Google+

27 de março de 2012

FORD, AO JEITO DE TV GLOBO

kia-forums.com


Em 13 de fevereiro publicamos o post Arma de Guerra, falando da nova versão de carro de polícia apresentado pela Ford no Salão de Chicago de 2012, realizado de 10 a 19 de fevereiro. A notícia era auspiciosa e mereceu ser divulgada aqui no AE.

Em meio a quase uma centena de comentários, um leitor que pertence ao quadro da Polícia Rodoviária Federal (pediu para não ser identicado) demonstrou interesse e entrou em contato conosco solicitando-nos informação sobre preço.

Imediatamente entrei em contato com o nosso canal de relacionamento com a fabricante no Brasil, a assessoria de imprensa, e pedi o preço do Taurus Police Interceptor. A resposta foi não ser possível obter a informação junto à matriz por depender de vários fatores específicos de licitação, inclusive os equipamentos instalados, e que o preço de um Taurus normal começa em US$ 25.000, mas que não dá para comparar com a versão policial.

Até certo ponto, compreensível, pois nem sempre esse tipo de comunicação entre matriz e filial flui como se imagina. Eu mesmo vivenciei um pouco isso quando na Fiat, na Volkswagen e na GM.

Mas achei que devia uma resposta ao leitor (e aí entrou minha curiosidade também) e escrevi ao amigo Rex Parker, que mora na Califórnia e é do meio automobilístico, na tentativa de saber o raio do preço do carro de polícia da Ford. Preço básico apenas, não interessava os preços com os mil opcionais disponíveis, normal nesses casos.

Ontem o Rex me mandou a cópia de uma troca de correspondência eletrônica entre ele e um amigo, que supostamente teria acesso a esse tipo de informação na Ford: negativo, nada de preço do Police Interceptor. Ninguém na Ford de lá estava disposto a falar sobre o assunto. Muito estranho.

Nesse mesmo e-mail foi-me revelado o preço básico de Chryslers de polícia: Charger V-6, US$ 27.000; V-8, cerca de R$ 30.000. Mas o amigo do Rex obteve a informação de que departamentos de polícia pagam cerca de US$ 50.000 por um carro dotado de equipamentos vários, mas sem armamentos.

Que diferença!

Claro que ninguém é obrigado a fornecer preços de produtos, não há lei que obrigue a isso, mas se trata de um princípio elementar de cortesia e atenção para quem tem algum interesse em saber

Isso me faz lembrar o tempo em que trabalhei na Embraer como gerente de imprensa: não podíamos fornecer preços dos aviões – isso me incomodava muito e contribuiu para que eu pedisse demissão da empresa depois de um ano e meio. Ter de dizer 'não' a jornalistas dos quatro cantos do mundo numa questão tão trivial não é exatamente a minha maneira de ser.

Tanto quanto não admitir quando a TV Globo diz, em noticiário, "alerta de bomba num shopping da zona sul de São Paulo", deixando o telespectador com cara de bobo – mas só por alguns minutos, até achar na internet a informação de qual shopping é.

BS

58 comentários:

  1. A cada dia me torno mais fã do AE!!! A dedicação para com o site e a relação com os comentaristas é de intimidade, de quem sabe o que realmente tem valor.
    Parabéns pela hombridade Bob!!!

    Jr_Jr

    ResponderExcluir
  2. Bob,Realmente a Ford ainda nao revelou publicamente os valores dos novos Interceptors(Taurus e Explorer),Porem encontrei um avaliacao estimada de precos feito por uma cidade da Carolina do Norte para repor veiculos policiais.

    De uma olhada: http://villageofmisenheimer.com/2011/08/

    ResponderExcluir
  3. Simplesmente porque nao ha um preco. Cada deparatamento de policia - que nos EUA e municipal, portanto ha milhares deles - especifica o veiculo de maneira diferente. Portanto, nao faz sentido dar um preco para um produto feito sob encomenda com especificacoes as mais variadas. Nem mesmo o preco "basico", ja que este nao existe de fato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A "obscuridade" deste tipo de informação é um prato cheio para a corrupção! O que não é exclusividade do Brasil.

      Jr_Jr

      Excluir
    2. Nos Eua existem Dept. policiais Municipais,estaduais e federal.e Obviamente existe um Preco minimo(especificacao basica) , pelo qual o fabricante deixa esse veiculo sair do patio.e, sobre esse valor e que adciona-se Opcionais,bem como acessorios e equipamentos policiais, de acordo com as especificacoes de cada Dept. de policia licitante.

      Excluir
    3. Mas Augustine
      Qual é a vanagem disso tudo?

      Excluir
    4. Velho da Bengala de Osso27/03/12 13:41

      Augustine, vc é um rapaz inteligente, no entanto perde seu tempo com bobagens.
      Sempre quer vir fazer o voto contra, mesmo quando defende o indefensável.
      Se o Bob disser que o branco é branco, vc vai vir dizer que o branco também pode ser preto.
      Mude este penteado de escovão e vá ser feliz, rapaz!

      Excluir
    5. hahahaha
      CL

      Excluir
    6. Augustine, o link que o Dudu postou logo acima, da prefeitura de Misenheimer, afirma o contrário. Existe um preço base.

      Excluir
  4. Bob,Achei tambem esse rquivo em PDF de 2007, mostrando um leilao aberto feito pelo estado de Nova Yorque,Captando precos de concessionarios e, nao direto do fabricante.Obviamente os precos sao de 5 anos atras, os veiculos policiais hoje estao algo como $5mil mais caros, porem vale como informacao somente,de como os carros sao vendidos praticamete ao mesmo preco da versao civil ,vendidos ao consumidor final, mesmo sendo essas versoes policiais mais caras de produzir.La diferentemente daqui leiloes sao para conseguir competitividade e melhores precos ,desonerando o governo nos seus investimentos.

    http://www.ogs.ny.gov/purchase/bidresults/21053br.pdf

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui fecha-se com a fábrica cujo canal de vendas diretas oferecer mais "benefícios" para o governo. Leia-se: notas fiscais superfaturadas.

      Excluir
  5. Realmente muito estranho tudo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com voce. Eu tambem nao entendi nada.

      Excluir
    2. Esses sao os misterios da vida

      Excluir
  6. A Ford sempre foi esquisita, lol...

    ResponderExcluir
  7. Lembro que uns 5 anos atrás se recebia nos semáforos, panfletos de apartamentos com os devidos preços. Hoje, depois da bolha, nem ligando te falam o preço, nem ao vivo, primeiro perguntam: Como o senhor conheceu o empreendimento (a armadilha), e não tem falam até mostrar tudo. Afinal, devem ter vergonha dos preços praticados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. E essa bolha está pra estourar, felizmente. Pena que a "bolha" automotiva só exploda com conhecimento, vergonha na cara do brasileiro e menos impostos.

      Excluir
    2. Mas a bolha Brasil em automóveis não é devido ao custo Brasil, nem aos impostos, é devido ao lucro Brasil mesmo e ao cliente Brasil.

      Excluir
    3. Não esqueça que o lucro Brasil tem o Imposto de Renda Brasil.

      Excluir
    4. Quando digo lucro, é o liquido.

      Excluir
    5. Fabio, permita-me discordar de uma coisa. Fábricas não são "bondosas" em lugar nenhum, se o lucro líquido nos Estados Unidos é menor é porque o consumidor tem melhor noção de valor.

      E, de fato, todos os meus conhecidos americanos acham um absurdo gastar mais de 500 dólares em prestação de carro, mesmo os que tem salários altos. Quando se fala de preço com os brasileiros, especialmente os que tem salários altos, logo vem comentários do tipo "é inveja sua", "quem tem dinheiro, gasta", etc. O povo brasileiro culturalmente gosta de show off.

      Só isso explica porque a Apple lançou um telefone celular de quase R$ 4 mil e tinha fila de espera para comparar.

      Excluir
  8. Obrigado pela atenção Bob. Sobre o assunto ainda, pq será as montadoras no Brasil não tem interesse neste tipo de automóvel? demanda me parece que tem, o investimento não seria alto, já que até oficina de fundo de quintal prepara veículos, não precisaria passar por processo licitatório já que não haveria produto similar no mercado. Não entendo.

    Um abraço,

    Matheus

    ResponderExcluir
  9. É ISSO AÍ BOB!!! PAU NA GROBO E NESSA MANIA DE FICAR EM CIMA DO MURO!!!

    ResponderExcluir
  10. A Globo não fala nomes comerciais para não fazer propaganda gratuíta. Tanto que chamavam a Red Bull de RBR na F1 até o Bernie Ecclestone brigar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda chamam...
      CL

      Excluir
    2. Ontem mesmo usaram o termo "RBR" no Jornal Nacional.

      Excluir
    3. Red Bull te da asas e a Rede Globo corta as nossas asas com sua tradicional desinformacao e/ou noticiário tendencioso.

      Excluir
  11. A rede Bolo ainda não "entendeu" que existe a internet. Qualquer telespectador mais atento procura na net e encontra a informação.
    Não é por acaso que sua audiência definha... É muita novela.

    Mas voltando ao assunto, a polícia carioca tem esses carros "anabolizados", eu vi eles no filme velozes e furiosos. kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Não vi Gol mil... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Me deu uma raiva do filme, porque mostra a real?

    E vocês do AE dão atenção aos comentaristas, vocês leem os comentários e os respondem, parabéns!!

    ResponderExcluir
  12. Coisas que eu aprendi na vida: O que é bonito a gente destaca e o que é feio a gente esconde.

    ResponderExcluir
  13. Bob, quando é que você vai falar do absurdo que o governo paulista quer implantar? Dê uma olhada neste link:

    http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,pedagio-por-km-rodado-multara-por-velocidade,851603,0.htm

    Como nota, estão querendo rastrear os carros que aqui rodam 24 horas por dia, sob a alegação de combater roubos (e como se ladrões não conseguissem desenvolver métodos para burlar tal fiscalização). Obviamente, querem que o contribuinte cole no para-brisa de seu carro um chip (possivelmente tendo de pagar por isso).
    Aqui em São Paulo, estão querendo abrir margem para uma indústria de multas inédita, que multaria alguém por conseguir fazer o trajeto entre os pontos A e B em menor tempo, alegando que a pessoa estaria em velocidade acima do permitido.

    Olhando-se para o mapa rodoviário do estado de São Paulo, nota-se que há muitas possibilidades de alguém conseguir cortar caminho e de fato chegar a seu destino final em tempo menor do que o que supostamente seria considerado dentro da lei. Esses pontos em que se pode cortar caminho obviamente não estão vigiados por esses radares de quilômetro em quilômetro que querem implantar sob a alegação de se evitar que a pessoa freie ao ver aviso de fiscalização eletrônica.
    Além da possibilidade de cortar caminho, não esqueçamos que em congestionamentos nas rodovias, há sempre a possibilidade perfeitamente legal de se trafegar por ruas que corram paralelas às rodovias, uma vez que ruas paralelas não são acostamento. Obviamente, quem pega esse caminho irá chegar mais rápido a um destino do que aquelas pessoas que preferiram enfrentar o congestionamento na rodovia. E pode haver a possibilidade de ser punido por ter chegado mais rápido ao destino.

    Além disso, a tal indústria de multas poderá dar margem à imposição de limites de velocidade ainda mais irreais, daqueles que chegam a ser perigosos se seguidos, sob risco de colisão traseira. Aí, lá irá o cidadão imprimir uma velocidade mais próxima da natural e tomará multa.
    Quem der uma pesquisadinha que seja em sistemas de cobrança de pedágio por quilômetro rodado notará que existem outras formas de fazer isso, como o lance de entregar um bilhete a quem sai de uma cidade e entregar o tal bilhete na entrada da cidade de destino. E tal possibilidade, como bem sabemos, não envolve rastrear alguém.

    E isso porque falei só de usos possíveis em regime democrático (ou que esteja usando instrumentos democráticos para praticar totalitarismo disfarçado). Imagine em uma ditadura o que poderia acontecer se o todo-poderoso de plantão pudesse saber rapidinho da movimentação de seus inimigos. Além disso, analisando o padrão de movimento de carros rastreados pelo chip, daria sossegadamente para saber quantas pessoas estariam fugindo do país para procurar abrigo em nações vizinhas caso alguém quisesse implantar políticas de limpeza étnica ou ideológica, facilitando o fechamento das fronteiras para execução dos "indesejáveis".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse tipo de fiscalização é utilizado em vários países desenvolvidos, mas depende de modificação da lei por aqui.

      Excluir
    2. http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/03/artesp-descarta-uso-de-pedagios-para-fiscalizar-velocidade-em-2012.html

      Mais um pouco sobre a fiscalização que gera riscos de se tornar um Grande Irmão em relação ao direito de os brasileiros irem e virem, bem como gera riscos de indústria de multas. Note-se que os tais pórticos que querem instalar apenas por ora é que não rastreariam a velocidade imprimida pelos veículos, mas nada impede que isso ocorra.
      E, novamente, temos de lembrar que segue existindo o risco de se punir alguém por ter conseguido fazer uma determinada viagem em menos tempo mesmo que tenha seguido as velocidades regulamentares, mas tenha cortado caminho.

      Excluir
    3. utilizado em países desenvolvidos?

      cite 3 deles então?!

      e em quais condições/custos?

      otário.

      Excluir
    4. Joaquim Nogueira27/03/12 20:21

      Na Itália esse sistema é amplamente difundido e o chamam de "Tutor". Mas lá o sistema lê as placas, como qualquer outro radar, e depois compara o tempo. Mas obviamente em pontos onde é impossível pegar atalho. Acredito que seja a mesma ideia que querem implantar em SP.

      Excluir
    5. Conhece o google ignorante? te apresento www.google.com

      Excluir
    6. FORA COM O RASTREAMENTO POR CHIP. A democracia exige que a vida particular de cada um seja secreta, e não controlável por um governo. Já pensou se essa informação vaza para quem não presta (e isso não é difícil de acontecer)? O bandido vai saber por onde você passa todos os dias, ficaria muito mais fácil para ele agir.

      Excluir
    7. "Já pensou se essa informação vaza para quem não presta (e isso não é difícil de acontecer)?..."

      Nessa história ninguém presta. Estamos ferrados.
      CL

      Excluir
    8. Em brasília existe um sistema que filma a placa do veículo um pouco antes de um posto policial e faz uma busca para saber a situação do veiculo, caso apresente algum problema o policial aborda o veiculo.

      Desconfiava da existia de tal sistema e paguei para ver!

      Excluir
  14. A rede Globo é ridícula. Informação pela metade é um deserviço e falta de repeito para com o telespectador. Os jornais regionais só enchem linguiça, com notícias repetidas e comentários inúteis, sobretudo de temas em que os jornalistas nada ou pouco conhecem. Menos mal que existem algumas mocinhas bem bonitinhas, algumas até que gostosinhas, falando as mesmas bobagens. Mas aí a gente nem presta muita atenção e fica só de olho na buzanfa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e ainda por cima tem o BBB, um lixo de programa, feito para macacos e composto por ogros e garotas de programa, todas elas balançando suas tetas e arrebitando seus traseiros. E a macacada só babando e comentando essa porcaria. Depois tem gente que se queixa do país não ir pra frente.

      Excluir
  15. Tá certa a Globo!
    Pela sua audiência, qualquer citação de marca/produto/empresa/evento que se faça muitas vezes tem o mesmo resultado que uma campanha publicitária numa TV Diário dessas aí!
    E sem gastar nenhum tostão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O balanço das organizações Globo mostra isso a cada dia...Se o BNDES cortar a ração, a Globo vira uma RedeTV de grandes proporções

      E viva o BNDES

      Excluir
    2. Anônimo Mar 27 11:23 AM
      Certa, a Globo? Essa atitude é o lixo do lixo do jornalismo.

      Excluir
    3. Certa a Globo? É realmente muito útil e informativo assistir a uma notícia que diz algo do tipo "Assaltaram um supermercado da zona sul" e ver uma imagem toda borrada para não mostrar o nome do local, ou qualquer outra marca...parece uma antiga piada que terminava com a frase "Não-sei-quem me disse que não-sei-onde estão vendendo não-sei-o-quê por não-sei-quanto"...

      Sem contar entrevistas de atletas nas quais o nome do patrocinador (que pagou ao atleta exatamente pra ter seu nome divulgado no boné ou camisa) aparece todo borrado. Tem que pagar jabá à emissora até pra aparecer em matéria (pseudo)jornalística?

      O pior é que a concorrência está seguindo essa prática patética e funesta (por concorrência, leia-se "Record", que copia a Globo obsessivamente, até no timbre dos locutores das chamadas de programas).

      Excluir
  16. Chuto que um carro desse aqui no Brasil sairia a 300k.

    Mas, acho que aqui no brasil esse carro não seria uma boa, tinha que ser algo mais alto com pneus maiores, mas que tivesse muita segurança e durabilidade.

    ResponderExcluir
  17. Ford: Fabricação Ordinária, Reparação Diária.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será ?

      Excluir
    2. Que grande bobagem a sua
      Tenho admiracao por essa marca e seus produtos.
      Nenhuma empresa é centenaria por acaso !

      Excluir
  18. Aléssio Marinho27/03/12 16:02

    Bob,

    Preço é uma coisa muito relativa. O que é caro pra um pode ser barato para outro. Vai muito da percepção de quem compra.
    Outra coisa é que produtos como um avião ou um carro de polícia possuem diferentes opcionais mudando o preço final do produto.
    Mas o preço é fixado de acordo com a sua necessidade, utilidade e rentabilidade de quem compra.
    Por exemplo: quanto vale um ar condicionado num dia quente?
    E quanto vale o mesmo aparelho num dia frio?
    Por isso que um ar condicionado de automóvel no Brasil custa muito mais que na europa. Num Up! custa 401 euros (R$ 966,00). Num Gol G5, R$ 2800,00.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2800 Dilmas por um A/C de Gol? Então tá bom pois essa fabriquinha miserável já teve a pachorra de cobrar 4500 pelo mesmo opcional não faz muito tempo. Isso sem contar no tempo em que para ter um A/C o cara era obrigado a levar um monte de opcionais que, para muitos, eram inúteis, elevando o preço ainda mais. Venda casada na cara dura e com a desculpa esfarrapada de que era o que o cliente mais desejava. Claro, ora essa!, era só que tinham pra oferecer.

      Excluir
    2. Quando roubalheira muda de nome é fogo....

      Excluir
    3. Recordo-me de ter uma tabelinha com o preço de custo de alguns kits de opcionais da Fiat, já com os impostos indiretos. Se encontrar, posto aqui.

      Excluir
  19. Pedágio: Nos Estados Unidos tem estradas que você entra e na primeira praça de pedágio pega um papel, não paga ainda. Nas rampas de saída da estrada tem uma cancela onde você entrega o papel e paga proporcionalmente o que rodou, nunca valores exorbitantes. Já passei por pedágios de dez centavos de dólar na Flórida.
    Preços: trabalho com implantes e equipamentos cirúrgicos importados, e quando me perguntam o preço a resposta é: depende. Depende das especificações, acessórios, forma de pagamento, tipo de importação. Não há um preço definido. Os carros de polícia podem chegar a 100 mil dólares conforme o nível de equipamentos. Mas os "police specs" saem, básicos, mais baratos do que os carros vendidos ao público por conta de despojamento em acessórios e revestimentos por exemplo. As fábricas ganham no volume.

    Mauro

    ResponderExcluir
  20. Será que esse tipo de carro é viável para o nosso país?

    ResponderExcluir
  21. Este blog tem muita credibilidade, achei estranho não ser comentado nada sobre o fato do acidente do Thor Batista. Seria interessante saber o que o AE tem a dizer, pois acidentes desse tipo nunca passam em branco por aqui.

    ResponderExcluir
  22. Este blog tem muita credibilidade, achei estranho não ser comentado nada sobre o fato do acidente do Thor Batista. Seria interessante saber o que o AE tem a dizer, pois acidentes desse tipo nunca passam em branco por aqui.

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...