Google+

7 de agosto de 2012

MANTENDO A FIDELIDADE DAS SUPERFÍCIES NO HERITAGE CENTER DA GM

Mapeamento de superfície a laser - Cadillac Eldorado 1957
Foto: Hexagon Metrology

Alguns dias atrás o Bob escreveu aqui sobre as miniaturas da coleção de carros nacionais que está no mercado.

Descrevia ele a perfeição de cada um deles, e posso dar minha opinião que são mesmo muito próximas de um carro de verdade miniaturizados. Tenho alguns e é mesmo notável. O que mais impressiona nesses carros e em outros vários que existem em lojas que trabalham com produtos de boa qualidade é a forma geral do carro, não apenas detalhes.

Quando olhamos miniaturas antigas ou de marcas de pouca expressão, podemos ver carros tortos, que são deformações do original.  Esses produtos que não são fiéis ao carro de origem tendem a desaparecer, pois o consumidor e colecionador está cada vez mais exigente, como o comprador de carros de verdade.

Se olharmos o SP-2 da Hot Wheels, que causou alvoroço entre os colecionadores há dois anos atrás por ser o primeiro carro exclusivamente nacional a ser reproduzido pela Mattel, é fácil perceber que a linha do teto está errada, muito plana próximo ao vigia traseiro. Comparando com a caída do fastback do Maverick ou do Opala dessa coleção da Planeta Deagostini, nota-se a diferença de qualidade na execução. Bom, são faixas de preços totalmente diferentes, e pela relação custo-benefício do Hot Wheels, sou fã deles também.


Notem a curvatura do teto
Foto: carpressuol.com.br

Na miniatura HotWheels, a curvatura é menos pronunciada
Foto: Road Fever blogspot

Muitos já sabem como essa fidelidade às formas é possível, principalmente os que atuam em áreas  de engenharia mecânica e mecatrônica, além dos técnicos dessas mesmas áreas, bem como profissões relacionadas. Essas miniaturas começam a nascer a partir de arquivos tridimensionais de um carro de verdade.

Os carros mais modernos, que foram totalmente feitos em programas de computador como Catia, UG ou similares, são mais facilmente reproduzíveis, já que o trabalho pode começar justamente a partir dos arquivos eletrônicos das peças, que são propriedade intelectual das fábricas. Estas podem vender os arquivos ou uma simplificação deles, licenciando empresas interessadas.

Mas carros mais antigos, incluindo muitos até o começo da década de 1990, foram desenhados em papel mesmo, o que complica a construção de miniaturas, dependendo demais de profissionais de grande experiência e custo para passar dimensões e formas de desenhos 2D para criar objetos em 3D. Demorado, sujeito a muitos erros e por isso mesmo, de alto preço.

A tecnologia de equipamentos de medição de alta precisão trouxe as máquinas tridimensionais que, de modelos com pontas finíssimas com sensores que tocam a peça e vão gravando as posições de milhares de pontos, evoluíram para feixes de laser que trabalham brutalmente rápido, fazendo uma varredura de superfícies e criando o arquivo eletrônico delas. Essa varredura é conhecida como scanning. O termo aportuguesado é escaneamento. Significa uma fotografia de algo material de forma a transformar em arquivo eletrônico, também chamado muitas vezes de digitalização.

Fazemos isso, por exemplo, com partes importantes de nossas revistas velhas antes de dispensá-las, guardando um arquivo eletrônico ao invés de papel. Nesse caso, o trabalho é bidimensional e barato, muita gente tem em casa e usa com facilidade, nas impressoras que também funcionam como scanners.

Para peças e no caso que nos interessa, carros, a máquina deve trabalhar tridimensionalmente. Esse processo é bastante comum há anos, com empresas de várias áreas se utilizando do recurso, nas duas vias, tanto fazer um arquivo no computador e transformá-lo em peças, quanto escanear um objeto para arquivá-lo eletrônicamente.

Para automóveis, duas finalidades são as mais básicas que podemos ver: miniaturas e jogos eletrônicos, sendo que esse último é sem dúvida, o que vai trazer mais lucros ao proprietário dos direitos do carro.

Até alguns anos atrás, o desenho de peças por computador não era muito difundido, e há uma infinidade de carros em que não se consegue construir miniaturas a partir de arquivos eletrônicos. Entra então o escaneamento de superfícies, buscando a rápida captura de formas para a produção de moldes para fazer as peças pequenas.

Esse processo está sendo feito por uma empresa americana, a Hexagon Metrology, com alguns carros muito importantes. São os modelos do Heritage Center da GM, que abriga grande parte dos produtos da empresa ao longo de seus mais de cem anos de existência. Já falei dessa coleção, infelizmente não aberta ao público, mas que, espero, será no futuro.

A GM mostra mais uma vez que dá importância muito grande à sua história, zelando pela fidelidade quando algum dos modelos do Heritage Center for usado como base para algum produto. Sempre que se olha alguma miniatura de carro da General Motors, pode-se ver que há a indicação de produto licenciado, normalmente na parte inferior, se for feita com autorização da empresa. Para garantir que o produto terá uma base de informação boa é que esse trabalho de escaneamento está sendo feito. Um trabalho muito bacana, digno de parabéns por parte dos entusiastas.

E a GM não iniciou isso atendendo a pedidos de modelos específicos. O objetivo é ter todos os carros mais importantes de sua história digitalizados, para rápido fornecimento aos interessados, em mais uma importante ramificação das atividades de preservação da história da empresa.
Os sensores laser e o Eldorado com os pontos de referência.
Foto: Hexagon Metrology

Um filme pode ser visto abaixo, para  melhor entendimento do processo. Nas imagens que mostram o Cadillac Eldorado 1957, nota-se que o carro está sem brilho e com vários pontos, que são adesivos utilizados para auxiliar nas referências de posição. A falta de brilho é cera de polimento comum, usada para eliminar reflexos que atrapalham o feixe de laser.
Não deixem de escutar o motor do Corvette Stingray 1959 aos 4min25seg minutos do vídeo.


JJ

85 comentários:

  1. Com a vinda dessas "3D Printers", bastará baixar o modelo de carro desejado pela internet e imprimir a miniatura em casa.

    ResponderExcluir
  2. Cristian Pinheiro07/08/12 12:39

    Maldito motor mal-humorado do Corvette, estraga meu Golzinho...

    ResponderExcluir
  3. Enquanto isso, a GMB se desfez de todo o seu acervo presente no ex-museu da Ulbra, liquidando o Omega CD 98, o Vectra Collection 2005, e o Vectra V6 1996. Tambem liquidou, como sabemos, os Omega B que ela trouxe a .br, bem como um lote de 16 Vectras V6 de 1996.
    Parece que a GMB quer renegar totalmente sua fase OPEL no .br. Uma pena mesmo, pois agora ela so' produz o mais puro lixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daqui a pouco, de vergonha, a GM mãe vai negar q a GMB seja dela.
      Seria hilário.

      Excluir
    2. GM com vergonha da GMB?
      Ah vá!
      Não brinca com essas coisas

      Excluir
    3. Uma empresa que teve aqui um carro 2.0 16v de 150 cv e baixo consumo em 1994 (Vectra GSI). Virou piada.

      Excluir
    4. Vectra V6? Conte mais sobre isso!

      Excluir
    5. Essa montadora está cavando a própria cova, seus últimos lançamentos são de doer. E dizem que está vendendo muito bem, duvido.

      Excluir
    6. anonimo 7/8 15:42
      Não está, não. E sabe por quê? Simples, porque ela está abocanhando uma fatia de mercado em que ela não atuava nos anos 80/90. Uma legião de consumidores nem aí para nada dessas discussões de design, plataformas, motores, etc... e que só querem seu zerinho em suaves prestações mensais. E o sujeito que que fazer um strogonoff, não tem grana pro filé mignon, então, vai de coxão duro mesmo. E ainda repete o prato.

      Excluir
    7. Eu tive a honra de andar no Vectra V6. Que puta carro...

      Excluir
    8. A GMB sempre produziu lixo. A General Motors no Brasil é só um aglomerado de barracões velhos no município de São Caetano do Sul.

      Excluir
  4. Assim como o Polara é renegado pelos fãs de Dodge.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos Neves07/08/12 14:18

      Sou Dodgeiro e amo o Polara!

      Excluir
    2. Não por mim (muito pelo contrário), mas de fato é notório o solene desprezo da imensa maioria dos dodgeiros pela linha 1800/Polara.

      Excluir
    3. Não é um Dodge, só trocaram o emblema

      Excluir
    4. Hillman Avenger.

      Excluir
    5. Aos falsos entendidos de plantão...
      Pra informação de vocês,a Hillman pertencia ao grupo Rootes que era controlado pela Chrysler...Então antes de falarem que o Polara não é um Dodge,pesquisem mais...Parem de ficar olhando apenas para suas banheiras de 1,5 e meia com suspensão de carroça na traseira e admirem o pequeno carro também...Odeio esses dodgeiros xiitas que nada pra eles é melhor que o carro deles,fora que a maioria é tudo engenheiro de obra pronta,quando a barcaça deles dá problema,levam no mecânico que faz um serviço porco e ainda cobra o olho da cara...Sei como é aqui em BH tá cheio de tipos assim,tanto mecânicos como de dogeiros desse tipo...Fora que entre eles um fala mal do carro do outro pelas costas...

      Excluir
    6. Mr. Car, os dois Dodginhos de que lhe falei continuam por aqui. Você não acreditaria se os visse pessoalmente. Suas pernas bambeariam se ouvisse o que os donos disseram para mim, por R$ 7.000,00 compraria cada um. Vinham com ar-condicionado de fábrica mesmo?

      Excluir
  5. Marcos Neves07/08/12 14:17

    E a tendência da GM é continuar a fabricar lixo, pois nem a fábrica de São José dos Campos ela pode fechar, por causa dos sindicalistas e do governo sindical.

    E tome Classic pra cima do povo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que? Você queria que fechasse?

      Excluir
    2. Joseense quase desempregado07/08/12 16:08

      Espera passar as eleições para ver......
      A GM vai fazer exatamente o que quer, despedir os 1.500 funcionários da linha MVA.
      Hoje é puro teatro. Sindicato e governo são os artistas e nós os palhaços

      Excluir
    3. Marcos, por partes:
      1- Fábrica moderna não precisa ser fábrica nova; Ao que me consta, Mercedes, Porsche, Audi, Ferrari, Ford e GM norte-americanas mantém suas fábricas por décadas nos mesmos lugares, apenas modernizando o ferramental e os modos de produção. O povo de SJC que trabalha na GMB já está treinado e estabelecido lá. Não seria viável mover o ferramental, demitir quem não quisesse se mudar e contratar em outro lugar só pela alegria de mudar de ares. Sugerir que a fábrica saia da cidade, ou , pior ainda, dizer que não sai por que os sindicatos não deixam é uma forma desonesta de fazer política suja.

      2- A tendência da GM é continuar fabricando lixo deve-se diversos fatores, um deles a incapacidade de receber críticas. É notável que há uns 10 anos quando a fabricante começou a mergulhar ladeira abaixo, ela emprestava carros para avaliações. Conforme as publicações (o BCWS, po exemplo) começaram a apontar os defeitos dos carros, ela simplesmente parou de ceder os carros para avaliar. Se a publicação não der uma de quatro rodas, e afirmar que tudo que emprestam é a maior maravilha da humanidade, corre o risco de não ser nem chamada para o próximo lançamento. Outro, mais evidente é que ela continua com resultados satisfatórios de vendas, em terceiro entre os fabricantes nacionais, mérito de uma linha bem ampla, de uma queda em vendas de quem estava atrás dela (no caso, a Ford), e, principalmente do consumidor que ainda leva Cruze pensando que vai ser tão bom quanto os Opala eram...

      3- Na ampla gama da GM, alguns carros são mais bem posicionado que outros. Não me estranha que o Classic, que, afinal de contas tem suas qualidades, seja mantido como modelo de entrada, já que o objetivo era ter o menor custo possível e projetar um modelo novo é caro (embora, já que há algum dinheiro sendo economizado, o carrinho devesse custar um tanto menos do que se cobra por ele...). Faz muito mais sentido que tentar vender a Monstrana e o Agile, de mesma plataforma, num patamar de preços em que um projeto novo era mais do que justificável, e do que lançar tantos carros feios num mercado que preza tanto pela aparência quanto o nosso.

      Excluir
    4. Marcos Neves07/08/12 19:28

      "Sugerir que a fábrica saia da cidade, ou , pior ainda, dizer que não sai por que os sindicatos não deixam é uma forma desonesta de fazer política suja."

      Meu amigo, desde 2010 o compromisso da GMB é com seus acionistas e não com a responsabilidade social. Se o parque industrial de SJC perdeu competitividade a responsabilidade é da admnistração pública e não da GMB.

      Quanto mais o governo intervir em uma questão estratégica de uma empresa privada mais essa empresa deixará de investir em novas oportunidades.

      Não vou colocar meu dinheiro num paiseco que quer me ensinar a administrar uma empresa sem saber administrar o próprio umbigo, promovendo o inchaço da máquina estatal, etc.

      Excluir
    5. Ao Marcos Neves,

      Se as empresas deixassem de investir cada vez que o governo se intromete, ninguém investia um centavo na China! Na China, o governo é proprietário de metade das empresas do país sem investir um único yuan renminbi. E o pessoal segue investindo lá...

      Excluir
    6. Marcos Neves07/08/12 20:58

      Anônimo das 19:56

      É, na China existem sindicatos!!! É tudo igual no Brasil, a única diferença é que lá o povo tem o olho rasgado.

      Excluir
    7. Sujismundo Clean07/08/12 22:07

      "é uma forma desonesta de fazer política suja": peraí, existe forma honesta de fazer política suja?

      Excluir
  6. Sabem por que a GM mãe deixa a GMB vender coisas bizonhas como Agile, Cobalt ou Monstrana? Por que a gente compra. Simples.

    Eu já comprei, gastei minha cota de burrice, não compro mais.

    Uma indústria centenária que já fez(muitos) e ainda faz (poucos) carros de excelente qualidade no mundo todo, menos por aqui. Entrem no site da Gm dos EUA ou da Holden Australiana ou Opel ou Vauxhall, Buick, Cadillac...
    Ahhhh!!! Chega.

    ResponderExcluir
  7. A GMB morreu e só falta cair. Meus parabéns à toda equipe que dão e deram as cartas por lá nos últimos anos. Homenageio dois em especial: Carlos Barba, pelos desenhos mais horrorosos e medonhos de todos os tempos e; Pedro Manuchakian, pelo "belo acerto" dos powertrain, sobretudo desse troço chamado Spin, com motor 1,8 capado de 114 para 108 cavalos e câmbio manual com relações muito curtas pra o que se espera de um veículo desses (32km/h por 1000 rpm em 5ª marcha).
    Precisamos urgentemente de um Bob Lutz por aqui.
    Fora com essa cambada de incompetentes e não entusiastas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoas aparecendo para xingar FGV e defender Carlos Barba e Pedro Manuchakian em 3,2,1...

      Excluir
    2. A GM é uma empresa falida que está se reerguendo com o que eles vendem aqui. Tem um grande histórico. Só.

      Excluir
    3. Ricardo Simonsen07/08/12 20:03

      Reerguendo-se pelo Brasil? OK. E na Ásia/China e EUA, onde vendem-se Cruzes como água?

      GM não só se reergueu, como pagou centavo por centavo o que pediu (junto da Chrysler e Ford) ao governo dos EUA depois da crise mobiliária/créditos/econômica que a América do Norte sofreu - fez o que Lee Iacocca fizera em 1978 salvando a Chrysler.

      Acorda, rapaz: Brasil não é centro do universo! Nem mesmo a Fiat, como muitos dizem, foi salva pelo Brasil - isto é coisa de ignorante que não tem o mínimo discernimento para NÃO dizer o que não sabe. A Fiat conseguiu lançar um produto novo (Grande Punto) com plataforma GAMMA da GM (Corsa C), que foi sucesso no mundo todo (Leste Europeu e Australia, principalmente) - este Punto não tem nada a ver com o Punto brasileiro que é uma plataforma de 1993 (a mesma do Palio).

      Se aqui realmente estivessem vários AUTO ENTUSIASTAS, cada montadora ou cada crise seria um golpe e motivo de lamúria para todos.

      Eu confesso que fiquei triste com o fim da Plymouth, Mercury, Oldsmobile e Pontiac, marcas que marcaram minha infância nos anos sessenta quando via Taxis Mercury 8 1946/48, o Oldsmobile V8 "Rocket" 1953 do meu vizinho ou quando vi um Pontiac Formula 400 recém chegado desfilando em Santos com nada menos do que Emerson Fittipaldi ao volante.

      Aqui parece que tem gente que é igual torcedor de futebol: Torce contra marcas, porque tem uma diferente ou a família sempre teve outra em casa. Isto para mim é coisa de babaca.

      Tenho Dodges (sendo 02 americanos!), Camaro, Mustang Fastback, AMC Javelin, Impala, Corvette... pro dia-dia tenho um Cruze (tinha um Civic, que não ganha em NADA do Cruze), uma BMW 320i e um Amarok pra viajar. Sempre gostei de Santana e Golf nos anos noventa e nunca mais tive um VW até comprar a Amarok, que achei uma PORCARIA que nem se compara com a Hilux que por muito anos trabalhei com ela, viajei, pesquei etc... Coloquei a Amarok pra vender e faz 4 meses no webmotors e só curioso enchendo o saco e ninguém vem ver!!!!

      Acha que ligo pra marca? Eu sou AUTO ENTUSIASTA DE VERDADE!!!!!!!

      Excluir
    4. O meu outro carro é um Fusca...

      Excluir
    5. Ricardinho Sorensen07/08/12 22:20

      Meu Deus, como tem gente metida a besta nesse mundo...

      Excluir
    6. Se voce tem mesmo esse tanto de carro que citou você é um AUTO MILIONÁRIO de Verdade mesmo ! Lol !!

      Excluir
    7. Sujeito pedante. E ainda se acha no direito de dar pito nos outros por não concordar com o que pensam, julgando-se mais entusiasta por isso. Cada um que aparece...

      Excluir
    8. plataforma Gamma é Corsa D e não C. E o Grande Punto é, sim, o nosso Punto.

      Excluir
    9. Comprou Amarok e descobriu que é uma bosta.
      Puxa, você é um auto-mané.

      Excluir
    10. Mostre me dados aonde o punto vendeu bem na Austrália...
      Talvez Austria, não? Pq morei na Australia, rodei muitas cidades no país e contei nos dedos os modelos FIAT que vi lá.

      Não Acredito que vc Seja Auto Entusiasta de verdade.
      Por 2 motivos, pick up não é carro. E a Amarok é infinitamente melhor que a Hilux.

      Abraços
      Marcelo L. C. Jr.

      Excluir
    11. Ricardinho Simoninha08/08/12 11:33

      Opa, Ricardão Simonsen...

      Tenho um Santanão 96 pra vender. Você disse que gostava de Santana... legal! Não quer bater um rolo "pau a pau" com a sua Amarok?

      Se interessar, mande e-mail para entusiasta.pobre@brasil.gov

      Abraços!

      Excluir
    12. Ricardinho Mentirosen08/08/12 12:10

      Meu Deus, como tem gente mentirosa e besta nesse mundo...

      Excluir
    13. Fico imaginando se os "capos" da GM são tão ingênuos à ponto de concluir que um dono de Zafira seria capaz de trocá-la por uma Spin. Até mesmo no caso da Meriva tenho lá minhas dúvidas se alguém seria louco o suficiente para isso.

      Excluir
    14. Rodrigo Abreu08/08/12 22:31

      Me dá um desses?

      Excluir
  8. Melhor um Classic do que um Agile ou Cobalt.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo completamente bussoranga.
      O que dá pra ver é que a GM prefere empurrar goela abaixo modelos novos mal projetados, do que evoluir apropriadamente os que ja possui na prateleira.

      Excluir
    2. Melhor ainda um GLS 1.6 16v ECOTEC com veludo de cima a baixo, ABS e air-bag, que tinha em 2000/2001.

      Excluir
    3. Ricardo Simonsen07/08/12 20:05

      Cobalt é feio mas o projeto dele não tem nada de mal.... tiraram leite de pedra com o Agile, mas o Cobalt é muito bem construído.

      Excluir
    4. De fato Sonic, Agile e Cobalt passam vergonha perto de um Corsa GLS 1.6 16V 2000/2001.
      Alias, uma empresa precisa ter muita falta de vergonha na cara para querer empurrar esses lixos 1.4 quando oferecia, no mesmo segmento, 1.6 16V. Ou ainda pensar que um proprietario de Astra de 136CV ou 140CV aceitariam um Cobalt 1.4. Eagora esse Spin para quem tem zafira. PQP!!!
      A verdade e' que a GMB resolveu focar noutro mercado (o mercado ze' ruela) e deixou orfao o mercado onde ela tradicionalmente atendia. E a Ford ja' esta' comecando a perceber isto (Focus e Fusion), so' falta ela lancar uma van e estara' feito o estrago!

      Excluir
  9. Tem um leitor que diz que a GM é um conglomerado de velhos barracoes em SBC.
    Realmente espero que ela nao chegue a isso e consiga se reerguer.
    Nome e tradicao nao lhe faltam .
    Mas sinceramente acho que falta é AUTONOMIA a pessoas com CAPACIDADE de MUDANCA e que consiga exergar o que o MERCADO demanda.
    Dá pena ver os ultimos lancamentos aqui no Brasil: Celta,Agile,Montana,Cobalt e agora o Spin. Que coisa horrivel o seu desenho ! (pode ate ser um bom carro) ,
    Alguem precisa urgentemente tomar o timao desse barco que tem tudo para naufragar em pouco tempo.
    Uma pena!
    Jorjao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo. Se falou em Timão, eu discordo.

      Excluir
    2. Ricardo Simonsen07/08/12 20:21

      Anonimo, a GM quer é isto: Lucrar com baixo custo e vender bem.

      Burrice é deixar de comprar a marca porque os corneteiros de internet têm prazer em falar mal. Como diria um amigo meu: "Este povo era aquele durão que nunca teve dinheiro para ter um Opala, Monza ou Vectra 0km, e hoje desconta a raiva na inveja". Pura verdade.

      Misturar Cruze, S10, Camaro, Malibu e Captiva com o restante da linha GM, em termos de desenho, não dá.

      Mas garanto uma coisa para vocês: Exceção à Ford, Fiat produz um Palio e um Punto com plataforma de 1993; Siena é plataforma do Palio esticada (já que Punto nacional é feito em cima do Palio); VW fabrica o Gol com remendos de plataforma de 2001 com longarinas curtas e com soldas a lazer feitas de forma porca; Vw vende um Golf com plataforma de 1991 desde 1999 (quem andou no Golf alemão VR6 sabe a diferença); Renault monta carro nas coxas na Argentina, pois viu o que a Fiat faz em Betim e tentou melhorar um pouco para angariar mercado;

      Prezados, GMB pode fazer automovel feio. Mas os melhores engenheiros (salvo VW, Ford e a dupla Honda/Toyota pq o restante é só estagiário...), o cuidado na linha de montagem (totalmente diferente da Fiat, por exemplo - veja o video daquele gordinho mineiro, AUTORIZADO FIAT, falando dela) e o know how de uma década fazem a diferença. Só não digo que GM e Ford estão à frente da dupla japonesa, mas que estão à frente de VW, Renault, Nissan e PSA isto estão!!!!

      Realmente sinto saudade do Clio que minha esposa teve em comparação com os novos; do Golf VR6 que eu tive desde 0km; do Vectra GSI 1994 que eu tive; Hoje infelizmente são poucos automoveis que nos empolgam.

      Quem teve um Golf 95 ou comprou um popular Clio em 2001 sentia muita diferença para qualquer lançamento de hoje em dia. Posso ir até mais polêmico: Escort Zetec rocam 1998 que minha esposa teve era uma delícia, gostoso, na mão, fácil de guiar, bom de curva... Boa época!!

      Infelizmente!!

      Excluir
    3. experimente o jetta turbo que não vai se decepcionar !!!

      Excluir
    4. "Vídeo de gordinho mineiro". Deve estar se referindo ao Alexandre "high torque". Ele não é autorizado Fiat, é reparador independente.

      Excluir
    5. O Gordinho Mineiro é o Alexandre High Torque.
      O figurinha pedante!

      Excluir
    6. Nada contra "lucrar com baixo custo e vender bem", faz parte de qualquer negócio a otimização de custos para posterior aumento de lucros, respeitados certos limites, claro. Só não contem comigo para gerar lucro em cima dessa nova linha de produtos que eles andam vendendo. Não gosto e pronto. Nada à ver com influência de corneteiros e invejosos recalcados de internet, isso é subestimar, e muito, a inteligência e capacidade de discernimento dos demais, ainda mais de quem não se conhece.

      Excluir
    7. E outra coisa: realmente não dá pra misturar Cruze, S10... com o restante da linha em termos de desenho. O restante da linha era muito melhor nesse aspecto. Eram as linhas harmoniosas e quase atemporais da Opel e que dão uma surra nesses arremedos da Chevrolet.

      Excluir
  10. Nossa, os "entusiastas" aqui gostam tanto de falar da GMB que nem deram importância ao tema proposto pelo Juvenal Jorge. E ainda a gente lê cada argumentinho...
    Sem falar que 90% dos comentários se referem ao estilo dos carros, como se isso fizesse o carro inteiro ruim. Parecem mulheres (sem ofensas).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que falou em GM por aqui já me embrulha o estomago.....
      E não só pelo estilo não, mas também por atitudes como essa contra o BCWS por exemplo.

      Excluir
    2. Guilherme,
      obrigado pela sua nota.
      Realmente fico chateado quando mostramos algo bacana e o assunto é desviado, caindo em um mundo completamente diferente que é o Brasil.
      Obrigado por entender que a maioria dos comentários está fora do contexto do post.
      Abraço.

      Excluir
    3. JJ
      Fica chateado, não, essas coisas são assim mesmo e acontecem em quase todos os posts. Queixar-se por isso é chover no molhado.

      Excluir
    4. De fato foi levantado um assunto off-topiv neste post do JJ, mas ha' motivo para isso: a discrepancia entre o passado e o presente da Chevrolet.
      O fato da GM investir na preservacao de sua historia e' muito valido e importante, alem de ser mais uma fonte de renda. Por outro lado, porque a GMB se desfez de todo seu patrimonio historico?
      Ora, a matriz respeita sua historia e a filial nao??? Que negocio e' esse? Fica muito claro o "tratamento" que nos e' dado (ja' estava claro com o desservico prestado pela GMB ao barrar o BCWS).
      Enfim, se o mercado fosse composto por pessoas decentes, deveria hhaver uma rejeicao em massa a veiculos 0km da GMB, que e' para ela entender que nao somos lixo, e portanto nao merecemos lixo.

      Excluir
  11. Realmente... Estamos em um blog de AUTO ENTUSIASTAS, e o povo aqui descendo a lenha em carro por que o design é "medonho", como dizem.... Ok, design é sim um atributo importante, mas convenhamos, um AUTO ENTISIASTA não o leva em primeiro plano para eleger um carro bom ou ruim...

    Certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um carro ruim, se "vestido" com otimo design, continua sendo um carro ruim.
      Ja' um carro bom, se "vestido" com um pessimo design, passa sim a ser um carro ruim.

      Portanto, de uma forma ou de outra, Cobalt e' um lixo.
      Enquanto morei nos USA, dirigi varias geracoes do Cobalt original. Eram menos feios, mas eram o supra-sumo da essencia do puro lixo.

      E a GM tanto sabe disso tudo que foi buscar na Australia a plataforma para fazer o Camaro (que nada mais e' do que um Omega V8 bastaaaante piorado).

      Excluir
    2. Porque um carro bom, porém feio, passa a ser ruim? Aliás, como dizer que um carro feio para uma pessoa o será para outra e portanto como dizer que um carro é ruim só pelo seu estilo?
      O que tem a ver a plataforma (como se fosse algo físico, palpável) do Omega fabricado pela Holden ser "usada" (de novo, como se fosse algo concreto) no Camaro com o Cobalt ser, na sua opinião, "lixo"?

      Excluir
    3. Esse Bussoranga só fala asneira.

      Excluir
    4. Quer dizer então que a gente tem que fechar o olhos para analisar o carro entusiasticamente? Boa essa, hein!

      Excluir
    5. Guilherme, carro e' conjunto, e isso e' fato. Design faz parte do conjunto, logo carro com design ruim nao automaticamente se torna um carro ruim

      Quanto ao Omega e Camaro, eu estava justamente esperando alguem perguntar. Tem a ver oseguinte: na Chevrolet americana, excetuando-se o Corvette (que nao por acaso teve boa etapa do seu desenvolvimento feita na Europa), so' tem puro lixo atualmente.

      Ja' tive a oportunidade de dirigir Impala e Malibu quanto morei nos USA (coisa de 2 anos atras) e posso dizer com propriedade: ambos sao puro lixo. Estabilidade precaria e frenagem nada retilinea. Parecia uma enorme volta ao passado. So' tem motor bom, e so'.

      Agora sim, voltando 'a constatacao: a GM tanto sabe que os Chevrolet americanos (de novo, excetuando-se o Corvette) sao puro lixo que usou uma plataforma australiana para fazer o Camaro.

      Nos USA, fica claro porque Toyota e Honda vendem tanto. Os japoneses estao ha' anos e anos ensinando como se faz carro, mas os americanos, porpura arrogancia, se negam a aprender.

      Excluir
  12. Bôa Ricardo Simonsem. Mandou bem. Vc é do Rio? Abs!

    ResponderExcluir
  13. Aléssio Marinho07/08/12 23:40

    Interessante como os detalhes fazem a diferença. O uso desse scanner para reproduzir com fidelidade as formas dos autos antigos me deixa muito feliz, primeiro pelo compromisso de produzir miniaturas fieis ao original e segundo, pela possibilidade de, quem sabe um dia, poder comprar um carro antigo 0Km, como a Ford fez a pouco com a carroceria do Mustang.
    Imagina o sucesso que um Fusca ou Karmann Ghia fariam modernizados... O Bob poderia enfim comprar o tão sonhado 1303 dele...rsrsr

    ResponderExcluir
  14. Voltando à miniatura do SP2, a Hotweels perdeu uma ótima oportunidade de fazer algo primoroso, cometendo vários erros, a começar pelo óbvio teto, cuja curvatura está prá lá de incorreta, mas também pelo corte da janela lateral traseira, também lastimável, sem falar que a frente está muito curta e rombuda, muito desproporcional em relação ao original, cuja foto de lado oportunamente pode ser comparada. Lamentável, e nem corri atrás da miniatura quabndo vi a m... que fizeram. A miniatura do Brasília também é sofrível, devido àquele párachoques que parece incorporar um spoiler, sem contar que os vincops da carroceria estão a anos-luz dos originais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No caso da Brasoca dá até pra entender. Os caras devem ter se baseado nas inúmeras jabiracas xunadas dos vileiros.

      Excluir
    2. Anônimo de 07/08 23:58,
      corretas as observações sobre o SP2.

      Excluir
    3. Dá pra brincar de "jogo dos muitos erros" com a miniatura em comparação ao original...
      Mas as coleções de miniaturas nacionais tem melhorado gradativamente. De inexistentes para artesanais (que podem ser ótimas, mas são sempre limitadas e caras...), daí para algo que deixa a desejar mas atende à demanda, e, por fim, algo bem feito num preço possível de se pagar. Quem dera a indústria dos carros grandes tivesse uma evolução tão simples...

      Excluir
  15. Ah, e o Maverick não conta, porque o molde original já existia, sendo, na verdade o Maverick Grabber (vejam os párachoques avantajados) americano, e como tal, muito bem feito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,
      o SP-2 só foi feito no Brasil. Deixei isso claro no texto.

      Excluir
  16. nunca analisei as miniaturas dos "Carros Brasileiros" em detalhes, excessão feita ao opala SS branco (2ª geração de 1975 a 1979), pois tinha esse carro e queria uma miniatura..
    ao olhar as rodas, me desanimei, pois eram as do SS 1º modelo (até 1974), erro infantil... também não haviam os faróis de milha redondos no para-choque dianteiro nem os quadrados em baixo....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, tenho mais de 25 Ferrari, um Corvette de cada geração, 5 Porsche, Camaro, Mustang, Lamborghini, Ford A e T, e mais uma série de outros, alêm dos nacionais (Achei um Fissore feito à mão!), num total de 251 miniaturas compradas entre 1988 e segunda-feira passada, então posso afirmar que, considerando a dificuldade de se conseguir um molde, o fato de que o fabricante, por ser chinês, não deve ter tido contato com o carro além de umas poucas fotos, e o preço cobrado por elas, até que estes defeitos são mais do que aceitáveis, com a qualidade até superior o que se vê por aí (Meu Lamborghini Diablo tem volante à direita, meu corvette 2005 tem manivela de vidro e meu f-40 tem faróis redondos!).
      Comparando as primeiras miniaturas (um carro verde não identificável) com as últimas (um DKW que abre o capô e mostra um motor com 3 cilindros e 3 bobinas, mas usa as rodas erradas), há motivos para crer que a qualidade deva melhorar, mas que está muito melhor que há 25 anos, com certeza está.

      Excluir
  17. na boa,

    AH VÁ?!

    a gente é tão atrasado que desde as nossas miniaturas até nossos engenheiros não sabiam que isso tem relação com engenharia reversa....

    triste fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,
      não entendi seu comentário.

      Excluir
    2. nem ele entendeu pelo jeito....

      Excluir
  18. Victor Gomes08/08/12 12:54

    Os modelos em 3D tem outra utilidade além de servirem como futuras referências para miniaturas:

    Servem para serem adicionados em vários jogos de computador e video game.
    Se lembram por que Gran Turismo 4 e 5 tiveram seus lançamentos adiados várias vezes??? Modelagem dos carros. Demora muuuuuuuuuuito para modelar um carro a partir de blueprints. Graças a estas máquinas, os produtores de Gran Turismo e Forza lançam vários packs ao longo dos anos com novos carros, tanto protótipos atuais quanto carros antigos. O processo ficou muito mas rápido, preciso e fácil.

    O mais legal é que tem uma galera que é tão sinistra com programação de jogos que eles são capazes de identificar o arquivo em 3D dentro de um jogo recente e converte-lo para ser usado em outros jogos, geralmente títulos da série Gran Theft Auto e Need for Speed.

    ResponderExcluir
  19. Victor Gomes,

    a aplicação em jogos eletrônicos também está listada no meu texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor Gomes08/08/12 14:53

      Putz, q furo! Não foi preguiça de ler. Li ele ontem. Só comentei hoje.

      Adoraria ver modelos exclusivos de nosso mercado, principalmente os fora-de-série, sendo digitalizados!

      Excluir
  20. qual foi o carro mais da hora em 1988?

    ResponderExcluir
  21. ... ja publicou ou e de mais?

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...