21 de maio de 2012

BEM-VINDO DE VOLTA, CHRYSLER 300C!

Fotos: Chrysler do Brasil/Pedro Bicudo


Um carro grande, de jeito invocado, entreeixos de 3.052 mm e comprimento de 5.044 mm, espaço interno de sobra para todos, 1.814 kg, 286 cv a 6.350 rpm e 34,7 m·kgf a 4.650 rpm de um fulgurante e moderno motor V-6 de 3,6 litros, tração traseira e suspensão independente nas quatro rodas, porta-malas de 462 litros: gostou dos dados? Então você precisa andar no Chrysler 300C produzido no Canadá mas com receita Europa – piscas âmbar separados das luzes de freio e ambos os espelhos convexos, sem a mensagem idiota no direito que nem preciso repetir.

Tudo isso por R$ 179.900,00, preço já engordado pelos 30 pontos porcentuais do IPI, fora frete. Como essa nova mordida no bolso do brasileiro representa de 26% a 28% no preço, o 300C poderia sair por cerca de R$ 140 mil, preço bem mais realista. O 300C está de volta ao mercado brasileiro depois de mais de dois anos ausente.

Um visual imponente
 Sempre agrada estar a bordo e dirigir um carro icônico. O primeiro 300 é de 1955. Até à oitava geração, de 1979, a arquitetura era a padrão americana de motor dianteiro e tração traseira. Decorreriam vinte anos (1999) para que surgisse a nona geração, o 300M, uma mudança radical. A tração passava ser dianteira com motor V-6 de 3,5 litros de comando nos cabeçotes e 253 cv líquidos, mais câmbio automático de quatro marchas com trocas manuais por alavanca seletora no assoalho, o AutoStick. Pela primeira vez o 300 tinha freios a disco nas quatro rodas com ABS.

O primeiro Chrysler 300 C, de 1955 (Google Images)


Ralph Gilles
Em abril de 2003, já sob a regência da Daimler-Benz (como DaimlerChrysler) iniciada em 1996, surgiu no Salão de Nova York, como conceito, o 300C, destinado a ser lançado como modelo 2005, com o desenho básico conhecido hoje, assinado por Ralph V. Giles (ao lado), então com apenas 33 anos. O estilista deu traços másculos e de muita personalidade ao novo Chrysler, marcado pela linha de cintura alta com área envidraçada de baixa altura. E, como nãopoderia deixar de ser, era a volta à tração traseira.

O 300C, a décima e atual geração do 300, tinha motores V-6 2,7 e 3,5-litros, V-8 5,7 e 6,1-litros e até V-6 diesel de 3 litros/218 cv.. Houve até versão de tração integral e perua (Touring). Seu chassi rolante, fruto da associação, era do Mercedes Classe E, o que lhe deu comportamento dinâmico de carro premium europeu em solo americano e canadense.

Mas em 2007 a sociedade teuto-americana foi desfeita, a Chrysler passou para mãos americanas novamente (Cerberus Capital Management) e foi renomeada Chrysler LLC. Veio a crise financeira mundial no terceiro trimestre de 2008 e a fabricante entrou em sérias dificuldades. 

Em 2009 entrou em cena a Fiat, primeiro adquirindo 20% do capital para, em março do ano passado, passar ao controle com 53,5%, chegando a 58,3% em junho. Naquele mesmo ano a Chrysler recebia auxílio de 6,6 bilhões de dólares dos governos americano e canadense para evitar sua falência; foram pagos de volta em maio de 2011.

O resumo de toda a história é a Chrysler ter voltado com força sob as rédeas da Fiat (leia-se Sergio Marchionne) e estar ganhando participação no mercado americano graças aos seus produtos renovados, em especial as linhas Journey, Jeep Wrangler, Jeep Grand Cherokee e RAM e, agora, com o 300C. Uma verdadeira injeção de ânimo na fabricante fundada por Walter P. Chrysler em 1925 e sediada em Auburn Hills, no estado de Michigan. Uma fonte da Fiat brasileira diz que os engenheiros da Chrysler são respeitados hoje, o oposto que acontecia no tempo da DaimlerChrysler. O ânimo vem daí também. E é esse mesmo ânimo que está revitalizando as operações da Chrysler no Brasil.

O 300C foi reestilizado ligeiramente e mostrado no Salão de Detroit de 2011, com o novo motor Pentastar V-6 (o mesmo do Journey e do Jeep Wrangler), mas mantendo os V-8 de 5,7 e o 6,1 aumentado para 6,4 litros.. Com as mudanças, o pára-brisa foi inclinado para trás em 7,5 cm e as colunas dianteiras tornaram-se mais finas, melhorando a visibilidade em 15%. A tampa do porta-malas recebeu um defletor e as duas saídas do escapamento passaram ser ovais. Mas o estilo do 300C pode ser chamado de atemporal, não envelhece.

Interior bem-cuidado, destinado a dar conforto

Na mesma ocasião surgia a versão européia com o nome de Lancia Thema. Finalmente, em setembro do ano passado, chegava a versão com câmbio de oito marchas, em linha com a "inflação" mundial de número de marchas, bem como outra de tração integral. O automático anterior era de cinco marchas e o motor V-6 3,5-litros de antes desenvolvia 37 cv menos.

O câmbio é o ZF 8HP45 E-Shift, mas sem comando de troca manual seqüencial. Se for necessário reduzir para obter freio-motor, um toque na alavanca seletora para trás seleciona a posição L (low), o que leva imediatamente à marcha adequada para a velocidade em que o veículo se encontra. É um arranjo igual ao do Ford Fusion 2,5-litros, que muitos não gostam por não compreenderem muito bem o esquema. Para sair de L e voltar a D, basta novo toque na alavanca para trás.

E que muitos não gostam também por não poderem brincar de piloto de F-1 mexendo freneticamente nas “brabuletas” atrás do volante.
.
Os bancos são bastante confortáveis

Com 1.814 kg e 286 cv são 6,34 kg/cv de relação peso-potência, dando desempenho bem razoável ao 300C. Mas, para variar, a Chrysler do Brasil não informou o desempenho na apresentação à imprensa – pelo menos  revelou o consumo, que é de 1 litro por 8,1 km na cidade e 1 litro por 13,2 km na estrada. Para desempenho, recorreu-se ao confiável catálogo da Automobil Revue suíça, que dá 0-100 km/h em 9,8 segundos e velocidade máxima de 219 km/h, embora sejam dados referentes à potência de 296 cv, 10 cv mais que a da versão trazida para cá via porto de Vitória, no Espírito Santo. O motor Pentastar é produzido nos EUA e enviado para o Canadá.

Nota: A pedido do AE, a Chrysler informou hoje (23/5) os dados oficiais de desempenho do 300C: aceleração 0-100 km/h em 7,9 segundos e velocidade máxima de 230 km/h. Explicou que a menor potência em relação à do modelo comercializado nos Estados Unidos se deve à uniformização de potência fora da zona do NAFTA (North America Free Trade Agreement), o acordo de livre comércio da América do Norte que abrange Estados Unidos, Canadá e México. Aproveitei e perguntei quais as cores disponíveis, que são azul escuro, azul claro, cinza, vermelho escuro metálico, prata, marrom metálico, preto, preto perolizado e branco.

O fabuloso motor Pentastar do 300C, 3,6 litros, 286 cv (foto Chrysler)

O limite de rotação é a 6.400 rpm, apenas 50 rpm da do pico de potência. Só que nesse caso nada a reclamar, pois cada vez que o ponteiro do conta-giros chega a 6.400 rpm a marcha superior é passada, e rapidamente, não deixando o motorista em má situação, como o carro parar de acelerar no meio de uma ultrapassem apertada. Nesse ponto o câmbio automático joga a favor.

A ficha técnica distribuída informa gasolina requerida sem chumbo de 87 octanas, que é exatamente a gasolina comum/comum aditivada brasileira (Shell V-Power inclusive). Essas octanas são Índice Antidetonante/Anti-Knock Index, o padrão brasileiro e americano de octanas MON + RON dividido por dois, equivalente a 95 octanas RON, o padrão usado na Europa.

A sensação a bordo é agradável, nota-se empenho em proporcionar atmosfera de luxo, com apliques de imitação da madeira até na parte superior do aro do volante, com couro no restante. Todos os ajustes para o motorista são elétricos, havendo até o raro ajuste de distância dos pedais de acelerador e freio. O banco do passageiro dianteiro também se ajusta eletricamente. A retrovisão pelos retrovisores externos não poderia ser melhor. E já vem com teto solar panorâmico (ao lado).

 O carro roda suave, com compromisso perfeito entre conforto e estabilidade, incute confiança mesmo nas curvas de alta. É bem equilibrado nos eixos, 52/48% dianteiro/traseiro, ficando praticamente meio a meio com lotação e carga máxima. Nos pisos mais irregulares a suspensão independente inclusive atrás mostra seu valor. Nota-se, porém, certa facilidade da suspensão dianteira chegar ao batente na compressão em lombadas transpostas mais rapidamente ou em buracos.

A suspensão traseira conta com um curioso dispositivo nivelador. Os amortecedores traseiros têm uma válvula de compensação. Quando o veículo é carregado e a traseira abaixa, quando se começa a andar com o veículo essa válvula aumenta a pressão dos amortecedores, deste modo levantando e nivelando a traseira.

Só não é do meu agrado a iluminação azul-safira dos bem-legíveis instrumentos. Como tenho dito, não há o que inventar nesse terreno, é usar a solução BMW/Audi/VW vermelho-alaranjada, a ideal para dirigir à noite. Mas não nada dificil mudar isso.

Bons instrumentos, mas essa cor da iluminação...

A transmissão final é bem longa. Em oitava marcha são 77,2 km/h por 1.000 rpm, significando 1.550 rpm a 120 km/h. As marchas são tão longas que em sétima são 61,6 km/h/1.000 rpm, 1.950 rpm a 120 km/h e em sexta, 51,7 km/h/1.000 rpm, 2.300 rpm. Nem a quinta escapa da “síndrome do longo”, com 40,1 km/h/1.000 rpm, 2.990 rpm a 120 km/h. A quarta? São 31 km/h/1.000 rpm, 3.870 rpm a 120 km/h...

O velocímetro do 300C é extremamente preciso. Confrontando sua indicação com a do GPS a diferença é de apenas 1 km/h a 120 km/h. Assim, é arriscado andar com o ponteiro na vertical marcando 130 km/h contando com o erro de outros carros (até 129 km/h verdadeiros os radares e detectores não disparam para velocidade-limite de 120 km/h, é tolerância oficial do Inmetro).

A direção com assistência hidráulica é rápida (relação 15,5:1) e são apenas 2,8 voltas entre batentes. O diâmetro mínimo de curva de 11,9 metros é compatível com o porte do carro. O coeficiente aerodinâmico informado de 0,32, se não é dos mais baixos, é plenamente aceitável. Para o silêncio a bordo contribuem também os vidros laterais dianteiros laminados, algo raro na indústria. Só falta mesmo no 300C luzes traseiras de neblina, um item de segurança imprescindível.

Os freios estão de acordo com o peso e desempenho do 300C e têm uma interessante característica. Se o sistema de gerenciamento do motor notar que o pedal do acelerador foi fechado abruptamente, ele entende que vem freada forte. Nesse caso ele “fala” com o controle eletrônico do ABS para encostar mais as pastilhas nos discos, para maior resposta à aplicação dos freios. 

Coisa mesmo dos “homenzinhos verdes” que habitam os carros atuais. Nos Porsches, por exemplo, faz tempo que, quando o limpador de pára-brisa está ligado, portanto chove (ora pois...), os freios atuam sozinhos de tempo em tempo para evitar que os discos esfriem demais e haja uma frenagem errática na primeira aplicação. Não duvido nada de que isso haja no 300C também.

Assim que possível, quero andar com o 300C no dia a dia e voltar a ele aqui no AE, com mais um "no uso". Tenho certeza que vou descobrir mais coisas nele.

BS

(Texto atualizado em 23/5/12 às 17h05, informação de dados oficiais de desempenho, explicação da menor potência em relação a modelo comercializado nos EUA e cores disponíveis; ver antes da foto do motor Pentastar em Nota)

 
FICHA TÉCNICA CHRYSLER 300C

MOTOR
Tipo
V-6 a 60°, duplo comando por corrente,, 4 válvulas por cilindro, variador de fase na admissão e no escapamento, dianteiro longitudinal, gasolina
Diâmetro x curso
96 x 83 mm
Cilindrada
3.604 cm³
Material do bloco e dos cabeçotes
Alumínio
Taxa de compressão
10,2:1
Potência máxima (NBR 5484)
286 cv a 6.350 rpm
Torque máximo (NBR 5484)
34,7 m·kgf a 4.650 rpm
Formação de mistura
Injeção no duto
TRANSMISSÃO
Tipo
Câmbio automático ZF 8HP45 de 8 marchas à frente e uma à ré, tração traseira
Relações das marchas
1ª 4,71:1; 2ª 3,14:1; 3ª 2,10:1; 4ª 1,67:1; 5ª 1,29:1; 6ª 1,00:1 (direta); 7ª 0,84:1; 8ª 0,67:1 ré 3,30:1
Relação do diferencial
2,65:1
SUSPENSÃO
Dianteira
Independente, braço inferior transversal com duas articulações, braço triangular superior, mola helicoidal e amortecedor pressurizado concêntricos e barra estabilizadora
Traseira
Independente, multibraço, mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra establizadora
DIREÇÃO
Caixa de direção
Pinhão e cremalheira com assistência hidráulica variável com a rotação do motor
Relação de direção
15,5:1
N° de voltas entre batentes
2,8
Diâmetro mínimo de curva
11,8 m
FREIOS
Dianteiros
A disco ventilado de 320 mm Ø, pinçs flutuante com pistão de 60 mm Ø
Traseiros
A disco de 320 mm Ø, pinça flutuante com pistão de 42 mm Ø
Controle
ABS c/ distribuição eletrônica das forças de frenagem (opcional)
RODAS E PNEUS
Rodas
Alumínio, 7,5J x 18
Pneus
225/60R18
CONSTRUÇÃO
Arquitetura
Monobloco em aço (capô de alumínio), sedã de quatro portas, cinco lugares
Aerodinâmica
Cx 0,32
Área frontal (estimada)
2,54 m²
DIMENSÕES
Comprimento
5.044 mm
Largura
1.902 mm
Altura
1.485 mm
Entreeixos
3.052 mm
Bitola dianteira/traseira
1.611/1.620 mm
CAPACIDADES E PESOS
Porta-malas
462 litros
Tanque de combustível
72 litros
Peso em ordem de marcha
1.814 kg
DESEMPENHO E CONSUMO
Velocidade máxima
230 km/h
Aceleração 0-100 km/h
7,9 s
Consumo urbano
8,1 km/l
Consumo rodoviário
13,2 km/l
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
Intervalos de revisão
12.000 km
Garantia contratual
3 anos

 
CHRYSLER 300C, PRINCIPAIS EQUIPAMENTOS

Ajuste de apoio lombar elétrico nos bancos dianteiros, mais apoios de cabeça ativos
Ajuste elétrico do pedais
Ajuste elétrico dos bancos dianteiros
Apliques imitando madeira na cabine
Ar-condicionado automático de duas zonas
Auxílio de estacionamento dianteiro e traseiro
Bancos dianteiros com ventilaçào e aquecimento
Bancos revestidos de couro
Bolsas infláveis frontais de múltiplos estágios, laterais e traseiros tipo cortina
Computador de bordo com tela de cristal líquido de 3,5 pol. com exibição de diversas informações
Conexão automática de áudio via Bluetooth
Controlador automático de velocidade (no volante)
Controle de áudio no volante
Controle de establidade
Entrada auxiliar para equipamentos eletrônicos
Entrada USB para iPod, iPhone e iPad
Espelhos retrovisores com ajuste elétrico, inclusive rebatimento, memorizados, antiofuscantes e com repetidoras dos indicadores de direção
Faróis bixenônio
Faróis de neblina
Freios a disco nas quatro rodas com ABS
Luzes de uso diurno tipo LED
Memória para banco do motorista, retrovisores externos e rádio
Monitoramento da pressão dos pneus
Navegador GPS Garmin com SD card
Persiana traseira de acionamento elétrico
Porta-copos dianteiros climatizados quente/frio
Sensor de chuva
Sistema de áudio de 500 W com 9 alto-falantes e um subwoofer
Sistema de áudio Uconnect™ com tela tátil de cristal líquido de 8,4 pol. compatível com CD/DVD/MP3 e navegador integrado
Sistema de comunicaçào por comando de voz Blueooth Uconnect™
Sistema de entrada e partida sem chave
Teto solar panorâmico duplo (traseiro e dianteiro)
Vidros laminados nas janelas dianteiras
Volante aquecido com acabamento em couro e imitaçào de madeira

.

284 comentários:

  1. O azul do J3 é bom, já o do 300C é ruim... eu hein...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que não deram um pra ele usar, pois os carros para uso não tem nada a ser criticado, só bajulados.

      Excluir
    2. Também gostaria que o Bob esclarecesse seus critérios... eu hein.

      Excluir
    3. É a idade hoje fala uma coisa amanhã já esqueceu, quero ver quando vai admitir que já deu o que tinha pra dar.

      Excluir
    4. É porque Chinês é estado-da-arte em automóvel. Esse povo americano e alemão ( de onde veio a base do carro) não entende nada da automóvel.

      Excluir
    5. Já vai começar a molecagem dos anonimos mimadinhos?
      Com certeza sao sempre os mesmos ... Nao gostam mais nao perdem um post sequer..
      Sai do pé Chulé!

      Excluir
    6. Anônimo tipo..., você?

      Excluir
    7. Flavio. M. S. Bezerra21/05/12 17:06

      não é mimo. é incoerência do autor do post.
      o azul jac é extremamente brega e cansativo... pior do que os que a VW utilizava.

      já dirigiu um? eu já. e é uma bosta.

      Excluir
    8. Mas vermelho é muito ruim. Causa desconforto visual.
      Nao consigo imaginar um painel mais irritante que o vermelho da VW.
      Pela foto esse tom de azul é bem agradavel, mas poderia ser mais leve.
      Por preferencia pessoal, fico com branco ou verde.
      Mas vermelho nao, por favor. É um bom motivo para nao comprar um VW

      Excluir
    9. Acho que é uma questão de expectativa: Espera-se que um Chrysler seja grande, pesado, potente, robusto e bem-acabado. Qualquer coisa que um chinês faça que não seja desmontar no meio do test-drive supera as expectativas!

      Excluir
    10. Essa luz mais forte no painel geralmente se acende no contato e esmaece no uso.

      O Bob acha esse painel feio mas gosta do azul do Agile.

      ah, esqueci. o Bob é camarada do pessoal lá dos barracões de São Caetano... deixa pra lá.

      Excluir
    11. Agora, por que nenhum carro permite ao motorista escolher a cor da iluminação de fundo? Não creio que seja difícil fazer isso.

      Excluir
    12. No meu radinho de 2007 eu posso escolher a cor, eu uso a mesma do painel mas de vez em quando mudo.

      Excluir
    13. No Fiesta é assim. Fica meio com cara de tuning essa historia de trocar a cor do painel toda hora, mas pelo menos cada um escolhe a que mais lhe agrada.

      Excluir
    14. "O aspecto dos revestimentos de painel e portas afasta qualquer idéia de carro barato e controles e instrumentos agradam. À frente do motorista o conta-giros 0-8.000 rpm e o velocímetro 0-200 km/h concêntricos permitem visualização perfeita, embora traços e números pudessem ser um pouco mais delgados e elegantes. A iluminação do quadro segue o padrão VW, azulado. A posição dos pedais para o punta-tacco é perfeita."
      Onde está o estado da arte cara pálida. Ops, esqueci, o cara deve ser apzeiro, então qualquer Gol com o "glorioso" AP deve ser o estado da arte...

      Excluir
  2. Rafael Ribeiro21/05/12 12:13

    Carro do estilo "velhos tempos": grande, confortável e potente, porém cada vez mais raro nesse atual mundo "eco-recessivo" de redução de custos/peso/consumo.

    Infelizmente, caro para nós e com fraco (e também caro) pós venda. Seria possível importação direta sem IPI para pessoa física como alguns tem falado por aí? Nesse caso, pode fazer muita diferença...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carro grande raro só se for no Brasil.

      Excluir
    2. Tem um anônimo aí que fala "na minha idade", coitadinho, não sabe de nada. E como deve dirigir mal!
      E outro fala em "incoerência do autor do post", disse besteira, pois não elogiei a cor da iluminação do J3, só disse que era igual á da VW - e que já voltou para vermelho.
      Tem cada uma nesses comentários...

      Excluir
    3. BOB
      Chute esses tontos daqui.

      Excluir
    4. A coisa tá tão braba que até o Plutônio caiu fora.

      Excluir
    5. É isso ai Bob
      Nao de bola para esses moleques .
      To contigo : nao entendem nada de carro e sao todos braços duros
      Talvez uns jatos de WD-40 ajude...
      Quano a falta de educacao só mesmo levando uns "cascudos" dos pais.

      Excluir
  3. Ultimamente o Bob está com mania de "grandeza", hehe...
    Só nos mostra essas barcaças enormes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vai até mandar fazer uma limusine do Celta Sport6 dele, lá numa oficina de um amigo da turma do Calmon.

      tudo patrocinado pelos barracões velhos de São Caetano do Sul, SP.

      Excluir
  4. Uau, Bob, isto é que eu chamo de transmimento de pensação! Estava esperando seu próximo post justamente para pedir um teste com o Chrysler 300C, e de preferência um "Luxury Series" com o interior clarinho (como o que montei ontem "para mim" no site americano da Chrysler) para as fotos ficarem mais bonitas, he, he! Vou aguardar ansiosamente o "no uso" dele. Não é segredo para ninguém aqui que acho os grandes sedãs, as chamadas barcas (embora hoje nem tão barcas quanto já foram um dia) muito, mas muuuuuuuuuuuuuuito mais bacanas meeeeeeeeeeeeeesmo, que qualquer super-hiper-mega-ultra-supra-extra-baita esportivo como Lambos, Zondas, McLarens, e etc. Não seja cruel com com este seu leitor: não me faça esperar muito pelo "no uso" desta maravilha da marca da estrela de cinco pontas.
    Abraço.
    PS: capriche nas fotos, he, he!

    ResponderExcluir
  5. Bob;

    Tudo bem? Essa transmissão é a mesma do Amarok, confirma?

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mesma transmissão, apenas sem a caixa que manda tração para as rodas da frente e com relações de marcha diferentes das da Amarok. Para o 300C, há essa mudança no seletor de marchas, que é estático e seleciona as velocidades por meio de toques, em vez do trilho convencional.

      Excluir
  6. Ernesto Jr21/05/12 12:56

    Não gostava da geração anterior , achava americano demais . Mas esse ficou show , e o interior nem se fala .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o povo reclamando que a nova frente não é tão "pimp" quanto a anterior...

      Excluir
  7. Respostas
    1. Opa, claro... a versão com motor 6,4 litros e 470 HP.

      Excluir
  8. Já fui ver essa nova geração, realmente está show! O interior evoluiu muito, pra mim o anterior era um tanto quanto "pobre".
    Mas por esse preço fica difícil né... uma pena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tirando o Reino Unido, eles vendem com "Lancia" nas Oropa e precisam agradar o povo enjoado de lá...

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Nada mal. 8 Km/l na cidade. Conheço gol g5 1.0 que faz 6, uhulll!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bob Keller21/05/12 23:22

      Gol G5 1.6 é a perfeição de consumo aliado ao torque bom. Tive um. E chequei o consumo de outros, crava 12 a 13 km/l na cidade na gasolina (vitória ES, por aqui a maioria dos outros carros tipo celta e outros 1.0 não faz mais de 10 km/l na gasola).

      Excluir
  11. Uma belo carrão; lembro que vi o carro que deu origem no Museu da Ulbra, com seu sofisticado câmbio automático por teclas...uma grande máquina!

    Esses dias eu olhei um SRT e achei magnifíco, as portas pareciam a de um cofre, pneus, rodas e discos de freio em medidas para suportarem abusos que só um megamotor poderia proporcionar.

    Um carrão literalemente!

    Mas ainda prefiro um Omega Fittipaldi em relação ao carro avaliado!

    MFF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu prefiro um Chevrolet SPORT6
      muito mais emoção por 1/3 do preço!!

      Excluir
    2. e o Bob também.
      quando vão lançar o Celta Sport6???

      Excluir
    3. Falando em Celta esportivo, eu tive um Corsa GSI... pequeno e rápido!

      Excluir
    4. mas não tinha o 6.4 v8 com pneu 13/145 do Celta do Bob.

      Excluir
  12. Daniel BBB21/05/12 14:09

    "Jeitão Invocado"

    +

    "Interior Bem-Cuidado"

    =

    "É você mesmo que escreveu Bob?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fui eu, foi um fantasma!

      Excluir
    2. HAHAHAHAHA!!!!!

      Excluir
    3. Bob,
      Adoro seu bom humor. Primeiro com jeitão invocado (já pode ir fazer propaganda da Hyundai no AutoEsporte, tem o perfil).

      Depois em falar do interior. Oras, qualidade de materiais, montagem e ergonomia importam ou não?

      Excluir
    4. Celtão V8 pneu 145 invocado no G5 e xenão.
      É o Bob na pegação!

      Excluir
    5. e você dando o lolozão.

      Excluir
  13. conseguiram estragar o 300c, que frente nojenta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo.
      Carro "Gangster" com frente de Fiat Linea ou sei lá o que.

      Excluir
  14. Ficaria perfeito com Insulfilm G5 em todos os vidros, inclusive no parabrisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficaria show! Principalmente para dirigir à noite!

      Excluir
    2. À noite, com chuva e somente os faróis de neblina acesos então, ficaria o bicho!

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio21/05/12 23:08

      Viraria uma versão atualizada de "O Carro - A Máquina do Demônio".

      Excluir
    4. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  15. Ralph Gilles deve estar se revirando na insônia com o que fizeram no desenho do 300.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi ele que desenhou esse aí

      Excluir
    2. Ralph Gilles deve estar se revirando com um bando de italianos palpitando em suas costas.

      Esse carro tem na cara de que foi aprovado pelos mesmos que decidiram implantar logotipos Chrysler nos Lancia.

      Lancias are gone.

      Excluir
    3. Os anônimos não lêem o texto e vem com essas besteiras:
      "Uma fonte da Fiat brasileira que os engenheiros da Chrysler são respeitados hoje, o oposto que acontecia no tempo da DaimlerChrysler. O ânimo vem daí também. E é esse mesmo ânimo que está revitalizando as operações da Chrysler no Brasil."
      Cadê os italianos palpitando? A Fiat não está vendendo nos EUA e os produtos "americanos" só estão pouco abaixo do previsto.

      Excluir
  16. Antes parecia carro americano, agora ficou igual aos orientais, como Azera e companhia.

    ResponderExcluir
  17. Chrysler nem pensar. Já foi-voltou-foi do Brasil umas 20 vezes, o que indica o vacilo e a desorganização da marca. Tudo bem que as regras do jogo por aqui estão sempre mudando mas a Chrysler é sinistra. Por esse preço tem opções bem mais interessantes tb. Quem gosta de velharia é nostálgico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas a marca foi VENDIDA diversas vezes, no Brasil p/ a Volks, no Exterior p/ Mercedez e agora FIAT.

      É como se tivessem existido várias "Chrysler" diferentes até hoje.

      Excluir
    2. OK, mas na prática não dá na mesma? Ou ainda pior: fica parecendo que a marca é pé-frio ou essencialmente ruim, pq troca de dono várias vezes. Isso desvaloriza os carros pq gera insegurança sobre a atuação/presença/atendimento no mercado. IMHO.

      Excluir
  18. "Icônico" onde? Só pq é antigo? De onde se pescam esses adjetivos? Só pra dar uma impressão de cultura automobilística e erudição?

    Esse carro é um mico em todos os sentidos, isso sim.

    Variedade é bom, mas a Chrysler não faria falta alguma no nosso mercado, e pra falar a verdade, nem no norte-americano rss...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é. icônico foi de fato forçado.

      se ícones são Stingrays, Bellairs, 2CVs, Beetles, DS, Audi 80, Saab Ur, Jeep, 295GTB, Dino, Miura, Type E e etc... então de icônico o 300C não tem ABSOLUTAMENTE NADA.

      super-entusiasmo.

      Excluir
    2. O 300C é de fato um ícone: da gastança, do atraso, do design indeciso, do peso da idade, de uma época da indústria norte-americana que já se foi e vive de espectros.

      Olhem essa frente. Reparem nas linhas antigas, pesadas e nas proporções. Lembra muito um Hyundai dos anos 90, quando os coreanos ainda imitavam a velha guarda japonesa.

      Aí nego soca um LED de qualquer jeito no farol, bota uns cromados aqui e ali, recheia de eletrônica (deixando o carro com quase 2T) e bota pra vender por quase 200 mil reais.

      E o mais incrível: tem nego que compra! (e ainda "se acha" no trânsito rsss...).

      Excluir
    3. BMW série 7 pesa isso também, Mercedes classe S também, os "jipões" que o pessoal anda comprando a rodo, também...
      Além do mais quem acrescenta peso não é eletrônica não, eletrônica é levinha.

      Excluir
    4. Ahh vá! Jura???

      Corneteiro...

      Excluir
    5. @Thales:

      Lógico que a eletrônica pesa. E o monte de servos, cabos, conectores, módulos e sensores? Não é só chapa, reforço, bloco que acrescenta peso.

      E outra: o fato de todos esses outros que vc citou tb serem pesados não absolve o 300C desse pecado (relativo, mas pecado). Até pq sou bem mais um Série 7 ou um Classe S do que esse Chrysler, mesmo custando mais.

      Excluir
    6. O nome é icônico.

      Excluir
    7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    8. Ícone dos RAPPERS ele já é.

      Eu sou fã do HUMMER; então nem vou falar mal dele!!! kkkk

      Excluir
    9. Que seja MICÔNICO, então.

      Excluir
    10. Mico é esse tipo de comentário.

      Excluir
    11. Anônimo, o maior aumento de peso é reforço estrutural, eletrônica não pesa tanto, principalmente agora que se usa rede de dados no carro. Eletrônica não contribui nem com 10% (nem 5%, na verdade) do peso total.

      Excluir
  19. Os HEMI V-8 não virão pro Lisarb não? Até agora todo mundo só falou e mostrou o V-6...
    p.s.: o da geração anterior era mais bonito, esse daí ficou meio afrescalhado.
    Klaus

    ResponderExcluir
  20. Mais icônico que o Doginho Polara, impossível. Pô, bitxo, cadê o new Polara?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cuidado com a ironia.
      o Bitu ja já aparece por aqui...

      afinal pra ele carro europeu nunca prestou... bom mesmo é barca, incluindo a Quantum - a obra prima do entusiasmo!

      Excluir
    2. Mas o projeto da Quantum é europeu!

      Excluir
    3. xiii... é verdade.

      mas ele pôs um chassi de Dojão embaixo da bicha!

      Excluir
    4. Todos os Dodges fabricados a partir de 1961 usam monobloco, apenas as picapes são construidas sobre chassis

      Excluir
    5. Taí, matou!

      Santanão com Mopar.

      Vai virar pegador na quebrada dele hein!?

      Excluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Lorenzo Frigerio21/05/12 16:00

    Bob, o chassi do 300C NÃO é o mesmo da Classe E. Desse carro, ele herdou apenas a suspensão traseira multi-link. E, inicialmente, o câmbio W5A580 de cinco marchas, ainda em uso com os motores maiores.
    O chassi do 300C é baseado no do 300M, que é baseado no do Chrysler LHS, que é baseado no do Eagle Premier, que é baseado no do Renault 25.
    Informações da Allpar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Informações erradas!
      É sabido, já hámuitos anos, que a "base" do 300C são os Mercedes E. Inclusive, em vários fóruns que frequento, já vi peças do 300 que utilizam a logomarca alemã.
      Renault 25?
      Por favor...

      Excluir
    2. Qual E?
      O atual? pfffff

      Excluir
    3. O E da geração anterior, querido.

      O 300C foi lançado em 2005.

      Excluir
    4. O mais estranho é que o 300C é tração TRASEIRA, ao passo que as plataformas citadas usam tração DIANTEIRA.
      Não vejo como seriam as mesmas...

      Obs: O classe E que cede parte de sua base ao 300 foi fabricado de 2003 a 2009.

      Excluir
    5. Lorenzo Frigerio21/05/12 23:17

      Meus caros, as plataformas são BASEADAS cada uma na anterior. Definitivamente, NÃO são "a mesma". O Eagle Premier/Renault 25 eram uma joint-venture entre a Renault e a AMC, posteriormente comprada pela Chrysler. O carro se notabilizava por sua rigidez torcional. Leiam as informações da Allpar e da Wikipedia.
      Em tempo: as bandejas dianteiras do 300C saíram do Classe S, não sei que série.

      Excluir
  23. É Bob, objects in mirror are closer than they appear.
    Essa mensagem deveria ser lida pela Mercedes e pela BMW, já que as marcas norteamericanas estão melhorando (mais uma vez) seus produtos, que passam a estar "no encalço" das até então onipresentes alemãs. O Chrysler não tem a mesma qualidade? Não sei. Pode até ser que não, mas quem vai confirmar isso vai ser o mercado. Mas custa mais barato? Acredito que sim.
    Eu gostei do painel! Além do desenho, da iluminação também. Gostei mesmo, em nada lembra o da primeira versão do 300 C, cujo interior era por demais simplista e despojado (que lembrava o meu Crown Victoria) e os Impalas atuais. Ou seja, o típico carro grande por fora, com motor grande, mas completamente oco e sem personalidade por dentro.
    A frente não ficou grande coisa, a anterior era mais agressiva, tinha "um quê de Rolls-Royce". Poderia arriscar dizer que, o que a geração anterior ousava em design da parte frontal, esta ousa no painel. Não foi uma boa troca, certamente.
    Fica devendo o motor V8. Americano que é americano tem 8 cilindros sob o capô.

    ResponderExcluir
  24. Bastante economico para a potencia e porte do carro..
    Tem muito 1.0 l por aqui que sofre para fazer isso!
    Ha ha ha ha !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses dados são BULLSHIT. Na prática, esse monstro deve fazer uns 5-6km/L na cidade e (talvez, vá lá...) uns 11-12 na estrada. Ainda mais com essa aerodinâmica horrível. O Pentastar é um belo projeto, um lindo motor, mas não faz milagre.

      DON´T BELIEVE THE HYPE!

      Excluir
    2. Vai sair com motor FLEX?????????

      Excluir
    3. "Flex" é coisa de pobre e burro. O 300C é carro de burro mas não é pra pobre.

      Excluir
    4. Anônimo21/05/12 17:19, mais burro do que pobre. Não devemos nos esquecer que o carro brasileiro é um dos mais caros do mundo. Algo vendido como médio lá fora pode ser depenado antes de entrar por aqui como modelo de luxo custando mais que o dobro do valor original e ainda parecer uma pechincha...

      Excluir
    5. Lorenzo Frigerio21/05/12 23:22

      Em 2006 aluguei um Hemi nos EUA, o 5.7 de 340 cv. O carro ainda não tinha o sistema "MDS". Era gastão como se esperaria de um carro dessa cilindrada, mas o desempenho era absurdo. O V6 que aluguei em 2005, com o motor 3.5HO, era mais econômico. Ambos com o câmbio de 5 marchas de origem Mercedes, ainda em uso por ambas as marcas em seus carros mais potentes - muito bom, por sinal.

      Excluir
  25. Fica perfeito se meter um kit GNV!!!!! hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem q ser muito mão de vaca pra meter gás num carro desses (ou muito sem noção....)

      Excluir
    2. Ah, eu ia converter em flex.

      Excluir
    3. Daqui a uns 10 anos quem sabe...

      Excluir
  26. pneu fita aí ia ficar loco hein?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ia ficar manolo, isso sim.

      Excluir
  27. Ficou bizarro. Qualé a desse monte de vincos no capô? Parece uma "colagem" de várias partes que não tem coerência ou relação entre si. Se já dá essa pinta de "velho" no lançamento, imagina daqui 2 anos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, bom e bonito pra vc é Veloster & cia....
      Cada um...

      Excluir
    2. Cale a boca Pablo!

      O cara falou dos excessos do carro e você vem falar de Veloster...

      Caia na real, esse carro perdeu em muito sua personalidade. Ficou de tiozão. Daqui 2 anos será esquecido - exatamente o inverso do modelo anterior - o mais notável de todas as outras gerações.

      Excluir
    3. Quanta ignorância...
      Adoro esses "machos Alfa" da internet...

      Citei o Veloster pura e simplesmente por ele ser uma "referência" em modernidade (não para mim...)

      Toda sua ira será dor de cotovelo por não poder ter um 300C?

      De mais a mais, nem sei pq perco meu tempo respondendo alguém de tão baixo nível.

      Excluir
    4. Baixo nível é pouco!
      O que tem de gente idiota se achando "intocável" por trás de um teclado não está nos autos!
      Mais engraçado é a "Mãe Dinah" estipulando o tempo que o novo 300C cairá no ostracismo!
      Os rumos que essa juventude vem tomando me preocupa...
      É tanta babaquice, tanta informação falsa e falta de informação, tanto racalque (talvez por viver em uma época absolutamente sem graça)...
      Triste.

      Excluir
    5. Ignorantes somos todos. Agora, arrogantes e prepotentes são alguns - os que se acham tão sábios e superiores como o Pabo, vc (anônimo 22:00) e mais alguns intolerantes que não aceitam opiniões contrárias e têm impulso em criticar a opinião dos outros.

      O cara criticou o carro, o design e o Pablo subiu nas tamancas e levou pro lado pessoal. Tá dando mais chilique do que cantora de tecnobrega só pq tem gente que não gosta do 300C e não concorda com ele, que se acha um legítimo autoentusiasta quando na verdade é só mais um papagaio de pirata bajulador e sem personalidade.

      Assim a coisa vai mal mesmo, mas o problema é mais embaixo e o pior cego é aquele que se recusa e enxergar.

      Excluir
    6. Anônimo 22:21...
      Sinceramente, não vejo onde "subi nas tamancas".

      Se isso ocorreu, foi pela falta de educação de quem manda alguém "calar a boca" baseado em... Nada!
      Releia os posts acima, simples.

      Agradeço suas opiniões.
      Porém, lamento discordar, uma vez que vc não me conhece.

      Acho que papagaio de pirata são esses (como você) que hoje em dia aderiram à moda de ser do contra, pelo simples prazer de ser.

      Mas eu entendo.

      Excluir
    7. Vc não entende nada. Está apenas alterado. O cara mandou vc calar a boca pq vc falou groselha, pq ficou criticando uma opinião totalmente coerente e pertinente sobre o DESIGN do carro - com a qual vc discorda e portanto age de forma intolerante. Ou seja, vc foi mal-educado, arrogante e preconceituoso primeiro, com alguém que sequer se dirigiu a vc muito menos te criticou.

      Vc se lamenta do "nível" dos comentários aqui sem sequer notar sua parcela de culpa nisso. Se foi a primeira participação dessa pessoa que se ateve unicamente ao assunto do tópico (o 300C), vc com essa sua atitude infantil e prepotente pode ter limado um participante desse blog que tem tanto direito de vc de estar aqui e se expressar.

      Lamentável.

      Excluir
    8. E de fato, eu não o conheço. Da mesma forma que vc não conhece o autor do post sobre o design do carro, que vc afirmou que gosta de Veloster & Cia.

      Coerência: isso sim, artigo raro e pra poucos. Pense a respeito.

      Excluir
    9. Caro anônimo,
      Agradeço suas palavras, e daqui pra frente me esforçarei para melhorar.
      Não serei mais infantil nem entusiasta, serei apenas mais um "homem médio" com você, cheio de verve e distanciamento estratégico das questões que te incomodam.
      Caso eu venha a ler algo que não concorde, deverei calar e guardar para mim o que penso.
      E, caso eu fale, se alguém me mandar calar, devo obedecer imediatamente.
      Creio que essa é a melhor maneira de se viver nesse mundo tão cheio de regras e leis, em que a razão sempre deverá prevalecer.

      Obrigado.

      Excluir
    10. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    11. Não precisa se inverter nem se esconder atrás desse tipo de argumento raso e pueril. Se vc tem algo realmente entusiasta e se tem conhecimento a compartilhar, basta fazê-lo de forma mais educada, positiva e menos intolerante, mesmo que seja algo que vá contra suas crenças e preferências pessoais.

      Basta ignorar os trolls e provocadores, e não levar pro lado pessoal o que não lhe é dirigido pessoalmente. Basta não se achar mais do que ninguém e lembrar que um dia vc tb foi ignorante, assim como muitos de nós que entramos aqui pra aprender mas tb para nos expressar. Basta discordar sem se ofender ou ofender os demais.

      Enfim, basta não bancar o dono da verdade. Isso é ser digno e íntegro, e vai te fazer bem e conquistar respeito e amizades.

      Excluir
    12. kkk, que piada esses anônimos catequizadores!

      Excluir
    13. Hmmmm A molecada aqui anda mesmo precisando de moral e catequese!!!

      Excluir
  28. Bob, aproveitando a deixa das octanas, que tal fazer um post sobre octanagem, RON, influência no funcionamento nos nossos carros no dia-a-dia, comparação com etanol, e falar sobre as gasolinas disponíveis aqui e na Europa e EUA?

    Abraço,

    ResponderExcluir
  29. Não sei não, mas lendo os comentários dá a impressão de que entrei no blog errado. O nível está diferente do habitual...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para quem curte HQ do Superman essa é a versão "bizzaro" do blog.

      Excluir
    2. Realmente, o nível dos comentários está baixissimo... Cadê os Autoentusiastas de verdade? Os que babam ao ver um autêntico MOPAR passar?
      Os que enxergam CARROS como uma paixâo até mesmo irracional, não como um mero produto? Vi até gente falando do estilo "antigo" do 300C! Nada mais natural, ele é um carro que veio para resgatar a "alma" do autêntico sedâ Norte-americano! Outros falam em consumo... Chega a ser triste. Bem se vê que o mundo tá acabando mesmo...

      PS: Bob, nos testes de publicações dos Eua, o 300C Pentastar fez de 0-60MPH (96km/h) em 6,6 segundos.
      Link: http://www.caranddriver.com/reviews/2012-chrysler-300s-v6-8-speed-automatic-test-review

      Excluir
    3. Entusiastas que acham o painel do Jac bacana e do Mopar ruim?

      Entusiastas que vão correndo comprar Celtas?

      Entusiastas que dizem esse carro ser melhor que um série 7?

      Se é destes entusiastas que você fala então por favor me exclua.

      Excluir
    4. Infelizmente, creio que a maioria dos que leram o blog hoje estão na faixa dos 18/20 anos... Em que apenas uma casca moderna já vale o valor cobrado.
      Bom exemplo é o que o tal "Veloster" está vendendo, um carrinho ordinário 1.6 de 128 cv que custa estratosféricos R$90 mil.
      Se custa tudo isso sem valer, é pq tem MUITA gente que compra.

      Me inclua fora dessa também...

      Excluir
    5. Quem resgata alma é médium. Nos EUA onde esse carro custa 1/3 essa sua filosofia de autoentusiasta até faz sentido (pero no mucho). Mas não venha com esse papinho de entusiasta pq o 300C não é um carro que desperta paixões. Autoentusiasta tem senso critico (ou deveria ter) e não baba ovo pra qualquer coisa.

      Excluir
    6. Realmnte, tá feia a coisa.
      Mas....

      Não alimentem os trolls...

      Sempre esqueço disso.

      Excluir
    7. Também estou achando, está diferente a coisa por aqui...

      Excluir
    8. O "lance" é ignorar os comentários idiotas e ler somente aqueles que realmente agregam algo ao post, ainda tem bastante comentário bom no meio de tanta meleca. Quanto aos trolls, só me resta lamentar pela mediocridade e visão míope das coisas.

      Excluir
    9. O problema é o consumidor médio. Se faz um desenho com forte personalidade, não vende. Se faz com cara de tiozão, vende. É assim mesmo. O Pablo deve ter adorado porque se bobear ele dever um V8 em casa com adesivo no parabrisa escrito "quem gosta de motorzinho é dentista". Perdoem o entusiasmo dele, pessoal, hoje o mundo está cada vez mais chato, sem graça e sem cor...

      Excluir
  30. Gostei do carro. Não é bonito, mas transmite uma opulência quase nababesca. O interior, com o câmbio que parece um mouse deixa bem claro que é um carro para se andar no banco de trás, onde aquela luminária azul dificilmente incomodará. O banco do motorista só pareceria mais com posto de trabalho se além de azul, o painel ainda rodasse windows.
    Mas gostei das relações de marcha; Motores também trabalham em baixas rotações, e normalmente isso é bom. Só não precisavam ser oito! Se quiser oito velocidades, na cor preto e cromado, compro um liquidificador que já tem o motor elétrico "do futuro"!
    Falando nisso, o 300 só virá nessa cor de acompanhar velório ou terá alguma outra opção?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive uma perua Suprema preta. Quando eu chegava à noite na escola, era só calcinhas voando. Muitas moças andaram nesse carro... mas quando chegou a hora dele, vendi para uma.... funerária!

      Excluir
    2. [necrófilo detected]

      Excluir
    3. Braulio
      O carro que dirigi era branco. Vou ver as cores disponíveis e depois informo aqui.

      Excluir
  31. Já tive Stratus V6 (ótimo carro, robusto, ótimo desempenho, estável, super espaçoso) e hoje tenho um 300M V6 (253cv, 0-100 em 8 seg e 240km/h).
    Me perguntem se eu troco por qualquer coisa na faixa dos R$120 mil vendidas hoje 0km no Brasil...
    Um 300C V8 da geração anterior será minha próxima aquisição, sem dúvida.

    MOPAR OR NO CAR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, eu errei por dois cilindros. Escrevi uns dois comentários acima que vc tinha um V8 na garagem.

      Excluir
    2. Ainda não, mas em breve!
      Ah, e sem o tal adesivo...
      Talvez um discreto, escrito SRT8... Hehehe

      Excluir
  32. Bob, só uma correção:

    Segundo publicações americanas, o 0-60MPH (96km/h) do 300C Pentastar é feito em 6,6 segundos.
    O 5.7 V8 faz em 5,9segundos, e o SRT8 em 4,5 segundos.
    Se a Journey, que é mais pesada e usa o mesmo motor Pentastar faz em 8 segundos, seria estranho o 300 fazer em 9,8 seg, não?

    Grande abraço, e obrigado por mais uma excelente matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pablo
      Vou apurar isso melhor. Esse negócio de fabricante ou importador omitir desempenho é um autêntico desrespeito ao jornalista e, principalmente, ao leitor. O pior é que dizem que os dados estão no pen drive e quando se vai ver, não tem.

      Excluir
    2. Grande Bob,
      Aqui vai o link do teste que citei:

      http://www.caranddriver.com/reviews/2012-chrysler-300s-v6-8-speed-automatic-test-review

      Porém, nos EUA, o 300 V6 é limitado em 114MPH.

      Abraço!

      Excluir
  33. Uma pena esse IPI estratosférico mandar o preço do carro para as alturas. Incrível a potência que os motores V6 estão obtendo atualmente. 286 cv e 34,7 mkgf de torque eram valores de muitos V8 de uns 10 anos atrás, com deslocamento bem maior que os 3,6-litros do Pentastar.

    Uma pena a versão Touring não existir mais. Vi ao vivo o (também finado) "clone" Dodge Magnum e foi paixão à primeira vista: perua, grande e com motor V8...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Road Runner,

      Não fale em carros clássicos, grandes e motores americanos V8 que daqui a pouco alguém recomeça a ladainha que são ultrapassados, consomem demais...

      Deixem os "downsized" para eles.
      Gente sem emoção, merece carros idem.

      Abraço!

      Excluir
    2. Pelo que percebo, hoje os jegues já sabem escrever!

      Excluir
    3. De fato!!! Muito bem percebido (e escrito). Rsss.... :-p

      Excluir
    4. E ainda são humoristas! Perfeito!

      Excluir
    5. Bom né? Agora estamos todos no mesmo nível!

      Excluir
    6. Que diálogo de jegues... ridículo

      Excluir
    7. agora só falta saírem por aí, batendo os cascos e sujando a rua de merda.

      Excluir
  34. Pior do que certos comentários oligofrênicos aqui é não podermos comprar uma máquina dessas. Muito imposto no carro e muito imposto quando se enche o tanque.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, os impostos "matam" muita coisa.

      Mas hoje em dia já é possível adquirir, em terras brasilis, um autêntico HEMI V8 2007/2008 por preço de Corolla 0km.

      Acho bem válido como sonho realizado!

      Abraço

      Excluir
  35. Bob,
    como ou onde eu compro um catálogo da Automobil Revue?
    Em qual idioma é publicado? Inglês?
    Grato,
    Rafael S.
    Toledo/Pr

    ResponderExcluir
  36. Este carro é campeão! No quesito feiúra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e vc campeão no quesito idiotice.

      Excluir
  37. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  38. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  39. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  40. Como gostaria de ter um campeão desse na garagem aqui de casa...21h33

    ResponderExcluir
  41. Caio Cavalcante21/05/12 21:34

    Caro Bob,

    Pelo seu texto pareceu que esse novo 300C lhe cativou. Destaca algum motivo em especial? Aguardo o texto sobre o contato mais amplo com ele.

    No mais, lamentável o que vem acontecendo com o espaço para comentários do blog. Reli todos os texto publicados por você sobre os carros da Jac, é muita molecagem o que falam aqui. Espero que isso não atrapalhe o grande trabalho que vocês fazem.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  42. Só espero é que aquela molecada mal-educada das comunidades sobre carros do Orkut (Quatro Rodas, Autoesporte) não migre com seus "conhecimentos" para cá.

    ResponderExcluir
  43. E eu espero que os arrogantes, prepotentes, paneleiros, azedos, intolerantes e bajuladores que têm dificuldade de aceitar críticas e opiniões contrárias sobre um assunto no qual se julgam deuses (não estou falando das provocações e gozações) abram suas mentes e ajudem de forma mais positiva e menos prepotente a conduzir a seção de comentários do blog.

    Dizer que os outros andam de 1.0, ou apreciam coreanos, ou que não entendem de carro e não sabem dirigir é uma forma imatura de preconceito, tanto quanto os que criticam de forma vazia ou ficam cutucando o Sr. Bob Sharp e seus admiradores. Isso rebaixa o nível do blog tanto quanto os trolls e suas trollagens.

    Muitas das críticas são pertinentes e algumas até apontam razões. Não importa se são pessoais ou subjetivas, carro não é 100% razão e não existe só um caminho ou o certo. Não importa se o cara dirige um carro antigo, um popular ou um alemão legítimo, ninguém é mais do que ninguém e nem o Bob Sharp sabe de tudo ou acerta o tempo todo.

    Com relação ao carro em questão, concordo que ele não é mais um clássico e deixou de ser um ícone há algum tempo. Eu li em algum lugar do blog uma crítica a respeito das "mudanças pelas mudanças" onde muitas "mexidas" não fazem sentido esteticamente, e na minha opinião o 300C é uma delas. E a Chrysler vacila sim, tanto é que perdeu terreno no mundo inteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se apreciar um belo automóvel é estar no grupo dos "arrogantes, prepotentes, paneleiros, azedos, intolerantes e bajuladores" então eu sou, com honras.
      Estranho é falar que um carro não é "100% razão", mas ao mesmo tempo destinar tantos pejorativos aos que defendem, com o coração talvez, determinado modelo.
      Mudanças fazem parte do ciclo de vida de qualquer modelo, e o 300C se mantinha intocado desde 2004.
      Mas, como o "brasileiro padrão" vive de aparências, pouco importa se tecnicamente o carro evoluiu, com motores mais potentes e econômicos, com um interior mais equipado e refinado, dentre outros detalhes.
      E, certamente esse tipo de discussão só ocorre no Brasil, onde carros são artigos de luxo e status, para "mostrar ao vizinho".
      Nos EUA, até uma babá (nada contra, pelo contrário) pode ter seu 300C. E V8 Hemi, ainda por cima.

      Excluir
    2. Eu quis dizer justamente que não precisa ser um babaca (menos ainda um orgulhoso e "honrado" rss...) para ser um autoentusiasta. Que ser tolerante, positivo e impessoal na discussão de algo como um veículo, por mais paixão que ele desperte em vc, é sinal de maturidade.

      Tomar uma crítica impessoal de um automóvel como pessoal é infantil. Se deixar levar por provocações de trolls tb. As maiores críticas que eu li nos posts foi em relação ao design, e mesmo que alguém critique algo que não gosta tecnicamente no carro, precisa de tanto ardor e arrogância nas réplicas?

      Por fim, colega, carro é sinal de status em qualquer lugar do mundo. O cara que chega na "comunidade" com seu 1.0 1995 recém-comprado está se exibindo pros vizinhos tanto quanto o bunitão que chega com seu 300C no condomínio de luxo. Não se iluda, o 300C não é um veículo 100% racional. Aliás, nem Celta pelado é.

      Excluir
    3. Como vi que seus posts não se referem a carros - mas unicamente a mim, e meu modo de pensar - então,creio que nosso assunto esgotou.

      Boa noite...

      Excluir
    4. Ficou pequeno pra vc, que chato né? Não sabe brincar, não desce no play.

      Meus posts se referiam a carros, até que vc e uns outros donos da verdade começaram com o bullying babaca e infantil em cima de pessoas como eu que apenas entraram aqui pra buscar conhecimento, compartilhar opiniões e conversar numa boa sobre carros. Volte lá e veja de onde partiram os primeiros ataques pessoais e críticas à opiniões ao invés dos carros...

      Excluir
    5. Vc cansa com sua chatice, hein?
      Quer dar uma de moralizador, mas foi o primeiro a pregar verdades absolutas, como se só o que vc pensa valesse.
      Quer ser do contra para bancar ser sabido e independente.

      Não gosta do carro? Ótimo.

      Agora, vai ver se estou lá na esquina!

      Excluir
    6. Pelas tuas respostas mais fácil ele te encontrar no berçário kkkk...

      Excluir
    7. e vc em algum boteco.

      Excluir
    8. Nossa! Como vc adivinhou?? Aliás, tô aqui com uma senhora muito conhecida por vc. Ela pediu pra avisar vc não esquecer o casaquinho de lã antes de sair de casa por causa do frio OK? Fofo!

      Excluir
    9. Puxa, é muita bondade de sua querida progenitora!
      Não deixa ela se exceder nos drinks, pois vira um vulcão!
      Ah, ela sempre me chama de fofo quando a largo em frente à sua casa, pela manhã...

      Excluir
    10. Como adivinhei? Fácil, já que esse é o lugar onde qualquer vagabundo costuma se achegar, encostar sua pança inútil e encher o saco dos outros com conversa fiada.
      Com relação à senhora por você mencionada, confunde-se com alguém da sua família, já que, bêbado, sequer consegue diferenciar um prego de um parafuso.

      Excluir
  44. Esse carro é meu sonho de consumo, excelente post. Dirigir em estradas deve ser uma delícia: silêncio, baixas rotações, muito conforto e econômico.

    ResponderExcluir
  45. Movido pela curiosidade, fui ver no site da Chrysler as opções de cores para o Brasil. Nada encontrei.

    Não deve haver disponível nada muito animador além do preto, branco (já citados) e algum prata e/ou cinza. Vermelho, verde, azul ou qualquer variação; só mandando pintar...

    Nos EUA tem um interior em tons claros, não sei se virá para o Brasil.

    É a ditadura do mais fácil para vender e manter...

    E esse motor hem? Muito bom!

    ResponderExcluir
  46. Gostei do comentário sobre as "brabuletas"...

    ResponderExcluir
  47. É isso aí Bob, o 300 C é o sedã mais bacana do mundo.
    Mopar or No Car!

    ResponderExcluir
  48. A Chrysler não passa de um amontoado de barracões velhos em Detroit. Cheios de gente velha, macarronada (agora), idéias velhas, produzindo coisas velhas para compradores velhos e viúvos de um tempo que nem viveram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahaha, babaquice pouca é bobagem! 10:38

      Excluir
    2. argumento maravilhoso e cheio de embasamento técnico, talvez até científico! Merece nota 10! kkkkkkk

      Excluir
    3. São os apaixonados pelo Bob, um pessoal mentalmente perturbado que só aparece nos posts dele pra falar bobagem.

      Excluir
    4. O negócio mesmo é andar de Prius, o futuro...

      Excluir
    5. Ei anônimo 10:38, uma musica pra vc!

      http://www.youtube.com/watch?v=hV76KXU1x6g

      Excluir
  49. Essa nova frente deixou o carro sem personalidade. Toma que seja remodelado em breve e fique mais parecido com o Dodge Charger.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Influência dos fieteiros de plantão, em Detroit.

      Excluir
  50. "Mimimi, aerodinâmica horrível, qualidade de construção americana", etc. Alguns articulistas trazem preconceitos encardidos e infundados que chegam a enojar.
    Só para pitacar um pouco, a BMW M3 tem Cx de 0,31, é esportiva, mas ninguém mete o pau porque ela é da Baviera. Agora um sedã de luxo normal, com Cx de 0,32, tem a aerodinâmica de um tijolo "só porque todo o americano tem".
    Mas mais pior de ruim ainda são os enjoados que arranjam qualquer subjetivismo raso para reclamar do estilo, interior, equipamentos, peso, consumo (mãe Diná feelings), sendo que no dia-a-dia são os primeiros a defender qualquer frangomóvel de que tenham posse.
    Criticar por criticar e nada é a mesma coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Charles sintetizou cirurgicamente o quadro dos críticos aqui presentes, que criticam com argumentos pífios, que se atém a modismos e a convicções automobilísticas estereotipadas.

      Esses devem ser os mesmos que defendem com unhas e dentes os EVO e WRX da vida, e tem ojeriza a Muscle Cars.
      No youtube, com frequencia leio que "Camaro é ruim de curva", obviamente ignorando que o mesmo chega a gerar 1G de aceleração lateral...
      Claro, o que é "comum" e "unanimidade" é mais palatável as massas...

      Que se divirtam com seus frangomóveis, rsrsrs...

      Excluir
    2. Aqui alguns carros feitos em "barracões velhos de Detroit, cheios de gente velha, macarronada, idéias velhas, produzindo coisas velhas para compradores velhos."

      Quanta conversa fiada.

      Enjoy: http://www.drivesrt.com/

      Excluir
    3. Aí, Pablito, vambora andar junto com um "downsized" desses...


      http://www.youtube.com/watch?v=m252Bcsn5vA

      Excluir
    4. Adoro um downsized. Mas isso não quer dizer que um velho blocão não seja divertido. O problema são os antigos que eram realmente uns dragsters de rua. Os europeus faziam curva, mas pergunta se andavam...
      Quando tinha a Itaipava GT, tinha um Dodge Viper dando trabalho nas retas, só nas freadas que penava um pouco. Sim, um GT tem poucas modificações permitidas pela FIA...

      Excluir
    5. Pois é.
      Lá no "Inferno Verde", quem está mandando em suas categorias são dois americanos grandalhões, beberrões e feitos em galpões velhos, hehehe...

      Dodge Viper ACR e Corvette ZR1.

      Excluir
    6. Quanto ao Civic Black Bull Supermegablasterapreendidoeforadalei, sem dúvida foi um caso de exceção.

      Certamente o dono gastou mais que o valor de um Camaro para deixá-com esse desempenho.

      Fora o fato que o Camaro é projetado para fazer o que faz durante toda sua (longa) vida útil.
      E o Black Bull? Aguenta o que, 20, 25 mil km nesse ritmo de uso?

      Sem falar em outros aspectos que obviamente alguns aqui desprezam, como design, "presença", etc, que o American Muscle Car tem aos montes e o Rice Car, nenhum.

      Excluir
    7. Cê acha mesmo que o Civic continua apreendido? Hehehehe... e te garanto que ele guenta muito mais que esses km que vc citou aí.

      Mas, deixa quieto... cada um com o seu gosto, né não?

      É, deve ser bem legal fazer "presença" num carro musculoso e com "design" e tomar uma benga de um samurai japonês, sem "design", sem "emoção"...

      Excluir
    8. "e te garanto que ele guenta muito mais que esses km que vc citou aí."

      Ah, sim... La garantia soy yo!


      E quanto a tomar benga... Felizmente as ruas não são pistas de competição, para quem anda dentro da lei.

      Fazer de 0-100 em 5,6seg (com cambio automático) e 250km/h (limitados) estão ótimos pra mim.

      E sim, sem dúvida, para uma pessoa madura desfilar com uma nave por aí é bem mais interessante que andar de "carrinho envenenado".
      Já passei dessa fase.

      Excluir
  51. Bob, nós te amamos!

    ResponderExcluir
  52. Charlinho ATLETICANO-MG22/05/12 15:28

    Por essa grana, preferiria uma RAM. Tirando a pick-up e comparando X outros autos,preferiria um Omega Fittipaldi ou um Camaro.

    Adoro o 300C, mas não gostei do design desse novo, o antigo era incomparavelmente mais bem resolvido esteticamente; não que esse novo seja ruim,mas ficou pior que o anterior.

    De mais a mais, por essa meia dúzia de pilas que custa o novo, deve dar pra se encontrar um 300C SRT8 da geração anterior por aí; aí, meus caros,com o perdão do palavreado chulo, a porra iria ficar séria, inclusive na conta do posto, hahaahha.

    E não entendo porque alguns babacas vêm até aqui encher o saco do BS, se não gostam do cara, ou do blog, simplesmente não entrem aqui, vão pro site da globo acompanhar o resumão diário das novelas.

    ResponderExcluir
  53. O Autoentusiastas não é mais a mesma coisa. Talvez seja vítima de seu sucesso. Mas infelizmente o nível caiu e não mais condiz com a qualidade dos posts do Bob & Cia. A coisa descambou pro lado pessoal.

    Lendo essa discussão toda, parece mais um antro de paneleiros arrogantes metidos a donos da verdade que ficam batendo boca com um bando de trolls e provocadores babacas e infantis, um lado apontando o dedo pro outro sem olhar pra si. Tem que ficar catando as opiniões sobre carros no meio dessa zona toda.

    Triste. Espero que seja uma fase e que passe logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo mas tão ridículo quanto é o fato do sujeito não poder abrir a boca para criticar um modelo ou marca e já leva pedrada de alguém que, não por acaso, é dono de um desses, objeto da crítica. Parece até que estão falando mal da mulher ou dos pais do infeliz. Daí o cara entra no jogo e faz a alegria da galera que só quer fazer piada.

      Excluir
    2. Alguém aqui tem 300C?

      Excluir
    3. Pelo que deu pra perceber, tem um "anônimo" aqui que, além de não gostar do Bob Sharp, faz questão de perseguir com argumentações mirabolantes alguém que admire o mesmo, ou o objeto da matéria (300C) por simples prazer, ou despeito, como queiram.

      É difícil entender uma postura dessas, alguém que se faz passar pela "voz dos injustiçados" mas que na verdade só quer tumultuar.

      Como já foi falado acima, se não gosta do carro ou do Bob, "nem se apresente", rs.

      Afinal de contas, se o que quer é fazer piadas, existem outros canais na imensidão da internet mais propícios a isso.

      Outro ponto importante é frisar que nem todo mundo tem sangue de barata, e vai até o fim para defender suas predileções, ainda que uma maioria babaca e imbecilizada o faça de judas. Simples assim.

      DRN

      Excluir
    4. DRN
      Fica ligeiro para quem vc dirige o comentário já que existem vários anônimos. Você mira em um e acerta em outro que não tem nada a ver com a briguinha. Quanto aos "sangues quentes" que defendem suas predileções até o fim que estejam cientes de que irão para uma longa batalha caso tenham tempo sobrando para tamanha besteira. Os trolls tem isso de sobra.

      Excluir
    5. Se coloque no lugar de quem entra num blog de autos e critica por exemplo a aerodinâmica ou o design de um carro e é xingado de imbecil pra baixo burro e ignorante. como vc se sentiria em relação a um lugar assmi e as pessoas que o frequentam esse lugar?

      Excluir
    6. Me desculpe Anonymous 07:14 PM, mas não é bem isso que vi.

      Os argumentos dos detratores são quase sempre desabonadores, trollagem mesmo.

      Não são santos contra demônios.

      Até mandar "calar a boca" um dos anônimos mandou um usuário cadastrado e "manicaca" pelos americanos, pelo visto.

      Não vi motivo pra tamanha deselegância e destempero.

      Mas os tempos são outros, enfim.

      DRN

      Excluir
  54. DNR, concordo em partes. Não sei se é um "ataque coordenado (rsss) ou um indivíduo, mas lendo friamente algumas reclamações fazem sentido e são procedentes. Também não notei nada de pessoal em relação ao BS, mas sei que isso ocorre.

    O nível do blog não é responsabilidade só do Bob, do AK, do MAO. Os posts são de alto nível mas a galera que comenta não, sejam os trolls, os anônimos ou os registrados (estou generalizando, as exceções confirmam a regra de ambas as partes). E realmente parece rolar uma panelinha por aqui.

    Não importa, porque defender preferências atacando pessoas é "argumento de quem não tem argumento" e não ajuda nada no blog como um todo. O respeito e a educação tem que partir de todos. Acho que assim estamos valorizando o trabalho do BS, do AK e dos demais, que afinal todos admiramos.

    ResponderExcluir
  55. Eurico Jr.22/05/12 19:17

    Só digo uma coisa: é preciso ser mesmo MUITO TONTO para torrar R$ 220 mil num Hyundai Genesis, tendo a opção do Chrysler 300C...

    ResponderExcluir
  56. Concordo. Mas até aí eu tb acho que precisa ser muito tonto pra torrar 180 mil num 300C tendo como opção o A4 como o que o Bob testou na semana passada, por 150 mil. E dos três, acho que o Chrysler é o que mais deprecia tb.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...