Google+

9 de fevereiro de 2012

VALORES?



A foto mostra uma agente do CET multando um carro de transporte de valores que estacionou placidamente na faixa reservada aos ônibus diante do Center 3, na avenida Paulista, quase esquina com a rua Augusta, um ponto nevrálgico da capital paulista.

Eram cerca de 16h00 do dia 8 de fevereiro, uma quarta-feira, quando o carro-forte amarelo se plantou ali. Eu vinha passando a pé, rumo à estação do Metrô Consolação, e decidi parar e ver o que ia acontecer de tão absurda que me pareceu a cena. Naquele horário o trânsito já estava bastante pesado. Aliás, quando não está na Avenida Paulista? Uma picape Ranger do CET chegou em pouco tempo, talvez menos de dois minutos. Parou atrás do infrator e ligou as luzes, deu um breve toque de sirene. Eu pensei "agora o cara se manda". Mas o blindado não se moveu um milímetro. 

A picape do CET sim: saiu de trás do trambolho amarelo e estacionou logo à frente, justo onde eu estava. A agente desceu, bloco em punho, e começou a preencher a multa. Não agüentei e a abordei: "Como é isso, você o manda sair e ele não sai?". A "marronzinha" sorri, e diz que é assim todo o dia. Enquanto escreve me conta que os carros-forte param direto e reto na faixa exclusiva do ônibus, tomam multa mas não pagam. "Eu faço meu trabalho, de multar, e o motorista diz que faz o dele, que é parar assim, ordem da empresa. 

Me disseram que as empresas de transporte de valores recorrem das multas, entram com um recurso em bloco (???), que são deferidos por razões de segurança." "Razões de segurança"? Atrapalham o trânsito, infringem a lei e não pagam? "É isso, não pagam. Mas eu tenho que multar pois é meu dever, isso é uma infração." "Infração ou infrações"? Questiono se é apenas uma multa por estacionamento proibido ou outra também por não obedecê-la quando ligou a sirene e as luzes? 

A agente bufa, mas não responde. Pergunto se posso anotar seu nome pois vou escrever a respeito, sou jornalista, e achei aquilo tudo um grande absurdo. Ela diz que não: "somos proibidos de dar entrevistas. Pensei que você estava perguntando por perguntar..." Do momento em que o carro forte se plantou na faixa exclusiva do ônibus até sua saída se passaram mais de dez minutos. 

E enquanto isso, claro, o trânsito naquele trecho piorou muito, claro: sem sua faixa, os ônibus invadiram as outras e o gargalo se formou. Centro financeiro da maior capital do Brasil, a Avenida Paulista está forrada de bancos e é claro que eles precisam do serviço dos carros-fortes. Todavia a cena me deu a certeza de que há algo muito errado no esquema. 

Não saberia dizer como deveria ser, mas tenho certeza de que assim, certo não está. Como cidadão me senti lesado de muitos modos que vocês leitores podem intuir sem que eu tenha de chateá-los com a lista. 

Em uma época onde quem dirige veículos no Brasil inteiro o faz tenso não só pela óbvia responsabilidade que isso representa mas, principalmente, pela infestação de radares, câmeras, blitzes e pegadinhas que condecora com multas até o mais impecável dos motoristas, a informação de que uma empresa privada burla sistematicamente a lei, desrespeita a autoridade de trânsito e não é punida por "razões de segurança" me cai como uma martelada no dedão. Ou estou enganado, e isso tudo deve ser assim mesmo? 
Será assim em Nova York? Em Frankfurt? Em Tóquio?

RA

82 comentários:

  1. Engraçado isso, porque um dia desses parei atrás de um caminhão desses que transportam valores e li que o mesmo tem autorização para parar em fila dupla, ou algo com esse sentido, daí entendi por que eles fazem isso. Na minha cabeça endenti que é para estacionar bem de frente aonde eles estão pegando o dinheiro, por esse prisma até dá pra entender por que parar em fila dupla. Já quanto ao transito não dá pra agradar a Gregos e Troianos... abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Art. 2º O art. 29 da Lei nº 9.503, de 1997, passa a vigorar com a seguinte redação:
      “Art. 29 .......................................................................
      ....................................................................................
      VIII - os veículos prestadores de serviços de utilidade pública, exceto os veículos especiais destinados ao transporte de valores, quando em atendimento na via, gozam de livre parada e estacionamento no local da prestação de serviço, desde que devidamente sinalizados, devendo estar identificados na forma estabelecida pelo CONTRAN;

      Excluir
  2. O banco deveria ser obrigado a proporcionar local adequado para o descarregamento de valores, ou firmar convênio com outros bancos para um local comum. No meio da rua não dá, não... Mas hoje é assim, o sujeito tem um negócio, mas nenhuma infraestrutura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resumiu muito bem Paulo, mas acrescento que vale o mesmo para edifícios residenciais. Estes também deveriam ter uma área dedicada para mudanças, nesta hora não tem outra solução que não seja parar o caminhão no meio da rua e atrapalhar o trânsito o dia inteiro! Já morei em edifício com 80 apartamentos em uma rua movimentada e presenciei o transtorno causado por isso! 80 apartamentos geram muitas mudanças por ano em uma cidade dinâmica como São Paulo.

      Excluir
  3. Você ainda tem esperança de ver alguma coisa funcionando direito no Brasil? Eu já trabalhei ali e já presenciei isso. É regra.

    ResponderExcluir
  4. Esse abuso dos carros forte são frequentes aqui em Belo Horizonte, eles param em faixas de pedestres, locais exclusivos para ônibus e outros lugares proibidos, sempre em horário de pico.

    ResponderExcluir
  5. Se fosse só aí..

    Em Ribeirão Preto, SP, há uma agência bancária defronte a dois pontos de ônibus MUITO movimentados do centro da cidade, e os carros forte param ali sem nenhum pudor.

    Mas é diferente, do lado direito da via, há uma fila de ônibus, às vezes de 2 ou 3 quarteirões, a à esquerda está estacado o blindado, às 5-6 da tarde, horário de pico máximo do trânsito, em uma rua onde só passam dois veículos por vez.
    Poderia muito bem haver um Recuo para os ônibus e para o blindado, mas, do que importa o bem-estar coletivo, né ?

    ResponderExcluir
  6. O último parágrafo, sobre a atual tensão que se estabelece nos motoristas brasileiros, me deixou - mais - deprimido. Recentemente, justificando a decisão por conta de dois acidentes causados por imprudência e nada mais, o Governo do Distrito Federal decidiu ampliar os antes 15 para 50 (sim, cinquenta) os pardais instalados na via EPTG. Em um trecho de 11,5km, 50 radares. É impossível até se desvencilhar do trânsito para acessar uma via marginal, pois há radares em intervalos de 200m; qualquer aumento ínfimo de velocidade para se recolocar em outra faixa da via é arriscado de ser punido com multa.

    Soma-se a isso a destinação de uma das faixas para corredor de ônibus, que por não terem portas do lado esquerdo - nota: adquiridos APÓS início das obras de ampliação da EPTG e, portanto, com projeto das paradas de ônibus já conhecido - não podem embarcar ou desembarcar passageiros na via e somente têm uma faixa de trânsito rápido reservada a eles, e ao comportamento inaceitável do motorista médio brasileiro rodar a 50km/h em vias com radares para 80km/h - pois têm medinho de tomar multa por passarem pelos sensores do radar na velocidade estipulada - e está feita a combinação infalível de trânsito sem fluidez, estresse e tensão.

    Sério, eu não quero mais viver neste país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu já disse em comentários de outros artigos, essa palhaçada do GDF vai acabar, é questão de tempo. A mesma mídia que tanto apoiou os pardais hoje se mostra contra, e a julgar pela capacidade de ser manipulado que o povo oferece, movimentos para que a festa dos pardais acabe devem começar a ocorrer daqui a pouco. E mesmo que não ocorram, o que eu vejo gente comentando que gostaria de "caçar" pardal não é brincadeira.

      Excluir
    2. Realmente um grande absurdo controlarem a velocidade e destinarem faixa exclusiva para o transporte público coletivo.

      Excluir
    3. ^ ^
      | |
      ironia barata detected.

      Excluir
    4. Mas a cartilha politicamente correta manda punir quem está fugindo do transporte coletivo por usar um individual...

      Excluir
  7. Agresti,
    mais um exemplo que prova a provisoriedade de quase tudo que existe em São Paulo ( e no Brasil, claro ).
    Vai-se quebrando o galho e no fim se institui a baderna.
    Igualzinho lá no Planalto Central, dentro daqueles prédios bonitos e cheios de sujeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho09/02/12 12:48

      JJ,

      Menos, menos, temos alguns colegas do AE que trabalham naqueles prédios bonitos e que não compartilham nem se beneficiam de qualquer baderna, e que são limpos por pessoas honestas e trabalhadoras, como 99,9% da população brasileira.
      Lembre-se que essa sujeira que existe nesses prédios bonitos do Planalto Central é causada por um grupo de pouco mais de 1000 pessoas que deveriam ser substituidas de 4 em 4 anos, e que em sua maioria são encaminhadas para lá com o seu, o meu, o voto de todos os outros cidadãos.
      Então colabore com a limpeza do Planalto Central pensando muito bem no seu próximo sufrágio. E por favor, não generalize, ok?

      Excluir
    2. Juvenal é um nó cego recalcado

      Excluir
    3. o JJ? sim, o é.

      Excluir
    4. Agresti.

      Tieta do Agresti?

      Excluir
    5. Lembram da Tieta? Acho que a música da novela era do Luiz Caldas, não?

      Excluir
    6. Vem meu amô! Vem com calô!
      No seu corrrpo se mosxxtrar...
      Vem sem pudô! Vem meu amô!
      Tieta do Agresti
      Lua Cheia de Verão
      É raio, estrela, lua,
      carregada de paixão!

      Excluir
  8. Não conheço o local, mas parece que o carro-forte branco está estacionado em cima da calçada para pedestres, e que também é passível de multa.

    ResponderExcluir
  9. É apenas mais uma daquelas coisas que nos fazem usar nariz de palhaço. Apenas com mais educação do povo haverá melhor percepção do quanto são enganados pelos que estão no poder.

    Essas empresas obviamente tem despachantes, departamentos jurídicos, políticos que aceitam doações de campanha em sua mão, sócios políticos, e assim por diante... Vão tocando a empresa sem maiores preocupações, sabem que todo o sistema está no bolso.

    ResponderExcluir
  10. Era menos mal o demente do carro forte amarelo parar sobre a calçada logo após o carro forte cinza, ali a calçada é bem larga e o incomodo seria menor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem chance. Eu ando por aquela calçada todo dia. E ele sabe que se parar o bixo pega. Ele pode até ser demente, mas ter amor à vida.

      Excluir
  11. E em Blumenau-SC que os carros-forte têm vaga especial reservada na rua?
    Me pergunto qual a diferença entre eles e os caminhões das Casas Bahia.

    ResponderExcluir
  12. Esse problema de falta de espaço é complicado e todo o país. É que na hora de construir, os proprietários querem ocupar todo o espaço do terreno com obras.
    Já que a coisa foi feita errada e não existe outra solução, o correto é dar um prazo para que os bancos façam as devidas correções e que as multas então passem a ser cobradas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jackie chan09/02/12 12:57

      Concordo, se tem negócio, tem que ter infraestrutura.

      Excluir
  13. Aqui em Curitiba, certa vez uma moça estava andando na rua, quando foi acertada por uma bala perdida. Resultado ficou paraplégica. Indignada foi investigar de onde veio o tiro. Descobriu que próximo de onde estava andando havia um banco. Descobriu ainda que no momento em que ela estava andando, no banco estava sendo feito o reabastecimento de dinheiro nos caixas automáticos. Esse reabastecimento ocorreu de maneira semelhante ao que foi mostrado pelo Roberto Agresti neste post. Enquanto os seguranças faziam o reabastecimento de dinheiro, uma quadrilha especializada em assaltos a carros fortes atacou os seguranças, houve troca de tiros, e um desses tiros foi o que acertou a moça.
    Sabendo dessas informações, ela processou o banco e transportadora de valores, e ganhou pois pelo entendimento do juiz, o reabastecimento de dinheiro deve ser feito com toda a cautela possível, em local próprio para tal. Nunca poderia se utilizar a via pública para tal prática. A empresa e o banco foram responsabilizados.

    Ou seja, o que eu quero colocar aqui é que além de perturbar o trânsito, a maneira adotada por estas empresas de transporte de valores é extremamente perigosa. A moça da história recebeu um dinheiro pelo dano que sofreu, porém tenho certeza absoluta que ela trocaria o que ganhou para poder voltar a andar. Já pensou levar um tiro porque uma empresa foi negligente? A nossa vida não vale nada. Só o dinheiro que importa

    EKS

    ResponderExcluir
  14. Não vou mais achar ruim quando assaltarem um carro-forte!

    João Paulo

    ResponderExcluir
  15. Rafael Ribeiro09/02/12 12:51

    Basta a prefeitura exigir um estacionamento para carga e descarga de valores nas próximas agências a serem inauguradas. Sem isso, não concede o alvará de funcionamento. Simples assim. Mas será que isso interessa? Hummmmm

    ResponderExcluir
  16. Victor Gomes09/02/12 12:51

    Eles devem fazer isso na hora do rush justamente por questões de segurança. Caso algúem tente roubar o dinheiro, faltará espaço para fuga e sobrará testemunhas do ato criminoso. Aqui em Niterói/RJ essa impunidade também existe. Gostei da idéia do leitor aí de cima de que todo banco deveria ter um espaço destinado a este tipo de atividade.

    ResponderExcluir
  17. Tem uma solução muito mais eficaz para este caso, a "marronzinha" chamar seu colega operador de guincho e rebocar o meliante. Simples assim.

    ResponderExcluir
  18. Tem uma solução muito mais eficaz para este caso, a "marronzinha" chamar seu colega operador de guincho e rebocar o meliante. Simples assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, aí a "marronzinha" toma no mínimo uma advertência porque alguém do alto escalão da CET virá mancando por ter tomado uma "carcada" caprichada do departamento jurídico da empresa de transporte de valores. Uma PM carioca multou um desembargador, ignorou um carteiraço, e foi parar em uma área do outro lado da cidade onde mora, foi rebaixada de cargo e teve ainda o salário reduzido. Se não fosse a dona Globo, a moça teria pedido demissão do emprego.

      Excluir
  19. Aqui em Belo Horizonte, já cansei de ver situação semelhante: Carros fortes param onde lhes convém e simplesmente ignoram a proibição ou regras de estacionamento atrapalhando muito o trânsito, e ainda mais em horários de rush.

    Parece piada, mas já vi aqui escrito na traseira dos caminhões de transportadoras de valores uma frase mais ou menos assim "Este veículo goza de livre parada e estacionamento"... Achei aquilo um absurdo! Então os carros forte estão "acima da lei"?? E não vi isso apenas em bancos, mas também supermercados, hipermercados, shoppings e redes de drogarias que fazem uso de serviços de carros-forte acontece a mesma situação.

    Será que simplesmente não pagam as multas e pronto alegando "segurança"? Simples assim? E ambulâncias e carros de bombeiro em serviço de emergência? Será que pagam as multas dos pardais??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os carros fortes não estão acima da lei, eles realmente tem prioridade de parada e estacionamento, quando em efetiva operação do serviço e identificados por dispositivo luminoso. Está no código de trânsito.

      Excluir
  20. A situação ilustra bem o poder do dinheiro.
    E mostra também o quanto é absurda esta coisa de o funcionário não poder dar entrevista. Deve ficar tudo com a tal assessoria de imprensa que são um bando de vagabundos inúteis. Não há coisa mais nojenta do que esta tal assessoria de imprensa. Está em todos os lugares; um câncer a ser extirpado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assessoria de empresa é o nome dado aos censores pós-modernos pelos pseudo-intelecto-tucanos.

      Excluir
    2. Eu falei em assessoria de imprensa. Se você critica a assessoria de empresa, talvez seja preferível um comentário direto seu a uma resposta ou complementto ao meu.

      Excluir
    3. Manhêeeee olha ele!!!

      Excluir
  21. É ISSO AÍ BOB, PAU NESSE CRIME ORGANIZADO CHAMADO BANCO!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pau nesses que erram o autor do post!

      Excluir
    2. É ISSO AÍ, PAU NELES AGRESTI!!!

      O DO BOB É PRÉ-COMENTADO. JÁ JÁ ELE APARECE POR AQUI...

      Excluir
    3. Vai pegar carona em carro forte e dá um tempo.

      Excluir
    4. Manhêeeee olha ele!!!

      Excluir
    5. Pegar carona em carro forte? Esta não entendi.

      Excluir
    6. Bode da Verdade09/02/12 17:56

      Como não?
      carro forte carrega valores, se ele pegar carona no carro forte se tornará valioso e, portanto, desejável pelo crime, sendo assim sequestrado e nos deixando em paz!

      Excluir
  22. O Bob bate na CET.
    Bate nos bancos. Nas transportadoras. Várias vezes bate em todo mundo. Até em quem comenta com educação mas contrariando a opinião.

    Só nunca bateu na indústria que pratica lucros pornográficos no país e que isso sim é assunto que nos afeta diretamente.

    Será, Bob, que essa indústria montaria todo esse esquema em Nova York, Frankfurt ou Tóquio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, o que tem a ver uma coisa com outra?

      Excluir
    2. Manhêeeee olha ele!!!

      Excluir
    3. A fev 9 07:51
      Como você sabe o lucro da indústria, se todas as fabricanes exceto a Fiat são sociedades civis de responsabilidade limitada e portanto não são obrigadas a publicar balanço?

      Excluir
    4. Bob,

      C'mon. Qualquer um que trabalha com projetos em área automotiva sabe.
      Tem comprador que pede pra fornecedor dobrar orçamento de moldes para ficar na média de mercado... gasta-se muito dinheiro a toa.

      Reuniões intermináveis pra resolver nada. Americanos vem aprovar carros da Ford somente em São Paulo porque não querer ir pra Bahia. Olha o frete de transportar os protótipos pelo país.

      Veja a emissão de remessas às matrizes.
      Morei na europa, trabalhando com fabricantes lá e sabemos que a concorrência do consumidor deixa as margens bem mais magras.

      Até na China as margens são menores.
      Isso tudo nasceu na época do mercado fechado. Ninguém sabia nada. Hoje com a internet as máscaras estão caindo.

      Olha o preço dos carros daqui exportados. Não seja ingênuo.
      Aqui é uma mina de ouro. Pra carros, pra imóveis, pra tudo.

      O Brasil é o país das oportunidades para poucos, muito poucos. É um país nada empreendedor que só oportuna investimentos estrangeiros. Rico fica cada vez mais rico, o pequeno é acachapado pelo circo montado.

      Ninguém aqui trabalha com baixo volume. Sem contar nossa produção que é massificada, não há investimento sério em P&D em muitas áreas. Reaproveitamento de molde é lei máxima até pra fabricar brinquedos.

      Brasileiro está agora vislumbrado com o crescimento econômico, mas nunca consumiu produtos de qualidade. Tanto que vai ao exterior e volta todo revoltado.

      Quem se contenta em comprar um Cobalt por 45 mil - assinado no cheque - é porque ou não tem referencial, ou alienou, ou nunca viu algo melhor.

      Assim que perceberam o Picanto - algo bem melhor pelo mesmo - logo trataram de jogar sujo.

      É máfia. A Fiesp não tem nada de diferente de Brasília. Dúvida? Me apresente uma empresa ligada às federações que não tem caixa 2?

      Choque de realidade.
      Você pode falar que a "coisa" não funciona assim. Mas funciona sim, diferente de vários outros lugares do mundo os quais trabalhei.

      Aqui, o buraco é mais embaixo.

      Excluir
    5. Bob, você acha que 5,6 bilhões de dólares apenas em lucros remetidos ao exterior é pouco?

      Excluir
  23. Depois quando digo que com 3 ou 4 mil reais no Detran é possível "blindar" a habilitação, ninguém acredita...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém acredita?? Do jeito que as coisas estão, eu não duvido nada!!

      Excluir
  24. O último parágrafo diz tudo, já comentei isso em algum outro post, está cada vez mais próximo o dia em que deixarei de ter carro. Só não o fiz ainda porque realmente gosto de carro.

    Sobre essa turma das guardas de valores, eles são folgados mesmo. Só não sabia que eles não pagavam as multas, esse país tá virando terra de ninguém. Isso é mais um golpe no meu "autoentusiasmo", rsrsrs.

    ResponderExcluir
  25. Essa CET não tem jeito mesmo, os próprios fiscais desconhecem o CTB, onde reza que os referidos veículos gozam de livre parada e estacionamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os veículos de transportes de valores são considerados prestadores de serviços públicos, nos termos da Resolução do CONTRAN 679/87. Portanto, possuem livre circulação e parada quando no desempenho de suas atividades.
      Curioso, portanto, que a CET autue estes veículos nestas condições.
      Por outro lado, é evidente que as multas aplicadas serão anuladas, pois indevidas...
      Fábio.

      Excluir
    2. Exatamente colega. Se a lei foi mal feita ou está ''errada'' é outra coisa, agora o fiscal desconhecer e ainda dizer que esta fazendo o seu trabalho de multar é o fim da picada. Que eu saiba o fiscal deveria conhecer e aplicar a regra corretamente. Chega a ser ridículo ficar multando se sabe que as empresas ganham os recursos e não percebe que o errado da estoria é ela.

      Excluir
    3. A Resolução do CONTRAN 679/87 já foi substituída pela Resolução do CONTRAN 268/08 ( http://www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/RESOLUCAO_CONTRAN_268.pdf ) e a situação do veículo é legal:
      Art. 3º Os veículos prestadores de serviços de utilidade pública, referidos no inciso VIII do art. 29 do Código de Trânsito Brasileiro, identificam-se pela instalação de dispositivo, não removível, de iluminação intermitente ou rotativa, e somente com luz amarelo-âmbar.
      § 1º Para os efeitos deste artigo, são considerados veículos prestadores de serviço de utilidade pública:
      ...
      IV - os veículos especiais destinados ao transporte de valores;
      ...
      Art. 4º Os veículos de que trata o artigo anterior gozarão de livre parada e estacionamento, independentemente de proibições ou restrições estabelecidas na legislação de trânsito ou através de sinalização regulamentar, quando se encontrarem:
      I - em efetiva operação no local de prestação dos serviços a que se destinarem;
      II - devidamente identificados pela energização ou acionamento do
      dispositivo luminoso e utilizando dispositivo de sinalização auxiliar que permita aos outros usuários da via enxergarem em tempo hábil o veículo prestador de serviço de utilidade pública.

      Este reportagem não conhece a lei.

      Excluir
    4. Ops! Esta reportagem não conhece a lei.

      Excluir
    5. "Ops! Esta reportagem não conhece a lei."

      [x2]

      Post sem fundamento.

      Excluir
    6. O post não conhecer a lei até passa, o pior é a CET não conhecer.

      Excluir
  26. acabei de receber uma multa por trafegar a absurdos 45km/h. Estava viajando a regiao dos logos aqui no Rio. poxa é brincadeira né.... fui tranquilo aviagem inteira não me lembro de ter ultrapassadoos 80km/h e ai em um momento de distração recebo esssa multa .... e o pior se a distraçao fosse um pouco maior e eu estivesse a 48km/h teria que pagar R$127,00 e não ''somente'' R$85,00

    ooo meu Brasil

    Ivan SM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até na Região dos Lagos estão multando? Caramba!

      Excluir
  27. Ivan; 45? o limite era quanto, 30? porque o limite de erro não é a velocidade +7kmh?

    ResponderExcluir
  28. Uma coisa que não entendo é porque essas empresas que fazem o transporte não param dentro dos estacionamentos dos bancos, mercados, etc., que normalmente ficam no subsolo, protegidos até de catástrofe nuclear, para estacionar em fila dupla, muitas vezes "interditando" a rua para fazer uma carga/descarga de valores. Será que eles só querem que a gente sinta raiva deles?

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Exatamente, Anônimo das 06:21, na traseira dos carros-fortes existe um adesivo explicativo: "este veículo goza de livre parada e estacionamento, conforme a alínea c do item III do art. 29 do Código de Trânsito Brasileiro", o qual reza que
    "veículos prestadores de serviço de utilidade pública (carros-fortes, guinchos, veículos de serviços telefônicos, energia elétrica, saneamento):
    gozam de livre parada e estacionamento quando em efetiva operação no local da prestação de serviço quando identificados por dispositivo luminoso de cor amarelo-âmbar."
    Os carros-fortes são um estorvo? Sim, mas estão amparados pela lei, quer gostemos ou não.
    E nunca na vida alguém vai me ver dar razão para um fiscal de trânsito, de qualquer cidade que seja. Para eles a única lei vigente é a que regulamenta a arrogância e a ignorância. Mesmo porque nenhum deles trabalha porque gosta do serviço e sim por absoluta falta de emprego. São os mercenários do poder público...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, CSS. Por isso não entendi o post "Valores". Carro-forte pode parar onde quiser, sem problemas. É chato, mas pode. Sabe, sei que não poder ir e vir com a velocidade que queremos nos irrita, mas há mais no mundo que eu no meu carro no meio do trânsito. Por exemplo, caminhão de entregas (ex: bebidas) SEMPRE descarrega do lado do trânsito, nunca do lado da calçada, já repararam? Aposto que deve ser proibido usar a calçada para descarregar... teria de verificar. O mundo está longe de ser perfeito. Nosso carro é apenas um pontinho no meio do louco trânsito.
      VPJ (não sou o anônimo das 06:21)

      Excluir
    2. Corrijo-me: é Art. 3º da resolução 268 do CONTRAN. Mas o teor é o mesmo.

      Excluir
  31. CET só serve para multar GENTE COMUM.
    Outro dia no trânsito na minha frente tinha um cara com placa completamente lixada. Avisei o fiscal do CET que falou que isso era com a PM, pois não podem "abordar".
    Ou seja, a única função deles é multar. E como só gente honesta paga multa neste país....

    ResponderExcluir
  32. Pior do que carros-forte são carros oficiais que fazem isto impunemente; às vezes para a madame que está no carro comprar alguma coisa.

    Mas é impressionante a falta de consciência do motorista brasileiro. Passou o carro da fiscalização, volta tudo à bagunça, como se respeitar a lei só ocorresse naquele momento.

    ResponderExcluir
  33. Os carros fortes tem o direito da livre parada sim, assim como outros veículos como ambulâncias, empresas de água e luz em casos de emergência, etc.

    Mas bem que poderia haver um bom senso, não? Estacionar na calçada é errado, mas no local há espaço para tal e não impactaria tanto no tráfego de pessoas, quanto o de veículos.

    Um dos males do .br são os politicamente corretos. Papagaios de pirata que falam pra caralho, sob a "proteção" de alguma lei, regra, etc, sem o conhecimento amplo da causa.

    Outro mal do .br são os estressadinhos que não suportam a cagada alheia e querem ser "politicamente corretos" mostrando. Este estressadinho também erra. Todos erramos.

    Se houvesse bom senso, a vida seria bem mais tranquila.

    APzeiro nato...

    ResponderExcluir
  34. OK!Vamos apelar ao bom senso de novo...Ver um carro forte, parado em plena via pública, fazendo transferencia de valores já é um absurdo...Ainda não deu para os bancos criarem um nicho de carga e descarga que leve em conta a proteção dos pedestres, motoristas, e dos próprios clientes além do seu "suado" dinheirinho? Daqui a pouco, neste ritmo, estaremos venerando as vacas...

    ResponderExcluir
  35. foda-se os carros forte.
    eu quero é ver gol do cúrintia!

    ResponderExcluir
  36. PlutônioFeb 9, 2012 09:05 AM
    voce me fez sorrir

    ResponderExcluir
  37. Rafael Bruno10/02/12 15:29

    Ali onde o carro branco está parado não é calçada. É recuo para carga e descarga.

    ResponderExcluir
  38. Pois é, aqui em BH tem sido assim, abuso atrás de abuso, tanto pelos carros que transportam valores, quanto pela Polícia (fora de diligências).
    Outro caso que me intriga é: proque as motoniveladoras, retro-escavadeirs, pás carregadeiras e veículos do gênero transitam no meio dos carros sem um batedor nem nada, e inclusive nem têm identificação...
    Dirigir aqui está uma m...

    ResponderExcluir
  39. fiquei sabendo de uma história de um policial militar que levou um blindado pro depósito numa situação semelhante à essa, com os valores e tudo. o policial pediu para tirarem o caminhão e não deram a mínima. daí, não lembro como, deram um jeito de levar o caminhão pro depósito do detran e só liberaram depois que pagassem a(s) multa(s). enquanto o caminhão estava lá, a empresa mandou outro pra pegar os valores. achei bem da hora

    ResponderExcluir
  40. Oskrmarinho11/02/12 19:42

    E aqui na minha amada Fortaleza, onde os ônibus não respeitam faixas de pedestres, sinais fechados, veiculos menores, ciclistas, motociclistas, fotossensores, cachorros, gatos, passarinhos e o que mais se meter no seu caminho, tortuoso e ziguezagueante pelas ruas apinhadas de veiculos? É incrivel a capacidade de manobra dessas viaturas, tão pequenas em seu 14/15 metros de comprimento, pois saem da faixa da direita, invadem a esquerda empurrando todos praonde puderem se safar, e imediatamente após uns 20/30 metros, forçam novamente todos os demais, voltando para a mão direita, pois parece que o motorista de repente se lembra que deve despejar ou apanhar passageiros no ponto de embarque/desembarque; feito isto, recomeça tudo, e assim vai contribuindo para que fiquemos desejando tudo de bom prá êle, prá sua familia, seus parentes e aderentes até o fim dos tempos, inclusive chamando a sua "santa mãezinha" daquele nome gostoso, que alude àquela profissão de respeitáveis mulheres, que a praticam normalmente na posição horizontal, e que gostáriamos de ver os senhores motoristas de coletivos urbanos, também praticando, porém, de quatro. E assim, vamos vivendo nesse caos urbano, tendo nossos melhores pensamentos voltados para essa criaturas maravilhosas, sejam condutoras de ônibus ou dos tanques de guerra que transportam valores. Que o Diabo os carregue a todos para as profundas do Inferno, mas nem esse os quer por lá, sob pena do inferno realmente ficar infernal.

    ResponderExcluir
  41. Alexandre - BH -12/02/12 05:04

    Agresti,
    Esse “nem aí” descarado é mais uma prova de que o dono do Boteco Brasil é o sistema financeiro. O assunto me fez lembrar os carros-fortes que circulavam com o slogan “Brasil: Ame-o ou deixe-o”, que nada mais era do que propaganda da ditadura militar. Imagine a tal frase pseudopatriota estampada naquele trambolho da avenida Paulista: estaria mais fora de contexto do que nunca. Sim, pois quem realmente ama o país não rasga a lei em nossa cara, tirando proveito da impunidade e de seu poderio econômico.
    No meu entender, uma empresa blindada contra a lei, armada contra agentes públicos e que ainda transporta malotes contendo prepotência e arrogância merece investigação imediata. Ou deve deixar o país.
    Agresti, faltou divulgar o nome da transportadora todo-poderosa.

    ResponderExcluir
  42. RA, essa situação não é exclusiva do Brasil, aqui em Londres, onde resido, é exatamente a mesma coisa. Carros que transportam valores param onde bem entendem, o mais próximo possível do local onde ele vai retirar.
    Recorrem as multas e ganham todas. Isso acontece com algumas grandes empresas de entregas, como UPS e DHL. Sei porque trabalhei numa delas, e eu simplesmente fazia uma apelação e ganhava.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...