Google+

26 de setembro de 2011

CORRIDA NOTURNA

Foto: Wikipedia
Fernando Alonso/Renault, primeiro vencedor; atrás, Heikki Kovalainen/McLaren

O GP de Cingapura é antigo, o primeiro foi em 1966, num circuito chamado Thomson Road e era aberto a carros de Fórmula Libre, um regulamento da FIA. Foi assim até 1973 e depois acabou. Só ressurgiu em 2008, no circuito Marina Bay, como etapa do campeonato mundial de F-1 e trouxe junto a novidade de a prova ser noturna, a primeira da Fórmula 1 à luz de refletores.

Venceu o primeiro GP de Cingapura de F-1 Fernando Alonso, com Renault, numa corrida problemática, em que o companheiro de equipe Nélson Ângelo Piquet, filho tricampeão Nélson Piquet, em combinação com o chefe de equpe Flavio Briatore, teria provocado uma batida contra o muro para o carro de segurança entrar na pista e, desse modo, favorecer o espanhol.

Sem dúvida, a corrida à noite, com largada às 20 horas locais (9 horas horário de Brasília) representa um espetáculo magnífico, porém sempre me questiono o que aconteceria em caso de queda da energia elétrica no circuito. Seria um situação de altíssimo risco, o que me faz supor que o serviço de eletricidade de Cingapura tenha um sistema de reserva para entrada imediata. Mesmo assim, não sei até que ponto a volta da energia e a luz são imediatos.

Um belo espetáculo, sem a menor dúvda, mas e se a energia elétrica faltar de repente?

Todo fornecimento de enegia elétrica está sujeito a falhas e felizmente nos quatro GPs já realizados tudo foi perfeito nesse aspecto. Mas, e se acontecer? Os carros chegam a praticamente 300 km/h na parte mais rápida e há em seguida uma curva de 90 graus, feita a  110 km/h. A essa velocidade no trecho mais veloz o carro percorre 83,3 metros por segundo. Por aí pode-se ter uma idéia do que um apagão, mesmo que breve, pode causar.

Não sei se o leitor já ouviu algum comentário a respeito dessa questão; eu, nunca.

Esportes praticados à noite têm seu charme especial, inclusive e especialmente as corridas de automóveis, com pistas iluminadas, total ou parciamente, ou não. Estão aí as provas de longa duração como as de 24 horas, entre elas a carismática corrida de Le Mans e, por que não, as nossas Mil Milhas Brasileiras, para comprovar. Só que os carros nessas provas têm faróis, obviamente.

Só resta torcer para que nunca falte energia elétrica no GP de Cingapura!


BS

18 comentários:

  1. Prefiro muito mais as especiais noturnas do Rally Monte Carlo! rsrs. Agora, o risco é grande caso tenha uma queda de energia, A expressão ''Voando cego'' seria levada ao pé da letra! e devo admitir, nunca pensei sobre o tema..por mais simples que pareça!

    Henrique.

    ResponderExcluir
  2. Nesse caso, basta ligar na Stemac e locar alguns, cobram por hora, diária e até mensal.
    0800-723-3808.
    E atende em todo o Brasil, conversando talvez em Cingapura.

    ResponderExcluir
  3. Bob, os "ching ling" de Singapura tem lanternas de emergência com leds em todo circuito....

    ResponderExcluir
  4. Quando nos deparamos com espetáculos deste porte, a gente vê como o mundo de hoje é engraçado!
    A F-1 pretende admitir uma série de normas técnicas tentando ser "ecologicamente mais correta", economizar combustível, emitir menos poluentes, coisa e tal...
    Aí a gente vê um GP de Cingapura, desta grandeza, e nota que dentre tantos adjetivos possíveis para classificá-los, o único que não cabe é "ecológico". Eles querem economizar uns litros de gasolina, mas não se importam em torrar kilowatts ( giga?) de energia em três dias de evento noturno!
    Rá. Que coisa, né?
    Bom, eu pessoalmente adoro tudo isto...as luzes, os carros iluminados e reluzentes, o próprio evento em si!
    Acelera Rubinho...( opa, este já foi!)

    ResponderExcluir
  5. O circuito é ótimo, assisti a corrida nesse ultimo fim de semana e é uma beleza a parte, infelizmente essa ultima corrida foi um pouco entediante, apesar de ter tido boas ultrapassagens, no geral a corrida teve poucas emoções. Mas o que Fo... mesmo a transmissão, ow narração chata pra caramba, cheia de erros e de informações inúteis...

    ResponderExcluir
  6. Bob, pelo que eu ouvi falar, o circuito é recheado de luzes de emergência à bateria, além dos geradores... Pelo menos tem energia suficiente pros bólidos terminarem a volta e se dirigirem aos boxes...

    ResponderExcluir
  7. Certamente a coisa não está a cargo da Light.

    ResponderExcluir
  8. Com certeza eles devem ter previsto grupos moto-geradores e ou sistema de alimentação ininterrupta "UPS" na iluminação.
    Cingapura é um bom exemplo que podemos seguir. Saiu da pobreza e corrupção para virar uma nação rica e organizada. Lá até a goma de mascar é proibida. Não se consegue manter uma calçada limpa, com pessoas cuspindo chiclete no chão. Olhe para alguma calçada aqui no Brasil, sempre tem chiclete grudado, feio demais. Se proibissem goma de mascar aqui, alguém daria um jeito de trazer do Paraguai e ainda contaria vantagem.
    Vejam este video

    http://noticias.r7.com/videos/conheca-as-estranhas-e-rigidas-leis-de-cingapura-/idmedia/cba227482041b7ae0160e2cd4f9544c6.html

    Acho que nunca vamos ter ruas bem sinalizadas e com asfalto liso... Deve ser muito bom conduzir um veículo em um lugar assim.

    ResponderExcluir
  9. Alexei Silveira26/09/11 19:22

    Bob,

    No fim das freadas mais longas em um F1, de 300 para curva de baixa, o piloto perde momentaneamente a visão. Escurece tudo.

    e no caso de pilotos como o Schumacher, que tem 43 anos e muito provavelmente já tem a " vista cansada" - diminuição da rapidez de olho em focar ao longe e perto-, ele ou não vê bem o volante e seus controles e instrumentos, ou se focar o volante hora que volta os olhos prá pista demora um pouco para focar.

    Nos EUA tem corridas noturnas sempre. Tem que pesquisar se lá tem algum registro de apagão durante provas.

    ResponderExcluir
  10. Alexei Silveira26/09/11 19:22

    Bob,

    No fim das freadas mais longas em um F1, de 300 para curva de baixa, o piloto perde momentaneamente a visão. Escurece tudo.

    e no caso de pilotos como o Schumacher, que tem 43 anos e muito provavelmente já tem a " vista cansada" - diminuição da rapidez de olho em focar ao longe e perto-, ele ou não vê bem o volante e seus controles e instrumentos, ou se focar o volante hora que volta os olhos prá pista demora um pouco para focar.

    Nos EUA tem corridas noturnas sempre. Tem que pesquisar se lá tem algum registro de apagão durante provas.

    ResponderExcluir
  11. Para quem quiser saber um pouco mais sobre o sistema de iluminação do circuto de Cingapura, segue o link (em inglês):

    http://www.f1complete.com/tracks/79/10272-graphic-singapore-night-race-lightning-challenge

    Não sabia que eles utilizam geradores para manter a iluminação rodando em 100% do tempo...

    Como o Antônio C. Jr. disse, extremamente ecológica essa prova, com iluminação movida a geradores a diesel...

    ResponderExcluir
  12. Po bob, ta parecendo comercial da Bradesco seguro:

    VAAAAAAI QUEEEEE.... o satélite caia bem na hora da corrida...

    ResponderExcluir
  13. Nascar não tem faróis também,e tem diversas provas noturnas

    F1 com uns CIBIÉs iam ficar um charme hhahaha

    ResponderExcluir
  14. Marcos Fujiwara27/09/11 00:58

    Excelente post, Bob. Realmente, acho que é a primeira vez que vejo alguém parando pra pensar nisso! Estou com o Cleberson quanto à teoria dos geradores...

    Dúvida Off-topic: não sei se a equipe do AE percebeu, mas repentinamente retiraram a maioria dos radares de velocidade da Marg. Tietê. Ouvi dizer que no lugar serão instalados radares escondidos nos guard-rails, mas não achei nenhuma fonte confiável confirmando isso. Algum de vocês tem alguma informação sobre isso? Achei muito estranho nenhum canal de comunicação ter falado a respeito deste fato.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Eu pensei exatamente isso quando assistia a corrida no domingo. Vai que... Mas mesmo antes de ler o link indicado pelo DOP, já imaginava que o sistema seria alimentado por geradores, justamente para evitar uma pane geral, de conseqüências assustadoras só de pensar...

    Realmente, o sistema é bastante complexo e muito bem projetado.

    E como o Antonio C. Jr. disse, ficou evidente que essa onda ecológica rondando a Fórmula 1 é puramente de fachada. O consumo módico dos refletores do GP de Cingapura é de "apenas" 3,18 MW/hora...

    ResponderExcluir
  16. Nunca havia pensado sobre este assunto, mas posso apostar que o sistema de fornecimento de energia em Cingapura deve estar anos luz a frente do sistema tupiniquim.

    ResponderExcluir
  17. Luiz Evandro Águia27/09/11 09:06

    Nos EE UU, tem um circuito oval de huma milha , ao lado do grande oval de Indianapolis aonde tambem se realizam provas noturnas . Eu mesmo acompanhei, como " Team Manager" no inicio dos anos 90 uma prova do campeonato norte-americano da Formula 2000 ocasião em que o piloto da minha equipe o Brasileiro Zaqueo Morioka deu um show de pilotagem ; A iluminaçao era fantastica abs

    ResponderExcluir
  18. Wagner Bonfim27/09/11 13:38

    Bob,

    Pelo que li neste link, acho difícil ocorrer este problema:
    http://www.singaporegrandprixf1.com/grand-prix/singapore/f1-singapore-gp-lighting-technical-facts

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...