26 de março de 2012

EXCESSO DE GENTE

Foto: autor


É um ônibus urbano? Metrô? Trem? Não, é ônibus de levar passageiros para embarque num avião que não esteja estacionado na ponte de embarque/desembarque. mas no pátio. A foto foi tirada segunda-feira passada no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, quando da ida para Salvador para a apresentação do JAC J5. Ônibus apinhado, nada mais desconfortável e ridículo. Excesso de gente viajando de avião ou falta de estrutura aeroportuária?

Fora que, não sei se alguém já notou, depois de o ônibus parar junto ao avião, há uma certa demora até as portas serem abertas. Ora, se houve ordem de embarque, por que não é o ônibus chegar e abrir portas? Às vezes penso que é de propósito, só para testar a paciência dos passageiros...

Por falar em passageiro, faz algum tempo que a TAM chama os passageiros de "clientes". Esquisito isso, pois cliente é quem pagou pela passagem e muitos viajam às custas de alguém, como os funcionários de uma empresa ou o membro de uma família..

Para este post, pego meio que uma carona no post do Arnaldo de anteontem sobre a questão de transporte coletivo. Para início de conversa, somos obrigados a atar cinto de segurança nos nossos carros, mas viajar de pé nos ônibus, soltos, sujeitos a um trambolhão numa freada mais forte, para não dizer colisão, pode. Essa é uma entre tantas hipocrisias desses tempos modernos, a exemplo de ser permitido produzir e vender cigarros e não se poder fumar em lugar quase nenhum mais.

Excesso de gente não acontece por acaso e nem rapidamente. As governanças municipais permitem – estimulam? – o adensamento populacional não por serem boazinhas, mas por ficarem de olho grande nos impostos que acompanham o aumento populacional descontrolado. O bem-estar, a qualidade de vida? Ora, que bobagem...

Então só pode dar no que deu, São Paulo com 11 milhões de habitantes e a região da Grande São Paulo, passando de vinte milhões. E problemas de toda ordem acompanham esta explosão demográfica, evitável com um pouco de planejamento e bom senso.

Transportes para essa massa humana sempre crescem em ritmo lento, quando deveria ser ao contrário. E aí vêm grupos como os ativistas das bicicletas – "cicloativistas" – achando que têm a solução. Não têm! Numa cidade com São Paulo bicicleta só serve para passear, nunca para deslocamento diário entre residência e trabalho, salvo poucas exceções. Ou será que vislumbram as cidades brasileiras com a cara de Saigon, como na foto abaixo?

Cena de tráfego em Saigon, Vietnã do Sul

Enquanto governos não se darem conta que metrô e trem são as únicas soluções para o transporte de massa – ônibus, definitivamente, não serve para isso – e, principalmente, que o adensamento populacional tem de ser contido restringindo a construção de edifícios, daqui para frente, de no máximo 10 andares, não haverá saída para o inferno que está viver numa cidade grande.

Por exemplo, será que alguém, como eu, nota como os atuais microônibus  não acomodam dois passageiros no mesmo e estreito banco? Apesar disso, milhares desses veículos transportam milhares de passageiros todos os dias. Viraram moda. Que irresponsabilidade!

Semana passada fui a Santiago do Chile, onde estivera há exatos dez anos a serviço, quando na Embraer. Fiquei surpreso de ver agora uma estrada subterrânea de três pistas em cada sentido ligando o aeroporto ao centro. Pelo menos uns dez quilômetros tem. Aqui, nada disso, nem metrô temos intetligando aeroportos e áreas centrais.

Para quem como eu, que mora na zona sul de São Paulo, ir ao aeroporto internacional, em Guarulhos, virou um martírio. Tanto que escolho sair de Congonhas mesmo tendo que pegar vôo com escala ou até com conexão, caso de São Paulo-Foz do Iguaçu com conexão em Curitiba. Ou na citada viagem a Salvador, escala em Ilhéus.

Como com os carros, há excesso de gente, sim – até para a rede hospitalar pública. Mas há também, e principalmente, falta de vergonha na cara de quem deveria cuidar de tudo isso e não cuida. Claro, são soluções demoradas que não ficam prontas dentro do mesmo mandato, seja de presidente, governador de estado ou prefeito e, desse modo, não dá voto para as eleições seguintes.

Será que a solução não seria mesmo reformatar o "HD Brasil"?

BS

108 comentários:

  1. Bob,
    Apesar do "excesso" de carros, passageiros, estudantes, mães, crianças, doentes, idosos e tudo mais como desculpa pra incompetência de um estado-privado muito bem pagos, acho impróprio você afirmar que ônibus não serve.

    É o velho paradigma que as pessoas teimam em tentar entender (ou não querem por favorecimentos inúmeros) é que TODO meio de transporte é útil em qualquer cidade do mundo. A diferença é a organização, uso e escala as quais as diferentes modalidades de transportes são integradas.

    Bogotá se resolveu com ônibus. Los Angeles com carros. Amsterdam com bicicletas. Londres com ônibus e metrô. Toquio com metrô. Jacarta com motocicletas.

    Enfim, falta inteligência - em todos os níveis - e nisso nem os cicloativistas percebem que estão beeem atrás da Dinamarca. Bando de otários.

    ResponderExcluir
  2. É ISSO AÍ BOB!!! PAU NESSA MULETA FAJUTA DO "EXCESSO DE ALGUMA COISA"!!!

    ResponderExcluir
  3. A carga tributária brasileira é similar à inglesa (+/- 35% do PIB), no entanto não vemos nem de longe os mesmos benefícios que os ingleses veem. Para onde será que vai tanto dinheiro, já que obviamente não é para sustentar serviços públicos? Aonde está o "welfare state" prometido pela petralhada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augustine,
      No Brasil benefícios oriundos do pagamento de impostos é coisa para "Ingles Ver"
      Infelizmente nao posso mais acreditar nas "Historias da Carochinha" ; no "Papai Noel" , no "Chapeuzinho Vermelho" ; nas promessas do Maluf ; ou na Boa Fé do PT!

      Excluir
    2. Augustine,
      você já deveria saber a essa altura que não existe nenhum partido mais mentiroso que o PT.
      Você deveria saber também que eles prometem para ser eleitos, não fazem porra nenhuma e ainda roubam descaradamente.
      Você deveria saber.

      Excluir
    3. Você ainda não sabe, Augustine? Tadinho...

      Excluir
    4. Hoje no Brasil o planejamento estratégico a longo prazo vai no máximo até 8 anos, se tiver reeleição. Ninguém vai começar uma coisa pra ser terminada no mandato de outro e correr o risco que este ganhe o crédito, mesmo que seja aliado, mas principalmente se for de outro partido. Por isso estamos nessa situação deprimente.
      Longe de mim defender a época dos militares, mas lá pelo menos tinha algum planejamento a longo prazo...

      Excluir
    5. Nilton Lopes26/03/12 16:34

      Anônimos, Maluf foi citado, ele foi prefeito da capital e governado do Estado, o PT foi e é a atual administração Federal. Estamos falando do transporte público da capital e do estado, Maluf, ok passou pelos dois, o PT só pela prefeitura, o estado tem um bom tempo que é administrado pelo PSDB. A conta da bronca não fecha. O prefeito que mentiu quanto a ficar no cargo até o fim não era do PT, o governador que prometeu a ponte Santos/Guaruja, por exemplo, não era do PT. A bucha de 1 bi no escandalo abafado da controlar não era do PT (quantos "mensalões cabem nesse 1 bi?). Fraude em licitação do Metrô é do governo do estado, que não é o PT. O PT não é constituido de santos, muito pelo contrário! O que não falta é escandalo. Mas os partido de oposição que a turma de SP gosta, PSDB e DEM, também são mais sujos que pau de galinheiro e tem uma turma da imprensa que gosta de abafar. Se o PT é o mais mentiroso, mais corrupto, o eleitor do PSDB/DEM é o mais cego e surdo à corrupção dos seus, e quem é complacente com corrupção, quem a nega é farinha do mesmo saco. Vamos falar sério e parem de agir como membros de torcida organizada, afinal, qual partido é o bom? O PSDB não rouba descaradamente porque não aparece no JN, estilo Ricardo Teixeira pode então?

      Excluir
    6. É claro, bom mesmo é na Bahia e no Acre... Ou no Pará!

      Excluir
    7. Lorenzo Frigerio26/03/12 21:28

      Falando no Maluf, quando ele era governador no fim dos anos 70, propôs que se mudasse a capital do Estado. Seria uma espécie de "Brasília Paulista". Naturalmente, caíram matando em cima dele.
      Entretanto, mesmo com o histórico do Maluf, acho que a criação de um novo pólo no Estado teria sido uma coisa boa, resultando na paralisação do inchaço da Cidade.

      Excluir
    8. Anônimo das 03:36:
      Não entendeu nada do que o nilton Lopes escreveu, seu burro!

      Excluir
    9. Boa, Nilton Lopes. Não sou militante de nenhum partido ou grupo específico, mas tem gente que parece querer crer que foi o PT que inventou a corrupção. Corrupção que está no sangue da maioria do povo brasileiro, portanto a saída parece ser mesmo o aeroporto.

      Desde que me entendo por gente a carga tributária é alta e o retorno, pífio. As declarações da Dilma na capa da Veja parecem feitas por outra pessoa, tamanha divergência que há com a realidade, mas como ela tem sido melhor que o antecessor, esperamos que cumpra (antes dos 4 anos) o que disse.

      Excluir
    10. Nilton lopes27/03/12 14:27

      Anônimo 6h54.
      Diria que acho Dilma melhor que os antecessores, todos eles tiveream o seus bons e péssimos momentos, dou um pouco mais de crédito para Lula s em função do que fez para as classes inferiores, pois se elas sobem a coisa melhora como um todo, mas repito, não nego a parte podre, na balança acertos e erros acho que foi melhor com ele do que com FHC, sem maniqueismos.
      Dilma é mais firme, tenta punir os seus e não sou ingênuo de achar que dá para governar sozinho ou fazendo tudo o que quer do jeito que quer, ela pisa em ovos para fazer o que Lula não fazia, botar ordem na casa.
      Faz tempo que não leio a Veja, mas lembro que início do governo Dilma, em editorial, Veja declarou apoio a presidenta, estranhei pois a revista pende forte para o PSDB, fico com o pé atrás, me parece que a revista está aguardando o período de eleições para dar o bote.
      Veja é uma revista mais opinativa e editorial do que informativa, o próprio Roberto Civita explicitou isso. Se você ler a Veja e depois a Exame, da mesma editora, vai ver que as coisas não batem, Veja joga para a torcida, a Exame informa para quem precisa da informação limpa, livre influencias partidárias. O mesmo acontece com a Folha e o Valor Ecônomico que é do mesmo grupo.
      Não acho isso ruim de forma alguma, tenho mais receio de que a mídia raivosa se cale quando entre os seus, alías é critério de voto para mim, sendo parecidos na bandalheira, vou no que a imprensa não gosta, faz o alvo pensar mais antes de aprontar. Imagine se o lance da Controlar fosse do PT? Ia ser um estardalhaço! Cairia meio mundo, como os Ministros de Dilma, seria uma faxina na prefeitura, mas....
      Planejamento aqui, é o que falou o An.10h18, dura 8 anos, mas acho que melhorou de Itamar para cá, a margem para se fazer bobagem grande está estreita entre quem entrar na próxima, a turma está ficando mais de olho, pelo menos no Gov. Fed. mas no estado de SP e na capital? Quando é para falar bem, é a locomotiva do país, a capital é uma das maiores metrópoles do mundo e tal, agora quando é bucha, vem gente comparar com o Acre, com a Bahia, com o Para, usam dois pesos duas medidas. Se aqui é o estado e capital mais rico e forte, há de se cobrar com peso maior, aqui não se pode admitir desculpas que cabem a outros estado mais fracos, se aqui é o melhor, a tolerância tem que ser a menor e não vejo isso de quem faz criticas ferozes, e muitas vezes com razão, ao governo do PT na esfera federal.
      Pau que bate em Chico, tem que bater em Francisco.
      PS. Me desculpem os erros, escrevi numa brecha de tempo.

      Excluir
    11. nem os políticos brasileiros conseguiriam roubar tanto. O grande déficit está indo para os aposentados da união. 50 bi em 2011. é são apenas 980 mil aposentados.

      Excluir
    12. Concordo em partes com o Nilton, PT, PSDB, PMDB, é tudo farinha do mesmo saco. E só para lembrá-los que a oposição de hoje já foi parte do mesmo grupo em que estavam o partido líder.

      Só gostaria de entender onde é que a Dilma está punindo os membros do governo? Demitir é punição? Então se eu matar 30 pessoas ali na rua, não vou para cadeia, vou apenas ser demitido do meu emprego e procuro outro, é isso?

      Excluir
    13. Nilton Lopes29/03/12 12:46

      Uma boa parte de integrantes de todos os partidos são farinhas do mesmo saco, a máquina é que é dose, reclamo mais do jogo pois temos alguns jogadores bons, isso não quer dizer que não dá para fazermos comparações pois os partidos, apesar de terem corruptos do mesmo saco, tem posturas e posicionamentos diferentes quando a maneira de governar e é isso que pesa na hora hora de votar. há uma ídeia errada de se comparar confrontando o que uma administração fez de bom com o que a outra fez de ruim, tipo PSDB nos deu a estabilidade e o PT o mensalão, ou o PT nos deu melhor distribuição de renda e o PSDB as falcatruas no processo de privatização (um de cada para ninguem achar ruim). Está errado, temos que comparar bom com bom e ruim com ruim, fica mais claro.

      Agora sobre a punição de Dilma, não confunda punição com pena.

      Direto do Houaiss:
      Acepções
      ■ substantivo feminino
      ato ou efeito de punir
      1 qualquer forma de castigo que se impõe a alguém, ger. uma criança, por falta cometida
      Ex.: p. demasiado severa não educa
      2 pena determinada por um juiz a quem cometeu um crime
      Ex.: o juiz pode determinar como p. sentenças alternativas
      3 Derivação: sentido figurado.
      algo penoso ou desagradável que alguém é obrigado a suportar
      Ex.: ir às compras com a esposa é uma p. para ele

      Se qualquer pessoa comete falha grave no exercício do trabalho, a punição é a demissão. Se a pessoa comete crime no trabalho, ela é demitida e responde processo. Quem demite é o chefe, no caso Dilma, quem processa é a promotoria, o Ministério publico ou outro orgão responsável.
      Se você matar 30 pessoas, e por acaso for no teu trabalho, não é teu chefe que vai te por na cadeia, mas é ele que vai te demitir.
      Entendeu agora?

      Excluir
  4. Bob, você não é o único que notou!
    E esse problema dos bancos não se restringe aos microônibus, não!
    É de micro a articulado, pois todos usam o mesmo modelo de assento.
    Ultimamente, tenho preferido sentar ao lado de mulheres, não só por uma questão de preferência, mas por causa de seus ombros estreitos. E também pelo mesmo motivo tenho evitado sentar ao lado da janela.
    E o problema não fica só nisso!
    Não existe padrão para a distância entre bancos, num mesmo veículo, tanto pode faltar espaço para as pernas como pode sobrar!
    Sem falar que o espaço para se andar dentro do ônibus também é estreito, é uma luta para se chegar até as portas quando está cheio de gente em pé.
    Não há ergonomia alguma nesses veículos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E muito se engana quem pensa que por terem proibido os bancos de fibra-de-vidro o conforto aumentou.
      Há bancos com a espuma tão dura que ela não se deforma quando se senta neles!

      Excluir
    2. A respeito dessa hipocrisia sobre o cinto de segurança.
      O ônibus é o veículo onde sinto mais falta do cinto!
      Porque eu não consigo ficar parado no banco!
      Sou jogado pra frente e pros lados, tenho de me segurar nas curvas, me puxar na direção contrária para não ser jogado em cima das pessoas ou pra fora do banco.
      Sentado é assim, piorou em pé.
      Fica a dica, para sua segurança, agarre-se aos estribos com as duas mãos.
      O transporte de pessoas em pé tem de ser proibido!

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio27/03/12 00:10

      Vocês estão reclamando de barriga cheia: quando era governador, o Maluf teve uma "idéia genial" para resolver o problema da lotação dos ônibus: ônibus sem bancos.
      Ainda bem que não passou.

      Excluir
    4. Lorenzo, talvez você estivesse no ponto errado.

      Excluir
  5. Aléssio Marinho26/03/12 12:34

    O que falta e planejamento. Metrô e trem só funcionam corretamente se integrados aos ônibus. Este pode te deixar na porta de casa.
    Vc reclama de SP. Aqui em Belém o transporte coletivo é um verdadeiro caos. O município começou uma obra visivelmente eleitoreira, implantando um sistema de canaleta exclusiva para ônibus.
    Até ai tudo bem, mas as pessoas os municipios vizinhos não terão como integrar-se direto ao BRT.
    Existe o mesmo projeto projeto idealizado pelo governo do estado integrando as cidades da região metropolitana e esse da prefeitura é parte dele.
    O prefeito começou a obra na marra, sem nem discutir a mobilidade com os outros municípios nem o estado.
    Os usuários que se lasquem pra chegar ao trabalho. O que vale e ganhar a eleição.

    ResponderExcluir
  6. Sofremos com vários tipos de demasia no nosso amado Brasil:
    Excesso de :
    Políticos Incompetentes e Desonestos
    Empresariado conluniado as malvadezas do poder público
    Empresários gananciosos e que agem com desprezo a seus clientes
    Corrupcao e ladroagem enraizadas em nosso dia a dia
    Espertalhoes e Sem vergonhas generalizados
    Falta de cultura e informacao de nosso sofrido cidadao
    Falta de Vergonha na Cara

    Estou farto !

    ResponderExcluir
  7. O maior problema de SP é q lá tem gente demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio26/03/12 20:49

      É verdade, o paulistano acha que o único lugar do mundo onde é possível se viver é a Cidade de São Paulo. É uma espécie de "histeria coletiva", como naqueles filmes dos anos 60.
      São Paulo deveria ser toda cercada com grades e arame farpado e transformada num imenso hospício, onde todos os médicos, enfermeiras, prestadores de serviços etc. são os próprios loucos.
      Graças a Deus caí fora dessa cidade; melhor coisa que poderia ter feito na vida.

      Excluir
    2. Ué, o paulistano viver em sua cidade natal é natural. O problema é o Brasil inteiro achar que só dá pra viver em São Paulo.

      Excluir
    3. Caramba Bob, o Paulo Roberto mandou uma indireta para ti que é carioca.

      Excluir
    4. Só um boçal como você para pensar isso.

      Excluir
  8. Eu ainda acho que deveríamos juntar todo mundo e fugir pro Uruguay e lá fundar um Novo Brasil. Nem reformatando esse HD tem jeito...

    ResponderExcluir
  9. Bob, em Santiago do Chile, nos domingos, eles abrem as avenidas centrais para os ciclistas e esportistas em geral....é uma verdadeira festa (inclusive com palcos móveis para divertimento das crianças); é outro mundo em relação o respeito e o bem estar que os moradores de lá usufruem.

    E por que? muito, mas muito mesmo pela administração séria dos metrôs que são bárbaros; totalmente intuitivo até para estrangeiros.

    Um belo exemplo de cidade grande!

    MFF

    ResponderExcluir
  10. Há um tempo atrás, o Bob disse que não existe excesso de carros, que o problema são os semáforos e carros quebrados. E quando se trata de gente, o pensamento é contrário por quê?

    João Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você ler o texto atentamente, verá que o pensamento é o mesmo. O título foi uma paródia desse tipo de ideia.

      Excluir
  11. Ferreirafp26/03/12 13:45

    Bob,

    você escreveu: "Então só pode dar no que deu, São Paulo com 11 milhões de habitantes e a região da Grande São Paulo, passando de vinte milhões. E problemas de toda ordem acompanham esta explosão demográfica, evitável com um pouco de planejamento e bom senso" Agora pergunto: Como, legalmente, com o planejamento e bom senso, podemos impedir o direito básico de qualquer cidadão que é o de IR E VIR e se estabelecer em qualquer lugar que bem entender? Digo que é praticamente impossível estancar a explosão demográfica dos grandes centros por mais que se tenha políticas de interiorização. Historicamente as pessoas tendem a se aglomerar nos grandes centros e sempre será assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. as elites impedem na prática o direito das pessoas morarem em áreas centrais mantendo seus imóveis ociosos com preços artificialmente altos. O centro da cidade está repleto de imóveis vazios cujos donos se recusam a transformar em habitação popular. É preciso acabar com este tipo de especulação: se mais gente morasse perto do trabalho, menos problemas de trânsito haveria.

      Excluir
    2. Ferreirafp
      a questão não seria impedir as pessoas, cercear o sagrado direito de ir e vir, e sim desestimulá-las.

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio26/03/12 21:21

      Anônimo das 11:48 AM, se houvesse uma "revolução comunista" no centro e a população pobre tomasse todos esses imóveis, não faria diferença nenhuma. Você já viu o tamanho da periferia paulistana?
      O grande problema é o inchaço da cidade, e a idéia de que nela existe o trabalho que inexiste em outras regiões; as pessoas fazem de tudo para vir morar aqui e ter o seu DVD, a sua televisão de LED e o seu Gatonet, e acham que estão melhor que no lugar de onde vieram.
      A cidade de SP deveria é ser DESMEMBRADA em unidades menores, autônomas, e só o centro da cidade deveria manter o nome. Infelizmente, porém, os políticos não abrem mão dessa centralização e do poder advindo dela, evocado pelo cargo de "Prefeito de São Paulo".

      Excluir
    4. hehehehe... eu dou risada com comentários desse tipo. Quer dizer que o bom é morar no centro, em prédios desapropriados e próximo do trabalho? Você sabe dizer quantos imóveis existem nessas condições? E qual a demanda? E quem paga a conta da desapropriação e benfeitorias necessárias para torná-lo habitável? E depois de pronto, quanto isso irá custar para os cofres públicos já que que a moradia terá de ser subsidiada uma vez que o sujeito que vai morar lá não tem um puto para pagar por taxas e serviços? Acho que muita gente nem vai levar a sério a idéia já que muitos nem trabalham nas regiões centrais e vivem melhor que você nos bairros e favelas em que moram. Já entrou na favela Helíópolis? Viu algumas das casas que tem lá. E não pagam um tostão pro município, se bobear até água e energia tungam. TV a cabo é certeza que não pagam. Sai pra lá, mané!

      Excluir
    5. anônimo das 10h54: você prefere continuar morando, então, em uma cidade em que é impossível circular, pois as pessoas mais pobres continuam sendo obrigadas a morar cada vez mais longe?

      se os autoentusiastas continuarem com este elitismo anacrônico, então, por obséquio, PAREM de reclamar dos problemas de trânsito. Mobilidade é problemática em São Paulo apenas por conta de nossa cultura elitista e segregacionista.

      Excluir
    6. Anônimo das 7:00: E qual é a sua ideia? Quem vai morar na periferia? Os ricos? Que eu saiba, quem tem mais condições tem as melhores coisas em qualquer lugar do mundo, incluindo nos países ditos socialistas (não sei se restou algum realmente socialista). Se você me disser que há corrupção, desmandos etc. e que isso prejudica os mais pobres, concordo. Fora isso, o quê?

      Excluir
    7. Então você prefere manter as áreas centrais repletas de imóveis vazios, nos quais as elites não querem viver?

      Já ouviu falar em função social da propriedade privada? Leia o artigo 182 da Constituição Federal.

      Excluir
    8. Nilton Lopes28/03/12 11:58

      Acho preocupante o comentário sobre o custo de desapropriações, benfeitorias em prédios desocupados no centro serem subsidiados para pessoas que "não tem um puto" saírem dos cofres públicos e isso ser ruim, isso é coisa de quem não quer dividir, de quem só pensa em si e esquece que quem governa tem que governar para todos e esse pensamento é o que ferra com tudo, é o que cria o marginalizado, o favelado, o assaltante, o mendigo, as crianças do semáforo.
      Afinal, qual é o papel do governo? Governo não é empresa, governo não é banco. Não tem que acumular riqueza, governo bom é aquele que gasta bem em prol da população, justamente se o cara não "tem um puto" o papel do governo é subsidiar (que é diferente de dar, não confunda!). Como sujeito acha que se resolve o problema da distribuição de renda? Pegando o imposto de quem tem para ajudar, subsidiar fazer por quem não tem! Aí ocupando o centro, fica mais fácil para quem não tem um puto arrumar emprego. Fica mais fácil para quem não tem um puto ir ao trabalho sem acordar 4 horas antes, rendendo melhor no trabalho. Fazendo quem não tem um puto chegar mais cedo em casa, ganhando tempo para cuidar melhor dos filhos e estes não ficarem soltos no mundão. Fazendo o centro um lugar melhor ocupado e por consequência mais seguro pois seria mais vigiado, a perifa é longe dos olhos de quem cobra melhor o governo. Fazendo eu pagar uma condução a menos para quem eu emprego (Olha! Até eu ganho!). Fazendo diminuir o numero de favelas. Fazendo quem mora onde não chega água e esgoto não ver seus filhos doentes por falta de saneamento, desonerando a saúde pública.
      Eu escrevi "custo" no primeiro paragrafo? Leia investimento por favor, e dos bons, pois nessa todo mundo ganha.

      Excluir
    9. Nilton Lopes28/03/12 12:05

      Ah, faltou o principal! O Assunto é transito, então vá lá. Mais gente morando no centro melhora e muito o transito e a oferta de transporte público, são menos deslocamentos longos e menos deslocamentos no mesmo sentido. ´
      E só vantagem!

      Excluir
    10. Nilton Lopes

      Muito bonito seu comentário... só falta convencer os governos(todos eles) a fazerem o que você e esse outro maluco pensam ser a solução. Vão lá, vão.

      Excluir
    11. Che Guevara de araque

      Sei muito bem o que você quer dizer e, sobretudo, a leitura que faz (segundo sua ótica) do tal artigo 182 da CF. Então toma aqui o texto:

      "Art. 182. A política de desenvolvimento urbano, executada pelo poder público municipal, conforme diretrizes gerais fixadas em lei, tem por objetivo ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e garantir o bem-estar de seus habitantes.
      § 1º O plano diretor, aprovado pela Câmara Municipal, obrigatório para cidades com mais de vinte mil habitantes, é o instrumento básico da política de desenvolvimento e de expansão urbana.
      § 2º A propriedade urbana cumpre sua função social quando atende às exigências fundamentais de ordenação da cidade expressas no plano diretor.
      § 3º As desapropriações de imóveis urbanos serão feitas com prévia e justa indenização em dinheiro.
      § 4º É facultado ao poder público municipal, mediante lei específica para área incluída no plano diretor, exigir, nos termos da lei federal, do proprietário do solo urbano não edificado, subutilizado ou não utilizado que promova seu adequado aproveitamento, sob pena, sucessivamente, de:
      I - parcelamento ou edificação compulsórios;
      II - imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana progressivo no tempo;
      III - desapropriação com pagamento mediante títulos da dívida pública de emissão previamente aprovada pelo Senado Federal, com prazo de resgate de até dez anos, em parcelas anuais, iguais e sucessivas, assegurados o valor real da indenização e os juros legais."

      A lei é bem clara no tocante ao ponto por você abordado, pois, então, que se cumpra. Mas ela é só um "pouquinho" diferente do que você entende por "função social" não dando margem a devaneios bolivarianos.

      Excluir
    12. a questão é simples, não existem "devaneios bolivarianos" aqui: há milhares de imóveis OCIOSOS nas áreas centrais e pericentrais (ou seja, imóveis que DESCUMPREM o artigo 182 da CF). É preciso fazer tais imóveis cumprir sua função social.

      Enquanto eles estiverem vazios, só contribuem para periferização e, portanto, para o agravamento da problemática do trânsito. Mais gente morando em áreas centrais significa mais qualidade de vida e menos deslocamentos. Nossas burrinhas elites preferem, no entanto, que os pobres morem cada vez mais longe…

      Excluir
    13. Então o problema é com a justiça e não com os donos desses imóveis, certo? Faça o seguinte, já que acredita tanto assim na sua causa. Vá ao Ministério Público e faça a denúncia. Faça-os acreditar que a CF está sendo jogada no lixo. Aconselho-o a arrumar um bom advogado para auxiliá-lo na causa já que você será questionado em diversos aspectos. Te dou um conselho: antes de mais nada, faça um levantamento de todos os imóveis existentes e que atendam à nessas condições. Primeiro, para saber o impacto positivo (se é que terá) da medida; segundo, para saber com quem você estará lidando (quem são os donos?). A briga vai ser das boas.

      Excluir
    14. Amigão anônimo, a sua discussão é capitalismo x socialismo, não trânsito. Mas, para responder a sua pergunta, prefiro viver em um país em que o governo cumpra sua função social combatendo a corrupção e a acumulação de capital possibilitando que mais pessoas tenham acesso a bens por esforço próprio, como é nos países desenvolvidos.

      Excluir
    15. Nilton Lopes29/03/12 13:05

      Amigo Anônimo Mar 28, 2012 09:41 AM.
      Antes de convencer governo há de se convencer eleitor de qual é o papel do governo e é simples, dar de volta o que é arrecadado em prol do bem comum e principalmente para quem não tem.
      Depois é preciso parar de pensar como você, de desistir antes de começar. Ninguem tem que convencer político, não somos nós que criamos programas e promessas de governo para "convencer" os políticos a fazer o que queremos, esse papel é deles, e alias do que fazem parte do legislativo e desses ninguém lembra. Quem reclama que todo político é ruim votou em quem? Vote nos bons para senadores, deputados federais, estaduais e vereadores alinhados com o que você acha certo, acompanha o trabalho, se não cumprir troque. Os legisladores são tão ou mais importantes do que o executivo, são eles que aprovam ou barram ideias, projetos. Prefeitos, governadores e presidentes dependem deles.
      Ou se o meu discurso é só bonito, apresente o seu, ou a sua é só cornetar sentado na cadeira sem agregar ideia? O que se fazer para melhorar o transito e os deslocamentos humanos em São Paulo?

      Excluir
    16. Nilton Lopes
      O Paulo Roberto já disse tudo. Falar mais é chover no molhado.

      Excluir
  12. Bob, por que você não usou uma foto da China?
    Será por que hoje a China é lembrada por seus carros baratos?
    Andar de bicicleta é tão bom que a chinesada não pensou duas vezes em trocá-las por carros...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ferreirafp26/03/12 13:51

      Uber, não esqueça que a chinesada sofreu e vem sofrendo séculos de repressão e que a explosão de crescimento propicia compra de carros e etc somente nos grandes centros chineses, no resto, a vida é uma miséria sem fim. Assim como na north korea and cuba.

      Excluir
  13. O pior é que nem escolha temos mais.
    Qual é a diferença em votar no Fulano, no Beltrano ou no Sicrano? NENHUMA! Porque nenhum deles presta.
    Qual a diferença em votar no partido A, B, ou C? NENHUMA! Porque nenhum deles presta.
    Então, meus caros, nós estamos enrascados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Célio, o seu problema é esperar demais de onde nunca veio nada: Política é um meio que maníacos com ilusões de poder acharam para ficar longe dos manicômios, que são seu lugar de direito. Quem cuida da cidade e evita que a porra toda vá à merda é, sempre foi e sampre será o cidadão, não o político.

      Excluir
    2. Célio e brauliostafora, concordo totalmente. Assino embaixo dos posts de vcs.

      Excluir
  14. Estávamos em Miami neste final de semana eu e alguns amigos e comentávamos justamente sobre isso: como são chatos estes ativistas; querem espaço para pedalar nas cidades diariamente, espaço para seus ridículos meios de transporte motorizados (automóveis tenho eu em minha garagem, pobre tem meio de transporte motorizado). Ora, vai se deslocar pela cidade, ir ao trabalho, adquira um helicóptero. Precisa ir a Miami aproveitar o final de semana, compre um avião. Mas não adianta, pobre é uma droga, só pensa em bicicleta e em carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zé da Silva26/03/12 22:10

      Pobre é fogo mesmo, não aprende! Enquanto você estava aí em Miami com seus amigos, aquele jardineiro que você tinha contratado para cuidar de suas orquídeas estava ensinando como plantar mandioca para sua esposa aqui no Brasil...

      Excluir
    2. Proletário: minha esposa estava comigo.
      Volte para a sua bicicleta verme.

      Excluir
    3. Zé da Silva28/03/12 20:31

      O jardineiro confirmou que ela estava aqui. Eu acredito mais na palavra dele que na sua...

      Mas não fique tão bravo. Ela estava em boas mãos!

      E enquanto isso, você com seus amiguinhos em Miami, todos de polo Lacoste e moletons no pescoço, discutindo como será a próxima parada gay em São Francisco.

      Excluir
  15. Tá, tem gente demais no mundo. Quando passou dos 4,5 bilhões de pessoas, a Terra já não aguentava repor os recursos no mesmo ritimo em que eram consumidos, e estamos rumando firmes e fortes para 9 bilhões com epidemia global de obesidade (parece que não tem nada a ver, mas pense que alem de ter mais pessoas do que o planeta aguenta sustentar, cada pessoa está consumindo muito mais do que precisaria para viver bem). Uma hora tinha que dar algum problema, mesmo!
    E nem é a questão de poluição, que é séria, mas local (em nível global a poluição causada pela humanidade é um fator menor do que se imagina), temos problemas de esgotamento de solo com seu uso intensivo, de fornecimento de água, mas principalmente, de falta de espaço. Na região já estão vendendo terreno de 500 m2 como se fosse chácara!
    Tudo isso eu consigo entender. Agora, quanto mesmo que o cliente de uma empresa aérea paga para viajar de pé, espremido, em condições que não se aceita nem para levar gado para o abate? Não dava para arranjar uma van e distribuir os passageiros?

    ResponderExcluir
  16. excesso de gente em São Paulo é MITO. Isto é apenas uma tentativa das elites justificarem sua xenofobia com os migrantes.

    Repito: excesso de gente em São Paulo é LENDA. Explico: a densidade demográfica no município é BAIXÍSSIMA. Na metrópole, é menor ainda. São 11 milhões de pessoas em um município de 1500 km2 (ou seja, cerca de 73 habitantes por hectare, enquanto uma cidade muito mais saudável como Barcelona apresenta cerca de 300 hab/ha, MUITO mais adensada que São Paulo).

    O que acontece em São Paulo é a burrice segregacionista das elites: joga os pobres para as periferias distantes (como nas áreas de mananciais, onde está a água que bebemos) e mantém milhares de edifícios VAZIOS no centro da cidade.

    É preciso multiplicar a rede de transporte estrutural (trem/metrô) e EXPROPRIAR os imóveis ociosos no centro. Só assim a elite aprende.

    Enquanto isto, a gente morre em congestionamentos causados por gente obrigada a morar longe do trabalho.

    Mais uma vez: densidade de 73 hab/ha é NADA. Excesso de gente é MITO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que este post ninguém vai comentar. Depois dessa não há mais o que argumentar. Boa.

      Excluir
    2. O Brasil é um país de baixa densidade demográfica. A Alemanha é menor que Minas Gerais, tem cerca da metade da população do Brasil e é praticamente uma roça.

      Mas a Alemanha tem só 3 cidades com mais de 1 milhão de habitantes (Hamburg, Berlin e München).

      Isso é uma coisa muito antiga. As cidades mais novas, mesmo as menores, tem 1000 anos de história. Mas que foi mantida por causa das facilidades de transporte: Autobahnen e trens. Graças as Autobahn, uma viagem entre Campinas e São Paulo seria feita em pouco mais de meia hora. E ao lado de uma Autobahn tem sempre uma linha de trem, que também viaja rápido.

      Por isso que os "ricos" moram no centro e não na periferia. Pois as vias de transporte da periferia para o centro são péssimas. Colocar culpa na "luta de classes" é inútil para entender o real problema.

      Sim, na Alemanha o quilometragem e a quantidade de carros é maior do que no Brasil, mesmo sendo menor que Minas Gerais...

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio26/03/12 20:58

      Alta ou baixa densidade populacional é avaliada com base na existência de serviços públicos. São Paulo não os tem; logo, a densidade é alta.
      Além disso, a especulação imobiliária MANDA na cidade - nosso ilustre alcaíde chegou a ser cassado por ser testa de ferro do SECOVI - de modo que o adensamento continua, e a infra-estrutura de transportes, que já não existe, continua praticamente estancada.
      Enquanto tivermos políticos corruptos e uma população que acha que São Paulo tem que ser meramente uma cidade para se fazer dinheiro até a última gota, isso não mudará.

      Excluir
    4. Legal seu pensamento, mas não acho que seja o caso de elite x não elite. O caso é o crescimento desordenado que inchou determinadas regiões e deixou outras sem desenvolvimento.

      Excluir
    5. "crescimento desordenado" é outro mito. O que mais houve no município foram planos (diretores, de transporte, estratégicos, etc). Em 1968 houve o PUB, em 1972 foi o PDDI, logo depois a lei de zoneamento (1974), além das revisões ao plano diretor do Jânio e da Erundina, das Operações Urbanas do Maluf e do novo Plano Diretor Estratégico e da nova lei de zoneamento da Marta (2002–2004). Fora o Pitu 2020 e o Pitu 2025, assim como os inúteis planos metropolitanos de desenvolvimento integrado, revisados uma vez por década.

      Ou seja: é mito dizer que a cidade cresceu "sem planejamento". Os planos foram implementados apenas onde interessava: nos bairros de moradia e circulação das elites. O resto da cidade seguiu a lógica do mercado: se interessa para o mercado, os pobres caem fora e são obrigados a irem morar cada vez mais longe.

      Não há política de mobilidade que resista a esta concepção elitista de cidade. O que a gente precisa é acabar com os privilégios das elites: todos os problemas de trânsito resolver-se-iam rapidamente assim.

      Excluir
    6. Ué, mas todas as cidades não são assim? Com a fantástica migração dos anos 70 e 80, o inchaço da periferia foi certo. Agora também estamos 'importando' desprovidos de outros países. É muito difícil São Paulo abrigar tanta gente de tantos lugares. Ter emprego, transporte, moradia para o Brasil todo. É claro que muito desses problemas se deve à má administração, corrupção etc. Acho que com as diversas mudanças propostas poderíamos melhorar as coisas, mas até que ponto? Se continuar vindo gente, não sei não...

      Excluir
    7. paulo roberto, acho que você não entendeu. Perto da densidade demográfica de cidades como Barcelona (muito mais saudáveis que São Paulo), São Paulo tem POUCA gente. O problema é que o processo de segregação urbana faz com que elas sejam obrigadas a morar longe. A única solução é transformar os bairros centrais e pericentrais em grandes espaços populares.

      "Inchaço" urbano é MITO. Isto só serve pra tentar justificar a xenofobia típica das elites paulistanas. Uma população de 11 milhões em um município de 1500km2 é NADA. 72 pessoas por hectare é quase um deserto.

      Excluir
    8. Mito é achar que São Paulo deve ter tanta concentração quanto Barcelona, que não tem nem perto de 11 milhões de pessoas, se simancol for xenofobia então SP inteira é xenófoba porque sabe que aqui já tem gente demais. Elite que é elite quer mesmo é mais gente de todo lugar, afinal ganham com isso.

      Mito tb é achar que temos que seguir os modelos dessas cidades em um lugar COMPLETAMENTE diferente como o Brasil, onde o espaço é maior e o número de habitantes nas grandes cidades também. Mito é achar que em Barcelona não existe uma grande quantidade de pessoas que moram longe do trabalho e que pagam CARÍSSIMO para morar no centro.

      Ainda bem que SP tem concentração menor de gente, não tem habitação "popular e não xenofoba" no centro que ia aguentar a concentração de Londres em SP e muito menos ia ser barato ou fácil morar numa dessas "habitações populares"

      Excluir
    9. em outras palavras: você prefere o espraiamento e a tendência de expulsar os pobres para regiões cada vez mais distantes, nas quais o provimento de infraestrutura (transporte, inclusive) fica cada vez mais cara…

      Excluir
    10. Que mania de colocar palavras na boca dos outros, por isso que vcs engajados mesmo falando educadamente não passam de uns babacas mentindo e apoiando uma coisa pra esconder outra

      Não disse que prefiro nada disso, VC QUE É O PRECONCEITUOSO SEGREGACIONISTA AQUI por achar que apenas por te dizer o que acontece defendo a expulsão de pobres e o espraiamento

      Vc sabia que Barcelona tem muitas periferias e espraiamento DE PROPÓSITO?

      Prefiro que SP tome outros caminhos com as pessoas que ela já tem e que não caia em loucuras como achar que alguns imóveis no centro vão resolver todos os problemas da cidade e ainda comportar mais milhões de pessoas, o espraiamento deveria acontecer DESENVOLVENDO CIDADES que sejam menos dependentes de SP e que formem PERIFERIAS COM QUALIDADE COMO FAZ SUA QUERIDA BARCELONA

      Achar que vai caber todo mundo em poucas grandes cidades é um mito e também é mito achar que todo mundo quer viver pagando os altos custos que essas cidades tem, fazendo loucuras para isso como encher o centro de SP com milhões de pessoas em cubículos, tudo para fingir que todo mundo é igual e se iludir achando que vai ser algo popular, vai comprar uma casa no centro de Londres para ver se é popular

      Excluir
    11. Sabe o mais curioso nessa discussão? É o exemplo dado para tentar provar uma tese um tanto duvidosa: Barcelona.
      Não conheço cidade mais xenófoba do que essa e sei do que falo pois conheço a Espanha de cabo a rabo (minha família é toda de lá). Povo arrogante, extremamente bairrista e que se recusa até a falar o idioma oficial do país fora o viés separatista.

      Excluir
    12. Anônimo das 4:49 e esses engajados ainda ficam usando exemplos como esses para combaterem o nosso "xenofobismo", é muita babaquice mesmo

      Excluir
    13. anônimo 29/03, 9:34
      Quem banca o babaca é você que não entende o que lê. Eu sou o anônimo das 4:49 que você coloca no mesmo balaio desse outro (ou outros). O meu comentário lá é apenas uma ironia em relação ao exemplo dado para alimentar uma tese furada. Não sou da turma dele e, creio, também não, da sua. Passe bem.
      CL

      Excluir
    14. CL

      Estava chamando de babaca o anonimo babaca que estava dando os exemplos de Barcelona e não você que estava concordando comigo

      Excluir
    15. Então, minhas desculpas.
      CL

      Excluir
  17. O fato de não ter metro ou trem interligado aos aeroportos soa como cartel de taxistas.

    ResponderExcluir
  18. http://allanpatrick.wordpress.com/2010/03/28/dirigir-para-trabalhar/

    ResponderExcluir
  19. Nas raras ocasiões em que confio a minha vida a um motorista de ônibus rodoviário, viajo com o cinto afivelado durante toda a viagem, e geralmente consigo evitar de ir ao banheiro.

    Chuto que mais de 90% dos acidentes de ônibus as fatalidades acontecem pela falta do uso do cinto. A vista grossa dos motoristas/funcionários da empresa.

    Pensem comigo: você está na poltrona 40, lá no fundo do ônibus. Em uma emergência o motorista tenta desviar e o ônibus sai da pista e acaba com o bico a uns 5m abaixo da pista, em um "banhado" marginal. Pra quem está no fundo é uma queda de até nove metros com muitos bancos pelo caminho. E ainda há os tombamentos, capotamentos etc.

    Muitas mortes poderiam ser evitadas com a exigência do cinto de segurança.

    ResponderExcluir
  20. Rafael Bruno26/03/12 16:18

    Pego metrô e ônibus todo dia para vir trabalhar. No ônibus, tenho que ficar em pé, pois não caibo na poltrona (tenho 1.90). No metrô é guerra para conseguir entrar. Na volta pra casa a mesma ladainha. Quando raramente venho de carro (moro na vl mariana, trabalho na av. paulista), vou até mais feliz trabalhar pois ninguém me empurra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu falo: felicidade de pobre dura pouco. A sua é de casa ao trabalho.

      Excluir
  21. Rafael
    Vou vender para voce um Romi-Iseta que acabei de restaurar.
    Seu metro e noventa vai ficar bem acomodado nesse espacoso carrinho.
    Saudacoes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se for como uma que vi na televisão, com motor de 7-galo, eu compro numa boa.
      CL

      Excluir
    2. Põe o preço e fala onde está que eu busco!

      Excluir
  22. Bob, apenas uma ressalva ao texto: a restrição à construção de prédios não é boa solução urbanística, pelo contrário. Um prédio, ao abrigar várias famílias num mesmo terreno, acaba justamente evitando o deslocamento de muitas pessoas que morariam em áreas dispersas.
    Mas claro, essa minha afirmação é verdadeira somente se considerarmos duas premissas: que os edifícios sejam construídos próximos ou dentro dos bairros em que está a maior quantidade de empregos (o centro, por exemplo), e que um novo edifício sirva para aglutinar pessoas que já moram em bairros distantes de SP, e não para atrair novos moradores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As premissas é que são o problema...

      Excluir
  23. Lorenzo Frigerio26/03/12 21:09

    No começo dos anos 70, o Prefeito Figueiredo Ferraz deu à cidade o seu primeiro Plano Diretor. O Plano continha, entre outras coisas, a implementação de vias expressas, as quais jamais foram construídas. Figueiredo Ferraz foi demitido por ciúmes do então Governador Laudo Natel. Desde então, o número de carros na cidade deve ter decuplicado, e nada se fez além de medidas pontuais; um tunelzinho aqui, um viaduto ali, todos da pior qualidade possível.
    O Metrô é uma piada. Além de ter pouco mais de 60 km de linhas, uma cidade com essa densidade exige um metrô de linhas duplas - expressa e local - em cada sentido, como Nova York. No entanto, foram construídas linhas simples que já estão no limite da capacidade e vivem dando problemas.
    A razão por trás de tudo é a mentalidade meio "portuga" do brasileiro, de subdimensionar tudo, para gastar menos dinheiro. As consequências estão aí para todos verem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meio portuga, não. Totalmente. Herança da colonização. Não levar o Brasil a sério.

      Excluir
  24. Lorenzo Frigerio26/03/12 21:39

    E finalmente: o Aeroporto de Congonhas deveria ser DESATIVADO. Aquela área seria incomparavelmente mais útil ao munícipe como parque, do que como conveniência para quem deseja pegar um avião uma vez ou outra, o que tem significado uma catástrofe ambiental para todos aqueles que moram na região.
    É necessário construir um aeroporto novo, fora da cidade e plenamente integrado a ela por linhas de metrô e trem de ampla capacidade, e uma via expressa com trevos de acesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o tráfego aéreo poderia diminuir muito com linhas de trem-bala São Paulo-Rio de Janeiro, São Paulo-Campinas e São Paulo-Curitiba

      (Rio de Janeiro, Campinas e Curitiba foram escolhidas por serem as metrópoles mais próximas de São Paulo, logo a construção do trem-bala ficaria mais plausível).

      Excluir
  25. Nem me fale disso Bob, a cidade já não tem estrutura para movimentar tanta gente decentemente, como disse o nosso saudoso Governador "Picole de Chuchu"... "O Povo prefere andar apertado no metrô pra chegar mais cedo em casa"... Ora pois, eu só tô me lascando nessa de ir e voltar pra casa... e lá se vão 4h do meu dia que eu poderia estar aproveitando estudando...

    ResponderExcluir
  26. O tal do humano precisa é parar de fazer filho. Maldito foi o dia que um infeliz rabiscou a sandice de crescer e multiplicar.

    Guilherme Costa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa! Esterilização obrigatória para quem mora em cidade com mais que 5 milhões de habitantes, já!

      Excluir
    2. Será ensurdecedor! Tudo Stereo.

      Excluir
    3. Um controle familiar como o chinês é necessário em nações mais pobres. A China fez isso e o chinês hoje vive muito melhor que há dez anos atrás, e daqui a trinta anos vai viver tão bem quanto um inglês. Porém, se os chineses fizessem filhos como os indianos, nada disso seria possível, e o país seria inabitável.

      Excluir
    4. Exatamente. Eu mesmo sou a favor de um rígido sistema de controle populacional no Brasil. Parece que as mulheres não se cansam de ter tantos filhos. Acredito que uma média brasileira de 0,3 filho por mulher seria o ideal.

      Excluir
  27. Prezado Bob, voltando lá atrás no teu texto. Nós , cidadãos, para o governo somos "contribuintes", para as empresas que exploram alguma concessão somos "clientes", E pasme com o que escutei de jovens médicos residentes em hospitais de meu estado : atualmente existe uma instrução para que se chame todos os pacientes (em espera ou em desespero!) de "clientes".

    ResponderExcluir
  28. Leio as mazelas, mas nada é absoluto, sempre tem coisa pior. Moro na Granja Vianna, uso a Raposo Tavares que virou o maior estacionamento do país. Meu escritório fica no Alto de Pinheiros a 12 km, a pé se chega mais rápido. vou bem pouco e em horários mais amenos.
    No entanto, o Metrô nos apresentou um projeto de Monorail até que razoável, iria minorar bastante e nem custaria tão caro.
    No entanto, o próprio Metrô e a Secretaria dos Trasnportes foram claríssimos, não colocaram verba orçamentária alguma para a obra. Vieram pedir para que nós fizéssemos gestões para que fosse feita uma PPP com alguma empreiteira para que implantasse a obra. É brincadeira? O que nós simples moradores podemos fazer? Isso é atribuição do governo, ele que tem o poder concedente.
    O mais absurdo é o Governo de Estado ignorar solenemente a Raposo Tavares, a única estrada do mundo que termina em um muro na Francisco Morato.
    Isso demonstra o nível de qualidade do planejamento do Governo do Estado mais rico da nação, ignora completamente uma das principais rodovias avenidas de São Paulo e quando lembra é para nos dar trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um adendo, a maioria dos carros trafega com apenas uma pessoa, será que não há um iluminado no DER que mande comprar umas latas de cal e pinte a faixa da esquerda como privativa de carros com 2 ou mais ocupantes? Custaria uma merreca e já vai educando as pessoas a andarem no mesmo carro.
      Todos os dias pelo menos 3 motoboys deixam de fumar para sempre. Fora o que enchem o saco de todo mundo. Não custaria nada ao DER pegar apenas 1 metro da rodovia e fazer uma faixa exclusiva de motos. De novo seriam algumas latas de cal. O problema não é apenas técnico, é de incompetência, desconhecimento e má vontade das estruturas do Governo do Estado.
      O Governo do Estado é como aquela história, de onde não se espera que saia nada é que não sai nada mesmo. Bando de néscios.

      Excluir
    2. pintar a sua cabeça com cal...

      Excluir
    3. Ronaldo Nazário28/03/12 16:26

      Zu!!!

      Quanto tempo!

      Menino, vocÊ está um gato heim...

      Fico sonhando com algumas aulas de direção... só nos dois, eu passando a marcha, depois vocÊ... hum que leoucura!

      Ronaldo

      Excluir
  29. O saudoso Eliziário de Porto Alegre foi quem deu início a produção dos assentos tipo Pullman no país.

    ResponderExcluir
  30. Bob, brasileiro aceita que o sistema de transporte público seja assim, então é assim que será. Quando não estiver mais dando para colocar gente dentro de um ônibus, nem se ela for pendurada pelo lado de fora, aí eles ampliam a frota.

    Falta de cinto de segurança? Isso é o de menos. A maioria dos ônibus sai com mais do que o dobro de sua capacidade.

    Já não existe mais qualidade de vida no Brasil. O que existe é um estilo de vida de show off. Quem tem mais, quem blindou o carro, quem pagou mais caro no apartamento de 80 metros quadrados, quem trouxe mais malas com roupas e eletrônicos dos EUA.

    Viver com medo, preso em muro de 3 metros, cercado igual em um presídio, não poder contar com o poder público quando se precisa, pagar um absurdo em absolutamente tudo, ganhar pouco e ainda ter que conviver com cidadãos da pior corja e um estilo de sociedade que valoriza a esperteza e não a honestidade: isso não é qualidade de vida.

    Meu carro já foi vandalizado 3 vezes, sendo que já bateram duas vezes e fugiram e eu não posso fazer nada, porque se eu corro atrás, o risco de ser assassinado é alto. A polícia não está nem aí. E quem precisou custear fui eu.

    Não vou nem comentar que minha casa já foi invadida 3 vezes e não adianta por alarme, cerca elétrica, sistema de segurança informatizado, nada disso impede bandido.

    Sem contar a falta de educação desse povo, que é o que menos tolero.

    Mas nada disso importa, né? Afinal, já passamos a Inglaterra e a Copa está chegando...

    Por isso eu estou caindo fora.

    ResponderExcluir
  31. Pobre anda de ônibus cheio e ainda tira foto.

    ResponderExcluir
  32. Ronaldo Nazário28/03/12 16:22

    Ai BOB, você continua amargo!!!

    Para e pensa... porque em todas as novelas da Globo há homossexuais???? Porque há imensas e insanas Paradas Gays?

    Ora, tolinho, justamente para conter a atual explosão demográfica!!!

    Os Gays não se reproduzem! Adotam! Olha o Timóteo!

    Ronaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um cara como você, acho que nem o Agnaldo adotaria...

      Excluir
  33. Controle populacional é algo que tem que ser feito logo no Brasil, e de forma radical, muito simples, Bolsa Família deixaria de ser proporcional ao número de filhos. E limitaria o número de filhos a um por mulher(salvo em casos de gêmeos), se vier a ter o segundo filho em outra gravidez, tem o filho, mas depois deveria ser obrigada a fazer laqueadura, querendo ou não.

    Quanto a idéia de prédios de no máximo 10 andares, acho melhor exigir calçadas de no mínimo 4 metros de largura e que todas as construções de mais de um andar tenham no mínimo 7 metros de distância dos limites do terreno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. douglas, por favor, volte para a berlim de 1940 de onde você saiu

      este tipo de política eugenista e fascista que é típica das elites paulistas não interessa a ninguém razoavelmente lúcido

      Excluir
  34. JONES to CARTER- RUSH.
    They 've all had it.
    AUTO DESTRUCT DIGITAL.
    RODOPO 1 gave away PAMENTC 2 .
    And so did the TCCSRE 10.
    It's all about EFFENSE- DOESCA- DCASEF .
    And BLACK PEGGY 96 got overdose of GREENAB - NETSO 8.
    BRESSO- SQUESSO- RESSO.
    With LIZECO.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...