Google+

19 de setembro de 2011

SE BEBER, DIRIJA DEVAGAR

Foto: Werher Santana/Agência Estado

A dor de Rafael Baltresca no velório da mãe e da única irmã: estupidez evitável

Mais um atropelamento sobre a calçada matando mãe e filha, Míriam Afif José Baltresca, 55 anos, e Bruna Baltresca, 28. Pelas primeiras informações, o motorista Marcos Alexandre Martins, de 33 anos, estava com sinais de embriguês, segundo os policiais militares que atenderam a ocorrência, e se recusou a fazer o teste do etilômetro. O acidente foi no último sábado por volta de 22 horas.

Não se deve beber em excesso e dirigir, desnecessário dizer. Até a promulgação da "lei seca" em junho de 2008 não era considerado alcoolizado – e não está realmente – quem estivesse com até 0,6 grama de álcool por litro de sangue. Agora o limite é 0,2 g/L.

Mas há quem beba e saia dirigindo com alcoolemia bem superior mesmo ao limite anterior e é a estes que me dirijo neste momento, em especial os e as jovens.

Se você estiver alcoolizado, tenha consciência e certeza de que seus reflexos e reações são enormemente prejudicados. Não adianta se achar "o bom", por melhor que você dirija. Nessa condições você deve entender que dirige é mal.

Se você não achar alguém que possa dirigir no seu lugar e resolver assumir o risco de ser flagrado numa fiscalização, dirija com toda a atenção que você puder dispensar e, sobretudo, vá devagar.

Não tente andar rápido jamais, qualquer que seja a circunstância. Siga em velocidade em torno de metade da máxima e pela faixa mais à direita da via que você utilizar. Fique atento como nunca a pedestres.

No atropelamento em questão, a via, a marginal do rio Pinheiros, tem limite de  70 km/h. Andar a 40 km/h seria o ideal numa condição de alcoolizado. Pelas informações, o velocímetro do veículo atropelador estava travado em 100 km/h. É muita velocidade ali mesmo para quem está sóbrio.

Dificilmente se perde controle de um carro quando se roda devagar. Quanto mais rápido, mais essa possibilidade aumenta, especialmente quando se está alcoolizado.

Evite ao máximo dirigir em estradas e vias expressas, onde andar devagar demais é extremamente perigoso, pode-se ser atingido por trás por um veículo pesado, nesse caso podendo até causar um acidente múltiplo de graves proporções, para si e para os outros.

Se você for mandado parar pela polícia, nunca tente fugir, o que implica normalmente andar muito rápido. Pare e aceite o fato com resignação. Afinal, o errado é você.

Se você ainda não adquiriu o hábito de observar e respeitar fielmente toda a sinalização de trânsito, os semáforos e as placas de parada obrigatória ("Pare") a qualquer hora do dia e da noite, nos dias da semana, aos sábados, domingos e feriados, por favor comece, pois é no automatismo de observância à sinalização que reside a segurança ao dirigir, principalmente estando-se ébrio.

Lembre-se sempre de que vida humana não tem preço e levar à morte um terceiro lhe trará conseqüências para o resto da sua vida - caso você não a perca ou fique com seqüelas graves, como a paraplegia.

Tudo o que eu disse neste post é fruto de conhecimento e experiência próprios. Já fui jovem também e felizmente sempre segui os sábios conselhos do meu pai.

BS

98 comentários:

  1. Título melhor para este texto teria sido "Se beber, NÃO dirija!"

    ResponderExcluir
  2. Entendo que a proposta deste post é algo do gênero "se vai fazer coisa errada, faça da forma certa", mas vale lembrar que beber e dirigir é errado tanto pelo ponto de vista da lei como por qualquer outro.
    Minha sugestão: conheça seus limites e se atenha à eles.
    Eu, por exemplo, sei que posso beber um chopp durante um jantar (+ ou - três horas) e sair bem. Mais que isso... Não corro o risco, nem para mim para os outros.
    E, repito: mais que tudo, falta fiscalização séria, cotidiana, e não espetacular.

    ResponderExcluir
  3. Concordo totalmente com o anônimo 19/09/11 16:21

    ResponderExcluir
  4. Será que um alcoólatra consegue lembrar dessas recomendações? Sinceramente não acredito que um motorista embriagado tenha consciência do que faz, o motorista embriagado deve entrar num estado meio automático.

    Em todo o caso. Se o cara conseguir, vale o conselho do Bob. Ótimos conselhos diga-se de passagem.

    Esse fim de semana, na internet mesmo, num clube desses monomarca... um absurdo. Rolou um boato sobre possíveis "blitz" e os devidos locais. A galera se apavorou e alguns falaram inclusive que iam ficar em casa pra não arriscar. Pense: - Pombas. Ficar em casa? O Taxi existe! Dá pra ir pra balada, beber e voltar pra casa de taxi.

    Atitudes dessa só me traz uma conclusão. Os caras QUEREM dirigir bêbados por aí.

    ResponderExcluir
  5. Antes da lei seca qdo ia pra balada com meus amigos bebia até umas 3 horas e saia lá pelas 6 pra dar tempo de pelo menos diminuir o efeito do álcool, eu saia da balada e voltava pra casa na manha como vc mesmo disse Bob, pegava a pista local da maginal e não passava dos 50 km/h, hoje com a lei seca eu e meus amigos revezamos quem vai passar a noite na base da água e coca-cola...

    ResponderExcluir
  6. O correto mesmo seria não dirigir. Mas sabemos que nem sempre isso é seguido, tem gente que não confia o carro a outras pessoas (embora ele bêbado certamente dirija pior que essas outras pessoas), não encontra taxi, ou simplesmente quer fazer o errado...
    O que o Bob falou é simplesmente a constatação de que a lei nunca será seguida 100%, então quem for infringi-la, que pelo menos tenha o mínimo de consciência pra não levar inocentes junto com ele.

    ResponderExcluir
  7. No Fantástico Mundo de BOB, se beber, dirija devagar. O que quer dizer, trocando em miúdos, que, quando você estiver embriagado, deverá ter a consciência, auto-controle e o reflexo para agir cuidadosamente. Perfeito. Funciona no Fantástico Mundo. Agora, no mundo real, se beber, não dirija. Até pra não descumprir a LEI. O resto é blá blá blá de quem não gosta de respeitar os limites de convivência social impostos pelas autoridades constituídas... Aliás, não é à toa que elas estão lá. Imagina implementar essa linha do "cada um cuida de si" ou "cada cabeça é um mundo" que impera no Fantástico Mundo aqui no mundo real. Se a coisa já está complicada como está, imagina a m*rda que seria então...

    ResponderExcluir
  8. Bob,
    O grande problema é que algumas pessoas não têm esse bom senso quando estão sóbrios, que dirá quando alcoolizados. Além disso, não se pode esperar algo de sensato de alguém que sai de carro, mas já com a intenção de "tomar todas", não respeitando qualquer limitação orgânica.
    Infelizmente, para essa gente tem que ser na base do "ou tudo ou nada"...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Só tenho uma coisa a dizer: bêbado só faz merda.Enquanto aparecer em horário nobre a maldita propaganda das cervejas e afins, o consumo (também entre menores de idade) só tende a aumentar e os incidentes, tristes para os familiares, também.
    Mas o que importa a segurança do cidadão se o governo (com altos impostos) e as indústrias faturam muito com consumo elevado. Bêbado não deveria sair de casa (tenho dó de seus familiares) muito menos chegar perto de um automóvel. Mais uma vez BEBADO SÓ FAZ M....

    ResponderExcluir
  10. Bob, você tem muita fé na humanidade! :)
    Na minha opinião, se bebeu, dê uma cochilada.

    ResponderExcluir
  11. Por que os fabricantes de bebidas alcolicas patrocinam corrida de automoveis?

    ResponderExcluir
  12. Bob, você tem muita fé na humanidade! :)
    Na minha opinião, se o cara bebeu, que dê uma cochilada.

    ResponderExcluir
  13. Outro conselho poderia ser: se quiser beber à vontade, fique em casa. E mesmo assim, conheça seus limites e nunca fique bêbado de fato propositalmente porque nunca se sabe quando será preciso assumir um volante (algum ente querido pode ter um piripaque e precisar ser levado a um pronto-socorro, por exemplo)...

    ResponderExcluir
  14. 0o, até você caiu na lenda do velocímetro travado?

    ResponderExcluir
  15. Isto pra não falar do estudante de direito que roubou um ônibus, arrebentou meio mundo e ainda ficou reclamando quando levou uns sopapos da polícia.
    Que raiva!
    Neguinho tinha que pegar um sujeito destes, arrancar as cuecas do cara numa praça pública qualquer e sentar umas trocentas chicotadas no seu traseiro branquelo e espinhento até sair o "couro"...só pra ver se aprende a ser gente.
    Que raiva...

    ResponderExcluir
  16. Uma cochilada antes de dirigir, é claro!

    ResponderExcluir
  17. Melhor título seria: "50 ANOS DE PRISÃO PRA ESSE VAGAB...!

    ResponderExcluir
  18. marcelo vieira (jmvieira)19/09/11 17:18

    essa é minha experiencia nas cachaçadas da vida. quando eu estou com muito sono desregulo levantando o encosto do banco do carro pra ficar desconfortavel e nao dormir, e voltava devagar, nao passo de 60km/h... desde adolescente eu fazia isso. sabado de madrugada mesmo cheguei tranquilo em casa eu e a patroa. e parece absurdo, mas ha alguns anos eu ja dei o carro a ela sobria depois de eu ter bebido, e eu pedi pra ela parar no acostamento pra me dar o carro de novo: eu nao aguentei os trancos e o modo grosseiro como ela dirige... eu ainda "mamado", dirigi com suavidade e sem freadas bruscas, melhor que ela...

    ResponderExcluir
  19. O BÊBADO SEMPRE ESTÁ ERRADO. Ele dirige de forma perigosa, e as pessoas que estão na via acabam tendo de evitá-lo, agindo de forma perigosa igualmente.

    Por exemplo: se um bêbado dirige e avança para sua faixa, dentro da cidade, você é obrigado a subir na calçada (comigo já aconteceu isso), o que é igualmente perigoso (sorte minha não ter ninguém na calçada aquela hora). As pessoas que estão na calçada, para escapar de você, pulam para a faixa, o que é perigoso também. Assim, o bêbado sempre é o culpado.

    ResponderExcluir
  20. Anônimo das 16:42,
    entendo seu ponto e acho que a lei deve ser cumprida sim.
    Porém, num ponto, concordo com o Bob: hoje em dia faz MUITA falta a cultura do "cuidar de si próprio" e responder pelos seus atos ao brasileiro, acostumado a agir apenas no princípio do comboiom seja para seguir a lei, seja para contrariá-la.
    Um exemplo? O recente acidente na Imigrantes. Se as pessoas tivessem seguido o bom senso, não teria acontecido.
    A solução das "otoridades"? Comboio a 40km/h mesmo em dia de sol pois a "neblina pode cair a qualquer momento". Tudo porque o brasileiro está virando um incapaz de fazer qualquer coisa por sí próprio ou responder por suas ações.

    ResponderExcluir
  21. marcelo vieira (jmvieira)19/09/11 17:21

    ...que estava me deixando nauseado.

    ResponderExcluir
  22. Zagor te nay!19/09/11 17:23

    Que raiva!
    Senta a pua nos cachaceiros motorizados de plantão!
    Ayaaaakkkkk!!!!

    ResponderExcluir
  23. marcelo vieira (jmvieira)19/09/11 17:26

    motorista de hoje em dia sabe muito pouco, principalmente de bom senso. quando bebe, o pouco que sabia e o bom senso desaparecem. ai acontecem os acidentes. mas se soubessem dirigir bem e tivessem bom senso, mesmo "mamados" dirigiam devagar e com cuidado. é por isso que a lei seca existe: pq o motorista brasileiro mediano é uma bela porcaria...

    ResponderExcluir
  24. marcelo vieira (jmvieira)19/09/11 17:30

    ...minha mulher é um exemplo. ela nao dirige, ela destroi o carro. faz 15dias gastamos 1400 reais com embreagem, ela destruiu o conjunto em 30mil km. fora pastilhas de freio, consumo de combustivel - km/l: de 6,5 faz 4 na mao dela - já quebrou (de novo) todos os coxins do motor, etc... e olhe que eu conheço muita gente que é igualzinho a ela, ou pior.

    ResponderExcluir
  25. Pinguelão19/09/11 17:46

    Eu sinto muito por você, jmvieira.
    A minha esposa, ao contrário, é habilidosa, conhece as manhas do carro, dirige rápido sem esmerilhar a máquina, e ainda manda muito bem no puntataco!
    Em casa, então, pilota um fogão como ninguém, e na hora do afago...meu amigo. Que mulher...que talento..
    Ela é quente, quentíssima!
    Uau...

    ResponderExcluir
  26. Mas é uma barbaridade!

    Me ajuda ai ôh! Alô comandante Hamilton!

    ResponderExcluir
  27. Sr Sharp

    Se beber,NÃO dirija,ponto final,sem mas nem meio mas.
    Peça carona,chame um taxi,durma ali mesmo no chão,sei lá o q. mais;as opções são muitas!
    Já foram três pessoas muito próximas de mim,vítimas da irresponsabilidade de manguaceiros;duas delas não voltam mais, a terceira condenada a carregar seqüelas pelo resto da vida Não ha ação penal ou civil que conserte esses danos.Nem "conselhos" q. os evitem
    Permita-me,por favor,considerar afrontosa a atitude de "aconselhar" bêbados a subir nos seus carros(a partir dalí"armas") e sair pela aí dirigindo "conscienciosa e escrupulosamente", de modo a (quem sabe?)provocar o menor dano possivel

    Cada indivíduo reage de modo diferente à presença de alcool no sangue;uma dose de uísque e um "chopp" me derrubam quase q."no ato",ao passo q. conheço gente bem mais resistente(na aparência,pelo menos).Mas, não iria pedir carona pra eles no fim da balada.Não MESMO.
    Daí,a Lei prescrever o limite nesse nivel "ridiculamente baixo"

    Enfim-boa ou ruim,a Lei tá aí para ser cumprida e aperfeiçoada. É bem melhor do q. não haver nenhuma

    Abs para todos

    ResponderExcluir
  28. Dirigir para mim é uma questão de responsabilidade e eu sempre encarei assim, desde moleque. Sempre adorei carros e corridas, para mim dirigir é um lazer, um prazer, um hobby... mas antes de tudo isso é uma responsabilidade que levo a sério, afinal de contas um erro atrás do volante pode causar a morte de um inocente.
    Já para a maioria é simples e pura diversão e diversão para a maioria rima com irresponsabilidade.
    Agora me lembrei do babaca que roubou um ônibos, fugiu da policia e fez um monte de merda pelo caminho.

    ResponderExcluir
  29. Todo machão depois de um acidente chora e vira galinha, por isso é bom ter cuidado sempre, com ou sem álcool.

    ResponderExcluir
  30. Eu dirijo bêbado. O maior perigo começa quando se perde a noção do espaço-tempo. E o carro nunca está onde a gente queria, passar a menos de 0,5 m de qualquer coisa se torna perigoso. Isso é, bebendo cerveja por cerca de 5 horas seguidas e mais umas boas doses de cachaça. Eu moro a 3 km de onde bebo. Eu tinha medo e fui aumentando vagarosamente a quantidade de álcool. É necessário praticar, até mesmo para dirigir bêbado. Hoje eu dirijo bêbado mais tranqüilo e devagar do que eu dirigia quando comecei a dirigir e beber.

    No final do ano eu cheguei ao absurdo de passar uma semana bêbado. O resultado é que no primeiro dia sóbrio eu detonei o retrovisor do carro no portão de casa.

    O sono e a ira ao volante são tão perigosos quanto o álcool. A ira, por exemplo, é completamente ignorada como fator de violência no trânsito aqui no Brasil. Se perguntar para um "especialista" ele irá dizer que a ira é desprezível. É muito fácil identificar quem está dirigindo sob estado de ira, e geralmente tem o efeito dominó. A ira de um desperta a ira de vários. E quando não mata por acidente, mata mesmo é por arma de fogo, por agressão, etc..

    ResponderExcluir
  31. Daqui a pouco deve sair um post "Se matar, não faça muito estrago com o corpo".
    Tentar ser razoável com gente irresponsável é o fim, viu! Quem é que defendia "tolerância zero" mesmo?

    ResponderExcluir
  32. Bem lembrado Cabral. Também penso que a ira é o que de pior existe no trânsito.
    Sempre recomendei aos meus filhos para que nunca dirigissem nervosos, porque é mais perigoso do que dirigir bêbado.
    O melhor a fazer quando se está nervoso, é parar o carro e fazer uma leve meditação de relaxamento. E só prosseguir depois de completamente calmo.

    ResponderExcluir
  33. marcelo (jmvieira)19/09/11 19:37

    pinguelão, se sua mulher é tão competente, porque é casada com voce? explico: "pinguelão" significa "grande clitoris"... voltando ao assunto, se sua mulher dirige melhor que voce, ou ela está bem acima da media, ou vc bem abaixo. não vou falar nem de cozinha nem de sexo pra sua mulher não vir me procurar, afinal isto é um blog automobilístico. efusivos amplexos.

    ResponderExcluir
  34. Eu já tive que prestar trinta dias de serviços no fórum por conta de uma bebedeira inconsequente, foi há muitos anos mas foi algo um tanto deprimente.

    Pneus gastos, reflexos atrasados pelo alcool, uma cavalo de pau involuntário parando a 10 cm da viatura, fuga com faróis apagados...consegui fugir dos policiais e ao invés de ir para casa continuei a caça de festins noturnos; não deu outra e justa "recompensa": uma barreira policial e arma na cabeça.

    Uma experiência que colocou minha cabeça no lugar enquanto era tempo.

    Nos achamos onipotentes ao volante quando bebemos, rachas noturnos com chuva, por estradas sinuosas...entrando em curvas na base da burrice cega, totalmente vencidos pelo entorpecimento e adrenalina, mas mesmo assim querendo ver o velocímetro galgando para cifras inéditas no afã não de derrotar, mas de humilhar o oponente audacioso...tendo tudo como combustível algum destilado ou várias cervejas.

    Loucura, insanidade e burrice total, anos andando no fio da navalha para colher o que? a capacidade de interpretar um pouco melhor o carro? mas a que custo? e dirigir alcoolizado não melhora ninguém ao volante, apenas injeta uma coragem tão frágil quanto um castelo de cartas; hoje sou um sobrevivente, mas como eu gostaria de mudar minha relação com os carros sem a presença do alcool que tanto servia de muleta social na juventude.

    Muitos não podem contar com essa sorte que tive de nunca machucar alguém ou sair ferido apesar dos vários acidentes e excessos sem noção. Tenho verdadeira VERGONHA de ver meu passado e verificar quantas oportunidades perdidas, riscos tremendos assumidos, e a sensação de vazio que beber em excesso causa quando é algo fora do bom senso.

    A bebida nos torna piores, mais burros, mais lentos ao volante...não embarquem nessa amigos! os carros são interessantes demais para perdermos nossas vidas neles por causa de umas a mais; vamos sair dos limites do rebanho que acha "da hora" beber e dirigir, não dá..não combina e não há nada de divertido em contar casos antigos de manobras que envolvam bebida e direção.

    MF

    ResponderExcluir
  35. marcelo (jmvieira)19/09/11 19:46

    cabral, eu tb sou um pessimo exemplo. comecei dirigindo aos 12 anos, comecei a beber aos 14 e dirigir pras festas aos 15. nunca sofri um acidente bebado, pq quando eu bebo eu me controlo, ao inves de ficar mais afoito eu fico mais cismado, pq sei que estou errado. se todo mundo pensasse assim, muitos acidentes não ocorreriam, pq um carro é uma arma na mão de um motorista que seja (ou esteja) ruim.

    ResponderExcluir
  36. http://www.jornalpp.com.br/jpp/index.php?/Policia/mulher-de-83-anos-morre-atropelada-na-vila-monteiro.html#comment-1093

    Sem mais

    ResponderExcluir
  37. Alexandre - BH -19/09/11 20:12

    Mesmo antes da Lei Seca sempre procurei ter o domínio da situação. Quando estou de carro não tomo mais do que um chope ou uma latinha. Só que, se eu for parado na blitz e soprar o bafômetro, serei tratado como o alcoólatra que toma um engradado sozinho e sai a 200 por hora. Portanto, não sopro.
    Somos um dos países mais ‘normatizados’ do mundo. Grande coisa, pois produzimos um amontoado de letra morta, sem aplicabilidade, elaborado por um legislativo dos mais caros, corruptos e ineficientes do mundo.
    E não adianta apertar a lei - o Brasil não tem tradição em legislar com tolerância zero. A hipocrisia reside justamente na promessa de enrijecer as regras (pura bravata), quando sabemos que não se cumpre nem o básico em termos de fiscalização.

    ResponderExcluir
  38. Paulo Ferreira19/09/11 20:13

    Muito apreciado o post.

    ResponderExcluir
  39. Alexandre - BH -19/09/11 20:20

    Em tempo: À família Baltresca, meus sinceros sentimentos. Estou enlutado pela perda recente do meu pai, em condições ditas 'normais'. Imagino perder entes queridos dessa forma. Que Deus lhes dê força e ânimo.

    ResponderExcluir
  40. Johnconnor(old rocker)19/09/11 20:21

    "Se você estiver alcoolizado, tenha consciência e certeza de que seus reflexos e reações são enormemente prejudicados"
    Convenhamos Bob, pedir pra um embriagado ter consciência é a mesma coisa que pedir pra qualquer marmanjo ter instinto materno vc não acha??Afinal de contas a embriaguez prima justamente pela falta de consciência e falta de noção das coisas.Falta de noção de perigo,responsabilidade,velocidade,noção de profundidade alterada etc,etc,etc...
    Nessa questão existe o jeito certo e o errado,o que vc está propondo no texto seria um jeito "meio certo" mas só que isso não existe nesse caso.Dizer que exista um bebado conscio e cuidadoso é o mesmo que dizer que existe um bom nazista.Tambem achei o titulo profundamente infeliz.

    ResponderExcluir
  41. Bob, melhor titulo impossivel, se é impossivel colocar nas cabeças incosequentes que beber e dirigir é proibido, pelos menos que se ande devagar.

    ResponderExcluir
  42. Bob e acima de tudo, quem beber por favor não dirija um ônibus!

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/09/homem-rouba-onibus-na-barra-e-provoca-acidentes-na-zona-sul-do-rio.html

    ResponderExcluir
  43. Apesar de não aconselhável, é possível dirigir com segurança mesmo um pouco alcoolizado. Andando devagar na direita, respeitando semáforos etc. (o que já deve ser feito normalmente, mas nesse caso, cuidado redobrado). O problema é beber tudo e sair pisando. É isso que resulta nesses casos. Não defendo dirigir sob efeito do álcool, mas é perfeitamente possível não fazer bobagem nessas condições.

    ResponderExcluir
  44. Eu já "bati boca" com o Bob quando ele defendeu o direito de um imbecil andar a mais de 200 km/h na Via Lagos, no Rio.

    E vejo com tristeza que o Bob continua achando que, sob determinadas circunstâncias e "atenuantes" (bêbado, "pero no mucho") a Lei (com maiúscula) pode, sim, ser flexibilizada.

    Shame on you, Bob!

    ResponderExcluir
  45. Anônimo 19/9 21:03
    leia o post de novo. Você não entendeu o que leu.

    ResponderExcluir
  46. Johnconnor(old rocker)19/09/11 21:11

    Esse negócio de bebida é questão fechada pra mim,eu bebo geralmente nos finais de semana e quem dirige pra mim é minha mulher que não bebe.Vamos há barzinhos,restaurantes,churrascos e é sempre ela que volta dirigindo e eu acho isso ótimo pois assim posso "entornar o caneco" a vontade .Mesmo com toda propaganda dizendo "se dirigir não beba" há toda hora na nossa cabeça ainda assim a turma bebe e dirige.Imagine então se passarmos pra "se beber dirija com cuidado"isso é um absurdo.Bob vc é um jornalista conceituado e não pode se esquecer de que é formador de opinião, já pensou que alguém pode entender o que vc disse como "mas o Bob disse que se dirigir devagar não tem problema,pode beber"E mesmo tentando fazer minha parte eu sou só metade da situação pois mesmo não bebendo ao dirigir nem pegando carona com bebado ao volante eu posso acabar sendo vitima da combinação bebida+volante.E não se esqueçam que todos vcs também,alguns podem não beber,outros podem beber e manter o controle da situação mas todos nós estamos sujeitos a sermos vitimas de algum bebado descontrolado. Por isso eu peço que não bebam e dirijam e passem essa idéia adiante afinal além da própria vida vcs podem estar ajudando a salvar a minha ou quem sabe até a do Bob.

    ResponderExcluir
  47. Anônimo 19/9 19:11
    Leia o post de novo. Você também não entendeu o leu.

    ResponderExcluir
  48. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  49. Anônimo 19/9 16:42
    Leia o post de novo. Você não entendeu o que leu. Você é o terceiro a quem recomendo a releitura.

    ResponderExcluir
  50. Corsário Viajante
    A lei permite beber até atingir alcoolemia de 0,2 g por litro de sangue. O bom senso também. Ou os alemães seriam doidos de permitir 0,5 g/l e deixar o sujeito andar numa Autobahn a 300 km/h.

    ResponderExcluir
  51. Murilo Dantas
    O conselho que dei é para quem bebe e dirige, e não para beber e dirigir.

    ResponderExcluir
  52. Bob;

    Endosso o seu Post.

    O correto é beber e não dirigir mas...Todos sabemos que a prática é BEEEEM diferente da retórica (viu, anônimo das 21:03 - que nem coragem de assinar o nome tem.)

    Tem que acabar com a hipocrisia de achar que não tem ninguém alcolizado dirigindo. E já que sabemos que eles existe, que pelo menos consciência minima eles tenham.

    ResponderExcluir
  53. "Não se deve beber em excesso e dirigir".

    Você escreveu isso, Bob. Releia.

    O correto é: Não se deve beber e dirigir!!!

    Tolerancia zero!

    ResponderExcluir
  54. Pelos comentários, percebi que muitos confundem embriaguez com estar alcoolizado. Embriaguez, para simplificar, é o estado em que praticamente não se consegue parar em pé, a vista fica embaralhada, a voz "pastosa" e por aí vai. Já o estar alcoolizado é diferente, pois tem-se plena consciência de que suas reações não estão perfeitas, mas o raciocínio continua intacto. Essa de que "bebi só um pouquinho", mas não se lembra do que aconteceu é balela, o cidadão estava "mamado" mesmo!

    Também não defendo beber e dirigir, embora já tenha dirigido alcoolizado, porém com total consciência de meu estado. Dirigi justamente da forma como o Bob escreveu (já comentei isso em outra ocasião aqui no AE).

    Entretanto, entendi perfeitamente o recado do Bob. A idéia é que o sujeito alcoolizado ao menos redobre a atenção. Dirigindo com cuidado dificilmente a pessoa se envolverá em acidente, por menor que seja.

    É impossível fazer com que as pessoas alcoolizadas não dirijam, exista lei ou não, fiscalização pesada ou não (isso é fato mais do que comprovado, não apenas no Brasil). Aos que dirigem embriagados, de nada adianta recomendação alguma, pois o sujeito se acha o bonzão e dane-se os outros. Já tive contato com pessoas assim e hoje me sinto orgulhoso de ter dito um sincero (com o perdão da palavra) "vai se fu...er!" e nunca mais quis saber de contato com o imbecil. A esses, só resta torcer para que um babaca desses não cruze nosso caminho, pois é um perfeito idiota social.

    ResponderExcluir
  55. Road Runner, vc conseguiria dar uma definição um pouco mais técnica para distinguir "alcoolizado" de "mamado"?

    ResponderExcluir
  56. Johnconnor(old rocker)19/09/11 21:47

    Daniel Shimomoto de Araujo
    Caro amigo tomo a liberdade de discordar da sua opinião.Vc está correto ao dizer que a prática é bem diferente da retórica no caso da bebida.Só que da mesma maneira que não se deveria beber mas se bebe,sabemos que tem gente que fura o sinal vermelho,que tira racha,que corta preferencial,que não respeita faixa etc. etc.e mesmo assim não deixamos de insistir que tudo isso é errado.è o mesmo caso,sabemos que tem muita gente que bebe e dirige mas não se pode deixar de insistir que isso é errado por que senão logo todo mundo vai estar fazendo igual.

    ResponderExcluir
  57. Caio Ferrari19/09/11 21:54

    Bob, a bebida também afeta a capacidade de julgamento das pessoas. Portanto recomendar que sejam prudentes ao pegar no voltante embriagadas é um tanto ilógico.
    Entendo onde você quis chegar, até concordo, mas é ingênuo crer que o bêbado que anda a 100km/h numa via como aquela, terá a cabeça de andar na manha.

    ResponderExcluir
  58. Road Runner, faço minhas as suas palavras tambem. Entendi perfeitamente o recado, e acho bastante importante.

    E vou além: mesmo as pessoas que estiverem com 0% de álcool no sangue, se estiverem sob alguma condição que afete seus reflexos, devem tomar consciência disso e redobrar o cuidado na direção. Por exemplo, plantonistas que viraram a noite sem dormir, ou pessoas que tomam calmantes.

    ResponderExcluir
  59. Sempre que bebo procuro não dirigir, mas se acontece algum imprevisto não posso evitar. O fato é que não adianta achar que o "Se beber não dirija" é totalmente obedecido.
    O que eu acredito é que quando o amigo Bob diz: "mas se beber..."deve estar se baseando na triste REALIDADE de pessoas que sabem que existe a "LEI(e não o cumprimento dela)" e que já que não OBEDECEM tenham pelo menos o bom senso de tentar minimizar a situação. É muita ignorância a pessoa achar que isso é um conselho tipo "se beber dirija" e muita hipocrisia ignorar os fatos.

    ResponderExcluir
  60. Bob, ótimo post. Se a maioria dos motoristas que tomam umas e dirigi assim como eu,seguissem estes conselhos não precisaríamos de lei seca alguma.Mas estamos no Brasil...

    ResponderExcluir
  61. O trânsito mais violento do mundo é o indiano. Na India ninguém bebe e quase nenhum carro passa de 80 km/h. A India seria o paraíso, se não fosse o inferno.

    O maior problema é que o problema não é simples. O Brasil pode se tornar mais indiano, com menos álcool e menos velocidade e mais violência no trânsito, ou pode se tornar mais alemão, com mais álcool, mais velocidade e mais segurança no trânsito.

    ResponderExcluir
  62. Ao Anônimo 19/09 21:47

    Simples:

    - Alcoolizado: você toma pouca bebida alcoólica (uma ou duas latas de cerveja, por exemplo, depende da pessoa), mas já percebe o efeito do álcool no organismo. Você ainda consegue levantar-se tranquilamente da cadeira, andar em linha reta, ler qualquer coisa perfeitamente etc. Porém, sem fazer um teste específico, não se sabe até que ponto seus reflexos foram afetados. Não acredito nos que dizem que nem sentiram a bebida. O que acontece é que a pessoa se acostuma e não se dá conta de estar alcoolizada.

    - Embriagado, bêbado ou "mamado": é o cara que tomou todas, já perdeu a conta de quantas tomou. Aí fica difícl para se levantar da cadeira, muito difícl ou até mesmo impossível andar em linha reta, ler textos sem que as letras sejam garrafais (sem trocadilho...) torna-se um trabalho hercúleo. Antes do sujeito chegar nessa condição já não podia nem pensar em dirigir, o que dizer então dos imbecis que ultrapassam esse estado e ainda saem por aí barbarizando no trânsito...

    Eu, por exemplo, depois de umas cinco latinhas de cerveja já praticamente fico "benzendo" a fechadura do carro. Não dá nem para achar direito qual o botão do alarme abre ou qual fecha a porta... (se bobear, não acho nem a chave do carro no bolso!) Mas o raciocínio continua perfeito, tenho plena consciência de estar "mamado". Ou seja, nem me atrevo a pensar em dirigir nesse estado.

    ResponderExcluir
  63. Pessoal, terminem aterceira série e façam um reforço nas aulas de interpretação de texto. Assim não dá!

    ResponderExcluir
  64. Anônimo 19/9 21:30
    A lei atual autoriza alcoolemia de 0,2 grama de álcool por litro de sangue (o código de trânsito autorizava 0,6 g/L antes da "lei seca" que, como você viu, não é seca coisa nenhuma. Mesmo no limite anterior (0,6) a pessoa tem condições dirigir com responsabilidade (nos EUA e Inglaterra é até mais, 0,8). Com essas alcoolemias ninguém pode ser considerado bêbado e não são esses que provocam tragédias como a desse atropelamento na calçada. Portanto, caro leitor, não beber em excesso é não ultrapassar o limite legal. Entendeu agora?

    ResponderExcluir
  65. Muita gente não acreditou que possa haver consciência em alguém que bebeu. Hoje não faço mais, mas já dirigi muitas vezes depois de ter bebido, porém... ao assumir o volante assim, sempre pensei em como me sentiria se matasse ou mutilasse alguém, em como me sentiria se me ferisse com graves seqüelas, e também fiz todas as outras coisas citadas pelo Bob: andei devagar, com muita atenção, com lanternas e faróis acesos, sinalizando minhas intenções, sem avançar sinais, sem tomar contra-mão para encurtar qualquer trajeto, som baixinho para não abafar os ruídos externos que poderiam me alertar para alguma situação, enfim: foram muitas vezes mesmo, e estou aqui, sem um acidente. Sorte? Talvez. Aconselho que bebam e dirijam? Cada um sabe (ou deveria saber) seus limites. Eu sabia. Se forem dirigir depois de toamar umas, sabem se policiar? Eu sabia. Não faço mais muito mais pela aporrinhação (multa, apreensão, ir até a D.P) que pela "chance muitas vezes multiplicada" de causar um acidente. Um sujeito totalmente sóbrio, mas que participe de rachas (e existem muuuuuitos praticantes), por exemplo, é um risco infinitamente maior para ele e para outros, que alguém que bebesse e agisse como o Bob colocou. Quem quiser, acredite. Quem não quiser, não acredite. Ponto.

    ResponderExcluir
  66. "nos EUA e Inglaterra é até mais, 0,8"

    Ah é, esqueci que não estamos no Brasil! E não é questão de nivelar por baixo: É questão de ser realista. Pra quem condena o Ribas Filho, fazer um post desse é, no mínimo, ridículo.

    ResponderExcluir
  67. Sr.Sharp @ 21:16


    oops! Óleo na pista...
    (apenas um chiste)

    Ab.

    ResponderExcluir
  68. Muitos jovens querem experimentar sensações diferentes, ficar bebado, disputar com algum colega quem aguenta mais. Provar que "sabe" beber. Não conhecem limites, pois estes ainda não foram alcançados. Tem o limite da bebedeira e o limite do carro. Tem gente que junta os dois e experimenta este limite acontecendo alguma tragédia, acabando com a própria vida e/ou estragando a vida alheia. O problema das "baladas" é o horário que começa, geralmente depois das 23:00. Nesta altura, ou vai de carro ou espera até clarear para ter transporte público e principalmente, ficar seguro para ir embora. Com a criminalidade, muitos colocam na balança, correr risco indo de transporte público ou dirigir bêbado. Taxi, só se vc tiver sorte de encontrar algum e estar perto de casa, pois fica muito caro se estiver longe ou mesmo se vc não se importar com o valor, ou anda com muito dinheiro na carteira ou arrisca passar um cheque para um estranho taxista que vc nunca mais verá. Para ser sociável, fazer amigos, a bebida vai estar presente vc bebendo ou não. Vc pode ir e pensar, não vou beber... mas acaba bebendo esquecendo que veio dirigindo. nesse momento o post do Bob é sensacional. Beber ou não... Fazendo analogia, é como antes de ser obrigatório usar cinto de segurança, muitos que usavam eram taxados de chatos, ou se vc colocasse o cinto no carro de alguém que não usa vc estava demonstrando ter medo de ser passageiro desta pessoa. Hoje é cultural usar o cinto, ninguém "pensa" ou fala nada se usar. No Japão quem é passageiro de alguém que comete um acidente embriagado é considerado cumplice e tem que pagar uma multa alta, inclusive vai preso junto. Ou seja, lá é cultural não dirigir embriagado. Espero um dia, ser cultural não dirigir embriagado, pois sei que muitos não tem limites e prejudicam vidas alheias. Ficar bebado de vez em quando é divertido, mas devemos cobrar segurança e transporte público, hoje não temos isto. Em lugares que a lei é mais severa, o pessoal tende a sair mais vezes, inclusive durante a semana, mas bebem menos e voltam cedo para casa. Isto até é bom, pois beber demais acaba com o dia seguinte.

    ResponderExcluir
  69. Este limite de 0,2 é ridículo! Eu bebo 3 ou 4 cervejas e sou perfeitamente capaz de dirigir, assim como quase todas as outras pessoas! O que causa acidentes são os que bebem muito mais que isso! Essa lei seca não mudou absolutamente nada em relação aos acidentes, o que mudou foi as blitzes! Se simplesmente tivessem colocado blitzes com a lei anterior o resultado seria o mesmo e as pessoas que bebem socialmente não seriam prejudicadas!
    Aos que dizem que tem que ser 0 mesmo porque não tem como saber quem suporta mais alcool eu lanço a seguinte pergunta: Você vai a um churrasco na hora do almoço (12h00) e toma 3 cervejas (bêbado sinistro). Você teria coragem de voltar pra casa dirigindo, as 18h00 passando por uma blitz da lei seca? Eu não!

    ResponderExcluir
  70. Precisamos criar uma campanha: SOQUE um bebado. Toda vez que alguem ver um bebado na iminencia de dirigir, deveria espanca-lo ate que ele desista.

    ResponderExcluir
  71. O grande problema dos conselhos é que eles não valem para todo mundo.
    Alguns bebem e dirigem, e não há campanha que mude os hábitos destes. Existem aqueles que bebem e não dirigem, e não há campanha que mude esse hábitos destes.
    E existem aqueles que bebem e não dirigem, até que provem que dá pra dirigir. E esse post, INfelizmente, acaba sendo útil para esses indivíduos, que podem pensar assim: "ah, se o Bob faz, eu também consigo!", e com isso podem acabar entrando para alguma triste estatística.

    Não discordo dos conselhos do Bob Sharp, na minha opinião são bem sensatos. Mas quem já dirige "trêbado" não vai mudar o comportamento; vai continuar matando gente e aterrorizando vizinhanças.

    ResponderExcluir
  72. "Cledorvino",o inocente, aquele representante dos "picaretas nacionais" afirmou que não existe lobby? isto é coisa que "puseram na cabeça dos brasileiros", Cledorvino, o inocente, afirmou tb que não haverá aumento nos preços dos carros nacionais !

    ResponderExcluir
  73. Sempre é bom relembrar que a placa "PARE" É PARA PARAR MESMO.- Bob - muito oportuno esse seu texto..abs Aguia from Floripa

    ResponderExcluir
  74. Pinguelão20/09/11 08:46

    Ô, JMvieira, nas minhas paragens, pinguelão é uma ladeira bem acentuada...daquelas de dar nó na espinha.
    Fora isto, você me parece meio estressado...Tome um porre, mas lembre-se...nada de dirigir depois disto!

    ResponderExcluir
  75. marcelo vieira (jmvieira)20/09/11 08:56

    se a lei anterior fosse cumprida e fiscalizada, seria otimo. o governo só enrijeceu a lei visando transferir a responsabilidade para o cidadão, criando uma lei pra colocar medo nas pessoas. mesmo assim continuam formando pessimos motoristas... só agora tem um projeto de lei que vai treinar motoristas na condução noturna. em suma: são uns hipocritas. dão habilitação a qualquer um de qualquer jeito, depois "penduram-lhes pelos testiculos".

    ResponderExcluir
  76. Simples: é só não beber álcool !
    Para que inventaram bebida com álcool ? tem alguma finalidade para a saúde humana ?
    É tão simples, e tantos perdem tempo e dinheiro com bebida alcoólica.
    Uma bobagem sem tamanho.

    ResponderExcluir
  77. Johnconnor(old rocker)

    Não há nada de mal em discordar e, principalmente EU é que concordar, neste aspecto contigo.

    [i]"não se pode deixar de insistir que isso é errado por que senão logo todo mundo vai estar fazendo igual."[/i]

    Muito bem posicionado.

    ResponderExcluir
  78. Juvenal Jorge

    Simplesmente porque qualquer pessoa normal bebe álcool. Atribuir "culpa" ao álcool em si é coisa de protestante puritano - foi por influência deles que a Lei Seca foi decretada nos EUA e causou uma degradação social incalculável...

    ResponderExcluir
  79. "Se beber, dirija devagar" é um conselho tão infeliz quanto o "se o estupro for inevitável, relaxa e goza" que uma certa senadora usou como metáfora para a situação nos aeroportos.

    Respeito muito o Bob Sharp, mas desta vez me desculpem, não tem como concordar.

    Não beba! Se beber, não dirija.

    ResponderExcluir
  80. Concordo com o JT acima.

    O animal quer tirar a sua vida por conta de M* que faz, é um problema espiritaul dele; o problema é fazer m* e matar os outros. Punição severa a quem dirige. E olha que quem está falando adora uma cervejinha no fim de semana...

    ResponderExcluir
  81. JT...outra frase infeliz foi dita poe aquele saudoso e "honestíssimo político que tão bem representou" a cidade e o estado de São Paulo: "Vai estuprar? estupra mais não mata!"
    Cruz credo...

    ResponderExcluir
  82. Bob
    Até entendo sua intenção ao escrever este post mas, pessoalmente, tenho convicção de que o risco não vale a pena. O certo seria convencer o infeliz de declinar do ato de dirigir ou, se puder, esperar passar o porre.

    ResponderExcluir
  83. Essa lei é um absurdo. É só assistir esses programas policiais e ver qual é o estado de quem está até 0,6 g/L: absolutamente normal.

    Foi criada pra dar um chápeu na sociedade, e dar uma engordadinha nos cofres...

    ResponderExcluir
  84. Piada de post...certamente de um bebum e que gosta de descumprir a lei. Espero que um bêbado ainda te ache no trânsito... Quero ver se tu não muda de idéia rapidinho.

    ResponderExcluir
  85. Juvenal, não bote a culpa na bebida. Se é assim é mais aceitável culpar os carros. Eu nunca ví um bêbado atropelar alguém sem carro...

    ResponderExcluir
  86. "Eu nunca ví um bêbado atropelar alguém sem carro..."

    Eu já. E de montão.

    ResponderExcluir
  87. Eu já vi bêbado atropelando um carro... Bebum só faz merda.

    ResponderExcluir
  88. Essa lei é um absurdo. É só assistir esses programas policiais e ver qual é o estado de quem está até 0,6 g/L: absolutamente normal.

    Não é por acaso que este é o limite dos países sérios.

    Foi criada pra dar um chápeu na sociedade, e dar uma engordadinha nos cofres...

    ResponderExcluir
  89. Grande Bob,

    Muitos não concordaram com o post.....ok temos que respeitar. Mas tem gente que não entendeu mesmo.........

    Falta bom senso as pessoas, motoristas, legisladores, governantes....CET então nem se fala.

    abs
    Edu Silva

    ResponderExcluir
  90. Entendi o post, acho válido. Concordo com quem citou o fato da pessoa não ter ingerido álcool e estar com qualquer outra condição adversa que impacte em seus reflexos e tomadas de decisão que sigam as dicas ai deixadas pelo BS.

    Porém, o ACREDITO que o desejo de todos que utilizam as vias públicas é que jamais uma pessoa que tenha ingerido álcool, seja a quantidade que for (abaixo ou acima do limite previsto em lei) dirija. Embora abaixo do limite em lei seja possível dirigir, os reflexos não são os mesmo e ponto final. FATO.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  91. Quão ridículas são a hipocrisia e a anarquia de alguns...

    "Tolerância zero" uma ova, vão se tratar, bando de alienados! Como o Bob disse, não é quem toma uma ou duas latinhas que mata gente por aí, é gente que não consegue parar em pé de tão bêbado! Bebo minhas 4 latinhas e volto dirigindo (quase 30km pra casa, toda vez) numa boa! E sigo exatamente o conselho do Bob: quando percebo que meu reflexo diminuiu, diminuo proporcionalmente a velocidade. Nunca matei, nunca morri. Sequer arranhei um carro meu.

    Essa história de tolerância zero é conversa pra boi dormir e pra gente que vai fazer "Marcha contra a corrupção" na Esplanada dos Ministérios acreditar que o país finalmente tá tomando jeito... fala sério!

    ResponderExcluir
  92. Muita gente fera na direção tomando todas e se garantindo aqui. Eu pra evitar fazer merda não bebo na direção. Mas se o sujeito é o bom que bebe e pilota importante é só não arrumar problema pra quem não tem nada a ver com seu vício.
    Último que encostou no meu carro e saiu com bafo de cerveja pra falar que a culpa tinha sido minha eu dei um mata-leão, o guerreiro não bateu, apagou e eu deixei dormindo na calçada com o coleguinha. Aposto que não dirige mais depois de umas latinhas.
    Bom é saber que agora a polícia também tá dando tapa na orelha desses merdinhas. Tem mané que só aprende as coisas na porrada.

    ResponderExcluir
  93. Johnnconnor(old rocker)21/09/11 09:38

    E tem mais, vamos supor que o cara tomou duas ou três latinhas mas está totalmente consciente do q esta fazendo.Volta pra casa devagar,sinalizando tudo corretamente,parando aonde se deve e tal.Chegando em um sinal vermelho ele que já estava devagar para corretamente e fica esperando o sinal abrir.Daí vem algum doido saido sabe Deus de onde e bate com tudo na traseira do cara.Por conhecidencia logo do lado tem uma viatura da policia que já se presta a fazer a ocorrencia(lei de Murphy) eles querem saber o que aconteceu o idiota q bateu atrás percebe que o motorista q estava parado está falando meio estranho e se aproveita da situação dizendo q ele está bebado e que brecou seco na frente dele,q não teve como evitar a batida.Os policiais vão vazer o bafometro e bingo.quem vcs acham q vai sair como errado da estória???Vai adiantar alguma coisa o cara tentar argumentar q estava devagar,fazendo tudo certinho???Durma com um barulho desses Bob.

    ResponderExcluir
  94. Vão para India então, onde ninguém bebe álcool e boa parte da frota não passa de 80 km/h. Quem não tem raciocínio que apele para esse moralismo fajuto.

    A India prova que se pode reduzir a velocidade, eliminar o álcool e continuar com o trânsito violento. Se esses moralistas fajutos não tem razão, eu não tenho culpa: O mundo real nos mostra isso, se não querem entender, vão continuar comendo o carpete verde pensando que é grama.

    Fazer o que, a cultura brasileira é toda baseada no idealismo. As criancinhas são todas molestadas por algum imbecil, que a gente tem que ter ideais. Idealmente o homem não beberia e não correria de carro, mas a realidade é bem diferente. Eu não debato com ideais, assim eu evito de comer o carpete.

    Existe outra coisa que é o realismo. O título do Bob é realista. E ser realista por essas terras é um crime. A Inquisição do Idealismo já vem querendo jogar na fogueira.

    ResponderExcluir
  95. johnnconnor
    Aí já é muito azar. De qualquer maneira, o post visou evitar que bêbados provoquem tragédias, não que é para dirigr bêbado.

    ResponderExcluir
  96. FVG
    Quem costuma encher a cara não vai parar só porque foi aconselhado. Pelo menos que se conscientize e ande devagar, na sombra, assim não provocará tragédias e nem se machucará.

    ResponderExcluir
  97. Marlos Dantas
    Niguém sai rasgando dinheiro porque está bebaço, portanto tem algum raciocínio. É esss reciocínio que a pessoa precisa usar para dirigir devagar e com extremo cuidado. Se houver acidente, será leve e também jamais subirá numa calçada e pegará alguém.

    ResponderExcluir
  98. Cabral, você é "comédia" cachaceiro irresposável, creio que seja mais prudente a todos nos que dividimos as vias com vc, que vc procure auxilio e amparo no AA.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...