Google+ Google+

15 de dezembro de 2011

BRAVO T-JET, VERDADEIRO CARRO DE ENTUSIASTA

 Fotos: Divulgação Fiat


Já falei duas vezes de Fiat Bravo no AE, uma quando foi lançado em novembro de 2010 e outra, seis meses depois, desta vez o Bravo Essence manual. No lançamento andei muito no T-Jet, eu e o Alexandre Cruvinel, mas mais no autódromo do Rio. Como acho que carro de rua se avalia na rua, esperei bastante para poder ter um T-Jet nas mãos, pois seu início de comercialização, previsto para o primeiro trimestre de 2011, acabou ocorrendo só no final do segundo.

Depois de oito dias com o Bravo T-Jet, posso afirmar sem receio de errar ou exagerar: o mercado não sabe o que está perdendo, pois o turinense-mineiro é completo, feito para quem realmente aprecia automóvel, caso dos entusiastas. O Bravo T-Jet vende pouco, é um fato, 52 por mês, cerca de 5% do total da linha, que vendeu 1.000 carros/mês até novembro (dados da Fenabrave; a Fiat no lançamento previa 1.500), mas a principal causa é seu preço básico de R$ 68.950 que pode chegar a estratosféricos R$ 82.585 com todos os opcionais. Se for pedido o teto solar de vidro Skydome, adicione-se R$ 4.734 à conta, que totalizará R$ 87.319. É preço de carro médio mas que não parece um, além de desprovido da  glória tupiniquim de ser flex. Quem gosta de levar vantagem, a princípio não pensa no Bravo T-Jet. Mas pode mudar de idéia após ler este post até o fim.

A compensação, se é que se pode chamá-la assim, é que o T-Jet tem tudo o que se precisa num carro e muito mais, que inclui os imponderáveis prazer de dirigir e estilo. Entre os "muito mais", a função overboost, ou sobrepressão, que faz a pressão de alimentação saltar de 0,9 para 1,3 bar ao toque de um botão. O torque passa de 21,1 m·kgf de 2.250 a 4.500 rpm para 23 m·kgf a 3.000 rpm. O efeito na aceleração é logo sentido, realçado pela mudança na relação pedal do acelerador-borboleta de aceleração, o pedal reagindo rápido ao movimento, útil principalmente ao arrancar da imobilidade.

Com ou sem overboost acionado, o turbo entra logo. Até com carro parado, ao se acelerar o manômetro já indica início de pressurização. Mas quando um SUV brutamontes pára ao lado no sinal e se percebe que seu orgulhoso motorista quer pular na frente por qualquer motivo, um toque no botão OVB no painel faz a alegria...O bom do overboost é que ele é permanente, só se desativando apertando novamente o botão ou ao desligar o motor. Com a maior sobrepressão a potência máxima não muda, mas se dispõe de mais potência nas rotações mais baixas, como fica evidente nas linhas vermelhas do gráfico abaixo:


O rendimento de um motor de apenas 1.368 cm³ e 152 cv num carro que não é leve – pesa 1.370 kg – chega a parecer surreal. Para quem gosta de automóvel é um enorme prazer saber ter sob seu comando um exemplo de alta tecnologia produzido no Brasil, mesmo que o motor seja importado completo da Itália.

Da Itália vem também o transeixo C635, seis marchas com sexta de potência, com a velocidade máxima de 206 km/h – é sempre um prazer poder freqüentar o "clube dos 200" –.a 5.300 rpm, apenas 200 giros abaixo da rotação do pico. Na hora de acelerar da imobilidade, chegar a 100 km/h em 8,7 segundos (OVB em uso) nos faz sorrir intimamente também.

Todos esses atributos são envelopados por uma carroceria cujo desenho remete à Europa autêntica e não à transplantada para a Ásia, com conforto por todo lado. Até o porta-malas é generoso ao acomodar excelentes (para um hatchback) 400 litros Tudo está no lugar certo e bem-disposto. Associado ao comportamento dinâmico exemplar, resultado também da altura de rodagem de primeiro mundo – 20 mm menor que nos Bravo Essence e Absolute – e pela mordida dos pneus 215/45R17V Goodyear Eagle assimétricos que não diminuem o diâmetro mínimo de curva (10,7 m), o Bravo T-Jet é desses carros que incita a sair rodando por aí. Parece texto de anúncio, mas não é.

Estilo não falta o Bravo; repetidoras nas laterais não foram esquecidas

O rodar é firme e controlado, sem nenhum traço de dureza excessiva, o compromisso ideal para um carro de rua rápido. A direção com assistência elétrica permite escolher a função Cidade, em que fica tão leve que nem parece estar ligada às rodas, mas volta à assistência normal automaticamente quando o veículo atinge 46 km/h caso se esqueça de voltar para a assistência normal. Há controle de estabilidade (que não pode ser desligado, bem que poderia) que abrange controle de tração e controle de travamento de roda numa reduçãode marcha mais abrupta. E, claro, freios a disco nas quatro rodas com ABS seletivo, mais a luz de freio piscante nas freadas fortes.

Tudo no lugar certo, volante tem 370 mm de diâmetro. No centro do painel, o manômetro de barras do turbo

Como eu disse, o T-Jet com todos os itens opcionais é caro, mas pelo preço recebe-se muito em troca. Quem faz questão de segurança passiva máxima encontra bolsas infláveis frontais, laterais, de cortina e até de joelhos, além dos apoios de cabeça dianteiros contra efeito-chicote. Há ganchos Isofix para bancos de criança, três cintos de três pontos atrás, espelhos externos elétricos rebatíveis, computador de bordo, controlador automático de velocidade, monitoramento da pressão dos pneus, sensor de estacionamento traseiro e dianteiro, navegador GPS com tela de  6,5 pol., ar-condicionado digital duas-zonas com saída para o banco traseiro, ajuste de altura e distância do volante (de couro), faróis de neblina direcionais, descansa-braço central no banco traseiro com porta-copos, bancos parcialmente de couro, sensores de chuva e crepuscular, espelho interno fotocrômico, faróis bixenônio com lavador automático, auxílio para arrancada em subida, sistema de áudio de alta fidelidade com subwoofer, enfim, esta versão do Bravo tem tudo o que se espera num carro de luxo.

Mas não pense que o T-Jet básico é "pelado", pelo contrário. Grande parte dos itens acima é de série, como o ar-condicionado digital, o controle de estabilidade, o ABS, as bolsas infláveis frontais, o overbooster, as rodas e pneus de 17 pol., o sensor de estacionamento traseiro, a assistência elétrica de direção dois-modos, entre outros.

Consumo de combustível, a Fiat não informa, ao contrário do Essence e do Absolute 1,8-litro de aspiração atmosférica, mas em velocidades de viagem dentro do limite consegue-se facilmente 14 km/L pelo computador de bordo. Com o tanque de 58 litros a autonomia é grande.

Mas o problema é deixar o pedal da direita quieto, pois dá uma vontade de ver o manômetro de barras da pressão do turbo no painel ser preenchido...


BS


Ficha Técnica Fiat Bravo T-Jet



MOTOR

Localização e posição/ciclo
Dianteiro, transversal / Otto
Combustível
Gasolina
Taxa de compressão/octanagem requerida
9,8 ± 0,2: / 95 RON
Aspiração
Forçada por turbocompressor com interresfriador
Diâmetro dos cilindros/curso dos pistões (mm)
72 / 84
Cilindrada (cm³)
1.368
Potência máxima (cv/rpm)
152 / 5.500
Torque máximo (m·kgf/rpm)
21,1 / 2.250~4.500 (overboost 23 / 3.000)
Material do bloco/cabeçote/cárter
Ferrro fundido/alumínio/alumínio
N° e disposição dos cilindros/arrefecimento
Quatro em linha / a líquido
Localização da árvore de comando de válvulas
Cabeçote
Árvore de comando de válvulas/acionamento
Duas / correia dentada
N° de válvulas por cilindro/localização
Quatro / cabeçote
Formação de mistura
Injeção no duto Bosch seqüencial ME7.9.10


EMBREAGEM

Tipo
Monodisco a seco
Acionamento
Hidráulico


TRANSMISSÃO

Câmbio/rodas motrizes
Manual todo sincronizado / dianteiras
Controle de tração/bloqueio de diferencial
Sim / não
N° de marchas à frente/alavanca
Seis / assoalho
Relações das marchas (:1)
4,154 - 2,118 - 1,484 - 1,116 - 0,897 - 0,767 - ré 4.000
Relação de diferencial (:1)
4,118


SUSPENSÃO

Dianteira
Independente, McPherson, braço inferior em "L", mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora
Traseira
Eixo de torção, mola helicoidal e amortecedor pressurizado


DIREÇÃO

Tipo
Pinhão e cemalheira
Relação/assistência
n.d. / elétrica
Diâmetro mínino de curva entre guias (m)
10,7


FREIOS

Servoassistência/tipo
Sim / vácuo
Sistema antibloqueio
Sim
Dianteiros
A disco ventilado
Traseiros
A disco


SISTEMA ELÉTRICO/GERADOR
12 V / alternador


CARROCERIA

Construção
Monobloco em aço com subchassi dianteiro, hatchback
Número de portas/número de lugares
Quatro / cinco


DIMENSÕES EXTERNAS (mm)

Comprimento
4.336
Largura
1.792
Altura
1.488
Distância entre eixos
2.602
Bitola dianteira/traseira
1.530 / 1.521
Distância mínima do solo (vazio)
123


DESEMPENHO

Aceleração 0-100 km/h (s)
8,7
Velocidade máxima (km/h)
206


CONSUMO DE COMBUSTÍVEL

Médio, km/l
n.d
Tanque de combustível (l)
58


RODAS E PNEUS

Rodas
Alumínio 7,0Jx17
Pneus
215/45R17V


PORTA-MALAS

Capacidade (l) (VDA)
400


PESO - em ordem de marcha (kg)
1.370

(Atualizado em 1512 às 23h30, inclusão de ficha técnica)

163 comentários:

  1. 0-100 de Azera.... grande coisa...

    ResponderExcluir
  2. Anônimo, coloca o Azera para subir uma serra com esse carro, dai vc perceber a diferença e gastando muito menos combustível!!

    ResponderExcluir
  3. Estilo não falta o Bravo; repetidoras nas "lateRRais" não foram esquecidas..

    Corrige ai Bob !

    ResponderExcluir
  4. é o meu sonho de consumo atualmente...vou juntar o $$$...vi na concessionária um branco...o mais bonito que já vi...e duas coisas q gostei bastante tb...a ponteira do escape e os mostradores de velocidade "a lá Alfa Romeo". Realmente um tesão... na minha garagem já tem um Focus, só falta mais um destes e um Civic Si.

    ResponderExcluir
  5. Hm opinião do BS é sempre para se levar em conta.
    Neste caso, tem uma impressão completamente diferente da que eu tinha, que o Bravo T-Jet era um exemplo de downsizing, com desempenho similar aos 2,0 das demais marcas e consumo menor, mas sem grandes emoções. Pelo jeito não é.
    Até me animaria mais, porém o preço, muito alto, me convida a ficar mais vários anos com meu carro atual.

    ResponderExcluir
  6. Não entendi o SUV no post?
    Dependendo do SUV,esse motorzinho de liquidificador fica antes da arrancada,vamos ser sinceros.
    Desempenho bom, ele até tem pela cilindrada,mas veremos através quilometros,dos anos sua durabilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo preço dele dá pra comprar um bom SUV ou caminhonete a DIESEL.

      E não desvalorizam tão rápido como carro de passeio.

      Excluir
    2. Sim, quem não gosta de carro, pode comprar uma SUV ou uma pick-up a diesel.

      Excluir
  7. Só faltou uma foto do painel com o manômetro

    ResponderExcluir
  8. Pelo que eu entendi o overbooster não atua em toda a faixa de rotações do motor, é isso? Caso contrário a potência máxima seria maior também.

    Com essa pressão maior em rotações intermediárias ele poderia ficar mais econômico, certo? (apesar de que aí não teria sentido existir aquele botão)

    ResponderExcluir
  9. Pelo que eu entendi o overbooster não atua em toda a faixa de rotações do motor, é isso? Caso contrário a potência máxima seria maior também.

    Com essa pressão maior em rotações intermediárias ele poderia ficar mais econômico, certo? (apesar de que aí não teria sentido existir aquele botão)

    ResponderExcluir
  10. Odeio discordar de você BS, mas 0 a 100 em 9 segundos é coisa de VOCÊ se impressionar? Não seriam as marchas muito curtas as responsáveis por essa sensação? Marchas muito curtas sempre dão a impressão de que se está voando, apesar de não estar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  11. Osmar Fipi15/12/11 13:16

    Dirigi um Bravo T-Jet na Itália por mais de um mês, pouco tempo atrás.

    Achei um bom carro e nada mais.
    Volante lento, suspensão macia demais, câmbio apenas correto e feeling de Palio.

    Que falta nos faz o Golf europeu por exemplo.

    E pelo preço do T-Jet no Brasil não compraria nem morto - apesar de não saber se no nacional colocaram uma pimenta a mais...

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  12. T-Jet por T-Jet,preferia o Punto; hatch médio por hatch médio,ficaria com o Focus; êste com um pouquinho mais de chucrute,se possível,por favor...
    Quanto aos mimos e gadgets, dispenso. Deixem só o AC,bolsas e cintos.

    Obrigado...

    ResponderExcluir
  13. Este carro aí parece ser melhor que seus concorrentes (Veloster, Focus, Golf, etc.). Mais rápido, mais empolgante e mais moderno.

    Não é um Clio Sport, nem um Audi RS3, muito menos um Mustang ou um Camaro, mas tem grandes chances de ser a melhor opção dentre os carros de R$ 70.000,00.

    Queria é ver um comparativo dele contra o Cruze e o New Civic!

    ResponderExcluir
  14. Marcelo Augusto15/12/11 13:21

    Esse motor no Punto e com caixa automatizada, eu teria sido o cliente número 1.

    O bixo estilinga gostoso!

    ResponderExcluir
  15. Mister Fórmula Finesse15/12/11 13:38

    Carro bacana, o de 1.800 "cilindradas" (rsrsrsr) já seduz pela disposição e pelo som vocalizado do motor; imagino o que seja de bom esse T-jet!

    Pelo preço básico, um carro melhor que o aclamado Focus.

    ResponderExcluir
  16. Dá pra entender quando o emocional fala mais alto que o racional... um bom hatch médio é um dos carros que mais dá prazer de dirigir (aos pobres mortais, como eu). A maioria dos meus amigos tem Corollas ou SUVs, mas ainda teimo no meu Focus hatch. Pelo menos o dia-a-dia fica um pouco mais divertido, e não é só uma questão de potência e sim do caráter do carro. O T-Jet deve ser ainda melhor. Bem que um sedan como o Jetta turbo não seria nada mal...

    ResponderExcluir
  17. Bob,
    Adoro quando voces testam os carros ...
    Qual é melhor em suspenssão estabilidade e precisão de direção : Honda Civic / Ford Focus ou o Bravo ?
    Posso confirmar a ótima impressao desse motor.. dirigi um linea Tjet (nao há overbost neste) e o motorzinho é encantador.
    Sobe rápido de giro de forma limpa e constante até uns 5.500rpm, depois devido ao tamanho da turbina fica meio estrangulado. O turbo lag é pequeno , o motor tem funcionamento suave e silencioso. Corta giro automaticamente acima de 6.500 se nao me engano...
    Para meu gosto o barulho do escape poderia ser um pouco mais presente para mais prazer na tocada .. nao sei como é nesse Bravo.
    Gosto das linhas a lá italiana e o acabamento interno é muito bom mesmo .. nem parece Fiat .
    Infelizmente é um carro para poucos ..
    Adoraria ter um !

    ResponderExcluir
  18. Gostei da cor do carro de teste, amarelo sempre me agrada.

    Para meu gosto pessoal, o T-jet básico já é mais do que suficiente, pois não gosto de muitas firulas a bordo. Se pudesse cortar da lista ABS, air bags e controle de estabilidade, seria perfeito! (e, de quebra, menos caro...)

    Imagino como devam ser as retomadas desse carro, pois 23 mkgf a 3000 rpm (com OVB) são bem respeitáveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meus Deus... cortar ABS, airbags e controle de estabilidade para baratear o carro. Depoimento típico do perfil de cliente médio brasileiro. Enquanto que na Europa e nos EUA exigem airbags/ABS desde 1900 e bolinhas - por força de lei, inclusive - temos aqui gente que acha que airbag, ABS são "firulas à bordo".
      É por isso que temos as montadoras daqui vendendo verdadeiros caixões sobre rodas e, o pior de tudo: ainda há gente que compra porque acha que é firula. Socorro!!!

      Excluir
  19. Fernando P.15/12/11 13:53

    O problema é o consumo. 1.4 turbo para o peso que tem, deve andar com a turbina funcionando sempre e aí o consumo sobe! Ou estou errado? Agora não entendo o porque da razão do motor turbinado para rodar em locais de baixa altitude como o Brasil ao invés de um motor 1.8 ou 2.0? Aí ficam inventando o overbooster para compensar esta fraqueza. Mas deve ser para aproveitar o gosto por esportivos do brasileiro. Acho esse carro o maior mico! Sem contar que deve desvalorizar uma barbaridade e seu mercado é muito restrito.

    ResponderExcluir
  20. Sem restrições quanto ao carro, somente quanto ao preço (assim como o Bravo 1.8 "normal"). Está fora das minhas possibilidades, mas se fosse comprar um por esse valor, acho que optaria por pagar mais alguns meses de financiamento e levar para casa o Jetta Highline.

    ResponderExcluir
  21. Podemos ficar horas e horas discutindo se este carro, pelo seu preço vale a pena. Mas uma coisa temos que admitir. A FIAT é uma das poucas que no Brasil ainda faz carros diferenciados das versões normais. As outras só penduram badulaques e colocam um adesivo de "esportivo".

    ResponderExcluir
  22. Interessante a opção da Fiat em não diferenciar muito o visual desta versão - à primeira vista, pode passar pelas versões inferiores.

    No caso do Punto, a mesma Fiat acrescentou vários detalhes externos.

    Acho que a Fiat conseguiria vender melhor esta versão se tivesse um visual externo mais exclusivo. Depois de gastar uns 80 mil reais num carro, o brasileiro gosta que os outros vejam isto.

    ResponderExcluir
  23. É verdade, Franklin, a própria FIAT oferece uma linha de produtos (Adventure) ao meu ver de gosto muito duvidoso. É uma profusão de peças plásticas inúteis que só fazem aumentar o preço, e o consumidor parece gostar.
    O carro de versão (muito) mais cara tem que oferecer uma mecânica diferenciada, mas sem se descuidar da aparência, e me parece que a este Bravo falta apelo estético.
    Quem sabe um para-choque mais robusto e vazado, uns buracos no capô à moda Subaru, um volante com partes do couro em vermelho e não só as costuras. E essas caixas de roda imploram por aros maiores. Só dispensaria as pinças vermelhas, na minha humilde opinião de um mau gosto sem fim, ainda mais contrastando com esse amarelo. E espero um dia ainda poder ver um carro nacional novo equipado com bancos Recaro.

    ResponderExcluir
  24. Esse carro em Belo Horizonte é um parto para dirigir, o motor demora a encher em nossas incansáveis ladeiras, o motor 1.4 é muito fraco para um carro desse peso.

    A Fiat já estuda a adoção do motor E torQ com turbo, podem acreditar, atendo boa parte dos funcionários de lá.
    Para quem não sabe, o motor Tritec que deu origem ao EtorQ já contava com turbo quando equipava o Mini Cooper S com esse motor, e para a Fiat, fica mais fácil desenvolver o sistema de turbo para o E torQ que é fabricado aqui do que ficar importando o conjunto motopropulsor Italiano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com turbo não...com compressor mecânico...

      Excluir
  25. Ouvi dizer, embora de fontes não confiáveis, que esses motores muito "downsized" recentes, inclusive aqueles famosos do grupo VW, não estão apresentando confiabilidade prometida. Talvez por isso mesmo as japonesas estão relutantes em ir por esse caminho, pois sempre tiveram confiabilidade e durabilidade como trunfos.

    ResponderExcluir
  26. ADG

    Difícil mesmo é acreditar que a Fiat faça assim, como direi?, uma versão Jonh Cooper Works desse motor, hehe!. Já pensou um Palio ou um Brava com 211 cavalos? Uma verdadeira viúva negra.

    ResponderExcluir
  27. Comi bola... escrevi "Jonh" e não John. E pus ponto depois da exclamação. Como não dá para consertar, fica o reparo aqui.

    ResponderExcluir
  28. FGV.
    Pode até fazer, mas não equiparia nunca um Palio ou carro compacto da marca.

    Deve ser para equipar Bravo e o substituto do Linea que acreditem se quiser, logo vem por ai.

    ResponderExcluir
  29. Mas daí não seria 1,4 mas sim o 1,6, correto?

    ResponderExcluir
  30. Sim, o que eu sei até agora é que estão trabalhando no motor 1.6 multiair turbo e Flex!

    ResponderExcluir
  31. ADG
    Não vejo porque não a Fiat - ou qualquer outra marca - fazer um pocket rocket com uns 200 cavalos. Existe mercado para tudo neste mundo e isso é benéfico para a marca pois alavanca sua imagem.
    Sobre o Línea, nenhuma surpresa em saber que ele vai morrer logo já que nunca foi grande coisa em vendas. Não bastasse e a Fiat tentou enfiá-lo no mercado como substituto do Marea, um carro superior além de maior.

    ResponderExcluir
  32. Depois de andar uma semana com um carro emprestado eu elogiaria-lo de qualquer jeito, por pior que fosse.

    Esse Bravo não tem nada demais, desempenho de esportivo aspirado nacional de 15 anos atrás, tecnologia de qualquer carro atual do seu porte e preço, e na hora de vender não passa de um Fiat.

    Pode até ser bom, mas nada de tão empolgante assim.

    ResponderExcluir
  33. O ADG HIGH TORQUE chegou no ponto em que um carro mostra se tem motor ou não,nas subidas,em linha reta até meu humilde uno mille brio vai bem,mas em subidas íngremes da vontade de voltar ao meu velho fusca 62 com motor 1600 e tração traseira.
    Outra questão citada é o consumo de combustível,pois esse motores são desenvolvidos visando essa finalidade e as ambientais,mas parece que isso foi transformado em algo fora do propósito.
    Motor bravo por bravo seria o do Marea turbo,possui bom torque e cilindrada condizente,apesar que alguns reclamam da durabilidade,nem tudo é perfeito.

    ResponderExcluir
  34. Esqueci de mencionar algo que o anônimo das 17:23 lembrou em tempo,no início dos anos 90 a Honda já tinha o Civic VTI 1.6 aspirado com 160 cv,coisa que nem esse Velostre tão aclamado aqui até agora não tem,nem seus módicos 12 cv´s que a C.a.O informa,nem injeção direta,nem com isso tudo eles tiram os 160 cv´s do VTI.
    Eu fico tentando entender, como que hoje quase vinte anos depois,com toda a tecnologia,eletrônica,desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística,alguns motores parecem ter regredido tecnologicamente,mesmo no caso da Honda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta é mais simples do que você imagina:
      Redução de Custos

      Excluir
  35. BS,

    Mais uma excelente avaliação. O Bravo T-Jet é um carro que sempre despertou minha curiosidade, não vejo a hora de poder dirigir um desses.

    Abraço,

    Marcelo

    ResponderExcluir
  36. Marcelo Augusto15/12/11 18:11

    Reclamar que esse carro não anda é não saber dar potência ao motor. É aceleradorfobia e/ou rotaçãofobia.

    ResponderExcluir
  37. Brenno Metzker15/12/11 18:37

    Bob, talvez não venha ao caso, mas gostaria de lhe pedir que assim que se fosse possível, testar os Fiat Idea Sporting 1.8 16v E.TorQ.
    Segue o link de um vídeo feito pela FullPower em Interlagos, com o Idea andando muito bem: http://www.youtube.com/watch?v=3c-OJ4AgYfg
    Forte Abraço, Brenno Metzker

    ResponderExcluir
  38. Tô com o Marcelo, falar que um carro com 23 kgfm não anda é porque o cara quer andar "na casquinha". Cada carro tem um jeito de ser dirigido.

    ResponderExcluir
  39. Rafael Ribeiro15/12/11 21:28

    Carro bacana mas, para o meu gosto, um Civic SI semi-novo (0km já era...) seria mais interessante, tanto do ponto de vista dinâmico quanto financeiro. Mas pelo menos, a Fiat oferece algo mais diferente do que as outras "grandes".

    ResponderExcluir
  40. Alexandre - BH -15/12/11 21:54

    Pela quantidade de equipamentos, alguns sofisticados para os padrões de carro fabricado no Brasil, esse Bravo deve ter baixíssimo índice de componentes nacionais, o que explica, em parte, seu alto preço.

    ResponderExcluir
  41. Esta aí um carro que gosto bastante, mas está longe de meu rico dinheirinho...hehe

    Até concordo que não tenha um desempenho forte de esportivo, mas pelos números não dá para dizer que se arrasta. E quem já dirigiu um turbo, o restante fica sem graça.

    Em outubro, rodei com um C-Max ecoboost pela Alemanha. 1.6 16v turbo, com 150cv.

    Anda mais que muitos carros 2.0 que temos por aqui, além de ter um torque bem elevado. E consumo (tá. gasolina europeia não tem trocentos porcento de alcool nem é batizada) é muito, mas muito contido.

    Quanto à rotação: a 210km/h de painel, girava a pouco menos de 5000rpm em 6ª marcha.


    Marco

    ResponderExcluir
  42. Estou guardando as minhas moedinhas pra comprar um Civic atual na "promoção", prefiro gastar uma graninha pra fazer uma mexidinha no motor (Filtro, chip e escape) do que investir num carro como esse, pode ser realmente o máximo, mas que já ta no seu limite de desenvolvimento.

    ResponderExcluir
  43. Lindo carro, e bom, merece melhores vendas em todas as versões;

    Bob,

    Adorei a questão das SUV, ok, SUV com 450/500 cv andam mais, mas nem todos são assim. Os hyundai/Kia e outros automáticos 4 cilindros da vida que querem aparecer ainda mais(que a própria natureza já possibilita), andam menos sim. "brutamontes" sim e caros, ineficientes, perigosos nas reações, de alto consumo, alto preço...

    "glória tupiniquim de ser flex" adorei essa.

    "não à transplantada para a Ásia" perfeito Bob, até o bonito novo fiesta aderiu, sem falar nos legitimos velostes, elantra.... faróis que terminam na coluna A, lanternas que começam na coluna C, e por aí vai. Parecem aliens.

    Este Bravo, quero branco do mais básico, sem teto, sem saco de lixo!

    Pinças vermelhas passa, acho ótimo ele ser discreto, sem os contornos pretos do Punto T-Jet, e volante ou outros detalhes estéticos eu dispenso, ele não precisar tentar ser o que não é, como outros fazem.

    Caro Bob, tenho um pedido de presente de Natal, além do Bravo claro! O AE poderia testar o Cruze e o March 1.6, há possibilidade?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  44. Anônimo 15/12 22:52
    Não sei se ainda dá para pegar esses carros, as fábricas estão para entrar em férias de fim de ano. Mas vou tentar. Gostei dos "faróis que terminam na coluna A", é isso mesmo!

    ResponderExcluir
  45. Punto T-Jet...
    Carro de entusiasta....
    68.000 a OITENTA E SETE MIL Reais....
    Arrancando na frente de... SUVs.
    "overboost"....

    Sério, tenho um palio 1.6 16v e já arranquei junto, pau a pau com T-Jet, no megaspace em BH, com muita gente vendo, e filmando. Só que meu carro de "Entusiasta" custa 15.000 reais, vendendo bem.

    Sério. Existe TROUXA pra tudo.

    Guilherme Costa

    ResponderExcluir
  46. Anônimo 15/12 17:23
    Já dirigiu um? E aprendi uma sobre sua personalidade, elogiar só porque usou o carro emprestado uma semana, obrigado.

    ResponderExcluir
  47. Pessoal,
    Peço desculpa pelo tom grosseiro acima. Realmente fico irritado ao ver o nível de exigência que o mercado brasileiro tem. O carro em questão tem suas qualidades, merece atenção por fugir um pouco do normal. Mas ainda assim não oferece nada pelo preço que cobra.
    Temos, de alguma forma, mostrar a toda poderosa industria automotiva, que não estamos contentes, nem satisfeitos.

    Pra não dizer que não gostei de nada... Acho essa cor muito bacana nesse carro! ;)

    Guilherme Costa

    ResponderExcluir
  48. Marcelo Junji16/12/11 00:03

    Peso próximo ao da doblo! Qual é o motivo desse carro ser tão pesado?

    ResponderExcluir
  49. Marcelo Junji16/12/11 00:03

    Peso próximo ao da doblo! Qual é o motivo desse carro ser tão pesado?

    ResponderExcluir
  50. mesmo peso do focus...

    ResponderExcluir
  51. 0-100 em 8,7 com overbooster ligado... sem ele deve passar dos 9 fácil.

    legalzão pra tomar um bafo de carros mais antigos.

    porém deve ser legal o acerto da suspensão, é o mínimo que se espera de um carro assim.

    ResponderExcluir
  52. Bob Sharp,

    A 4rodas fez apenas 9,8 s no 0 a 100 km/h com o overboost ligado, e 10 s com ele desligado.
    Esse dado de aceleração que vc postou foi aferido ou usou do fabricante?
    Se a Fiat trouxesse o punto europeu (plataforma diferente) com o cambio de 6 marchas, o carro iria andar muito bem com esse motor.
    O bravo realmente é muito pesado.

    ResponderExcluir
  53. Muito importante a última marcha bem curta para quem gosta de desempenho, desde o lançamento o Bravo T-JET é o meu sonho, principalmente o Azul Maserati.

    ResponderExcluir
  54. Sério, o pessoal se liga tanto em números que é complicado conversar...

    Andem no carro com entusiasmo se possível, ele têm muito mais a falar do que frios números de 0 a 100, que por acaso...não são ruins!

    ResponderExcluir
  55. BOm, quem reclama do peso, vá de Punto T-Jet, mais barato, mais leve e deve andar mais com ou sem o "overbooster". Para quem quer correr, é a melhor pedida, tem até um visual mais apelativo.
    O Bravo T-Jet, a meu ver, é para o cara que vai comprar um hatch médio e quer um pouco mais de emoção, isso explica até mesmo o pacote visual contido. O cara não quer chamar tanta atenção assim.
    Nem todo mundo que compra carro mais nervoso tem 18 anos, quer chamar atenção de piriguete e tirar racha com Deus e o mundo.

    ResponderExcluir
  56. Carrinho caro. Desenho sem inspiração e sem graça. Quando voltaremos a ter um esportivo de verdade? Se depender do consumidor médio, nunca, esta massa que só quer saber do "flex", do preto / prata e do valor de revenda.
    Fiat faça um favor a Brasil, acabe com o old Uno e o Old Palio...

    ResponderExcluir
  57. sem inspiração e sem graça? ele é lindo, um dos mais bonitos da categoria...

    ResponderExcluir
  58. Por R$ 80.000,00 eu acho um A3 Sportback 09 com baixa KM, 30 mil e poucos. Ou uma Jetta Variant 10/11 completa com 10 mil KM. Além das vantagens técnicas, já ganha a desvalorização (um Punto desses não vende por nada daqui a 2 anos e vai mofar na garagem...). Estou comparando o preço e não os carros, pq não dá nem pra começar nesse sentido. Nós brasileiros não sabemos comprar carro.

    Alexandre

    ResponderExcluir
  59. o que me preocupa é que é sempre assim: a fiat põe umas belezuras esportivadas de verdade, boas de dirigir, geralmente bem desenhadas e tal, porém SEMPRE viram mico... SEMPRE VIRAM MICO, e aparecem detonados depois de algum tempo...

    Até hoje tento desvendar esse mistério.

    ResponderExcluir
  60. Viram mico, pois como estamos vendo nos comentárioa as pessoas tem medo de investir/gastar por acharem que vai desvalorizar e será mico/mau negócio etc.
    Assim, realmente vira mico, muitos não tem dinheiro para comprar e outros que tem não possuem a coragem, uma coisa leva a outra, será que se as pessoas pensassem mais no prazer proporcionado por algum carro diferente, esportivo, câmbio manual, duas portas, seis marchas, turbo, coisas assim, elas não seriam mais felizes e consequentemente não teriam um mico na mão? mas aqui querem aparecer a bordo de seus SUV/estatus, ou síndrome das partes baixas pequeninas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e enquanto isso nós entusiastas vivemos e nos divertimos muito com estes "micos". KKKKK

      Excluir
  61. me refiro a virar mico por ser fiat.
    esse tipo de carro da fiat INVARIAVELMENTE vira mico.

    outras marcas com propostas similares conseguem salvar muita coisa - vide gm nos tempos áureos...

    ResponderExcluir
  62. Gostei do Bravo até sentar no banco de trás.

    Porta malas bacana, posição de dirigir boa, painel bacana, preço interessante, mas pro passageiro do banco de trás ir bem o motirista não pode ser muito alto.

    Bob, acho que o cara falar que o carro é Turbo ainda pesa mais que falar que seu carro é fléquis, tanto que são incontáveis as Brasílias com aquele adesivo "Turbo" da D20 colado na traseira, ao lado do logotipo da Audi. =)

    Obrigado pela avaliação, sempre tive curiosidade pra saber como esse turbo age.

    Uma dúvida, qual a rotação do motor em velocidade de cruzeiro ?

    ResponderExcluir
  63. QUestão do mico: acho que todo carro com alguma pretensão esportiva vira "mico" porque pressupõe-se que o dono anterior "esmerilhou", usou com agressividade, e muitas vezes fez alguma alteração que prejudica o carro, removendo-a na hora de revender.
    Além disso, tem o valor do seguro, que é mais alto pelo mesmo motivo...

    ResponderExcluir
  64. ADG, na época que o tritec equipava o Cooper S ele usava um supercharger no modelo 1.6, mas não seria má idéia equipar o atual vendido como e.torq com turbo.

    ResponderExcluir
  65. Bob,
    Sinceramente, você andou como passageiro no banco traseiro?

    Se andar, e ao passar o cinto de segurança, lhe garanto, sem dúvida que você jamais comprará esse carro.

    Em qualquer altura o cinto de segurança literalmente enforca o pescoço. Viagens então nem pensar...

    Temos esse carro como frota na empresa, de uso diário.

    ResponderExcluir
  66. A questão de achar que, dentre os carros usados, modelo com alguma pretensão esportiva foi mais maltratado que um "normal" é puro preconceito mesmo, porque conheço muitos donos de carros medianos, como Corollas e Sienas, que sentam a bota e maltratam sem dó todos os dias. Depois, quando esses carros vão parar nas lojas de usados, são vistos como carros melhor cuidados só porque não são "esportivos"...

    ResponderExcluir
  67. 0 a 100 em 8,8s e 206 Km/h de máxima.

    Carro?

    Tipo 2.0 16V.

    Vc encontra p/ 12 mil.

    Vou lá torrar essa fortuna p/ andar igual?

    ResponderExcluir
  68. o Bravo representa um novo marco na categoria de hatch médios para a Fiat, é novo nas formas e no conteúdo com motores modernos e bem potente nesse caso, vamos ver se a hitoria muda, ou vai seguir a tradição da fiat de fazer medios-micos, Tipo,Brava,Stilo....
    Eu gostei do carro embora prefira o Ford Focus especialmente em dirigibilidade e eapaço do banco traseiro.

    ResponderExcluir
  69. Bem, se formos considerar que o Calibra fazia 0-100 em 8,5 segundos (FATO!) e maxspeed de 220km/h reais (FATO!) então estamos mesmo muito mal de carro.

    Hoje, em pleno século XXI, vangloriar um carro porque faz 206km/h e 0-100km/h em 8,8s é no mínimo achar que um grande retrocesso é normal e aceitável.

    NÃO É!!! O que o Bravo faz não é absolutamente nada demais. Custa caríssimo e é feio pra diabo. Acho que nem os coreanos fazem um carro tão feio.

    ResponderExcluir
  70. Me estranha a Fiat insistir em não colocar o botão da diversão ( OVB) no Punto T-Jet.

    Bob, o problema maior dessa calibragem do motor 1.4 turbo é que por serem carros pesados com pequena capacidade cúbica de motor, colocaram Turbina pequena, e os bloquinhos de pressão somem demais para o Turbo sobreviver( ficam uns 3 ou 4 sobreviventes da esquadra de 13) ,isso nas marchas altas, rpm alto, dificulta o guiar rápido.

    ResponderExcluir
  71. Belo conjunto... apesar de caro demais.....

    Painel do jeito q gosto (e acho correto!): Com RPM do lado direito... e no melhor "estilo" alfa romeu... So nao sei se me acostumaria com ele "comecando de baixo".... a principio eh "estranho".....

    ResponderExcluir
  72. Fico na duvida: Bob, se sab dizer se daria para colocar GNV nele?

    ResponderExcluir
  73. Muito caro.... sem noção!!!! ha muita coisa boa por ai por esse preço....

    BMW, Audi, Alfa 155 e 145, Calibra (como disse o amigo acima) e por ai vai...

    Alguem podera dizer: Po.... mais e carro "velho", peças caras, etc... Ok OK... mas como o Bob disse: todo o trem de força vem da italia.... o dia q der problema.... Ou alguem aqui ja se esqueceu das Tempras SW??

    ResponderExcluir
  74. Olha, o Bravo não me convence... Respeito a opinião do Bob, claro, mas o carro não vale o que custa. Usar um turbo para andar igual a um 2.0 aspirado não faz sentido. No banco traseiro, então, sem espaço. Chega a ser claustrofóbico.
    Ora, quem compra um hatch médio quer algo mais do que diversão. Para curtir, melhor é o Punto T-Jet.

    ResponderExcluir
  75. Bob,
    O que faria você comprar esse Bravo e não um Punto T-Jet?

    Não seria diversão igual pagando mais?

    ResponderExcluir
  76. Marcelo Junji16/12/11 20:54

    Sr. Bob, esse carro não teria pneus muito grandes para o seu desempenho? Faço essa pergunta pois o sr. já comentou que não gosta de pneu em excesso.

    ResponderExcluir
  77. Acredito que os pneus de série são menores, este da foto é opcional.

    ResponderExcluir
  78. Bob, não guiei o carro, mas possso afirmar com todo respeito:
    - um carro para quem gosta de carro deveria ter o "five-tech"
    - um carro para quem gosta de carro deveria ter um motor de curso mais curto que o diâmetro e bielas longas para uma baixa relação r/l; em consequência, um limite de giro acima de 6500 rpm.
    - botão overboost, que farsa! Isso é puro marketing ou esse motor de enceradeira não aguenta andar a 1,3 bar direto? Ou será que a FIAT não tem competência para fazer um sistema automático?
    Quem gosta de motorzinho é dentista!

    ResponderExcluir
  79. Pisca, Tipo Sedici Valvole é um monstrinho nas pistas mas se você encontrar um em excelente estado não será por 12 mil. Pode adicionar alguns trocados a mais.

    A mesma coisa vale para outros carros considerados "bombas" como Uno Turbo, Tempra Turbo e Marea Turbo.

    ResponderExcluir
  80. Ledoni
    O tamanho, o overboost, o porta-malas, o Bravo tem mais o meu jeito.

    ResponderExcluir
  81. Anônimo 16/12 22:35
    Dirija um e depois conversmos. Achismo não serve nessa discussão. Assim como quem gosta de motorzinho é dentista, quem gosta de motorzão é caminhoneiro.

    ResponderExcluir
  82. Pisca
    É o tipo do carro que não serve para Gérson. Eu avisei.

    ResponderExcluir
  83. Alexandre
    Não é todo mundo, como eu, que acha que a melhor marca de carro é zero-quilômetro...

    ResponderExcluir
  84. Bussoranga
    Além de ser um 2+2, o motor de 150 cv do Calibra era morto em baixa. Quanto ao estilo, embora seja ponto pouco importante para mim, gosto muito do Bravo. E duas portas para mim, só carro esporte ou picape cabine simples.

    ResponderExcluir
  85. Anônimo 16/12 21:37
    Os pneus do Bravo T-Jet são 215/45R17V de série. Só Essence é que são opcionais.

    ResponderExcluir
  86. Anônimo 16/12 19:11
    Claro que pode.

    ResponderExcluir
  87. Alexei Silveira
    Não vi nenhum problema em guiar rápdo. O que você quer dizer exatamente?

    ResponderExcluir
  88. Guilherme Costa
    Trouxa é quem apanha de Palio 1,6 16V estando com Bravo T-Jet nas mãos, quanto mais a 860 metros acima do nível do mar.

    ResponderExcluir
  89. Evandro
    120 km/h = 3.200 rpm (6a)

    ResponderExcluir
  90. Bob,
    O T-jet rodas aro 17, mas este modelo da foto parece ser aro 18, opcionais do T-jet, estou certo?
    As de aro 17 sao lindas, mais 'abertas'
    Fiquei em duvida agora.

    ResponderExcluir
  91. Acho que na foto estão com pneus 225/R18.

    ResponderExcluir
  92. Marcelo Junji17/12/11 09:52

    ADG High Torque, não é só esse motor que sofre em ladeiras. Acho que os fabricantes deveriam desenvolver totalmente os motores por aqui, e não usar motores projetados em outros países de topografia diferente da nossa. Onde eu moro, além de ter muitas ladeiras, há sequências de lombadas nelas, onde um motor de pouco torque em baixa sofre. Parece que muitos carros foram desenvolvidos só para estradas ou para cidades planas.
    Acho que um e torq turbo também sofreria em regiões com muito morros, seria melhor usar um compressor, pois esse motor desanima muito em baixa.
    Seria bom se outros motores 16V fossem como os dos clio 1.0 16v e do livina 1.6 16v bons em todas as condições.

    ResponderExcluir
  93. Marcelo

    Já encontrei um a venda em BSB em excelente estado p/ 9,500.

    O mais caro q achei foi por 14,000.

    E completaço!

    Dps da palhaçada do IPI eu me nego a comprar carro zero. Prefiro pagar menos e ter o msm prazer.

    ResponderExcluir
  94. Bob Sharp

    A pista do Mega Space tem 201m.

    Não dá nem p/ esticar a 3ª completamente.

    Um Palio 1.6 16V original anda junto do T-Jet sim se tiver um bom piloto.

    E se fizer coisa pouca no motor - chip, CAI e trocar o silencioso final - anda na frente.

    ResponderExcluir
  95. Anônimo 16/12 14:13
    Não vi isso que você aponta , cinto traseiro ficar no pescoço quando se está sentado corretamente, só se a pessoa se esticar para frente. Mas isso ocorre em qualquer carro.

    ResponderExcluir
  96. Marcelo Junji
    Para o peso do carro, a medida dos pneus está correta.

    ResponderExcluir
  97. Anônimo 17/12 )2:22 e Cleber VB
    No lançamento em novembro do ano passado a Fiat anunciou pneue 225/40R18V e assim estavam os carros que dirigimos, escrevi isso até. Mas aparentemente desistiu, pois os únicos pneus para o Bravo T-Jet são mesmo os 215/45R17V.

    ResponderExcluir
  98. ADG High Torque
    Achou fraco o motor? Olhe que aqui em São Paulo temos ladeiras também, e bem íngremes. A baixa do motor é um primor! Lembre-se que existe na Itália em versão Abarth de 180 cv e está psra ser lançado o 500 com esse motor nos EUA.

    ResponderExcluir
  99. Ok Bob,
    Acredito que o modelo da roda do carro que testou difere do carro das fotos, este sim, maiores.

    ResponderExcluir
  100. Preciso dirigir um desses T-jet pra sanar a dúvida, pois equanto alguns reclamam da falta de torque em baixa, outros elogiam-no... De qualquer forma, a melhor marca de carro no Brasil pra mim é carro usado. Além do quê, sempre que comprei carro zero fiquei incomodado com o fato de não poder alterar nada, para não perder a garantia, e sempre tem coisas que não estão ao meu gosto e quero alterar.

    ResponderExcluir
  101. Caro BOB, confesso que fiquei curioso em ler seu feedback caso pudesses (e ainda estivesse em linha) testar um Stilo Abarth... Tenho a impressão que o "brilho" na análise desse Bravo seria ofuscado...

    PMS

    ResponderExcluir
  102. Stilo Abarth um monstro aspirado.
    Pena que como disseram virou outro mico fiat.
    Carros um pouquinho mais esportivos no nosso Brasil tendem a virar mico.

    ResponderExcluir
  103. Bob,

    Carro só é zero-km na concessionária. Bom pra quem ganha carro da empresa (e pode escolher). Saiu de lá, já era. A ilusão e o "T" do novo tem prazo de validade bem curtos. Eu sempre comprei carro zero, minha família tb, não é só questão de "poder pagar" ou não. Hoje compro semi-novo, entre outros motivos, feliz por saber que poderia pegar zero tb. Mas há 10 anos me recuso, aprendi a ter paciência, e aprendi tb que depois de 2 meses todo carro é igual, zero ou semi. Aliás, com 5 ou 10 mil KM o carro já deu (ou não) problema, e as garantias de hj são cheias de letras miúdas. Honestamente, desde que comecei a pegar semi-novos (escolhidos a dedo, claro) nunca mais tive problema algum com meus carros, de nenhum tipo. Fico menos com eles, cuido bem, vendo bem e fácil, curto mais carros. Hoje em dia tem carro com 5, 10, 15 mil KM em EXCELENTE estado de monte, é só ter paciência e um pouco de conhecimento. Eu gosto de carro, pra mim é um prazer procurar um bom semi-novo e pagar 15, 20% a menos do que na loja.

    Abs!

    Alexandre

    ResponderExcluir
  104. P.S.

    ... mas eu concordo com vc num ponto: ainda bem que nem todo mundo é como vc pq se fosse, o mundo estaria entupido de carros e não teríamos espaço para andar com os zero-quilômetro!!! (risos - com todo respeito, considero uma questão lógica e razoável hehehe...).

    Abs,

    Alexandre

    ResponderExcluir
  105. Anônimo 17/12 11:13
    Você tem razão, as fotos mostram rodas 18-pol., mas é porque são fotos da Fiat da época do lançamento, depois é que me toquei. O carro em que andei era outro, vermelho Modena, e tinha rodas 17-pol., eu mesmo constatei.

    ResponderExcluir
  106. Bob,

    A observação se refere ao motor do Punto t-jet vendido ao público

    Em Alta Velocidade, nas marchas altas e rpm idem , 80% da final até a veloc. final, a Central recolhe pressão do turbo, decerto para salvaguardar o pequenino turbocompressor.

    Se o botão OVB do Bravo libera mais pressão nessa circunstância que o Punto, é uma questão que você poderia levantar pra gente.

    Isso não é novidade não. Quando chegaram os " Chips " para o Gol 1.0 Turbo VW , quem tinha juízo instalava o programa de 145 cv ( 150 com corpo de borboleta trabalhado mantendo gasolina) e esse programa mantinha a final do carro em 195, em vez do programa com fin al liberada, que levava o carro a 208 km/h mas poderia danificar a Garrett GT12 caso mantida essa solicitação por um tempinho mais que uma esticada de final.

    A Solução para o VW era a GT 15 no carro ( 163 cv e sem quebras no 1.0 ) e no Punto e Bravo 1.4 é no mínimo o turbo do Abarth.

    Abraço,

    Alexei

    ResponderExcluir
  107. É um carrão, um dos melhores carros fabricados aqui. Infelizmente não faz nem fará sucesso, pois o preconceito do brasileiro (é só ler os comentários acima) o faz comprar Golfsauro "GT" com seu APzão de incríveis 120 cv ao invés desse carro.
    E depois reclamam que as fabricas brasileiras só vendem velharias. Quando sai novidades, ninguém compra e ainda reclamam.

    ResponderExcluir
  108. Acho carissímo, mas tenho reconhecer que a Fiat trás os lançamentos para o Brasil.

    ResponderExcluir
  109. O bravo e o linea não estão fazendo o sucesso esperado por culpa da própria fiat, por causa da sua política de não lançar uma 2ª geração de seus carros médios. Quando chega a hora do carro ganhar uma nova geração (ou reestilização) a dona fiat resolve tirá-lo de produção e lançar um novo carro, novo nome, foi isso que aconteceu com o tempra, brava, marea, stilo, e pelo jeito a história vai continuar já que rolam boatos do final de vida do linea... com isso, quem vai comprar um carro zero, sabendo que no máximo 5 anos depois ele sairá de linha?
    Não fosse por causa dessa política da Fiat, o bravo e o linea venderiam muito bem já que são excelentes carros, especialmente o bravo que em termos tecnológicos, não fica devendo em nada aos franceses e fica anos luz do tão bem falado focus, já que esse tem apenas air-bag duplo e não tem controle de estabilidade, nem na versão top
    Quanto aos comentários comparando o bravo com carros VELHOS, é lógico que o bravo está longe de ser um super-esportivo, mas é o único "esportivo turbo médio" fabricado no Brasil neste momento, ou alguém aí acha que Golf GT é esportivo?

    ResponderExcluir
  110. Qual o cx deste carro?

    ResponderExcluir
  111. Anônimo 19/12 00:23
    A Fiat não informou no lançamento. Vou perguntar e depois publico neste espaço.

    ResponderExcluir
  112. Fabio Alexandre,

    A Fiat traz os lançamentos pra cá porque ela SÓ vende aqui.

    ResponderExcluir
  113. Não demora muito e logo vão aparecer uns Bravos e Puntos T-Jet fumando mais que o Popeye com seu cachimbo. Sabe como é, né? Brasileiro "adora" fazer manutenção como se deve. Muita sorte para quem comprar um bicho desses de segunda mão.

    ResponderExcluir
  114. Mico? Mico sim.
    Vejam no webmotors esses Fiats esportivos recheados de xenão 400 mil k, g35 + g5 no parabrisa... escapamento ponta dupla... rebaixados, tapete estilo chão de ônibus, etc etc...

    depois reclamam que mica.
    esses carros atraem os pseudo entusiastas que usam o carro não só pra aparecer pro vizinho, como também para completar a masculinidade falha e propagar pela cidade um gosto musical no mínimo duvidoso.

    esqueça isso.

    ResponderExcluir
  115. Bom carro.. bem melhor que o LENTOSTER da hyundai que passa sufoco de uno mil. O tjet é mais espeto que o bravo.., mas o acabamento e estilo do bravo é show.. atropelei um estes dias pra traz no meu Cooper S :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, quem vc atropelou era um bração...desculpe.....Cooper S é freguês.....

      Excluir
  116. voodoo

    Cooper S, é? Ah, para, vai! Queria o quê, afinal? Se tomasse bucha passarias recibo de bração.

    ResponderExcluir
  117. Tão cansado de ver postagens publicitárias neste blog...

    ResponderExcluir
  118. depois que o Bob elogiou até o Agile não duvido de mais nada...

    ResponderExcluir
  119. Ainda aprecio muito os testes e comentarios do Bob Sharp, cresci lendo suas reportagens, respeito a sua opinião, gosto do Bravo e concordo em quase tudo, agora Agile ninguém merece, até o cobalt é melhor inclusive de plataforma.
    o Agile consegue ser antigo e feio ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
  120. Ola leitores!

    Procurando carros usados em BH de preferencia Bravo T-jet é so acessar!

    ResponderExcluir
  121. Carros Usados BH:
    vai tomá no cú. cai fora dessa porra.

    ResponderExcluir
  122. Pura merchandagem ... estou decepcionado com o blog devido a estes tipos de reportagens... pior do que essa, só a do Chevrolet(f)Agile

    ResponderExcluir
  123. O Chevrolet Agile é um ótimo carro, porém está muito caro. Custasse R$ 10.000,00 a menos e seria o melhor custo x benefício do mercado.

    ResponderExcluir
  124. Hehehehe, é muito interessante ver o comentário da turma. Mas imaginando estar e outro país, sem impostos absurdos e a maior margem de lucro do planeta (da fiat e das demais), pagando um valor coerente pelo brinquedo (muito abaixo dos quase 90 mil kkkkkkkkkk que piada). Puxa, é um brinquedinho muito legal, tem q dar o braço a torcer que eles fizeram um foguete na medida pra quem quer andar rápido com chances reduzidas de morrer. Impossível não abrir um sorrizão na saída de algum sinal, com 6 marchas convidativas então - ish!

    ResponderExcluir
  125. Bob, Olhando a curva de torque e potência percebi que não são nada planas com OVB, quase verticais aliás.

    Isso não acaba refletindo em pouca elasticidade do motor ? obrigando o motorista a andar sempre em alta rotação ?

    ResponderExcluir
  126. Apesar de eu me colocar como anônimo, por não ter conta no Google, gostaria de salientar algumas coisas:

    1) Já dirigi Bravo T-Jet, e já tive 2 Linea T-Jet. Eu concordo com 100% do que o Bob escreveu sobre o carro. Especialmente sobre que ele não é para quem quer tirar uma vantagenzinha. Ele é completo, macio e firme ao mesmo tempo, tem vários equipamentos que ajudam o motorista e o estilo bem europeu mesmo.

    2) Ser anônimo e vir aqui "largar o pau", achando que é melhor comprar um Opala 250S 1980, porque vai andar mais, mas nem se manifeste...

    3) Alguém quer comparar um Bravo T-Jet com um Civic VTI? Para quê? Vai lá e compra um Civic SI... pronto, resolvido seu problema.

    4) Já falei na época do lançamento. Qual montadora nacional oferece um produto como o Bravo T-Jet? Com motor turbo, teto panorâmico, GPS com tela de 6,5 polegadas, xenon e lavador, sensor de pressão de pneus... etc etc... VW, Ford, Toyota? não, não oferecem. Montamos no Brasil um carro atual com o europeu, um hatch médio moderno, econômico, espaçoso, bonito.
    Confesso que também sinto falta do Golf MK6, como referência. Mas o que mais temos de perto dele, é o Fiat Bravo.

    Quem não conhece, e "acha" que é ruim, ou que um carro velho pode ser melhor, então vá lá e compre um carro velho, um Alfa 145 1997, um Calibra 1994, etc... esses carros tiveram suas épocas, mas não podemos comparar com o que o mercado nos oferece hoje.

    Podemos sim comparar Bravo T-Jet com i30, com Focus, seriam brigas bonitas. Mas com uma Alfa velha, ou um Civic velho de 10 mil reais, com mais de 200 mil km rodados... nada a ver...

    Agradeço ao Bob Sharp por mais um post de excelente qualidade técnica, com uma avaliação imparcial, que refletem exatamente as minhas impressões de quando eu dirigi o carro, e também com relação ao motor 1.4 T-Jet.

    Ao meu ver, infinitamente mais prazeroso tocar um Bravo destes que um Focus 2.0 morto em baixo giro ou mesmo um i30 com sua caixa automática "multimarchas" que é o melhor do melhor do mundo em pilantragem de marketing.

    Assino, pois meter o pé na jaca como anônimo, é um belo desrespeito com todos que postam aqui. E Bob, continue respondendo "à moda", pois me divirto às vezes mais com as tuas respostas aos comentários, do que com o post principal...

    Gustavo Pulita

    ResponderExcluir
  127. Boa tarde eu acho o sesgo te para a pessoa fazer uma avaliação tem que fazer o teste drive. Tenho o bravo t jet a 6 meses, antes de compra ló praguari e fiz o teste drive no honda civic lxl o cruze lt e o mico veloster esse sim e uma bomba atem de estarei dizendo que o mesmo tem 140cv fizeram o teste e o mesmo não passa de 128 cv. Não atrele do neum um pouco em relação a acessório ele ganga disparada ente obque corar com 75.ooo

    ResponderExcluir
  128. Parabenizo o anônimo com suas colocações dos Irma 1 2 e 3(para identifica ló).seus comentários foram muito inteligentes. Assino em baixo. Reitero que mesmo os fabricantes de carros importados não tiveram a mesma responsabilidade da. Fiat. O que interessa em um catto seguranca economia e velocidade (abs end. Cintile de drenagem controle elet.de estabilidade e tração air bag jiló biltre. Agora pegam um carro no valo do bravo t jet e procura outro carro nesse valor comesses itens

    ResponderExcluir
  129. Angel Pinheiro28/12/11 15:43

    O conjunto mecânico é de excelência, mesmo, mas só isso nao me convenceu na hora que fui olhar um.

    O desenho da traseira parece infantil de tao fácil.

    E quando eu tentei sentar no banco traseiro, atrás do banco do motorista com minhas medidas... eu nao consegui entrar!! nao conseguia passar as pernas sem elevar os joelhos quase a altura do encosto de cabeça do banco do motorista para fechar a porta.

    É por isso que ele tem 400 litros de espaço no porta-malas.

    Desisti. Eu me preocupo com o próximo. :)P

    ResponderExcluir
  130. Cada comentário que se lê aqui! Só de gente recalcada mesmo. Como pode um cara falar que um carro com mais de 21 m·kgf a 2.250rpm não sobe ladeira? Só pra rir mesmo, e ainda se intitula o especialista "high torque". Deve ser motorista de caminhão que quer puxar o trailer com toda a família dentro. Aí só com Volvo NH, Scania e Iveco da vida.

    ResponderExcluir
  131. Vinicius Schullemann

    Acho q o pessoal se engana muito ao dizer q FIAT é merda, q FIAT não presta, q FIAT deve fazer só Krros populares. O q acontece é q ela é a unica q passa informações gerais para mecanicos autorizados ou não de seus call centers e não fica dizendoq é sigilo e q não podemos informar. É a unica q me fez ter o prazer de dizer q eu tive as 4 marcas :Volks, Ford, Chevy, e FIAT, e q a FIAT é a + me satisfez, e q o meu Brava 1.8 rodou 273 mil , com quase nenhuma gota de oleo no motor, e deve star ai com alguem ainda rodano igual a 1 Fusca. + o pessoal axa q bom é i30, golf Apzão, inclusive já tive 1, e não gostei.A Fiat poderia ter concedido 1 motor 1.8 eTorq turbo, para Calar todo 1 nação de mals agradecidos, q olham carro pela opnião de Nubzões q não entendem de porra nenhuma, e q é a unica q fabrica carros bons e duraveis, e q sempre leva a fama de porcaria. Já meteram o K7 num Uno quadrado, Way, na lama o Krro é igual a 1 Fusca, e a volks ainda fala q Gol é Krro msmo, é porra nenhuma nenhuma, quebra suspenção, o cubo da defeito sempre, sem contar vela q trva no kbçote e só Deus pra tirar, o q eu tinha tava com 81 mil, nuk +. O Fusca é a unica Carroça q é Krro msmo, ai sim, é 1 Krrão.A FIAT é a unica q não escreve na Kra de Brasileiro "Trouxa", apesar de q Hj em se coloca um design bonito e o pessoal axa q ta com 1 Krrão, ex i30 e VBoster. Vamo lembra q propaganda é alma do negocio, isso Hyundai tem + vamos ver daqui 1s anos!. A FIAT é a unica q cresceu pelas opniões de mecânicos experts em carros, e q faz krros para durarem, + brasileiro é sego e burro. Fazer o q?

    ResponderExcluir
  132. Vinicius Schullemann

    Meu pai sempre teve Volks, segundo ele era a unica q prestava, compro um AUDI A4 128 milKm e sta com ele parado na garagem, pq num pode pagar o conserto de tão caro q são as peças e o tanto de peça q tem q trocar, ai eu pergunto pra ele sta onde a tradição Alemã de durabilidade ? ai ele me fala q FIAT é Fabrica Italiana de Automoveis para Trouxas, ai eu só falo com ele: o Krro q vc tem na sua garagem é um FIAT por acaso? Ele quase me bate de raiva!!!.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voz da Verdade14/05/12 20:09

      "onde a tradição Alemã de durabilidade?"
      Seu pai é o típico exemplo do que acaba com a "durabilidade", gente dura que compra carro que não pode manter e não tem $$$ para fazer manutenção preventiva. Da próxima vez fala para ele comprar um alemão que ele possa trocar o óleo sem entrar no crediário.

      Excluir
  133. Acabei de dar um pau de uma quadra com meu SUV brutamontes nesse brinquedinho, o cara ficou com uma cara de bunda, kkkkk, carrinho a pilha brasileiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DUVIDO!!!! Deixo qualquer porcaria SUV sair na frente, inclusive as Turbo Diesel, que quem da risada sou eu....kkkkkkk

      Excluir
  134. problema da FIAT na verdade nem são os carros em si ela é a que mais traz lançamentos e tudo o mais p cá, só que aqui a maioria dos mecanicos ainda são "cascudões" mesmo nao se atualizam como deveriam além de que tudo se torna mais caro por causa do "lucro Brasil" e é ai que a FIAT toma no rabo, pq ai como a maioria dos componentes é importado custa muito mais caro e o brasileiro entendedor de carro que é acha que o carro dele com motor de 1980 é melhor pq tem manutenção mais em conta e não é nenhum mistério p o mecanico mexer.

    ResponderExcluir
  135. MATÉRIA PAGA. JABÁ DETECTED

    ResponderExcluir
  136. Quatro patas
    Não se baseie no seu próprio caráter para julgar os outros, imbecil!

    ResponderExcluir
  137. Esse é um carrão pra quem pode, pra quem gosta de ter PRAZER EM DIRIGIR com um mínimo de segurança e conforto, e ta k*gando pra Gérson tirador de racha. "Valor de revenda" fala sério, isso é preocupação de pobre, de ignorante que acha que carro é "investimento". Quando compro um celular não penso no seu valor de revenda. Da mesma forma um carro tem que ser considerado como um bem de consumo como qualquer outro, e usado até o limite. F*da-se por quanto vou revendê-lo, o que importa é a felicidade que ele vai me proporcionar enquanto for usado. Quem pensa o contrário tem mesmo que ficar com seus Gol bola, Tipo, Tempra e velharia que o valha.

    ResponderExcluir
  138. Boa tarde pessoal!Acabo de voltar de uma viageam a Aguas de Lindoia e Monte Sião em um Bravo Sporting Dualogic que comprei e o carro é muito bom.Acelerou bem e é muito confortável de dirigir.Saí de um Fox Imotion e apesar de achar que o Vw ter alguns pontos positivos, o Bravo ganha.E foi bem mais em conta do que o Focus automático com teto que tb estava pesquisando.

    ResponderExcluir
  139. Tem gente que te ve andando numa boa, sem maiores preocupacoes e da uma aceleradinha pra te ultrapassar e acha que te deu pau, que seu carro nao vale nada. Oh gente idiota!
    Tenho um Brava 1.6 porque nao posso comprar um carro novo. Anda bem, nao quebra, confortavel (nao como Bravo e carros mais modernos, claro) mas melhor que porcarias 1.0 como Gol e companhia que prefiro nao comprar mesmo zero.
    Concordo com as opinioes que tem jente que nao sabe dirigir o carro e tem medo de apertar o acelerador. Tem grana pra comprar carro e nao quer colocar gasolina...alias, conheco alguns que tem carrao e quando olho os pneus...estao carecas...da vergonha!
    Otimo materia.

    ResponderExcluir
  140. Já tive inumeros carros , inclusive BMWs e posso garantir que os T jets são muitos bons.Superior a todos os carros medios com motor 2.0. É so dirigir e confirmar. Favor não opinar sem dirigir.

    ResponderExcluir
  141. Penso em comprar um T-Jet, mas há tempos ouço sobre uma mudança para motor 1.6 turbo, alguém tem notícias? não vejo nada na imprensa que indique tal mudança a curto prazo...

    ResponderExcluir
  142. Thiago
    Motor 1,6, não, mas especula-se que venha uma versão Abarth de 180 cv com o mesmo motor 1,4.

    ResponderExcluir
  143. Valeu, Bob! sem querer abusar do conhecimento, mas deve sair esse ano ainda? Estava preparando pra trocar ainda no início do ano por causa do IPI e taxas menores de financiamento, mas uma máquina dessa com 180 CV, posso esperar mais um tempinho…rs

    ResponderExcluir
  144. Carro feito pra europeu nenhum botar defeito, brasileiro que se contenta com pouco e nao tem olhos pra um carro assim. Minha opinião: nota 10. Tanto para o carro como para a matéria.
    Acesse: renoceronte.blogspot.com

    ResponderExcluir
  145. Tenho um T-jet 2011/12, estou maravilhado com o carro!!!! moro em Itauna-MG e fui para Itajaí-SC com o carro ( OBS: porta maslas até a tampa e 4 pessoas ), fui andando razoavelmente bem ( entre 110-160) sem o OVB o carro fez 12,5 km/l e a maioria das serras que pegue subi de 6ª marcha....

    muito com mesmo!....

    abraço a todos.

    ResponderExcluir
  146. I am amazed at this blog
    Warm greetings from Indonesian blogger
    Thank you so much

    ResponderExcluir
  147. Bom dia galera, tenho um Bravo T-jet retirado 0KM em janeiro de 2012, hoje está com 12 mil km e posso dizer que o carro é FANTÁSTICO....não tenho reclamação alguma, ando com ele a 120/130 nos dias de chuva como se o asfalto estivesse seco....o carro é fantástico, de colocar um sorriso no rosto toda manha quando saimos da garagem com ele

    ResponderExcluir
  148. Galera, deixando minha opinião aqui... PEguei um T-jet 2013-2014 básico e fiquei surpreso com tudo o que ele oferece de série. Quanto ao motor, sem palavras... A turbina enche rápido (com OVB então nem parece que tem lag), econômico (tem feito 11,5~12km/l na cidade de SP andando em horário de pico), suspensão, espaço interno, porta malas, enfim... Vale cada centavo. Pra quem tem interesse e acha caro, paguei 64mil no meu zero km. É tudo questão de pesquisar. Abs Gustavo L

    ResponderExcluir
  149. Sou um feliz proprietário de um bravo t jet, e concordo em número gênero e grau com o Bob, os consumidores brasileiros não sabem o que estão perdendo, eu já era louco pelo carro, e se tinha alguma dúvida, não tenho mais, o carro e demais. Ouvir o sopro da turbina é demais.Valeu Bob pela matéria, muito boa.

    ResponderExcluir
  150. Parabens Bob, belo post. Tenho um Bravo 1.8 Dualogic e o carro me surpreendeu. Na minha opinião o Bravo e um dos melhores hatch medio do mercado, mto satisfeito! Tem muito achismo aqui no blog, o melhor e ir testar primeiro antes de postar bobagens por aqui... abs, Paulo Paim.

    ResponderExcluir
  151. Como vai, Paulo? Quanto tempo!
    Isso mesmo, testar primeiro e depois dar opinião.
    Abraço

    ResponderExcluir
  152. Mestre Bob

    Se tem um "cara" em quem confio e me faz até mudar de opinião, com certeza é o Sr. o Bravo TJet nunca me encheu os olhos, mas depois de ler seu belíssimo post, fiquei tentado a buscar um seminovo em boas condições pra preencher a garagem.

    Seu estilo casa perfeitamente com quem gosta e entende minimamente de automóveis.

    Estou decidido a entra na turma caracol e por isso tenho estudado: Fluence, 408, C4 L e cia. Gosto muito da turma VW, Golf, Jetta e Passat. Mas esses não são pro meu bico.

    Parabéns pela isenção e riqueza dos seus posts.

    Forte Abraço

    Orizon JR

    ResponderExcluir
  153. Fiz o test drive. Achei sensacional, a impressão é q o carro é mais forte q a 116i. Números às vezes podem enganar.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...