14 de agosto de 2012

E OS MOTORES, TÊM CICLO DE VIDA?



O premiado motor Ford 3-cilindros de 1 litro, vista em corte


Em 2012 o mercado brasileiro de automóveis vem assistindo a um intenso ritmo de lançamento de novos produtos, desconsiderando os face-lifts. A Fiat trouxe o Grand Siena (família 326); Citroën, o C3 de segunda geração, completando os modelos do projeto A5x (Air Cross, Picasso e C3); GM, o Chevrolet Cruze hatch, Sonic hatch e sedã, Spin, S10 de segunda geração; mais à frente vem o Onyx sedã; Ford, a Ranger nova geração e o novo EcoSport; Peugeot, 308 etc.; e nestas últimas semanas carros totalmente novos despontam, o Hyundai HB20 e o Toyota Etios.

Porém, nem todos os motores que equipam esses lançamentos são inéditos. O que então define a necessidade de trazer um novo motor ou trem de força? O ciclo de vida dos motores segue um tempo diferente?

Neste espaço do AE, não foram poucos os leitores que manifestaram suas críticas a alguns motores que estão há longo tempo em nosso mercado e ver os lançamentos mais recentes equipados com velhos conhecidos não lhes deixou boa sensação, no que de certa forma concordamos.

O ciclo de vida médio de um automóvel está perto dos seis anos, com uma atualização estética no meio do caminho, é assim nos mercados desenvolvidos, parece será assim no Brasil também. Já nos motores o ciclo pode ultrapassar décadas, sem que os sinais de velhice lhes comprometa competitividade quanto a desempenho ou consumo. As atualizações mecânicas que estes recebem ao longo do tempo em geral objetivam adequá-los aos novos e mais rígidos limites de emissões.

Vista do motor Volkswagen 2-L do Jetta

Dia desses discutíamos no grupo sobre o motor do 2-litros do Volkswagen Jetta Comfortline, basicamente o mesmo AP-2000 de vinte e cinco anos atrás, quando estreou em nosso Volkswagen Santana, pouco depois no Gol GTi. Hoje tem coletor de admissão de plástico, injeção de combustível seqüencial, oito válvulas e na calibração americana 117 cv e 17,3 m·kgf. Em que pese esses números poderem ser atingidos por um bom motor de 1,5 litro, estão longe de inadequados à proposta do sedã da Volkswagen, que vem sendo muito bem-recebido pelo exigente mercado dos EUA. 

Na imagem abaixo, um quadro comparativo com Honda Civic, Mazda3 e Toyota Corolla, todos eles vendidos no mesmo mercado. Podemos confirmar essa impressão, o Jetta pode ter pouco menos de potência e torque que seus contendores, mas segue sendo competitivo em quesitos importantes ao consumidor de lá e aqui também. É evidente que o motor foi combinado com uma ótima transmissão.



Automóveis não são definidos somente por suas fichas técnicas, tampouco a excelência delas define o seu sucesso de mercado, inclusive para os motores. Porém, enquanto o estilo e detalhes estéticos e de acabamento podem mexer mais com as ilusões apelando para o emocional do comprador do que os motores, estes também podem influenciar. 

Há mais fatores que fazem os consumidores gostar de determinados motores, como durabilidade, confiabilidade e pouca manutenção. E o longo tempo deles no mercado pode sinalizar que cumprem bem seu papel. Mas o Jetta do exemplo é também ofertado com outros motores, dentre eles um moderno 2-litros turbo de injeção direta, 200 cv, ou seja, o consumidor pode escolher modernidade e desempenho ou simplicidade e baixos consumo e manutenção.

E creio que esse parece ser um ponto crítico aqui no Brasil, a falta de opções interessantes de motor para muitos modelos, as disponíveis serem de projetos antigos, de desempenho nada empolgante, consumo de combustível menos ainda.

Ford 3-cilindros turbo de injeção direta

O panorama parece ser de melhora. A Ford trará o premiado 1.0T de três cilindros, eleito Motor do Ano 2012 pela publicação Engine Technology. Com turbocompressor e injeção direta, oferece 125 cv e até 20 m·kgf de torque (no modo overboost, pressão adicional). Lá na Europa equipa os novos veículos da família Focus de sedã, hatchback e perua, substitui com vantagens o motor de 1,6 litro. Virá também em versão de aspiração natural substituindo o 4-cilindros atual. Outros três-cilindros estão a caminho, da Fiat, GM e VW, também para as novas famílias de veículos compactos. Mas, o que está trazendo a modernidade para cá?

Volkswagen 3-cilindros 1-litro do Up!

Com demandas mais restritivas de emissão de CO2 na Europa, os fabricantes recorreram desta vez ao conhecido downsizing. Um motor de baixa cilindrada com turbocompressor e injeção direta de combustível substitui outro de maior tamanho, mantendo o desempenho e com redução de consumo e emissões. Já mostramos vários deles aqui no AE, a nova geração do BMW Série 3 emprega o motor 2-litros turbo de quatro cilindros para quase todos modelos. Como por "teimosia" deixou o seis-cilindros de 3 litros somente para o topo da gama, evidente que com turbo também. Na verdade, empurrou o três-litros turbo para os Serie 5, deixando espaço ainda menor para o V-8. 

Era uma questão de tempo o downsizing chegar aos motores de 1 litro. Longe de ser algo a comemorar, renovar produtos aqui com mais tecnologia, oferecendo mais desempenho e redução de consumo será mesmo bem-vindo. Não foi por nossas leis de emissões, tampouco por demanda de mercado, mas virá.

Turbo e injeção direta ainda não parecem necessários para todos. Os novíssimos Toyota Etios e Hyundai HB20 têm propostas mais conservadoras e motores igualmente novos no segmento compacto. Qual deve ser a aposta deles? Consumo de combustível? Depois de assistirmos seguidas intervenções do governo no setor automobilístico, sempre na área econômico/tributária, com resultados nem sempre eficazes, é frustrante que o programa de etiquetagem veicular ainda não tenha atingido a 100% dos modelos. Nesse caso sim, a mão do governo seria bem recebida, pois seria capaz de dar condições a uma conscientização coletiva dos consumidores sobre quais modelos apresentam uso mais eficiente do combustível e estes fazerem suas escolhas baseando-se este parâmetro.

Vejo o panorama no Brasil como positivo. Na Europa a renovação de produtos segue leis de mercado e de segurança em testes de impacto, e a renovação de motores é dirigida por leis de mercado e emissões e redução de CO2. Aqui já temos o Latin NCAP começando a exercer papel semelhante e pegaremos carona no downsing dos motores de carros compactos. Se trabalharmos melhor nossas carências, o processo evolutivo poderá ser ainda mais acelerado. Tomara.

MAS


178 comentários:

  1. Que belo texto!
    Se todo dia fosse assim, seria maravilhoso! Mas algumas pessoas insistem em escrever bobagem sobre o que não sabem, como aqueles dois parágrafos muito mal escritos sobre a Polícia Rodoviária Federal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mal escrito?!
      Acho que foi mal interpretado, ou você era um dos "pulicia" que estavam reivindicando alguma coisa e prejudicando a população!
      Felipe

      Excluir
    2. Assino embaixo "Anônimo 14/08/12 12:02"

      Excluir
  2. Ótimo texto, e um questionamento: o motor que equipava o Vectra GSi nos anos 90, ainda hoje não poderia ser considerado um motor moderno?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor Gomes14/08/12 12:10

      Assim como o motor que equipava o Honda Civic VTi (B16A2/A3)...

      Excluir
    2. Ernesto Jr14/08/12 13:11

      É o motor do Monza retrabalhado com injeção SFI , pistão forjado , preparação pela Cosworth como o nome diz C20XE ... Vc consideraria isso moderno ? Prefiro injeção direta e turbo sem lag como hoje ...

      Excluir
    3. Lorenzo Frigerio14/08/12 13:53

      É um motor muito bem desenvolvido, mas a primeira coisa que eu colocaria nele para torná-lo mais "moderno" seria um variador de fase, para resolver a falta de torque em baixa e talvez aumentar ainda mais a potência em alta.
      Na Europa houve uma versão turbo com 204 hp, no Calibra 4X4.
      Injeção direta é uma característica colocada nos motores mais modernos especialmente por razões de emissões.
      Basicamente, você vê que um bloco básico é muito durável; o que muda é sempre o cabeçote e o sistema de alimentação.

      Excluir
    4. Ernesto Jr14/08/12 14:25

      Lorenzo ... Possuo um Corsa GSi com o C16XE e motor acabou de ser feito . A falta de torque em baixa é compensada pelo baixo peso mas depois que aparece o torque fica até difícil para brecar ... Este é um motor resistente , com potência específica boa para aspirado e uma dose de tecnologia considerável .. Mas acho que a sua época já foi , hoje um 1.6 sem refinamento e flex tem mais potência . E troco fácil o 2.0 ou o 1.6 dos GSi pelo 1.6 THP .

      Excluir
    5. Segundo o que li na internet, o motor do Vectra GSi teria deixado de ser produzido por não se adequar às normas de poluição do PROCONVE de 1997. Ele "sobreviveu" amansado por mais um tempo no pesado Vectra B, até ser substituído pelo motor de 2,2 litros

      Excluir
    6. Lorenzo Frigerio14/08/12 17:22

      O motor do Vectra GSi/Calibra foi tirado de linha na Europa, em 1995. Ele não equipou o Vectra B. Os motores do Vectra B são todos parecidos; a única coisa é que o 2.2 tem bielas mais longas (não o suficiente), curso maior e árvores de balanceamento. A idéia era dar mais torque, porque o carro era pesado e o câmbio, longo, e esses motores nunca tiveram variação de fase, quanto mais naquela época.

      Excluir
    7. Primeira vez que o Lorenzo Frigerio dá uma dentro...
      Viva!!!

      Excluir
    8. Farjoun,
      Aquele motor era excelente, um marco técnico, mas caro demais, 150cv em motor 2-litros hoje se atinge sem pistões forjados, sem coletores de escape de inox e com menos emissões.
      Para mim, quando o fabricante se depara com o futuro, i.e. leis de emissões próximas, ele tem de fazer escolhas, em geral aparecem opções mais econômicas, com aceitável sacrifício no desempenho. Entenda motores de topo de tecnologia tem vida mais curta também, quanto durou o 2-litros do Honda Si? uma geração? e aquele de 160 cv do Civic VTi dos anos 90? creio uma geração também. Sortudos daqueles que tiveram aqueles carros.

      MAS

      Excluir
  3. Marco Aurélio, esse texto veio a calhar! Uma vez li que o motor é a parte mais cara de um projeto de um novo veículo, por isso é interessante sua aplicação em vários modelos e por muitos anos(vide AP e GM Familia I e II). O pessoal aqui do blog que trabalha/trabalhou com engenharia e/ou fábricas de carros pode falar se é muito dificil um engenheiro projetar um motor do zero, ou seja, é uma tarefa muito complexa mesmo para quem é da área? Mas deve ser muito gratificante ver sua "cria" motorizando os veículos... Outro assunto fora do tema, mas se alguém se predispuser a responder: Li certa vez no caderno de veículos da Folha um especialista em ar-condicionado falar que não se deve ligar o compressor(consequentemente o ar) com o motor girando acima de 3.000rpms, pois isso prejudicaria sua vida útil. Tal informação procede ou é mais um dos mitos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fosse assim, os motores de 1000 cm3 não desligariam o compressor quando é solicitada uma maior carga.

      Excluir
    2. Nada a ver, os 1.0 desligam o compressor quando há necessidade de potência e o compressor "rouba" potência do motor.

      Excluir
    3. Não são apenas os 1-litro que desligam compressor. O Fusion também desliga. O Monza que tive também deligava.

      O raciocínio por trás disso é que na hora em que o pedal é pressionado até o fundo, o carro deve ter o melhor desempenho possível, até por questão de segurança, pois pode tratar-se de uma ultrapassagem.

      Excluir
    4. Se esse procedimento fosse necessário estaria descrito no manual do proprietário.

      Excluir
    5. Pessoal, o compressor de um sistema automotivo liga e desliga várias vezes mesmo o ar condicionado estando ligado, por causa da pressão e evitar o congelamento do sistema, independente de um comando externo para desligá-lo temporariamente. Podem fazer essa observação: com o carro na lenta e o ar ligado, é possível observar essa intermitência (lógico que dependerá da rotação do motor), portanto, Thiago, este 'especialista' em ar-condicionado automotivo falou besteira...

      Excluir
  4. Aqui motores modernos e com recursos tecnológicos interessantes são mal recebidos pela grande massa - acabam ficando restritos a modelos que depois de usados, "micam".

    Mecânicos que não conseguem regular um Fusca para passar numa inspeção veicular dificilmente terão ferramental para desmontar uma injeção direta do Jetta TSI, então esse carro, enquanto novo (e sem problemas) fica na mão de quem tem o $ pra pagar, depois de usados e já com problemas acabam sucateados.

    A população ainda vê o emprego do mecânico como sendo algo simples de quem não tem opção porém a nova realidade exige um técnico com formação, ferramental e que faz tal serviço pois gosta e não como bico. Mas aonde encontrar esse técnico?

    A solução para vender: motores simples, ultrapassados, com pequenas adequações, isso garante a longevidade do modelo e a "boa visão" do mercado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem por aí, visto a quantidade de Logans pelas ruas.

      Excluir
    2. A quantidade de moleques retardados detectados no Autoentusiastas é maior. Você é só um deles.

      Excluir
    3. Assim como cada povo tem o governo que merece, cada blog tem os leitores que merece.

      Excluir
    4. Mr.Car
      Veja abaixo um anuncio de Polara.
      Pela foo o carro me parece bonito! Nao sei se de acordo com o que voce busca .
      Mas acho que vale dar uma olhada

      http://www.pauloantigos.com.br/detalhes_carros.asp?carros_id=828&url_detalhes=

      Boa sorte

      Excluir
    5. Calma, calma, Mr Car. Quem tem Logan aceita tudo.

      Excluir
    6. Obrigado pela dica.
      Abraço.

      Excluir
    7. concordo com vc Hugo, tem mecânico que até hoje não aprendeu a mexer em injeção eletrônica comum, motor 16 válvulas, imagine esses motores que serão lançados em breve...

      Excluir
    8. Meu, até hoje não entendi o motivo de pegarem no pé do Mr. Car.

      É um saco ficar lendo essas piadinhas de Logan, Polara, que não tem a menor graça.

      Na minha opinião, nem cara nem babaca é, ainda se fosse...

      Excluir
    9. Logan ainda é moderno.

      Quem tem Celta sim, aceita qualquer coisa.

      xiiii, escrevi a palavra proibida por aqui: Celta!

      Excluir
    10. Moderno é andar no lombo do Mobilete

      Excluir
    11. Autoentusiasta Cansado da Luta14/08/12 18:06

      COncordo com o Hugo.
      E, se é para trollar, pelo menos sejam engraçados. Troll sem graça é fogo.

      Excluir
    12. Calma Mr. Car esse anônimo chato deve andar de Clio e teve que recortar o teto pois a mulher dele deve ter trocado ele pelo vizinho que tem um Logan.

      Excluir
    13. Autoentusiasta bem disposto14/08/12 22:25

      Autoentusiasta cansadinho, não vai chorar, por favor.
      Anonima das 18:42, vc é um enrustido que acha que todo mundo é corno. Mas essa adulação gratuita pelo Miss Mobilete é muito estranha...

      Excluir
    14. Calma pessoal, calma... O Mr. Car só não é feliz na escolha dos carros. Deve ser gente boa.

      Excluir
    15. Mr. Carroça, o expert em lixo.

      Excluir
    16. Ui essa tua fixação pelo MR. Car, será que tu está apaixonada por ele 22:25, 23:24, 01:52 mas ele tê ignora e não quer saber do teu amor?
      Teu recalque é ter sido trocada por um Logan?
      Deixa de ser viado.

      Excluir
    17. Fez muito bem o Mr. Car ter trocado o amor desse viado que o persegue por um Logan.

      Excluir
    18. A primeira coisa que o Mobilete fez hoje ao acordar foi se transformar no Anônimo das 07:41, depois foi suspirar e entrar no Logan.

      Excluir
    19. São várias pessoas que alopram o Mr. Car. Demais alopradores, o que acham de lançarmos a campanha "o Polara do Mr. Car"?

      Excluir
    20. Será que são varios alopradores? pela escrita, moral e baixa autoestima só vejo uma pessoa(14:16 = 12:42 que é o mesmo das 22:25, 23:24 e 01:52) portanto só vejo alguém que foi rejeitado pelo Mr. Car.

      Talvez seja viado por ter aquilo pequeno ou por não funcionar, procura um medico, isso têm tratamento antes de ficar perseguindo anonimamente pessoas na Internet. Isso é doença e deve ter tratamento.

      Excluir
    21. Defensor do Mr. Car: há vários. Sinceramente não fiz a contagem como você, mas te garanto que são vários. E garanto também que em nenhum momento ainda que anonimamente escrevi ou escreverei comentários agressivos, desrespeitosos, nem com palavrões. E é justamente isso que irrita o seu cliente. Cliente porque a partir de agora o senhor foi nomeado o defensor do Mr. Car. Parabéns! Convido-lhe a participar da campanha "o Polara do Mr. Car". Seu cliente merce porque andar de Logan todo dia é castigo demais para uma pessoa só.

      Excluir
    22. Onde lê-se merce, linha oito; leia-se merece.

      Excluir
    23. Rapaz, procura tratamento, ficar fixado em homem é doença.

      Excluir
    24. Anônimo15/08/12 01:52

      Falei mal do Mr. Carroça e não sou o mesmo dos outros posts.

      Ele é mesmo um babaca.

      Excluir
    25. Mr Car sumiu misteriosamente , mas em compensaçao apareceu um anonimo defensor, estranho...
      Mas uma coisa é certa, o coro contra o Mobilete so cresce.

      Excluir
    26. O Cara se da ao trabalho de ficar vindo em intervalos de 2 ou 3 horas postar para tentar mostrar que é um anônimo diferente, usa proxy da próxima vez...

      Excluir
    27. Anônimo 16/08/2012 00:25, com toda certeza só cresce. O sujeito vem aqui com o nick de Mr. Car (tem um Logan, quer um Polara e pensa que é AutoEntusiasta) vomitar bobagens e arrotar asneiras, tem mais que ser aloprado mesmo. E quanto ao defensor dele achar que é um só que o detona, deixe pensar.

      Excluir
    28. Há quanto tempo você não vê uma mulher, se é que já viu um dia? Está te fazendo falta. Muita falta. Ou não: quem sabe o que esteja te fazendo falta, só um homem possa lhe dar, he, he, he! Aposto minhas fichas nesta segunda possibilidade.

      Excluir
    29. Mr. Carroça = Otoridade em Artomóvel

      Excluir
  5. motor novo em nosso mercado diga-se,vejam o caso desse motor da ford (sigma) nada mais é que o Zetec 1.4 que saira no fiesta e courier em 1996 com o diametro e curso dos cilindros aumentados para 1.6,acho que a grande novidade será o multi air da fiat com 2 ou 4 cilindros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. O motor do Cruze(1.8 16v Ecotec) tbm é o antigo GM 1.8 com um outro cabeçote

      E o MultiAir da FIAT nada mais é que um sistema de controle pneumático sobre abertura e fechamento das valvulas,aumentando o torque e potencia do motor, mas ele pode ser, teoricamente, instalado em qualquer motor. Por exemplo, ele será agora instalado nos blocos E-Torq (1.6 16v e 1.8 16v), mas os projetos originais destes blocos já contam com quase uma decada, apesar de Fiat ter renovado quase eles todos, pois eles eram os antigos motores da Tritec e equipavam os Minis

      Já o TwinAir, o motor de 0.9L da Fiat, este sim uma grande novidade

      Excluir
  6. Às vezes eu gosto de praticar alguns exercícios de imaginação com relação a estas novas tecnologias, não necessariamente quanto à forma como funcionam (pois não sou engenheiro), mas algo bem mais na minha área: De que forma fomentar o crescimento da popularidade e utilização de novas tecnologias no nosso mercado.
    Sugerindo algo meio utópico (como governo e agências reguladoras ambos isentos), fico imaginando como seria se a tributação sobre os automóveis fosse baseada não nos critérios obscuros e interesseiros os quais se estabelecem hoje, mas sobre alguns fatores os quais convido quem tenha interesse a debater:
    - “Lucro Brasil”: É uma das vertentes mais criticadas depois da excessiva carga tributária, e afinal, plenamente provada diante de um simples comparativo entre os valores praticados aqui e lá fora de veículos produzidos aqui e exportados. E se, de repente, a base de cálculo para a tributação assentasse sobre o lucro declarado (e comprovado) da fabricante sobre determinado modelo? Seria então montado um quadro de alíquotas de exata proporção sobre o lucro aferido, tornando os modelos quanto mais lucrativos para a montadora, menos competitivos no mercado. Isso forçaria, por barreiras econômicas, um freio àquela visão limitada do consumidor médio acerca das características e reais qualidades do modelo que ele deseja. Ou compraria o que quer (mesmo sendo ruim) por um preço justo, ou a carga tributária incidente sobre a usura do fabricante faria o preço tão alto que o consumidor abriria os olhos para outras opções. Nessa situação, ou o fabricante pratica bons preços, ou vai gerar tributos enormes ao governo, os quais poderão ter excessos aplicados em outras áreas de interesse tais quais a infra-estrutura viária. Essa forma repreende a “política da ignorância” praticada sobre o consumidor e ajudar, mediante a uma reforma nos preços, a redefinir o que realmente cada modelo representa em seu mercado e a que categoria efetivamente pertence.
    - “Fomento à introdução de novas tecnologias e aumento de eficiência dos propulsores e periféricos”: Essa é ainda mais simples do ponto de vista tributário (porém um pouco mais complexa do ponto de vista técnico). Mediante um estudo realizado por uma agência reguladora – isenta, por óbvio – acerca das características de um modelo, tais quais o consumo, emissões, custo de manutenção, durabilidade e desempenho de um determinado conjunto mecânico, estes dados seriam ponderados em uma média a fim de obter um índice. Sobre este índice (poderia ser chamado de “índice de aptidão técnica de propulsores” ou coisa que o valha) aplicar-se-ia uma tabela de alíquotas, sendo que quanto melhor tal índice fosse, menor seria a alíquota a ser aplicada, até chegar no zero. Dessa forma, muito melhor do que fomentar a inovação pura e simples – pois nem sempre tudo o que é novo é necessariamente melhor ou mais vantajoso – as tecnologias novas seriam aplicadas na exata medida de suas necessidades, com custos justos e equilibrados. Ao contrário da etiquetação, que ainda tem como intermediário o crivo do mercado, por óbvio a não mais inteligente das fontes, o sistema de indexação refletiria diretamente no preço do automóvel, forma imbatível de privilegiar o avanço tecnológico efetivo.
    Com estas medidas seria possível “regular” o mercado de forma imparcial, com alíquotas mais pesadas na exata medida das práticas que se quer coibir, e mais leves na exata direção dos incentivos que se quer alcançar, evitando com isso critérios arbitrários e contrários ao bolso do cidadão consumidor. Critérios inócuos como “idade de projeto”, “cilindrada”, “categoria”, vazios por si só, poderiam ser facilmente eliminados e ficaria relegada de fato aos engenheiros a tarefa de otimizar os automóveis, ao contrário do que se vê hoje, com burocratas ditando o destino das máquinas.
    Mas enfim, mero exercício resumido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucro Brasil é a maior falácia da história do automóvel. Só comunista acredita nisso.

      Excluir
    2. Escreveu pra caramba hein, ate parece um colunista!

      Pq nao pede emprego aqui para ter seus proprios textinhos publicados?

      Ah, é verdade. Seus textos sao grandes mas sao chatos.

      Proximo?

      Excluir
    3. 722

      Lucro Brasil então é o q??

      Excluir
    4. Eu tenho outra ideia: Meter o IPI lá em cima e ir dando descontos de acordo com itens como consumo, emissões e estrelas no Latin NCAP. Sendo assim, o IPI de um carro X seria algo como - digamos - 40% de alíquota base, menos 10% por ter consumo médio melhor que 11 km/l, mais 10% por emitir menos que 0,1% de CO e outros 10% por ter 4 estrelas no Latin NCAP. No final, este carro X pagaria 10% de IPI (40 - 10 - 10 - 10)

      Um desconto adicional poderia ser adicionado pelo quesito "preço": Quanto mais barato o preço final, menor a alíquota de IPI.

      Ah, e sem nenhum desconto por cilindrada, pois governo não tem que se meter em especificação técnica de veículo.

      Excluir
    5. Pera aí, se o premio eh por consumo, emissões e capacidade de passar num teste de impactos, então vemos que há um forte direcionamento das especificações técnicas dos veículos.

      Nao entendi o seu senso. Bom certamente não foi!

      Excluir
    6. Menor consumo, emissões reduzidas e bom desempenho num teste de impactos são objetivos a serem atingidos. Como serão vai depender de cada fabricante, que deve encontrar o caminho que julgar melhor para atingir estes objetivos.

      Estas são características que são desejáveis para toda a sociedade e nada melhor do que estimular isto.

      Direcionar especificação técnica é o que o governo faz hoje, ao diferenciar tributariamente as diferentes cilindradas dos motores. Posso colocar um motor 1 litro ultrapassado num carro totalmente ineficiente e inseguro, ele obterá o tratamento tributário diferenciado só por ter a especificação técnica "1-litro". O carro será um lixo, mas terá todo incentivo tributário.

      Acredito que ninguém melhor que o febricante para saber como fazer um carro consumir menos ou poluir menos. O governo deve apenas dar a direção, premiando com imposto mais baixo os veículos de menor consumo, menor emissão e mais seguros. Mas como chegar a este resultado, deixe que os fabricantes decidam.

      Excluir
    7. 722
      Puxa, muito embasada sua opinião. Gostaria de ver como você explica então o fato de os carros produzidos aqui e exportados para outros países serem nestes mais baratos do que no país produtor (Brasil), mesmo com toda a carga tributária incidindo + imposto de exportação + logística.
      Muito mais fácil rotular de comunismo, né?


      Farjoun
      O problema fica na efetividade de repasse. Podem fazer da mesma forma que fizeram com essa recente diminuição do IPI: Segurar a margem de desconto para aumentar os lucros.



      Excluir
    8. Boa Route66, gostei da sua explicação. Mas sou radicalmente contra.

      Sua idéia é boa, mas sugerir 40% de imposto num país de porcos ladrões? Vc tá maluco! Vai sugerir isso na Noruega. Aqui não, por favor.

      Um abraço!

      Excluir
    9. Charles

      Você compra carro na fábrica ou na concessionária?

      Excluir
    10. Charles, qual o problema da fábrica ter lucros altos? O problema dos preços dos carros aqui, além da carga tributária, é a falta de concorrência. Os importados estavam chegando pra aumentar a concorrência, dai esse governo psicopata foi logo acabando com a festa. Desse jeito não vamos ter concorrência nunca. A culpa principal é do governo que fica se metendo no mercado. As fábricas tem uma parcela de culpa menor, elas fazem lobby pq não querem sair dessa zona de conforto.

      Excluir
    11. O 722 é 13!

      Excluir
    12. 14/08/12 13:51 analfabeto!

      Excluir
    13. Daniel, cala a boca Magda!

      Excluir
    14. 722
      Na autorizada, como no restante dos mercados para os quais nossos autos são exportados e comercializados.

      Daniel
      Não seja advogado do diabo. É de conhecimento geral que as margens de lucro aqui praticadas estão muito além do que se chamaria de razoável. Tributos são “a” causa dos preços elevados? Vários apontamentos dizem justamente o contrário. Aliás, falando nisso, se tiver tempo dê uma olhada nesta publicação eletrônica do jornal O Estado de São Paulo [ http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,carro-no-brasil-seria-mais-caro-mesmo-sem-imposto,85197,0.htm ]

      Extraio, inclusive, alguns trechos para frisar melhor o ponto:

      “O Chevrolet Malibu, por exemplo, custa a partir de R$ 89.900 no Brasil. Tirando IPI, ICMS e PIS/Cofins, o valor poderia cair para R$ 57.176. Mesmo assim, estaria mais caro do que nos Estados Unidos, onde carro sai por R$ 42.300 com impostos para o consumidor de Nova York.”

      “Para Alcides Leite, professor da Trevisan Escola de Negócios, "a postura das montadoras, de evitar a divulgação do seu custo de produção, corrobora a suspeita" de que a margem de lucro no Brasil possa ser "muito superior" à de países desenvolvidos. Ele afirma, ainda, que a mão de obra no Brasil é mais barata do que na Europa e nos EUA.”

      Até mesmo as coreanas e chinesas, que eram as grandes apostas em relação ao preço, conseguiram “segurar o rojão” do aumento de preços causados pelo IPI só amortecendo o valor com a gordura em suas margens de lucro por um bom tempo. Não há concorrência que ponha à baixo o lobby das grandes montadoras se a própria concorrência entre na dança e só percebe vantagens com isso.

      Se a reforma tributária é necessária e as incidências (em cascata) sobre o preço do automóvel são altas? Claro, mas estão longe de ser o único fator.

      Agora, não consigo mesmo entender o porque desse seu eufemismo: “qual o problema da fábrica ter lucros altos?”.
      Exceto o fato de “altos” significar exorbitantes? Fora a questão de se pagar muito mais por muito menos? Porque temos que nos sujeitar a sermos tratados de forma tão inferior inclusive em relação aos nossos vizinhos de economia e indústria bem menos desenvolvidos? Não acho normal, e quando você for até uma concessionária tirar um carro zero, lembre-se de quanto será pago além do que pagaria um Argentino ou Chileno, e pense se você realmente merece ser tratado de forma pior do que eles.

      Excluir
    15. "Acredito que ninguém melhor que o febricante para saber como fazer um carro consumir menos ou poluir menos. O governo deve apenas dar a direção, premiando com imposto mais baixo os veículos de menor consumo, menor emissão e mais seguros. Mas como chegar a este resultado, deixe que os fabricantes decidam."

      Exatamente!! Parâmetros técnicos são muito diferentes do objetivo do produto. Economia, segurança, poucas emissões e baixo custo são objetivos indiferentes aos parâmetros técnicos utilizados para que neles se chegue, diferente de uma imposição arbitrária (tal qual 0 1.0 litro citado) cuja decisão em nada guarda relação com a competência técnica de um engenheiro, mas sim com o achismo de um burocrata. Diferença sensível.

      Excluir
    16. Charles
      Já viu quanto custa contratar um vendedor de autorizada no Brasil e quanto custa contratar um vendedor de autorizada nos EUA, na Argentina, no México? Já viu quanto é o IR de uma autorizada no Brasil e quanto é nos EUA, Argentina e México?

      Já viu quanto custa a energia elétrica no Brasil, na Argentina, nos EUA e no México?

      Você realmente acha que a energia elétrica tem 50% de imposto como no Brasil?

      Você acha que a veiculação de um anúncio na Argentina custa o mesmo que no Brasil?

      Excluir
    17. Tenho que concordar com os comentários acima. Charles Restart, vc é muito chato.

      Excluir
    18. 722

      Tens razão, lá é de graça, aqui é que é caro, suficiente para fazer um carro custar quase o dobro do preço.

      Excluir
    19. Eu perguntei se você sabe, não pedi pra ser ignorante e debochar.

      Nos EUA o custo do megawatt-hora (MWh) é de 125 reais; na China, 142 reais; Coreia, 171 reais; Alemanha, 213 reais; e no Brasil 329 reais.

      Qualquer serviço prestado por uma agência de propaganda, paga 16% de ISS. Considerando que uma inserção de 30 segundos no intervalo do Jornal Nacional da Globo custa aprox. 500.000 reais, você tem aí 80.000 reais de ISS.

      O problema é que o brasileiro mediano é muito ignorante para enxergar o ciclo completo - seu caso.

      Quando uma concessionária brasileira tiver o mesmo custo operacional de uma concessionária mexicana, você pode questionar e chamar de "lucro excessivo" ou "além do razoável". Quem mais lucra com tudo neste país é o maldito Estado ineficiente, corrupto e inflado, e você e outro bando de ignorantes culpam uma entidade privada, que produz, desenvolve tecnologias, gera empregos e movimenta e economia que o Estado se vangloria de controlar.

      Por que você não trabalha por menos dinheiro? É injusto que alguns "lucrem" 40 salários mínimos enquanto a maioria do país vive com 2 ou 3. É um lucro muito acima do razoável diante de tamanha desigualdade social.

      Ou quando é no seu a história muda?

      Excluir
    20. 722
      Mas é no mínimo ingênuo achar que uma fábrica qualquer verá que produzimos energia elétrica de um dos modos mais baratos possível e pagamos um dos preços mais altos, que sustentamos um Suécia e recebemos um Zimbábue com nossos impostos e ela pense em praticar uma margem de lucros menor por que os coitadinhos já não tem dinheiro.
      Se o consumidor aceita te dar um lucro três vezes maior que o necessário para tornar um projeto viável, por que você não faria? Raiva dos acionistas?

      Excluir
    21. 722, filhinho de papai dono de CC... Vem vomitar esse monte de bobagem e acha que alguém aqui engole essa ladainha de lobista... AHHH VA!!!
      O serviço das CC, principalmente "das 4", estão brigando no ranking dos piores prestadores de serviço do Brasil il il il, ali é pau-a-pau com as operadoras de celular! LUCRO BRASIL MOTHAFUCKER!!!

      Excluir
  7. Não sei porque a Fiat não passa a usar o multi air e todos os carros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma tecnologia ainda cara.
      Gostaria de saber a respeito da manutencao desse sistema . Será muito caro para o consumidor?

      Excluir
    2. Enel, o multiair é muito bacana, mas não é um motor para o consumidor brasileiro, ele é caro, a manutenção é especializada, não há ferramental disponível no mercado de ferramentas para reparadores (Raven por exemplo) apenas as ferramentas originais (caríssimas), o que leva a necessidade de recorrer às concessionárias (que nem sempre são competentes e ainda infligem altos preços nos serviços e peças).

      Além disso ele privilegia o estilo "italiano" de motor: torque em giros mais elevados e como o nosso consumidor acredita piamente que se pisar no acelerador o motor explode e voa biela pra tudo quanto é lado, ele não utiliza o motor da forma correta e acaba reclamando de baixo desempenho. Se num carro como o 500 multiair já li muitas reclamações, um carro leve, pequeno e ágil, imagine se colocam esse motor num desses Adventures pesadões.

      Vai levar uns anos ainda para o consumidor da "massa" aceitar bem esses motores como os VTECs, o Multiair e até mesmo os multivalvulados convencionais e aprender a usar e tirar proveito dessa tecnologia, até lá vamos ser servidos de motores ultrapassados e gastões, apenas "medianos".

      Excluir
    3. Hugo,

      Valeu pela explicação.

      Obrigado!

      Excluir
  8. Motor 3 cilindros!!!!!TO FORA. Algum maluco um dia pensou. Precisamos de novidade no motor.(motor 3 cilindros não é cosia de agora, mas) Ai outro falou, faça um 3 cilindros turbo , injeção direta etc. Ai colocam a venda. Outras marcas não podem ficar sem ter algo igual, a tal da Convergência , que já foi assunto aqui. Se a VW pegar o seu motor 1.0 16v turbo e atualizar com injeção direta, etc vai dar muito mais potência e torque e vai ser economico. MAs não será um 3 cilindro que é novididade. Muitos vão disser, nem andou num carro com motor 3 cilindros turbo etc e ja vai falando mal. Mas motor com menos que 4 cilindros em carro fica dificil eu engolir. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De que adianta só colocar injeção direta se ele vai continuar tendo os defeitos crônicos que fizeram mal a sua imagem ?

      Se a VW quisesse, teria atualizado este motor e o relançado, mas o brasileiro prefere um 2.0 de manutenção barata e fácil a um 1.0 turbinado mais eficiente.

      Excluir
    2. O Defeito era a maioria dos proprietários. Eu fiz um motor desse porque o dono nunca tinha trocado o oleo apos o carro sair da garantia, e se o fez usou oleo de R$ 6,00 o litro. Já outros que usavam o carro de forma certa com manutenção correta, tudo tranquilo.

      Excluir
    3. Real Power, então meu ex-Gol era exceção, pois mesmo tendo feito TODAS AS REVISÕES em concessionária, trocando o óleo e filtro RECOMENDADO PELO FABRICANTE em menos de 10.000 km (média de 7.500 km), não aguentou 100.000 km.

      Excluir
    4. Cristian Pinheiro, estes novos motores também não vão ter durabilidade maios que o que teve com seu Gol turbo. Vide casos na Europa. Veja que a maioria dos motores turbos atuais são fruto da evolução de motores antes aspirados. A maioria mantem diametros de mancal e moente de virabrequim igual dos motores aspirados que os originaram. mas a carga mecânica é muitas vezes maior. Nos motores turbo moderno a pressão interna é sempre alta mesmo em baixa rotação, pois o turbo pressuriza bem rapido, na maioria dos casos proximo a 1500 RPM. Então espere mais alguns anos e vai ver a quantidade de motores com problemas. Na Europa já tem muitos casos de motores de injeção direta com probelmas de carbonização, o que não deveria existir. Aqui é só questão de tempo.

      Excluir
    5. Ernesto Jr14/08/12 14:28

      Relaxa .. Li em algum site na internet que Gol Turbo tinha um erro no projeto e combinado isso com proprietário relaxado virava uma bomba-relógio ambulante ..

      Excluir
    6. Nunca dirigiu um 3 cilindros pra falar

      Excluir
    7. Que bobagem!

      Garanto que se você andar em um carro com motor tricilíndrico sem ser avisado vai achar que é um 4 cilindros e ainda vai elogiar o ronco!

      Excluir
    8. Carlos Eduardo, pode ter certeza que eu saberia a difrença. Outra coisa. Olhem as dimensões do volante do motor e embreagem do motor Ford 3 cilindros. Para tornar este motor suave, eles são obrigados a usar muita massa no volante. Que de certa forma faz o motor ficar mais pesado, etc etc. A tecnologia desse motor não esta no fato de ter 3 cilindros, e sim em todas suas peças. Os motores modernos usam comandos de vávulas ocos, bielas e pistões super leves, cabeçotes com otimo fluxo, variador de faze etc etc. Ele não é bom bom ser 3 cilindros e sim por ter tecnoclogia atual. Faz um 4 cilindros com esta tecnologia e vai ter mesmo ou melhor resulto.

      Excluir
    9. Essa questão do 3 cilindros deve ser mais com o objetivo de cada cilindro ficar com entre 300 e 500 cm³, que é faixa ideal para cilindrada unitária. Num 4 cilindros de 1000 cm³ fica em 250 e no 3 cilindros fica 333 cm³.

      Fonte: http://bestcars.uol.com.br/testes3/kia-picanto-2012-2.htm

      Excluir
    10. Além da cilindrada unitária ainda tem o tamanho mais compacto e o menor peso

      Excluir
    11. Tres cilindros é menor e tem menos peças, o que teoricamente significa mais barato.
      No caso do Ford, ele tem uma solução de balanceamento interessante que o deixa mais suave do que um 4 cilindros.
      So tem vantagem em relação ao 4 para motores pequenos

      Excluir
    12. É verdade Real Poweer, tenho um colega de escritório que tem um Marea ano 98 modelo 99 (primeira fornada) com motor original nunca mexido rodando com saúde de carro zero. Tem que ver a chatice do sujeito na hora da troca de óleo...
      E não vejo problema nenhum em esse ou aquele modelo ter motor antigo ou ultrapassado. Se for um bom motor, que pelo menos seja confiável, nada contra.

      Excluir
    13. Como tem gente que fala burrice. Esse Real Power vai dizer que o motor do cara deu pau por falta de cuidado, mas o carro é do mesmo dono desde zero. Tem gente que fala demais, viu?

      Excluir
    14. Anônimo famoso15/08/12 09:00

      Os japas fazem motores pequenos de 3 cilindros há décadas, nos seus mini-carros de 0,66L, tanto aspirado quanto turbo. Alguns fabricantes demoraram mais a aderir ao 3 cilindros, e durante a fase em que motores de 3 e 4 cilindros coexistiram no mercado, não houve indícios de que os de 3 duravam menos que os de 4 cilindros.
      Outro caso que podemos relembrar é dos motores MWM 3 cilindros que equipavam tratores Valmet de 50cv. Eles definitivamente duravam mais que os Perkins de 4 cilindros que equipavam os MF de mesma potência. E ainda eram mais baratos para retificar.
      Então, o que define se um motor vai durar ou não é como ele foi feito, se foi feito pra durar ou não. E não o número de cilindros.

      Excluir
    15. Anônimo 14/08/12 21,32.
      1º Que fala burrice é voçê.
      2º Voçê não sabe ler, não tem condições de associar palavras e entender.
      3º Leia tudo novamente e vai ver que sitei o fato de eu ter tido um cliente, onde eu fiz o motor do carro dele pelo fato do mesno não ter dado manutenção correta. Não falei que foi o caso do Cristian Pinheiro. Cristian Pinheiro veio depois e espos o que tinha acontecido com ele. Não ficamos trocando farpas, pois tanto eu como ele conseguimos entender o texto. Tudo seguiu de forma tranquila.Depois eu dou mais uma informação a respeito que outros motores modernos poderão apresentar tais problemas em virtude do proprio projeto. Novamente teve mais pessoas dando suas opniões, tudo certinho. Até aparecer um mané, seu anônimo 14/08/12 21:32
      Então se tem gente que fala demais aqui´, esse alguem é voçê.
      Eu só deixo aqui minhas opniões quando sei que serão util para a maioria. Tem post que não escrevo nada, pois não adianta ficar falando algo que não servira para nada. Faça o mesmo. Se não tiver nada que possa contribuir, somar etc, fique de boca calada. Boca calada não entra mosca. Aproveite e vai ler historias em quadrinhos, é muito bom para criar abito da leitura em crianças e fazer o celebro exercitar.

      Excluir
    16. Anônimo famoso15/08/12 09:14

      Ops, retiro o que disse acima sobre motores Perkins e MWM, fiz confusão. Senilidade detected..

      Excluir
    17. Nota-se, hehe...
      O motor do Massey 235, também é de três cilindros e muito resistente.

      Excluir
    18. Não leve a mal Sr. "Real Power", mas pra falar mal dos outros você precisa primeiro ser alfabetizado... "Você" não tem cedilha, tá?! E não é "celebro" e sim cérebro, uma coisinha que fica dentro da caixa craniana e que certamente você não tem.

      Excluir
    19. Anônimo 15/08/12 - 11:23,

      Se o avião em que viajas cair no centro da floresta amazônica, quem você preferiria que escapasse com vida além de você?

      1) um engenheiro;
      2) um advogado;
      3) um ribeirinho ou
      4) um financista.

      Excluir
    20. Anônimo 15/08/12 11:23.
      Você tem toda razão, preciso ser alfabetizado. Escrevi você com "Ç" e deixe Célebro sem acento. Não porque não tinha conhecimento, o que me torna um analfabeto pior. Vou me empenhar em escrever de forma mais correta possível de agora em diante. Conto com sua participação e cooperação, me corrigindo quando for preciso

      Excluir
    21. O anonimo ai de cima deve ser professor de portugues. Vá cobrar correçao ortografica de seus alunos seu babaca.

      Excluir
    22. Desteto gente analfa15/08/12 13:42

      Real Power, reveja seu texto:

      Hábito é com H
      Cérebro é o correto
      Citei é com C e não com S
      Você é sem Ç
      Expôs é com X e acento e por fim na sua frase:

      "Eu só deixo aqui minhas opiniões quando sei que serão util para a maioria." Use "úteis" para concordar com o texto no plural e com acento ok?

      Excluir
    23. Detesto gente analfa 15/08/12 13:42.
      Vai para o ORKUT, FACE etc, teclar com outros tapados. Fazer parte de comunidades do tipo, detesto mulher, destesto ser homem, desteto o mundo, detesto eu mesmo.
      Aqui é para quem curte motores e assuntos relacionados.
      Não fico brabo, importunado, por você e outros ficarem corrigindo o que eu ou outras pessoas escrevem. Vocês são apenas chatos, talvez precisem fazer para chamar atenção para si.
      Me deixa triste, isso sim. Pois percebo quanto talento desperdiçado. Faz o favor. Sai da sua vida que deve ser medíocre, isolada do mundo, pega uns cadernos, livros vai ao encontro de crianças pobres e faça sua parte, já que tem tanto talento. A não esqueça de levar pão e leite. Crianças aprendem melhor quando bem alimentadas.
      Depois de sobrar tempo, volta aqui e continue corrigindo meus textos, só me ajuda, como já falei, nessa parte não fico brabo.
      Abraços

      Excluir
    24. Desteto gente analfa15/08/12 16:04

      Real Power, já saí do Orkut e do Facebook, é um festival de horror o que os analfas de lá postam, e um monte de "narcisos" que precisam mostram o quanto são foda para os amigos e qualquer um que perca seu tempo olhando.

      Relaxa que já faço minha parte ajudando os outros na vida real, agora ajudo os analfas na vida virtual.

      Excluir
    25. Real Power, veja o que o sr escreveu:

      "Leia tudo novamente e vai ver que sitei o fato de eu ter tido um cliente, onde eu fiz o motor do carro dele pelo fato do mesno não ter dado manutenção correta. Não falei que foi o caso do Cristian Pinheiro. Cristian Pinheiro veio depois e espos o que tinha acontecido com ele."

      Observações:
      1 - Citar é com C, e não com S. (essa foi osso)
      2 - Expôs é com X e tem acento. Não é com S. Você é realmente pouco alfabetizado, caro colega.
      3 - Você disse, SIM, GENERALIZANDO, que quem teve problemas com aquele motor FOI DEVIDO à manutenção inadequada, ou por não respeitar prazos e especificações de lubrificação. Agora tenta distorcer o contexto, para não querer assumir que falou besteira. E falou mesmo. O relato do Cristian Pinheiro imediatamente depois do seu confirmou isso.

      Bom, sugiro que tente ser um pouco menos arrogante aqui no blog, porque o sr. não é tão conhecedor de mecânica quanto se julga, e mesmo que o fosse, não teria motivos para atacar as pessoas que discordam da sua vil opinião em um espaço democrático.

      A propósito, meu nome é Fabrício, e estou aqui se quiser debater assuntos técnicos.

      Excluir
    26. Fabrício. Se está aqui para debater assuntos técnicos, deixa de frescura(se quiser levar ao pé da letra, pode levar) e de mais atenção ao assunto técnico. Simples e fácil.
      Vivemos num mundo onde tudo que é dito ofende. Se um gosta da cor vermelha e outro da preta, já é motivo para escândalos. Sai dessa, viva a vida sem stress. Veio aqui para que?. Em algum momento me dirigi a ti.? Fui mal educado com sua pessoa.? Veja que quando escrevo algo sem ser atacado, por pessoas que se dizem cultas, educadas, alfabetizadas a elite eu sempre sou tranquilo e educado. E me mantenho sempre no foco do que estão em questão Se cometo erros ao escrever, ok. Como já mencione, não ligo para vocês revisores de textos de plantão. Mas tá parecendo que este blog virou o preferido de professores encrustados e magoados com a vida. Ficam procurando em tudo que se escreve, pontuação, erros disso e daquilo. Não conseguem ler uma frase inteira que balançam a cabeça. Devem pensar, é agora que eu ferro com este cara, ele vai passar por burro...Vou ridicularizar ele diante de todos.. E se perdem no principal. Aqui é para quem curte carros, motores, aviões, motos, até cortador de grama com motor 4 tempos. Esfrie a cabeça. Eu participo desse blog principalmente pelas questões técnicas levantadas, onde creio ter um pouquinho de conhecimento, mínimo, mesmo, mas sempre estou disposto a aprender e se puder transferir o que sei fica melhor ainda. Debate técnico parece mais uma guerra. Eu vejo mais como um dialogo entre pessoas com algo em comum, o fato de ser autoentusiasta.
      Abraços

      Excluir
    27. Professor de Português Frustrado16/08/12 15:03

      Não leve a mal Real, é que como não entendo nada destes assuntos de carros, pra não sair derrotado do debate, uso este artifício de procurar por erros de ortografia na tentativa de desqualificar os adversários.

      Excluir
    28. Sim, Real Power.
      Concordo com a sua postura de debater numa boa, mas você agride a quem discorda das suas opiniões. Só depois que você baixa a bola. Se quiser brigar com quem tem opinião técnica, brigue comigo. Mas se quiser debater numa boa, sem atacar aos demais, vamos em frente.

      Excluir
    29. Alguém poderia falar com propriedade sobre o balanceamento desse motor? (Ford 3 cil)

      Excluir
  9. Interessante o texto, mas algumas partes me pareceram ambíguas, vou ler outra vez pra ver se foi falha minha.

    Uma dúvida que tenho: este retardo na adoção de motores mais modernos é causado pela nossa gasolina rica em enxofre (pra não falar dos outros podres dela) ?
    Será que depois de 2014 com a nova normativa do PROCONVE sobre isso, teremos melhora neste aspecto ?

    Mas acho que estes carros mais novos logos serão chamados de porcarias pois serão mal cuidados e quando a bomba estourar, vai ser aquele preju..

    ResponderExcluir
  10. JÁ É MAIS DO QUE REALIDADE !
    TODOS OS NEGÓCIOS HOJE EM DIA SE FAZEM PELA INTERNET.
    TER UMA OUTRA ATIVIDADE PARA AUMENTAR A RENDA MENSAL É OUTRA REALIDADE.
    QUER SABER COMO ESTOU AUMENTANDO MEUS GANHOS NO MÊS TRABALHANDO EM CASA PELA INTERNET?
    ACESSE:

    http://www.frpromotora.com/jheysonbrincker



    Mais Informações pelo MSN: jheysonfrp@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deletem esse imbecil!

      Excluir
    2. O famoso GOLPE da PIRAMIDE mais uma vez tentando ser aplicado com uma de suas mil facetas.
      E ainda tem gente que cai nessa!
      Deletem esse imbecil 2X

      Excluir
  11. Mas que venham mais e novos motores!

    MFF

    ResponderExcluir
  12. O mundo não precisa dessa histeria de emissões e consumo.

    Isso não passa de "bragging rights" e marketing das fábricas.

    O que precisamos é de carros pequenos, de duas portas, câmbio manual, tração traseira e preço acessível.

    De que me adianta uma bolha hatch coreana 3 cilindros? Merda!

    McQueen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ernesto Jr14/08/12 14:29

      Tipo o Toyobary GT86

      Excluir
    2. O mundo também não tem nenhuma necessidade tão grande por carros de tração traseira com 2 portas e é bem provável que essa bota 3 cilindros seja melhor de dirigir que muita coisa por aí

      Excluir
  13. para o brasil e seus donos relaxados o motor tem que ser robusto, o ap e o motor do monza aquenta oleo velho, agua podre por dentro, afinal brasileiro não gosta de carro, é apenas por status, olhem a revista forbes, pagamos caro por um ap 2.0.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leitor atento15/08/12 15:43

      Anônimo tosco acima, releia a Forbes e veja que pagamos caro por Toyota, Chrysler, Dodge, Chevrolet, Honda, Hyundai por serem considerados carros de luxo, sendo que são de classe média baixa lá nos "states".

      Enquanto otário deste país quiser mostrar para o vizinho seu "carrão de luxo novo" que custa 3x mais que em outros países, nada irá mudar.

      Excluir
    2. 'Enquanto otário deste país quiser mostrar para o vizinho seu "carrão de luxo novo" que custa 3x mais que em outros países, nada irá mudar.'

      x2...

      Excluir
  14. " Automóveis não são definidos somente por suas fichas técnicas, tampouco a excelência delas define o seu sucesso de mercado, inclusive para os motores. Porém, enquanto o estilo e detalhes estéticos e de acabamento podem mexer mais com as ilusões apelando para o emocional do comprador do que os motores, estes também podem influenciar."

    Nesse aspecto, um Jetta é uma tristeza sem igual.
    Êta carro desanimador. Só de olhar dá sono.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas para mim o emocional de um carro está justamente no trem de força do bicho. O fabricante pode criar um bicho da goiaba, mas se ele anda como o diabo e é barato, então está de bom tamanho para mim.

      O Jetta não me agrada por que é grande, mas eu pagava R$ 80 mil por um Gol duas portas se ele tivesse as mesmas qualidade... nesse sentido o A1 me atrai muito pena que é caro e importado.

      Excluir
    2. Uma pena que a Honda, da qual eu era fã justamente pela filosofia de carro simples e leve tocado por motores dos melhores, deixou isso de lado pra copiar a receita da Toyota. Espero que um dia eles voltem atrás, e relancem os memoráveis "Type-R".

      Excluir
    3. JJ... O Jetta aspro né! Aliás o povo fala tanto e não sabe que o TSI é baseado no APzão tb... rsrs... É pessoal é isso mesmo!!! O motor mais fodastico do mercado é AP!!! kkkkkkk... Choooora!

      Excluir
  15. Folhando revistas do início da década de 1990, estrangeiras e nacionais, só encontro referência à excelência do Zetec 1.8 16v - um revolucionário!
    Hoje, quando ouço um desses castanhando, parecendo motor diesel, principalmente quando frio, pergunto quanto custaram à Ford essas matérias jornalísticas pagas.

    O Rocam, pelo fato de ter o comando de válvulas roletado, fôra mais inovador do que a primeira família Zetec (1.4 e 1.8).

    Outro revolucionário de anúncio foi o Fire, que no nome anunciava ser montado robotizadamente, mas nada oferecia de extraordinário em seu funcionamento, seja em desempenho ou manutenção. A sua única vantagem era tirar a responsabilidade de alguém: a culpa é do robô.

    Para mim, os motores revolucionários da contemporaneidade são aqueles com coletor de curso variável, seja Jac, Honda, VW etc. Não por causa dos ganhos do movimento do coletor em si, mas sim pela ousadia de compreender o motor para além de seu deslocamento interno e por aplicar princípios de funcionamento de motores de outras máquinas. Como no caso dos vetores de fluxo de alimentação dos turbo-reatores, que serviram de "inspiração" para se estudar a dinâmica do funcionamento dos coletores de admissão ainda na década de 1980.

    Acredito que num futuro breve todos os motores 4T apresentarão essa solução.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. perfeito o que vc disse Sacco!
      lembro que todos os motores lançados na década de 90 aqui (Fire, Zetec, volksturbo, supercharger) foram considerados uma revolução de engenharia e no ínicio da década passada vimos a bomba de engenharia que eles eram

      Excluir
    2. Esse 1.8 16V sempre foi maravilhoso, quem reclamava de motor com comando de 16V fraco em baixa rotação é porque nunca andou num Zetec. Ele arranca em 2ª marcha numa boa no Escort.

      Prefiro mil vezes o Zetec 1.8 num Focus do que esse Sigma 1.6.

      Excluir
    3. "Hoje, quando ouço um desses castanhando, parecendo motor diesel..."
      Será que têm problemas de durabilidade mesmo, ou seriam vítimas de má manutenção (óleo errado, prazo entre trocas errado, etc..)?

      Excluir
    4. Lógico que é má manutenção anônimo...

      Esse Sacco nem sabe o que está falando. Só essa besteira de falar de matérias jornalísticas pagas já denota sua extrema bronca contra a Ford.

      Motor Zetec 1.8 16V bem cuidado e com troca de óleo respeitando a viscosidade e prazo, dura tranquilamente 200, 250 mil quilômetros.

      O cara coloca o Lubrax mais vagabundo que encontra no posto e depois fica malhando o carro, dizendo que não presta. Vai andar de bicicleta então...

      Excluir
    5. conheço um escort zetec que passou dos 320 mil rodados,sempre com óleo do zetec rocam(5w30)era uma perua escort taxi,foi passada adiante ainda com o motor muito bom,então essa sacco tá falando groselha.......

      Excluir
    6. Tenho uma courier si 98 a pouco mais de um ano, não tenho reclamações do motor nem do resto, tá marcando mais de 140000 km, gasto menos com a manutenção dela que carrego betoneiras em 10000 km, que de um gol 99 que raramente anda com mais de 2 ocupantes em 6000km.
      Luciano

      Excluir
    7. Succo14/08/12 22:18
      Leia a 4R do mês passado para vc ver se Ford não comprou matéria da Ranger. Chega a dar raiva.

      Excluir
  16. O Fire não era revolucionário, mas deu ao Fiat brasileiro uma imagem de confiabilidade até então inexistente - não por acaso, a introdução desses motores Fire, linha 2001/2002 do Mille / Palio / Strada, coincidiu com a subida da italiana no ranking de vendas, ou não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O motor Fire é revolucionário pelo seu baixo custo. É um motor confiável, razoavelmente potente (com uma curva de potência boa, tem potência já em baixas rotações) e econômico. Não é um EcoBoost 1.0 de 180 cv, mas é muito mais barato, tanto que pode ser utilizado em carros muito baratos como o Uno Mille.

      Excluir
    2. U mean... curva de torque, nao?

      Excluir
  17. O balanceamento de um 3 cilindros deve ser uma beleza, mas como dizem o importante é ser diferente para falar que é novidade. Aliás, acho que o único que ainda não vi são 7, 9 e 11 cilindros, isso parando nos 12.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 7 e 9 se encontram em radiais aeronáuticos. 11 também nunca vi.

      Excluir
    2. Balanceamento de 3, teoricamente é mais simples que o de 4 cilindros. Ele é meio motor de 6 cilindros, então nao tem vibrações verticais nem transversais.
      Mas como nao possui os outros 3 para compensar as vibrações longitudinais, ele vibra desta forma. Ai vc usa um "balancing shaft" para compensar essas vibrações. Motores de 4 cilindros precisam de 2 deles para vibraçoes de segunda ordem, mas nos convivemos com elas em motores mais simples
      No caso do motor da Ford, eles usaram um contrapeso no volante, e outro na polia, eliminando a necessidade do eixo extra (genial, mereceram o premio). Entao espere que o Fordinho metido a DKW seja mais macio do que a maior parte dos motores que vc ja experimentou
      Ja postei esse link antes, mas vale a pena ver de novo:

      http://www.autozine.org/technical_school/engine/smooth1.htm

      Excluir
    3. Eu não notava diferença nenhuma de nível de vibração entre os motores MWM de 3 e de 4 cilindros, dos tratores Valmet antigos. O barulho do escape era diferente, mas ambos vibravam bagarai...

      Excluir
  18. Sempre avaliei os lançamentos dos carros brasileiro pela inovação do trem de força.

    Se o lançamento traz um motor novo é bom sinal, caso contrário o consumidor está sendo enganado de uma maneira ou de outra.

    ResponderExcluir
  19. Filipe_GTS14/08/12 17:53

    Nada melhor que dirigir na estrada um girador 16v que responde bem em alto giro.
    Ou então, um turbinado 4-cilindros que acelera tanto quanto V6 3.0. Nunca fomos bem servidos de motores grandes (V6 e V8 são raros por aqui), portanto, vamos nos divertir como podemos, ou seja, com injeção direta, comando variável e turbo.
    Há de se ressaltar, ainda, que os motores turbo hoje são bons e duráveis. Os velhos Audi 1.8T 20v são prova disso. Infelizmente a VW não fez tão bonito no Gol 16v Turbo, pois tinha defeitos crônicos que não faziam dele um motor durável...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O defeito crônico do 1.0 VHT 16v T se chamava DONO. A 4 rodas rodou 100 mil km com uma parati com esse motor, e na inspeção final, foi constatado um desgaste mais acentuado no câmbio, mas o motor estava ok.

      Excluir
  20. Nessa onda de downsizing, continuará sendo interessante olhar para o que Honda e Mazda farão, que é continuar com cilindradas "normais" e incorporando outros recursos para que essas unidades bebam menos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se isso que falaram aí pra cima sobre os motores downsized europeus for verdade, que eles são basicamente os mesmos de antes, apenas com adição de turbo, sem aumentar os diâmetros dos mancais, então inevitavelmente eles terão problemas de durabilidade.

      Excluir
  21. Autoentusiasta Cansado da Luta14/08/12 18:09

    Pois é, me parece que o maior problema atualmente é a falta de opção.
    O ideal seria poder escolher, como em outros países, entre um motor mais antiquado porém confiável e de manutenção simples ou um mais tecnológico. Um exemplo é o Cruze, poderia ter tanto o 1.8 aspirado quanto um 1.4 turbo ou coisa do gênero.
    Isso fica mais claro no Jetta: o 2,0 aspirado resolve bem para algumas pessoas, mas poderia ter um motor intermediario entre ele e o TSI. A lacuna é muito grande e nisso muita gente vai para outras marcas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Autoentusiasta bem disposto14/08/12 22:28

      E o que mais você tem a lamentar?
      Chora tudo Autoentusiasta depressivo, conta os seus lamentos

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkk!!!

      Excluir
    3. Pois é, que cara chato, para de reclamar e vai dirigir.

      Excluir
    4. Autoentusiasta Cansado da Luta15/08/12 20:44

      Dirijo bastante, por isso estou cansado da luta. DIrigir neste país é uma droga. Se acha tudo bom, parabéns!

      Excluir
    5. o que mais cansa não são os carros, mas sim a nova classe (ou melhor sem classe) de motoristas que surgiram com os juros a perder de vista... Isso acontece em países que o dinheiro chegou antes que a educação.

      Excluir
  22. A noção geral é que motores simples são mais duráveis. Mas isso é relativo, pois motores necessitando de retífica prematura não é caso tão raro assim no Brasil. Ou ninguém se lembra do Monza 2.0 testado pela 4Rodas? E eu tive um Siena que trocou o bloco com 45 mil (a fábrica estendeu a garantiu, ainda bem). Um amigo tinha um Astra retificado com baixa quilometragem... E não são casos de descuido, mas de defeitos de fábrica! Fora os problemas recentes com o Gol...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com relação ao monza, ao astra e até mesmo o siena se chama azar......
      Eu tive monza, tive chevette, tive 2 astras, um vectra geração B e nenhum deles me deram dor de cabeça!! E todos foram rodar na praça.... e sem reclamar.....
      e hj eu tenho um logan (uma espécie de vovorolla segundo alguns né...), já passou dos 60k em 8 meses de uso........
      Eu não acredito que eu sou tão sortudo assim..... senão eu já tinha ganho na mega-sena....

      Excluir
    2. Pois é, tive que reformar todo o motor do meu vectra cd 2000 no começo do ano por conta de quebra de um pistão. O carro estava com 120 mil Km, o que eu considero pouco para motor um desse nível já abrir o bico. Analisando os cilindros, foi notada uma grande ovalização (por volta de 1,5mm) justamente no cilindro que teve o pistão quebrado, mas isso é conclusivo para apontar a causa da quebra?

      Excluir
    3. Entusiasta revoltado15/08/12 15:53

      Monza foi um excelente carro, mas o motor 2.0 ia pro saco muito rápido. Nunca conheci um que tenha chegado aos 130mil km sem precisar de uma retífica. E isso quando era bem tratado.
      O motor 1.8 era quase indestrutível se comparado ao 2.0

      Falo por experiência própria (o meu zoou aos 123mil km) e por meu pai que tinha oficina nessa época e mexer em várias bombas desse tipo.

      Excluir
    4. Entusiasta revoltado;

      Já vi carros com motores standard lacrados e alguns deles já até mesmo dirigi.

      Monza 1.8 = Meu tio vendeu um com 300 mil km.]
      Gol CHT 1600 a gfasolina = Meu pai teve um na empresa dele que rodou até os 600 mil km
      Gol CHT 1600 a álcool = Eu fundi um depois de 350 mil km rodados.
      VW AP1800 = Vi um certa vez com 450 mil km rodados.
      Zafira 2.0= Tinha um conhecido taxista em São Paulo que tinha mais de 500 mil km no gás. Problemas apenas no cabeçote.

      Durabilidadde depende do motor e do motorista. Um motorista bom pode fazer o motor durar muito. Agora tive amigos que, por exemplo, mesmo com todo zelo, fundiram L-200 Sport diesel com pouco mais de 100 mil km...

      Excluir
  23. Pra pensar na cama. O motor 3,0 do Omega seis cilindros de 1993, considerado por muitos o melhor já instalado em um carro nacional, deriva do seis-em-linha de 2,2 litros apresentado no Opel Rekord B de 1965. E o canhão existente sob o capô do Bentley Mulsanne de 2011 - oito cilindros, 6,75 litros, biturbo, 505 hp, 104 mkgf - é descendente direto do V8 6,2 apresentado pela Rolls-Royce no Silver Cloud II de 1959.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na cama?
      realmente eu não sou tão autoentusiasta como eu pensava, peloamor.......

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkk

      Excluir
  24. Antônio Martins14/08/12 20:56

    Marco,

    O EA-113 2-litros não é o AP 2000, embora diâmetro dos cilindros e curso dos pistões sejam iguais (82,5 x 92,8 mm). Outras diferencas: cabeçote de fluxo cruzado, bloco mais alto para uso de bielas mais longas e eliminação da árvore intermediária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio15/08/12 00:37

      O único EA-113 com bloco alto e bielas longas foi o 2.0 usado nos Passats alemães de 95 a 97 e nos Golfs mexicanos da época.
      Todos os outros EA-113 são bloco baixo e biela curta. Só que os motores usados nos Passats alemães até há pouco, agora sendo substituídos pelo EA-888, têm árvores de balanceamento.
      O único que não tem essas árvores é o EA-113 do Bora/Jetta, que já vem com "downgrade para AP". A única característica que ele mantém dos EA-113 é a ausência de distribuidor e árvore intermediária.

      Excluir
    2. Lorenzo;

      O VW 2.0 "bielão" era o EA827/AP

      Excluir
  25. Quem acha que três cilindros vibra procure uma moto triumph para tirar a prova.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre balanceamento, nem o 3 nem o 4 são lisos sem usar auxilio de eixos balanceadores, a grande diferença é o tipo de vibração que os afeta. Os 4 em linha sofrem com uma força livre de sgeunda ordem, que varia quadratcamente em relação a variação de rotação, se a rotação dobra, a vibração quadruplica e no 3 em linha temos um binario que tende a fazer o motor oscilar nas pontas do eixo contra o centro fisico do mesmo. Se cancela esta vibração com um unico eixo paralelo ao virabrequim que gira de forma contrária a ele com a mesma rotação.
      Em se tratando de motores de baixo deslocamento com embolos pequenos e leves a vibração é sempre minima.
      Ambos não tem sobreposição de tempos motrizes, logo nunca vão ter a suavidade de funcionamento de um motor de 5 ou de 6 cilindros.
      Mas para uma aplicação onde o objetivo seja economizar combustivel e peso, o 3 faz mais sentido que o 4, ainda mais se ambos forem superalimentados.

      Excluir
    2. Antônio Martins15/08/12 00:03

      O Picanto parece não ter árvore contrarotativa, mesmo assim não difere de um bom 4 cilindros, chega a ter menos aspereza que um City 1,5 em alta rpm.

      Excluir
    3. Aeee... tava esperando pra ler um comentario do AG... O homem do post de balanceamento de motores...
      Falaram sobre o ronco do 3 cil lá pra cima... Este cara precisa dar uma voltinha num 5 cil!

      Excluir
  26. Para mercados do Terceiro Mundo, os motores são eternos: Monzatech, APzão e cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada mercado merece os motores que tem. Aqui, quando lançam motores modernos, logo adquirem fama de "bomba", em boa parte devido a manutenção errada e peças de reposição caras, inclusive o óleo.
      No entanto, esses monzatech e ap da vida podem muito bem receber aperfeiçoamentos leves e servir bem à determinados segmentos, como foi feito com a última motorização do Astra, por exemplo.

      Excluir

  27. Parte do que vemos hoje como nova tecnologia em motores deve-se a um cidadao chamado HANS LIST fundador da empresa Austriaca AVL - uma consultoria sobre tecnologigia em motores de combustao interna.

    Ha uma serie de motores europeus elaborados em conjunto com a AVL.

    Salvo engano,na decada de 40 o Sr Hans List lecionou na China,o que posteriormente resultou no fornecimento de tecnologia para alguns motores
    "asiaticos" atuais.

    Gostaria de conhecer se alguns dos AUTOENTUSIASTAS que trabalhararam ou
    trabalham na industria automobilista aqui no Brasil podem comentar algo mais
    sobre este pioneiro.

    Edio.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo 15/08/12 11:23.
    Você tem toda razão, preciso ser alfabetizado. Escrevi você com "Ç" e deixe Célebro sem acento. Não porque não tinha conhecimento, o que me torna um analfabeto pior. Vou me empenhar em escrever de forma mais correta possível de agora em diante. Conto com sua participação e cooperação, me corrigindo quando for preciso

    ResponderExcluir
  29. Carlos Farjoun e demais "anônimos" que comentaram minha indagação sobre ligar o ar-condicionado em alto giro;
    Publicado no blog do Mahar: http://maharpress.blogspot.com.br/2012/08/nao-ligue-seu-ar-condicionado-em-alta.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. leia os comentários... que texto infeliz!

      Excluir
  30. Companheiros! Comentamos de tudo sobre este post: Tentamos discutir a concepção dos motores, evolução de algums, idealismo político, greve da PRF que primeiro envergonhou a corporação prejudicando o usuário e aqui no sul, para desespero dos arrecadadores resolver protestar divulgando que não iria multar ninguém ( este, no meu parecer, um protesto que realmente vai fazer pressão nas "autoridades constituídas") e por aí vai... Não vi nenhum comentário sobre o quadro comparativo mostrado no post, aonde o preço médio de todos os excelentes sedãs gira em trono de U$ 16 mil...será que as montadoras de là estão fazendo filantropia com o mais rico mercado consumidor de usuários de automóveis vendendo por menos da metade do preço o mesmo mesmo produto que é vendido aqui?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discussão mais velha que andar pra frente, se quer debater isso vá logo pro NA que vão adorar.

      Excluir
    2. Um detalhe é que lá (EUA) esses "excelentes sedãs" vendem em torno de 20 mil unidades ao mês por modelo. Já aqui no "quinto maior mercado", leva-se quase um ano para vender esse tanto...

      Excluir
    3. Ué! Mas a fàbrica não é a mesma (Jetta!) e o mercado global? Então cada bairro de cada grande cidade vai ter preços diferentes para o mesmo produto!

      Excluir
    4. Perdoem esse Anônimo (16/08/12 00:04) tolo, ele não sabe o que diz!

      Hüttner, muito bem colocado!!!!! Que protesto da PF é este? FODA é a tal operação tartaruga... Mas eles poderiam ser mais criativos, como você mesmo falou, acho que é o medo de "colocar na reta"...

      Excluir
    5. Huttner

      Pior que isso acontece...
      Aqui em São Paulo, por exemplo, até mesmo em grandes redes de supermercado, um mesmo artigo pode ter preço diferente dependendo da localização da loja e os hábitos dos clientes.

      Excluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...