27 de setembro de 2011

BMW 750i - PARTE 2 DE 4



FEITO POR QUEM ENTENDE DO ASSUNTO


A primeira impressão ao chegar perto é de um carro enorme. E é, mede 5.072 mm de comprimento por 1.902 mm de largura. Sua altura é boa para o comprimento e para o entra e sai, 1.479 mm. Pesa 1.945 kg, apesar do teto, portas, capô, que é bem longo e tem dois fechos, painéis laterais dianteiros e apoio das molas dianteiras feitos de alumínio. As proporções da carroceria, linha de cintura e área envidraçada são corretas. Aquilo de que faço questão em todo carro é atendido: sentado ao volante toco o pára-brisa facilmente.

Visual  elegante e equilibrado

O visual impressiona. Grandes rodas de 19 polegadas, de tala 8,5 pol. na frente e 9,5 pol. atrás são combinadas com pneus Dunlop SP Sport Maxx GT assimétricos 245/45R19Y e 275/45R19Y que podem rodar vazios sem destalonar (sair do aro). São alemães e previstos para velocidade contínua de 270 km/h.


Posição de dirigir irrepreensível, visão à frente livre, nem sinal dos limpadores de pára-brisa. Não tem faixa degrade no vidro, mas nesse caso não faz falta, o pára-brisa avança pouco sobre a cabine. Mesmo assim o coeficiente de arrasto aerodinâmico é baixo, 0,31.

Ambiente interno clássico porém atraente

À frente do motorista um perfeito volante de três raios de 380 mm de diâmetro e quatro instrumentos circulares, totalmente ortodoxos, à moda antiga, fundo preto, caracteres brancos e elegantes. Pena que o conta-giros 0-7.500 rpm esteja à direita. O velocímetro indica até 260 km/h, quase a velocidade máxima limitada de 250 km/h. Como também gosto, quando o ponteiro encontra-se na vertical a velocidade indicada é 130 km/h.

Mas há também leitura de velocidade e outras informações projetadas no pára-brisa, o head-up display, muito conveniente especialmente em dias de caça dos nossos reais pela CET de São Paulo e órgãos de trânsito de outros municípios e estados.

O apoio de pé esquerdo de grandes dimensões não poderia faltar e nem o bate-pé para quem, como eu, não gosta de sobretapetes.

Ladeando os instrumentos grandes, dois pequenos, o da esquerda para nível de combustível, o da direita, temperatura do óleo. Termômetro do líquido de arrefecimento, faz tempo que a BMW não emprega mais. Não tem também manômetro de óleo, o sistema de informação avisa sobre quaisquer problemas aí. Como também avisa se o nível de óleo estiver abaixo do mínimo. Por isso não em vareta medidora.

O pequeeno instrumento à direita é termômetro do óleo do motor

O trem de força é de primeira grandeza. Motor V-8 4,4-litros biturbo de injeção direta totalmente liso, com uma faixa de operação perfeita. Potência máxima de 407 cv não a, mas de 5.500 a 6.400 rpm. Torque, nem se fala, 61,2 mkgf de 1.750 a 4.500 rpm. Nenhum jeito de motor turbo, pela resposta imediata já a partir de 1.000 rpm. Cada cv só precisa empurrar só 4,75 kg, daí o 0-100 km/h em apenas 5,2 segundos. Mas nas velocidades superiores a aceleração empolga. Quase num piscar de olhos está a 180 km/h e sem se sentir que está rápido. E as duas ponteiras de escapamento, uma de cada lado, abrigam dois tubos cada uma.

O V-8 bitirbo de injeção direta: exemplar

 O câmbio automático epicíclico de 6 marchas funciona com total precisão. A alavanca seletora é um show à parte, só tem 3 posições: R-N-D, indicadas nela própria. O Park é ativado apertando-se um botão no topo da manopla. Deslocando-se a alavanca para a esquerda o câmbio continua automático, mas em modo S, em que a sexta marcha é cancelada. Nessa posição, deslocando-a para frente reduz, para trás sobe marcha (que não gosto, prefiro ao contrário, mas até relevo, em meio a tanta precisão). Tudo indicado no painel. Em modo manual sobe marcha quando o motor atinge 6.800 rpm e há aceleração interina automática nas reduções, introduzida em 2005 no Porsche 911 turbo automático.

Alavanca seletora fácil de usar

A sexta 0,69 com diferencial 3,46 resulta em 57,6 km/h por 1.000 rpm. A 120 km/h, 2.100 rpm. Por cálculo, em quinta a 250 km/h o motor gira a 5.500 rpm. Esses muniquenses sabem mesmo calcular câmbio. O conversor de torque bloqueia em todas as marchas, não existe a menor patinagem.

Na suspensão, primeiro divórcio da BMW da suspensão dianteira McPherson, passando aos dois triângulos superpostos. Atrás, multibraço. Ajuste dos amortecedores acompanham, comandado por teclas no console ou, de modo mais detalhista, pelo botão giratório-apertável-deslocável iDrive também no console, com quatro configurações de modo que envolvem até motor, câmbio e controle de estabilidade: Comfort, Normal, Sport e Sport +. Neste último o controle de estabilidade fica menos vigilante mas não abandona o posto.



A capacidade de curva é elevada, não se consegue estudar os limites em vias normais. O Série 7 é mesmo muito rápido em curvas, incute confiança. O mais incrível é como está à vontade mesmo nas ruas de cidades como São Paulo, que não primam pelo espaço, mesmo sendo grandalhão do jeito que é. Sua aceleração é das que limpam o tráfego à frente, tal é a facilidade com que ganha velocidade.



Um item útil é o freio de estacionamento automático, que pode ser desligado, como convém quando se manobra. Ao parar num semáforo, por exemplo, o carro fica freado sem se tocar no pedal de freio, inclusive evitando aquilo que não gosto, deixar as luzes de freio acesas para o motorista que está atrás. Para voltar a andar, basta acelerar. Perfeito.

Outro destaque é a direção ativa integral, que significa duas coisas. Uma, as rodas traseiras esterçam-se em até 3 graus ao contrário das dianteiras em baixas velocidades, facilitando manobras como retorno na via, a partir de cerca de 60 km/h, inverte, esterçam no mesmo sentido, facilitando trocas de faixa e garantindo que a traseira fique pregada no chão. Outra, a relação de direção é variável, mais rápida rodando devagar, abaixo de cerca de 50 km/h, e menos rápida acima disso, para evitar excesso de comando e perda de controle. A variação é feita por um conjunto planetário na árvore de direção antes da caixa.

Freios, acima de qualquer crítica, discos ventilados de 374 mm de diâmetro na frente e de 370 mm de diâmetro atrás, ambos prensados por potentes pinças. A roda básica, que não compõe o pacote para o Brasil, é de 18 polegadas, o mínimo para acomodar os discos.


Um detalhe de alta tecnologia é o gerenciamento do alternador. Normalmente ele não gera corrente sempre, ficando ativo ou inativo eletricamente, pelo controle da corrente de campo, conforme o estado de carga da bateria lá atrás no porta-malas. Mas o tirar o pé do acelerador ou frear, se não estiver ativo passa a ficar, carregando a bateria, ou seja, aproveitando a energia cinética em vez de apenas desperdiçá-la sob a forma de calor. Além disso, quando se precisa de potência o alternador fica inativo, não desperdiçando potência. A fábrica informa que essa operação chega a economizar 3% de combustível.

Mimos não faltam no Série 7. O porta-malas de 500 litros abre e fecha eletricamente. A tampa é articulada por dobradiças comuns, as chamadas “pescoço de ganso”, mas são elas que permitem a operação elétrica, fora o fato de serem escondidas, não interferem com as bagagens. As janelas laterais traseiras e o vidro do vigia possuem telas de privacidade ou proteção solar de acionamento elétrico. Os bancos traseiros são ajustáveis em distância e inclinação do encosto, tudo elétrico, e há monitores de vídeo nos encostos dos bancos dianteiros, que servem até para exibir os mapas de navegação.

Dobradiças "pescoço de ganso" não atrapalham e permitem acionamento elétrico da tampa do porta-malas

 A fase final do fechamento das portas é por sucção, basta encostá-las que o sistema termina a operação. Para facilidade de se encontrar, o interruptor da fechadura das portas fica no centro do painel, no alto. Os espelhos externos podem ser dobrados por acionamento elétrico desde que veículo esteja parado. Os faróis são bixenônio e anéis iluminados à sua volta ficam permanentemente ligados, garantindo visualização mais fácil do carro durante o dia.

Luzes de sinalização permanentes em forma de anel em volta dos faróis

O controle automático de velocidade, comandado pelo volante, é adaptativo e regula a velocidade de acordo com o tráfego à frente. O monitor de 10,2 polegadas no centro do painel é mesmo grande e nele aparece todo tipo de informação, do rádio ao mapa de navegação cujas instruções verbais são em Português de Portugal, que não é o ideal mas é totalmente inteligível.

Veja mais detalhes na ficha técnica e lista de equipamentos adiante, depois das fotos adicionais.

Quanto custa? R$ 569.050. Quem pode pagar e deseja um dos melhores sedãs do mundo, estará muito bem servido.

Se eu fosse comprar um, escolheria branco com estofamento bege, embora o carro avaliado, preto com interior bege claro, quase branco, seja muito atraente também.



BS




O "lobisomem" na sua cidade, Joanópolis












FICHA TÉCNICA BMW 750i

MOTOR
Instalação
dianteiro, longitudinal
Configuração / N° de cilindros
V / 8
Diâmetro x curso (mm)
89 x 88,3
Cilindrada (cm³)
4.395
Aspiração
2 turbocompressores
Taxa de compressão
10:1
Potência máxima (NBR 5484) cv/rpm
407/5.500~6.400
Torque máximo (NBR 5484) mkgf/rpm
61,2 /1.750~4.500
N° de válvulas por cilindro
4
Árvore de comando de válvulas
DOHC duplo Vanos
Gerenciamento do motor
MSD85
ALIMENTAÇÃO
Combustível
Gasolina mín. 91 RON
TRANSMISSÃO
Rodas motrizes
Traseiras
Câmbio
Automático epicíclico, Steptronic
N° de marchas
6 à frente e uma à ré
Relações de transmissão
1a. 4,17; 2a 2,34; 3a 1,52; 4a.1,14; 5a. 0,87; 6a. 0,69; ré 3.40
Relação do diferencial
3,460
FREIOS

De serviço
Hidráulico, ABS
Dianteiro
A disco ventilado ø 374 mm
Traseiro
A disco ventilado ø 370 mm
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, braços triangulares superpostos, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Independente, multibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
DIREÇÃO
Tipo
Pinhão e cremalheira, assistência hidráulica Servotronic
Diâmetro mínimo de curva (m)
12,2
Relação de direção
19:1
N° de voltas entre batentes
3,1
RODAS E PNEUS
Rodas e pneus dianteiros
8,5Jx19, 245/45R19Y
Rodas e pneus traseiros
9,5Jx19, 275/45R19Y
Material das rodas
Alumínio
PESOS (kg)
Em ordem de marcha (kg)
1.945
Carga máxima (kg)
630
Carga máxima rebocável com freio/sem freio (kg)
2.100 / 750
DIMENSÕES EXTERNAS (mm)
Comprimento
5.072
Largura
1.902
Altura
1.479
Distância entre eixos
3.070
Bitola dianteira/traseira
1611 / 1650
AERODINÂMICA
Coeficiente de arrasto (Cx)
0,31
Área frontal (m²)
2,41
Cx x A (m²)
0,747
CAPACIDADES (L)
Porta-malas
500
Tanque de combustível
82
DESEMPENHO
Velocidade máxima (km/h)
250
Aceleração 0-100 km/h (s)
5,2
CONSUMO (União Européia)
Ciclo urbano (km/l)
6,1
Ciclo extra-urbano (km/l)
11,8


EQUIPAMENTOS BMW 750i

SEGURANÇA ATIVA E PASSIVA
Apoio de cabeça dianteiros ativos
Bolas infláveis laterais dianteiras e traseiras
Bolsas infláveis de cortina
Bolsas infláveis frontais
Cintos de segurança de 3 pontos para os 5 ocupantes
Cintos de segurança dianteiros com pré-tensionador
Controle de estabilidade
Controle de frenagem em curvas
Faróis bi-xenônio
Faróis de neblina

Lavador de faróis
Luz traseira de neblina
Retardo de desligamento dos faróis (função Siga-me)
Terceira luz de freio de duas intensidades
TECNOLOGIA
Ajuste automático do facho dos faróis
Alerta de desvio de faixa de rolamento
Alerta de monitoramento para tráfego lateral
Câmera traseira
Câmeras para visào lateral
Computador de bordo com com mostrador multifuncional
Declinação automática dos espelhos ao engatar ré
Direção ativa integral
Dynamic drive
Eixo traseiro auto-regulável
Espelhos externos rebatíveis
Fechamento de portas assistido
I-Drive
Indicador de manutenção programada
Kit de ferramentas completo
Marcação de radiofrequência
Memória de chave e veículo
Mostrador projetado no pára-brisa (head-up display)
Sensor de chuva com acendimento automático dos faróis baixos
Sistema antifurto com controle remoto
Vidros climatizados com pára-brisa esverdeado
CONFORTO
Abertura e fechamento elétrico do porta-malas
Ajuste de altura e distância do volante com memória
Ajuste elétrico dos bancos dianteiros com 3 memórias
Ajuste elétrico dos bancos traseiros
Apoio de braço central traseiro
Ar-condicionado automático de 4 zonas
Assistente de comutação do facho dos faróis
Assistente de estacionamento dianteiro e traseiro
Bancos dianteiros e traseiros ventilados
Comando de voz
Cortina de proteção solar ou de privacidade de acionamento elétrico nos vridros laterais traseiros e vigia
DVD changer para seis discos
Freqüência de rádio US
Função de massagem nos bancos traseiros
Interface USB
Pacote de entretenimento profissional
Pacote para fumantes
Preparação para Bluetooth
Rádio BMW Professional com CD player frontal
Revestimento em couro Dakota
Saídas de ar-condicionado para o banco traseiro, totalmente controlável
Sistema de abertura remota (sem chave)
Sistema de alto-falantes  Professional Logic 7
Sistema de navegação com monitor de TV + iDrive
Sistema de visão notuna com reconhecimenro
Sobretapetes em veludo
Volante de 3 raios em couro

43 comentários:

  1. Pneus alemães mesmo, seriam se fossem Continental. A Dunlop é praticamente japonesa (Sumitomo), mas tem unidades de fabricação espalhadas pelo mundo, alemanha inclusive. Excelente marca.

    ResponderExcluir
  2. Olá Bob, e que carrão hein! Muito sisudo e esportivo! Deve ser brincadeira (só pode), mas a versão M terá um simulador sonoro para realçar o ronco de motor, rsrsrs, isso pra min é insano (no mal sentido). Sempre quando vejo esses BMW´w grandes eu os imagino no meio de perseguições em Paris - quem aqui não gosta de Ronin rsrs? Sobre os fartos equipamentos, particularmente, eu acho que tantas tecnologias assim são desnecessárias. Claro que em alguns momentos ajudam bastante, como as rodas traseiras que esterçam e o alternador que fica inativo. Mas imagine se todos esses aparatos começam a dar problema? Ainda bem que se pode confiar na tecnologia Alemã. São tecnologias mais úteis para se mostrar know-how do que para ajudar de fato o condutor. Minha humilde opinião. Bob, e por qual motivo você aprecia a característica de tocar o para-brisas facilmente de dentro do carro? Quanto mais longe ele estiver não é melhor?

    ResponderExcluir
  3. Mister Fórmula Finesse27/09/11 10:18

    Muito legal a foto panorâmica do painel do ínicio do post;

    Que carrão, um verdadeiro desafio melhorar a geração de veículos desse naipe.

    E olhem que os quatrocentos cavalos nem são tão ostensivos assim, mas o torque é surpreendente!

    ResponderExcluir
  4. Aléssio Marinho27/09/11 10:27

    Bob,
    Qual a localização da bateria no portamalas?

    ResponderExcluir
  5. O coeficiente de arrasto aerodinâmico de 0,31 é meio alto, mas deve ter sido sacrificado para reduzir "lift" em alta velocidade.

    ResponderExcluir
  6. Tremendo condensado de tecnologia automotiva. Engenharia aos borbotões, infelizmente apenas para quem pode pagar....

    Perdi essa chance, uma pena, mas vejo pelo lado bom. Se eu fosse, aquela capa plástica do motor ia parar dentro de algum rio ou no meio do mato, e alguém ia ter que explicar ao importador, hahahahahaha.


    Parabéns pela avaliação, e também a quem teve a idéia de fotografar o motor sem a capa.

    ResponderExcluir
  7. Bob,

    Você bem que podia postar aqui, ou criar um artigo pro AE se for o caso, para discorrer sobre os cabeçotes "invertidos" desse carro (admissão pelos flancos e escape no meio do V).

    É um arranjo incomum e se os bávaros resolveram adotar esta forma neste V8 biturbo devem haver boas razões para isso além de uma suposta falta de espaço para pendurar os turbocompressores nas laterais.

    ResponderExcluir
  8. Bob, se eu os tivesse encontrado neste dia, teria chamado vocês para um cafezinho e, de quebra, teria pedido uma carona também.
    Ah ah ah...
    Belo post, belíssima máquina!

    ResponderExcluir
  9. Carlos Eduardo
    Sabe que motor tinha esse mesmo arranjo? O V-6 do Democrata.

    ResponderExcluir
  10. Bela máquina, mas não sei se teria coragem de colocar uma barca fenomenal dessas em nossas ruas ou pior, pra atrair bandidos.

    Enfim, uma coisa me chamou a atenção no bocal do tanque: aceita etanol somente até E10, e como fica essa preciosidade com nossa E20/E25 ?

    ResponderExcluir
  11. Belíssima máquina.

    *Temperatura do líquido de arrefecimento (texto) ou do lubrificante (legenda da foto)?

    Umberto.

    ResponderExcluir
  12. Sensacinal esse lance da inversão de esterçamento das rodas traseiras conforme a velocidade em que, em alta, forçam a traseira pra dentro da curva. Realmente "traseiradas" não constam do vocabulário desse sedan.

    ResponderExcluir
  13. Desculpe a ignorânica, mas esse marcador direito é de temperatura do óleo?

    ResponderExcluir
  14. Bob,

    Pois é, lembrei dele mesmo quando vi as fotos. Porém o democrata não possui 2 turbos, catalisadores e sendores de oxigênio no escape.

    Deixar o calor irradiado pelas turbinas ali concentrado no meio deve ter a sua função. Parece que os catalisadores ficam ali em cima também, logo após as saídas das turbinas. Penso eu que isso deve ajudar a barca a manter baixo os índices de poluição, já que catalisador só funciona conforme projetado quando está aquecido, e com uma grande fonte de calor concentrada, a temperatura ideal de funcionamento deve ser atingida bem rápido.

    Notei também os intercoolers "ar-água", bem mais eficientes que os "ar-ar" normalmente utilizados em motores turbocomprimidos.


    Pro pessoal que está em dúvida: ali no painel é termômetro de óleo mesmo. Só reparar no ícone impresso no marcador. Se fosse termômetro de água, teriam "ondinhas" ao invés daquele recipiente desenhado.

    ResponderExcluir
  15. Post digno de suspiro carro idem.
    Também gostaria de saber porque gostar de encostar facilmente no parabrisa estando sentado atras do volante.
    Qual a vantagem na pratica?

    ResponderExcluir
  16. Post digno de suspiro carro idem.
    Também gostaria de saber porque gostar de encostar facilmente no parabrisa estando sentado atras do volante.
    Qual a vantagem na pratica?

    ResponderExcluir
  17. Mestre Bob,

    coisa linda esta máquina;

    Além da legenda da foto e texto não baterem, sendo o correto termômetro de óleo, na pate I desta saga, foi informado peso de 2.020 Kg, a diferença é na ordem de marcha?

    Nesta frase: "E as duas ponteiras de escapamento, uma de cada lado, abrigam dois tubos cada uma." deu a entender que são 4 turbos.

    São detalhes mestre, desculpe se estou sendo chato, no final das coisas o que interessa é que é uma máquina e vitrine de tecnologia e que eu não vou comprar mas só por não ter condições mesmo!

    Não sei onde, acho que aqui mesmo, li que um V8 americano também adota, ou adotou esta inversão de posicionamento de admissão e escape.

    Prezados, sempre é possível melhorar, com os anos as "novidades" serão implementadas, neste carro ou na próxima geração e um exemplo é o câmbio de 8 marchas como nos novos 535 e 550. Bob este 8 marchas é de dupla embreagem?

    Bob, algumas dúvidas:

    Todos os vidros são laminados?

    O que são aquelas caixas retangulares, na frente do motor? que também estão no 550 e no novo M5 são até maiores.

    Em modo automático nas reduções não tem punta-tacco?

    Em modo automático, portanto com a 6ª marcha, ele dá a final limitada de 250 Km/h? Se sim a quantas RPM? Se sim, não se trata de um 5+E então. É isto?

    Mestre Bob desculpa pelas curiosidades de AUTOentusiasta.

    Grato

    ResponderExcluir
  18. Sem limitador, chegaria aos 300Km/h???

    ResponderExcluir
  19. Bob, você falou do alternador eu lembrei que meu pai me contou que quando ele corria de opala eles desligavam o alternador na restas, assim ganhavam uns 500 ~ 700 giros. Segundo ele era proibido pelo regulamento.

    ResponderExcluir
  20. Quanto ao funcionamento manual do cambio, eu prefiro assim (pra trás pra subir e pra frente pra reduzir) mas fiquei me perguntando: Se esse comando é totalmente elétrico, seria fácil mudar esse comportamento em algum menu no computador de bordo, de modo a atender todo mundo. Ninguém nunca pensou nisso? Devo patentear a idéia? Rsrsrs.

    ResponderExcluir
  21. não tem estepe?

    ResponderExcluir
  22. Se pensar pela idéia de quando acelera tudo tende a ir para trás e quando freia, ir para frente.. está certo. Mas como ainda não dirigi no tiptronic não posso dizer qual minha preferência.

    ResponderExcluir
  23. Belíssima obra de engenharia, deve estar próxima da perfeição.
    Mas visualmente.... não me agrada, assim como o preço, hehehe. As BMW dos anos 80 parecem que tinham mais personalidade.

    ResponderExcluir
  24. Tenho nem palavras para descrever novamente este carro ! Tá louco...E de outro mundo, bem distante de nossas carroças caras e fúteis...

    Alemão em matéria de carro, não tem concorrentes mesmo.

    Que imagens Bob, fico só babando e "imaginando" aqui.

    ResponderExcluir
  25. Tem duas travas no cofre? e para abrir?

    ResponderExcluir
  26. Com todo o respeito aos ingleses, italianos e japoneses, mas quando essa alemoada projeta e constroi carros, sem se preocupar muito com o que vão custar depois, sai de baixo (ou m elhr, saiam da frente!).

    RicardoBF

    ResponderExcluir
  27. Simplesmente impressionante a tecnologia presente nesse novo Série 7. Caramba, chegaram ao detalhe de desligar o alternador nos momentos que não é preciso carga no sistema! Isso sim eu acho bacana do ponto de vista "ecológico", a otimização de sistemas de um veículo.

    E, pelo texto do Bob, podemos dizer que o BMW 750i é "à prova de idiotas ao volante", visto que o limite do carro não é facilmente atingido em vias públicas. O "artista" tem que ser muito bão para fazer bobagem a bordo de um carro desses...

    O que estraga é o precinho de R$569 mil...

    ResponderExcluir
  28. Quanto ao alternador "inteligente", teve um Civic da década de 90 que implementava isso. Infelizmente, foi abolido nos modelos seguintes.

    ResponderExcluir
  29. Rafael, eu acho que aquelas caixas retangulares são intercoolers. Oque você acha?

    ResponderExcluir
  30. Renan,

    Sim, é o mais lógico, mas achei diferente pelo local e forma e se forem realmente devem ser ar-água.

    ResponderExcluir
  31. Anônimo 27/9 13:27
    Temperatura do óleo, como estava na foto e na legenda. Já corrigi.

    ResponderExcluir
  32. Anônimo 27/9 22:59
    Um único comando no centro libera a rrava de segurança de cada fecho simultaneamente. É bem fácil.

    ResponderExcluir
  33. Anônimo 27/9 17:10
    Não tem estepe mesmo. Os pneus são do tipo que podem rodar desinflados totalmente até 200 quilômetros em velocidade reduzida, 100 km/h. Hoje usa-se cada vez mais esse sistema, pois além de pneus furarem pouco, o estepe ocupa espaço considerável.

    ResponderExcluir
  34. Anônimo 27/9 13:55
    Isso mesmo, temperatura do óleo.

    ResponderExcluir
  35. Reiter
    Questão de preferância pessoal, além de poder passar a mão no vidro por qualquer motivo, como um embaçamento inesperado. E dificil num carro desses, mas pode acontecer. Não gosto de vidro distante.

    ResponderExcluir
  36. Vitor
    Era proibido realmente eliminar o funcionamento do alternador, mas lâmpadas podem queimar, não podem? Então queimávamos a lâmpada e desse modo interrompia-se a corrente de campo, e o alternador não gerava...

    ResponderExcluir
  37. anônimo 27/9 16:42
    Calculando, poderia chegar a 310 km/h.

    ResponderExcluir
  38. Evandro
    Eu já tinha a informação, mas reconfirmei com a BMW do Brasil depois do seu questionamento. Todos os BMW são calibrados para o padrão brasileiro E22. Certamente se esqueceram de alterar a etiqueta na portinhola.

    ResponderExcluir
  39. 310!!!! que nave.

    ResponderExcluir
  40. Bob,

    Parece realmente ser algo fantástico.

    Nunca dirigi um BMW que não achasse menos que sensacional, esse até deve acabar com munha birra com carro muito grande.

    Grande post, obrigado!
    MAO

    ResponderExcluir
  41. o dia que surgir um lancer ou impreza para teste pode dar uma chegada na estrada bragança-piracaia (beira a represa), ao invés de sair da fernao dias e pegar don pedro até o trevo de bom jesus dos perdões, pode ir até depois de bragança e aproveitar essas estradinha.
    Estrada sinuosa, ondulações imprevisíveis, mto divertida!
    ótima matéria sobre a serie 7!
    abraço

    ResponderExcluir
  42. Mais um belo post sem dúvida... Mas recomendo que vocês façam mais um passeio a noite!

    Além do BMW Active Xenon que dirige os faróis para iluminar o caminho a frente mesmo em curvas virando os fachos de luz, espero que essa unidade testada tenha a visão frontal infra-vermelho...

    Se tiver deve ser um espetáculo e um marco na segurança dos passeios noturnos.

    Abraços.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...