Google+

21 de setembro de 2011

UM AMERICANO EM MINAS E UM FIAT IDEA

Por Rex Parker, direto de Huntington Beach, Califórnia, EUA
Fotos: autor


De vez em quando fico pensando: se eu morasse no Brasil, que carro compraria para uso diário? Um importado? Nem pensar!  Talvez um sedã como o Linea? Já dirigi vários exemplares do Linea em São Paulo e BH e ele é cômodo, confortável e ótimo na estrada. Mas, acho que não, pois ele é um pouco comprido para uso urbano, e especialmente para estacionar. 

Bons bancos e muito conforto
Sou barbeiro. Preciso de um carro bem curto e com excelente visibilidade. Afinal, para mim acho que seria um Idea da Fiat. OK, entendo que muitos consideram-no mais como carro de praça do que carro de entusiasta, mas para mim o tamanho é ideal, e ele tem bancos ideais também, oferecendo grande conforto e visibilidade ótima.  Muito versátil também, em termos de carregar passageiros ou volumes, ou ambos.

Com isso, decidi pedir emprestado um Idea da Fiat em Betim (agradeço ao João Veloso e à Carolina Alves, do departamento de imprensa, por sua ajuda nesse aspecto) na última vez que estive no Brasil, mês passado. Essa viagem foi de férias com as nossas três filhas. Ou seja, éramos quatro adultos com quatro malonas e quatro mochilas bem grandes. A viagem começou em Belo Horizonte, a nossa terra materna (minha mãe é mineira). De lá fomos com o Idea a Ouro Preto e Mariana para fazer um turismo de um dia.  E com isso fizemos um espécie de road test do carro.

O Idea que pegamos emprestado era um vermelinho, motor 1,4 com câmbio manual de cinco marchas. Interior de tecido num cinza quase chumbo. Não sei se há outros materiais ou cores disponíveis, mas o nosso era ideal para a missão, oferecendo um toque suave nos bancos. Nós quatro andamos muito bem.

Para quem diz que o porta-malas do Idea é pequeno, vou dizer que é bem maior do que parece. Ele tranqüilamente levou três das nossas quatro malonas.  Daí dobramos o assento traseiro no lado direito, que representa 40% da largura do banco. É importante lembrar que os assentos traseiros dobram duas vezes (que chamamos aqui de bi-fold) – revelando o assoalho debaixo do assento e oferecendo ainda mais espaço. E com isso coube a quarta mala.

Porta-malas parece pequeno mas não é

Não vou sugerir que sobrou muito espaço com os quatro passageiros e as nossas várias bagagens, mas era suficiente para roteiros curtos dentro da cidade. Como já disse, um carro bem versátil.
Banco escamoteado e mais uma mala

O Idea é disponível com três motores, 1,4, 1,6 e 1,8. A vantagem do motor pequeno é um consumo bem baixo – usamos só 38 litros de etanol na viagem de Betim a Belo Horizonte, daí às cidades históricas, de volta a BH e finalmente a Betim para devolver o carro. Nao anotei a distância que viajamos, mas tenho a impressão que o consumo foi bem razoável considerando a distância percorrida e as nossas velocidades relativamente altas.

Em compensação, qualquer outro carro na estrada com motor 1,6, 1,8 ou mais nos ultrapassava tranqüilamente, e fomos de pedal no fundo a maior parte do tempo. Até estranhei um pouco andando sempre com rotações entre 3.750 e 4.500 rpm (nossa faixa aqui nos freeways dos States é geralmente entre 2.000 e 2.700 rpm), o motor dando todos os seus 81 cv quase sem folga e sem alivio. Mas acho que se o seu Idea for principalmente para uso urbano, o motor 1,4 é mais que suficiente. É ideal até.

Mas se o seu uso incluir trechos grandes nas BR, sugiro um dos motores maiores. Não só para poder se deslocar melhor no trânsito, mas para oferecer uma margem de segurança nas subidas e ultrapassagens.

Reabastecendo com etanol em Betim

E o nosso carro vermelho chamou atenção! Não, não de gente pensando que era um Ferrari crossover, mas atenção da Policia Rodoviária Federal num posto um pouco depois de Alphaville, em direção a Ouro Preto.

Ao ver o carro de longe, o policial não pôde resistir a nos parar. Veja bem: quatro americanos (com essas caras de americano…) num carro bem vermelho, só um (eu) falando pelo menos um pouquinho de português, todos sem os passaportes e eu só com carteira de habilitação californiana. Que alívio que no porta-luvas estavam os documentos do carro!

Após uns momentos na base do sem saber o que fazer, o policial felizmente nos deixou passar. Se o carro fosse prata ou preto, será que ele teria notado?

Mais um  ponto alto a comentar. A embreagem do Idea é a mais perfeita que conheço. Suave, macia, resistente e de uso tranqüilo nas ladeiras íngremes de BH. Nossas arrancadas sempre perfeitas usando combinação de freio de mão e a embreagem tão bem equilibrada. Nada de recuar, nem de pneu cantando como os outros subindo da Gutierrez à avenida Raja Gabaglia.


Motor 1,4-L de 81 cv, com etanol, vai bem

Também, o carro tem um apoio no console ao lado do acelerador, talvez localizado e posicionado de propósito, um ótimo lugar para encostar a perna direita. Um toque apreciado nas viagens, tanto curtas quanto longas.

Será que o Idea é ideal para nós? Sem dúvida.

Mas, como já disse, acho que escoheria, no mínimo, o motor 1,6 se pensasse em fazer viagens. E provavelmente também com uma cor que não fosse vermelha. Não sou do prata-preto e aqui na Califórnia usamos muito carro branco, que em BH e São Paulo é cor de táxi. Bem, uma outra cor qualquer, cinza Tellurium talvez? E sem esquecer daquela caixa de 5 marchas tão gostosa com aquela embreagem dos deuses!

RP

63 comentários:

  1. Caixa 5 marchas tão gostosa? Ixi, quando andar num VW então vai apaixonar.

    ResponderExcluir
  2. Rex
    Bem vindo ao maravilhoso mundo das relações de marchas bem curtinhas.

    ResponderExcluir
  3. Senhor Postec!21/09/11 16:31

    Ei, gostei disto.
    Vou pedir uns carros emprestados pras fábricas também!
    "Ei, Ford, me empresta um Focus, aí? É dois palitos, daqui a pouco te devolvo!"

    ResponderExcluir
  4. Percebe-se realmente que americano não dirige carro manual.
    Alias, eu andei muito na Idea e não vi metade das qualidades que ele falou, principalmente em relação a posição de dirigir.

    ResponderExcluir
  5. Mister Fórmula Finesse21/09/11 16:55

    Bacana o relato Rex;

    Minha mãe têm um desses com as mesmas especificações fora a cor, e concordo integralmente em relação a posição de dirigir e ao manuseio da embreagem e caixa.

    A Ideia veste bem, dá para posicionar o banco bem para baixo para quem gosta de "posição esportiva", o volante de aro grosso e o bom pomo da alavanca de câmbio dão a idéia de um carro mais parrudo do que na verdade é.

    É fácil gostar e se acostumar com o bicho, só nas curvas mais quentes com o raio da curva apertando no final ele têm tendência em sair de traseira, mas dá para corrigir facilmente com a boa direção hidráulica.

    O ruim mesmo é que é um dos 1.400cm3 de menor desempenho do mercado, só ganhando da Kombi (e por muito, muito pouco nas retomadas) e é realmente um carro que você tem que forçar para ele andar minimamente decente. No ciclo urbano só se a cidade é um tanto plana, senão é uma sensação de falta de torque onipresente; prefiro até esse carro na estrada onde há mais espaço para embalar a massa do que lutar com ele na cidade.

    Mas é um projeto bem inteligente, associado com o "vocal" motor 1.8 do Bravo ele deve ser uma delícia.

    Boa estada aqui no Brasil!

    ResponderExcluir
  6. O Idea é um ótimo carro familiar urbano, o motor 1.4 é só suficiente e o câmbio é realmente bem acertado e macio.

    A única coisa que incomoda são as marchas excessivamente curtas, a primeira praticamente não existe, mas isso é padrão nacional, infelizmente.

    A FIAT tem acertado bem nesses carros urbanos, oferece várias opções dentro de uma mesma faixa de valores, isso explica suas expressivas vendas nesse segmento. Falta apenas ganhar a confiança do consumidor com os carros mais caros e grandes, nesse ponto ela erra feio quando desvaloriza os próprios carros, reposiciona mercado e principalmente corta linhas ao invés de somente renomear os carros, como as outras fazem...

    ResponderExcluir
  7. Quanta bondade, Mr. Parker...eu particularmente me sinto o máximo quando vejo americano usando esse tom meigo para referir-se ao Brasil.

    Até estranhei um pouco andando sempre com rotações entre 3.750 e 4.500 rpm (nossa faixa aqui nos freeways dos States é geralmente entre 2.000 e 2.700 rpm)

    Mais bondade, que understatement. Imagino alguém acostumado aos V6 e V8 americanos de repente dirigindo com esses de enceradeira brasileiros...

    Enfim, gostei mesmo do seu post, mas acho que Cledorvino, o Inocente gostaria dele ainda mais... :)

    ResponderExcluir
  8. Acho o IDEA um bom carro. Menos de 4 metros e bom espaço para 4 passageiros e razoável para bagagem. A suspensão também me surpreende, com um certo DNA Palio (macia), mas sem comprometer nas curvas. Este motorzinho é que é bem fraquinho mesmo. Acho que a família FIRE, pela limitação de capacidade cúbica (1.4 é o limite) e potência já deu o que tinha que dar.

    ResponderExcluir
  9. Pra quem tá na rua a pé com 4 malonas dessas qualquer carro é maravilhoso

    ResponderExcluir
  10. e tem que falar que é bom mesmo senão não emprestam da próxima vez...

    ResponderExcluir
  11. A visibilidade do Idea é muito ruim. As colunas dianteiras criam um grande ponto cego, que pode levar você a atropelar uma pessoa ao virar um esquina e só notar depois de bater.

    ResponderExcluir
  12. "Que post esquisito."
    [x2]

    ResponderExcluir
  13. Fiz esse trajeto de ida e volta no sete de setembro, mas com meu Clio 1,6 16v.

    Definitivamente, é extremamente prazeroso.

    Tomara que BH tenha te recepcionado como devido, Rex!

    ResponderExcluir
  14. Carro europeu é outro papo. Encostar maçaneta no chão em curvas é uma sensação muito ruim.

    ResponderExcluir
  15. Bom texto Mr. Parker e mande-nos mais relatos. Penso ser sempre bom termos outras visões.

    ResponderExcluir
  16. Anônimo das 17:48, genial o comentário! Abs.

    ResponderExcluir
  17. Quando vi o porta-malas levei um susto. Sinceramente, se for para sair de casa com tanto bagulho, desisto da viagem. Gosto de levar o mínimo possível, tanto é que quando compro um carro novo, nem olho o porta-malas.
    Quanto ao consumo, achei um tanto estranho, porque um de meus sobrinhos tem um desses com o mesmo motor 1,4 e que é um baita de um alcoólatra e quando necessita viajar, vai com o carro da irmã. Vai ver que o Rex está acostumado com os V8 beberrões do seu país, lol...
    Também acho o carro bonito e confesso que já pensei nele como uma alternativa na próxima troca, mas com os motores 1,6 ou 1,8 que infelizmente são excessivamente caros. E depois, confesso que ainda tenho preconceito com a Fiat. Infundados ou não, ele existe.
    E para finalizar, quero dizer que gostei do texto.

    ResponderExcluir
  18. Missão dura mesmo teria eu, sendo brasileiro, e tendo que escolher um carro nos E.U.A, para passear. Ia ser tanta coisa que eu gostaria de experimentar, que teria que alugar uns três por dia, he, he, he! Os três primeiros? Dodge Challenger, Ford Mustang, e Chevrolet Camaro, he, he, he!

    ResponderExcluir
  19. Meu amigo, fiquei com isso ai um mes, nunca mais quero chegar perto desta carniça.

    ResponderExcluir
  20. Gringo quando chega aqui, logo compra algo no minimo, que usa nos seus países, pois os carros aqui são vergonhosos até para os chineses e indianos. Já escutei isso muito quando morava em Salvador, cidade entupida de turista de todo lugar do mundo o ano todo.

    Minha tia ta casando com um italiano esta semana, e na nossas conversas ele ficou surpreso que a Fiat daqui é a marca que mais vende...E já conversei muito com ele, e não entende como, de forma alguma, como somos patéticos e acomodados. Ele me disse que Fiat até lá ninguém quer, no minimo e carro francês para começo de conversa. E adivinha que carro ele tem lá na Itália ? Um Audi A5...Isso por que ele é produtor rural.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua tia vai casar com um italiano? Onde ela o conheceu???

      Excluir
  21. Antonio, como assim?
    Procura um ranking de vendas na Italia, a Fiat domina.

    ResponderExcluir
  22. Que post estranho x2!
    Tem horas que o entusiasmo aqui fica exagerado demais. Esse carro é manco demais até vazio. Performance de compacto 1.0. Que dirá cheio assim.
    Nao anotou a km deslocada? Pois é, mas o carro tem computador de bordo, e aposto que a média foi terrível.

    ResponderExcluir
  23. Marcelo Junji21/09/11 22:54

    O Idea é como o ecosport, aircross e meriva. Eles têm dimensão interna de hatch e altura de furgão, sendo assim poucos lógicos, ficando mais pesados e menos aerodinâmicos com o mesmo volume útil interno de um hatch.
    O Idea não é de jeito nenhum um carro familiar. Nele não cabe três adultos grandes no banco traseiro.
    Esses carros diferem pouco de um hatch pequeno, mas são muito mais caros, não sei porque vendem tão bem.

    ResponderExcluir
  24. Marcelo Junji21/09/11 23:08

    Mister Parker, o sr. tem algum envolvimento comercial com a Fiat? Eu pergunto pois o sr. citou o linea também.
    Acho estranho os elogios a um Fiat Idea 1.4 no Autoentusiastas.

    ResponderExcluir
  25. Marcos Alvarenga21/09/11 23:41

    Legais as referências a BH, minha terrinha querida, e às cidades históricas. Esse trajeto é dos melhores pra quem gosta de estrada.

    ResponderExcluir
  26. Victor Gomes21/09/11 23:44

    Sr. Parker, sem querer desmerecer o seu relato sobre o Fiat Idea, mas o senhor já andou de Honda Fit? Parece que só não ganha do Idea na altura interna. Se o Idea é bom, o Fit deve ser, no mínimo, divino.

    ResponderExcluir
  27. Caio Ferrari, igual aqui ! É a que mais vende na Itália, mas esta longe de ser a melhor escolha. A VW é que comanda na Europa praticamente e o grandes custo/beneficio de entrada são justamente ela própria, os Fords e a Peugeot nesta ordem, depois vem os "premium" Alemães em outras categorias acima dos de entrada que são imbatíveis, como todos estão careca de saber.

    Se um Italiano diz isso a um produto deles próprio é por que a coisa vai mal mesmo por lá, não é a toa que só aqui mesmo para sustentar essa marca cara de pau que se passa de boazinha e "movida pela paixão dos Brasileiros"...Sabemos...

    Não estou querendo provocar briga de marca nenhuma, mas a matéria até tem um fundo interessante, de uma perspectiva externa ao que nós temos(de pior na minha opinião), mas é impossível alguém de fora, de um país de "1º" mundo gostar de alguma forma dessas nossas carroças que temos aqui, a começar pelo preço que eles ficam muito irritados, pois aqui é 3 X mais caro que os mesmos de lá, se é que ainda tem alguma coisa vendida aqui que ainda tenha lá...

    Abraço e até logo.

    ResponderExcluir
  28. Ha desculpem, o certo é: "Fiat 35 anos. Movidos pela paixão. Movidos pelos brasileiros". Vejam só !!!

    Essa frase é sem duvida uma das maiores afrontas, é de um desdenho incrível sobre como somos idiotas em admitir e consumir tanta porcaria cara neste país, e ainda usam como slogan em suas propagandas justamente confirmando isso !

    PQP...

    ResponderExcluir
  29. Marcelo Junji
    O que há de errado em falar no Idea 1,4 no AE? E por que o sr. Parker não poderia falar no Linea?

    ResponderExcluir
  30. Um americano que gostou de um Idea? Será que ele anda de Yugo nos States?
    Vocês conseguem carros emprestados com as fábricas com uma facilidade assustadora. Difícil imaginar um post falando mal de algum carro. O Fabrício, do BCWS, foi um dos raros que se atreveu a falar umas verdades sobre a GMB e por isso amarga há anos o boicote da Chevrolet - tanto nos lançamentos quanto para conseguir carros emprestados para teste. Que dizer um carro emprestado pra passear!

    Em tempo: mesmo sendo fiatzeiro, acho a Idea um lixo de carro: ergonomia esquisita, o motor novo ruim em baixa, acabamento péssimo, preço exagerado.

    ResponderExcluir
  31. Alexandre - BH -22/09/11 03:53

    Muito simpático o texto do Rex Parker. Mas vou deixar uma sugestão de roteiros para quando ele estiver novamente em "BH City". Rex, em primeiro lugar peça emprestado um Siena 1.0 ou qualquer outro “milzinho” de sua preferência. Com o mesmo peso transportado pelo Idea, siga para Belo Horizonte pela 381 (fortes emoções) e pegue o Anel Rodoviário (sua família vai aprender português rezando Pai Nosso e Ave-Maria). Se preferir, venha pela nossa “free way”, mais conhecida como Via Expressa. Nela, você vai imprimir velocidades incríveis, entre 60 e 70 km/h (tudo devidamente fiscalizado por caça-níqueis). Há um trecho em Betim com semáforos... Isso mesmo, semáforos. À noite o local é deserto, mas não se atreva a cometer infração, pois existe detector de avanço e radar. Se os sinais estiverem vermelhos, nossos assaltantes cuidarão de você e de sua família com toda presteza e simpatia. "Don’t worry", alguns já falam inglês. Se conseguir chegar ao trecho de Contagem, treine sua visão para enxergar radares e buracos ao mesmo tempo. Não duvide de sua capacidade, você consegue. Chegando a Belo Horizonte você encontrará pistas de concreto, sem buracos, separadas por barreiras metálicas. Porém, por alguns quilômetros, mão e contramão são separadas apenas por um canteiro de 40 cm de largura e postes metálicos de luz (os que restaram). Melhor que o milzinho tenha air bags, pois colisões frontais são comuns no trecho. Já na cidade, recomendo as ladeiras dos bairros Santo Antônio, Gutierrez, Luxemburgo, Cidade Jardim, entre outros. Você pode começar o treinamento pela Rua Timbiras, entre Rua Rio de Janeiro e Av. Álvares Cabral. Se quiser aproveitar melhor os roteiros, faça-os em época de chuva, sempre nos horários de pico. Não tem erro: Com carro 1.0, pesado, é adrenalina pura. Sua família vai adorar! No mais, seja bem-vindo, experimente nossa cachacinha (cuidado com a Lei “Tolerância Zero” Seca), nosso pão de queijo e evite falar de futebol (dois times na zona da degola e um terceiro com o pezinho lá).

    ResponderExcluir
  32. Ué, a satisfação depende do que se espera, no caso dele houve convergência. Por que estranho?

    ResponderExcluir
  33. Detesto essas 'teorias da conspiração' de que todo mundo tem o rabo preso com as fábricas. Acho legal quando alguém tem coragem de contradizer o senso comum. Este post foi um caso desses.

    ResponderExcluir
  34. Mister Fórmula Finesse22/09/11 08:23

    Estranho os que "estranham" um post tecendo merecidos elogios a Idea; colocam até a questão de carros emprestados como celeuma...

    Será que autoentusiastas só podem sentir alguma emoção com carros esportivos ou potentes?

    Quer dizer que um cidadão de outro país não pode aprovar e encontrar qualidades em um produto nacional que normalmente muitos consideram como lixo?

    Será que o contrário também não é válido? E se nos encantarmos com um Crow Vic nos States - pois suas características são tão distintas da nossa produção nacional - mesmo que a maioria dos americanos o achem uma banheira obsoleta?

    O nosso amigo Rex com certeza pensará mais vezes antes de escrever para platéia tão rabugenta.

    ResponderExcluir
  35. Concordo, Finesse. Qual o problema do Rex ter gostado do carro? O que impede a Idea de ser um bom carro?O fato de gostarmos de um carro vai muito além da análise de sua ficha técnica. Adoro dirigir meu carrinho velho 95 e com 280 mil km no lombo!
    Putz, não só aqui mas em outros blogs também, o cara já le o texto caçando um ponto para torrar o saco do escritor. Ô recalque!

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  36. Mr.Parker,
    Interessante o relato.
    Vejo que mesmo para vcs, acostumados aos carros grandes e seus motores super-potentes um pequeno carro (padrao europeu) pode ser gostoso de se dirigir..
    Hoje tenho um VW Gol 1.6 e acho otimo , para o uso cidade estrada..
    economico anda bem , mas relativamente caro pelo que oferece. Nao penso em ir muito alem disso ...
    Qual o carro que o Sr utiliza nos EUA?
    Qual gostaria de ter (se o fator preco nao for problema)
    O que acha do nosso transito forma do brasileiro dirigir?
    Saudacoes,

    ResponderExcluir
  37. Soares
    acesse o link abaixo e veja o que o Rex possui em sua casa.

    http://autoentusiastas.blogspot.com/2009/05/novo-colaborador-do-autoentusiastas.html

    ResponderExcluir
  38. MFF

    Boa, concordo contigo.

    ResponderExcluir
  39. Estive na Flórida (tudo plano) e aluguei um Toyota Sienna, transportando eu + 4 e bagagem.
    Câmbio automático, cruise control, ar condicionado "três zonas", portas laterias traseiras deslizantes com fechamento interno com um toque num botão na coluna. Isso sim era carro para viagem com a família. Fiat Idea, bah, mas que ideia...

    ResponderExcluir
  40. Rolim

    Também gostei desse Sienna.

    Nada a ver com o homônimo lisarBiano - e provavelmente muito mais barato...

    ResponderExcluir
  41. Srs,
    Todos nos , com certaza somos a favor a liberdade de expressao de forma democratica e universal. E muito bom quando os outros nos escutam e "entendem" o que queremos dizer , mesmo que nao concordem...
    Nao faz sentido as criticas ao post do colunista.
    Eu nao compraria um Idea , mas nao critico que o faca. Nao gosto da Fiat , mas ha milhares de pessoas , pelo mundo afora que gostam.. Somos livres para escolher e gostarmos do que quizermos..
    O que seria das morenas se todos nos gostassemos das loiras? E o amarelo , se todos preferem o azul ?
    A diversidade de experiencia e opinioes diferentes das nossas sao importantes e enriquecedoras.
    Acho que falta um pouquinho de humildade e maturidade a alguns leitores na hora de se expressar..
    Pensem nisso...

    ResponderExcluir
  42. Nunca tive e nem andei e um Idea, mas esse tipo de conceito não me agrada nem um pouco, prefiro ou um perua tipo Palio Weekend ou uma Kombi mesmo.
    Idea, Meriva e outros afins, parecem sobrado construído em meio terreno.

    ResponderExcluir
  43. Só para constar:
    quando disse achar o post estranho, não estava insinuando ter sido comprado nem nada assim.
    APenas achei que se resumiu a impressões superficiais e genéricas, coisa rara neste espaço.
    Pessoal anda muito paranóico!

    ResponderExcluir
  44. UNIBLAB E ROLIM

    Também andei no TOYOTA SIENNA é é um puta carro .. aluguei a van por 20 dias e custou menos do que se eu tivessa alugado aqui um 1.0 lazarento e manco.

    O pior é saber o quanto custam esse carros aqui e lá nos states..

    TOYOTA SIENNA STD(completíssima) - USD 25,060.

    IDEA - BÁSICO (LIXO /MOTOR DE ENCERADEIRA) - R$ 44.190,00.

    Por isso que eu ando de carro véio....

    ResponderExcluir
  45. Uniblab,

    Sobre o preço, alguém consegue imaginar um texto sobre lançamento de versão mais moderna de carro brasileiro assim, custando menos que o predecessor?

    "Pricing Holds Steady

    The 2011 Sienna goes on sale in February with a base price $330 less than the previous model, at $25,010. We expect Toyota to keep prices for the rest of the trim levels close to those of the 2010 version. A fully loaded Sienna Limited with all-wheel drive should approach $45,000. "

    http://www.caranddriver.com/reviews/car/09q4/2011_toyota_sienna-first_drive_review

    ResponderExcluir
  46. Ola Soares e FVG. O link nao esta autlaizado. O C220 de 95 foi embora. Agora e um C300 sedan de 08 (mais ou menos o mesmo preco aqui que o Idea...). Ha um 356A Speedster 1600 Reutter de 57. E um recem-comprado Berlinetta Interlagos de 66 -- sim, um de no minimo dois Interlagos aqui no pais. E uns a mais que sao sorpresas...

    E a todos ai. A gente sempre quer o que nao pode ter. O unico Fiat aqui e o recem-lancado 500. Os outros simplesmente nao existem aqui. Com isso, claro que vou querer tomar um desses imprestado quando for ao Brasil! Pequeno, pratico, facil de guiar nas suas estradas, facil de estacionar, espacoso.

    Crown Victoria? Ja na beira dos 60, nao tenho idade suficiente para querer um desses. Sienna? Nao preciso de um grandao assim. Challenger, Camaro, Mustang? Prefiro os exemplares dos anos 60. Os atuais muito grandes e pesados pra mim.

    O seu transito? Grandes aventuras!

    ResponderExcluir
  47. "O unico Fiat aqui é o recem-lancado 500. Os outros simplesmente não existem aqui."

    Isso prova que os americanos não aceitam carros TOSCOS.

    ResponderExcluir
  48. Realmente, foi inusitado ler alguém dos EUA gostar tanto assim de um carro compacto como o Fiat Idea. Mas, depois de ler o comentário do autor, descobri que justamente o que causou boa impressão foi exatamente isso, um contraste com o carrões norte-americanos: o fato de um carro compacto oferecer bom espaço para a ocasião marcou positivamente.

    E concordo com o que alguns disseram: ô mania besta de pregar que entuaisasta que se preze gosta somente de carro potente, esportivo e afiliados. Dá para se divertir com qualquer carro, basta saber ver o carro de acordo com o que se propõe. Se entrarmos em um carro 1-litro esperando desempenho de um 2-litros, a decepção será enorme, há risco de causar trauma severo até! kkkk.....

    ResponderExcluir
  49. Road Runner disse...
    "Dá para se divertir com qualquer carro, basta saber ver o carro de acordo com o que se propõe. Se entrarmos em um carro 1-litro esperando desempenho de um 2-litros, a decepção será enorme, há risco de causar trauma severo até! kkkk..... "

    Já me diverti muito dirigindo os 2 fuscas 1300 que tive, mesmo viajando com eles.
    Mas tem certos carros que não deixam boas lembranças.
    Recentemente aluguei um Fiat Siena (foi antes do Toyota Sienna).
    Me pareceu que eu tinha engordado muito desde a última vez que dirigi um destes (2006). Mas minha balança (que está em boas condições) não aponta isso.
    Simplesmente não conseguia uma posição que me deixasse à vontade. Coisa estranha.
    Já fiz viagens de 600 km (sem escalas) com Fiat Mille (sem ar cond.) e não tive esse problema.
    Ficou parecendo que a geração Fiat de 2006, além do trem de força, usava bancos da Chevrolet ...
    Ou então, de lá para cá, foram reduzindo a largura para economizar na produção, 1 cm por ano rsrsrs

    ResponderExcluir
  50. Anônimo 11:34

    Nunca dirigi esse Sienna, mas ao ver a foto dele na Wikipedia gostei imediatamente ao ver que se trata de uma verdadeira minivan, ao contrário da Idea que parece ter sido pisoteada por um Tranformer e perdido metade da carroceria...

    Gostei ainda mais quando li que a Sienna é substituta da bela Toyota Previa (que já tivemos por aqui), e usa a plataforma do Camry - sedan médio nos States, sedan grande ultra-mega-power de luxo aqui...

    ResponderExcluir
  51. Wrca,
    posição de dirigir é algo pessoal.
    Pode ser ótimo para alguns e péssimo para outros.
    Até com pessoas de estaturas parecidas há discordancia.
    Isso não é ponto para se criticar numa avaliação alheia.

    ResponderExcluir
  52. Gosto é gosto. Liberdade de expressão é outra coisa. Essa estoria do politicamente incorreto enche o saco. Se o cara tem uma opinião própria é chato e se faz parte da boiada, ta tudo bem...

    Ha, prefiro ser sincero e objetivo, vulgo chato mesmo e politicamente correto e falar o que penso e ser alguém de opinião do que ser qualquer peso morto no mundo.

    Gostei da matéria, da forma de escrita do caro colega Rex, porem só não concordo. Não gosto de Fiat e nem de carro Frances, pois não fazem meu gosto e não gosto da politica de construção deles.

    Povo chato...

    ResponderExcluir
  53. Marcelo Junji22/09/11 20:31

    Uai? Sr. bob, eu só achei estranho. Não sei onde eu escrevi que o sr. Rex não poderia falar do linea!
    No primeiro parágrafo o sr. Rex citou o linea e fez comentários sobre o idea no post, daí surgiu o meu questionamento se ele tem algum envolvimento com a Fiat. Somente isso!

    ResponderExcluir
  54. A propaganda, digo, post (rsrsr), quase me convenceu....

    A vá! A Fiat está trabalhando com serviço de permuta? Emprestam carros em troca de belos textos a seu favor? Deixa a Localiza saber que a Fiat esta roubando clientes.... rsrsrsr

    ResponderExcluir
  55. bah, se eu pudesse emprestar qualquer carro novo q fosse com certeza ia sair falando palavras doces aos quatro ventos.

    tenha dó !!!!

    ResponderExcluir
  56. Li novamente o texto e não entendo a razão pelas acusações ao autor. O empréstimo de veículos pelos fabricantes é prática comum. Vejam por exemplo a seção `Um Mês`do BCWS. O carro fica um mês inteiro a disposição dos jornalistas para utilizá-lo de modo pessoal, e nem por isso as críticas ao veículo são poupadas. O Bob mesmo contou aqui que pegou uma Courier emprestada para fazer um transporte que precisava. E não houve toda essa reprovação por parte dos leitores.
    Não me digam que vocês acham que toda revista e site COMPRAM os carros e motos que avaliam!!!


    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
  57. Com todo o respeito que os autores do site mererecem (sou leitor assiduo e admirador do trabalho de vocês), gostaria de fazer uma crítica.
    Não pega nada bem um jornalista da área automotiva pegar um carro emprestado com a Fiat para passear com a família. Mal comparando, é como um político que viaja no jatinho do empresário. Cai em descrédito.

    ResponderExcluir
  58. Alexandre - BH eu ri muito lendo seu guia para turistas em MG, rsrs...

    Quanto ao texto... Ah deixa o Rex falar o que quiser... Se ele gostou do carro vai dizer oq? O contrario, só para agradar os troianos aqui do blog?

    Eu por exemplo adoro andar num carro ou numa moto diferente. Por exemplo: já dirigi duas picapes, a A200 Sangyong (?) e a velha S10. A primeira é bem mais moderna que a segunda, mas gostei mais da segunda, sabem pq? A primeira é tão boa que parece um sedã, e eu estava querendo ma caminhonete, e não um sedã. A S10 com aquele gingado gostoso me seduziu... rsrs

    Mas, para ser sincero mesmo, gostei mais do trajeto que do carro. Mas confesso que acho que a posição de dirigir desses carros é até interessante, sem falar na visibilidade...

    Augusto Filho

    ResponderExcluir
  59. Malas tampando o vidro traseiro? Isso é totalmente irregular no código de trãnsito brasileiro, além de ser perigoso. Abraços.

    ResponderExcluir
  60. Malas tampando o vidro traseiro? Isso é totalmente irregular no código de trânsito brasileiro. Além de ser perigoso. Abraços.

    ResponderExcluir
  61. http://www.youtube.com/watch?v=PVE9Elsm47I

    adorei a ideia do video.... souberam utilizar o viral do harlem shake com o fiat idea.... muito bomm vale a pena assistir!!!
    abrax

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...