistas nestes dias. Na direita consigo desenvolver os 120 km/h permitidos na Bandeirantes e na Castelo Branco, enquanto a domingueirada disputa a faixa da esquerda a 90 km/h.

    ResponderExcluir
  27. Eu tô num dilema desgraçado sobre esse assunto.

    Não sei se pego um Focus 2009/2010 manual ou automático. O Manual é 5 marchas e o AT tem 4. O AT tem a opção sequencial mas acho ele xoxo, sem contar que como já mencionado aqui no AE, ele não reduz as marchas ao meu bel prazer, e sim quando a rotação permite (de acordo com o computador).

    O AT, pra mim, tem poucas marchas. Pelo menos 5 tava bom. Isso afeta o prazer de dirigir. E tem esse lance de, eventualmente, eu querer reduzir marchas (de repente até pra fugir de uma porrada) e o cambio me enganar. De repente eu seleciono a 3ª, ela nao entra porque a rotação ainda tá alta, aí inconscientemente eu acho que não entrou, empurro a alavanca de novo, ele seleciona a 2ª, que nao entra também, e quando a rotação baixa, o que entra é a 2ª e o carro vira no avesso com o freio motor empregado.

    Sim, eu sei: É questão de me acostumar com a forma que o cambio trabalha e em pouco tempo eu vou conseguir selecionar a marcha no momento certo em que ela entra imediatamente.

    Ou vou acabar fazendo como alguns amigos que desencanaram do sequencial e usam o carro só no AT, mesmo sendo entusiastas, porque se acostumaram.

    Mas sei lá. Eu gosto de cambiar, usar a marcha certa, trabalhar o cambio pra ter o melhor desempenho. Pensar em ter um carro de cambio xoxo ou que não obedeça a minha vontade me deixa nesse dilema.

    ResponderExcluir
  28. Carlos Mauricio Farjoun disse: "Na direita consigo desenvolver os 120 km/h permitidos ....."

    Bicho, se você continuar espalhando isso por aí, fodeu. Mantenha em segredo. :P

    ResponderExcluir
  29. Alguns AT da década de 90 já tinham quatro marchas, até o finado Opala tinha um câmbio desses em suas últimas edições.
    A maioria desses câmbios tem "reduzida" especialmente os carros de "escola americana" como os Accord e Civics importados na década de 90, mas a maioria nem tem noção disso, ficam no P-R-N-D e haja pastilha de freio.
    Pior que carro colando na traseira é MOTO colada na traseira. O que essas mulas ignoram é que uma moto tem no mínimo o DOBRO da área de frenagem de um carro medíocre, desses fabricados nos anos 70. E para piorar ficam no rumo da lanterna traseira, uma área que é um perigoso ponto cego que não é coberto pelo retrovisores.
    Quando andava de bike, ficava ali para pegar vácuo, e a distância era maior para dar tempo de mudar de direção, já que magrelas não fream bem, isso quando o cabo não arrebenta em uma ladeira com sinal fechado...

    ResponderExcluir
  30. Caio Ferrari:

    Este é um blog de entusiastas, os domingueiros não leem isso aqui. :-)

    Até porque se lessem se envergonhariam da forma como dirigem (ou seja, mal) e deixariam de ser domingueiros.

    ResponderExcluir
  31. O autor se acha o melhor do mundo em tudo que faz:

    "Para os amigos autoentusiastas, gente que sabe cambiar direito, o automático não agrega segurança, mas para outros muitos, sim."

    "Na minha mão a Scénic (1.6, manual), mesmo meio carregada, fica até que ágil. Já na mão de gente menos ligada que a gente, não fica lá essas coisas."

    "Diante dessa constatação, hoje recomendo carro automático pra quem não é do ramo."

    Ou seja, "quem é do ramo" nunca terá um carro de luxo na vida...

    ResponderExcluir
  32. Caro Carlos,

    Já se informou sobre a experiência do autor com automóveis? Brasileiro é cheio de cobrar humildade dos outros, não é à toa que artista estrangeiro tem medo de tocar aqui.

    ResponderExcluir
  33. Kiko Lanari,

    também faço isso. Caio fora da Bandeirantes nesse mesmo ponto. É um alívio. Pode até demorar mais, mas é um sossego.

    ResponderExcluir
  34. Carlos, fiquei perplexo com a sua interpretação! Hahahahhahaha

    ResponderExcluir
  35. Cara, como eu ODEIO esses vi@%& que colam na traseira. No fim do ano passado estavamos viajando com o Xantia, a viagem estava tão agradável que meu sogro capotou no banco.. ai vem um iluminado (literalmente) e ele não esperou eu sair da faix,a na hora que vi que ia bater eu tirei o carro de uma vez. O sangue subiu tanto (tentei deisfarçar) mas minha namorada percebeu e até perguntou se eu não queria que ela levasse o carro... mulher é muito sabia!

    Um dos meus neurônios quer que eu compre uma picape com parachoque de aço, se colar na traseira.. ooops "meu pé escorregou brutalmente no pedal do freio". Ai já aproveita pra sair apagando os iluminados por ai.

    Brincadeira pessoal, foi só pra me expressar.

    Sobre o assunto, automatico só vale a pena na cidade que fica no anda e para. Quase não trocamos de marcha na estrada e por isso não vejo motivo em usar.

    Meu pai (que se bobiar correu com o Bob) sempre me ensinou em algumas situações andar com o motor cheio, porque se precisar freiar você freia e se precisar acelerar você tem motor.

    Vão me criticar mas, carro mil na estrada não é seguro. Os motoristas deveriam ser mais conscientes e andar na direita nas subidas e em trechos onde o carro demora pra desenvolver.

    Arnaldo, muito bom o post!

    ResponderExcluir
  36. Rafael Machado,

    Desencane das brabuletas. Só servem para numa descida de serra selecionar a marcha certa para segurar o carro no freio-motor. Fora isso, na prática, não ajudam em nada. Se entrar num autódromo deixe no auto e boa, que acaba sendo mais rápido que borboleteando.
    Se vc gosta de cambiar, compre o manual. O Focus merece, tem motor e chão.

    ResponderExcluir
  37. AK disse algo que eu repito muito: "acelerar é o modo mais seguro de escapar de uma encrenca"

    Tenho muita dificuldade de explicar isso para a mulherada que pega carona comigo. Prefiro acelerar e distanciar desse tipo de gente do que ficar ali aturando o infeliz que aparenta querer causar um acidente.

    Também não gosto de ficar atrás de caminhão, primeiro porque obstruem um bom de nossa vista e nos impossibilita de antecipar alguma ação, também não acho seguro quando os caminhões sobem a colina a 60km/h e descem a 140km/h. Meu pior medo mesmo é dos pneus desses caminhões, a maioria recapeada de forma precária que quando estoura vira um projétil ou faz o caminhão perder o controle...

    ResponderExcluir
  38. Carlos,

    Por mais politicamente incorreto que isso possa ter parecido, o autor tem razão. A grande maioria das pessoas nem sabe o que é uma curva de torque. E nem sabe que o sistema de transmissão multiplica o torque do motor através das relações de marcha. Também não sabe que o torque pode ser explicado, a grosso modo, como uma força aplicada por um eixo, sendo que o torque que o motor imprime às rodas, devidamente multiplicado pela transmissão, define a capacidade de aceleração de um veículo.

    Um entusiasta sabe tudo isso. Sabe a que rotações seu motor responde melhor. Sente a capacidade de aceleração de seu carro em cada rotação e em cada marcha e sabe decidir qual marcha é melhor para cada situação.

    Existem muitos, mas muitos motoristas que acham que 5ª marcha é pra andar rápido. E que retomam em 5ª marcha, naquela lerdeza peculiar. Talvez neste ponto a praga do 1.0 tenha um lado bom, por demandar que o motorista aprenda a usar o câmbio para conseguir aproveitar melhor a limitada força do motor.

    Tenho carro automático desde 1992 e sempre fui fã deste tipo de câmbio, principalmente no trânsito de São Paulo. CLARO que para dirigir esportivamente, usando o carro como diversão, nada melhor do que um manual, cambiar faz parte da diversão. Porém, em 95% do tempo não estamos nos divertindo, mas sim nos transportando. Em todos estes anos de trânsito, percebi que pra maioria das pessoas, reduzir não é um hábito. E por causa disso o automático sai em vantagem: Basta pisar que ele reduz, então, pra aproveitar uma brechinha pra mudar de faixa, o automático é ótimo, soca o pé que ele responde, acelera e você entra.

    Portanto, para quem não sabe ou simplesmente não quer ter que ficar usando o câmbio, o automático é inegavelmente a melhor opção.

    ResponderExcluir
  39. Vitor,

    Entendo o seu ponto de vista, brasileiro nunca teve carros urbanos de verdade, o únicos que foram fabricados aqui foram nas décadas de 50 e 60.
    E brasileiro não tem noção de peso/potência já que um carro 1.0l atual costuma ter perto de uma tonelada, enquanto seus similares antigos pesavam 300 quilos a menos.
    Outro mal de carro 1.0l é que esse tipo de carro precisa cambiar bastante, não ter dó do acelerador. Parafraseando uma o Ricardo Dilser em matéria do Autoesporte (TV Globo) quem tem que chorar é o carro e não você.
    Outro problema é que brasileiro dificilmente respeita a máquina que tem e menos ainda a dos outros. Por isso é que tem mauricinho dando porrada madrugada afora por ai.
    Se soubessem respeitar as máquinas que têm e as suas limitações, além de terem uma noção decente de civilidade, nós que temos alguma noção de trânsito não passaríamos por tanta raiva.

    ResponderExcluir
  40. único carro automático que achei excelente foi um a3 2.0T 2009 que tive oportunidade de dirigir, no mais, corolla, civic, hilux, monza hidramático... continuam lentos em relação aos originais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Davi P. Ribeiro26/03/13 20:27

      A3 2.0T não é automático.. é automatizado dupla embreagem (DSG)

      Excluir
  41. Carlos,

    se eu não soubesse que guio direito eu não me meteria a escrever sobre carros, avaliando-os. Pra avaliar tem que entender.
    Eu não disse que sou um pilotaço nem nada, apesar de sê-lo.
    E pra guiar direito basta não ser idiota, gostar mesmo e se dedicar, e essas são características do nosso leitor autoentusiasta, fora alguns poucos, raríssimos, que não preenchem o primeiro requisito....

    ResponderExcluir
  42. Pois é AK.

    Na maioria das vezes, pensando no assunto, chego a essa conclusão (manual porque o carro merece). Mas se eu pego a Marginal paradaça às 18hs não leva nem 5 minutos pra eu desejar o automático.

    A questão na verdade, é a seguinte: O Focus automático ANDA? Dá final sem esgoelar, retoma bem, arranca decentemente?

    Se sim, danem-se as brabuletas: Vou no D pro resto da vida (a não ser quando precisar dar ré).

    Abraços!

    ResponderExcluir
  43. Paulo Vr,

    Isso mesmo. Melhor dar uma corridinha e ficar longe da barafunda.
    E longe dos caminhões também. Quando ultrapassá-los, fazê-lo rapidamente, pois pode aparecer alguma coisa na frente dele e ele simplesmente se joga pra cima de você. E nunca ultrapassá-los por fora numa curva quando ele está indo rápido. Pode vir pra cima fácil. Melhor esperar a reta ou uma curva à esquerda e comer por dentro rapidinho.

    ResponderExcluir
  44. Boa AK!

    O manual do carro 1.0 deveria ter uma parte dedicada ao uso do mesmo, do tipo:

    Não suba marcha antes de 4.000RPM, isto não faz mal ao seu motor,
    Motor faz barulho mesmo não fique assustado e siga sem medo;
    Na estrada e pesado ou em subidas por gentileza suba marcha quando o "ponteirinho" que sobe mais rápido que a velocidade (nem sempre!) encostar na parte vermelha.
    Em estrada na subida não passe a marcha se estiver em quarta, pesado e ainda houver pela frente muita subida para ser vencida.
    Quando o carro perder força e velocidade por gentileza reduza e não deixe para fazer isto muito abaixo das 4.000RPM.

    Entre outras coisas,

    Mesmo assim como a maioria não abre o manual, de nada adiantaria.

    ResponderExcluir
  45. Rafael Machado,

    É questão de uso e de gosto. Eu gosto mais de automático, poucas vezes desejo estar num carro manual. Se você gosta de manual, mas em 5 minutos de marginal deseja um automático, quando pegar um auto vai ser o contrário: em 5 minutos sem trânsito, vai desejar um manual.

    Automático perde em desempenho e consumo, isso é fato. Mas ganha muito em conforto. Cabe a você decidir o que valoriza mais. EU iria de automático. Mas este sou EU.

    ResponderExcluir
  46. Rafael Machado,
    minha mãe tem um Focus aoto desses modelo novo. Andar, anda, e na estrada não é amarrado não. Viaja muito bem, troca marchas bem, etc. A escolha recai sobre o uso que dará ao carro. Se ele fosse meio banheira tipo a perua Modeo, tudo bem ser auto, mas ele é rápido, ágil, bom mesmo de chão.
    Só você pra saber o que melhor lhe convém.

    ResponderExcluir
  47. Rafael e Carlos Farjoun,

    o dilema do Rafael é a prova do quanto os automáticos evoluíram. Antes, com os autom antigos, ele nem titubearia e pegaria um manual.

    ResponderExcluir
  48. Carlos Mauricio Farjoun e Caio Ferrari,

    O rolê é esse mesmo... e que fique entre nós... hehehe...

    ResponderExcluir
  49. O jeito é resolver esse dilema na lógica:

    O AT me deixa trocar as marchas se eu quiser (por exemplo naqueles 5min sem trânsito que o Carlos mencionou). Mesmo que de forma xoxa se comparado ao MT.

    Já o MT não me deixa ser automático quando eu quiser. Pro meu uso (Casa-trabalho-casa e de vez em quando estrada) de fato o conforto vale mais que o desempenho e a diversão (que num Focus, convenhamos, não depende tanto assim só do cambio).

    Logo, AT.

    Mas que esse AT merecia mais marchas... Merecia.

    ResponderExcluir
  50. Preciso seguir a dica do AK e não passar pros passageiros o stress do trânsito.

    AK, você acha que uma Scénic 1.6 AT teria um bom comportamento, digamos seguro?

    ResponderExcluir
  51. Não importa se você já está dirigindo na velocidade máxima!

    Há carro mais veloz que você na faixa da esquerda: DÊ PASSAGEM IMEDIATAMENTE!!!

    Pode ser apenas um motorista com pressa ou pode estar havendo algum problema sério mesmo como uma mulher grávida a bordo, por exemplo.

    De qualquer forma é irrelevante e não cabe à você o julgamento. É norma cogente!

    Há alguém mais rápido atrás de você: VÁ PARA A FAIXA EXTERNA; IMEDIATAMENTE.

    Não concorda? Parabéns, não apenas você é um fora da lei contumaz como também um autentico braçudo!

    ResponderExcluir
  52. faivic, o A3 2009 não tem câmbio automático com conversor de torque... Talvez por isso você achou ele tão bom.
    Ele é um "automatizado", mas não fique com calafrios: o sistema dele é diferente do I-motion, é mais evoluído.

    ResponderExcluir
  53. Aos grudados na faixa da esquerda que não abrem passagem porque já estão na velocidade máxima: VOCÊS POR ACASO SÃO GUARDAS DE TRÂNSITO PARA DIZER A QUE VELOCIDADE OS OUTROS DEVEM ANDAR???

    ResponderExcluir
  54. iGOR BdA

    Todos sabemos disso. Claro, pode ser que o apressadinho "Abram Alas" está com algum problema a bordo; pode ser algum parente do dito cujo foi abduzido por alienígenas, pode ser o Jack Bauer a caminho de desarmar uma bomba...o problema é que no mundo real, às vezes não dá para dar passagem no segundo que o dito cujo quer. Por isso eu tenho o costume de ligar imediatamente a seta para a direita sinalizando minha intenção de dar passagem assim que for possível.

    E se houver uma fila de carretas na faixa da direita, ou alguém na faixa de aceleração pedindo para entrar, não arriscarei minha vida só porque o dito cujo vai levar 3 segundos a mais para tirar a mãezinha dele da zona. Ele tem o direito de ultrapassar, mas como tudo em civilização, o direito de um termina quando começa o do outro.

    ResponderExcluir
  55. Rafael Machado,

    Meu pai tem um Focus mk2.5 A/T e essa semana ele fez a revisão de 18 meses; na verdade eu fiz, porque para ele basta o carro funcionar - nessa revisão fizeram um "update" no software da transmissão que deixou ela muito melhor, as trocas ficaram muito mais rápidas e suaves, principalmente as manuais. Além disso, o carro tinha um "impeto agressivo", bastava beliscar o acelerador que ele arrancava como touro desenbestado (requeria um pé de bailarina), ogora ele é calmo e agressivo conforme a necessidade.

    Um plus do A/T é a relação de marchas mais longa, a 120 km/h (reais) o regime do motor é de 2950 rpm.
    Pode comprar sem medo, só não compro um porque meu caro ainda é muito novo (2005), tem muito chão pela frente.

    ResponderExcluir
  56. Uniblab,

    Numa situação como a descrita por você eu dou seta para a esquerda, sinalizando que eu vi que ele pede passagem, mas que no momento não vai rolar. Assim que é possível, dou a seta para a direita e, claro, a passagem.

    ResponderExcluir
  57. Valeu Eduardo!!!

    Muito boa dica sobre o update do software. Como vou comprar usado, vou precisar me informar e de repente dar um pulo na concessionária pra me certificar se isso foi feito nele.

    ResponderExcluir
  58. Acho que o trânsito em estrada de duas faixas acaba ficando mais organizado do que com 3 faixas, como na Bandeirantes. Além de ter os apressados na esquerda, na pista central ficam os que andam 20 km/h abaixo da máxima e não vão para direita de jeito nenhum. A faixa da direita fica livre e começam as ultrapassagens por lá. Acho que o maior problema mesmo é que tem gente muito lenta que não anda na faixa da direita e acha que tem razão.

    Assim se formam "bolhas assassinas". Após passar por uma dessas bolhas, se encontra um trecho de estrada praticamente deserto até se deparar com a próxima bolha, ou ser engolido pela junção de duas bolhas.

    Quando ao carro, a maioria tem dó e acredita que subir de giro vai danificar o motor. O motor gosta mesmo é de rodar na potência, pois é para andar nessa condição que ele é projetado. Bomba de óleo e água estão na vazão máxima. Os anéis trabalham da forma ideal e a pouca formação de carvão. A temperatura do óleo sobe para cima de 100ºC, eliminando qualquer diluição de água.

    ResponderExcluir
  59. Marz

    OK, mas seta para a esquerda é algo tão zoneado que o carro à sua frente, que não tem nada com o peixe, pode pensar que você está é pedindo passagem para ele.

    Um dia um cretino "Abre Alas" desses, logo depois de eu dar-lhe passagem, deu com um desses painéis eletrônicos que às vezes também carregam radar e fez o quê?...sem sair da esquerda, freou até os 80 km/h (o limite da estrada era 110; eu estava cravado a 120 reduzindo para 110). Por essas e outras cumpro meu dever no trânsito mas não me animo a agradar esse tipo de criatura.

    ResponderExcluir
  60. Cabral

    O que costumo ver quando raramente ando em pista de 3 faixas é que geralmente caminhões se recusam a ir para a faixa da direita, justamente feita pra eles; aí os pessoal mais lerdo vai para a esquerda, junto com os "Abre Alas", e daí começa a "putaria"...

    ResponderExcluir
  61. Uniblab,

    De certa forma, quem está à frente de mim também já fica avisado que deverá dar passagem, seja para mim ou quem vem atrás, que é o caso.

    ResponderExcluir
  62. Armando,

    no Brasil o câmbio automático só vem na Scénic 2,0-litros, mas acredito que se a com 1,6-l o tivesse andaria muito bem, sem problemas, e para aqueles que demoram a tomar a atitude de reduzir marcha num maniual, seria melhor.
    Tem muita gente que precisa acelerar e sentir que o carro não está respondendo para, aí então, reduzir, sendo que o correto é já saber de antemão e reduzir antes que o carro baqueie.

    ResponderExcluir
  63. Aos apressadinhos,

    temos mais é que dar passagem, mesmo estando no limite legal da rodovia.
    Só uma coisa: em hipótese alguma colar na traseira do que vai adiante. Esse é o caminho mais curto para um acidente. Avise mantendo a devida distância, usando a regra de no mínimo 2 segundos para passar no mesmo ponto do que o da frente passou.
    O suicídio, apesar de ilegal e dar processo ao suicida que escapou, é uma opção, mas o assassinato é ilegalzaço.

    ResponderExcluir
  64. Uniblab,

    Como caminhão não tem reserva de motor, se tiver embalado para passar um caminhão lento eles vão para cima. E as vezes eles exageram, fechando as três faixas. Mas domingo os caminhões são proibidos na Bandeirantes, e a putaria rola do mesmo jeito. Carro lento é na direita, não importa o tamanho ou peso.

    Aliás, eu tentei ensinar uma amiga a andar na direita, e ela disse que é perigoso por causa dos caminhões. Geralmente eu confio mais em caminhoneiro do que em motorista de carro. Eu já tive oportunidade em viajar em carreta, e andar de caminhão é como pilotar um carro na pista, o caminhoneiro está sempre no limite da máquina.

    ResponderExcluir
  65. Preciso dirigir um veículo automático moderno para ver ser perco o preconceito (mesmo) sobre esse tipo de transmissão...

    Sobre estupidez ao volante, entre ontem e hoje (15 e 16/08), parecia que o trânsito aqui em Sorocaba estava de cabeça para baixo! A quantidade de nós cegos ao volante estava assustadoramente acima da média, deve ter sido efeito do feriado de segunda por aqui...

    E aos que "compram" a faixa da esquerda e não cedem passagem, vale lembrar que, além de ser uma postura equivocada, o CTB configura essa ação como infração. Não importa a velocidade que se trafegue, dê a passagem sempre que possível. Eu sempre ando rápido na direita mesmo, usando a esquerda o mínimo necessário.

    Colar na traseira então, nem "phodendo"! Deveria ser infração gravíssima, com agravante para pagar o valor da multa x3 e suspender o direito de dirigir por 3 meses, no mínimo. O cara que age assim não imagina o risco que representa para si e os demais.

    ResponderExcluir
  66. Os 2 tipos são detestáveis: o que aluga a esquerda, às vezes abaixo do limite de velocidade e o apressadinho que cola na bunda, sem esperar que ultrapassemos o caminhão ou o lerdo da faixa da direita. Claro que tem os sem noção que vêem um caminhão à frente e já vão mudando de faixa, sem perceber um carro muito mais rápido que se aproxima.

    Em relação aos 1,0, não são mais tão lerdos. Com o Fiesta Rocam 2002 não passo o sufoco que passava com o Endura, que dava vontade até de empurrar a la Flintstones. Tudo bem que não tem ar, nunca viajei muito lotado, o carro é leve, mas os atuais tem mais potência e é difícil imaginar ter problemas em manter-se nos 110-130 km/h.

    ResponderExcluir
  67. Sobre dar passagem, o problema é que o mau hábito vira hábito.

    Tem gente que só dá passagem se vc chegar perto. Vc vem a 50 metros de distancia, mais rápido (bem mais rápido se for o caso de um mané que comprou a faixa da esquerda andando a 20% menos da velocidade maxima) já dando sinal com o farol ou pisca mas parece que o cara não acredita muito: Só se mexe quando vc chega a 3 segundos dele.

    E tem uns que só saem se o carro de trás colar no rabo. Sem contar os que não saem, e dane-se.

    Nestes casos eu sou obrigado a passar pela direita, observando a segurança para fazer a manobra.

    Certo mesmo era, em primeiro lugar, andar na faixa da esquerda somente se for trafegar na velocidade máxima da pista. E em segundo lugar, dar passagem mesmo se o carro que vem atrás estiver acima desta.

    Aliás, já que o poder público gosta tanto de ganhar dinheiro com multas, podiam instituir limites de veolcidade por faixa de rodagem, como acontece nas autobahn, mas com multa por velocidade mínima e máxima da faixa. Iam faturar horrores com os manés que alugam as faixas da esquerda.

    ResponderExcluir
  68. Arnaldo,

    Minha mana possuía ( até o dia no aniversário dela, quando trocou de carro) uma Scénic 1.6 16v câmbio automático.

    Cabral,

    Vou continuar seguindo sua dica sobre a eliminação de água do óleo do motor do carro,ok? :D

    ResponderExcluir
  69. Já tive alguns carros com cambio automatico, o último foi uma caravan 4 cilindros, 1975. Já tinha as posições "1", "2" e "D", voce podia "travar" uma marcha em qualquer situação, e mesmo fazer reduções rápidas para uma ultrapassagem, por exemplo. Caixa automática é ótima, mas precisa saber usar...

    ResponderExcluir
  70. Daniel Paganotti16/08/11 21:39

    A Bandeirantes tem um trecho com 4 faixas e mesmo assim as pessoas não conseguem se organizar. Eu sempre fico na faixa na direita, como disseram, ẽ sempre a mais livre.

    ResponderExcluir
  71. Arnaldo,

    Mudando de assunto, eu achava que esses carros citados de 3 marchas tinham a última overdrive, quando muito casando rpm de potência máxima com velocidade máxima possível. O Neon automático acho que tinha terceira longa, não?

    André Andrews

    ResponderExcluir
  72. Arnaldo keller; CMF e Entusiastas;

    Sobre os "bandidos da faixa da esquerda" como diria o Bob Sharp, outro dia vi uma cena bizarra na SP 333: Comboio de presos na faixa da esquerda a 90km/h na rodovia cuja velocidade é 110km/h

    Quando formava fila, os policiais mandavam a fila passar o comboio...pela direita!!!!

    ResponderExcluir
  73. Rafael Machado,

    Não sei o Focus, mas a caixa Aisin que equipa o Vectra tem acionamento da alavanca por cabo, comandando diretamente o circuito hidráulico. É a forma de operar o câmbio em caso de falha eletrônica.

    Nesse caso, se reduz a qualquer hora, mesmo que extrapole a RPM máxima do motor. Até existe um aviso no manual para não selecionar a posição 1 a mais de 100km/h

    Já até ensinei minha mãe: se a coisa ficar feia, pula com os dois pés no freio e puxa pra primeira...

    ResponderExcluir
  74. É, AK, infelizmente ao sair em dias "especiais", como feriados prolongados, se passa por esses perigos e raivas. Inclusive, não sei se é impressão minha, mas tenho notado sério aumento no número de motoristas que adotam essa conduta de andar "colado".
    Concordo sobre o câmbio automático ser útil para aqueles com menor destreza ao volante. Aliás, seria interessante que os motoristas de idade mais avançada, principalmente mulheres, adotassem esse tipo de câmbio, evitando assim a fadiga causada por caucarem o pedal de embreagem e manejarem a alavanca de câmbio num engarrafamento, por exemplo. Ao contrário, tenho visto motoristas já bem idosos nitidamente cansados nos congestionamentos com seus carros de câmbio manual.

    Não concordo sobre o que foi dito que os carros "mil" são os principais "ocupantes" da faixa esquerda à baixa velocidade. Pelo menos aqui no Rio vejo 1-litro sim, mas a maioria são carros com sobra de potência fazendo isso, principalmente os maiores e de categoria mais elevada, talvez pela sensação de tranquilidade à bordo proporcionada pelo grande conforto, fazendo o motorista se esquecer do que se passa do lado de fora. Um dia desses fui obrigado a pedir passagem, com meu Ka Image, "mil, porém limpinho", a um Jetta de um senhor que parecia estar dormindo na faixa esquerda da Linha Vermelha, a uns 80 km/h.
    O problema, sim, é não saber levar o "um-ponto-zero", que evoluiu bastante e atualmente consegue acompanhar tranquilamente o tráfego.
    A propósito, peço a você ou outro colunista do AE um texto sobre a "arte", a "ciência" de se dirigir bem um carro de motor de 1-litro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  75. Aléssio Marinho16/08/11 23:43

    AK e Armando;

    A Renault fabricou o Scenic 1,6l com cambio automático. E ele anda bem, basta deixar a caixa fazer o que ela gosta: passar marcha sozinha.
    Não me lembro se ela era sequencial. Quase troquei a minha azeitona por uma, pelo tanto que andava bem.
    Armando, antes de fechar negócio, mande dar uma olhada na caixa por alguem que entenda.

    Quanto a guiar um carro automático na estrada, só acho legal em rodovia duplicada. Se anda mais relaxado.
    Agora em mão dupla - 99% das que pego - me incomoda aquelas reduções de 2 marchas na hora de uma ultrapassagem, tem hora que parece que as bielas vão sair pelo escapamento... Num cambio manual, reduzir uma marcha já resolvia a situação. Me sinto mais confortável assim.

    ResponderExcluir
  76. Também acho que câmbio automático gera segurança para a maioria, que não sabe extrair toda a potência de um motor. Minha mãe mesmo, que não é autoentusiasta e nunca tinha dirigido carro automático, se surpreendeu com o desempenho do Corolla automático. É pisar e o carro andar.

    Sobre a Scènic 1,6 automática, tem até uma avaliação dela no BCWS, feita pelo Fabrício Samahá.

    ResponderExcluir
  77. Falha minha. Eu estava certo de que não fabricavam a 1.6-l automátca aqui.
    Me desculpem, por favor.
    Então porque raios não tinham esse Sandero 1.6-l automático há mais tempo?
    Esse me parece um ótimo carrinho urbano e creio que vá vender bem.

    ResponderExcluir
  78. AK
    Não tenho dúvidas de que esse Logan automático fará sucesso. Ele preenche em cheio a ausência do antigo Corsa 1,6 automático e com a vantagem de ser mais espaçoso. Espero que os outros fabricantes sigam o exemplo e passem a dispor de modelos mais acessíveis com esse conforto a mais.
    Aléssio
    Aposto que você está pulando de alegria com essa boa nova da Renault, hehehe...

    ResponderExcluir
  79. Acho que o primeiro câmbio automático decente q teve aqui no Brasil foi o do Omega, que chegava a 220km/h, e tinha modulo esportivo dentre outros pontos...

    Quanto aqueles que defendem o esguelamento do 1.0, o problema é que, com trocas de marchas acima de 4 mil giros eles vão consumir igual a um carro 1.6, sendo mais lógico comprar logo um carro mais potente, não?!

    ResponderExcluir
  80. Caro Irlan,

    É só conhecer o ponto onde o motor desenvolve maior potencia e torque, se tiver um conta-giro isso ajuda bastante. E a dica não é para "esgoelar" sempre o motor. Somente em situações específicas. Antigamente os carros "mil" antigos se dirigiam praticamente se esgoelando estrada afora, já que o maior rendimento era nos altos giros. Quem dirigiu fusca 1.200 tem idéia do que é isso. Motos 100 e 125 cc trabalham sempre a altos giros e duram bastante.

    ResponderExcluir
  81. Aléssio Marinho17/08/11 12:11

    FVG,

    Mas com certeza! Esse eu espero desde o tempo do Nissan Apio, o Logan que venderam no México. Fiz as contas e agora não posso comprar um. Só depois da copa... uma pena.
    Costumo dizer que o Logan seria o carro perfeito se viesse com os bancos do Clio, banco traseiro rebatível e cambio automático.
    Já realizaram um... hehehe

    ResponderExcluir
  82. Aléssio Marinho17/08/11 12:20

    FVG,

    Vc mora aonde?

    ResponderExcluir
  83. Aléssio

    São Paulo-SP, a cidade-hospício, hehehe... Já desisti desse negócio de prestar concurso e morar no centro-oeste.

    ResponderExcluir
  84. FVG

    Eu falei Sandero automático. Não falei Logan.
    O Sandero sei que agora tem autom., já o Logan acho que não. Mas depois da rata que dei com a Scénic dizendo que a 1,6 não tinha autom., já não afirmo mais nada...
    Mas que Logan autom ia vender bem, ia.

    ResponderExcluir
  85. AK

    Rata não, meu amigo. Aqui, na nossa engenharia, a gente fala que se "engana", nunca erra, hehehe... O Logan automático é notícia fresca, acho que saiu na imprensa há coisa de dois ou três dias, creio. Vê se pega um pra testar e conta pra nóis cuméquié.

    PS1) sábado, se fizer tempo bom, estarei lá em interlagos;
    PS2) Cê tá devendo aquele post da Brasília 2100.

    ResponderExcluir
  86. FVG

    Que boa notícia essa do Lgan autom.! Nosso mercado é grande e merece.
    Brasa 2100. Vou escrever, pode deixar.
    Nos vemos domingo.

    ResponderExcluir
  87. Fico com pena dos leitores que precisam da opinião dos outros para tomarem como sua. Já devem ter trocado de caixa umas 10 vezes lendo esse blog...

    ResponderExcluir
  88. Entendo que sou exceção, mas sou entusiasta e prefiro o automático ao manual. Controlar as marchas no manual é fácil, controlar as marchas do automático apenas dosando o pé é mais difícil. Acho até mais divertido ficar tentando "domar" o câmbio.

    ResponderExcluir
  89. Cambio legal é do FNM, o resto é para qualquer um... eheh

    http://www.youtube.com/watch?v=KtE3lyKatWc&feature=related

    ResponderExcluir
  90. Dese que não o seja o sandero automático modelo autentique 2012/2013, do qual fui proprietário e o posso falar, possui caica automátivc de quatro velocidades péssimament escalonadas que possam potenciammente levar o condutor e passgeiros a morte. Explico o escalonamento das marchas tem a primeira e a segunda marchas próximas quase equivalentes a dar arrancadas rápidaas, porém a terceira e quarta marchas muito distantes o fazem o veículo perder GIRO E VELOCIDADE QUE EM UMA ultrapassagem, O SÃO ESSÊNCIAIS, A EVITAR OCHOQUE FRONTAL CEM RODOVIA SIMPLES, FORÇANDO O RETORNO INTEMPESTIVO A FAIXA, impossibilitando ultrapassagens qque não o tenham no mínimo quilometro e meio se o veículo ultrapassando o for de potência apenas razoável. Por issso é interessante nas revendas Renalt, a minha o foi a AUTOMEGA de Rio do Sul -sc, PEDIR PARA FICAR OU TESTAR O VEÍCULO COM MAIS TEMPO E COM GASOLINA NORMAL NÃO DE AVIAÇÃOno tanque, E EFETIVAR EM RODOVIA VÁRIAS ULTRAPASSAGENS (SE O CONSEGUIR) COM CERTEZA VOCÊ TEMERÁ A MORTE.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...