Google+

27 de outubro de 2012

DAS PISTAS PARA AS RUAS, SCHUPPAN-PORSCHE


Um video muito interessante está circulando pela internet nos últimos dias. Um japonês muito feliz mostra um de seus carros especiais, devidamente emplacado e licenciado na sua cidade. Até aí, apenas mais um dono de carro legal.

O fato é que o nipônico motorista anda pelas ruas com um Porsche 956 pintado nas cores da Rothmans. Nada mau, não?



Não é de hoje que carros de corrida são legalizados para o uso civil. Já falamos aqui de um Porsche 917 emplacado na Europa, e há outros casos, como o Porsche 935 preparado (na verdade um 934 altamente modificado) para Mansour Ojjeh, dono da TAG. Pode-se hoje emplacar um Radical SR na Inglaterra para uso urbano.

Radical SR3 legalizado para as ruas. (foto: Autocar)

Voltando ao video do japa, além do fato de ser um carro de corrida e que é usado no trânsito, outra coisa que chama a atenção é que na verdade não é um Porsche, mas sim um Schuppan 962.

E o que é um Schuppan? Voltando um pouco no tempo, quando a Porsche dominava o mundo dos esporte-protótipos, seu modelo de destaque era o 956, e em seguida o sucessor 962.

Em 1982, o regulamento do mundial de endurance mudou de forma impactante para os competidores da categoria de protótipos, e os carros do momento tornaram-se obsoletos. A Porsche partiu para um projeto novo, deixando para trás anos de reutilização de modelos e tecnologias, encerrada pelo vitorioso 936.

Vista interna do Porsche 956.

Um monocoque de alumínio estruturado para suportar o conhecido motor de seis cilindros contrapostos turboalimentado foi criado para substituir o antigo chassi tubular, juntamente com uma nova carroceria baixa de habitáculo fechado, linhas suaves e baixo arrasto, e com “um tal de” efeito solo.

O formato do assoalho associado com a parte superior da carroceria formavam um perfil aerodinâmico que gerava uma quantidade enorme de downforce, ou força vertical descendente,
com pouco arrasto. O novo carro foi batizado de 956.

O assoalho especial para o funcionamento do "efeito solo" (foto: EVO)

O resultado deste novo projeto foram nada menos que quatro vitórias consecutivas em Le Mans (1982-1985) e inúmeras vitórias em diversas corridas. O 956 venceu em praticamente tudo o que disputou.

A evolução natural do carro e as alterações de regulamento do campeonato convergiram para o modelo 962 e 962C. O “C” do nome veio do Grupo C, a categoria em que participava em Le Mans, enquanto que o 962 era a versão criada para o campeonato IMSA/GTP, mais focado na América do Norte.

O Porsche 962C, evolução do lendário 956.

Com alterações nas dimensões do carro e no motor, que agora recebia um turbo apenas, o 962 carregou a herança vitoriosa da marca por mais alguns anos afim. Venceu em Le Mans em 1986 e 1987, além de diversas vitórias em corridas do campeonato.

Enquanto a Porsche estava dominando praticamente todas as corridas em que participava, um de seus pilotos, o australiano Vern Schuppan, estava elaborando um plano para montar um dos mais extremos carros de rua de todos os tempos. Vern foi piloto da equipe oficial com o 956, terminando em segundo lugar na classificação geral de Le Mans de 1982, dividindo a pilotagem do carro com Jochen Mass, e vencendo em 1983 ao lado de Al Holbert e Hurley Haywood.

O Porsche 956 de Vern Schuppan.

A Porsche apoiou diversos fabricantes a criarem versões próprias de seu 956/962, como a Dauer, Kremer e a Schuppan. O interesse deles era ter uma quantidade maior de carros com versões de rua, mesmo que em número limitado, pois o regulamento do Mundial de Endurance estava prestes a solicitar modelos de homologação. Mais adiante, em 1994, a Porsche venceria Le Mans com um Dauer 962, pois este possuia um modelo de rua e era então elegível para a categoria GT.

Voltando aos anos 1980, Vern Schuppan, em parceria com a empresa inglesa Advanced Composite Technology, desenvolveu um chassi inteiramente em compósito de fibra de carbono para seu novo carro, lembrando que os 956/962 eram feitos em alumínio. O chassi em carbono é mencionado no vídeo do japonês, e era uma exclusividade dos Schuppan. A carroceria tinha painéis de fibra de carbono mesclado com kevlar, ao contrário dos Porsche que eram feitos basicamente de fibra de vidro com algum reforços de kevlar.

O Schuppan 962R.

Com o apoio da Porsche, que aprovara a nova estrutura de compósito, Schuppan criou o modelo 962 R (“R” de Road, no sentido de vias públicas), que era praticamente igual aos Porsche no visual. Algumas diferenças como na parte traseira, o final do extrator, lanternas e asa traseira, além das rodas, identificam o carro de Vern.

A vista traseira do 962R, diferenças em relação ao Porsche.

Para ser homologado, o motor teve que passar por uma revisão geral, com a adoção de catalisadores (as normas de emissões de poluentes já estavam rígidas nos EUA e no Japão, principais mercados da Schuppan) e uma revisão no sistema de arrefecimento, uma vez que o carro não poderia super
aquecer no trânsito. Como os 956 originais tinham os cabeçotes refrigerados a água no motor de 2,6 litros, o sistema já estava no lugar, apenas precisava ser redimensionado. O escapamento teve que ser silenciado, também por conta da legislação de tráfego.

O chassi em fibra de carbono usado nos Schuppan.

 Como não havia ventilação na cabine suficiente para uma condição de trânsito urbano, um ar-condicionado teve que ser instalado no carro, com o sistema montado debaixo da porta do passageiro.

O carro fabricado por Vern também participou de competições, como um Porsche 962 convertido para a especificação Schuppan R com o chassi de carbono. Este modelo correu no final dos anos 1980 com a famosa pintura laranja da Jägermeister.

Um Schuppan de corrida.

Após a empreitada dos 962 “feitos em casa”, Vern partiu para um modelo bem mais ousado, aproveitando o chassi de carbono que já estava desenvolvido e devidamente testado. Nascia o 962CR, homologado para uso urbano, mas esta é outra história.

O carro que aparece no video é um dos poucos chassis do Schuppan 962R, pintado nas cores do Porsche vencedor de Le Mans. Como o próprio dono fala, a potência não é tão alta quanto dos carros de corrida, está ao redor dos 600 cv, mas o baixo peso do carro já o torna rápido o suficiente. Como os modelos de corrida eram obrigados a ter toda a parte de iluminação externa, inclusive com indicadores de direção, não precisaria de muito para homologar o carro para as ruas, além das normas de emissões de poluentes que falamos acima. Isso no Japão, EUA e Inglaterra. Imaginem se fosse por aqui...

O motor era o mesmo dos 962 de corrida, porém com menos potência e homologado para emissões.

Praticidade? Esqueça. O raio de curva era péssimo, a visibilidade pior ainda. Como o carro não tinha janela traseira, uma câmera instalada no final do carro, perto do gigantesco aerofólio, mostrava as imagens do que estava atrás do carro quando a ré era engatada, em uma pequena tela no painel, coisa que até pouco tempo atrás era um luxo.

O acesso não é fácil, um pouco de contorcionismo é necessário para entrar e sair do carro, mas com o tempo pega-se o jeito. Como o próprio Vern proclamava, o seu carro era o que se tinha de mais próximo da sensação de um carro de corrida, mesmo porque, era um, levemente disfarçado de carro de rua.

Interior simples porém funcional.

Este Schuppan é um caso extremo de carro de rua que veio das pistas, é como colocar uma placa em um Audi R18 ultra e pegar uma estrada. A sensação de pilotar um carro desses no mundo real deve ser magnífica, realmente coisa de outro mundo, mas sejamos francos, não é para nosso bico, não temos vias para isso, nem para nada parecido na verdade. Mas quem pode ter um carro desses, poderia muito bem ter sua pista particular, assim não se preocuparia com nada além de desfrutar sua máquina.

De qualquer forma, sendo um carro raro e nada prático, será que usaria um destes para ir trabalhar? Com certeza.

 MB

28 comentários:

  1. No mínimo fantástico. Meu sonho máximo em matéria de carro é ter algum carro de competição emplacado.
    Aqui no Brasil só WRC mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Junto com este sonho, teria que vir junto o sonho de termos um Brazil com estradas e ruas decentes. Nada extravagante, poderíamos ter algo mais parecido aos argentinos.
    É mais fácil eu me mudar, trabalhar, ficar rico em outro país, e ter ao menos um porsche original, semi-novo, a preços mais condizentes.
    Este país não merece meu respeito.
    Espera.. o Japão não passou por um terremoto, seguido de maremoto? ah tá explicado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mudar para outro pais sim, mas nao precisa ficar rico. Comprei meu 911 aqui no Canada por US20.000.
      1993 Carrera, ultimo ano do design original criado em 1963. Para min foi um sonho de infancia finalmente realizado (meu presente de aniversario aos 40 anos) Uma pena que no Brasil mesmo se voce fosse rico, nao daria para importar um carro desse, a nao ser que voce queira destrui-lo usando a gasolina com 25% de etanol.

      Excluir
  3. Realmente não temos vias para isso, aqui só WRC e na configuração de cascalho, porque WRC na configuração de asfalto tambén não rola. Esse ano quando fui no WEC vi o quanto sofrem as Ferraris de rua para andar em São Paulo. Uma simples vale para correr água acaba com o carro, e olha que era uma vala bem rasa, imaginem essas em V profundo. aliás em São Paulo é impressionante o quanto dão de importância para a água correr em vez de fazer as esquinas pensando nos carros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E por que não colocar uma grade sobre a vala? Assim a água corre pela vala e os carros andam sobre a vala.

      Esqueci, isso dá trabalho...

      Excluir
    2. Neguinho rouba as grades pra vender o ferro, essa é a verdade!

      Excluir
  4. Um carro desses não é para andar na rua. Deve ser frustrante estar no sinal fechado, o sinal abrir, e ter que parar novamente no quarteirão seguinte, no próximo sinal fechado.

    HS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só primeira marcha, e olha lá...

      Excluir

  5. Artigo super.

    Simplesmente SUREAL !!!!!!!

    Fernando RD

    ResponderExcluir
  6. Tratando-se do Japão nada me surpreende. Quem conhece sabe do que estou falando

    ResponderExcluir
  7. Imagina a felicidade do guri ao ser buscado no colégio pelo pai com o Schuppan?

    ResponderExcluir
  8. Fantastico,surreal,incrivel.Esses 600CV ja estavam de exelente tamanho para a minha pessoa.Esse porsche 962r é um de meus carros favoritos.

    Jônata Somavilla.

    ResponderExcluir
  9. Os Schuppan são incríveis mas o que a Dauer fez com o 962LM foi algo sensacional. Era um carro realmente pensado para o uso urbano com modificações no motor, transmissão e suspensão para uma maior civilidade. Inclusive usando o Motronic 1.7 e tendo um sistema de ajuste da suspensão de dentro da cabine, permitindo-se assim transpor "obstáculos" de forma mais confortável. Ainda assim era brutal o suficiente para fazer o 0-96km/h em 2,6 segundos e chegar aos 405km/h de máxima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo R.28/10/12 14:54

      Esse também merecia um post só pra ele :D

      Excluir
  10. Ótimo texto Milton, tudo sobre este monstro dos Porsche sempre é algo muito bem vindo e para boas conversas. Pelo que me lembre destes 962 de rua, os da Dauer foram os mais fortes com seus 720cv, 0a100 em 2.4s e 402km/h de final, e mais ainda, reza a lenda dentro do mais entendidos Porschistas que existe alguns carros da Dauer com "pedido especial" de 850cv, lembrando sempre, para as ruas.

    Esse carro é considerado "962" no céu e o resto na terra. Quase um sonho dentro de outro sonho.

    Parabens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei o link dos Dauer 962, mas em alemão.

      http://dauer962.de/index.html

      Excluir
    2. Lembro de uma matéria da Motor Show, onde o repórter testou o Dauer 962 na Alemanha, inclusive "empurrando" donos de Ferrari folgados pela Autobahn. Hahaha! Um de meus carros de sonho, muito mais interessante que o Veyron, pro meu gosto.

      Excluir
  11. Impressionante com um post sobre política tem mais respostas num site de autoentusiastas do que um post sobre um carro desses.

    ResponderExcluir
  12. Acho que não tem nada mistico em se tratando de carro de corrida do que esses Porsches e seus derivados fantásticos. Pra mim esses Audi R18 nem se compara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, procure saber melhor sobre 962 pois foi campeão oficial pela Porsche 21 vezes em todos os circuitos de longa durações pelo mundo e varias vezes em cada um deles, foi o unico carro da historia que ganhou Lemans pela Dauer com 10 anos de "vida" desda sua estreia em 1984, e assim, a FIA mudou o regulamento com o argumento de melhorar a competividade e pois fim o reinado absurdo que o 962 tinha nas pistas. O 962 é considerado por unanimidade o maior e melhor carro de corrida de longa durações de todos os tempos. A Audi é excelente também, mas tem que comer muito feijão com arroz para chegar perto da Porsche em competições.


      http://en.wikipedia.org/wiki/Porsche_in_motorsport
      http://en.wikipedia.org/wiki/Porsche_962

      Excluir
    2. Antônio Filho
      Esse cara sabe de carro. Manja muito!

      Excluir
  13. Rodrigo R.28/10/12 14:58

    Putz, se tivesse um desses com suspensão de altura ajustável...o usaria sempre que pudesse :)
    Não estou nem aí se ele não é prático, se o interior esquenta demais...mais vale passar um sufoco no interior claustrofóbico de um 962 do que em um modelo de rua convencional com ar-condicionado, hauehuahuehauheua :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Dauer 962LM tem suspensão ajustável de dentro da cabine e ar condicionado alojado no suporte da entrada do passageiro...

      Excluir
    2. Rodrigo R.06/02/13 19:13

      Melhor ainda! :P
      Mesmo que o ar-cond. não dê conta nos dias mais quentes, hauehuaheuahuea XD

      Excluir
  14. Um sonho,digno de um autoentusiasta, imaginem desfilar dentro de uma 917K com as cores da Gulf....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe o 917 do Conde Rossi, alegadamente uma versão de rua oficial em prata. Além deste um outro 917 em branco e com retrovisor periscópio de registro alemão, mas dono anonimo. Ambos são Kurzheck.

      Excluir
  15. conheço um com placa de rua, a venda aqui em sampa.
    carro campeão em sua categoria.
    carrega até hoje o numeral 45.
    com DNA fuscone...

    :)

    ResponderExcluir

Olá AUTOentusiasta, seu comentário é sempre bem-vindo! De preferência, identifique-se ao comentar.
Atenção: comentários contendo ofensas pessoais, a marcas, a fabricantes isoladamente e/ou em conjunto, a nacionalidade de veículos, bem como questionando práticas comerciais lícitas e margens de lucro aceitáveis nas quais este blog não interfere, bem como o uso de palavras de baixo calão e a exposição de outros leitores ao ridículo, não serão publicados. O AUTOentusiastas se reserva o direito de editar os comentários sem declinar motivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...