Google+

27 de janeiro de 2012

ENSINANDO ERRADO

Foto: autor


Num domingo, passava por uma avenida de São Paulo usada para passeio de bicicleta e me toquei que está sendo utilizada sinalização inadequada para os ciclistas pararem. Como no grupo há crianças e menores de 18 anos, e também outras pessoas sem habilitação para dirigir veículos automotores, é um mau começo para a entrada no mundo motorizado para todos.

Pode parecer implicância com a Companhia de Engenharia de Tráfego, que administra o trânsito na capital paulista, mas não é. Sinalização é um dos itens mais importantes, se não o mais,  num sistema de tráfego qualquer.

A placa "PARE" é a primeira na lista de placas de regulamentação, denominada justamente R-1. Junto com as placas de sentido de tráfego – R-3, R-4a/b, R-5a/b, R-24 a/b, R-25 a/b/c/d, R-26 e R-28 – não pode dar qualquer margem de interpretação. A "PARE" significa pare, analise a situação e prossiga, sem nenhuma outra indicação, como a semafórica.

O "prossiga" representa andar depois de fazer a análise, nunca após a placa "PARE" deixar de ser exibida, ser retirada por qualquer meio. Essa placa numa via pública é fixa, jamais móvel. Por aí se nota um erro grave de conceito aplicado justamente por aquele que seria o último órgão do mundo a fazê-lo, um órgão de trânsito.

Pior, a placa exibida para os ciclistas é associada a semáforo da via paralela à que estão circulando, associação que nunca pode existir. Ou há semáforo, ou há placa de parada obrigatória.

É inadmissível que essas noções básicas e na maioria das vezes baseadas em bom senso sejam ignoradas pela CET de São Paulo. Daí que tanto aqui como Brasil afora essa placa, fundamental para a segurança do trânsito, seja ignorada por grande parte dos motoristas – e continuará a ser por aqueles que hoje, ainda em fase de crescimento, pedalam aos domingos no espaço que lhes é dado.

Só para dar um exemplo, quando estive na apresentação da maquete do novo Ford EcoSport, em Brasília, no último dia 4, o motorista da van a serviço da fabricante que me levou e outros jornalistas do hotel para o aeroporto simplesmente ignorava a placa "PARE", como se ela não existisse. Não houve perigo porque as que ele ignorou eram de acessos de pista e rotatórias, em que se via eventual tráfego confluente, mas esse motorista um dia passará por uma "PARE" em que haverá outro carro no caminho ou ele próprio será alvo de outro, um quadro que se vê freqüentemente.

Vou mandar o link deste post para a CET na tentativa de reformularem a sinalização. Por exemplo,  desenho de um semáforo com a luz vermelha em destaque.

Vamos ver se aprendem.

BS

40 comentários:

  1. Bob,

    E aos "super-bikers",

    PORQUÊ eu nunca vi um ciclista respeitar faixa de pedestre?

    PORQUÊ eu nunca vi um ciclista respeitar placa PARE?

    PORQUÊ eu nunca vi um ciclista parar em semáforo vermelho quando não há trafego na transversal?

    A conduta dos ciclistas é pior do que a dos motoboys e carros. Deixem aumentar o número deles nas ruas pra ver.

    Bicicleta também é veículo e MATA - atropele algum pedestre a 20 ou 30km/h em uma bike pra ver o que acontece.

    Os politicamente corretos esquecem que também tem deveres.

    E a CET pilotada pelo Kassab (o pai do politicamente correto) presta, mais uma vez, um desserviço.

    Uma desgraça atrás da outra.

    Nunca seremos.

    ResponderExcluir
  2. Bob,

    Já viu a aberração que fazem de domingo no encontro da ponte cidade universitária com a rua alvarenga no butanta, quando põe os cones da ciclofaixa? Como não há espaço seguro pra ninguém nessa babaquice, montam um fim brusco de faixa de rolamento bem no encontro e fusão da faixa de quem vem da marginal, ou seja: que vem na ponte é obrigado a dar preferência ou bater de "bico" com quem está acessando a rua alvarenga, e os dois trajetos ficam com preferência.

    ResponderExcluir
  3. Outro problema é o fato de usarem a placa de PARE em vez da R-2 (Dê a preferência) que seria a mais adequada em certos locais.

    ResponderExcluir
  4. É ISSO AÍ BOB, PAU NESSES ENGENHEIROS MEIA-BOCA!!!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, Bob, pela postagem e pela iniciativa de alertar a CET, embora eu creia que vão simplesmente deixar como está.

    E o Gentalha está certo: os ciclistas (em especial aqueles que se acham "bikers profissionais") ignoram qualquer sinalização, não duvidando de que o sujeito que segura a bandeira (na foto) já tenha passado por poucas e boas com esses tipos...

    ResponderExcluir
  6. Bob,
    O que me diz da placa de PARE em uma rotatória?
    Não seria o ideal da placa de dê a preferência?
    Algum gênio aqui em Brasilia encheu as rotatórias com estas placas de parada obrigatória, se não estou enganado é caso único no Brasil.
    As pessoas daqui e de foram não terão problemas com seus deslocamentos para fora do DF e para o DF?

    ResponderExcluir
  7. Esperar o que de gente que administra o transito tão mal? É claro que mal conhecem as placas e significados, assim como mal conhecem qualquer outro aspecto de trânsito.

    Que os digam as reduções de velocidade máxima desnecessárias, mãos de vias escolhidas a esmo sem levar em conta fluxo, sinalização, projeto de acessos a pontes, pintura de faixas nas vias... E por aí vai.

    É tudo segundo o mesmo padrão meia-boca de qualidade.

    ResponderExcluir
  8. Bob
    No caso do motorista da van lá em Brasília - e isso serve para qualquer lugar - não seria o caso de a placa "PARE" estar sendo mau empregada? Não poderia fazer-se uso de outro tipo de sinalização? Qual?

    ResponderExcluir
  9. Também acho que ao invés da placa "PARE" nas rotatórias (aqui em Brasília muita gente chama de "balão") deveria ser a placa de "Dê a preferência".
    Como não se bastasse ainda temos que nos deparar com lombadas antes de rotatórias em alguns lugares daqui de Brasília.

    Rodolfo Milet
    Brasília-DF

    ResponderExcluir
  10. "Pode parecer implicância com a CET, que administra o trânsito na capital paulista". Administra??? He, he, he, he, he!!! Boa piada, Bob!

    ResponderExcluir
  11. Rodolfo e Anônimo,

    Em rotatórias não se precisa de placa nenhuma. Em qualquer lugar civilizado do mundo não se usa placa nenhuma.

    Rotatória é simples: sempre que chegar em uma, a preferência será de quem já está na rotatória. Se chegam dois ao mesmo tempo, a preferência é de quem vem da esquerda. Simples assim.

    Excesso de sinalização só atrapalha.

    ResponderExcluir
  12. Excesso de sinalização e falta de fiscalização.
    A placa PARE se bem utilizada e respeitada fosse, seria uma grande aliada à fluidez do trânsito. Como nossos mal educados motoristas só respeitam semáforo (quando respeitam), muitas vezes ficamos parados esperando à toa.

    ResponderExcluir
  13. Ciclistas e motoqueiros acham que não precisam seguir as normas de trânsito... De uma regra eles não escapam, a da seleção natural. Os menos adaptados sucumbem. Azar deles.

    ResponderExcluir
  14. Tá bom que aqui em São Paulo as pessoas dão preferência para quem já está na rotatória. Na Av. Mercedes, no bairro da Lapa, foram instaladas rotatórias em alguns cruzamentos com placas de "Dê a preferência" para todos que entram nas rotatórias, porém a maioria dos motoristas que trafegam pela Av. Mercedes não respeitam placa, rotatória, nada... simplesmente passam batido, como se estivessem na preferêncial.

    ResponderExcluir
  15. Anônimo acima,
    O que falta não é placa de preferência em rotatória.

    Falta auto-escola mesmo. O que tem hoje é igual a escola normal de nossos filhos: um nada.

    As pessoas não raciocinam que se essa regra de rotatória não for respeitada, não há razão dela existir. Aí a substituem por um semáforo e então lá se vai a fluidez.

    Aliás, aposto que um estudo de fluidez em São Paulo por exemplo iria provar que na cidade SOBRA ESPAÇO ao invés de excesso de veículos.

    Mas esse é um estágio mental avançado ao qual não estamos preparados. Somos subdesenvolvidos mesmo. 6º economia mundial só pros banqueiros.

    ResponderExcluir
  16. Placa "PARE" antes de rotatória ou acesso de pista rápida é burrice de quem faz a sinalização das pistas, em ambos os casos atrapalha o fluxo parar, no caso de acesso a uma pista rápida pior ainda, porque você precisa esperar um bom tempo pra que não venha nenhum veículo e você possa acelerar até uma velocidade segura, e piora ainda mais a noção de pessoas com menos habilidade ao volante, que quando vão acessar as vias mais rápidas, ao invés de acelerar o carro a uma velocidade segura e cuidar no retrovisor ao mesmo tempo, param o carro paralelamente à pista e esperam uma vaga pra acelerar... o que também seria mais perigoso do que apenas juntar-se ao tráfego...

    ResponderExcluir
  17. A 27/01 14:50
    Negativo! Mundo afora todas as rotatórias têm placa de aviso antes de chegar a ela e de "Dê a Preferência" (Yield) na entrada.

    ResponderExcluir
  18. O objetivo disso é só criar alguns empregos, afinal em teoria seria completamente desnecessário.
    O problema, como o Gentalha bem disse, é que os "bikers" (anglicismo insuportável) tão exigentes na hora de cobrar dos motoristas, não respeitam nada nem ninguém, em especial os pedestres. Eu mesmo já quase fui atropelado diversas vezes por bicicleta sobre faixa de pedestre.
    Mas como eles tem um lobby forte e são vistos como os defensores do mundo, todo mundo aplaude e ninguém pode criticar.

    ResponderExcluir
  19. Bem no fim no Brasil o "melhor" é a solução indiana: nenhuma lei de trânsito, chegou num cruzamento, sente a mão na buzina e passe (seta é opcional). Só cuidado com as vacas!

    ResponderExcluir
  20. Sou mais um a endossar o comentário do "Gentalha" sobre os ciclistas. Tenho notado que, principalmente quando andam em bando, se comportam como se fossem uma força irresistível com prioridade absoluta sobre os demais usuários da via.

    Quanto às placas de "Pare", não posso deixar de pensar que muitos dos turistas brasileiros que alugam veículos no exterior estão correndo o risco de serem multados ou presos (ou pior ainda, de causarem graves acidentes) por interpretarem essas placas da forma que as interpretam no Brasil. Gostaria muito de ver as estatísticas referentes a isso, caso as locadoras se disponham a divulgá-las.

    ResponderExcluir
  21. FVG
    Sim, poderia ser usada a "Dê a preferência" no lugar da "PARE", mas enquanto estiver lá deve ser respeitada. Não nos devemos nos habituar a desrespeitá-la, mesmo mal empregada, no caso de se adentrar à corrente de tráfego. Aqui no Brasil usa-se erroneamente a placa em muitos casos. Perto de casa há uma após um retorno no qual o acesso à próxima via é dedicado, carros que vêm por ela não têm como invadir o acesso, e mesmo assim tem placa "PARE". Ali não precisa desta placa e nem da "Dê a preferência". No Google Maps, entrando com Viaduto 11 de Junho São Paulo vê nitidamente a situação. É no retorno antes da Av. Indianópolis para quem deseja voltar para o Aeroporto de Congonhas. Alías, vou notificar agora a CET a respeito desse erro.

    ResponderExcluir
  22. Bob,
    É sobre isto que estou falando. Em todo o mundo antes de uma rotatória existe uma placa de sinalização indicando a preferência.
    Quando eu fiz a autoescola, aprendi sobre isto.
    No entanto, aqui na ilha da fantasia (Brasília), 90% das rotatórias são sinalizadas com a placa de PARE o que é um absurdo e um contrasenso.

    ResponderExcluir
  23. Paulo Levi
    Meu filho, quando tinha 15/16 anos, estava andando de bicicleta e avancou uma placa PARE: foi atingido por um carro a meia-nau, inteiro. Não se feriu por milagre. A bicicleta, vista de cima, virou um arco...Foi duro mas aprendeu que esta placa só tem um significado!

    ResponderExcluir
  24. O Gentalha disse tudo. O que tem de "babyker" achando que a lei de trânsito é para os outros não tá no mapa. E ai de quem reclamar!

    ResponderExcluir
  25. Quanto a esse pessoal que anda de bicicleta: Aqui em Fortaleza eles costumam sair a noite em grandes avenidas aos montes, dezenas, até centenas deles. Uma das vias que eles utilizam é a Av. Washington Soares CE-040, eles tomam uma das faixas da via (são 3) e que se danem os outros (apesar dessa avenida/rodovia ter ciclovia). Vejo sempre que atrás desse bando anda um caminhão que serve de apoio a eles e está sempre cometendo duas infrações: anda abaixo da metade da velocidade máxima permitida, 60 Km/h, e anda com o pisca-alerta ligado, mas ninguém toma nenhuma providência, dia desses percebi um pequeno engarrafamento que não fazia sentido para aquela hora, 22 horas, adivinhem, eles não estavam permitindo que os veículos fizessem uma conversão a direita porque queriam continuar juntos, para isso alguns se colocaram no meio da avenida e, mesmo com o semáforo aberto para os carros eles não deixavam ninguém fazer a conversão, agora vá reclamar para ver o que lhe acontece.

    ResponderExcluir
  26. É mesmo, essa placa importantíssima é pouco levada a sério, não devia ser 'banalizada' desse jeito, podiam bolar algo semelhante mas sem usar a mesma simbologia.

    ResponderExcluir
  27. Bob, uma dúvida. Não existem essas em filmes americanos nas portas das escolas?

    ResponderExcluir
  28. Um conhecido que mora em Nova Jersey foi multado e teve que se apresentar ao juiz porque desrespeitou a placa Pare (Stop), mesmo não se envolvendo em qualquer acidente. O juiz o fez repetir diversas vezes o que estava escrito na placa e acrescentou: a placa Pare é para parar...

    Quanto aos ciclistas, meu filho foi atropelado por uma bicicleta que descia a avenida na contramão. Eles não respeitam nada!

    ResponderExcluir
  29. Fabio Alexandre
    Sim, quando as luzes amarelas estiveram piscando nos horários de entrada e saída dos alunos, e também nos ônibus escolares, as placas ficam recolhidas e no momento em que o ônibus pára, seja na porta da escola ou em qualquer lugar para embarque e desembarque, as placas pivotam-se em posição aberta, significando que o tráfego nos dois sentidos tem de parar enquanto exibidas.

    ResponderExcluir
  30. BDF
    Isso tem um nome: zorra total. É a não-observância, ou desconhecimento, do "o seu direito termina onde começa o do outro".

    ResponderExcluir
  31. Justino Silva Jr.
    Até mesmo o sinal manual mais apito de guarda dirigindo o trânsito. Ambos são previstos no Código de Trânsito Brasileiro.

    ResponderExcluir
  32. Mineirim
    A placa R-1 é tão importante que desrespeitá-la é a mesma infração em gravidade, multa e pontos que avanço de sinal luminoso.

    ResponderExcluir
  33. jackie chan28/01/12 12:03

    Essa do ônibus escolar dos EUA é uma das (poucas) leis bestas (de trânsito) que eles têm por lá. Só falta quererem copiar por aqui também, já que estamos tendo propensão à leis bestas.

    ResponderExcluir
  34. jackie chan
    Não acho nada errado parar o tráfego nas duas direções. Crianças têm movimentos imprevisíveis.

    ResponderExcluir
  35. Bob, a palavra "PARE" não consta no dicionário de muitos de nossos despreparados motoristas. Já fui acertado por um beócio desses que ignorou um imenso aviso pintado no chão e quebrei dedos da mão com rompimento de ligamentos e fiquei 3 meses sem dirigir, só na dolorosa fisioterapia. Por pouco não precisei de cirurgia. Detalhe: esse cruzamento, que fica a menos de 1 Km da minha casa, é bem sinalizado e pouco movimentado - mas tem pelo menos 1 acidente por mês...

    Parabéns pelos textos, cada vez melhores.

    ResponderExcluir
  36. Caro Bob,

    E qual seria a sinalização correta para esse caso? Qual placa deveria ser utilizada?

    Na impossibilidade de termos a sinalização totalmente correta, não é melhor ficarmos com a quase correta, ao invés da completamente errada ou, pior ainda, nenhuma?

    ResponderExcluir
  37. Kassab é cria de tucano, mas como excelente político, tem várias cagadas dos comparsas guardadas, que são usadas como forma de se manter no poder.

    Veja quanta merda ele fez e nada aconteceu! Parabéns pela inteligência dele para se manter no poder a qualquer custo.


    Agora é só vcs continuarem votando como sempre fazem... sem analisar porra nenhuma!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kassab é muitas coisas menos cria de tucano. A carreira dele começou em 1992 quando se elegeu vereador em São Paulo pelo PFL e foi secretário do Maluf na prefeitura. Quando se associou aos tucanos o cara já era uma ratazana política. A prova está aí, fundou um partido e está causando um nó na disputa paulistana. A gente até analisa, mas... só tem merda pra escolher.

      Excluir
  38. Bob, não adianta espernear e reclamar, VOCÊ é parte dos que elegeram esta administração pública, municipal e estadual, agora aguenta!
    Pior é quem não fez isso e pagar o pato junto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cobrar das autoridades é direito e dever de qualquer cidadão, não importa se foi ou não eleitor do gestor público. Afinal, ele governa para todos.

      Excluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...