5 de agosto de 2012

O GRÁTIS SAI CARO

(Foto apenas ilustrativa)


Como dizem os americanos, não existe almoço grátis. Nada é de graça. Por isto, às vezes o que é grátis pode acabar saindo muito caro.

Recentemente tive que fazer a vistoria para o seguro do Siena de minha esposa. A seguradora fez um convênio com uma grande rede de venda de pneus aqui do Distrito Federal para isto.

Neste convênio, o vistoriador fica dentro das lojas da rede e lá faz a vistoria dos carros a serem segurados. É prático porque assim existem postos em muitos endereços aqui do DF e fica conveniente para levar o carro até um mais próximo.

Levei o carro a um posto na W3 Norte (avenida da Asa Norte de Brasília) porque era mais próximo do meu trabalho. Chegando lá, o vistoriador fez rapidamente a vistoria do Siena, tirou fotos, decalque do chassi, do motor, etc. Em 20 minutos estava tudo liberado.

Aí chegou o “consultor” da rede de pneus e disse que quem fazia vistora lá ganhava alinhamento e balanceamento “grátis”.

Conheço os golpes de oficina. Uma vez, um mecânico de confiança me contou a mágica por trás das “pastilhas de freio grátis” que uma grande seguradora dava a seus segurados alguns anos atrás. Apesar de oferecer as pastilhas gratuitamente ao cliente, seguradora não entrava com absolutamente nada, a oficina que arcava com tudo, até com o valor das pastilhas (que para elas é irrisório). A seguradora entrava apenas oferecendo as pastilhas gratuitas e indicando as oficinas onde elas poderiam ser retiradas e instaladas.

O truque, no caso, era que, para que as pastilhas fossem trocadas, era necessário que o dono do carro autorizasse o mecânico retirar as rodas dianteiras e desmontar o sistema de freios. Daí para este condenar a suspensão inteira era um passo. Discos de freio, amortecedores, buchas, "bieletas" (ligações da barra estabilizadora), tudo isso era à parte e “precisava” ser trocado ou o carro estaria “inseguro”. 

O sujeito ia à oficina para trocar as pastilhas de graça e saía de lá com toda a suspensão e freios trocados, além uma conta de mais de mil reais para pagar. E se a oficina não lançasse mão deste truque, acabava saindo no prejuízo das pastilhas e da mão de obra para que a seguradora ficasse “bonita na foto” perante o segurado.

Este mecânico que me contou isto não fazia este tipo de serviço, pois considerava anti-ético e disse que não iria tomar prejuízo trocando pastilha de graça para os outros e que, portanto, não trabalhava para esta seguradora, apesar de ter tudo muitas ofertas por parte dela.

Sabendo de tudo isso, aceitei a oferta da loja de pneus só para ver até onde a coisa chegava. Colocaram o carro no elevador e tiraram as rodas para fazer o balanceamento. Primeira observação do mecânico: o senhor trocou estas pastilhas há pouco tempo, não é? Óbvio ululante, pois as pastilhas estavam novinhas, que eu havia trocado uma semana antes, assim que peguei o carro. Confirmei que sim e o mecânico já foi queimando o trabalho do outro mecânico que trocou as pastilhas, dizendo que este deveria ter trocado os discos. 

O carro tem apenas 34.000 km e teve as pastilhas trocadas pela primeira vez agora. Apesar do disco ter algum sinal de desgaste, este ainda era muito pequeno para justificar sua troca. O “consultor” então me chamou para ver o preço da troca dos discos: 261 reais, “é barato, para o senhor rodar com segurança” (sempre o apelo ao medo, para que o cliente acabe abrindo mão da racionalidade). 

Só que ele não sabia que, pouco tempo antes de vender o carro, eu havia precisado trocar discos e pastilhas do Fiesta, ao custo de 150 reais entre peças e mão de obra. Os discos do Siena custam quase a mesma coisa que os do Fiesta, nada justificava esta diferença além de pura margem de lucro elevada para pegar o cliente incauto. 

Um par de discos de Siena custa 70 reais numa loja de peças, como depois pude apurar. Claro que na oficina há a mão de obra, mas considero que 190 reais de mão de obra é muito caro para trocar um par de discos, serviço que pode ser feito em 15 minutos por um mecânico experiente.

Isto faz parte de um truque comum deste tipo de oficina: Atrair o cliente com algum tipo de chamariz e informá-lo sobre a necessidade de troca "urgente" de peças que ele não esperava trocar. O chamariz pode tanto ser a oferta de serviços gratuitos (como o caso da loja em questão) quanto um anúncio de um produto caro por um preço muito atraente, como pneus e amortecedores. Aí pratica-se empurroterapia.

Voltando ao caso da rede de pneus, percebi, olhando pela oficina, que havia muitos clientes trocando pneus, que haviam sido comprados em um hipermercado de uma conhecida rede presente em todo o território nacional. Este hipermercado oferecia “montagem, alinhamento e balanceamento grátis” aos clientes que compravam os pneus vendidos lá, serviços estes a serem efetuados nas lojas da tal grande rede de pneus. Esquisito uma rede que vive de vender pneus instalando gratuitamente pneus comprados em outro lugar, não é?

Observando com olhar mais crítico, acompanhei o alinhamento de três carros. Em todos o alinhador apontava a necessidade de serviços extras como cambagem ou acerto do eixo traseiro. Nos três casos, um Gol, um Polo e um Logan, a suspensão traseira é do tipo eixo de torção, que é conhecida por ser uma suspensão resistente e que, para ter seus ângulos alterados, é necessária uma batida forte na roda ou em alguma parte da suspensão. 

Todos os três carros haviam passado por batidas fortes na roda traseira para necessitarem de correção no eixo? Acho um tanto quanto improvável isto. Ah, obviamente a correção do eixo traseiro e das cambagens dianteiras não estavam incluídas no alinhamento gratuito, deveriam ser (bem) pagas a parte.

Como já havia visto o que queria ver e o balanceamento das rodas estava pronto, aleguei falta de tempo para esperar a minha vez no alinhamento para tirar o carro dali. Saí de lá e, após rodar uns quilômetros, comecei a ouvir barulho vindo da traseira do carro. Parei imediatamente no primeiro lugar seguro que achei para olhar o que era. Foi quando constatei que haviam feito o impensável: 

Ao montar as rodas de volta no carro, o mecânico não havia colocado três dos parafusos da roda traseira esquerda, não sei se por esquecimento ou se por retaliação de eu não ter deixado dinheiro na oficina (ué, mas não era alinhamento e balanceamento GRÁTIS???). A roda traseira esquerda estava presa por apenas um parafuso, que estava se soltando (era o que gerava o barulho).

Peguei a chave de roda, retirei um parafuso da roda traseira direita e prendi precariamente a roda solta, que ficou com dois parafusos, apenas para conseguir chegar até uma oficina. Fui andando devagar até uma oficina de minha confiança (que por sorte estava próxima) e lá comprei os três parafusos faltantes. Por já não confiar mais no serviço da oficina anterior (achei que poderiam criar problemas para que eu voltasse lá), pedi que conferissem o balanceamento e o alinhamento do carro. As rodas estavam balanceadas corretamente e o alinhamento nem precisou ser mexido, foi só conferido e estava ok.

O mecânico até fez uma brincadeira comigo, dizendo que eu estava procurando o que fazer no carro, que o Siena não tinha nada para fazer agora, só tinha que colocar combustível e trocar o óleo daqui a 2.000 km (que com certeza será trocado lá nesta oficina honesta).

Enfim, os americanos estão certos, não existe almoço e nem nada grátis. Se alguém oferece algo de graça, é porque espera ganhar algo de outro lado. Por isto, em vez de só buscar o menor preço ou ir atrás de promoções oferecendo coisas "grátis", o ideal é sempre ter um mecânico de confiança, com quem se construa uma relação de longo prazo. Numa relação destas, ambos sabem que a honestidade e o pagamento do preço justo pelo serviço (se o mecânico trabalhou, merece receber!!!) se traduzem em uma situação vantajosa tanto para o cliente, que não será esfolado para trocar o que não precisa no seu carro, quanto para o mecânico, que sempre receberá a merecida remuneração por seu trabalho.

CMF


164 comentários:

  1. A seguradora em questão que trocava as pastilhas era a Porto Seguro pela tal rede Top Stop e o hipermercado que você citou deve ser o Carrefour. Só não sei qual é essa outra rede que você levou.

    Acho que deveria dar nome aos bois na matéria. Afinal esse site não vive com rabo preso com anunciantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Embora se possa inferir no texto a intenção de preservar a imagem das redes envolvidas, as menções a "uma grande rede de venda de pneus", "uma grande seguradora", "um hipermercado de uma conhecida rede presente em todo o território nacional" deixaram a matéria parecida com as meias-notícias da Globo.
      No mais, perfeito.

      Excluir
    2. O intuito do post não é crucificar ninguém, mas sim alertar para este tipo de situação, muito comum. E também que o tamanho de uma empresa não é atestado de idoneidade. Algumas das empresas em questão são muito grandes e ainda assim se utilizam deste tipo de artimanha, comum em várias grandes redes de oficinas.

      Excluir
    3. Aqui também têm uma "grande" rede, vende pneu e da montado, balanceado e tal. Já comprei Firestone com bom preço lá, só que levei no "borracheiro" de confiança. Também não confio no grátis...

      Excluir
    4. E o nome da oficina de confiança? É até uma forma de recompensá-los pela honestidade, com mais clientes, e uma grande força para os leitores de Brasília :)

      Excluir
    5. Pessoal,
      Fiquem bem longe destas redes ! Os consultores são TODOS bandidos !
      Meu carro tem 14 anos e 120.000 km. Troquei as pastilhas 2 vezes e NUNCA troquei os discos, simplesmente porque não se desgastaram ! O freio continua excelente e detalhe - o carro é automático.

      Excluir
    6. Fábio, melhor mesmo é deixar que os comentaristas dêem nome aos bois, pois por mais que seja de amplo conhecimento e haja sido retratado por fonte fidedigna, as colocações acerca da desonestidade praticada nas seções de empurroterapia pelos elementos por você nomeados podem muito bem gerar causa para pretensa reparação judicial. Esta mídia é bem divulgada, e escancarar o nome de empresas aqui, mesmo que com razão, poderia gerar imbróglios.
      Mais importante do que bem observar e apontar a desonestidade, nesses casos, é estar lastreado por uma ampla carga probatória e ser comedido nas palavras, pois, sabidamente, nem toda a tipificação de nosso ordenamento exige que a denúncia seja infundada para ser considerada lesiva à imagem de alguém.

      Excluir
    7. O problema do CMF dar "nome aos bois" é que, dizendo exatamente quem/aonde foi, pode criar na cabeça do leitor de outras cidades (onde a loja X e o mercado Y talvez não estejam presentes) um sentimento de distanciamento em relação ao fato.

      Essa é uma história pontual, mas não há necessidade de citar os sujeitos pois sabemos que se aplica a qualquer outra cidade brasileira.

      Excluir
    8. Não, Lucio, tem muito mais à ver com o que o Charles escreveu.

      Excluir
    9. Por isso que agora só faço alinhamento e balanceamento em autorizada, é um pouco mais caro mas só pago isso e pronto, sem empurroterapia.

      Excluir
    10. @15:23, tem muitas concessionárias que levam em oficinas independentes para fazer alinhamento...

      Excluir
    11. anonimo 6/8 19:25

      Verdade absoluta! Se te contar as coisas que eu já vi você cai de costas.

      Excluir
    12. É a mesma Porto Seguro que cerca de 4 anos atrás, subornou uma delegacia de roubos e furtos de veículos em SP. O segurado tinha o carro roubado/furtado. Ia até a delegacia e fazia o B.O. Então encaminhava a papelada para a segurados Porto Seguro. A seguradora acionava a delegacia, que registrava ocorrência de falsa comunicação de roubo/furto contra o segurado. Este último respondia processo por fraude no seguro ao invés de ter seu prejuízo ressarcido. A seguradora fez isso com tantas pessoas que acabou ficando evidente o golpe. Foi um escândalo que passou no Jornal Nacional.

      Excluir
  2. Aléssio Marinho05/08/12 12:20

    Ter carro está cada dia pior.

    Tempos atrás levei meu carro numa loja de uma rede de pneus italianos, para conferir o alinhamento, balanceamento e fazer o rodízio.
    Carro no elevador para fazer o rodízio, o meXânico me saiu com essa:
    -Seu pneu dianteiro está empenado! Não pega balanceamento. Tem que ser trocado.
    Retruquei: - Monte de novo que vou levar no torneiro pra desempenar!
    Nunca mais voltei lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pneu empenado é o que há, hein? A criatividade do pessoal empurroterapeuta não tem limites, essa ganha até da rebimboca da parafuseta...

      Excluir
    2. É difícil, mas pode acontecer do pneu entortar sim.

      Excluir
    3. É, anônimo, mas o pneu torto dá para sentir a cada dez metros, é como se o carro estivesse mancando... Às vezes acontece isso em estradas de terra.

      Ou seja, se o pneu estava torto, o Aléssio seria o primeiro a saber.

      Excluir
    4. Aléssio Marinho05/08/12 21:06

      Sei como é um pneu torto. Certa vez numa emergência tive que montar um no meu Corsa. O carro ficou com a traseira "sambando" e os parafusos da roda afrouxaram.
      Por conta disso, a PRF ao me ver trafegando em baixa velocidade e daquele jeito, me parou pra pedir informações.
      Isso era de madrugada, na BR-020 no trecho entre Formosa e Alvorada do Norte.

      Excluir
    5. Engraçado, ao fazer um balanceamento + alinhamento numa oficina, após o serviço, o mecânico disse que uma das rodas estava empenada. Respondi que não podia fazer nada, que deixasse assim. Ele olhou com uma cara... kkkkk

      Excluir
    6. Pneu empenado é um troço grave, já tive problema com dois pneus dianteiros cuja malha interna de aço desagregou da borracha devido ao excesso de velocidade (calor).

      Ambos deram sinais bem óbvios de empeno: o primeiro começou a trepidar MUITO a direção logo após eu terminar um teste de velocidade máxima na Ponte Rio-Niteroi (pra vocês verem como são as coisas), e rasgou espontaneamente 5km adiante, já frio e em baixa velocidade, quando procurava um borracheiro para trocá-lo pelo estepe.

      Na semana seguinte o outro pneu dianteiro fez a mesma malcriação de "empenar", criando uma trepidação de amplitude cada vez maior, até que numa curva (em velocidade decente, dessa vez) sua malha de aço não aguentou e o carro saiu escorregando pela tangente, no aro.

      Fica a lição: Respeitem o índice de velocidade de seus pneus!

      Excluir
    7. Casseta! Teste de velocidade na ponte Rio-Niterói e com esse saldo de pneus! O que vc andou aprontando?

      Excluir
    8. Foi um vento de cauda a favor que ele pegou na ponte, chegou a 130 com o fusca e deu nisso!
      Depois ele caiu da cama, acordou, e se viu todo molhado.

      Excluir
  3. CMF,

    Faltou voce comentar sobre a questao da cambagem. Sugiro ate' que voce ou o AAD facam um post especifico sobre isto.

    Vamos la, a questao e a seguinte: em sistemas McPherson (quase sempre na dianteira) o ajuste de cambagem, quando possivel, e' feito nos 2 parafusos que fixam o amortecedor na manga de eixo, ou seja, o ajuste esta' la' e e' facilimo.

    Ora, conforme consta no manual do carro, cambagem faz parte do alinhamento, e portaanto tem que ser feita e nao tem nada que ser cobrada a parte.

    Portanto, oficina que cobra este servico a parte, ou utiliza maquinas hidraulicas para este ajuste, eu considero criminosas e deveriam ser caso de policia.

    Nao seria o caso da ABNT intervir e padronizar a definicao de alinhamento, para acabar com essa palhacada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aléssio Marinho05/08/12 12:28

      Bussoranga,

      Concordo com vc. O uso da máquina só serve pra entortar o amortecedor, e diminuir a sua vida útil.
      Meu carro está com 67 mil km originais e só precisei alinhar 1 vez, quando troquei os pneus, aos 50 mil...
      Fiz numa concessionária (!) e foi mais barato que num autocenter.

      Excluir
    2. bussoranga,

      Penso da mesma maneira, mas desconheço lugar que inclua no valor de alinhamento da suspensão o ajuste da cambagem. Alinhamento resume-se a simplesmente conferir a divergência/convergência e só. E o detalhe é que a cambagem sempre tem preço salgado para ser ajustada, principalmente nos Opala/Caravan, onde é necessário colocar calços na bandeja superior e usar uma chave especial para acessar os respectivos parafusos.

      E o que dizer quando os camaradas, para ajuste de cambagem, resolvem limar o furo de passagem do parafuso que fixa a torre dos amortecedores à bandeja, quando não é previsto ajuste de cambagem no veículo?!!!

      Excluir
    3. A ABNT não cuida nem da gasolina, só serve para encher o saco, inventando padrões que não são seguidos em nenhuma outra parte do mundo (como carros 1.0 populares, PAL-M e o padrão brasileiro de tomadas).

      Excluir
    4. Sem contar que cada carro pode ter ou não o seu lastro pra fazer o ajuste de convergêmica e câmber. A GM escrevia isso até no manual do proprietário. Nunca vi isso ser comprido...

      O carro entra alinhado e sai pior.

      Excluir
    5. Mas Bussoranga, se 11 em cada 10 alinhadores não sabem nem o que estão fazendo ou dizendo (nada contra, mas esse tipo de gente sempre vai ser peão/empregado de borracharia justamente porque acha que sabe tudo e que nunca tem algo novo para aprender - pura falta de humildade), você vem falar em normativa? E os cursos de formação, onde ficam? Aqui na cidade onde moro tem uma oficina de alinhamento que tem certificado ASE na parede mas não entende absolutamente nada do assunto! Acho que se eu fizer meu alinhamento "no olho", em casa, fica melhor que o deles!
      Essa questão da cambagem é mais ou menos igual à técnica de condenar a bomba de combustível: facílimo de fazer e altamente lucrativo. Carro falhou, é bomba de combustível. Compra um refil chinês de R$ 40, troca em 10 minutos e cobra R$ 250 equivalente a uma bomba completa Bosch e mais R$ 150 de duas horas de mão de obra. "Lucrativíssimo", como diria meu pai. Resolveu a falha? Não. Então dê-lhe limpeza de bico...

      Excluir
    6. Bussoranga
      Em carros com cambagem fixa como é que faz, caso esteja fora da medida? GM plataforma 4200 é um exemplo.

      Excluir
    7. Outra questão relevante é com relação aos equipamentos "modernos" de oficina, "computadorizados", que emitem relatório de "antes e depois", e outras frescuras. Se for ver, o que realmente importa, que é a precisão do ajuste, é a mesma coisa que nos equipamentos antigos, por vezes até pior. Geralmente cobram mais pelo serviço "computadorizado". E ainda "emburrece" ainda mais o tecnico reparador. As máquinas de balancear, por exemplo, no mercado nacional ainda não vi (posso estar defasado, não sei) uma sequer que tenha a função de verificar excentricidade da roda e do pneu, como são as melhores máquinas disponíveis no exterior. O equipamento de regular faróis, é menos preciso que o velho método de parede (desde que realizado corretamente) e a única vantagem real é não precisar de espaço. E por aí vai..

      Excluir
    8. A regulagem da cambagem em certos carros que não possuem ajuste propriamente, como no Astra, se dá pela folga nos dois parafusos que prendem o amortecedor à manga. No entando, esses parafusos, que são de aperto com torque angular, precisam ser substituidos a cada vez, detalhe quase sempre negligenciado, e compromete a persistência da regulagem, assim como a segurança.

      Excluir
    9. A ABNT não cuida nem da gasolina, só serve para encher o saco, inventando padrões que não são seguidos em nenhuma outra parte do mundo (como carros 1.0 populares, PAL-M e o padrão brasileiro de tomadas)

      (x2)

      Excluir
  4. Quer me irritar é falar no famigerado passe em disco de freio. Disco com desgaste normal, sem riscos fundos, tem "mechanico" querendo dar passe.

    Sem meu consentimento acabaram com os discos de uma Saveiro e da Ranger. Hoje quando mando trocar pastilhas já aviso: Se derem "passe" no disco, eu expressamente não autorizo, não pago o servico nem a mão de obra da troca de pastilhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorenzo Frigerio05/08/12 15:05

      O "passe" é dado para que a pastilha nova assente rapidamente, e para que o disco não continue se desgastando de maneira desigual. O "passe" retifica o disco e cria uma nova superfície para o assentamento da pastilha.
      O importante é que passes em discos e tambores sejam dados no torno, e não na casa de peças, pois senão as peças podem sair pior que entraram.

      Excluir
    2. Lorenzo;

      Perdoe-me discordar mas esse negócio de passe é conversa de mecanico burro. Ou de mecanico picareta!

      O custo x beneficio do passe não compensa. Explico:

      1-) O Passe retira material do disco, afinando-o. O disco que duraria 150 mil km por exemplo, passa a aguentar menos a cada passe que é dado.

      2-) A Pastilha se assentará rapidamente se o colocador for minimamente inteligente e retirar as bordas. E tem o fato também de que quem tem que se desgastar é a pastilha e não o disco. A lógica é essa! Se o instalador desgastar em um esmeril as bordas das pastilhas, 90% de todo o assentamento está executado!

      3-) Todos os manuais mais antigos atestam textualmente: "Tome cuidado com os freios nos primeiros 100km pós colocação de pastilhas novas.

      4-) O custo do passe em relação ao preço de um disco de freio novo já mostra o quanto enganação é o passe no disco. Enquanto um disco de freio ventilado de uma Ranger custa R$70,00, o passe não custa menos que R$50,00. No caso do Gol quadrado, a situação é ainda mais grave: Um disco custa R$40,00 (se estiver caro) e o passe, R$50,00.

      Dessa maneira, insisto: Passe em disco: Ou o mecanico é burro ou ele tem má fé.

      Excluir
    3. Se continuar achando que um disco de freio dura 150.000 km, vou me obrigar a dizer que o burro é você.

      Excluir
    4. Depende,tem discos que empenam sim,geralmente disco sólido,é só ver que ao frear,o pedal do freio fica vibrando,porquê ou o disco,ou o tambor empenaram,neste caso,um passe,que custa baratnho,aqui no abc uns 5 reais,é a melhor solução........

      Excluir
    5. Pode se discutir o C&B do "passe" ante o disco novo ou diminuir a capacidade de frenagem até a pastilha se assentar plenamente num disco que apresenta imperfeições...

      Dos VW quadrado que me lembro a algunms anos visto os preços nem vale a penas dar passe pois o disco é bem barato.

      Excluir
    6. Dependendo do carro e do uso que tiver, o disco pode durar tranquilamente 150.000 km. Um exemplo são os veículos que trafegam predominantemente em rodovias, em que o uso dos freios é pequeno.
      Abs.
      Fabio

      Excluir
    7. CSS;

      Você não tem experiência nenhuma com carro pelo jeito. Nenhuma mesmo. Pode até entender alguma coisa de outros assuntos mas de carro...um zero a esquerda. Além de me ofender chamando-me de burro, mas fica opiniando sobre carros com base no que aprende todo domingo de manhã no Auto-Esporte.

      O que gasta disco de freio, essencialmente são passes indiscriminados, deixar a pastilha chegar no "ferro com ferro", areia (provoca riscos profundos e condena o disco) e choque térmico (como por exemplo, exigir demais dos discos e colocar o carro para lavar. Empena mesmo.

      Apenas uma vivência pessoal. Minha Ranger com 120 mil km, tive um problema com pinça e apenas uma pastilha gastou, chegando no ferro com ferro, causando um risco profundo no disco. Sem meu consentimento deram um passe no disco e o disco ficou tão fino (o risco era bastante profundo) que o freio simplesmente ficou um lixo e eu tive que trocar o disco.

      Se não fosse esse incidente com o disco (um riscado+ passe profundo), estaria rodando até hoje com o mesmo conjunto montado na Ranger lá na Argentina, lembrando que tirei o carro zero, rodava mais de 40km/dia na terra, entre outras coisas.

      Excluir
    8. Todo bom mecânico sabe que não se deve tirar as bordas das pastilhas, bem como todo bom mecânico usa o micrômetro para verificar se o disco pode receber passe e não tira além da medida mínima, que é marcada na lateral do próprio disco.

      Trocar a pastilha e colocar num disco usado, sem acertar ele, é bobeira, mas o carro é seu, faz o que quer né...

      Excluir
    9. Te asseguro que nunca tive problema de freio colcoando pastilha nova em disco usado.

      Você deve ser daqueles que segue a ABNT => Troca de correia dentada implicando troca de rolamento e tensionador.

      Isso tem nome e sobrenome: Não é margem de segurança. Chama-se coeficiente de medo. E medo de não assumir o que faz. Troca tudo ao invés de ser racional.

      Excluir
    10. Lorenzo Frigerio06/08/12 00:37

      Daniel, a medida do disco é considerada como sendo a quantidade de material entre os riscos mais profundos. Então, não diga que o disco "tem material"; a regra que importa é a do "mínimo denominador comum".
      Outra coisa que não mencionei é que os discos também têm a mania de "vidrar", ou seja, a superfície ideal de contato com as pastilhas ficou como que "cromada" e é necessário dar passe mesmo que só para refazer a superfície.
      Dar passe deveria fazer parte de qualquer serviço de troca de pastilhas e não deveria nem ser cobrado.
      Hoje em dia, é muito mais compensador trocar os discos de uma vez, mas dependendo do seu carro, por exemplo, se for importado e você o comprou usado, e está dentro da especificação mas precisando de um serviço, o passe é necessário.
      E acima de tudo, a oficina tem que ser boa e usar um torno no disco ou no tambor.
      Mas estou vendo pelo comentário da correia dentada que o seu problema não é uma questão técnica, mas que você é uma pessoa, digamos, "econômica"... Deve trocar o óleo do carro a cada 10.000 km, ou quando mandam as instruções. Pneu, então, deve ficar todo deformado e cheio de bolhas; enquanto o indicador não nivelar, não troca. Filtro de ar e do ar condicionado, é um arzinho comprimido e olha lá.
      Então não dá para discutir mecânica com você.

      Excluir
    11. Sim, vou economizar 40 reais do Rolamento tensionador da correia para correr o risco na melhor das hipóteses surgir aquele zunido chato ou na pior detonar o comando de válvulas, isso é ser racional?


      Não gosto de passes também porque se está muito riscado ou empenado o disco vai ficar muito fino depois do passe, além do que muitas vezes o disco é mesmo preço da mão de obra do torneiro.

      Excluir
    12. Coisas que considero irracionais, por parte do proprietário, ou do mecânico: Mandar trocar embreagem, mas não querer a troca do atuador e do retentor traseiro quando essas peças juntas custam pouco (nos casos em que custam caro E a quilometragem está baixa dou razão); Trocar correia dentada e não querer trocar o tensionador e polias de posicionamento em carro em que o acesso é complicado (muitos motores modernos); Dar passe em disco de freio quando o mesmo é barato (só vale para discos caros); Esmerilhar os cantos das pastilhas de freio para "assentar" melhor no disco velho (isso é coisa de mexânico, se tal procedimento chegar a ser necessário, o disco não está em condições de uso); Dar passe em volante (ao trocar a embreagem) sem verificar se o mesmo realmente necessita de passe; etc..

      Excluir
    13. Muitos "entendidos" em mecânica aí, mas o que o Lorenzo e o anônimo 10:17 postaram está de acordo com o que considero correto.

      Excluir
    14. Lorenzo;

      Conheco mais de mecanica do que você imagina. E te garanto que se deixarem, 99% dos mecanicos trocam o carro de vocês inteiro!

      Com todo o respeito, todos os comentários aqui postado por você são totalmente irracionais.

      Tem gente aqui que troca o tensionador da correia dentada e acha que fez o melhor negocio do mundo. Fez uma "manutenção preventiva" trocando um rolamento SKF ou FAG com 50 mil km por outro xing-ling de terceira linha e fica falando que "Auto-Entusiasta".

      Você, Lorenzo, deve ser daqueles caras, digamos "Precavidos": Troca uma peça original em bom estado mas já usada por outra de terceira linha mas zero km. Prefere um pneu remold que não dá balancemaneto com dentes a outro com meia vida de uma marca consagrada. Troca o óleo do carro a cada 3 mil km mas coloca lubrificante de fundo de quintal. Pensa que trocar óleo de cambio é atraso de vida. troca a suspensão inteirinha do carro, sem necessida mas coloca peças de fabricantes desconhecidos...Carro seu deve ser um monte de peças de fundo de quintal... Alegria dos mecanicos.

      Discutir mecanica envolve muito mais do que comentários simplistas como esse seu. Sei que você é bem mais velho do que eu mas seus comentários mecanicos são típicos de pessoas NEOFITAS no assunto.

      Excluir
    15. Tudo passa por avaliar a peça e ver o C&B, De acordo com a lógica dele se tá mais ou menos vou manter, mas daqui 6 meses vou pagar 10x mais de mão de obra do que o valor da peça que deixei de trocar quando tava já td desmontado.

      Excluir
    16. Anônimo 12:59, falou tudo. E é de livre escolha do cliente, é claro. Sem mais..

      Excluir
    17. Nossa, Daniel! Tá nos cascos hoje, hein! Pra quê essa raiva toda?

      Excluir
    18. Amigos, importante sobre o "passe" é considerar que discos de freio são máquinas térmicas, que convertem energia cinética (movimento do veículo) em calor.

      Ao se tornear um disco de freio, estamos 1) diminuindo sua vida útil, por motivos óbvios, 2) diminuindo sua eficiência, pois quanto menos massa de material para dissipar o calor, mais ineficiente o sistema, e mais sujeito a "fading" que é o excessivo aquecimento do disco de freio - que pode ocorrer por uso excessivo ou ineficiente dissipação de calor.

      Como dito pelo Daniel S. de Araujo, "passes" são uma conta que não fecha, seja por razões técnicas ou econômicas.

      Ademais, sobre a durabilidade de um disco de freio: Assim como a de pneus e demais componentes cujo desgaste depende apenas do tipo de condução, é perfeitamente possível que durem tanto quanto o próprio veículo.

      Já tive pastilhas que duraram 2.000km e discos que duraram menos de 5.000km, bem como embreagens durando 130.000km e pneus passando dos 80.000km, tudo depende da forma de conduzir - quanto menos exigidos, melhor.

      Excluir
    19. Numa coisa concordo com o Daniel. Não precisa trocar disco se ele ainda está dentro dos conformes. E se for original, melhor ainda, quanto mais tempo vc puder ficar com ele, melhor. São melhores que qualquer um do mercado de reposição, exceção ao original comprado no balcão da CCS, mas o preço...

      Excluir
    20. Anonimo das 14:56

      Tem horas que a gente sai do serio quando substimam o conhecimento da gente.

      Abraços!

      Excluir
    21. Lorenzo Frigerio06/08/12 19:50

      Daniel, não coloco peças de 2a. linha no meu carro. Isso você está inventando. Meu foco é aproveitar a mão de obra, quando o custo dessas peças e serviços extras não adiciona consideravelmente ao total.
      No caso do óleo, a qualidade dos lubrificantes, hoje, é incomparavelmente superior à de 20 anos atrás. Embora eu use normalmente óleos semi-sintéticos e os troque a cada 5000 km, acredito que é melhor usar um bom óleo mineral e trocar a cada 3000 km do que um sintético, trocando a cada 10000 km. Inclusive quando o carro roda muito pouco, visto que a condensação de água estraga o óleo parado. É uma questão de manter a borra ao mínimo, e um motor internamente limpo. É também uma questão de realidade, cada caso é um caso; quem sabe nos Estados Unidos, pelo preço, eu nem olharia para um óleo mineral.
      E repito: passe é o tipo da coisa que deveria ser parte de um serviço minimamente decente, e nem deveria ser cobrado. O problema é terem cobrado de você.

      Excluir
    22. Tudo é questão de avaliar...Por exemplo, rolamentos traseiros começar a roncar e você leva para o mecanico, blabla td desmontado a principio seria troca de rolamentos e retentores, mas vc ou o mecanico já constata e que a lona traseira já tá com mais de 80% de desgaste, rodaria ainda concerteza mais algum tempo....Mas daqui 6 meses vai desmontar tudo de novo gastando mais em mão de obra e expondo os rolamentos sem necessidade de serem novamente desmontados por ter economizado nas lonas para rodar apenas 3 ou 6 meses?

      Aqui na minha cidade já notei alguma coisa a respeito de vw pelo menos dos dos anos 80/90, as vezes no balcão da CSS é mais barato que a paralela vendida em autopeças ou autocenteres. Pode até não ter a pronta entrega muita coisas.

      Excluir
    23. Ainda a questão de passe nos discos: O que o Lorenzo disse lá em cima está certo, porém, é inaceitável que se faça esse tipo de serviço, da mesma forma, inaceitável é o sujeito que "chanfra " as pastilhas. Faz uns anos estive na Espanha, visitando parentes. Num belo dia, falando de carros e comparando procedimentos de manutenção lá e cá, quando disse ao meu tio que no Brasil dá-se passe em disco, ele quase caiu da cadeira. Achou um absurdo e uma economia porca. Nem tentei justificar já que concordava com ele.

      Excluir
    24. Lorenzo Frigerio07/08/12 12:13

      Imagine que você comprou, por exemplo, uma BMW 330i com 5 anos de uso. O carro está lindo, com a pintura perfeita, e 50.000 km. Só que o dono original comprou o carro para rodar e vender depois, então não se preocupou com a manutenção. Você vai, no mínimo, trocar o óleo do motor, e o óleo e o filtro do câmbio, pois em geral isso se faz a cada 60.000 km e você não sabe o uso que o dono anterior fez do carro. Você olha para os freios dianteiros e vê que ele também gostava de acelerar - e naturalmente frear - o carro, portanto as pastilhas têm um desgaste considerável, e os discos estão um pouco riscados. Você gosta de carro zerado, mas não vai comprar um par de discos de BMW originais, e muito menos um par tabajara. É preferível dar um passe nos discos originais, só para "limpar" os riscos, e colocar pastilhas de boa qualidade. Os discos não chegarão nem perto do limite com esse passe - repito, fazer no torno - e, se você é civilizado no trânsito, continuará usando esses mesmos discos e pastilhas por mais 100.000 km. No caso do meu Calibra, instalei um upgrade de discos dianteiros de 288 mm que trouxe da Inglaterra, medida do nosso Vectra B CD, só que para 4 furos. Inclusos pinças, suportes e pastilhas Mintex. Isso foi em 2005 e desde então já rodei uns 45.000 km. Os discos praticamente não se desgastaram e as pastilhas perderam por volta de só 1/3 do material. Acho que dá para rodar mais uns 40.000 km tranquilo. Afinal, meu pé fica no acelerador, não nos freios - uso bastante o freio-motor - e aí tem freios de sobra para um carro relativamente leve.
      Então eu digo, cada caso é um caso. Não se deve fechar questão nas coisas.

      Excluir
    25. Lorenzo Frigerio,

      Ontem fui a uma oficina de confiança, pedir para que examinassem as lonas e discos de freios do meu carro.

      Quanto as lonas, ele garantiu que posso rodar pelo menos uns 20.000 km tranquilamente, e os discos, achou difícil precisar o tempo, mas me falou que eles parecem zerados de tão bons que estão.

      Meu carro tem 115.000 km rodados.

      Excluir
    26. Pois é... o que eu falei lá em cima: Se puder fique com o disco original pelo maior tempo possível. Você só tem à ganhar.

      Excluir
    27. Lorenzo Frigerio, qual seria o outro método de dar passe nos discos que não no torno (que você não aprova)?

      Excluir
  5. Eu não teria coragem de deixar esse pessoal colocar a mão no meu carro. Veja só a questão dos parafusos. Não entendo de Direito mas isso parece crime.

    VPJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho. Mas provar como?

      Excluir
    2. É crime sim
      Vc pode entrar com uma acao contra a seguradora.

      Excluir
  6. Já quase sofri um golpe desses quando levei um Corsa para alinhar e balancear. Estava sentado quando um mexânico veio me chamar para mostrar um amortecedor traseiro que estava com vazamento, inclusive escorria óleo dele.
    Detalhe é que o carro só tinha 9.000 Km e a suspensão estava perfeita.
    Falei logo para o cara: pode deixar que vou levar o carro na concessionária, pois está em garantia, só tem três meses de uso.
    O cara veio fazendo terrorismo, o carro está inseguro, isso é muito perigoso, você está se arriscando.
    Mandei o tolo fazer o orçamento da troca de peças e veio cerca de R$ 500,00. Disse depois passo aqui para fazer. Lavei o carro e o óleo desapareceu, eles tinham colocado lá, para eu fazer a troca.
    Rodei com esse carro até os 70.000 Km com esses mesmos amortecedores. Pura pilantragem

    Esses dias recebi um orçamento de um Megane na css com um valor de R$ 4.000,00 para solucionar uma pancada na suspensão. As peças somam R$ 3.500,00 e R$ 500,00 de mão de obra. tirei o carro correndo de lá. Vou levar no meu mecânico depois para ver qual o real problema, detalhe o carro tem 41.000 Km.

    ResponderExcluir
  7. "Não existe almoço grátis", "o barato sai caro", "esmola demais o santo desconfia"...Este tipo de situação (algo aparentemente vantajoso, mas na realidade, uma roubada) é tão comum, que existem alguns ditados populares sobre o tema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah vá!
      É mesmo?

      Excluir
    2. É, neném. E agora pede para a mamãe trocar sua fraldinha, que já está fedendo.

      Excluir
    3. Miss Mobilete soh fala besteira mesmo.
      Faça um favor ao blog e pare de fazer comentarios aqui

      Excluir
    4. Eu gostaria de entender o que leva um cara a perder tempo entrando no blog como Anônimo pra falar mal dos outros, sem ter qualquer relação com o que está escrito no artigo. Anônimo, se não gostou do que o Mr Car falou, seja objetivo, seja útil, ou cale-se. Nada no mundo jamais foi conquistado na base do deboche ou do escárnio, prezado Anônimo. E, se você acha que deve ser respeitado, então comece respeitando os demais. []'s

      Excluir
    5. Não estaria na hora de banir e filtrar comentários do tipo desse anônimo das 21:27 e 14:13? nada acrescenta a discussão.

      Excluir
    6. Mr. Car, por isso o Logan é mais barato. O barato sai caro.

      Excluir
  8. Certa vez, ao trocar discos e pastilhas de meu Peugeot 206, numa grande rede de serviços automotivos, decretaram que meus amortecedores e molas estavam condenados, e inocentemente autorizei a troca. Deram tanta marretada para desmontar a suspensão que o carro passou a vazar óleo de câmbio, sem contar que sobraram peças na hora de remontar e o mecânico disse que não fazia falta. Tive que voltar várias vezes lá até resolverem o problema. Agora, não passo nem perto dessa oficina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eurico Jr.10/08/12 20:44

      Pela mãe do guarda!

      Excluir
  9. Uma vez comprei 4 pneus Michelin na Zacharias para o CRX. O Cara falou que ia alinhar e eu perguntei: Como vai alinhar se você não sabe os ângulos já que não consta no seu sistema desse carro. E no fim só troquei as 4 válvulas e balanceei. Lembro que tinha garantia eterna contra furos. Furou umas 2 vezes e toda vez que levava para arrumar o furo na rede Zacharias os caras faziam cara de cu.

    Aí depois de um tempo com os pneus novos levei na Dpaschoal para alinhar e o cara ficou procurando algo e não achava nada. Não achava porque eu acho que ela não tinha peças para aquele carro, senão teria achado o que fazer. E como não achou nada, falou que eu tinha que trocar um dos Michelin, pois tinha um remendo espaguete. Aí fiz 2 perguntas: 1- Tenho que trocar o pneu quando fura? 2- Vou trocar por qual se você não tem nada similar aqui? Acabou a conversa.



    E outra, com certos orçamentos que andam passando carro daqui a pouco vai ser descartáel. Melhor jogar fora e comprar outro zero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou alugar! Tá ficando difícil ser proprietário de um automóvel...

      Excluir
    2. O pessoal da DPaschoal já tentou me passar golpes mais de uma vez. Não entro mais em nenhuma de suas lojas nem amarrado.

      Excluir
    3. D.Pschoal
      Mestres em lesar consumidores.
      Tambem nao piso mais por la

      Excluir
    4. Pilantras! e Caras de Pau!

      Excluir
    5. Boa ideia Alexandre, acho vou comprar um modelo de carro para o qual nenhuma oficina tenha peças!
      Quem sabe um Subaru, um Suzuki...

      Excluir
    6. Anos atrás fiz a bobagem de entrar numa loja da DPaschoal para orçar o silencioso traseiro de uma S-10 que eu tinha desde 0km. Obviamente me obrigaram a colocar o carro no elevador para checar tudo, pois do contrário não poderiam me dar o preço. Aí o sujeito me veio com um orçamento de mais de 1.000 reais, dizendo que o catalizador tinha que ser trocado. O detalhe é que a S-10, naquele ano, não saía de fábrica com catalizador!!! Imaginem a cara de pau do mexânico quando eu fiz com que ele mostrasse o catalizador defeituoso e ele me mostrava o silenciador intermediário... só mandei descer o carro do elevador e nunca mais passei perto de uma DPaschoal.
      Abs.
      Fábio.

      Excluir
    7. Não recomendo a DPaschoal nem pro meu inimigo.

      Excluir
    8. Eurico Jr.10/08/12 20:47

      É por essas e por outras que a DPaschoal está amargando seguidos prejuízos e fechando inúmeras lojas. Seguindo o mesmo caminho da Rede Zacharias. Não sentirei a mínima falta.

      Excluir
  10. Meu mecânico de confiança aqui no DF fechou graças ao Groupon, agora o jeito será tentar fazer o máximo que der em casa.
    Da última vez que fui vítima de empurroterapia - tem uns dois anos - foi com o Daewoo de casa. Íamos apenas trocar os amortecedores dianteiros, que são os mesmo do Kadett GSI, e a oficina começou a empurrar problemas de buchas para tudo quanto é lado. Meu pai aceitou o serviço e lá foram fazer a troca. Só que uma das buchas não encontravam em lugar nenhum e era sábado. Toda a oficina queria ir embora e nós lá, esperando a peça. Depois de um tempo falaram que não tinha problema rodar com as buchas assim, que elas aguentavam ainda um tempo. Não sei se foi birra por ver que caiu no golpe ou vontade de fazer logo a troca, mas meu pai disse que teria que substituir as peças. Resultado: saímos de lá perto das 17:00 com o pessoal visivelmente irritado e nunca mais voltamos. Detalhe que também era uma rede de lojas de pneus. E as buchas e amortecedores continuam bem até hoje (passei na minha oficina de confiança para suspender o carro e conferir tudo logo na segunda-feira).
    Hoje se me dizem que tem algo de errado no carro, eu mesmo vou testar e verificar se realmente tem algum problema. Se rodou até perto de casa sem nada diferente então consegue rodar até chegar em casa sem ter problemas também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca havia montado/desmontado pneus antes, não é minha área, mas recentemente comprei um jogo de pneus Dunlop pela internet, por um preço pouco maior que o cobrado nas lojas locais por pneus segunda linha. E pra me livrar do serviço quase sempre insatisfatório dos "centros automotivos" da vida, resolvi montar e balancear eu mesmo. Valeu a pena, pois foi mais fácil do que pensei, mesmo sem a máquina de montar/desmontar. Financeiramente então, vale muito a pena. Por exemplo, com o dinheiro que gastaria para mandar balancear as 4 rodas, comprei uma caixa de contrapesos, que dará para fazer o serviço nos carros de casa por muitos anos.

      Excluir
  11. Realmente, o "grátis" sai caro.
    Minha mãe uma vez comprou pneus num hipermercado e, da mesma maneira, "ganhava-se" a instalação, alinhamento e balanceamento. Ela pediu que eu levasse o carro. Resultado: Todas as rodas empenadas e ângulos de camber* e caster* fora da tolerância. Fui ver a instalação dos pneus, estavam para rodar pro lado errado. Reclamei e arrumaram os pneus. Disse que não faria os outros serviços ali (caríssimos), eles colocaram o maior pânico e me fizeram assinar um papel de que não se responsabilizariam por qualquer coisa, já que não realizara todos os consertos. O PIOR ESTÁ POR VIR! Ao sair com o carro estava tudo certo, marquei o alinhamento em outro local para alguns dias depois. Enquanto isso minha mãe usava o carro para ir ao trabalho e começou a reclamar de uns barulhos e que o carro estava muito inseguro. Quando peguei o carro dela, REALMENTE! Parecia que a suspensão dianteira estava toda solta.
    Chegando no outro local o diagnóstico foi rápido, todos os quatro parafusos da roda dianteira esquerda estavam lá, mas não fizeram a mínima questão de apertá-los. Depois de alguns testes logo vi que teria que substituir os rolamentos dianteiros. Não me recordo dos valores agora, mas imagina se minha mãe passa num buraco e essa roda sai voando por aí!
    Não é atoa que me fizeram assinar um "termo de irresponsabilidade"...

    *Camber e caster têm acento gráfico? Não encontrei em dicionários de papel e nem na internet.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não levam acento, porque não estão escritas em nossa linguagem, que traduzindo quer dizer curvatura e rodízio.

      Obs.: Encontrado no Google Translate, hehe...

      Excluir
    2. Isso que fizeram com o carro da sua mãe é um crime.

      Dê o nome da loja!

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    4. Eurico Jr.10/08/12 20:53

      Anônimo, esse seu comentário é pura lenda sem fundamento. Os hipermercados compram pneus em enormes quantidades, não há tanto "refugo" assim no mercado.

      Eu mesmo compro pneus em hipermercados há anos, que são montados e balanceados pelo meu borracheiro de confiança (formado pelo SENAI). E jamais tive problema algum.

      Incrível como o pessoal acredita piamente nessas lendas urbanas!

      Excluir
  12. CMF,

    Você ainda consegue manter a calma e simplesmente sair da oficina numa boa, nesses casos claros de empurroterapia. Eu já não consigo ser assim, sempre falo "na lata" que entendo do assunto e não sou besta.

    Quando não tinha meu próprio carro, cheguei ao extremo de sair da loja sem nem ao menos balancear as rodas traseiras do Opala que meu pai tinha na época, que acabara de receber dois pneus novos, tudo por conta da empurroterapia. Para resumir o golpe, à época o carro valia uns R$2500; pelo orçamento camarada do que tinha de ser feito no carro, desembolsaria uns R$900 em suspensão e freios, mais os R$170 reais pelos dois pneus novos. A gota d'água foi condenarem as pastilhas de freio dianteiras, que eu mesmo havia trocado cerca de 10 dias antes...

    ResponderExcluir
  13. No Rio de Janeiro está difícil encontrar alguém confiável para fazer alinhamento/balanceamento, se alguém souber algum lugar confiável me dê a dica por favor.

    Na última vez que precisei fazer tal serviço, aproveitei uma revisão e levei um VW a uma autorizada. Relatei que o volante estava desalinhado para esquerda, mas o carro não estava puxando. Na entrega do carro, notei que o volante estava desalinhado com um angulo duas vezes maior! Não retornei pois o carro precisaria trocar pneus em breve. Óbvio que não retornei àquela autorizada, mas na troca dos pneus foi um parto até acertarem o alinhamento. Começou quando o mecânico encontrou no computador três configurações diferentes para o mesmo carro, sem nenhum indicativo de qual a correta. Precisei retornar três vezes ao local, e na última tive que sair três vezes com o mecânico para testar o carro! O balanceamento das 4 rodas também precisou ser refeito.

    ResponderExcluir
  14. Há dois anos paguei R$ 1.500,00 para trocar o kit de embreagem do meu Astra 2007.

    O kit novo no Mercado Livre custa em média R$ 400,00.

    Paguei "apenas" R$ 1.100,00 de mão-de-obra.

    Pior que o cara era meu "amigo" e só fui pesquisar depois de instalado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Considerando que tem que desmontar a suspensao dianteira inteira, retirar o subframe dianteiro (ok, sei que nao ha' subframe traseiro), e retirar o cambio, eu nao faria este servico por menos de 1000 reais.
      E outra, um servico primoroso inclui ainda balancear volante+embreagem, e eu teria aproveitado para aliviar bastante o volante numa retifica. E teria trocado preventivamente o retentor da traseira do virabrequim.
      Espero que tenha trocado o atuador hidraulico.

      Excluir
    2. bussoranga;

      Igual a correias dentadas do Marea. A mão de obra custava quase 20 vezes o custo da correia, tamanha a dificuldade de troca.

      Fiat: Mais uma vez pensando no reparador e no consumidor.

      Excluir
    3. Daniel,
      E ainda tem o detalhe que poucas oficinas tem o equipamento correto para fazer a troca, já que é preciso travar os comandos e cada motor precisa de equipamento único, além de ser necessário soltar o motor e deslocá-lo para a esquerda. No fim o que quase todo mundo faz? Baixa o motor inteiro junto com o câmbio, porque acaba sendo mais simples.
      Não tenho nada contra Marea, mas tem algumas coisas nele que são bem mais complicadas do que deveriam.

      Excluir
    4. Retirar o motor-câmbio do Marea pra troca de correia dentada é um exagero... Mas realmente, tem mecânico que prefere assim, é cada uma..
      Cobrar 20x o preço da correia de MO também é um completo exagero, não é esse bicho de sete cabeças que tanto falam, é muita ganância.

      Excluir
    5. Trocar a correia do marea 2.0/2.4 é só erguer o motor do lado do passageiro, após soltar o tirante superior e o coxim inferior do lado da correia. No 1.6, 1.8 e Turbo nem precisa disso.

      Os mecânicos tiravam o motor mas não sabiam desse truque, hoje as oficinas fazem o serviço em meio período.

      O jogo de ferramentas próprias não sai por mais de R$300,00, já contando relógio comparador, adaptador e travas dos comandos, oficina que não tem não pode ser chamada de oficina, pq esse valor, pra oficina, é troco de bar.

      Tem muito terrorismo em cima de uma coisa tão simples e gente virando deus por mostrar que sabe fazer o óbvio.

      Excluir
    6. A última vez que troquei a correia dentada do meu Marea 2.4, meu mecânico cobrou R$ 250,00 de mão-de-obra.

      Excluir
  15. Tinha uma Tipo 2.0 16v em Aracaju, meu carro vinha com alguns defeitos na suspensão (algo bem tipico para quem teve um Tipo), então coloquei em uma oficina credenciada da Fiat, O Rei do Fiat, onde foram trocadas as bandejas, pivos, braços articulados e batentes do amortecedor. Na época uma conta bem salgada. Ao sair, decidi levar para fazer um alinhamento e balanceamentos das rodas, pois no fds iria pegar estrada. Eis que chego na Crispim Auto Peças (já fechou), que ficava relativamente perto da oficina onde havia realizado os consertos. Esse Crispim propagandeava que tinha o alinhamento mais barato da cidade, e fui verificar e incrivelmente, mesmo eu tendo trocado diversas peças da suspensão, o mexânico de lá condenou os pivôs e braços articulados que eu havia trocado no mesmo dia. Mandei descer do elevador e levei o carro embora e nunca mais entrei naquela loja e fazia questão de contar a minha história para todos os meus conhecidos. Levei em uma outra loja, onde fizeram o alinhamento e o balanceamento, e ainda ouvir o alinhador dizer que era dificil encontrar um Tipo com a suspensão toda justinha igual ao do meu carro.
    Outra vez, foi quando levei um Fiesta que eu tive para alinhar e balancear, e o mexânico disse que eu teria de desempenar as duas rodas dianteiras, e que teria de ser feito no torneiro, e que custaria 30 reais cada... 30+30=60, o que daria quase o valor do serviço que estava fazendo. Não fiz o serviço, e nunca mais voltei no local.

    DPSF

    ResponderExcluir
  16. Excelente post.

    Só uma história: há uns 10 anos levei um Uno ELX 95 que havia comprado usado para uma rápida manutenção em uma loja da rede DPaschoal, popular no interior paulista. Coisa rápida. Quatro pneus novos, alinhamento, balanceamento e outras pequenas verificações de rotina.

    Minutos depois o vendedor, todo preocupado, veio a mim para "condenar" praticamente todo sistema de freios e suspensão do carro. Escolado, apenas pedi que o sujeito fizesse um orçamento com tudo o que precisava ser trocado e que me mostrasse - assim ele poderia ficar se divertindo sem encher minha paciência enquanto eu esperava.

    Minutos depois ele volta com um orçamento realmente completo, com recomendação de troca dos quatro amortecedores, as quatro molas, as quatro rodas (!) e até das bandejas de suspensão, que "estavam velhas demais".

    Entre os serviços recomendados estava o da cambagem da roda direita dianteira, que assim como todo o resto foi solenemente ignorado.

    Como usava o carro apenas para trechos urbanos, não notei nada de errado até pegar estrada e notar que o volante tremia bastante acima de 90 km/h. Só então descobri que o carro precisava mesmo do tal ajuste de cambagem, tanto que o pneu já apresentava um desgaste acentuado na parte externa da banda.

    Moral da história: por causa da empurroterapia, acabei ignorando um serviço realmente necessário para meu carro. Se o vendedor da DPaschoal fosse minimamente sério, isso não teria acontecido comigo e ele teria faturado um pouco a mais por causa de um serviço bem recomendado.

    ResponderExcluir
  17. Realmente é fácil desconfiar que essas promoções do tipo "venha fazer um check-up gratuito da suspensão", são apenas iscas para atrair novas vítimas dessa empurroterapia com uma pitada de "terrorismo" (pois alegam que o carro está em perigo iminente se o serviço não for feito).

    Independente disso, evito ao máximo utilizar os serviços desses "centros automotivos".

    Uma dúvida: Esses serviços em que eles colocam atuadores hidráulicos para forçar a geometria no lugar, podem acabar causando danos mais sérios, como entortar os pontos de fixação da suspensão?

    ResponderExcluir
  18. Ahhh, essas oficinas de grife...

    João Paulo

    ResponderExcluir
  19. Victor Gomes05/08/12 18:52

    Aconteceu comigo recentemente mais um desses casos de autocenters com mecânicos pilantras. Fui trocar os dois pneus dianteiros do meu Accord 2000, aqui em Niterói/RJ. Enquanto um tirava o pneu da roda em um canto escondido do Autocenter, outro "mecânico" examinava a suspensão do carro. Só aí já vemos uma estratégia de picaretagem, que é a de não deixarem vc ver tudo que estão fazendo no seu carro.

    O que montava as rodas, me mostrou que ambas estavam um pouco empenadas. E de fato estavam. Me sugeriu fazer o desempeno ali mesmo. Disse que não queria. "Mas aí não vai pegar balanceamento, jovem!". Disse que não tinha problema. Que montassem somente os pneus. Em seguida, o outro cara que examinava o carro meu chamou. Falou assim: "O carro está bem cuidado! Aqui atrás não vi problema nenhum, mas aqui na frente tem um amortecedor que não tá legal não."
    Aí o cara me mostra um amortecedor todo cagado de óleo. Pensei: "FDP! Os amortecedores rodaram 20 mil km depois da troca, são originais e só estourou de um lado? E não tem barulho nenhum na suspensão? E o batente ainda está inteiro?"
    Perguntei: "Poxa, q pena! E como está o batente da haste do amortecedor??"
    O jegue me diz: "Ah, é que não dá pra ver, pq ele trabalha internamente e blá,blá,blá..."

    Detalhe: O batente dá pra ver sim, ele é integrado ao guarda-pó. É uma peça muito visível por sinal.
    Engraçado que o meliante nem se atentou ao pivô dianteiro inferior direito, esta sim, uma peça que na época eu estava para trocar.
    Como falei que só usava peças originais no carro, o cabra nem insistiu para que eu trocasse o amortecedor ali.

    Resultado: Fizeram um balanceamento mal feito (a direção começava a tremer a partir de 90km/h) pra que eu voltasse lá e eles culpassem as rodas empenads e não alinharam o carro por causa do amortecedor.
    Nunca mais volto lá. E não indico ela para mais ninguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor Gomes05/08/12 18:54

      Esqueci de dizer que depois dessa, um dos parafusos de roda estava frouxo e uma das calotinhas da roda eles não encaixaram direito, e acabou se perdendo na rua. Terei que encomendar outra...

      Excluir
  20. Alguém tem algo para dizer que desabone a Widman aqui no RJ? me recomendaram lá, mas num sei não....

    ResponderExcluir
  21. Lembrei de uma loja de pneus onde comprei os Toyo e sempre que dava levava o GTS e o meu pai levava o carro dele lá para alinhar. No alinhamento olhavam amortecedores, buchas, batentes e todos os demais componetes de suspensão e só condenavam algo quando realmente estava ruim. Sempre que eu achava que tinha algo errado - ficava lá embaixo da rampa de alinhamento conferindo tudo - lá o pessoal ia conferir. Acho que foi o único lugar que já vi mostrarem um coxim já baixo por causa do peso do motor e não falarem que estava arrebentado, mas sim que ele fica daquele jeito exatamente porque está sustentando o motor. E detalhe: o preço do alinhamento é de alinhamento mesmo, com correção de convergência, cambagem e cáster.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poucos carros da frota brasileira permitem regulagem de câmber e caster, a grande maioria não possui ajuste, e normalmente os operadores apenas verificam se está dentro das tolerâncias (isso quando verificam). E nesses casos em que não há ajuste e estiver fora da tolerância é porque algum componente está deformado, portanto o conserto será cobrado à parte, sendo que a substituiçao é a forma de correçao recomendada. Existem, é claro, outros meios de reparo "extra-oficiais", como calços, kits de parafusos especias, desempenador hidráulico, etc., mas nem sempre eficazes, e muitas vezes tão onerosos quanto substituir a peça empenada.

      Excluir
  22. Farjoun, por favor, dê nome aos bois da próxima vez. São muitos os leitores daqui de BSB, e isso pode poupá-los de cais nas mãos desse picaretas. Mas dessa vez, falarei quem são: DEKRA, PNEULINE E PIQUET PNEUS. Um trio extremamente desonesto. Já passei muita raiva com a picaretagem dessa turma. Aos amigos daqui Brasília, fica a dica: fujam dessa turma. Para não esquecer: DEKRA, PNEULINE E PIQUET PNEUS.

    Abraço

    Lucas CRF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo! O sujeito compra pneus no CARREFOUR e eles dão a montagem na PIQUET PNEUS.

      A PNEULINE também não é inocente nessa história não...

      Excluir
    2. A Dekra é só posto de vistoria das seguradoras.

      Excluir
    3. Sim, é um posto de vistoria. Mas extremamente ruim de serviço. Má vontade em atender, funcionários despreparados, só pra começar. Meus carros são segurados pelo BB, e já fiz uma reclamação formal no sentido de que não mais farei seguros com o banco caso a vistoriadora seja a Dekra.

      Abraço

      Lucas CRF

      Excluir
  23. Farjoun, pode dizer o contato do seu mecânico de confiança no DF? Estou precisando de um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu levo meu carro na AGM Pneus, na 514 Sul, na W2.

      Mas lembro que é a MINHA experiência com a oficina, não é de forma alguma uma recomendação do blog AutoEntusiastas.

      Até hoje, não tive problemas com ela. Nunca tentaram me empurrar nada desnecessário para nenhum dos meus carros.

      Excluir
  24. Não generalizando, mas toda vez que eu preciso fazer esses tipos de serviço (alinhamento, cambagem, balanceamento), os auto center's têm essa empurroterapia. Só tenho um em que confio, porque sou cliente há 2 anos e os caras já sabem que eu tenho uma boa noção das condições de peças de suspensão e o tempo que cada serviço dura para ser feito novamente.

    ResponderExcluir
  25. Em 2004, minha sogra possuia uma UNO CSL 1997. Comprou um jogo de pneus no Carrefour da Niterói Manilha aqui no RJ. Lá a montagem dos pneus + alinhamento e balanceamento dos produtos comprados na loja pode ser feito " gratuitamente " na OFICINA BRASIL que fica no estacionamento do mercado. Pois bem, quando o carro foi colocado no elevador e tiradas as rodas veio o consultor informando que era necessário fazer um orçamento para serem montados os pneus e não influenciarem nos alinhamento. A conta bateu nos R$ 960,00 reais ( condenaram molas, amortecedores, rodas empenadas, batentes coifas, buchas, feixe de molas.....Enfim tudo o que componhe a suspensão ) Mandei montar os pneus, descer o carro e levei em uma oficina de confiança que mexe nos carros da família a + de 10 anos já. A conta foi de R$ 14,00 por uma proteção de plástico que envolve o feixe de molas + alinhamento e balanceamento dos novos pneus que deu uma total de R$ 50 ou 60 reais a época. Fica aí a dica!

    Mauro_ XR3 2.0i!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe uno CSL 97, neste ano eram vendidos apenas as versões SX, Young e EX.

      Excluir
    2. Não existia EX em 97 também.

      Excluir
    3. Anonimo, você tem razão, o carro era 1992, me confundi com o ano pois ela teve outro que era 1997.Mais os valores estão corretos pois possuo até hoje o orçamento dado pelos picaretas.
      Mauro XR3 2.0i

      Excluir
    4. pneus de hipermercados normalmente são mais baratos por serem de 2ª linha ou seja, refugos normalmente deformados... o barato sai caro !

      Excluir
    5. Eurico Jr.10/08/12 21:01

      Mentira deslavada sua, Anônimo. Os hipermercados compram pneus em quantidades gigantescas, não há tanto "refugo" assim à disposição. E quem me disse isso é um amigo de infância, engenheiro da Continental.

      Compro pneus em hipermercados há anos e JAMAIS tive qualquer problema. Durabilidade e desempenho idênticos aos pneus comprados em lojas especializadas.

      Gostaria de saber o que você ganha espalhando essas lendas urbanas sem o menor fundamento. Será algum dono de loja de pneus incomodado com a concorrência? Vai saber...

      Excluir
  26. Tem um lugar conhecidíssimo aqui na zona sul de são paulo (não vou falar o nome, mas fica próximo a estação do metrô conceição, praticamente em cima do viaduto do metrô) que faz um serviço de primeira. Eles são antigos, lembro de ter 5 anos e ir com meu pai fazer alinhamento. Já vi muito carro 0 km entrar para fazer balanceamento... Enfim, paguei caro no último alinhamento e balanceamento (100 reais) mas surpresa! Pedi para regular o freio de mão, regularam sem custo e não cobraram absolutamente nada a mais do que tinha solicitado. O carro ficou ótimo e ainda tenho garantia de 90 dias. Nunca fiquei tão feliz com meu carro...

    Mas já caí em armadilha: depois da Roma Pneus acabar com meu um corsa classic que tinha (fui para desamassar uma roda, condenaram amortecedor, cambagem, alinhamento, pastilhas, disco, etc) e entortarem o eixo com uma prensa hidráulica, resolvi que levaria no lugar descrito acima e de minha confiança nem que tenha que levar o carro no guincho. Ah, o Classic foi vendido porque simplesmente destruíram a suspensão do carro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enfim, já que todo mundo está falando o nome, meu lugar de confiança para suspensão é a Record, fica perto da estação conceição do metrô, em cima do viaduto do metrô.

      Excluir
    2. Excelente dica. Alinhei e balanceei meu carro na Record mês retrasado, o serviço ficou excelente, ficou outro carro. Vale cada centavo.

      Excluir
    3. @Luiz AG, não sei como agem na matriz, mas na filial dessa alinhadora (próxima à 35ª delegacia) os camaradas "tão nem aí" para as especificações de fábrica: botam a convergência de qualquer carro em 0º e "vamo q vamo"...

      Excluir
    4. Mas a convergência da maioria dos carros que rodam no país é zero mesmo..

      Excluir
    5. Afinal, a Record confiável é a da Av. Dr. Hugo Beolchi, 674 ou da Av. General Valdomiro de Lima 567???

      Excluir
  27. Aléssio Marinho06/08/12 00:16

    Já passei tanta raiva em oficina, autocenter e afins que tomei uma atitude radical. Agora, antes de fazer o serviço, procuro o manual de reparo, estudo e levo pro mexânico fazer, sob a minha supervisão. E ainda compro as peças na distribuidora, pago muito mais barato e só uso peça de primeira linha.
    Se for coisa simples que posso fazer em casa, compro uma coca-cola e me divirto sábado a tarde fazendo a manutenção, já que tenho várias ferramentas em casa.
    To pensando seriamente em comprar um leitor xingling de OBD, por 30 obamas...

    ResponderExcluir
  28. E quando levei um 206 com rodas de ferro para balancear e o cara falou que era melhor trocar por rodas de liga leve, pois as rodas deferro não davam para balancear e as de liga absorvem melhor os impactos. O mundo sabe que alumínio é muito mais rígido e trinco ao contrário do aço. Essa acho que foi a mestre das safadezas.

    E volto a falar que acho mais importante dar nome aos bois de empresa ruim do que de empresa boa. Como diz o ditado: Cliente bem atendido conta para 2 pessoas e mal atendido conta para 10 pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, as rodas de aço são até melhores para balancear, já que são inerentemente um pouco excêntricas. Como os pneus também são inerentemente excêntricos, possibilitam um casamento tal que anule a excentricidade um do outro, resultando em uma banda de rodagem mais centrada e uniforme que quando montado em roda de liga leve. O ponto vermelho nos pneus novos indica o ponto mais "alto", que deve ser montado para coincidir com o ponto mais "baixo" da roda de ferro, que é indicado por alguma marca estampada.
      Isso tudo considerando-se rodas em perfeito estado, pois se estiverem empenadas não prestam, seja de aço ou de liga-leve.

      Excluir
  29. Alexandre - BH -06/08/12 02:38

    Farjoun,

    Sábado eu comprei dois pneus "em um hipermercado de uma conhecida rede presente em todo o território nacional" (talvez seja o mesmo do caso citado). Só que o hipermercado daqui de BH não é tão bonzinho quanto esse aí de Brasília, pois só oferece a montagem “grátis”. Fui ao local indicado (um "caldo de cana", por sinal), paguei pelo balanceamento das quatro rodas (o alinhamento já tinha sido feito em minha oficina de confiança) e fui embora. Passei no primeiro posto para conferir a calibragem que, obviamente, estava errada. Muito errada. E olhe que eu recomendei a pressão correta para o montador dos pneus...
    À noite, com o trânsito mais tranquilo, peguei o Anel "Mortoviário" (nele, morre-se fácil) para checar a qualidade do serviço: um lixo, é claro! O volante tremeu feito vara verde. Fui para casa, fiz o rodízio, a fim de descartar a possibilidade de defeito nos pneus novos, e voltei para o Anel "Mortoviário". De novo, a direção trepidou muito. Ou seja, além de não balancearem o conjunto com os pneus novos ainda detonaram os dois que antes estavam bons! Será que esses caras nunca balancearam rodas de liga?
    Resumo da ópera: Vou ter que voltar à loja (da qual já tinha má impressão) para refazerem o serviço e depois testar na estrada. Se não derem conta do recado, terei que pagar novamente pelo serviço em outro lugar. Essa montagem "grátis" já saiu cara demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pneus de hipermercados normalmente são mais baratos por serem de 2ª linha ou seja, refugos normalmente deformados... o barato sai caro !

      Excluir
    2. pneus de hipermercados normalmente são mais baratos por serem de 2ª linha ou seja, refugos normalmente deformados... o barato sai caro !

      (x2)

      Excluir
    3. Pode ser máquina balanceadora descalibrada e/ou operador despreparado. Sem falar que as máquinas em geral não possuem um bom método de centragem da roda em seu cubo, para favorecer a rapidez da operação. Para ser ótimo, o sistema de centragem teria que ser igual ao do cubo do veículo, exigindo um adaptador para cada tipo de furação de roda.

      Excluir
    4. Eurico Jr.10/08/12 21:09

      De novo com essa conversinha mole dos pneus, Anônimo? O que você ganha espalhando essas lendas urbanas sem fundamento?

      Como pneus em hipermercados HÁ ANOS e jamais tive qualquer problema. Amigo de infância, engenheiro da Continental, fica louco da vida ao ouvir essa calúnia.

      Querem saber por que pneu em hipermercado é mais barato? Compram em enormes quantidades e têm custos fixos bem menores que as lojas de pneus. Ademais, muitas vezes baixam o preço para "chamar" o consumidor, e compensam com a venda de outros produtos.

      Nada a ver com qualidade. Mas vá explicar isso pra idiota que só sabe repetir as asneiras que ouviu por aí. Isso se não for um dono de loja de pneus incomodado com a concorrência dos hipermercados.

      Excluir
    5. Eurico Jr.10/08/12 21:10

      Correção: COMPRO pneus em hipermercados...

      Excluir
    6. Existem pneus de segunda linha sim, mas tem muitos Michelin, Goodyear e Pirelli a venda nestes hipermercados.

      Excluir
    7. Eurico Jr.11/08/12 12:06

      Marcelo, existe uma diferença enorme entre um pneu de marca própria, feito sob encomenda para o supermercado e um pneu com defeitos. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

      Excluir
  30. Osmar Fipi06/08/12 08:27

    Post legal.
    Mas qual a dificuldade em citar nomes.
    Agora eu que em tese confio na opinião do pessoal por aqui fico com cara de idiota prestes a usar serviços de lojas picaretas sem saber...

    Isso é utilidade pública. Se vocês sonham um dia com serviços melhores, então mostrem a cara de quem é ruim. Do contrário nem elogiem nem critiquem mais ninguém.

    Falam tanto e fazem igual aos programas de TV "especializados". Como leitor assíduo por aqui entendo ser um desabono este tipo de atitude.

    - Osmar Fipi

    ResponderExcluir
  31. Também já tive minhas (más) experiências com os "mestres" que trabalham nos centros automotivos: certa vez levei um Ford Focus para fazer alinhamento e cheguei bem cedo na oficina, sendo o primeiro cliente. Não precisei nem sair do carro, pois o prestativo mecânico já veio até mim perguntando o que seria, quando perguntei-lhe sobre o valor do alinhamento incluindo as rodas traseiras, pois a suspensão desse carro (como muitos devem saber) é do tipo independente com três braços e permite regulagem (facílima de se fazer, por sinal). Ai veio a pronta resposta do especialista: "eixo traseiro não tem alinhamento, pois é eixo rígido (certamente experiência dos tempos de borracheiro de caminhões...). Expliquei a ele que esse modelo de carro possuía uma suspensão que permitia sim regulagem e que gostaria que ele verificasse o alinhamento. Então ele se colocou sob o carro para se certificar do que eu estava falando e voltou a afirmar: "Senhor, o seu carro é como todos os outros, é eixo rígido" – certamente se referindo ao eixo de torção da maioria dos carros. Não me restou alternativa senão agradecer pela atenção e ir embora.

    Outro caso que passei e estou compartilhando como dica para quem tem esse modelo ou outros de configuração semelhante, foi a tentativa de cobrança pelo alinhamento traseiro com um valor mais de 100% superior em relação ao dianteiro, sendo que o serviço é exatamente igual (dois parafusos, sendo um para fixação na posição regulada e o outro para deslocar o braço da suspensão). Na hora retruquei que o serviço a ser feito exigia o mesmo tempo e o mesmo esforço e nada justificava uma diferença tão grande, indo sob o carro e apontando o que deveria ser feito. Complementando, disse que só faria o serviço se o valor do alinhamento traseiro fosse igual ao dianteiro (convergência, na verdade, pois se alguém conhecer uma oficina que incluía todos os ângulos da geometria da suspensão no serviço de “alinhamento”, nos indique, pois acho que é igual ao elo perdido...). Diante disso, só restou o gerente da oficina recuar e atender às minhas solicitações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio Pacheco06/08/12 10:02

      Avatar, aconteceu quase o mesmo com o meu old focus. Levei para alinhar, e pedi para checarem o alinhamento traseiro. Comigo o atendente não questionou, apenas levou o carro para alinhar. Logo em seguida, escutei ele chamando os outros colegas, dizendo que a suspensão traseira daquele carro era diferente, e todos ficaram surpresos. Esse é o tipo de técnico que na teoria deveria conhecer o seu serviço...

      Excluir
    2. Aléssio Marinho06/08/12 12:43

      A pouco mais de um mês levei o meu Uno para montar 2 pneus novos e conferir alinhamento. Na frente, ficou bom, mas quando falei que queria conferir o alinhamento da traseira o meXânico coçou a cabeça e pediu que colocasse o carro de ré na rampa.
      Ele queria alinhar a traseira com os valores de alinhamento da dianteira, pois a máquina dele não fazia as 4 rodas...

      Excluir
    3. Putz que máquina porca. Ou ele que não sabia utilizar essa "função"?

      Excluir
  32. Para quem for de São Paulo ou ABC conheço dois lugares onde alinhamento de direção é levado à sério. Luciano Lunardi em SBC e Quadrelli em São Paulo. Só botar o nome no Google que aparece telefone, site e endereço.

    ResponderExcluir
  33. Pois é! O "condutor" brasileiro é pato mesmo! Já não basta pagar um carro para a montadora, outro para o estado e muitas vezes outro para o Banco ao financiar quando tem a triste decisão de comprar um carro "novo" ainda vai sofrer nas mãos da "quadrilha" criada para extorqui-lo enquanto usuário: seguradoras, IPVA, pedágios super valorizados e por aí vai...Diante de um otário destes, nada mais natural que a mesma quadrilha se expanda, de modo a tirar mais uma "casquinha" do cara!

    ResponderExcluir
  34. Cavalheiro de Fraque06/08/12 10:55

    Bah... Quem aqui nunca ganhou um título de sócio de clube de campo totalmente quitado e no valor de R$ 10.000,00? Devendo arcar, apenasmente, com uma taxa de administração e manutenção "simbólica"?

    De autocenter, nem o diarréico cafézinho se aproveita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz, o pior é que é assim mesmo... até o café dos autocenters, kkk...

      Excluir
    2. hehehe... tem razão, o café que esses safados servem é um direto no estômago. Um prenúncio da amargura que será o orçamento.

      Excluir
  35. Quem mora ou circula em Brasília / Goiânia, sabe de qual rede de pneus o Carlos Maurício está falando. O golpe é traumatizante, me lembro, há uns 14/15 anos, meu carro era um Passat 95 importado, meu xodó na época, levei lá p/ alinhar e...hoje em dia prefiro eu mesmo fazer rodízio na minha garagem -- nada de alinhamento computadorizado.

    ResponderExcluir
  36. KzR:

    ótimo relato de sua parte, Carlos Mauricio Farjoun. Hoje temos que procurar estudar e compreender bem certos aspectos mecânicos de nossos carros. O fato de você ter reparado no serviço extra de três outros carros, como a correção de cambagem e do eixo traseiro só demonstra o quanto essas oficinas picaretas estão dispostas para fazer um proprietário de auto gastar desnecessariamente. Você que estava a pá da situação ainda acabou sendo lesado pela falta dos três parafusos. Imagina as pessoas que nem noção desses golpes estão sujeitas?

    É com extrema urgência e precaução que devemos eleger oficinas de confiança para os serviços de manutenção e sempre desconfiar desses serviços atrativos. Agora eu serei mais cauteloso no tocante a essa questão.

    ResponderExcluir
  37. Todo autocenter tem empurroterapia, seja de grife, ou de bairro: Dpaschoal, Della Via, Caçula, Highway...

    Pra quem é de SP - Capital, cuidado também com o R2 na Rua Clélia, na Lapa (não sei se ainda existe), nesse daí tomei uns chapéus quando era moleque, e quando falei que não era obrigado a fazer o serviço nas condições que me propuseram, o gerente gritou comigo na frente da oficina inteira dizendo que também não era obrigado a aceitar a fazer o serviço do jeito que eu queria. Que não daria garantia se não trocasse as outras peças do orçamento, pois o carro não estaria "seguro"...

    Por fim, chegamos num meio termo (já que tinham me dado um orçamento de quase 2 mil num gol quadrado que valia pouco mais de 4 mil na época). E acabei fazendo, pois na hora do "orçamento", os mexanicos começam a desmontar tudo de qualquer jeito, arrebentando tudo. Deu medo de pedir pra montar do jeito que estava e ir embora...


    Funciona assim na empurroterapia: comprou pneus, tem que fazer alinhamento, balanceamento, desempeno de roda, troca dos bicos e válvulas (mesmo que estejam boas)... amortecedores: o preço do anúncio com mão de obra é mais barato do que só as peças numa autopeça, mas chegando lá tem trocar batentes (mesmo que inteiros), bandejas, pivos, molas, etc... e fazer um alinhamento "computadorizado", senão eles não "garantem" o serviço... detalhe que o fabricante da peça dá garantia de fábrica...

    ResponderExcluir
  38. Junior Valias06/08/12 11:48

    TODAS as redes fazem essa picaretagem. Não conheci exceção até agora. O pior é que recentemente fui vítima do GOLPE na autorizada honda, quando condenaram o FIT da minha mulher e acabei trocando embreagem toda, suspensão toda, etc... Pedi as peças e levei a um mecânico de confiança que disse estarem com menos de meia-vida de desgaste, ou seja, quase novas. Não fiz o serviço no mecânico pq o carro ainda estava na garantia e acabei pagando uma fortuna "no susto". Hoje desprezo garantia de fábrica. Faço o serviço onde quiser e dane-se. Outra coisa: tenho um CIVIC com 115.000km e discos originais sem sinais de desgaste. As pastilhas foram trocadas pela segunda vez semana passada.

    ResponderExcluir
  39. Parece a Dpaschoal...

    Certa vez ganhei alinhamento e balanceamento grátis.

    Cheguei la e condenaram meus amortecedores, que a troca de todos sairia R$1200.

    Detalhe, tinha trocado todos com 40000km, e o carro estava com 50000km.

    Nessas horas, não bato boca, faço a mesma malandragem.

    Falei que estava apertado, para só colocar as rodas no lugar e efetuar o balanceamento, mas marquei de levar o carro la na próxima semana para trocar tudo.

    Levei o carro para 3 oficinas, pedindo um laudo de que estava tudo OK com os amortecedores.

    Conversei com um jornalista de uma TV local, ele aceitou fazer uma matéria.

    Ele levou o carro pra mim na Dpaschoal, com uma câmera escondida, se passando por meu amigo, gravou tudo, chamou advogado, policia, fez BO e tudo.

    Consegui 4 amortecedores de graça e a Dpaschoal na minha cidade acabou sendo fechada tamanha repercussão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde que saiu? Qual TV? Tem vídeo no youtube?

      Excluir
    2. TVR, Tv local da tv a cabo.

      Na época nem existia youtube amigo.

      Excluir
  40. Warley Camurça06/08/12 20:25

    Aproveitar-se da falta de conhecimento ou até ignorância do próximo é crime, e se não me engano, encaixa-se na prática do estelionato.
    É por essas e por outras que o proprietário do veículo deve sempre ter um mínimo de interesse e curiosidade acerca de como funciona o seu veículo e o mundo que o cerca.
    É mesmo muito confortável, você chega na oficina com seu carro e entrega ao mecânico, eles o levam pra um galpão lá nos fundos e colocam você confortavelmente sentado em uma sala com ar condicionado, cafézinho e chá, revistas, entre outras coisas. Em alguns lugares, o mecânico fica até zangado se você fizer questão de acompanhar o serviço, e se der palpites? Pronto, é o fim do mundo! Ora, se o carro é meu e eu vou pagar pelo serviço, tenho direito a acompanha-lo!
    Minha mãe sempre me disse que tudo nessa vida tem um preço, nada é de graça, e ela está certa!

    ResponderExcluir
  41. Alinhamento e balanceamento pra mim sempre é traumático.. Sempre a suspensão inteirinha está torta!

    A partir de agora eu faço assim: rodízio a cada 5.000 em casa, se preciso fazer balanceamento coloco o carro nos cavaletes, ponho as rodas na caçamba da pickup e peço pra balancear. E alinhamento eu faço na concessionária, que ainda é onde consegui o melhor serviço.

    Agora até troca de óleo e filtro vou passar a fazer em casa, mesmo comprando tudo em concessionária, até o óleo, sai mais barato que esses auto-centers.

    ResponderExcluir
  42. Eu não entendo, no link abaixo deram nome aos bois falando da Porto Seguro e agora estão cheio de onda para falar. Teve pressão por parte da Porto Seguro em 2010?

    http://autoentusiastas.blogspot.com.br/2010/06/golpe-da-inspecao-veicular-gratis-na.html

    ResponderExcluir
  43. Parabéns a todos que nominaram os PICARETAS, certa vez fui a uma DPASCOAL, que felizmente não existe mais, aqui em Curitiba comprar uma bateria nova, tiraram a velha e colocaram uma ´nova´com a etiqueta identificando que ela havia sido trocada em garantia, ou seja, os picaretas queriam empurrar uma bateria detonada. Pedi ao atendente para retirá-la e ele chamou o ´gerente´ que na cara dura perguntou se eu havia visto a etiqueta (eu ouvi) e veio falar cmg, simplesmente pedi novamente para retirar a bateria. Após recolocarem a minha velha bateria, antes de ir embora falei em alto e bom som para que todos que estivessem na loja ouvissem, que ali se engana o consumidor e nunca mais retornei e em todas as oportunidades possíveis relatava o ocorrido.
    abs
    Carlos

    ResponderExcluir
  44. NOMES!
    NOMES!

    QUEREMOS NOMES!

    ResponderExcluir
  45. Autoentusiasta cansado da Luta11/08/12 22:43

    Minha experiência:
    - DPaschoal, Caçula de Pneus, Zacharias: fujam!
    - Della VIa, Colonial: ruinzinhas mas dá pra quebrar galho
    - POrto Seguro: as "oficinas credenciadas" da Porto me surpreenderam, mas acredito que deve mudar de oficina para oficina. A do Itaim é boa, mas talvez tenham me enganado nela (troca de disco e pastilha). A do Ibirapuera, ao lado do shopping de mesmo nome, me agradou muito. Sem empurroterapia nem encheção de saco e tem uns mecânicos muito legais que não apenas não acham ruim vc acompanhar tudo como ainda explicam o que estão fazendo.

    ResponderExcluir
  46. O mecânico prendeu a roda com um parafuso? Se fizer isso comigo também cometo um erro. Vou lá limpar uma arma dentro da oficina e ela vai disparar acidentalmente (seis vezes). Gente desgraçada.

    ResponderExcluir
  47. Geralmente consegue-se bons preços de pneus em rede de hipermercados e atacadistas. Certa vez, comprei pneus no Carrefour e fui fazer a montagem, alinhamento e balanceamento na oficina que fica no próprio mercado. O "mecânico"disse que não seria possível fazer o alinhamento pois os pivôs estavam quebrados, além de outras peças que deveriam ser trocadas. O orçamento ficou um absurdo, muito caro. Não aprovei o serviço e fui embora sem o alinhamento grátis, mas tive que pagar as 4 válvulas (8 reais cada). No mesmo dia, levei o carro no meu mecânico, e nates de olhar o carro, disse que era muito improvável que os pivôs estivessem quebrados sem que eu percebesse alguma anomalia na condução do veículo. Dito e feito, não havia nenhuma peça quebrada ou desgastada. Agora imaginem o quanto esses indivíduos conseguem ganhar das pessoas mais ingênuas?? Roubo? Estelionato? Qual o termo a ser utilizado?

    ResponderExcluir
  48. Há algum tempo tive que passar por algo parecido. Meu carro com 45mil km rodados estava com os pneus originais que vieram no veículo bem gastos, porém os 4 sempre foram bem calibrados e sempre andei balanceado e alinhado pois tenho zelo pelos meus bens.
    Porém.. comprei 4 pneus novos de uma revenda em minha cidade e a mesma me indicou outra empresa que terceirizava apenas a montagem para eles. Fui lá efetuar a troca, fizeram a montagem e tudo mais, então não demorou muito e me disseram q meu carro estava com 2 das 4 rodas tortas e que estragariam os pneus novos. Pedi para me mostrar, a diferença de alinhamento das rodas "tortas" com as que estavam em perfeito estado era insignificante, porém mandei alinhar. No momento que começaram recolocar os pneus no carro disseram desta vez que o carro não dava alinhamento pois a cambagem estava totalmente torta. Então reclamei e disse a eles como pode estar fora se rodei 45mil km com os pneus anteriores e estão os 4 gastos perfeitamente por igual? ficaram sem me responder e terminaram de montar.. saí de lá com o carro puxando muito para a direita, coisa que nunca havia acontecido. Fui direto a outra oficina de um vizinho e ele verificou o alinhamento. O que meu vizinho me disse foi que dava pra ver que deixaram a cambagem totalmente fora de propósito. Resultado.. nunca mais volto nessa loja de pneus e muito menos nesta oficina que trocou eles para mim.

    ResponderExcluir

O Ae mudou de casa! Todos os posts do blog foram migrados para o site. Por favor busque por este post no site e deixe o seu comentário lá.
Um abraço!
www.autoentusiastas.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...