Google+

23 de maio de 2012

CORRIDA DE OBSTÁCULOS EM SÃO PAULO

Fotos: Google Maps/Street View



Ao volante de um grande e alto SUV subia uma larga rua de bairro. Um Uno dos velhos à minha frente prosseguia estilo barata tonta, nem na pista da esquerda, nem na direita. Procurando um endereço? Talvez... Mesmo atrasado, tive paciência. Cem metros, duzentos... quando a rua se alargou por conta de uma travessa, saí para a direita e acelerei. Um estrondo fenomenal e o SUV decolou, e logo parou: atropelei algo! Gelado, abri a porta pensando no pior, uma moto? Não! Para minha sorte apenas "plantaram" uma ilha triangular de cimento na intersecção das ruas. Caminho de volta da escola quarenta anos atrás, lugar em que ainda passo pelo menos uma vez por mês, jamais tinha reparado naquele obstáculo instalado pela amada Prefeitura paulistana.

"Kirk para Enterprise, controle de danos!"


Visualmente, nada. Nem roda, nem pneu. O poderoso 245/50R20 encarou subir o meio-fio em ângulo malvado sem avaria. Uia! Retomei meu rumo, ressabiado, imaginando ao menos em problemas no alinhamento, sei lá. Mas o volante no lugar me consolava, idem o carro seguindo retinho, sem puxar, e sem barulho nenhum. No dia seguinte, antes de pegar a estrada, passei numa oficina de alinhamento e, felizmente, tudo estava ok. Carrão forte, pneu forte, roda forte, sorte forte.

Imaginei o que aconteceria se esse mesmo episódio acontecesse com meu carro, que não é um SUV, tem rodas aro 15, e é meio baixo. Dano grande. E então gelei de novo, imaginando o pior dos cenários: eu de moto, ou scooter (ai ai ai!) topando com o tal "iceberg" desavisadamente. Podia estar no céu...


Dizem que um acidente ocorre não por um único motivo, mas por um conjunto de fatores. No caso temos o tonto do Uno a 15 km/h no meio de uma rua de pista dupla, o tonto com pressa ao volante de um carro alto mas de capô longo, que pouco favorece ver o chão imediatamente à frente e... um modo tonto de fazer sinalização de trânsito, usando cimento. Não sei se está muito certo.

 Roda torta era o prato do dia na minha turminha na juventude. Exageros aqui e acolá resultavam em uma alta mortandade de rodas, pontas de eixo, terminais de direção, pedaleiras, guidões, manetes etc. Passada a fase "race or die", danos só graças a buracos. O mais recente destes, pequeno mas afiado, cortou um pneu que, para meu azar, pararam de fabricar. Inencontrável. O jeito foi trocar quatro já que não me conformaria em rodar em formação 3x1 ou, menos pior, 2x2. Pensei em cobrar da Prefeitura. Só pensei.


Mas, volto ao tema obstáculos: impresssão minha ou São Paulo, a capital do automóvel no Brasil (em quantidade) está, digamos, bem criativa em termos de armadilhas? Será que sou eu que, ao contrário do que seria normal, quanto mais velho vou ficando, mais vou enxergando? E não gostando do que vejo?


É impressão ou a prefeitura, em conluio com a malvadíssima Companhia de Engenharia de Tráfego,  parece ter contratado mentes do mal para nos ferrar, e nesse "nos" incluo todos, do pedestre ao motorista de carreta, passando pelo motociclista e qualquer outro que faça uso da via pública?


 Ando a pé mais do que qualquer um de vocês possa imaginar que um editor de revista de moto que também escreve sobre carros o faça. Uso metrô e as vezes até ando de ônibus. Acho isso saudável, pois me movimento e me distraio quando outros dirigem por mim (coletivos, bem entendido), pois (arrogantemente, confesso) detesto não estar no guidão ou no volante. A pé eu percebo a calçada mal cuidada, a faixa de pedestre mal posicionada, o degrau, o buraco, a armadilha para torcer o tornozelo, ou quebrar a perna. Ando de moto, e se não ficar esperto, posso ser derrubado por um desses tachões criminosos que separam pistas, certamente criados por quem detesta veículos de duas rodas e jamais sequer andou de bicicleta.

E o que dizer das vias "frisadas" pelas máquinas de recapeamento? Ninguém cogita dar uma varridinha para recolher aquela farinha preta de asfalto que já jogou muito motocilista esperto no chão. Pego o carro, é o tal "travesseiro de baiano" a me ameaçar, ou, como relatado no início, cimento colocado cá e lá no que era e sempre foi o chamado "leito carroçável" da via. Onde há um pouco mais de asfalto sobrando, pimba: criam se afunilamentos. Poderiam passar dois? Zapt! Agora passa só um! Até imagino a careta do Kassab, o prefeito de São Paulo, mostrando a língua, fazendo pernacchia para nós.


E o que dizer das faixas, da sinalização de solo? Que criativos são esses que as pintam. Se pudesse, pagaria passagens e estadia para que esta turminha visitassem os EUA ou qualquer país europeu para ver como se faz isso. Na Vila Madalena, bairrinho de ruas estreitas, meteram um monte de rotatórias. Esqueceram que passam ônibus nas ruas, e que eles não conseguem respeitar o traçado imposto, invadindo a rotatória, e criando uma situação ridícula e perigosa.

Mas meus exemplos preferidos são um tal de "Complexo Viário Escola de Engenharia Mackenzie", ali no fim da Via Anchieta, acesso a avenida Juntas Provisórias (nome perfeito para o trabalho ali realizado): tentaram juntar vias de modo provisório, erraram feio o projeto, acharam que com tinta resolveria e está lá para quem quiser ver, um exemplo de como NÃO se faz sinalização de solo em via pública (com o seu e o meu dinheiro, claro). Digite o nome do lugar no Google e passeie por ali com o street view: é de chorar.


E se lá sobra tinta, em outros lugares falta. Na av. Dr. Arnaldo, a partir do semáforo da rua Teodoro Sampaio em direção ao bairro, centenas de metros sem uma faixa sequer. Recapemento? Que nada, a tinta gastou e ninguém se animou a pintar de volta, tipo dane-se, entendem? Mesmo porque Kassab anda no banco de trás do carro oficial, assim como seus secretários que deveriam cuidar disso e de muitas outras barbaridades cometidas contra o cidadão, pedestre, automobilista ou motociclista que seja. E até skatista! Acreditam que perto de casa, na célebre ladeira do skate (desde os anos 70 point da turma das rodinhas pequenas) a ranzinza prefeitura mandou rasgar o asfalto e colocar faixas de paralelepipedo para cortar o barato da rapaziada?


Querem mais uma? Por mais que adore automobilismo, aquele circuito armado no sambódromo e em torno dele para receber a Indy não me desce por uma razão simples: atrapalha uma cidade em um lugar por si só atrapalhado. E além disso – diferentemente do que testemunhei em Toronto, no Canadá, por exemplo, onde também há uma etapa da Indy, só que num local bem menos movimentado – demoram um tempão para armar e mais tempo ainda para desarmar totalmente o circo. Há relatos de guard-rails que simplesmente ficaram instalados de um ano para o outro na av. Olavo Fontoura, ou estou enganado?


Cidade que se expandiu sem planejamento, São Paulo não pode continuar sem ele, o planejamento, especialmente para dar um mínimo de conforto ao cidadão, que merece alguma fluidez nas vias mais cruciais. Obras "eternas", que se arrastam morosamente como a da av. Faria Lima na altura do Clube Pinheiros (alguém pode explicar por qual razão não se trabalha ali em turnos contínuos, fins de semana inclusive?), a crítica obra da av. Lions em São Bernardo do Campo (OK, Kassab, essa não é contigo...) ou o ridículo canteiro de obras do acesso à av. Jacu-Pêssego no início da rodovia Ayrton Senna são de matar de vergonha, afetando a vida da cidade de modo totalmente indevido. Pensando bem, perto disso tudo, uma roda torta ou uma calçada esburacada talvez sejam o de menos.

RA

96 comentários:

  1. Rafael Ribeiro23/05/12 12:15

    Ótimo Post. Eu sempre fico pensando se as autoridades de trânsito nunca pensaram em dar uma olhada no que se faz na Europa e EUA.

    Uma simples viagem de 15 dias em Orlando, visitando parques com as crianças, já dá para se ter mil ideias de como fazer. Imagine se viajassem com intuito de realmente aprenderem algo. Mas acho que é esperar demais desses caras... Vão acabar viajando para se divertirem, feito a tal "gangue dos guardanapos" do ilustre governador carioca Sérgio Cabral...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael Ribeiro
      E há as sagradas comprinhas, o mais importante de tudo para essa turma de sanguessugas que viaja ao exterior às nossas custas.

      Excluir
    2. Tá aqui um exemplo clássico disso aí que vocês falam. Divirtam-se.

      http://www.youtube.com/watch?v=DKzkrkphTg0

      Excluir
  2. Rioclarense23/05/12 12:29

    Ainda que Sampa tem obras, e quando a cidade não tem obra alguma, não tem sinalização alguma, o traçado viário é um asfalto mal feito sobre ruas de paralelepípedo torto que vai saindo e formando imensas valas, não há obras como viadutos ou túneis para facilitar a vida e a única obra viária de atualização que se vê é a instalação de câmeras fotográficas de velocidade?

    ResponderExcluir
  3. Vocês ainda perdem seu tempo tentando entender o Brasil? O povo não liga, governo vai se mexer pra quê? Só reformatando...

    Eu desisti dessas discussões. O povo não enxerga e não vai enxergar. Desistam.

    Eu? Tô indo embora...

    ResponderExcluir
  4. O viaduto que sai das juntas provisórias em direção à Anchieta é uma "beleza". Tem tres faixas, depois passa para duas. E tome "nego" perdido entre as faixas.

    A Lions, em SBC, pelo menos foi entregue essa semana. Mas, como não poderia ser diferente, pista nova já tem "bocas de lobo" em nivel inferior ao asfalto. Nem asfaltar a pista direito sabem. Sem contar os trechos nos quais pintaram as faixas brancas sobre os buracos...

    Por falar em faixa branca, na foto da Dr. Arnaldo aí em cima se vê o que costuma acontecer. Pista não sinalizada, mas a guia pintada de branco.

    SP/ABC não tem jeito não....isso aqui é o inferno...

    Marco

    ResponderExcluir
  5. Kassab tem que apanhar na cara com tacape.
    É um imbecil e ignorante de marca maior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois empresta o tacape, que um tal de Eduardo Paes também "precisa" dele. E muito.

      Excluir
    2. Vc acham que o Kassab, o língua presa, está ligando pra isso? Ele vai de helicóptero para o "trabalho" dele...

      Excluir
    3. Pessol do Rio, liga não... ano que vem vcs serão governados pelo Marcelo Freixo. Cês num aprendem mesmo.

      Excluir
  6. Acho medonho ver como a sinalização do solo (aqui "zebras"), se transformam em estacionamento num piscar de olhos. Será que o motorista (?) pensa "Já que não pode passar carro aqui eu posso estacionar sem problemas" ???. O que será que se passa na cabeça desse pessoal? E tem outra aqui em BH: A BHTrans tem mania de colocar cavaletes de proibido estacionar em dias de jogo nas imediações do Independência na tentativa de aliviar o trânsito. Adivinhem onde? Na rua...

    ResponderExcluir
  7. Meu comentário não tem muito a ver com o assunto, mas; por força de meu trabalho viajo de carro, em especial pelo interior de S. Paulo e vejo verdadeiras aberrações em termos de sinalização e "soluções" viárias. Esta semana estive em Taubaté, e lá criaram uma tal de lombofaixa; voce não leu errado, é lombo faixa, que são lommbadas enormes, largas e altas com faixa de travessia de pedestre pintada, jogando fora toda legislação que disciplina as dimensões deste tipo de obstáculo. O exemplo do mau preparo de quem determina a colocação destes tranqueiras fica visivel pois na praça onde está a prefeitura da cidade tem uma destas lombadas e mais um semáforo de pedestre. Tudo junto, um sobre o outro. E conversando com amigos que lá moram, disseram que existem outros destes "conjuntos "pela cidade. Penso que tipo de motoristas teremos no futuro, com esta bagunça de sinalização, que estão sendo educados e condicionados a respeitar faixa de pedestre, como exemplo, se tiver junto um obstáculo físico, e não pela visualização de um aviso.
    Outra coisa que observo, que em todas cidades que tem muita lombada, normalmente o prefeito esta com problemas na Justiça, seja por quais motivos for, donde se conclui, que para o incapaz de administrar bem uma cidade, o mais fácil, o mais visivel é encher as ruas de lombadas e outros dejetos viários e assim deixaar sua marca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre me pergunto qual o critério considerado para a "lombofaixa". É mais fácil levantar a rua toda ou rebaixar o passeio (guia, meio fio)? Dependendo do lugar essas coisas viram verdadeiras barragens, impedindo o escoamento de água.

      Excluir
    2. Algum tempo atrás, passei por Botucatu e lá também existe essa porcaria de lombofaixa.
      Quanto à mania de entupir a rua com essas tranqueiras, as ruas de minha cidade fazem lembrar a Suíça - não pela qualidade da pavimentação, mas pela quantidade de buracos, digna de um bom queijo de lá. E a Prefeitura diz que não dispõe de asfalto suficiente para tapá-los. Curioso é que, para empestear a cidade com quebra-molas, sempre há asfalto de sobra!

      Excluir
    3. Aqui em Sorocaba-SP tá cheio de lombofaixa para tudo quanto é lado. O pessoal diz que é para facilitar a travessia de quem usa cadeira de rodas. Até aí, vá lá, se as calçadas fossem um primor de pavimento. Atravessar uma rua é o menor dos problemas de quem usa cadeira de rodas para se locomover.

      Excluir
    4. Milton Rubinho25/05/12 00:28

      E sao caetano, para noooooooosa alegria, em uma mesma via tem lombofaixa e radar de 30km/h... Sim, aquele radar ja conhecido dos amigos do AE.

      Tamo bem aqui de transito, nao???

      Ja diria Renato Russo:
      "Em vez de luz tem tiroteio no fim do tunel..."

      Excluir
  8. se o cara não consegue ver um negócio enorme desses na rua,não deveria nem dirigir....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Anonimo:
      Como o sr. enxerga super bem, poderia arrumar emprego como "guia de cego" na Palestina , Egito , Siria e Iraque.
      Ajudaria eles a fugirem do fogo cruzado e nos pouparia de seus comentários infelizes...
      Boa sorte!

      Excluir
    2. Concordo com o Anônimo23/05/12 13:02

      Tá certo que existe muito amadorismo na tentativa de "organizar" o trânsito, mas os motoristas também precisam dirigir com mais atenção. Você se preocupou muito em dar um "show" no Uno e esqueceu de olhar para a rua. Já pensou se fosse um pedestre? Ou uma criança?

      Excluir
    3. Já pensou se fosse um pedestre? Ou uma criança?

      Ah vá... o pedestre ou a criança não são cinzas-cor-de-asfalto e tem 10 centímetros de altura... dependendo do ângulo de posicionamento do veículo em relação à rua, e mais o caso narrado sendo com um SUV, alto e com capo longo, um "golpe-de-vista" pode acontecer com qualquer um, até vc...

      Excluir
    4. anonimo de 23/05 as 18:08
      Podia ser uma onça, macaco prego ou lobo guará. E o motorista iria preso no ato, tão rápido que nem daria tempo de piscar o olho. Só assim mesmo pra enquadrar uma besta ao volante.

      Excluir
  9. Roberto,

    "Cê tá ceguinho, né cara?". Uma ilha do tamanho da Irlanda e você não viu?

    Deixando a brincadeira de lado, em diversos momentos quase trepei nessas ilhas, mas felizmente sempre me safei. Toc, toc, toc...

    Mas esse tipo de idiotice ocorre em todo o país e não acredito que um dia irá melhorar.


    AutoClandestino,

    Se você puder, vá embora mesmo. Esse nosso país não tem mais solução.

    ResponderExcluir
  10. Tá certo que esses problemas acontecem em todo país. Mas é o tipo de post que só interessa a quem mora em São Paulo. Os principais sites e revistas sobre automovóveis têm mania de falar do trânsito de São Paulo. Parecem esquecer que o seu alcance é muito maior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, sem querer discriminar quem quer que seja, mas o paulistano geralmente pensa que o Brasil limita-se à cidade onde ele vive (ou tenta viver).
      É aquela mesma visão de "Velho Mundo" que os primitivos europeus tinham, de que o mundo restrigia-se ao continente deles.

      Excluir
    2. BRAZIL se resume a Sampa e Rio.

      O resto é o resto: só figuração!!

      Excluir
    3. Santo, Santo, Santo23/05/12 20:43

      Volta pro inferno, box dos demônios!

      Excluir
  11. Acho que vcs não costumam andar aqui por Curitiba, aqui também é um mar de aberraçõs, Antonio aqui em Curitiba eles chamam essas Lombofaixas de travessias elevadas, aqui pelo menos elas estão sendo bem feitas, com angulos suaves e plato plano, o carro sobe por inteiro e depois desce suave. Mas na questão da sinalização isso aqui tá horrivel, na mesma esquina vc ve duas coisas diferentes, antes do cruzamento uma placa permitindo a conversão e do outro lado do cruzamento do mesmo lado da via uma placa dizendo que não se pode fazer a conversão. Tem uma obra genial que fizeram aqui, uma trincheira para fazer a travessia de uma via de grande movimento, mas esqueceram de fazer acessos decentes, colocar a sinalização mostrando por onde tem que se passar, e outra deixaram os semaforos para fazer a travessia e o retorno em Nível, ou seja, quase ninguém sabe da existencia daquela trincheira e fica usando o retorno em nivel. Essa foi a primeira trincheira construida nos ultimos 30 anos, foi feita uma obra de revitalização na antiga BR-116 que corta Curitiba, mas foram feitos mais cruzamentos e inseridos vários semáforos fora de sincronia e com "arapucas" em quase todos eles. Uma obra que se estende por mais de 10 anos, não foi feita nem a metade, com problemas de drenagem, quando chove cria poças enormes. O Brasil como um todo é uma vergonha no quesito das Obras publicas, exemplo Br-101 de Florianópolis a Osório, também são mais de 10 anos de uma obra de duplicação de um trecho de 300 km, a primeira previsão de término desta obra era no fim do primeiro mandato do LULA, agora está prevista para depois do fim do mandato da Dilma... Uma estarda que deveria ter 4 faixas em cada sentido. Ah e tem mais, assim que acabar a obra ela será pedagiada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, sou do RS e digo que o trânsito de Curitiba está bem pior do que o de São Paulo.

      Excluir
  12. "Mesmo porque Kassab anda no banco de trás do carro oficial..."

    RA, se ele andasse no banco de trás quem sabe as coisas seriam um pouco melhores. Ele anda é de helicóptero mesmo, passo em frente à prefeitura quase todos os dias e manhã cedo e vejo essa cena.

    ResponderExcluir
  13. Cada povo tem o governo que merece, e que coloca no poder, e vem aí a copa do mundo, olimpiadas...

    ResponderExcluir
  14. O complexo "cebolinha", ligação da Ibirapuera com a Sena Madureira e França Pinto, é outra dessas obras dignas de mandar quem a projetou para a cadeia. Sim, cadeia mesmo. Como engenheiro não consigo aceitar uma aberração dessas, aliás, nenhum erro de projeto e/ou execução deve ser tolerado, por isso defendo que a administração pública seja punida criminalmente e o titular da pasta (ir)responsável pelo feito passe uma temporada no xilindró, para que fiquem mais atentos e trabalhem com profissionais competentes.
    De cabeça tenho uma infinidade de barbaridades, seja elas de sinalização viária bem como de obras viárias e civis, daria um livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voz da Verdade23/05/12 16:58

      Penso como vc.
      Aqui em Moema inventaram a idiotice da "ciclovia" que foi extremamente mal-projetada, com zona azul de um lado em determinados horários e estacionamento nos outros horários do outro lado da via, uma loucura que até rendeu post aqui no AE.
      Praticamente um ano depois, chegou-se à conclusão brilhante que os carros deveriam simplesmente estacionar sempre do outro lado. Óbvio, isso resolveu o problema.
      Mas cadê o FDP que aprovou a primeira solução idiota? Tem que demitir o cara, e descontar do salário todo o custo de mão-de-obra, tinta, sinalização e TODAS as multas dadas pela burrada da CET.

      Excluir
    2. A culpa é sempre de todos e por isso ninguém tem culpa de nada.

      Excluir
  15. Com relação à citação da Av. Lions, na divisa entre São Bernardo e Santo André, fica evidente aquilo que muito se diz sobre a incoerência na hora de fazer a "engenharia" de tráfego (esse termo deveria ser extinto em nome da nobre profissão, pois de engenharia, planejado, pensado, não tem nada): antes de retirarem todos os cruzamentos em nível como foi feito lá, o limite de velocidade era de saudáveis 70 km/h e nunca houve problema de acidentes (passo lá pelo menos duas vezes por dia há mais de 6 anos). Agora que não há semáforos ou qualquer outra possibilidade de algo cruzar à sua frente (só se algum suicida escalar as grades sobre a mureta), a velocidade ficou reduzida à 60 km/h com os lindos dizeres "fiscalização eletrônica". Gostaria que as prefeituras através de suas secretarias tivessem a coragem de apresentar os motivos que levam a isso.

    Sobre o desperdício de espaço retirando-se faixas de rolamento ao pintar imensas áreas zebradas sem motivo algum, gostaria que você, Agresti, visitasse o viaduto Dr. Millo Cammarosano sobre a avenida Santos Dumont, em Santo André: é mais um exemplo emblemático da busca do atravancamento do trânsito, de redução de fluidez, pois retira-se uma faixa de forma que todos andem em fila indiana atrás de ônibus em um local onde há dois anos atrás eram duas faixas e pronto. Infelizmente o Street View interrompe justamente na entrada e na saída do viaduto, mas já dá para ter uma idéia da situação.

    ResponderExcluir
  16. Não simpatizo nem um pouco pelas soluções que o Kassab (e as subprefeituras) põe no toba da população de SP (exemplo: Av. N. S. da Assunção - Butantã). Mas ultrapassar pela direita também não fica muito atrás. Outra coisa: o pneu, mesmo sem sinal externo, pode se fissurar na superfície interna e a longo prazo criar bolha(s) por dentro. Por fora bela viola, por dentro, pão bolorento. Sobre sinalização horizontal, o descaso pelas faixas de rotação é efeito do desrespeito que os motoristas demonstram à elas. A maioria nem sabe(desaprendeu) o porquê uma é contínua e outra é segmentada ou simplesmente inferem o contrário(conveniência?), trocando sempre de faixa antes de um semáforo, vermelho principalmente. Mas isso não justifica nem a falta de manutenção e nem o desrespeito, como ocorre na Cidade Universitária (Z/O), por exemplo.

    ResponderExcluir
  17. Essa sua primeira referência ao Uno-Lesma-Uniblab me lembra que esses obstáculos móveis que não passam de 2000 rpm (o cara que é ruim e coloca a culpa no carro, vê se pode...) sempre acabam tirando a paciência dos demais usuários da via e atrapalhando o tráfego.

    ResponderExcluir
  18. EITA " AUTO-RECLAMÔES....."

    Não pode colocar insulfilme ;os carros podem ser de qualquer cor desde que sejam brancos; se não tem sinalização horizontal reclama ; quando tem passa por cima da ilha e reclama também ,não pode ter radar, não pode ter limite de velocidade nas estradas , não pode trocar marchas abaixo de 4500RPM , a Chevy 500 chega a 245 km/h a 12500 RPM na Imigrantes ,os carros 1.0 são ótimos, o Agile é lindo , e o Celta é um puta carro ....


    há, haaaaeeeee!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem duas soluções muito boas pra isso:

      Primeira: vá ao prompt do ms-dos, digite format c: /q /u aperte enter e depois sim. Pronto, algumas semanas sem ter de ler o autoentusiastas. Agora, se isso não for suficiente, pode tentar essa aqui:
      Vá a um prédio de 20 andares; chegue próximo a uma janela; abra a janela; pule, de cabeça. Assim, nunca mais terá de ler o autoentusiastas e vai nos poupar desses comentários idiotas.

      Que tu se exploda.

      Excluir
    2. Há quem reclama (nós) e os cordeirinhos (você). Cada um escolhe seu caminho. Endosso a sugestão do Joselito, é perfeita.

      Excluir
    3. Pô cara, sai da frente do computador e vai fazer alguma coisa boa na tua vida.

      Excluir
    4. Não fui eu quem escreveu isso - dessa vez.

      Esse parece ser mais um fã do Notícias Automotivas, AutoEsporte e Vrum! perdido por aqui.....

      Excluir
    5. Santo, Santo, Santo23/05/12 20:47

      Volta pro inferno, box dos demônios!

      Excluir
    6. kkkkkkkk, essa foi phodástika, sabe que eu já vinha pensando o mesmo, e ainda ficam bravinhas quando são criticadas, o sujeito fica bravinho por estar atrás de um pobre carrinho, em uma demonstração de força irresponsável parte para cima e acaba fazendo uma tremenda palhaçada a bordo sua imponente SUV de aro 20", assim trepa na "ilha" enquanto lança aquele olhar de total desprezo para o motorista do pobre carrinho, só que não enxerga que existe uma ilha, pois não estava olhando para frente e a culpa é da CET e do pobre carrinho que insistiu em ficar na frente da sua imponente SUV aro 20", essa foi demais.........., como não publicou a foto do carro, deve ter filme nos vidros, senão o Sr. Bob Sponja não deixaria ser publicada a matéria ou, como parece ter acontecedido, mandou retirar a foto, abre o olho MAGOO!

      Excluir
    7. "Um estrondo fenomenal e o SUV decolou, e logo parou: atropelei algo! Gelado, abri a porta pensando no pior, uma moto? Não!"

      Irresponsável, este trecho de seu depoimento prova que o Sr. não estava olhando para frente quando da humilhação ao pobre carrinho com sua potente e musculosa SUV aro 20", abre o olho MAGOO, e se ali estivesse realmente uma moto, uma pessoa, uma criança......

      Aqui não podemos fazer nenhuma crítica, os MAGOOs de plantão já aparecem logo babando, são os semi-deuses do universo automotivo e Deus é o Sponja rs.......

      Excluir
    8. Anônimo 23/05/12 22:07

      Eu dirijo um carro "mil" bem rodado, mas não fico "lesmeando" no trânsito, muito menos ocupando 2 faixas. Por sinal, noto que muitas barbeiragens e desrespeito às leis de trânsito e ao bom senso são cometidos pelos motoristas lerdos. Essa cultura de baixa velocidade, que só "alta" velocidade é perigosa e deve ser punida com rigor, aliada à falta de fiscalização/orientação, está criando uma horda de motoristas imbecilizados, cordeiros e com dificuldade de raciocínio. Espero que não seja o seu caso.

      Excluir
    9. A questão não é ser ou não cordeiro, a lei esta aí para ser respeitada, se o sujeito tem capacidade técnica ou não, isso já é um problema de formação, sempre discordei do título "auto-escola" que de escola não tem absolutamente nada. Infelizmente temos que dividir espaço com esses tipos, mas sempre de forma responsável para que não coloquemos terceiros em risco como fez o todo poderoso dono da SUV aro 20".

      Excluir
    10. A lei, quando mal feita, mal aplicada e com intenções divergentes do que deveria ser seu propósito, deve ser criticada e contestada SIM. No mais, não sei no que o motorista lento do Uno, comedor de faixas, ou as "barbeiragens" viárias das autoridades estão em conformidade com as leis.

      Eu, com meu carrinho, cansei de aguentar lesmas com seus utilitários caros. A questão aqui não tem nada a ver com classe social ou exibição de poder.

      Alguns dos anônimos ficaram indignados com o Agresti, dizendo: "E se fosse uma moto?" Se vocês estão tão preocupados com os motociclistas, deveriam ter o bom senso de apoiar a retirada dos dejetos viários e armadilhas das ruas, pois os mais vulneráveis a se acidentar com essas porcarias são justamente eles.

      Excluir
    11. Concordo com você adriano ,essas ilhas ou sei lá o que, são armadilhas ,podem ficar em pontos difíceis de se ver , o que pode ter acontecido com autor do post , e o pior que estou vendo estas coisas em outras cidades de São Paulo,quem não gosta deste blog não é obrigado a ler e comentar vai ver outros blogs ,sou a favor da liberdade consciente de velocidade dos carros e de outras coisas publicadas aqui,abrs!
      Fabio.

      Excluir
  19. A Avenida das Corujas no Alto de Pinheiros também tem umas arapucas muito boas. Para subir numa ilha basta chover um pouquinho e escurecer para perder a visão. A ilha está alinhado bem em linha reta na rua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passo sempre por la ... realmente é bem perigoso.

      Excluir
  20. Quanto ao Uno , com certeza tinha placa de Goias..
    Era o Pisca dando umas vorrrtas na capitarrr!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago Benson23/05/12 16:54

      Nada, o hobby do Pisca é andar de caminhão xingando paulistano engravatado para ver se consegue alguma atenção deles.
      Até agora, coitado, só conseguiu ser multado por furar o rodízio de caminhões.

      Excluir
    2. Há há há há há !
      Boa!

      Excluir
    3. Zezão - Vianópolis24/05/12 14:16

      Goiano não fala desse jeito, puxando erre, seu tapado ignorante.

      Excluir
  21. Lembrei-me agora de algo historicamente mal projetado e que praticamente separa meninos de homens: a alça de retorno no sentido centro do viaduto Armandinho do Bixiga. Segue Street View:

    http://maps.google.com/maps?q=%22viaduto+armando+puglisi%22&hl=en&ll=-23.562846,-46.645932&spn=0.007159,0.014795&client=firefox-a&t=h&z=17&layer=c&cbll=-23.562943,-46.645898&panoid=4V4y_sK5p1UG45H-ZO97SQ&cbp=12,69.22,,0,2.45

    Notem que na imagem, tirada em dia de chuva, vê-se claramente uma mordida de guia perto do homem de camisa branca com a mão no queixo, bem como outra ligeira mordida de guia perto do outro grupo de pessoas. Notem também pelo trilho de água dos pneus que dá para ver a trajetória adotada pelas pessoas mais safas, que é a de abrir o raio do meio para o fim da curva, sendo mais esperável que fechassem mais o raio devido ao perfil da curva em si.
    Vale lembrar que não é incomum que alguém morda a guia na parte interna do começo dessa curva, sendo geralmente mordida de guia feita com a roda traseira esquerda. Notem também o risco de se expor a uma pequena batida lateral na coluna do viaduto, ainda que nesse caso, a inclinação que o carro adquire ao morder a guia costume impedir que isso ocorra. Porém, o mau projeto fica evidente, pois daria para sossegadamente fazer algo que permitisse que a curva fosse feita pela parte interna durante mais tempo, o que inclusive permitiria maior segurança a todos por na prática haver mais espaço para um motorista corrigir eventuais problemas durante a tangência.

    ResponderExcluir
  22. Daniel San23/05/12 16:02

    Roberto,não é preciso ser muito esperto que esta situação interessa a todos,menos ao motorista/motociclista. É só reparar:A oficina quer mais é que seu carro se exploda na cratera mais próxima,por questões óbvias. As lojas de autopeças,idem. A prefeitura,nem se fala,pois economiza uma nota boa com asfaltamento de péssima qualidade. Como já escreveu Paulo Mendes Campos em uma crônica,o automóvel é uma espécie de sociedade às avessas,na qual todos lucram,menos o dono.

    ResponderExcluir
  23. Em Belo Horizonte é a mesma coisa. Já rasguei pneu novo em buraco, bem de frente ao Tribunal Federal, próximo à Praça da Assembleia Legislativa... Os novos e infinitos viadutos são de uma geometria irresponsável, com alças em ferradura e faixas mal pintadas.

    Em Betim, pertinho de BH, muitos anos atrás estava passando numa avenida de periferia da cidade e, no meio de uma curva, aparece, do nada, uma ponte estreita com um canteiro central. O Passatão passou com o canteiro bem no meio das rodas e nada aconteceu além do susto. rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aquela aberração do viaduto de acesso ao túnel da Cristiano Machado, sentido Centro - Bairro??? No meio da curva (ceguinha de tudo) você dá de cara com a divisória de pistas DE CONCRETO. Ah, é só guiar pela faixa, né? Ôpa, cadê a faixa?

      Excluir
    2. kkkkk É isso mesmo. Repara aquele viaduto "novo" que sai da Bernardo Vasconcelos para cruzar a Cristiano Machado. No meio, tem a bifurcação. Quando inauguraram, tinha placa apontando "shopping" à direita e "aeroporto" à esquerda. Agora, nem placa, nem faixa, nada...

      Excluir
  24. Tieta do Agresti.

    Lua Cheia.
    De verão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaiz, a Dona Flor além de ter duas sogras ainda é ciumenta.

      Excluir
  25. Sem querer parecer obsessivo, mas o Kassab foi uma das piores coisas que já aconteceram em SP.
    Conseguiu ser pior que Martaxa e Maluf.
    Isso tudo é reflexo de um governo de desleixo, descaso e oportunista, que rege tudo pela batuta do roubo descarado.
    Basta lembrar dos ridículos limites. Da demagogia do pedestre e da bicicleta. Do desmonte total da CET, que antes era um monte de idiotas e agora viraram um monte de espertalhões.
    Infelizmente todo o mal causado será muito difícil de reverter, são mudanças profundas. Espero que o Paulistano seja um pouco mais esperto e mande o Serra pastar - aliás é por isso que o Kassab já está dando terra pro "Instituto Lula". Aliás, se possível, podiam mandar o nó cego do Haddad pastar tbm. SP precisa de uma "terceira via".

    ResponderExcluir
  26. Agresti,

    Esses dejetos viários são feitos por gente que tem os mesmos dejetos dentro do crânio.

    Admiro em especial os tachões sobre faixas de sinalização, esses sim, pura arte tupiniquim.

    ResponderExcluir
  27. Esse negócio de trânsito é pura indecisão! Coloca lombada. A lombada não foi bem construída, então tira lombada. Coloca lombada eletrônica. A lombada eletrônica funciona por seis meses. Nos outros dois anos ela fica desligada. Tira lombada eletrônica e coloca uma rotatória. A rotatória não foi bem planejada, então tira a rotatória e faz mão única com duas pistas. O retorno fica muito longe. Constrói um retorno no meio do caminho. Os carros passam em alta velocidade no retorno. Colocam uma lombada. A lombada é muito alta. Tira a lombada e coloca uma lombada eletrônica, que só funciona por seis meses. Faz uma faixa de pedestres. Coloca redutores de velocidade antes da faixa de pedestres. Tira os redutores e moderniza com radares. Os radares não funcionam. Desmancha tudo e volta como era. Coloca uma lombada...

    ResponderExcluir
  28. Isso foi CASTIGO por andar de SUV.

    ResponderExcluir
  29. Sim, se ele estivesse num carrinho pequeno e ecológico isso não teria acontecido.... (ironia)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Santo, Santo, Santo23/05/12 20:53

      Volta pro inferno, box dos demônios!

      Excluir
  30. Olá Roberto,
    moro na Vila Madalena e conheço exatamente dos pontos que citou.
    Para piorar, os onibus sao desproporcionais às vias - como ocorre em toda a SP - e andam em alta velocidade no bairro.
    oficializei um pedido à CET para a RE-pintura de uma rotatória bastante importante e muito movimentada, na Rua Nazareth Paulista. Chegaram a me enviar uma carta informando que o pedido já havia sido deferido, e até agora, 4 meses depois, nada mudou.
    nao há estomago para suportar tamanha incompetencia.
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio23/05/12 22:43

      E o que dizer, então, dos ônibus articulados, que também circulam por vias estreitas?
      Uma coisa boa que o Jânio fez foram os ônibus de dois andares. Carregavam tanto quanto um ônibus articulado, porém com uma "pegada" de ônibus simples.
      Entretanto, foram tirados de circulação, supostamente por causa de Sua Excelência, a Fiação Aérea da Eletropaulo.
      Terceiro mundo é foda!

      Excluir
  31. Um complexo viário com o nome de Escola de Engenharia Mackenzie não podia ser bem feito mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O contrário, caro anônimo. Se tem um nome que essa obra não poderia ostentar é justamente o nome Mackenzie. Sou formado por essa escola e tenho muito orgulho disso.

      Ah, sim! Tudo o que faço aqui em meu escritorio é muitíssimo bem feito.

      Excluir
    2. Podiam mudar para "escola de engenharia uni(qualquer coisa: nove, ban, p, etc...)

      Excluir
    3. ahuhuahuahuahu boa anônimo!

      Excluir
    4. olha só!
      engenheiros formados no Brasil usando as mesmas cartilhas de 40 anos atrás se achando os melhores do mundo?!?!?!

      hahahahaha...
      fiquem tranquilos, agora é hora dos indianos darem um cacete em vocês.

      se preocupem com o que realmente importa - além de seus holerites - ou fiquem eternamente nesse bairrismo enquanto o mundo nos coloniza.

      babacas.

      Excluir
    5. anônimo 24/5 7:43 (firula)

      Quanta besteira.

      Excluir
  32. "Um estrondo fenomenal e o SUV decolou, e logo parou: atropelei algo! Gelado, abri a porta pensando no pior, uma moto? Não!"

    Irresponsável, este trecho de seu depoimento prova que o Sr. não estava olhando para frente quando da humilhação ao pobre carrinho com sua potente e musculosa SUV aro 20", abre o olho MAGOO, e se ali estivesse realmente uma moto, uma pessoa, uma criança......

    Aqui não podemos fazer nenhuma crítica, os MAGOOs de plantão já aparecem logo babando, são os semi-deuses do universo automotivo e Deus é o Sponja é claro rs.......

    ResponderExcluir
  33. Lorenzo Frigerio23/05/12 22:38

    Na minha opinião, essa insistência da CET de pintar faixas e colocar gelo baiano no asfalto é "herança lusitana": é achar que é possível transformar carros em trens e obrigá-los a seguir precisamente o trajeto que "eles" acham ser o correto, o qual "eles" acham que têm toda a competência do mundo para definir.
    E uma segunda razão é que a CET é um verdadeiro "cabide de empregos" para apadrinhados de políticos da base do governo, os quais querem "mostrar serviço".
    Esperar que esses caipiras obtusos usem a cabeça para a melhora da fluidez do trânsito, inclusive aproveitar soluções usadas com sucesso lá fora, é esperar demais.
    O layout viário de São Paulo deveria ser "zerado" e reprojetado completamente por um órgão formado por especialistas de renome, deixando a CET só para colocar cones e orientar o tráfego.
    Eu começaria, por sinal, acabando com essa obsessão por vias de mão única, que impossibilita a flexibilidade do sistema para atender ao rush da manhã e da tarde, e que deixa algumas ruas vazias para congestionar outras e ainda por cima obriga os motoristas a "fazer balão", mantendo seu veículo circulando por tempo extra no sistema e gerando aumento do congestionamento, do desperdício de combustível e da poluição. Qualquer engenheiro de verdade (não os "engenheiros" da CET) consegue entender isso muito bem.

    ResponderExcluir
  34. Lorenzo Frigerio23/05/12 22:49

    E falando em tinta, temos também outro hábito incrivelmente jeca aqui na Cidade de São Paulo: guias intercaladamente caiadas de branco. Várzea total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrando que as guias pintadas intercaladamente de branco são sempre repintadas religiosamente em ano de eleição...

      Excluir
  35. Alexandre - BH24/05/12 03:12

    Se o Agresti não mencionasse o nome dos lugares e da cidade, eu pensaria se tratar de BH. Aqui parece cópia em menor escala de São Paulo. Não sei se importamos ou exportamos idiotice para aplicar no trânsito. Pensando bem, essa burrice oficial pode não ser tão burra assim. Pelo contrário: Pode ter nome, endereço e conta bancária dos sanguessugas de sempre (vide a farra na instalação de canteiros, ilhas, lombadas, gelos-baianos e outros “caroços” inúteis pela cidade).

    ResponderExcluir
  36. Agresti,

    E as faixas repintadas na capital paulista que não são mais refletivas (redução de custo?) que sempre que chove simplesmente desaparecem no espelho d'água.

    Isso somado à qualidade dos motoristas, sua responsabilidade, eletrônicos diversos, filme no parabrisa e demais sinalização precária resulta na carnificina oficial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Há uns bons anos atrás as faixas divisórias de pista, as faixas amarelas de lombadas eram todas refletivas. Já hoje...

      Mas tudo bem, os manos motoristas de hoje andam de farol apagado, só com neblinas acesos, ou com os xenons xunnings apontados pra lua!

      Excluir
  37. O SUV estava filmado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disso não tenho dúvida, senão teriamos visto as fotos da SUV aro 20" do todo poderoso rs....

      Excluir
  38. Claudionor24/05/12 13:38

    Tsk Tsk... ultrapassando pela direita? Já dizia o código de trânsito que o correto é sempre pela esquerda!! Poderia ser uma moto ou pedestre ou ciclista. Aí, com certeza, seria pior q um "susto".

    ResponderExcluir
  39. Taí mais um motivo para jamais ter um SUV, desperdício total de material e engenharia.

    E para aqueles que caíram de pau no autor do post, sugiro que releeiam o trecho a seguir:

    Dizem que um acidente ocorre não por um único motivo, mas por um conjunto de fatores. No caso temos o tonto do Uno a 15 km/h no meio de uma rua de pista dupla, o tonto com pressa ao volante de um carro alto mas de capô longo, que pouco favorece ver o chão imediatamente à frente e... um modo tonto de fazer sinalização de trânsito, usando cimento.

    Ou seja, ao mesmo tempo que o autor reconhece sua parcela de erro no evento, critica o cabeça de pudim se arrastando pela via "nem lá nem cá", como se estivesse no quintal de sua própria casa (mas nem um monge tibetano agüenta ficar atrás de um palerma lerdo e indeciso por muito tempo). Critica também o fato de se usar cimento para construir a ilha, visto que a cor cinza em nada ajuda a visualização. Imaginem essa porcaria à noite e com chuva...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SUV é pra quem PODE e teve sucesso na vida pra bancar um.

      Excluir
    2. Realmente observação inadequada, então pelo que entendi o cara que tem grana compra um carro, faz merda e não pode ser criticado? Então o Sr. Eike, "vendedor de promessas", daqui a pouco vai estar cagando na cabeça de todo o povo brasileiro e o paga pau do Sr. 666 de boca pra cima e aberta. Cabeça de brasileiro é uma merda mesmo, um país que começou errado só pode ter dado nisso mesmo, haja vista o que se elege por aqui, todo mundo reclama, mas na oportunidade que é dada através da eleição, só fazem na urna o que fazem na privada, todo povo tem o governante e o criminoso que merece, a democracia é a ditadura da maioria, vão chorar na cama que é lugar quentinho, e cordeirinho é a PQP.

      Excluir
  40. Dr. Traffic Calming24/05/12 21:45

    Prezados:

    Faltou uma foto da "Largada do GP da CET" na Capital Mundial das Placas de Trânsito: aquele que começa com 4 pistas para em seguida se tornarem 3...
    O motorista que se vire. Bem no estilão da empresa de economia mista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica frio, Dr, Traffic. Logo logo mando uma bem legalzinha, na av. JK x Bandeira Paulista. São tres faixas saindo do semáforo e, ao entra no túnel Tribunal de justiça viram duas faixas. Quem está na faixa do meio se lasca inteiro, tem que pedir passagem para a esquerda ou para a direita, uma zorra. Essa é a engenharia de tráfego paulistana, um bando de boçais se fingindo de contoladores e analistas, um pessoal que se voltar para o primário é capaz de levar pau até em tabuada.

      Excluir
  41. Não sei se estou ficando cego, não reclamaria das faixas ou limitações físicas colocadas no asfalto (ainda não atropelei nenhuma, "sorte") mas sim das placas que atualmente estão colocando apenas 5 metros de distancia da saída indicada pela placa... Já tomei vários perdidos por passar por entradas que estavam com as placas muito em cima e para não fazer a chamada "merda ao volante" já tive de andar mais de 3 ou 4 km para voltar ao trajeto inicial... Em especial nas marginais e acessos para estradas. Ou será que estou ficando lerdo??? Abraço!

    ResponderExcluir
  42. Olhando a foto é possível perceber que ali havia sinalização horizontal, e que de tanto os "espertos " passarem por cima (vide o autor do post) resolveram fazer uma ilha física. Como a foto não mostra todo o cruzamento (que conveniente....) também é certo que aquele local servia de refúgio para quem estava atravessando a via.

    Bem feito...pena não ter quebrado o carro todo...ou ter perdido o controle e se acidentado. Quem anda do jeito que quer sem respeitar os outros tem que se ferrar. Gostei do "auto-reclamões" (cordeirinho é a mãe...ainda junto o que sobrar de ti de pá em um acidente). Bando de meia-roda que se acham motoristas. Podem ficar dando chilique....brabinhas...é o que vocês são.

    ResponderExcluir
  43. Detalhe: a opinião de vocês fica aqui....não serve pra nada...ninguém escuta

    ResponderExcluir
  44. Ih... um post deste mostrando do Rio, ia ficar BEM ilustrado!!! BIZARRO!!

    ResponderExcluir
  45. Anônimo26/05/12 11:03
    Anônimo26/05/12 11:12
    Detalhe: a opinião de vocês fica aqui....não serve pra nada...ninguém escuta

    Os dois anonimos devem ser da cet ou da prefeitura ,se vocês levassem uma fechada e precisassem jogar o carro numa dessas ilhas ,não tem o que falar calem a boca,e se opinião nossa fica aqui não é da sua conta anonimo !!!

    ResponderExcluir
  46. Mister Magoo!29/05/12 15:06

    HA HA HA!!!

    AUTOENTUSIASTA MÍOPE DETECTED!!!!!

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...